Fórum dos Leitores

FUTEBOL E POLÍTICA

O Estado de S.Paulo

09 Junho 2014 | 04h07

Resistências

O ex e a atual presidente descobriram a pólvora! "Resistência à Copa é eleitoral" e "há campanha com o objetivo de tirar o PT do poder" são pérolas de um discurso fascista, cujos autores nunca admitirão uma troca de poder democrática. Nem sequer ainda perceberam que o problema não é o PT, mas a incompetência, o caradurismo e a desonestidade dos políticos que estão no PT.

NELSON PENTEADO DE CASTRO

pentecas@uol.com.br

São Paulo

Na mosca

"Ela (a resistência), de fato, não é contra a Copa, é muito mais uma campanha contra nós", sentenciou dona Dilma Rousseff. Acertou na mosca. Diante do retrocesso do País por ação e inanição de um governo dissimulado, autoritário (Mais Médicos) e incompetente, que acoberta os "malfeitos" de seus companheiros e trata os brasileiros como idiotas ("não li", "bom negócio", "conta de padeiro", etc.), fazendo sua autopromoção mentirosa (a Petrobrás cresceu) e sua compra de votos (bolsas) com o dinheiro do povo, dos nossos suados impostos, só podia ter como resposta um clima de desalento como "nunca antes nesse país". Principalmente porque os verdadeiros brasileiros, letrados e não comprometidos com o PT, sabem que a vinda da Copa atendeu a interesses outros, em vez de destinar nossos recursos à educação e saúde, reivindicações das ruas de 2013.

ANTONIO C. GOMES DA SILVA

acarlosgs@uol.com.br

São Paulo

Garra

Numa sexta-feira chuvosa, greve no Metrô, trânsito complicado, 68 mil pessoas assistiram a um jogo-treino da nossa brilhante seleção. Isso mostra que, se o nosso povo realmente quiser virar o jogo (mudar os políticos incompetentes), é possível, basta querer. Vamos usar nosso voto.

ANTONIO C. PEREIRA DA SILVA

aclaudiops@uol.com.br

São Paulo

O governo e a Copa

Na vã tentativa de reverter a péssima imagem do seu governo na organização da Copa do Mundo, a presidente Dilma vai publicar em 33 jornais do mundo artigo defendendo o evento. Mais um desperdício de dinheiro público. Em 30 de outubro de 2007 a Fifa anunciou o Brasil como sede da Copa de 2014 e o governo atual e o do seu antecessor tiveram tempo de sobra - quase sete anos! - para mostrar competência e seriedade na organização do evento. O que se está vendo, contudo, aqui e no exterior, é exatamente o contrário: obras em atraso, gastos muito acima do previsto, acidentes fatais e falta de infraestrutura adequada. Para piorar ainda mais o clima da Copa, atos de vandalismo e oportunismo se tornaram rotina nas grandes cidades.

FABIO DE ARAUJO

fanderaos@gmail.com

São Paulo

GREVE DOS METROVIÁRIOS

Não nos representam

Estamos vivendo uma ditadura de pseudo-organizações sociais - como os sindicatos - que acham que podem agir ao arrepio da lei e, aos gritos, promovem a desordem e o caos. Essas organizações não representam a sociedade. Não representam a população que sofreu nestes últimos dias com essa greve - que tem claro viés político - nem angariam nenhuma simpatia para as suas reivindicações, ainda que possam ser justas.

PRISCILA FERRO

pyscynahh@gmail.com

São Paulo

Demissão de grevistas

Não se faz omelete sem quebrar os ovos, diz a sabedoria popular. Decisão judicial desrespeitada? Demissão e prisão! Perdido por um, perdido por mil. Garanto que não faltam candidatos para substituir os grevistas. Quanto à habilitação técnica, com toda a certeza não será problema.

CLAUDIO BOTELHO

barrosobotelho@gmail.com

São Paulo

Privatização

Oportuno observar que durante a paralisação a Linha 4, privatizada, funcionou normalmente. É sabido que a receita operacional do Metrô, de todas as linhas menos a 4, não cobre sequer seus custos operacionais. Acredito ter chegado a hora de o governo do Estado planejar séria e rapidamente a privatização da operação de todas as demais linhas. Ou vamos continuar reféns dessa corja de nazistas que domina o Sindicato dos Metroviários?

PAULO T. SAYÃO

psayaoconsultoria@gmail.com

São Paulo

ELEIÇÕES

Pesquisa em SP

Geraldo Alckmin tem 44% das intenções de voto, segundo o Datafolha. Se a eleição fosse hoje, seria reeleito no primeiro turno. Parece que o apoio de Maluf a Padilha está dando certo...

CARMELA TASSI CHAVES

tassichaves@yahoo.com.br

São Paulo

Alívio

Pela pesquisa, felizmente Alckmin continuará a governar o Estado e, para nosso alívio, o poste do Lula continua imóvel.

ADEMAR MONTEIRO DE MORAES

ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

Alckmin e Serra lideram

Graças ao eleitor do interior, Alckmin continua liderando as pesquisas para eleger o próximo governador e espera-se dos paulistanos que deixem de fazer parte da manada do Lula e sigam o exemplo interiorano, porque toda essa arruaça que os tem castigado quase diariamente é de origem petista e visa a "queimar o filme" de Alckmin para eleger seu candidato, aquele que ocupou o cargo de ministro da Saúde e pela atuação medíocre saiu sem deixar saudades. O segundo colocado, Paulo Skaf, é do PMDB, mas também reza pela cartilha lulista e, portanto, não é confiável também, porque obedecerá ao chefe e apoiará a reeleição da presidente criatura. A mesma pesquisa aponta José Serra na liderança para senador e serve de alerta para o candidato à Presidência Aécio Neves, que terá de vir a São Paulo negociar o apoio do tucano, pois sem os votos serristas ele terá votação baixíssima. Essa atitude é necessária porque nós, paulistas, não esquecemos o seu "corpo mole" em Minas, quando fingia apoiar Alckmin e Serra nas três eleições presidenciais anteriores.

LAÉRCIO ZANNINI

arsene@uol.com.br

Garça

Discurso de Dilma

"Se na eleição do presidente Lula a esperança venceu o medo, nessa eleição é a verdade que vai vencer toda a quantidade de mentira e desinformação semeada pelo País." Será que a presidente vai votar na oposição?

ELY WEINSTEIN

elyw@terra.com.br

São Paulo

*

CHANTAGEM FRUSTRADA

Como os metroviários, os policiais, os motoristas e os cobradores, também sentimos os efeitos da inflação. Diferentemente destes, nos foi prometido pelo primeiro governo petista que nosso salário seria corrigido, igual promessa fizeram o segundo e o terceiro governos petistas. Todas as três promessas foram promessas de campanha, um engana trouxa. Diferentemente dos profissionais citados acima, não trabalhamos em serviços essenciais e a nós a greve é permitida. Mas a grande diferença mesmo, é que na nossa greve não há como chantagear a incompetência governamental. Se entrássemos em greve, o SUS nos agradeceria e os prejudicados seriam as drogarias, os hospitais, os planos de saúde e principalmente, nós mesmos, os aposentados. A nossa greve vai ficar para outubro e será a greve no voto petista. Aposentados não votam em populistas mentirosos e enroladores...

Victor Germano Pereira 
victorgermano@uol.com.br 
São Paulo

*

Em minha modéstia opinião, tanto diretores como presidentes dos sindicatos das diversas categorias profissionais no Brasil são burros, pois só fazem com suas greves atingirem o próprio povo e não os verdadeiros motivadores de suas reivindicações. No caso de greve tanto de ônibus como de metrô, bastaria não pagar a passagem, daí sim estariam atingindo empresários e governo sem baderna. Ou será que estou enganado, a baderna e caos no trânsito são necessários?

Arnaldo de Almeida Dotoli 
arnaldodotoli@hotmail.com 
São Paulo

*

PROTESTOS CONTRA A COPA

Por que os grupelhos  que diariamente saem as ruas em São Paulo para azucrinar  quem vai trabalhar e atrapalhar o trânsito, não vão  até S. Bernardo do Campo fazer o mesmo em frente ao apartamento do Lula, o responsável maior por  trazer a  Copa do Mundo para cá? Por que não acabar com seu sossego gozando belas aposentadorias e cobrar dele porque torrou verbas na Copa, em vez de usar na construção de casas, escolas e hospitais? Curioso, não? Só sabem encher o saco de nós, paulistanos, e deixar de fora esse nefasto que torrou bilhões de reais mais para promoção pessoal dele. Quando Lula mostrou intenção de trazer a Copa para o Brasil, poucos foram os brasileiros que usaram os espaços disponíveis na mídia para protestarem contra essa idiotice e ainda fomos acusados de sermos antipatriotas ou simples desmancha prazeres que não gostavam de futebol. Cambada, agora é um pouco tarde, né não? 

Laércio Zannini 
arsene@uol.com.br 
São Paulo

*

Somados os valores que funcionários do Metrô de São Paulo recebem de Vale Refeição e Vale Compras, é superior ao salário que milhões de brasileiros recebem para trabalhar o mês inteiro. Presumo que já passou da hora de o Brasil deixar de ser manipulado por uma corja de “pelegos”...

Virgílio Melhado Passoni 
mmpassoni@gmail.com 
Jandaia do Sul (PR)

*

GANHAR SEM TRABALHAR
Os “movimentos sociais” MST, MTST e outros fazem arruaças nas cidades pleiteando receber de graça, sem esforço, trabalho  ou economia, casa, fazenda etc. que outros compraram com o suor de seus rostos e economizando para comparar, privando-se de gastos necessários e sem gastar em bobagens. Não é justo que os impostos que pagamos sejam desviados para dar bens de graça a folgados arruaceiros.

Mário A. Dente 
dente28@gmail.com 
São Paulo  

*

A COPA DO CAOS

Depois de sete anos de preparação padrão PT, chegamos às vésperas da Copa de futebol com vários vexames já comprovados por nós e pelos estrangeiros que para cá virão. O Estádio do Corinthians, que receberá o jogo inaugural, no frigir dos ovos receberá menos torcedores que os anteriormente acordados com a FIFA e curiosamente com uma capacidade menor ao do Estádio do Morumbi. Nas ruas e avenidas assistimos a um caos generalizado com grupos de pessoas promovendo tumultos pelas cidades, aproveitando o momento, principalmente aqueles que são afagados pelas autoridades petistas como é o caso do MTST. Este grupo merece menção especial, pois à medida que foram recebendo apoio do prefeito e da presidente, passaram a fazer cada vez mais exigências confirmando o velho provérbio popular de que quanto mais se abaixa a cabeça, mais os nossos opositores se aproveitam, por assim dizer. Agora já não solicitam, mas sim se acham no direito de ameaçar a presidente da República e as autoridades de São Paulo, que promoverão uma baderna generalizada na cidade se não forem atendidas as suas absurdas reivindicações sobre áreas por eles invadidas de maneira ilegal. Também na capital paulista, os metroviários entraram em greve exigindo nada mais nada menos do que 16,5% de reajuste, ou seja, um percentual muito acima da inflação. E sabem que podem fazer isso porque eles vão parar a cidade e prejudicar uma população de trabalhadores que jamais terão um aumento dessa envergadura. E tudo isso vem acontecendo devido à leniência dos nossos governantes que hoje governam pensando apenas em suas reeleições. Esquecem que a sua obrigação principal é atender aos anseios da maioria da população e não de grupelhos que impedem a livre circulação pelas cidades porque contam com a tibieza de Suas Excelências. Um exemplo gritante disso é o absurdo de todos receberem em audiência o coordenador do MTST, depois de suas ameaças, no sentido de tumultuar o ambiente, exatamente por estarmos às vésperas da Copa de futebol e em ano de eleições. Paralelamente a isso o ministro das Finanças continua brincando de Polyana e sempre se manifestando que amanhã será um dia melhor, ao mesmo tempo em que o ex-presidente Lula se pronuncia que temos uma inflaçãozinha semelhante a uma pequena febre. Só nos resta pedir socorro aos deuses, para que intercedam no sentido de nas próximas eleições esse pessoal receba o que merece, para irem cantar em outra freguesia.

Gilberto Pacini 
benetazzos@bol.com.br 
São Paulo

*

Nós, brasileiros conscientes, exigimos que Dilma e Lula compareçam ao jogo de abertura. Estão com medo do que? Vaias, elas fazem parte de qualquer espetáculo. E não podemos esquecer que ele principalmente é o maior responsável. Que raios de estadistas são eles.

Jose Roberto Iglesias 
rzeiglesias@gmail.com 
São Paulo

*

BLACK BLOCS + PCC

Vai começar a Copa (do fim) do Mundo. Salve-se quem puder! 

J.S. Decol 
decoljs@globo.com 
São Paulo

*

CONCEITO DE VIRA-LATAS

Vamos deixar claro: não há Copa do Mundo do Brasil. A Fifa, dona da coisa, é uma organização de fins, altamente lucrativos e implicada na sua História em falcatruas de todo tipo. Interesses poderosos de governos, máfias, empresas, enfim, se juntam para montar a versão moderna do circo romano, atualmente sem leões estraçalhando escravos, sanguinários combatentes mortais de gladiadores estripações e o diabo a quatro que imperadores, seus bajuladores e lacaios, inventavam para divertir. A plebe. Parece que o tiro anda saindo pela culatra, agora foi a vez de Ronaldo fenômeno dizer que está envergonhado da organização da Copa do Mundo do qual ele faz parte. E imediatamente a presidenta Dilma Rousseff num congresso da juventude socialista, em Brasília, disparou que: “Precisamos parar de ter complexo de vira-latas”, ou seja, que a gente não deve ter vergonha da gente mesmo. Puxa vida! Mas como não ter vergonha deste monte de coisas erradas que a gente vê todos os dias? Dá licença, presidenta, eu tenho vergonha de muita coisa deste país, sim! “Dilma repetiu novamente que o governo não vai tolerar baderna durante a Copa”. Realmente, o Brasil e nós, brasileiros, não podemos aceitar a baderna durante a Copa. Acredito que os protestos ou a “baderna”, como disse nossa presidenta, irão manchar nossa imagem perante o mundo. Agora pergunto: corrupção, desemprego, saúde pública em óbito, superfaturamento das nossas obras, impunidade nos crimes bárbaros, nosso transporte público, desigualdade social, nossa educação, acho que esses pequenos pontos entre muitos já são motivo de nos orgulharmos, não? Tudo isso o governo pode fechar os olhos e tolerar, mas manifestações e atos isolados de violência não. Lembrando que se hoje há violência nos protestos é porque houve violência anteriormente. Pois violência gera violência. Tudo isso pode ser considerado atos de violência, a agressão não precisa ser física. Sou, sim, brasileiro com muito orgulho, por isso mesmo tenho vergonha da corrupção desenfreada, tenho vergonha de não termos educação digna para as nossas crianças, tenho vergonha dos nossos hospitais mal equipados e sem leitos disponíveis, enfim, presidenta, tenho vergonha do trem bala que a senhora não fez. Pois é, a Copa do Mundo está logo aí, nem sinal do tal trem. Enquanto isso, gastaram bilhões com os estádios e com a Fifa, será que o trem-bala , saúde, educação, transporte e segurança não seriam mais úteis para o Brasil? Enfim, esta Copa das Copas parece que não agradou muito aos brasileiros pensantes, pois parece que teve uma inversão de prioridades!

Turíbio Liberatto 
turibioliberatto@hotmail.com 
São Caetano do Sul

*

HUMILHAÇÃO

A presidente disse que as obras para a Copa terão padrão brasileiro. Um futebolista disse que Copas não se fazem com  hospitais. Um tribunal Italiano disse que não extradita um condenado brasileiro homiziado na Itália, por falta de garantias sobre o respeito aos direitos humanos em prisões brasileiras. É muita humilhação para a briosa ufania tupiniquim.

Mário Rubens Costa 
costamar31@terra.com.br 
Campinas

*

Lembro com tristeza da Copa do Mundo de 1966 na qual Pelé foi literalmente caçado e abatido, tamanha a violência a que foi submetido com a conivência covarde e criminosa dos juízes, e o Brasil acabou eliminado na primeira fase. Não havia um plano B. Hoje, dizem os entendidos, Neymar tem sido considerado como a grande esperança brasileira e, caso não jogue bem, ou tenha destino semelhante ao Rei, o Brasil não terá um plano alternativo. Vendo a ineficiência e a complacência dos diferentes níveis de governo deste nosso querido país, como hoje na greve do metrô em São Paulo e como as principais cidades brasileiras são vulneráveis a qualquer manifestação, e como de hábito, ficamos sem outras opções, a não ser nos tornamos reféns da nossa incompetência, temo pelo que pode acontecer, qualquer que seja o resultado final da Copa.
 
Luiz Nusbaum, médico 
lnusbaum@uol.com.br 
São Paulo

*

A COPA DO IMPROVISO

A dez dias para o início da Copa obras de 11 aeroportos seguem inacabadas. Essa será a Copa da improvisação, da picaretagem, da corrupção. Aqueles que estão faturando alto com os atrasos estão se lixando para o povão. Eles descerão de helicópteros se resolverem assistir aos jogos ao vivo. Já passou da hora do eleitor ser tolerante com essa falta de planejamento e incompetência do governo do PT. Se tivessem privatizado os aeroportos, as obras estariam concluídas em pouquíssimo tempo e não teria nada de superfaturamento. Mas o partido que tanto criticou quando era oposição, hoje faz pior, rouba, e se alguém critica, parte pra cima. Nem parece que vivemos numa democracia. Aqui quem grita mais alto ganha a briga, por isso a violência está em toda parte. Pobre Brasil!

Izabel Avallone 
izabelavallone@gmail.com 
São Paulo

TODO PODER AOS SOVIETES

O estádio Mané Garrincha, em Brasília, no “day after” à Copa do Mundo, poderia ser aproveitado como um “templum”, no estilo romano, para as sessões do Senado e da Câmara, uma vez que, no mundo contemporâneo, as atividades lúdicas prolongadas dos antigos não têm mais lugar num Coliseu. E o edifício do Parlamento ser utilizado pelos movimentos sociais e suas instituições “democráticas”, previstos no inconstitucional Decreto 8.243. O diálogo direto entre o poder e o povo, tão a gosto de Gilberto Carvalho e da presidente, poderia se dar por meio de megafones cujos sons inundariam a Praça dos Três Poderes. “Todo poder aos sovietes.” 
 
Amadeu R. Garrido de Paula 
amadeugarridoadv@uol.com.br 
São Paulo

*

Paulistano e brasileiro, diga não você também à mentira, à enganação, ao ilusionismo, à irresponsabilidade, à incompetência, à falta de capacidade de elaborar projetos, à falta de compromisso em cumprir promessas, ao gasto desenfreado do dinheiro público, à falta de compromisso com as necessidades do País, à malversação do dinheiro público, à não cobrança de execução de projetos e de programas, à enganação do povo com paliativos  para a saúde, à inexistência de propostas para a saída do famigerado Bolsa Família, à doação de dinheiro  público para sindicatos sem prestação de contas e sem contra partida, à doação de dinheiro público para partidos políticos, às  alianças espúrias e desconexas entre partidos políticos,à cessão de dinheiro público de retorno duvidoso para vários países, à cessão de dinheiro subsidiado do BNDES para um sem número de finalidades sem retorno garantido, às desculpas esfarrapadas pelo insucesso da condução do sistema financeiro, à falta de infraestrutura nos transportes, à falta de apoio à agricultura, à falta de apoio à educação em todos os níveis, à tentativa de impor modelos de controle à mídia, à insensatez, a prepotência, à insaciedade, a incapacidade de indicar  elementos dignos e preparados para os cargos que ocupam, à falta de competência para assumir medidas benéficas para a população, à corrupção  à administração temerária de empresas públicas, à irresponsabilidade ao  adotar medidas eleitoreiras sem escrúpulos diga não ao que mais você achar incorreto.

Sebastião Hetem 
sebahetem@ig.com.br 
São Paulo

*

URNA ELETRÔNICA

A grande pergunta é: por que países de primeiro mundo, alguns com população bem menor que o Brasil e com tecnologia mais avançada, não adotam a urna eletrônica? Será que tem gato na tuba?

J. Treffis 
jotatreffis@outlook.com 
Rio de Janeiro

*

O resultado das pesquisas eleitorais encomendadas segue em sintonia com a suposta programação das urnas eletrônicas. 

Roberto Twiaschor 
rtwiaschor@uol.com.br 
São Paulo

*

AÇÕES E REAÇÕES 
 
Desde que apresente pessoas com ficha-limpa e idoneidade técnica, creio que o Executivo deva adotar o critério que quiser para escolher os membros dos Conselhos de Administração de Agências Reguladoras e Estatais. O “solapamento das instituições democráticas”, como diz o editorial “Ações e reações” (6/6, A3) será evitado se o Congresso fizer o que se espera dele: impor limites e condições às indicações do Executivo. Na Électricité de France (EDF), a grande estatal francesa na área de energia, por lei, os representantes do Executivo no seu Conselho se limitam a um terço do seu quadro. Os dois terços restantes dos conselheiros são indicados por entidades que representam a sociedade daquele país com alguma ligação científica ou funcional com a estatal. Todos com reputação ilibada e com reconhecido conhecimento técnico. Com tal blindagem, a estatal se mantém profissional e atrelada aos interesses permanentes do Estado e não dos governos e seus aliados. Como se vê, o mundo civilizado tem mecanismos que dificultam a vida de políticos e governos inescrupulosos. 
 
Nilson Otávio de Oliveira 
noo@uol.com.br 
Valinhos

*

INFORMAÇÃO VALIOSA

Na pesquisa Datafolha, dentre todos os detalhes técnicos, destaca-se que as entrevistas ocorrem em municípios de todos os estados.
Contudo, no item: “Arquivo com detalhamento de bairros/municípios (formato PDF) consta: Não há arquivo para detalhamento de bairros/municípios.” Existe alguma Lei ou norma para que isso ocorra? Trata-se de uma informação muito valiosa para ficar nas mãos de poucos.

Alberto Bastos Cardoso de Carvalho 
albcc@ig.com.br 
São Paulo

*

TRASEIROS FLÁCIDOS

Um clima de insegurança e incertezas toma conta de São Paulo. De um lado, nosso prefeito Haddad e a presidente Dilma viraram reféns dos sem-teto, do outro, o governador Alckmin, refém de sindicalistas. José Paulo de Andrade está certo quando diz que a culpa é dos governantes de traseiros flácidos. A política pede mudanças estruturais. Até a população menos instruída sabe disso. Pergunto na condição de um cidadão indignado: tirando Paulo Skaf, sobra quem para governar São Paulo?

Devanir Amâncio 
devaniramancio@hotmail.com 
São Paulo

*

PIZZOLATO

Porque será que o Ministério da Justiça demonstra falta de interesse em trazer o Pizzolato da Itália?
Aí tem!

Luiz Frid 
luiz.frid@globomail.com 
São Paulo

*

DIFÍCIL DISPUTA

Não se fazendo previsões precipitadas ou ilações a partir de fatos atuais, o que se pode dizer sem medo de errar é que se o time de futebol do Brasil jogar o futebol que jogou contra o Panamá e Sérvia não irá muito longe no campeonato que em breve se inicia. Os jogadores, com toda sua técnica, são ótimos, mas completamente adaptados aos seus times de origem. Na seleção brasileira dificilmente repetirão suas qualidades técnicas dado não terem tempo para se adaptarem uns aos outros em uma competição extremamente curta, em que não existe lugar para um só erro, que será fatal.

José Piacsek Neto 
bubanetopiacsek@gmail.com 
Avanhandava

*

Dilma declarou em defesa dos conselhos de participação popular: “Somos a favor da consulta de todos os segmentos no processo de estruturação dos projetos do governo”. Eu declaro: “Sou a favor da participação de todos os segmentos no processo de estruturação dos projetos do governo, utilizando para isso o Congresso, que já representa através do voto popular toda a nossa sociedade, além de já possuir essa atribuição constitucional”. Nada de conselhos de participação popular, com seus integrantes indicados e facilmente manipuláveis pelo governo.

Ronaldo Gomes Ferraz 
ronferraz@globo.com 
Rio de Janeiro

*

PIOR GOVERNO DA HIISTÓRIA

Com Dilma na Presidência da República, Renan na Presidência do  Senado, Henrique Alves presidindo a Camara dos Deputados e Lewandowski na Presidência do Supremo Tribunal Federal, o Brasil escalou o time dos pesadelos. Nunca antes na história desse país os três poderes estiveram tão mal representados. Acredito que com esse time só se pode esperar que o jogo acabe logo e que a goleada sofrida seja pequena. 

Mário Barilá Filho 
mariobarila@yahoo.com.br 
São Paulo

*

DISCURSO DE UM CANDIDATO

Tempos novos no PT? Então por que o Lula fez em Porto Alegre duras críticas a política econômica da Dilma?  Advertiu o governo de que precisa urgentemente combater a inflação. E de forma oportunista, como se não tivesse nenhuma culpa sobre esse descontrole da gestão Dilma. Disse também que a inflação é um imposto injusto! Ou seja, dá uma de João sem braço...  E assim, se achando esperto, como ávido que é para se autopromover, e se valendo das últimas pesquisas de opinião em que a atual presidente está mal, deve estar convencido de que é a única solução para o não naufrágio do PT no próximo pleito! E como manda no partido tanto quanto o um desprezível ditador, já deve estar preparando um pontapé no traseiro da Dilma e sonhando que novamente estará nos braços da galera.  E se confirmar essa minha modesta leitura sobre os intentos de Lula, o ex-presidente, assim como ocorre com um bêbado, vai dar de cara no poste. Porque a tal galera (eleitores) não aguenta mais os estragos que o petismo tem feito na nossa economia e na imagem do nosso país.  E o melhor que o Lula poderia fazer como um ex-presidente é continuar contando suas lorotas lá pelos bares da Vila Euclides, no ABC paulista. Não acha?

Paulo Panossian 
paulopanossian@hotmail.com 
São Carlos

*

CASAMENTO EM CRISE

Alguns parlamentares do PMDB, através de um manifesto, defendem a ruptura do partido com o PT. Será que o casamento entre PMDB e PT está chegando ao fim? O motivo seria porque a aprovação do governo Dilma está caindo, segundo as últimas pesquisas divulgadas, e ela corre o risco de não ser reeleita? Pois é, o barco está afundando e os ratos estão abandonando o barco. Qual partido de oposição, PSDB ou PSB, estaria disposto a pagar o preço do dote cobrado pelo PMDB para tê-lo como partido aliado em uma nova aliança?

Maria Carmen Del Bel Tunes 
carmen_tunes@yahoo.com.br 
São Paulo

*

O jornal Estadão publicou (05/06 - A3) o resultado de pesquisa sobre o governo de Dilma realizada pelo importante instituto de pesquisas Pew Research Center dos EUA.  Más notícias. De uma maneira geral a maioria dos brasileiros, 86% desaprova o governo atual. Para 67%, a política econômica não está correta, 85% dos entrevistados acha a inflação o maior problema, 83% acha a violência e a saúde pública igualmente grandes problemas. Internamente já sabíamos disso como demonstraram as manifestações de 2013, a Pew Research só confirmou.  A importante queda de Dilma nas diversas pesquisas confirma o que o instituto apontou. Outros fatos mais recentes como o índice de desemprego de 7% são também uma demonstração de que a política econômica está realmente errada, como também,a queda da produção industrial, a redução na extração de petróleo, enfim, o crescimento do PIB que neste ano será menor do que 2013. No assunto corrupção, Dilma foi criticada por 86% dos pesquisados. O fato de que os governos Lula e Dilma tiveram sete anos para preparar a Copa, demonstrando uma tremenda incompetência, pois nada está completamente pronto, foram apontados e reprovados por dois de cada três entrevistados. Ainda faltam itens em todas as obras, chove dentro de aeroportos e não há vias de acesso e transporte para vários estádios. Teria dado tempo também para Lula fazer o metrô chegar ao estádio em São Paulo, conforme reclamado a ele. Se tivesse vontade de fazer algo para o povo, em vez de agradar somente a Fifa, haveria metrô. Não foi surpresa a impressão sobre a situação das obras da copa dado que nenhuma obra do governo Dilma foi ainda concluída. Aos poucos, como demonstrou a pesquisa do Pew Research Center, o povo está se conscientizando de que o PT não governa bem, está interessado apenas em poder e eleições.

Fabio Figueiredo 
fafig3@terra.com.br 
São Paulo

*

Deus nos livre das garras do senhor Aécio Neves descodificado do avô, que dele não traz nem cacoete, muito menos o DNA que fez fácil o velhinho ilustre. Eduardo Campos é pra ser esconjurado como candidato que não convence, junto àqueles olhinhos azuis de raposa tomando conta do galinheiro. Vade retro, dupla! Como Joaquim Barbosa amarelou, esfarelando-se na sua aposentadoria, restou à senhora Dilma, com seu incômodo PT nas costas, acenar com seus prós e contras, pedindo votos pra sua reeleição. Olhando para frente, não temos melhor opção. O que não podemos carimbar é o Neves e o Campos, com outras opções - ávidos que estão em arrombar as porteiras da República, com os golpes sorrateiros, do neoliberalismo privatista. Pretendem é arrebentar com a nossa Petrobrás e com toda riqueza brasileira excedente. Resta-nos uma pergunta: o PT desse póstumo decênio fez coisa errada? Fez, com o Mensalão e com seus derivados. Mas isso não anula os seus méritos em promover a miséria brasileira a uma renda decente e elevar a classe média baixa a níveis confortáveis - dando comida, casa e poupança a quem não tinha.
Assim o PT lava a sua alma, apesar dos pesares, sabendo que o senhor Luis Inácio Lula da Silva sempre foi um enganador de primeira, iludindo nacional e internacionalmente, gente bem pensada. Como sindicalista de araque, teve como opção, incutir à senhora Dilma, suas manias para tê-la como uma peça salvadora da Pátria. Mal com ela, pior sem ela! “Atrás de mim virá quem bom me fará” - já dizia Bernardo Guimarães em “A Escrava Isaura”. Arreda, Aécio e Eduardo Campos! Quem pode arriscar as riquezas e o futuro de um país inteiro nas mãos desses dois aventureiros verdolengos?

Wlademir Sabino 
wcsabino51@yahoo.com.br 
Florianópolis

*

Quem vê a maciça propaganda sobre a Petrobrás nos meio de comunicação é levado a crer não ser possível exatamente essa empresa estatal ter perdido bilhões numa tal operação Pasadena, entre outras, sob a tutela de Dilma Rousseff.

Francisco José Sidoti 
fransidoti@gmail.com 
São Paulo

*

AQUI, A  DEMOCRACIA NÃO ESTÁ  DANDO  CERTO...

Estamos nós escolhendo para candidatos os mais capacitados, esforçados, honestos, trabalhadores, os de melhor currículo, os de hábitos mais sadios, que demonstraram tais qualidades no exercício de suas profissões?  A resposta é “nãoo”. A maior parte dos escolhidos, a nível federal, é de ilustres desconhecidos, filhos de políticos eleitos bancados pelos próprios pais; sindicalistas promotores de greves; funcionários subalternos que acobertaram bandalheiras de seus superiores, diretores de partidos políticos, seus parentes e/ou subalternos, etc. Teremos de escolher novamente, dentro desse grupo de nulidades, os menos piores para neles votarmos, no final deste ano. Uma vez eleitos os homens errados, não há quem conserte o Ggverno. O País está indo para o brejo. Esses 29 anos de “democracia”, de 1986 até hoje, estão sendo catastróficos. Estamos vivendo atormentados por invasões do Congresso Nacional por índios, sem terra, sem teto, sem sexo, etc. Estão ocorrendo diariamente incêndios de ônibus, depredações, roubos, agressões, etc. Os crimes de morte atingem índices africanos. Os indicadores econômicos despencam, o ensino público desanda, a assistência médica agora é cubana, os direitos civis e religiosos garantidos pela nossa Constituição são questionados por grupelhos minoritários sem qualquer expressão social. Estamos sem rumo e sem prumo. “Comissões da Verdade” criadas para “reconstruir” nossa Democracia, ignoram tudo isso. O descompasso aumenta quando comparamos os números da atual “democracia” com os dos 22 anos do “Governo Militar” (1964/85), que afastou o risco da comunização de nosso país. Nunca progredimos tanto como naqueles tempos. Um só exemplo: a rodovia Belém-Brasília foi por eles construída em menos de dois anos. Agora, essa estrada está sendo recapeada há já cinco anos, e não há previsão para o fim dessa obra. Eficiência é a diferença no estilo de governo. Os militares queriam o melhor para o País. O Governo atual quer o melhor para sua a turma. O país, ora, o país que se dane.  A nossa Copa do Mundo de Futebol, que deveria ser um motivo de alegria para nosso povo, dar boa impressão aos estrangeiros que virão nos visitar, mostrar ao mundo um país em ordem, está exibindo imagem inversa, por razões que até agora não foram explicadas por ninguém. Dou meu palpite: são sobreviventes da época de combate ao Governo Militar que estão começando agir com o objetivo de desestabilizar a nossa frágil democracia. Para piorar, temos menores de 18 anos, pobres ou abastados, tornando-se ladrões de automóveis, de residências, de cidadãos. Andam armados e matam sem piedade quem tenta obstar seus atos. Um desses pivetes, com quase 18 anos de idade, foi preso dias atrás, por furto e crime subsequente. Matou uma vítima indefesa que sequer reagiu. O “menor” já tinha 17 passagens pela Polícia, com nove mortes já cometidas. Um assassino da maior periculosidade. Preso 17 vezes pela nossa Polícia que, em vez de responsabilizar e engaiolar esse jovem assassino, viu-se obrigada, por dispositivos legais absurdos, inconsequentes, inúteis, de nossa Constituição, a novamente fichar e liberar o rapaz. Esse rapaz desmoralizou os policiais que o prenderam. Riu na cara deles, dizendo que daí a 10 minutos estaria na rua... Foi pela 18ª vez encaminhado para a “Fundação Casa”, uma entidade correcional bem intencionada, mas que não faz milagre, não recupera bandido. Não aproveitou as chances anteriores que a Sociedade lhe deu de corrigir-se, ser um cidadão íntegro. Saiu de lá como entrou, um menor infrator irrecuperável, sádico, perigoso. Perdeu as chances que lhe foram dadas para corrigir-se. Não merece nova oportunidade. Estão ocorrendo cerca de 4.000 assassinatos por mês no País, quase 50.000 no ano. Os mortos pelo Governo Militar, em 22 anos de sua duração, somam apenas 319, média de 14 por ano, segundo dados da “Comissão da Verdade”. A média atual de mortes violentas é mais de 3.000 vezes maior que a dos tempos da “ditadura”. Mas essa Comissão não se preocupa com os que estão morrendo agora; está preocupada com os mortos há 40/50 anos passados, já sepultados pelo tempo.                                                                                                                                                                                                  Apesar desse descalabro, o Congresso Nacional também não se mexe para melhorar o Artigo nº 228 da nossa Constituição Federal, que diz: “São penalmente inimputáveis os menores de dezoito anos...” A esse artigo poderia ser acrescentado, pela mão dos congressistas, um parágrafo: “§ 1º - A inimputabilidade termina assim que o menor for condenado por infringência de qualquer dispositivo legal. A partir da primeira condenação, passa ele a responder como maior.” Com esse adendo, nossa Constituição tornar-se-ia mais protetora do cidadão pagador de impostos, que hoje está sendo morto em qualquer esquina, a cada abordagem, ao menor movimento. Um horror. Sugiro à presidenta Dilma apresentar e exigir do Congresso - onde tem ampla maioria - a rápida tramitação da emenda acima. Na inação desse, que copie e promulgue aqui o Código Penal americano, que funciona muito bem nos Estados Unidos. Aposto que, em menos de 24 horas de vigência dessa nova legislação correcional os crimes começarão a diminuir.  Encerraremos o ciclo de assassinos andando livres por aqui, sejam eles menores ou maiores de idade. O povo está cansado de ver o Governo Brasileiro (Congresso e Presidência) dar moleza para a bandidagem.

Domingos Perocco Netto 
dperocco@ig.com.br 
Mococa

*

RESPOSTA GROSSEIRA

Se a presidente, em plena posse de seu mandato, pode responder que não sabe o porquê do PIB tão baixo, imagino o quanto não sabia sobre Pasadena, Abreu Lima entre outras péssimas ações de seu desgoverno. Dilma aprendeu com seu mentor a negar quando a situação é difícil. Tratou-se de “uma resposta grosseira para justificar o injustificável”.

Leila E. Leitão 
São Paulo

*

PIKKETY E O PT
 
Excelente o artigo do economista Cláudio Adilson Gonçalez, publicado na edição de 02.06 último, no caderno de economia do “Estadão”. Preciso, objetivo e didático, foi o primeiro autor a chamar atenção para o risco de as ideias de Pikkety darem munição à esquerda brasileira para propor medidas equivocadas de política econômica no Brasil.  Só lamento que o jornal parece não ter percebido a qualidade da matéria que publicou, pois o artigo não foi postado em nenhum dos vários espaços online que o Estadão possui na Internet.

Mauro Aguiar, Diretor do Colégio Bandeirantes 
mauro@colband.com.br 
São Paulo

*

TAXA DE DESEMPREGO

As pesquisas de desemprego do IBGE confundem mais do que esclarecem, não dá pra saber qual é a real taxa de desemprego no Brasil. Há alguns dias atrás o IBGE divulgou a taxa de desemprego de 4.9% em Abril, cerca de 1,173 milhão de desempregados, como sendo a menor taxa de desemprego histórica no Brasil, embora os inativos estejam em 19.194 milhões de pessoas. Desempregado não é inativo? Quem desiste de procurar emprego por um mês passa a ser inativo? Que critério incoerente é esse? Hoje, o IBGE divulga o Pnad Contínua e apresenta a taxa de desemprego de 7,1% no primeiro trimestre. Porém, a Pnad Contínua não faz qualquer referência sobre os “inativos”. Afinal, qual é a taxa de desemprego no Brasil? Qual é a taxa de desocupados no Brasil? Se uma pessoa está desocupada e não procura emprego, o que está fazendo? Passeatas? Invasões? Fumando crack? Uma informação tão importante como essa não pode ser tão confusa e mal interpretada.

Vagner Ricciardi 
vbricci@estadao.com.br 
São Paulo

*

Se os números não viessem de “economeses”, mereceriam algum crédito. Mesmo assim, se considerarmos os mensalões e os interesses dos políticos, seria preciso multiplicar esses números de iluminados profetas da economia pelo menos por dois, e aí poderíamos de fato ter ideia do que esses profetas estão falando. E como os profetas nem deram prazos, se tiverem algum, que multipliquem por três, se até lá o governo tiver o comando autocrático dos neguinhos do PT, dos comunistas e dos coronéis do poder ou do “pudê”. Quer dizer, estamos entre os 10 mais com governos incompetentes e corruptos do mundo, entre os 10 que mais impostos recolhem dos pobres, entre os 50 com povos mais atrasados no mundo etc. E os economeses fazem “contas” de obras em energia. Do jeito que ainda somos, ainda poderíamos estar usando lamparinas de querosene importadas, carroças e arados de burros, correio à cavalo etc. da modernidade do século 18.

Ariovaldo Batista
arioba06@jhotmail.com 
São Bernardo do Campo

*

NOVO PARQUE ESTADUAL

Felizmente foram suspensas pela Justiça as iniciativas do Governo para transformar em mais um parque estadual a fazenda Nova Trieste em Eldorado. Quem conhece a região, como é o meu caso, sabe que esta é uma das áreas mais bem preservadas da Mata Atlântica no estado de São Paulo. É preciso superar essa ideia tosca de que os governos são capazes de cuidar melhor das nossas riquezas do que a iniciativa privada, inclusive no caso de áreas de preservação. O que caberia aos governos é criar incentivos para que se multiplique a criação de reservas privadas, como essa.  

Mario Ernesto Humberg 
marioernesto.humberg@cl-a.com 
São Paulo

*

DOENÇA

O ex-presidente Lula em palestra disse estar descontente com a inflação acima do centro da meta de 4,5% e comparou a situação a “doença" que precisa de “remédio” para não evoluir. Ilmo. sr. ex-presidente, não sei se essa é a forma correta de indagá-lo ou seria “presidente” mesmo, porém, para sua informação, todos sabemos qual é o “remédio” necessário e sem provocar efeitos colaterais para exterminar tal doença. É só o petelulismo corrupto deixar o comando e a direção do País, o qual vocês se intitulam donos e proprietários absolutos há mais de onze anos.

Angelo Tonelli 
angelotonelli@yahoo.com.br 
São Paulo

*

SUS

Ninguém merece, o SUS (Seu Último Suspiro) marca exame de câncer para paciente falecida em 2012. Que rápido. Aconteceu em Fortaleza, uma senhora com suspeita de câncer, tentou fazer exame pelo SUS para diagnosticar a doença. Após três anos, a data do exame foi confirmada para o próximo dia 9, mas o problema é que a suposta paciente já havia morrido pela doença. A família se assustou, claro, não é pra menos. Mais uma vez, não funcionou o “padrão” PT... Aliás, nunca funcionou! Será que já chegamos no fundo do poço? 
 
Maria Teresa Amaral 
mteresa0409@2me.com.br 
São Paulo

*

O governo do Estado em vez de gastar tanto dinheiro em propagandas inúteis, pois todos sabem o que está acontecendo, deveria aplicar esses valores na monstruosa dívida da Santa Casa de SP, uma instituição centenária e que está prestes a fechar e deixar de atender ao povo. Isso sim é prioridade e não as propagandas enganosas, pois o povo não é mais otário de acreditar em propaganda.

Antonio Jose Gomes Marques 
a.jose@uol.com.br 
São Paulo

*

MEIO AMBIENTE 

Preciso dar parabéns para o Dr. A. G. Bittencourt pela análise publicada neste jornal. Ele nos alerta no “novo padrão climático” cuja conseqüência é o novo “padrão hídrico regional”. Também sugere mudanças nos uso urbano, agrícola e industrial. Ele fala em reuso da água tratada. Em Israel há um reuso das águas servidas é de 72%. Claro, o padrão climático é muito mais severo e eles não têm outra solução, mas nós temos agora? Temos, então, de estender a rede de esgoto e tratá-lo, o que é um direito de todos. É óbvio o valor: paramos de poluir os nossos rios, os nossos lagos e, quem sabe, a Baía de Guanabara voltará ao seu esplendor. A implantação do sistema não é imediata, mas evitaria novos problemas no futuro. Não faltaria água, e o meio ambiente agradeceria. 

Nicolae Gorescu 
nicolaeg@globo.com 
São Paulo

*

O crescente número de habitantes no planeta exige cada vez mais recursos naturais para atender os novos consumidores, entretanto ainda existe uma cultura do desperdício em diversos locais e realizada por pessoas que desconhecem ou ignoram a diminuição dos recursos. Essa cultura do consumismo com o pretexto de geração de emprego e renda é aceita e valorizada em nossa sociedade, entretanto só esgota a capacidade de os ambientes se recuperarem, produz lixo em excesso e inflaciona os preços. Em minha residência, por exemplo, passei a coletar em um balde aquela água fria que sai do chuveiro antes da água quente e ao final de um mês eu havia economizado o suficiente para abastecer a casa por um dia, entre outras ações que a necessidade de poupar nos impõe. Portanto, me revolta ver o cidadão lavando calçadas com água limpa e tratada ou estabelecimentos com luzes acesas durante o dia, pois o fato de estarem pagando pelo uso não os permitem desperdiçar algo fundamental ao coletivo. Atualmente, ser sovina é chique, poupa recursos naturais e preserva o meio ambiente.

Daniel Marques, historiador 
danielmarquesvgp@gmail.com 
Virginópolis (MG)

*

LEI DA PALMADA

É uma boa notícia a aprovação da Lei da Palmada, que combate o uso de violência e maus tratos contra crianças no Brasil. Demorou. É um importante avanço na defesa e proteção das crianças, que são indefesas e vulneráveis. Como pai, nunca dei uma palmada sequer no meu filho. Quem ama, educa, conversa, explica e orienta. Bater numa criança, jamais. Chega de covardia, sadismo, violência e abusos contra as nossas crianças.
 
Renato Khair 
renatokhair@uol.com.br 
São Paulo

*

CONTINUEMOS DANDO CORDA
Desde a revolução estudantil de 68 na França, as ideias “progressistas” de esquerda referentes a direitos humanos e ao monopólio do “politicamente correto” vêm se disseminando no mundo. A população, nas democracias mais fracas ou naquelas dominadas por ideais bolivarianos, marxistas ou de outras facções de esquerda, sentindo-se vigiada e com medo de ser tachada de conservadora, repressora, autoritária e outros chavões do gênero, finge apoiar as novas regras de convivência, onde tudo pode. Assim, aparecem do nada aberrações como a “Lei da Palmada”, em que o Estado procura imiscuir-se na família, tirando-lhe o controle sobre seus desígnios. Da mesma forma, a chantagem e o medo impostos pelo status quo da permissividade fazem com que pais e professores negligenciem no seu dever de impor autoridade perante crianças e adolescentes, subvertendo totalmente a ordem hierárquica. Essa onda de insegurança espraia-se e atinge todos os segmentos da população. À polícia é negado o cumprimento de seu dever, de coibir ações orquestradas que levem à desordem e insegurança pública. À mídia interessa mais os abusos policiais do que os crimes cometidos pelos bandidos. É tudo muito politicamente correto. Passemos a mão na cabeça dos delinquentes, de nossos meninos drogados e assassinos, de nossos black blocs, de nossos PCCs, de nossos políticos corruptos. Vamos flexibilizar nosso Código Penal, tão duro com os pobres condenados, que jamais tiveram uma chance junto à sociedade. Continuemos dando corda, pois, a tudo que está errado, até o ponto em que este país verá o caos nas ruas, até o dia não muito distante em que teremos vergonha de viver aqui e só não iremos embora porque o sentimento patriótico é maior do que nossas forças. É preciso coragem para reagir a esse processo que está minando nosso brio!
 
 
Percy de Mello Castanho Junior 
percy@clubedoscompositores.com.br 
Santos

*

Gostaria de fazer um pequeno comentário sobre o texto de Débora Álvares, no título “Após quatro anos, Senado aprova ‘Lei da Palmada'” (“Estadão” A23, 05/06). Na minha doce e inocente infância sempre tive os conselhos de meus pais para tudo o que vinha e iria fazer da minha vida, conselhos morais e étnicos dos quais carrego e continuo aprendendo até os dias hoje com eles como: amor pelo próximo, bom senso, senso de justiça, não mentir, entre vários outros. Tive uma vida normal como todas as outras famílias das cidades do interior e nem por isso (e não desmereço a razão dos meus pais) deixei de ser castigado ou punido por algumas atitudes minhas quando criança. Não desmereço a razão dos meus pais, pois a maioria das vezes que eu “aprontava” de fato, eu merecia ser punido, mesmo que naquela época eu não entendia muito bem para que o castigo servia, mas hoje compreendo perfeitamente, não só entendo, como sou uma pessoa muito melhor com isso, pois aprendi, de fato, o verdadeiro sentido dos “castigos” que meus pais aplicavam em mim. Os castigos eram para construir melhor as ideias e opiniões que teria eu num futuro próximo e senti que devia expressar isso agora. Vejo no nosso país vários casos de injustiça, corrupção, má distribuição de renda, entre outros. E fico me perguntando, o que será que faltou aos nossos ministros para discernir melhor as necessidades do povo? (Resposta: senso de Justiça). O que faltou a todo o nosso Senado sobre as leis pouco inteligentes que aprovam? (Resposta: bom senso). O que faltou aos políticos corruptos por serem corruptos? (Resposta: senso de Justiça, amor pelo próximo, não mentir, etc.) O que faltou à presidente, se não vetar a lei? (Resposta: as palmadas na sua infância). Infelizmente.

Daniel Souza da Mata 
matads@live.com 
São Paulo

*

SEM LUGAR PARA SE ESCONDER

Parodiando o Glenn Greenwald, paladino do óbvio, antes das revelações feitas por Snowden, os EUA acusavam a China de ser mais agressiva na espionagem. Depois, o que viu foi que os americanos tinham razão embora continuem sendo muito mais agressivos na coleta de dados e no uso deles para combater espionagem industrial chinesa, mundialmente reconhecida como pirataria.

Sergio S. de Oliveira 
ssoliveira@netsite.com.br 
Monte Santo de Minas (MG)

*

Greenwald defende Snowden no Brasil como melhor opção. Melhor opção para quem, cara pálida? Só se for para você! Nesse caso, vá para a Rússia.
 
Ulysses Fernandes Nunes Jr 
Ulyssesfn@terra.com.br 
São Paulo

*

EL PAREDON
 
Em 1959, o comunista Fidel Castro derrubou o governo de Fulgêncio Batista e inaugurou o Paredon para o fuzilamento de milhares de cubanos que pediam democracia. Aqueles que conseguiram fugir criaram em Miami uma forte economia, contrastando com a miséria em que vivem os habitantes em Cuba desde então.  Por que escondem esse morticínio sanguinário?
 
Marius O. A. Rathsam 
mariusrathsam@hotmail.com 
São Paulo

*

BOLA FORA DA ANISTIA
 
Tive a honra de integrar a Anistia Internacional no Brasil, por oito anos. Vivi o período do saudoso Rodolko Konder, Carlos Idoeta e Ricardo Balestreri. Aprendi muito na Anistia. Fui diretor no Brasil por dois anos e ao longo de cinco anos coordenei um programa de educação para os direitos humanos. Lutamos intensamente nessa época para derrotar a ideia do plebiscito da pena de morte e apoiamos uma grande campanha internacional contra a tortura. Bons tempos e ações que muito me orgulham. Assisto atualmente, um tanto quanto surpreso, às posições da direção executiva da Anistia Internacional no Brasil. Em minha época, tínhamos um rigor elevado, a partir das orientações da sede do movimento (em Londres), para não emitir opiniões sobre temas nacionais, para não comprometer a isenção nas denúncias. Essa ação cabia a pessoas de outros países, que aqui vinham analisar as denúncias. Hoje a direção no Brasil tem se manifestado com frequência, e pela matéria de ontem do “Estadão”, de modo a deixar em dúvida a sua isenção ao analisar os fatos e formular denúncias. A Anistia denunciou os abusos da polícia durante as manifestações do ano passado, mas pouco falou sobre os black blocs e a violência praticada por eles e por outros oportunistas que saquearam as principais cidades do País. Um mundo sem polícia é uma utopia. O ser humano precisa de educação e acreditar num sistema legal de punição para práticas criminosas. O que assistimos em todas as manifestações foram pequenos grupos se aproveitando dos movimentos legítimos, atuando para depredar, destruir e roubar. Os atos democráticos precisam ser exaltados. São necessários ao nosso amadurecimento enquanto sociedade. Mas os atos violentos são criminosos e assim necessitam ser tratados. Espera-se da Anistia Internacional a sua isenção histórica em tratar dessas questões.
 
Clovis Faleiro 
clovisfaleiro@uol.com.br 
Salvador

*

PORTAL ESTADÃO

Gostei do portal “Estadão”. Ao contrário de muitos outros portais, sua navegação é fácil de entender e a possibilidade do aumento das letras é um recurso importante, pois a maioria das pessoas com mais de 60 anos já tem alguma deficiência na acuidade visual, assim isso beneficia um percentual significativo de leitores. Meus cumprimentos.

Luiz Alevato Pinto Grijó 
luiz.grijo@gmail.com 
São Paulo

*

MITO DA ESCASSEZ DA LEITURA

Regularmente encontramos no meio acadêmico vários estudos que mostram que os jovens, alunos de escolas e universidades, não gostam de ler e que realmente leem muito pouco, ou seja, somente o necessário para a aprovação e com base nisso constantemente se formulam inúmeras teorias sobre como solucionar o problema da falta de leitura, por exemplo, que a leitura é um hábito que devemos adquirir ainda criança por influência da família, que a escola e os professores devem estimular os alunos a lerem mais... É preciso considerar que o aluno em sala de aula encara a leitura de livros e textos acadêmicos como uma obrigação, um dever a ser cumprido com prazo entrega, mas isso não significa que o jovem não goste de ler ou que não leia nada, a leitura fruição é diferente, pois qualquer pessoa fica facilmente duas horas lendo a legenda de um filme no cinema sem perceber o tempo passar, também não é raro encontrar alunos do Ensino Médio lendo livros com aproximadamente quinhentas páginas como, “A Saga Crepúsculo”, “The Walking Dead”, “Harry Potter”, dentre outros do gênero. A questão vai mais além, não podemos rotular os jovens como não leitores somente porque eles não leem cânones como “A Ilíada”, “A Odisseia” ou “A Divina Comédia”, pois as obras desse gênero são de difícil leitura e exigem do leitor uma bagagem de conhecimento, necessária para que se possa compreender mais a fundo o que se está lendo e quando o leitor jovem tenta ler alguma obra dessa classe, acaba não entendo o que está lendo, não gosta e não lê. Em proporção, o jovem de hoje lê muito mais que qualquer grande leitor do século 19, pois nos dias atuais com o avanço da eletrônica e da internet ele vive imerso em uma quantidade muito grande de informação que o faz ler e escrever quase o tempo todo, por exemplo, as salas de bate-papo da internet, blogs, outdoors, letreiros de ônibus, placas de sinalização. Talvez o que falte para que o jovens de hoje em dia comecem a ler os grandes clássicos da literatura universal, seja uma linguagem mais atraente, como a que já começa a surgir em algumas editoras, livros como Dom Quixote de la Mancha, Os Miseráveis, Robinson Crusoé outros no formato de HQ (Histórias em Quadrinhos), não tenho dúvida que começando por esse caminho os resultados serão muito mais proveitosos.
 
Marcelo Botelho 
botelho2011@yahoo.com.br 
São Paulo

*

O tema “frequência de leitura dos adolescentes/alunos” está constantemente aberto a discussões e jamais perderá seu local de destaque no discurso de pais e educadores. Porém, há o contraponto de que com o avanço tecnológico e o fácil acesso dos jovens à internet e às redes sociais lê-se muito mais do que aqueles que criticam duramente esta falta de leitura e de leitores. Antes de qualquer suposta solução para a gravíssima problematização, devemos nos questionar. O que os adolescentes leem? O que eles deveriam ler? Para quê? Quem deve ser o motivador? Qual o papel da escola como mediadora e formadora de leitores? A discussão então é de que os alunos leem, mas que não é, necessariamente, uma leitura adequada, visto que o contato com o texto é feito através de “postagens” das redes sociais (Facebook, twiter, skoob e etc.) e de todo o universo da internet (sites no geral). Partindo desta afirmação, há o aconselhamento de que a leitura mais adequada é a de obras consagradas no cânone literário e tal pratica se dá com a finalidade de agregar cultura e conhecimento para que os alunos obtenham a aprovação no Exame Nacional de Ensino Médio (ENEM). Mas a prática de leitura não deveria ser pautada apenas na aprovação do ENEM e sim, na motivação do interesse dos alunos pela literatura e suas obras. Obviamente que o cabe ao professor de língua portuguesa e da escola elaborarem ações para que os educandos sejam apreendidos pelos temas e histórias, pois, não há atratividade em expor os períodos literários e cobrar na avaliação esta historicidade dos movimentos da literatura sem o embasamento nos textos que fizerem parte da época. Sendo assim, prezado professor de língua materna, leve para os seus futuros leitores obras que se aproximem da vida e do cotidiano deles, a fim de motivar o prazer pela leitura. Cative-os! Leve o mundo das palavras para que eles possam conhecer e se entreter através da leitura. Realize este sonhado mundo encantado.

Amanda Boeno 
amanda_bogo@hotmail.com 
São Paulo

*

Há muito tempo pais e educadores convivem com uma constante preocupação com seus filhos ou alunos, principalmente na fase da adolescência, com relação a pouco ou nenhum interesse pela leitura, porém, desde que começaram a circular pelas livrarias e internet, as trilogias fantásticas ou best-sellers vêm conquistando um lugar de destaque nas cabeceiras e conversas dos adolescentes, então, nisso têm-se que concordar, eles estão lendo mais. Mas mesmo assim, todo este interesse está sendo levado para o propósito correto?  Já vi adolescentes afirmarem em suas conversas que só liam o que estava na moda, o que todo mundo estava lendo, mas que em sala de aula quando um professor solicitava uma leitura ele na maioria das vezes pegava o título e tirava um resumo da internet e isso só quando teria que apresentar um trabalho, porque se o seu conhecimento sobre o livro não “valesse nota” ele nem o título provavelmente leria. Neste momento eu me questiono o quanto uma boa publicidade, a fama, a polêmica acerca de determinados assuntos possa ser tão valorizada a ponto de fazer com que adolescentes percam a capacidade de entender que quando lemos um livro, estamos o fazendo para além do status de divertimento, estamos buscando conhecimento, buscando informações sobre assuntos que já conhecíamos ou não, estamos crescendo intelectualmente.            O que realmente muitos pais e professores se perguntam é que se estes mesmos adolescentes que lêem e discutem com seus amigos sobre “Crepúsculo”, com tanto interesse, não poderiam fazer o mesmo com “Dom Casmurro”, “O Cortiço”, “A Moreninha”, por exemplo, pegar esses livros e se por acaso a história não lhes chamar a atenção em um primeiro momento, façam primeiramente uma pesquisa sobre o período em que foi escrito, sobre seu autor, sobre a origem do título, enfim, milhões de outros aspectos podem ser pesquisados antes de se fazer a leitura propriamente dita, mas que não somente o que está vendendo seja valorizado, que o conhecimento se sobressaia sobre a “modinha”.

Giovana Veleda 
gigi_veleda@hotmail.com 
São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.