Fórum dos Leitores

SÃO PAULO PARADA

O Estado de S.Paulo

22 Maio 2014 | 02h06

Greve de ônibus

O prefeito Fernando Hadad não consegue entender o porquê da paralisação dos ônibus. Prefeito, os motoristas e cobradores não aceitam mais os pelegos no comando, é simples assim.

DALVA REGINA PEREIRA

drpereira@bol.com.br

São Paulo

PT fraco

Essa história de lideranças sindicais que não se entendem com suas categorias, verdadeira ou não, é o que faltava para piorar a conjuntura de um país às vésperas da Copa do Mundo mais desanimada de todas. A explicação é simples, embora trágica: tudo isso é fruto de administrações petistas fracas e incompetentes.

LUCIANO HARARY

lharary@hotmail.com

São Paulo

Partido sem coerência

Os petistas são especialistas em incoerência. O Brasil era tranquilo e ordeiro. O PT chegou e ensinou o povo a fazer greve em todos os setores da sociedade. Hoje que eles estão governando, toda greve é ilegal e chamam a Polícia Federal para acabar com qualquer movimento (vide o incompetente prefeito Haddad). Chega de governo petista no Brasil!

ROBERTO HUNGRIA

cardosohungria@gmail.com

Itapetininga

Calamidade e direitos

Você que acreditou no Lula e elegeu o Haddad, veja a situação a que chegamos. Ele assumiu há ano e meio e olhe a calamidade em que deixou nossa cidade. Hoje nem direito de ir e vir temos.

LAERT PINTO BARBOSA

laert_barbosa@globo.com

São Paulo

Veneno

As greves que estão pipocando em várias cidades brasileiras, principalmente em São Paulo, estão fazendo o PT provar do seu próprio veneno: o partido nasceu, alimentou-se e cresceu fazendo greves. Agora que está com o poder nas mãos, condena qualquer tipo de greve, chamando-a de guerrilha, como disse em entrevista o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad. Guerrilha é o que o PT está fazendo com o Brasil: gastos exorbitantes com a Copa do Mundo, abandono da saúde pública, da educação e da segurança, proteção aos corruptos, só para citar alguns itens. Pois é, nada como um dia após o outro: antes era estilingue, agora é vidraça. Esperem para ver o que vai acontecer durante a Copa. O que está ocorrendo agora é só um ensaio!

JOSÉ MILTON GALINDO

galindo52@hotmail.com

Eldorado

Estilingue e vidraça

Muito estranha a atitude do prefeito de São Paulo e do seu secretário dos Transportes quando dizem que não entendem o movimento grevista que ocorre em São Paulo, querendo a intervenção da polícia e chamando o movimento de guerrilha. Muito simples entender, basta olhar para alguns anos atrás, quando da criação do partido a que pertencem, o qual cresceu exatamente em cima do que eles reclamam agora. Os sindicatos estão aí com a lição aprendida, lendo a cartilha do passado para atingir os seus objetivos. Uma única diferença temos hoje: os atuais governantes são muito mais despreparados e incompetentes na gerência da coisa pública. Os estilingues de antigamente estão sentindo na pele a tortura e a agonia de serem vidraças.

OLAVO BRUSCHINI

o.bruschini@terra.com.br

Monte Azul Paulista

Guarda Civil

O secretário de Transportes do Município, Jilmar Tatto, reclamou da "passividade" da polícia com relação aos movimentos grevistas que, literalmente, se apoderaram da cidade. Quando a polícia age, é chamada de truculenta pelo PT e associados. Quando não age, é tachada de omissa pelo mesmo grupo. Que tal seu Jilmar convocar a Guarda Civil Metropolitana para coibir a desordem que se instalou na cidade? Afinal de contas, são municipais a greve dos professores e a dos motoristas de ônibus.

FREDERICO FONTOURA LEINZ

fredy1943@gmail.com

São Paulo

Caos

A Prefeitura perdeu o controle do sistema de transporte viário da maior cidade do País, que acreditou poder governar. Não pode. Não consegue. A classe média, odiada pelo PT (veja-se vídeo em que a declaração de ódio é explicitada para uma plateia que aplaude, sob o olhar de um Luiz Inácio que gargalha, cheio de escárnio), está prisioneira da incompetência e má-fé dos (ir)responsáveis. Jilmar Tatto declarou singelamente que dois são os culpados: a Polícia Militar (PM) e os empresários. Um processo deve ser aberto para averiguar a inoperância e omissão da PM. É o cúmulo! Sou testemunha ocular das providências e da presença da PM tanto na Avenida Faria Lima quanto na Rebouças e em Pinheiros, locais por onde passei na terça à noite. A Prefeitura alega surpresa. Talvez no primeiro dia. Mas e no segundo? O que explica a inoperância, a falta de providências? O que foi feito dos agentes da CET, sempre tão presentes em bairros ditos "nobres", multando sorrateiramente, em vez de organizar o trânsito? Sumiram. E a polícia metropolitana? Resultado disso é a sobrecarga do metrô. O que talvez permita a Jilmar Tatto declarar que a culpa do caos é do governo do Estado. O que essa turma de incomPeTentes está esperando para pedir a presença e intervenção do Exército?

MARLY N. PERES

marly.lexis@gmail.com

São Paulo

Reflexos eleitorais

Nós nunca tivemos problemas em andar a pé. Vai a pé, vai descalço, vai de bicicleta, vai de jumento, vai de qualquer coisa, mas o que nos preocupa é como chegar ao trabalho. Que babaquice é essa? Tem de ter garantia para essa gente trabalhar, tem de ter o prato de comida para comer todo dia, tem de tratar bem os trabalhadores. Faltam ônibus? Muito bom para que na próxima eleição saibamos votar.

PAULO CÉSAR PIERONI

pcpieroni@hotmail.com

Campinas

Fim do mundo

Hoje a situação econômica e, principalmente, social está um verdadeiro caos. O que se vê no nosso país são protestos, greves, badernas, vandalismo, etc. E vem a nossa "presidenta", juntamente com o ex, firmar uma promessa de maravilhas para os próximos quatro anos. Se elles não conseguem nem agora, imaginem no próximo turno o inferno que seria.

JOSÉ SERGIO TRABBOLD

jsergiotrabbold@hotmail.com

São Paulo

País da baderna

Com a falta de comando por parte das nossas autoridades, o caos se estabelece e a democracia patina. Estamos perdendo a cidadania e virando reféns.

MARCOS CATAP

marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

*

SEM RUMO

Estamos vivenciando um clima de desordem no País, com manifestações não se sabe para quê, greves absurdas, etc. E as autoridades? Só sabem fazer um discurso idêntico, alegando que na democracia é assim mesmo. É uma forma cômoda de se eximir da responsabilidade. Enquanto isso, o povo sofre com falta de ônibus, trens, segurança, etc. Até quando o País vai ficar sem rumo? Ou quem manda agora são os sindicatos? Ou o PCC? Estamos muito mal de políticos, que só agem para o bem próprio, para não dizer outra coisa.

Ademar Monteiro de Moraes

ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

*

GREVE DOS ÔNIBUS

E aí, Haddad, provando do próprio sangue? Não dá para engolir você, petista e seguidor, falar em "sabotagem", "tática de guerrilha" ou em um "grupo de poucos". Não são poucos como diz, por que essas eram as táticas do chefe maior e companhia, aprendidas rapidamente pelos seguidores do lulopetismo, pois num passado recente eram os que faziam, prejudicando, como hoje, a maior cidade do País e, principalmente, os milhões de trabalhadores honestos que pagam seus impostos. Isso para comprar refinarias, construir arenas de futebol, etc. - não preciso dizer tudo por que é de conhecimento geral, visível e notório -, e que deveriam ter, no mínimo, o que vocês chamam de "direitos humanos".

José Roberto Brighenti Ribeiro

brighentiribeiro@bol.com.br

Praia Grande

*

GREVES E PRESSÕES

Criar clima de agitação, com greves oportunistas e exigências inexequíveis, notadamente frente a realização da Copa do Mundo, de nada adianta. O que essas categorias fazem, unicamente, é prejudicar o povão, que fica irado. Não é contra os patrões ou o governo, e, sim, contra os próprios trabalhadores de serviços essenciais. O pessoal parece não ter em mente que governo algum cede mediante tais pressões. Se a autoridade notar que pode perder o controle, ela decreta as medidas constitucionais excepcionais, como Estado de Emergência e até Estado de Sítio.

Heitor Vianna P. Filho

bob@intnet.com.br

Araruama (RJ)

*

SP VIROU TERRA SEM LEI

A tomada da cidade pelos motoristas de ônibus nos dias 20 e 21 de maio revela o fracasso das nossas instituições. A impressão que se tem é que a cidade está sem comando. O prefeito Malddad legitimou as invasões de imóveis pelos militantes do ILS (Instituto de Lutas Sociais) e do MMRC (Movimento de Moradia da Região Centro) e MMC (Movimento de Moradia do Centro), ao recebê-los para uma reunião, além de ter subido no caminhão de som dos manifestantes e cedeu área de preservação para moradia. Em seu programa de governo, Malddad prometeu construir 55 mil habitações populares na cidade, atender 70 mil famílias no programa de urbanização de favelas, iniciar obras até 2016 para atender mais 70 mil famílias e beneficiar 200 mil famílias com a regularização fundiária. Prometeu, ainda, assentar todas as famílias que estiverem em programas assistenciais, como o Bolsa Aluguel e adaptar prédios no Centro para serem usados em habitação popular. Onde está o "homem novo" que o PT vendeu aos eleitores de São Paulo, prometendo que iria dar jeito nessa pobre cidade? O trânsito é um caos total, o CET só pensa em multar, a polícia não intervém nas manifestações e na bandalheira perpetuada pelos grevistas que deixam a pé milhões de trabalhadores. Ônibus são queimados diariamente e nada é feito para coibir a prática lesiva dos insatisfeitos. O PT que sempre se vangloriou por saber falar com o povo, perdeu a capacidade do diálogo? É o medo de tomar medidas e ficar mal na foto que faz com que os baderneiros tornem a cidade uma terra sem lei? Parece que o povo cansou de suas promessas, prefeito! E agora

Izabel Avallone

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

MOBILIDADE URBANA

Em São Paulo, os "corredores" são exclusivos para ônibus. Já os usuários, esses se locomovem pelas calçadas. A pé...

A. Fernandes

standyball@hotmail.com

São Paulo

*

PORTEIRA ABERTA

No dia 20/05, a população de São Paulo sofreu ainda mais com a greve de vários grupos de motoristas dos ônibus das linhas municipais, que não concordam com o acordo que o seu sindicato fez sobre o reajuste salarial de 10% para a categoria. E hoje, São Paulo sofre novamente com a paralisação quase total dos ônibus. Em minha opinião, essas manifestações, cada vez mais frequentes, são produto da atitude do prefeito Haddad, quando um grupo de invasores de um área de preservação ambiental na Estrada do M’Boi Mirim interrompeu o trânsito na Zona Sul e no Centro, obrigando os trabalhadores que seguiam para os seus locais de trabalho, a faltarem em seus empregos ou caminharem por horas na tentativa de chegarem ao seu destino e a população em geral perder os horários de seus compromissos. Naquela oportunidade, além de não solicitar o concurso da Polícia Militar para colocar a cidade em ordem e garantir o direito de ir e vir da população, resolveu assumir uma postura demagógica, subindo no caminhão de som dos invasores. E pior, incitou os baderneiros a irem à Câmara Municipal para defender o que eles entendiam ser o seu direito. Nesse dia a autoridade dele ficou irremediavelmente abalada. O prefeito abriu a porteira para que todo grupo de manifestantes descontentes com alguma coisa interrompessem o trânsito da cidade. Não podemos aquilatar se o reajuste assinado pelo seu sindicato é satisfatório ou não. Um motorista participante do movimento, entrevistado pelo Jornal Hoje da TV Globo, declarou que eles foram informados que Haddad teria acertado 20% de aumento e não 10%. Essa declaração teria sido apenas um boato. Ora, isso demonstra como o setor de transportes públicos da cidade está bagunçado. Todos sabemos da cumplicidade do PT junto a inúmeros sindicatos dos trabalhadores e aos movimentos populares em geral, e eis uma eventual explicação dos motoristas e cobradores de ônibus que não ficaram satisfeitos com a negociação firmada pelo seu sindicato, pois sabem da influência desse governo junto aos sindicatos. Ninguém honestamente pode ser contra aos movimentos dos que lutam por melhores condições de habitação, quando não simplesmente por uma habitação. Mas as manifestações que tumultuam a vida de todos os paulistanos, inclusive aqueles que reivindicam um lugar para morar e aguardam democraticamente a sua vez, manifestando-se ou não as suas necessidades, mas jamais perturbando a vida dos demais.

Gilberto Pacini

benetazzos@bol.com.br

São Paulo

*

GREVE

Após uma convenção coletiva que ficou acertado 10% de aumento para os motoristas e cobradores, um sindicato em luta pelo poder, decidir parar uma grande parte dos terminais de ônibus e colocar a vida dos usuários no caos não se trata de um direito à greve e sim um crime contra o direito de ir e vir dos cidadãos da maior cidade do País.

Marcos Barbosa

micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

*

GREVE SURPRESA

Políticos corruptos e oportunistas, cuidem-se, o povo descobriu a força que tem. De duas, uma, ou vocês param de roubar e trabalham realmente para o bem estar de todos, ou vosso fim será decretado. Ninguém acredita mais em Papai Noel, e muito menos em Salvador da Pátria.

Arnaldo de Almeida Dotoli

arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

*

A GUERRILHA, O ÔNIBUS E A AUTORIDADE

O prefeito Fernando Haddad diz que os grevistas dos ônibus utilizaram "tática de guerrilha", e pede apuração do ocorrido através das polícias civil e federal. O que ocorreu em São Paulo é o mesmo havido dias atrás no Rio de Janeiro. Grupos insurgentes passam por cima das decisões dos sindicatos legalmente constituídos para representar os trabalhadores e promovem a paralisação. Isso também deve ter acontecido em outras praças, com menor repercussão, e não passa do resultado da política de enfraquecimento da autoridade que nas últimas décadas tem se cultivado à guisa de democracia. Os governos e suas instituições têm perdido o "imperium" da lei e, dentro dessa visão estrábico-libertária, as minorias ativas e ousadas têm sido toleradas nos seus arroubos e a autoridade, acuada, muitas vezes acovardada e interessada exclusivamente em aparecer bem na fita para conquistar os votos da próxima eleição, faz de conta que manter a ordem pública não é sua obrigação. O apequenamento da autoridade está indo longe demais. É importante apurar responsabilidades, mas é preciso, também, que as autoridades tenham coragem suficiente para enfrentar os problemas que vierem a ser identificados, punir os seus executores e, com isso, libertar a população do jugo desses desordeiros sociais, restabelecendo o sagrado direito de ir e vir.

Dirceu Cardoso Gonçalves

aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

NÃO É DEMOCRACIA

Fazer bagunça, quebra-quebra, saques e impedir e ignorar o direito do próximo não é exercer a democracia. Sem dúvidas, temos muito a melhorar, mas vivemos ainda em um país livre e democrático. O que estamos vendo só ajuda e dá motivos para quem não deseja manter a liberdade e a democracia plena. Conquistamos muitas coisas nas ruas, mas com respeito e inteligência. Fui contra a Copa do Mundo de futebol no Brasil, mas briguei e falei muito em 2007 quando o governo aceitou tudo para trazer a Copa (ação populista, pobre e baixa). Fiz a minha parte, agora temos que assumir para diminuir o prejuízo e melhorar a imagem do País e não esquecer, punir e cobrar do companheiro e seus amiguinhos, que fizeram a bobagem. Não quero e nem desejo viver como alguns dos nossos vizinhos que são ditadores travestidos de "democratas" ou "socialistas", mas que, no fundo, estão levando o povo cada vez mais para a pobreza e sem qualquer liberdade. Vamos agir com inteligência.

Marcelo de Moura

mdemoura@globo.com

São Paulo

*

VERGONHOSO

Uma vergonha o que aconteceu anteontem e continuou ontem. Sem nenhum aviso, no meio do dia, um grupo de motoristas e cobradores decidem parar os ônibus, por não concordarem com a negociação feita pelo sindicato. Ou seja, os sindicalistas brigam e a população é quem sofre as consequências. Ontem de manhã, por volta de 6h30, um grupo parou dois ônibus da Sambaíba, em frente ao prédio onde moro, obrigando todos os passageiros a descerem, e os ônibus a voltarem para a garagem. Uma cena revoltante. E ninguém vai ser punido, pelo contrário, é capaz de daqui alguns dias termos nova paralisação, já que ninguém faz nada. O pior de tudo é ler no jornal, é ler a folha corrida de todo esse pessoal do sindicato, tanto a diretoria quanto a oposição: processos por corrupção e enriquecimento ilícito, suspeitas de ligação com o crime organizado, eleições marcadas por brigas e tiros, mortes. Enfim, é na mão desse tipo de gente que está a população. E, pra piorar, a CET, pelo menos até 8h30, não havia liberado o rodízio. Ou seja, não tem ônibus, metrô e os trens estão superlotados, e alguns cidadãos ainda estão impedidos de usar o carro, sob pena de serem multados. Uma verdadeira palhaçada.

Alexandre Fontana

alexfontana70@yahoo.com.br

São Paulo

*

SINDICATO X TRABALHADORES

Se o que é assinado pelo sindicato não é aceito pelos trabalhadores, pergunto: para quê serve o sindicato? Eu só queria entender.

Marcos Catap

marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

*

TODOS SABEMOS

Todos nós sabemos que esses sindicalistas que estão por trás de tudo que está acontecendo em São Paulo. São os mesmos de sempre. Há autoridades de traseiros flácidos que nada fazem para aliviar o sofrimento dos paulistanos também. Eles terão as respostas nas urnas que sabemos, manipuladas, fazendo com que muita gente deixe de votar nas próximas eleições. Quem viver, verá!

Maria de Mello

nina.7mello@uol.com.br

São Paulo

*

SERVIÇOS PÚBLICOS

Como o Congresso só resolve assuntos de interesse dos congressistas, será extremamente difícil pensarem nas inúmeras reformas que necessitam ser feitas, tais como: política, eleitoral, trabalhista, fiscal, previdenciária, etc. e, principalmente, das greves nos serviços públicos, que passaram a ser rotina, com enormes prejuízos aos cidadãos brasileiros e, em especial, aos trabalhadores. Será que o nosso país tem necessidade de quase 600 congressistas com um elevadíssimo custo à nação para não fazerem nada de útil e ficarem na ociosidade? A carga tributária paga pelos brasileiros é a maior do mundo, considerando o retorno dos seus reais direitos constitucionais. Qualquer cidadão, do mais simples ao mais abastado, está no limite de perder a paciência, fazendo valer os seus direitos, até, se preciso for, à força. Não aguenta mais a desfaçatez e o descaso dos maus governantes e maus políticos. Pela incompetência, incapacidade e desonestidade de gerir tudo que é público. O Brasil se transformou num "balaio de gatos podres", não se aguenta o mau cheiro que está se alastrando.O que nos espera?

Luiz Dias

lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

*

GREVES DOS POLICIAIS

Para acrescentar às inúmeras greves do setor público, agora é a vez dos policiais civis de vários estados que decidiram fazer paralisação. Quando o Sr. Joseph Blatter afirmou que o Brasil era o País mais atrasado desde que ele estava na Fifa, será que se referia somente às obras da Copa ou ele ficou sabendo sobre a lei que regulamenta o direito de greve do setor público, que está parada há mais de 24 anos no Congresso?

Edgard Gobbi

edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

GOVERNO PT

Governo petista é isso, só acorda quando a bomba estoura e sempre colocando a culpa nos outros. A população nada tem a ver com os problemas políticos e administrativos do prefeito. Ele deveria saber, tem os meios, o que os transportadores e motoristas estavam tramando. Afinal, os grevistas não são apenas três ou quatro. Só o prefeito não sabia que iria haver greve, algumas dezenas de pessoas deveriam saber. Não se trata de reclamação do PT. Eles são assim, quando a bomba estoura, buscam culpados, não assumem. O fato sobre o que o prefeito tem que se explicar é: como ele não sabia o que ia acontecer, numa cidade tão grande com tanta gente envolvida, e nada fez? Se fosse Nova York ou Londres, cidades igualmente grandes, isso não aconteceria assim, os prefeitos de lá não iriam buscar culpados e saberiam o que estaria para acontecer. Não se está perseguindo o PT, pois todos estão vendo a má administração municipal do Haddad, que não estava à altura do cargo, inexperiente. Quanto a Dilma já se prevê que vai perder a eleição devido ao fato de que temos péssimas saúde, educação e implantação de obras. Padilha não conseguirá se eleger, inexperiente, muito mal de comunicação. O PT não está sendo bem visto devido às pessoas inexperientes que o elegeu, até o Lula teve uma importante perda de prestígio dados os problemas da corrupção, o "mensalão", a Petrobrás e a Copa, para o que o Brasil não estava preparado, já que tinha outros enormes problemas a resolver. A Fifa solicitou muitas obras, e pior, ele decidiu fazer 12 em vez de oito arenas, como fizeram outros países. A população está cansada de ver diariamente a corrupção do governo petista que atingiu Congresso, Petrobrás e até o judiciário, com a escolha de ministros para o STF que defendem petistas. É muito grave essa paralisação de transportes que mexe com milhões de pessoas que precisam trabalhar, de escolas, hospitais, policiamento e negócios, que terão milhões em prejuízo, a somar a péssima política econômica do governo.

Fabio Figueiredo

fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

SEGURA ESSA, COMPANHEIRO

Agora só falta mesmo o prefeito Haddad dizer que a paralisação dos ônibus na capital é culpa da oposição ou alguma coisa assim. Segura essa, Haddad!

José Piacsek Neto

bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

*

TAXA DE DESEMPREGO

Criação de empregos é a menor para abril em 15 anos, mas não precisa se preocupar que a taxa de desemprego será a menor do século.

Vagner Ricciardi

vbricci@estadao.com.br

São Vicente

*

FORA DA REALIDADE

O ministro Gilberto Carvalho, de forma conveniente ao procurar dar uma forcinha ao prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT) que enfrenta greve do transporte urbano, faz suas críticas aos movimentos populares porque (no entender dele) usam a Copa do Mundo, para protestar. Esquece esse alto servidor da Dilma que por enquanto vivemos num país democrático, e o povo brasileiro exerce o seu direito de cidadania. Por justa razão se indigna e protesta mesmo é contra os alojados no Palácio do Planalto que infelizmente vem desprezando melhorias nos setores da educação, saúde e transporte urbano, que seguem infelizmente caóticos. Mas, com a clara vocação de se lixar para ética, aproveitam descaradamente esse evento da Copa para superfaturar as obras dos novos estádios e algumas poucas, diga-se, de mobilidade urbana, com o objetivo único de desviar recursos públicos para o bem estar e a orgia de seus camaradas e aliados. Essa é a realidade inconteste que jamais em tempo algum o seu PT terá capacidade de disfarçar com o seu populismo e sua demagogia indigerível, Gilberto Carvalho.

Paulo Panossian

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

CRÍTICAS DO MINISTRO

O ministro Gilberto Carvalho tem criticado os inúmeros movimentos que protestam em diversos pontos do País, esquecendo-se que isso era fomentado e aplaudido pelo PT quando o partido estava na oposição. Com que moral um petista histórico como ele pode declarar que paralisações e greves são lamentáveis?

Ronaldo Gomes Ferraz

ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

CAOS NOS TRANSPORTES

Mais uma vez, referencio a sabedoria e a visão de longo prazo do ex-presidente Lula. Vendo o caos do transporte público em São Paulo nos dias 20 e 21 corrente, chega-se à conclusão que ele estava certo. O povo não precisa de ônibus, metrô e trens, basta que tenham pés e jegues. Aliás, onde posso locar um jegue?

Claudio Juchem

cjuchem@gmail.com

São Paulo

*

NO BRASIL TODO

Greves, protestos e até posicionamento de Teori Zavascki protegendo bandidos: é o caos padrão FIFA tomando conta do Brasil.

Roberto Twiaschor

rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

MAU HUMOR

Os petralhas realmente ocuparam de forma integral os Três Poderes. A quem beneficia esse "vai, não vai" do ministro Teori Zavaski? Certamente não é o povo. Ou será que esse "prende, solta e prende" já não estava combinado antes do início do jogo?

Mauro Lacerda de Ávila

lacerdaavila@uol.com.br

São Paulo

*

STF

Com ministros do STF, como Toffoli, Lewandovski e Zavackski, o que poderíamos esperar do STF, senão arranjos?

Conrado de Paulo

depauloconrado@yahoo.com.br

São Paulo

*

MÃE JOANA

Devido aos últimos julgamentos e às ultimas deliberações dos ministros do STF, a "rede casa da Mãe Joana" acaba de incorporar mais uma, "Suprema Corte". É isso que acontece quando o Q. I. (Quem Indica) é mais forte que o N. S. (Notório Saber). Essa rede está de parabéns. Sabe fazer aquisições.

Luiz Carlos

Tiessi tiessilc@hotmail.com

Jacarézinho (PR)

*

LAVA JATO

Robe o Brasil. O ministro de STF do PT garante sua liberdade.

Pedro Prudêncio

pedropru@uol.com.br

São Paulo

*

MANOBRAS PALACIANAS

Depois de as ações da Petrobrás terem perdido mais da metade do valor, surgiu mais um escândalo relacionado ao governo federal. A Polícia Federal, numa operação batizada de Lava Jato, prendeu um ex-diretor da empresa com mais de um milhão de reais em sua casa. Após isso, iniciou-se a operação CPMI, mas o presidente do Senado, que já se envolveu em vários escândalos, foi contra a abertura da investigação. Após muitas manobras políticas, foi instalada uma CPI que só provocará despesas ao erário, haja vista que o presidente da Comissão é do PMDB e o relator, peça mais importante de uma CPI, é do PT. Está claro que o escândalo será camuflado e o prejuízo, como sempre, será dos explorados contribuintes e dos otários investidores. Acorda eleitor!

Abílio Teixeira

abilioteixeira@bol.com.br

Brasília

*

CPI DA PETROBRÁS

Quem são os membros da base aliada da CPI da Petrobrás? Fácil resposta. Pelo que a mídia divulga sistematicamente, pouco fizeram pelo País, mas muito por si próprios. Submetem-se aos caprichos do executivo, simplesmente para manterem seus apaniguados e seus próprios benefícios. Fez bem a oposição de não participar dessa farsa.Vi uma sessão da CPI que mais parecia uma reunião de amigos num chá da tarde, dizendo que o que fazem foi e é o melhor para o País. O melhor é aguardar as conclusões da Polícia Federal, Ministério Público e Tribunal de Contas. Esses órgãos ainda não estão aparelhados nem corrompidos.

Paulo Henrique Coimbra de Oliveira

ph.coimbraoliveira@gmail.com

Rio de Janeiro

*

SÓ BARULHO

Quando se cria uma CPI, a impressão que se tem é que irá faltar presídios para prender tanta gente, quando na verdade a maioria acaba terminando em pizza.

Virgílio Melhado Passoni

mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

DECADÊNCIA

Passado o vendaval e assumindo quando o bom vento anunciava calmaria, Lula, em seus constantes passeios nacionais e internacionais, às vezes românticos, teve o mérito de preservar as conquistas, daí colher os frutos, mas as habituais trapalhadas diplomáticas e econômicas, além da benevolência com a corrupção sob suas barbas, o incentivo às invasões e o desleixo nas obrigações básicas (educação, segurança, infraestrutura, transportes e saúde), "criatividade" contábil para mascarar o superávit primário. A Petrobrás não é mais aquela. Aos poucos, a decadência aliada à inflação legado à Dilma, sua fiel discípula que, sob o seu aconselhamento, superou o mestre e, em consequência, teve um Brasil sem rumo, decadente, bagunçado e internacionalmente desacreditado e motivo de galhofa.

Humberto Schuwartz Soares

hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

*

NÃO AMAM NINGUÉM

Minha saudosa avó diria que a política no Rio está uma tremenda "barafunda". Por exemplo, Lula diz que vai apoiar Lindbergh para governador e Cabral para o Congresso. Cabral vai de Pezão, adversário de Lindbergh, e ele mesmo. Só que em política nem sempre vale a música "Flor da Idade", de Chico Buarque (apesar de toda quadrilha). Não tem essa de Lindbergh amava Pezão, que amava Crivella, que amava Garotinho, que amava Lindbergh, que amava Pezão, que amava Crivella, que amava Garotinho (nem por amor à Deus). Enquanto ninguém por lá se entende, o Rio está à beira de um outro colapso: o financeiro e administrativo, caso prevaleça a nova lei de distribuição de royalties do petróleo, além da "barafunda" provocada pelas greves nos bancos, ônibus, polícias, etc. Isto às vésperas da Copa do Mundo.

João Direnna

joao_direnna@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

A CAMPANHA DO MEDO DO PT

No fundo, a covarde e apelativa campanha publicitária "do medo" que o PT levou ao ar em cadeia nacional de TV parece se dirigir ao partido ao dizer que "não podemos deixar que os fantasmas do passado voltem e levem tudo o que conseguimos". Não poderia haver declaração mais contundente do medo que Lula e etc. sentem da ameaça de perder o bem bom desfrutado - e como - nos últimos 12 anos. Há cerca de um ano a reeleição de Dilma era dada como favas contadas. Em poucos meses, o vento virou, e agora o segundo turno é cada vez mais visível no horizonte. O País tem medo é de continuar como está. Muda,Brasil!

J.S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

IR AO ESTÁDIO A PÉ

Ele e os 40 falam o que dá na suas cabeças e a deles, abrindo, fedem. Nunca neste país se declarou tanta asneira.

Jorge Wiszniewiecki

jatw@terra.com.br

São Paulo

*

REFORMA POLÍTICA

Sou contra a reeleição em qualquer nível. Para mim, esse é o grande problema do País, pois ao permitir a perpetuação, torna a política uma profissão. A bem da verdade sempre tive dificuldade em eleger alguém, pois meus candidatos não tinham "experiência" política. Ao menos não me decepcionei. Aí, dizem: e aquele que foi honesto e bom governante? Isso é tratado como raridade, e para mimm com um detalhe: se trabalhou bem, não fez mais que a obrigação. Como o atual quadro político jamais irá pedir o fim da reeleição, pois isso significaria a morte para todos, cabe à população, se quiser mudanças, não reeleger ninguém, a começar de outubro próximo

Iria de Sá Dodde

iriadodde@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

SERVIDORES PÚBLICOS

As pessoas dizem que todos os políticos são iguais. Porém, elas são governadas por esses políticos. As forças das trevas querem nivelar todos os políticos por baixo. Assim, não temos como fiscalizar os nossos políticos que são servidores públicos. Nas eleições, temos que escolher os políticos menos corruptos e dar oportunidade àqueles que merecem uma oportunidade. Sempre há o menos pior que, com a ajuda do povo, pode tentar dias melhores. Estamos em uma nova era, e os políticos têm de ser homens de bem e responsáveis.

Paulo Roberto Girão Lessa

paulinhogirao@gmail.com

Fortaleza

*

AUMENTO

Aprovada PEC que cria adicional por tempo de serviço para juízes e procuradores receberem acima do teto Constitucional de R$ 29,4. Nem precisamos ser adivinhos para saber que haverá mais PECs em cadeia para beneficiar todas as categorias do serviço público, e os gastos nas contas públicas que já estão acima do permitido pela Constituição, subirão mais ainda. Como sempre, este Congresso serve apenas para aprovar leis que beneficiam os seus, porque a população brasileira mesmo resta abrir os bolsos e pagar pelo péssimo serviço prestado. Vamos ver se pelo menos agora aqueles processos judiciais intermináveis sairão mais rapidinho, não é?

Beatriz Campos

beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

ISENSÃO FISCAL À FIFA

Gostaria de saber se é verdade que o Brasil isentou a Fifa de impostos na Copa do Mundo, o que representaria um "presente" de alguns bilhões de dólares para a entidade organizadora do torneio. Se for verdade, acredito que está caracterizado o caso de suborno mais escandaloso da história do futebol em todos os tempos.

Mário Barilá Filho

mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

BASTA A COPA

Voto no candidato a presidente que prometer notificar ao Comitê Olímpico Internacional (COI) a nossa desistência de sediar os Jogos Olímpicos de 2016 na cidade do Rio de Janeiro.

Sergio S. de Oliveira

ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

HEXA, BRASIL

Vamos torcer para que o Brasil, igualmente ao Náutico, também consiga ser hexacampeão. Comemoremos os festejos juninos, enfeitando as nossas casas, ruas e clubes com motivos da Copa, primando pelas cores verdes e amarelas nas bandeirolas, balões, correntes, etc. Convidemos os parentes para torcer numa só festa. Deleitemo-nos com as jogadas mirabolantes dos craques do futebol. Não devemos misturar preocupação com diversão. Vamos lá, Brasil!

Cláudio de Melo Silva

melo_riodoce@hotmail.com

Olinda (PE)

*

POR QUE NÃO ‘ARENA CORINTHIANS’?

Eu, como todo corintiano, esperava uma resposta do porque adotaram placas de trânsito com os dizeres "Estádio (Stadium) Itaquera", e não "Arena Corinthians", ou até mesmo "Stadium Corinthians"? Bem, ela veio ao inaugurar oficialmente o estádio e perder para o lanterna do campeonato que ainda nem gol e ponto algum havia marcado. "Paraíso da Figueira", né não?

Laércio Zannini

arsene@uol.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.