Fórum dos Leitores

VAIAS E PESSIMISMO

O Estado de S.Paulo

15 Junho 2014 | 02h05

Brasil x Croácia

Se a presidente Dilma Rousseff foi vaiada e se o inconsciente coletivo do brasileiro é abalado por sentimento de crescente pessimismo, comparemos minimamente a nossa realidade com a da Croácia, nossa primeira adversária, vergonhosamente esbulhada. Caso deixem precocemente a Copa, os croatas voltarão para um país cuja capital, Zagreb, tem 686.588 habitantes - onde, obviamente, os automóveis rodam. Voltarão a seus condados e às mil ilhas que recortam a sua costa adriática. Seu índice de mortalidade infantil é de 6,06 por 1.000 habitantes, enquanto o do Brasil é de 20/1.000. O esporte passa e a vida fica, em Itaquera, em todo o Brasil e na Croácia - 63,2% da média da renda per capita da União Europeia, em que pese recente e sangrenta guerra. Se desclassificados prematuramente, feliz viagem, croatas!

AMADEU R. GARRIDO DE PAULA

amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

Alvo errado

As manifestações na abertura da Copa foram desperdício de energia, já que hostilizaram um títere, enquanto seu manipulador, o verdadeiro responsável pelo status quo, quedou posto em repouso em seu feudo no ABC.

CAIO AUGUSTO BASTOS LUCCHESI

cblucchesi@yahoo.com.br

São Paulo

DECRETO 8.243

'Golpe' camuflado

E todos, distraídos, olham os jogos... Enquanto isso, ninguém olha o "golpe" sovietizante do governo do PT, camuflado no decreto presidencial que cria a Política Nacional de Participação Social (PNPS).

EUNICE MARINO

eunicemarino@oi.com.br

Guaxupé (MG)

Qualquer semelhança...

"O termo soviete vem do russo soviet, i. e., conselho, e adquiriu significado político específico durante a revolução russa de 1905-1907, quando foram formados em várias cidades industriais sovietes de representantes de trabalhadores. Esses conselhos comandaram greves gerais e serviram de veículo para a agitação revolucionária dos partidos socialistas e das organizações anarquistas. Após a revolução de fevereiro de 1917, surgiram novos sovietes integrados por delegados de operários e soldados, e alguns exclusivamente por representantes de camponeses. Os sovietes se tornaram um grupo de pressão extremamente influente, competindo com o governo provisório e criando uma verdadeira situação de dualidade de poder. Os líderes do Partido Bolchevista consideravam os sovietes instrumentos de insurreição e órgãos embrionários de um novo regime. De acordo com a teoria desenvolvida por Lenin, esses conselhos correspondiam a uma forma estatal de ditadura do proletariado, o que explica que, a partir de outubro de 1917, o poder tenha sido exercido em nome dos sovietes. Stalin definiu os sovietes como uma 'correia de transmissão' ligando o partido às massas trabalhadoras... sob a liderança do partido" (Problemas do Leninismo, 11.ª ed. russa, Moscou, Ed. do Partido, 1940, p. 149. Fonte: Dicionário de Ciências Sociais, 2.ª edição, Fundação Getúlio Vargas). Qualquer semelhança com os conselhos do Decreto 8.243 não é mera coincidência. Se alguém ainda tinha dúvidas quanto ao futuro que as lideranças do PT estão preparando para este país, a esta altura pode deixá-las de lado.

JOÃO ALBERTO IANHEZ

ianhezrp@netpoint.com.br

Boa Esperança do Sul

Deus nos livre!

Ao deparar com o decreto da presidente instituindo os conselhos sociais, nenhuma dúvida me resta de que o socialismo bolivariano bate à nossa porta. Com isso concluo que, se Dilma ganhar a eleição - Deus nos livre! -, o comunismo, tão buscado pelos esquerdistas, será emplacado no Brasil. Mas se vencer um candidato que não seja da base aliada, não governará, pois o tal decreto oficializa o governo paralelo sob a batuta de Lula. É certeza que o MST, a Via Campesina, os sem-teto, a CUT e todos os sindicatos regidos pelo PT vão infernizar a Nação inteira, a exemplo dos recentes acontecimentos em São Paulo, onde uma greve abusiva prejudicou toda a população paulistana, além das queimas de ônibus, só para fragilizar o governador Geraldo Alckmin e eleger Alexandre Padilha. Diante dessa barbárie, todos nós, paulistas, devemos acautelar-nos. Por outro lado, a presidente Dilma continua a jogar nosso dinheiro pelo ralo ao conceder R$ 100 mil a cada jogador das três últimas seleções de futebol, mais pensão vitalícia. Tudo isso com o meu, o seu, o nosso suado dinheiro!

VICENTE MUNIZ BARRETO

dabmunizbarreto@hoatmail.com

Cruzeiro

Modelo falido

A presidente Dilma e o ministro Gilberto Carvalho têm demonstrado que nada aprenderam com os acontecimentos de 1964. Ou são ignorantes, o que não acredito nem afirmo, ou querem dar uma de espertinhos, subestimando a nossa inteligência. Por que nossas autoridades insistem em querer implantar no Brasil o que em outros países não deu certo? Se querem copiar algo do exterior, que seja o exemplo da Coreia do Sul, que investiu seriamente em educação nos últimos 30 anos e por isso é hoje um dos países mais desenvolvidos do mundo. Mas não, eles preferem copiar a ex-União Soviética, que faliu em 1989. E nós estamos seguindo o mesmo caminho.

KÁROLY J. GOMBERT

kjgombert@gmail.com.br

Vinhedo

Inconstitucionalidades

Por estar eivado do vício da inconstitucionalidade, o Decreto 8.243, da lavra da presidente Dilma, arregimenta contra ele advogados, juristas, magistrados e políticos. A maioria da oposição também é contra e até o PMDB já se manifestou para que passe pelo crivo do Congresso Nacional. É inconstitucional porque passa por cima de prerrogativas exclusivas do Poder Legislativo, atuando de forma autônoma e desrespeitando a independência e a harmonia que devem existir entre os Poderes da República. Relembre-se que a Constituição federal permite ao presidente da República exarar decretos para finalidades outras que não as que sobrepujam funções legislativas. Ademais, delegar poderes a movimentos sociais é deixar de lado as Casas de Leis e possibilitar que eles atuem em assuntos de interesse coletivo, com perigo de enfrentamentos entre partes interessadas. Esse decreto não pode nem deve sobreviver, em nome da dignidade da República e dos cidadãos deste país.

JOSÉ CARLOS DE C. CARNEIRO

carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

Mudança de símbolo

Em dois quesitos, pelo menos, os governos petistas não necessitam de "conselhos": como inflar os quadros com incompetentes e como desviar recursos públicos. O símbolo do PT devia mudar de estrela para gafanhoto.

ANDRÉ C. FROHNKNECHT

caxumba888@gmail.com

São Paulo

___________________________________

ABERTURA DA COPA

Os políticos profissionais no seu camarote mais pareciam participar de um velório. O Brasil passa por momentos difíceis, o povo já não distingue mais o que é certo do que é errado. Já estamos nos acostumando com a bandalheira que começa nos governos, continua na bandidagem que tem a justiça ao seu lado, e termina nas ruas onde não se sabe mais o que é protesto e o que é "piquetes" tipo greves, com quebra-quebra e tudo o mais. Faz lembrar a frase do prisioneiro judeu em Auschwitz, Ernie Lobet, que em 1995, numa longa entrevista de 4, 5 horas, termina com a frase: "Para que o mal triunfasse, precisou apenas que os bons não fizessem nada".

 

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

AS VAIAS PARA A FIFA E A PRESIDENTE DILMA

Pela primeira vez na história das Copas do Mundo o presidente da República do País que organiza a Copa e o Presidente da Fifa não conseguem discursar na abertura do evento. Isso aconteceu na quinta em que a nossa presidente provou do remédio amargo ou fel das indignações pelas vaias que recebeu dos que estavam dentro da Arena Corinthians, junto com o presidente da Fifa, o nada ético Joseph Blatter. As vaias vieram das pessoas que puderam comprar seus ingressos e que se solidarizavam com os que ficaram de fora, bem próximos dali, nas favelas no entorno da Arena, porque ali eles estão excluídos, sem hospitais, sem habitação, sem segurança e sem acesso à arena. Lamentavelmente o que vimos foi uma ilha de riqueza, banhada por um mar de pobreza. O ex-presidente Lula, mentor intelectual da Copa no Brasil, que também já sentiu na carne as vaias como no Panamericano no Rio de Janeiro, a maior roubalheira nos estádios na época, ficou em casa com medo das vaias e manifestações. Cadê o líder? O sultão do agreste está quieto. Para o time brasileiro nosso carinho e para frente, Brasil!

José Pedro Naisser jpnaisser@hotmail.com

São Paulo

*

O QUE É GROSSERIA?

Durante o período em que Lula governou o País, ele sempre considerou o trabalho e conquistas realizadas durante o governo do FHC como "herança maldita". Durante o jogo de abertura da Copa, a presidente Dilma foi vaiada e xingada. Na minha opinião, o atual governo está colhendo o que plantou. FHC, mesmo com uma forte oposição do PT, conseguiu aprovar medidas benéficas ao País, entre elas, o Plano Real, que conseguiu estabilizar a economia, combatendo a inflação e ajudando a população mais carente. O Lula promoveu a Copa, evento que apenas beneficiou a elite brasileira, pois apenas os ricos vão assistir aos jogos nas arenas construídas com dinheiro público, enquanto que o pobre vai continuar prestigiando os jogos como sempre fez: através da televisão junto à família ou através de telões instalados em praças públicas com amigos. Portanto, eu não considero como grosseria o terceiro hino entoado na Arena Corinthians pelos brasileiros: "Ei, Dilma, vai tomar no c...". Para mim, essa foi apenas uma mensagem padrão Brasil do Sudeste para o Nordeste. Eu espero que, na próxima eleição, a verdade vença a mentira.

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

São Paulo

*

A presidente Dilma foi vaiada de forma até agressiva por torcedores presentes ao primeiro jogo do Brasil na abertura da Copa. Protestos acompanhados de impropérios não é uma forma adequada, pois trata-se de uma autoridade eleita de certa forma democrática, pelo povo. Todavia, Dilma deve ser responsabilizada pela sua leniência e descaso com tantos atos de corrupção surgidos em sua administração e na anterior. Gastou-se fortunas na transposição das águas do São Francisco, e nada foi feito. A Usina de Abreu Lima foi orçada em R$ 2 bilhões em 2005, não está pronta e já custa R$ 18 bilhões. Ela se manifestou algumas vezes sobre esses dois absurdos? Não, nada fez, e estamos citando somente esses dois exemplos. Muitos outros ocorreram e ela se postou calada, portanto, conivente. Como primeira mandatária da nação, deveria, por dever de ofício, mandar investigar e punir esses escabrosos atos de corrupção. Como nada fez, o preço a pagar é alto, pois o dinheiro roubado foi altíssimo e desastroso ao País.

 

 

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo

*

O DIREITO DE OFENDER

Na nossa sociedade existe o "direito de ofender". Um grupo de privilegiados que faz oposição e também de mostrar a sua garra, com falta de respeito, de civilidade e de educação mandando a presidente Dilma Rousseff "tomar no c...", ontem, durante a abertura dos jogos da Copa na Arena do Corinthians. ("O Estado", pag. A4, 13/06). Ficou evidente que a manifestação foi organizada e orquestrada pela oposição. O objetivo era mostrar as suas garras e denegrir a imagem do Brasil. A falta de valores e de respeito nesse pequeno grupo social, que se identifica como sociedade, não aceita o povo com as suas carências e necessidades e que vê no futebol uma oportunidade de festa, congraçamento e alegria.

Sinesio Müzel de Moura sinesiomuzel.demoura@gmail.com

Campinas

*

A abertura da Copa do Mundo de futebol foi recheada de situações constrangedoras. Começou pelo Hino Nacional sem uma banda de música militar própria para uma solenidade deste porte; depois foi o canto à capela entoado pelos jogadores demonstrando a evidência do encurtamento do hino e dando ideia de que tocar a composição por completo seria uma situação insuportavelmente monótona; o chute do paraplégico não foi mostrado nas televisões, desmerecendo um feito científico importante. O ponto dentro da curva foi a vaia à presidente Dilma que surgiu quando seu rosto apareceu no telão. O medo da vaia deve ter sido a causa da falta do discurso presidencial, assim como o sumiço do ex-presidente Lula, que guarda a paranoia da vaia histórica recebida no Maracanã em outras épocas. Se não fosse a vitória sofrida da seleção, a soberba de Felipão, bem como a do governo, a crista dos políticos estaria cortada e somente os deuses dos tempos do Império Romano poderiam salvar a imperatriz.

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

São Paulo

*

PARTICIPAÇÃO POPULAR

 

A mistura de comunismo, corrupção e populismo está mostrando seus primeiros resultados: "Ei, Dilma, vai tomar no c...". Ou seria - pelo linguajar - fogo amigo do movimento "Volta Lula"?

 

Nilson Otávio de Oliveira noo@uol.com.br

Valinhos

*

REPUDIADA E XINGADA

 

Quando de seu ingresso na Arena Corinthians, na capital paulista, mesmo com os asseclas tentando escondê-la, foi vaiada e xingada. Eis que a mandaram "tomar no c...", além de outros mais xingamentos. Disse Aécio Neves, e muito bem, que a "presidente está sitiada", porque a sua presença nos locais para onde se dirige é motivo de revolta e de exacerbação sentimental. Assim, deve ela entender que a sua pessoa deixou de ser estimada pelos brasileiros e passou a ser objeto de destemperos verbais e de revolta dos sofridos cidadãos deste país. Neste passo, convém salientar que as pesquisas pagas e encomendadas não irão mais adiantar para as próximas eleições, porque o segundo turno já está perfeitamente delineado. O povo quer mudar mesmo e a hora é agora.

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

A DILMA NÃO ENTENDEU

Primeiro é bom explicar que o gol contra do lateral Marcelo da nossa seleção, que favoreceu a Croácia no Itaquerão, foi casual, e o da Dilma que se recusou a discursar e declarar oficialmente aberta a Copa do Mundo (inédito para um estadista) foi proposital ou intencional por medo exclusivo de ser vaiada. E como resultado, sabendo que a presidente estava confortavelmente instalada num camarote luxuoso do Itaquerão, o povo brasileiro presente no evento vaiou a Dilma estrepitosamente, porque está cansado de conviver com o seu governo que não combate a inflação, tampouco melhora os serviços da saúde e de educação. E ainda gasta mal e mais do que arrecada recursos dos contribuintes. E defende também, ao lado de Lula, seus corruptos, além de viver proclamando inclusive em cadeia de Rádio e TV, somente propaganda enganosa. E mesmo assim a presidente não entendeu o recado do seu povo, e zangada diz que "xingamentos não vão me intimidar". Ora, Dilma, a sociedade brasileira não está preocupada em ficar intimidando qualquer que seja o governante! Apenas exige respeito às nossas instituições, à execução das promessas de campanha, e outras no decorrer do mandato, que até aqui infelizmente não foram cumpridas. E que pelo menos nestes seis meses de mandato que lhe restam demonstre zelo pela ética, vontade definitiva de servir com dignidade a nação! Entendeu, Dilma?

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

DUAS COISAS IMPORTANTES

Na minha opinião, a primeira seria pedir ao ex-presidente Lula para calar a boca e a segunda, avisar a presidenta Dilma de que ela não é a rainha da Inglaterra.

Sergio S. de Oliveira marisanatali@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

A presidente Dilma está corretíssima ao reclamar das vaias do povo. O povo não tem educação, o povo não tem saúde, o povo não tem moradias, o povo não tem estrada seguras, o povo não tem segurança, o povo não tem como ajudar para prender os ladrões de recursos públicos, o povo não tem escolas, o povo não tem hospitais funcionando, o povo não tem justiça rápida.

José Carlos Werneck werneckjosecarlos@gmail.com

São Paulo

*

DE VAIAS E APLAUSOS

 

O Itaquerão ou Arena do Corinthians deu dois momentos de alegria às dezenas de milhares de torcedores que assistiram à primeira vitória do Brasil na sua estreia na Copa do Mundo, vencendo uma resistente Croácia que deu muito trabalho aos nossos atletas. Mas o segundo momento de vitória da torcida aconteceu quando foi anunciada a presença na Arena da presidente Dilma. Uma estrepitosa vaia acompanhada de palavras de baixo calão numa demonstração clara de que o tempo de Dilma e de seu PT já se esgotou. Fica uma dúvida para os estrangeiros: como um povo que odeia seu governante permite que se gaste dezenas de bilhões de reais na construção de 12 arenas? Tudo com uma trágica contrapartida que são os hospitais decadentes, escolas que deseducam, segurança que o bandido agradece, estradas que transportam para o além. Que essa vaia ecoe do Oiapoque ao Chuí, da Ponta Seixas à Contamana como um brado da segunda independência do Brasil.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

A VERGONHA NA COPA

Vergonha só temos nós. Dona Dilma & Cia não têm nenhuma. São "sem vergonhas" mesmo.

José Gilberto Silvestrini jgsilvestrini@gmail.com

Pirassununga

*

Porque será que o nosso Madiba Lula, o mentor intelectual dese evento, não deu as caras na arena corintiana?

José Roberto Iglesias rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

*

UM ROSTO NA MULTIDÃO

 

O Brasil sedia a maior competição esportiva do planeta e a presidente da República quer se passar anônima na festa de abertura do evento. Simplesmente surreal.

Joaquim Quintino Filho jqf@terra.com.br

Pirassununga

*

Antecipamos-nos em alguns meses em nossas manifestações contra a presidente. Precisamos de tais manifestações com o mesmo conteúdo, porém silenciosas nas urnas de outubro de 2014, senão quem vai ser o alvo do objeto das manifestações será o País e todos nós, brasileiros.

Carlos Eduardo da Silva Braga carlosbraga@mmol.com.br

São Paulo

*

A COPA DAS COPAS

Após assistir ao jogo do Brasil x Croácia e considerando o controle do governo do PT na organização do evento, os cartolas da CBF (Marín) e da FIFA (Blatter), todos reconhecidos pela ausência de honestidade e caráter, fiquei com a impressão de que esta não será a Copa das Copas e sim, mais Copa da carta marcada. E o Fred, que vergonha, cavando pênalti em uma Copa do Mundo! Bem à altura dos organizadores da Copa. Parabéns ao Neymar, ao Oscar e a outros que realmente buscaram mostrar um futebol bonito e disputado. Felipão, não tente cobrir a falha do juiz na marcação do pênalti. Você tem competência suficiente para reconhecer que houve uma falha lamentável do juiz. Agindo assim parece que você está envolvido com os organizadores. Torço por você, Felipão.

Paulo José Dreyer Martins de Souza pjosedreyer@gmail.com

Mogi das Cruzes

*

O SURREALISMO DA COPA DAS COPAS

O show de abertura foi fraquinho, o pênalti no Fred foi muito bem "cavado", o hino nacional foi emocionante, a vaia foi chocante, mas o que mais chamou a atenção do primeiro jogo da Copa das Copas foi a falta dos "afrodescendentes" na plateia. Isso o mundo todo viu e o PT deve usar para justificar as ofensas à mais fraca presidente do Brasil de todos os tempos. O surrealismo disso tudo é que a Fifa está no País do futebol, promovendo um espetáculo elitista, apoiada por um governo populista.

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

Pelas notícias que tomei conhecimento sobre povo da Croácia sempre acreditei que era um povo gentil, que sofreu ataques bárbaros durante a guerra com a Sérvia. Mas não sabia que entre eles existiam vândalos, como os jogadores de sua seleção de futebol. Mas eis que seus jogadores resolveram vandalizar os vestiários do Estádio do Corinthians, após o jogo com a seleção brasileira. Ora, sabemos todos que quando um time de futebol vai jogar fora de seu país, seja ele qual for, estará representando o seu país, quer queira ou não e devem ter muito mais responsabilidade quando se trata de sua seleção nacional. E cito como exemplo o comportamento do time corintiano e de sua enorme torcida quando foram disputar uma partida no Japão. Os brasileiros, que muitos europeus desavisados consideram um povo subdesenvolvido, têm muito o que ensinar aos croatas que aqui jogaram na inauguração da Copa. Aquele estádio não é da Fifa, é do Sport Clube Corinthians Paulista, que não mediu sacrifícios e verbas para construir um estádio moderno e extremamente luxuoso em suas dependências internas, e não escalou o juiz, que na opinião dos croatas, até com certa razão, prejudicou a sua seleção. O estádio foi muito bem planejado para que os jogadores que ali viessem para disputar partidas de futebol estivessem bem acomodados e confortáveis, fossem croatas ou não. Entretanto, logo na inauguração da Copa do Mundo de futebol, vândalos croatas, travestidos de jogadores de sua seleção, emporcalharam e inundaram o vestiário que foi colocado à sua disposição. Tivessem os engenheiros que projetaram e construíram aquelas instalações conhecimento prévio do comportamento dos croatas, certamente teriam construído um vestiário extra para servi-los, mais condizente com os seus hábitos. Tanto a Fifa como a Federação Croata devem desculpas e a devida indenização ao time paulista. Com certeza o governo croata não está nada satisfeito com os jogadores de sua seleção em termos de comportamento.

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br

São Paulo

*

MASCOTE DA COPA

Se o mascote da Copa fosse, em vez do mamífero cavador cascudo tatu bola, que só faz buracos à noite para encontrar o que se alimentar, fosse um falante, alegre e verde papagaio, ave genuinamente brasileira, a nossa Copa, além de estar sendo representada simbolicamente por um elemento da sua fauna avícola , teria também um amuleto, um talismã que lhe traria sorte para que o nosso Brasil possa levar o tão desejado campeonato mundial de futebol que estamos disputando. Que falta de espírito.

Antonio Brandileone abrandileone@uol.com.br

Assis

*

PESSIMISTAS

Então os brasileiros são pessimistas, dona Dilma? Porque a senhora não diz a verdade pelo menos uma vez e explica o motivo desse pessimismo? Continue falando abobrinhas, dona Dilma, porque assim nas eleições, quem sabe, a intenção de votos no seu nome fique abaixo dos dois dígitos. Ninguém mais lhe aguenta.

Ademar Monteiro de Moraes ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

*

Pessimismo é quando um governo, que com sete anos de antecedência, quando soube que seria a sede da Copa do Mundo, começa a se organizar para a realização do evento, com honestidade e foco, entregando os estádios, aeroportos e obras de mobilidade urbana prometidos com requintes de qualidade, com florzinhas e gramado pelo menos pouco crescidos, o povo feliz por ver seu governo com performance nota mil, empregando bem o seu dinheiro em evento de tal magnitude, apaixonado por futebol que é, aí vem um infeliz e diz que vai ser um fracasso, que vai dar tudo errado. Isso é realmente pessimismo. O contrário dessa que seria a atuação ideal, ou seja, nove operários mortos, obras inacabadas, tapumes à mostra, elevadores e esteiras nos aeroportos que não funcionam, cimento ainda molhado e terra no entorno dos estádios, milhões e mais milhões desviados todos sabendo bem para onde, aí, quando o cara vem e diz que é uma vergonha não estarmos completamente prontos para receber nossos visitantes, já é uma questão de bom senso e boa dose de realismo! O resto é tentar emgambelar o povo!

Myrian Macedo myrian.macedo@uol.com.br

São Paulo

*

ELEFANTES BRANCOS

Dilma Rousseff afirmou ter cumprido e dado tudo que foi exigido pela Fifa para realização da Copa, só não mencionou que somos nós os otários que ficamos com as dívidas e as responsabilidades para pagar as contas do absurdo gasto, roubado, desviado e superfaturado para construção desses estádios (elefantes brancos), espalhados pelo País para sediar dois a quatro jogos durante o evento. Serviu para encher o bolso de muitos

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

TORCIDA CANTOU HINO NACIONAL

Confesso que também quase chorei de emoção assistindo à plateia que lotava a arena, e que, emocionada, cantou o hino nacional, mas, lembrei-me que tais arroubos patrióticos só ocorrem em festas carnavalescas ou futebolísticas, porque afora essas ocasiões tal patriotismo vem apenas de alguns gatos pingados que saem às ruas para protestar contra politicalha que tomou de assalto o "nosso" país. Esses patriotas de ocasião sintonizados apenas na Copa, não prestam a mínima atenção a coisas graves que ocorrem agora no País, como no golpe próximo que está em gestação sob o comando do presidente Lula e que, via sua marionete, "presidente" Criatura, está decretando a criação de algo chamado "conselho" para vários temas, que será composto de elementos nomeados por eles e geridos pela secretaria da Casa Civil da Presidência da República. Tais "conselhos" não passam de um disfarce para esconder um golpe de Estado, porque amanhã será eles que decidirão o que poderemos ler, assistir, ouvir, usar, enfim, uma situação de governo como era na falecida União Soviética hoje apenas Rússia. Com a ausência nas ruas desses "patriotas" e de uma oposição inexistente no cambalacho nacional, tal sistema será implantado e caminharemos para o País acabar numa cópia de Cuba e Venezuela. Há um porém nesta situação e que pode terminar em intervenção dos militares, que já enxergam não é de hoje esse risco, mas ainda não reagiram, temerosos pela condenação sofrida quando do período ditatorial. Para evitar qualquer um desses riscos, cabe uma tomada de decisão por alguns poucos políticos honestos que ainda restam no País, mas infelizmente falta um líder para comandar a reação, um com alma de estadista, e que até hoje o País não teve.

Laércio Zannini arsene@uol.com.br

São Paulo

*

CURIOSA COINCIDÊNCIA

Uma curiosa coincidência no fato de uma belga criar a belíssima abertura da Copa: muitos paulistas descendem dos Lems de Bruges, Bélgica - dos primeiros povoadores europeus (século XVI), de bandeirantes (Fernão Dias, Brás Leme, por exemplo), de fundadores de cidades, até um conhecido prefeito de São Paulo. Com a ressalva de Pedro Taques (de Almeida Paes Leme), o sobrenome aportuguesado não vem do instrumento náutico, mas de "argila, barro fino" em flamengo.

 

Ana Maria Dias Carvalho Lima carmenlydia@uol.com.br

Santos

*

VAI PASSAR A COPA

Como já disse Chico Buarque, em defesa da "esquerda" chegada ao Whisky escocês, que hoje aparelha o Brasil: "vai passar pela avenida um samba popular". Enquanto isso, "dormia a Pátria mãe tão distraída, sem perceber que era subtraída, em tenebrosas transações". Excepcional a clarividência do poeta. Espero que o samba popular não mantenha pátria mãe mais quatro anos adormecida.

Eldo Franchin eafranchin@uol.com.br

São Paulo

*

AFINAL, QUEM É O VILÃO?

Verifica-se entre alguns comentaristas que cobrem a Copa uma tendência de heroicizar o Brasil pelo fato de ter sido possível afinal montar uma estrutura suficiente para sediar o torneio, apesar das inúmeras dificuldades. Destacam os obstáculos criados pelos protestos, pelos questionamentos e pelas manifestações muitas vezes predatórias que ainda espocam país afora e acrescentam que eles constituem aspectos inéditos em relação a eventos similares realizados em outros países. Alguns até acrescentam que o torneio, após este, nunca mais será o mesmo, ponto de vista um pouco pretensioso. Por outro lado, observa-se também em suas análises uma certa inclinação à demonização da Fifa, apontando seu lado despótico e arrogante ao longo de todo o processo, o que até criou regiões de atrito com as autoridades do governo encarregadas da organização. Esquecem-se de mencionar, no entanto, que a entidade internacional, com todos os seus defeitos, nunca foi omissa nem surpreendente em relação ao badalado "padrão Fifa", pois praticamente todas a suas exigências já constavam nos famosos cadernos de encargos no momento em que o País foi escolhido. Não observam também que era seu, da FIFA, o desejo de empregar um número de sedes menor do que o populismo e a demagogia do então governo do PT estabeleceram no momento da escolha e que não é culpada pelo fato de que os recursos, prometidos inicialmente em sua maioria como provenientes da iniciativa privada, tenham sido, afinal, quase totalmente bancados pelo governo de um país carente de serviços básicos que deveriam ser fornecidos por este mesmo governo. Além disso, não foi ela a culpada pelos vergonhosos superfaturamentos, pelos atrasos comprometedoras na conclusão das obras prometidas, e pelos protestos de indignação da população inconformada com os gastos. Como se vê, uma reflexão mais serena a respeito desse tema mostra realmente quem foi o vilão em todo o processo. Como última observação, cumpre adicionar que, conforme assisti a um daqueles comentaristas mencionar, todo governo deseja que seu país sedie evento de tal projeção, sendo até provável que governos anteriores daqui tenham manifestado tal vontade. Não advertiu, porém, que um deles, não preocupado com dividendos eleitorais, recusou o oferecimento, por achar que o Brasil não reunia as condições necessárias mínimas. Mas este pertencia ao impronunciável pelo jovem analista, período do governo militar.

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

Muitos acusam os grevistas de oportunistas por causa da Copa, mas vamos ver quer vai ser oportunista no final se o Brasil for campeão. A campanha eleitoral vai esquentar com o tema Copa, com a presidente levantando a taça fazendo pose de campeã ao lado dos novos ídolos nacionais, isso não seria um grande oportunismo?

Marcelo Henrique Pylypciw Simoni marcelosimoni@hotmail.com

São Paulo

*

DIAS DOS NAMORADOS À BRASILEIRA

 

Ocorrendo de forma coincidente a abertura da Copa do Mundo no Brasil com o "dia dos namorados" percebe-se que a relação amorosa entre PT e PMDB de Sarney, Renan, Jucá, Henrique Alves. Maluf (PP) com Lula, Haddad e Padilha, PT e PDT de Luppi ou PR de Valdemar Costa Neves. Mostram um "amor" interesseiro e desleal, que traduz uma excepcional e vergonhosa traição a Nação e ao povo brasileiro. Pudemos assim, assistir tristemente à reação de parte significativa da sociedade com palavras de ordem e vaias a maior autoridade brasileira, que certamente ecoaram pelo mundo, demonstrando tal insatisfação.

Essas posturas bem demonstram que o divórcio ou rompimento de tais relações já eram esperadas, e em outubro teremos certamente a confirmação do final dessas relações de amor insólitas.

 

João Batista Pazinato Neto pazinato51@hotmail.com

São Paulo

*

Em 2010, a aliança do PMDB com o PT foi selada com o apoio de 84,8% dos votos. Quatro anos depois, em meio ao desgaste do (des)governo reprovado em peso pelo País, o apoio à reeleição regrediu para 59%,com o espantoso voto contrário de 41% .Contra números não há argumentos, pois não?!

J.S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

QUANTA MUDANÇA

O senhor está feliz com a aliança que firmou com o petista Alexandre Padilha, sr. Paulo Maluf? "O PT me trata com mais respeito do que outros partidos. O PT gosta de mim." Podemos dizer que o PT que alguns otários ainda gostam não é mais o mesmo, ou seja, se corrompeu de vez? E o Lula acha isso muito normal e natural. Afinal, para dar emprego à companheirada e fazer mensalões tem de ter ajuda de gente do mesmo nível. Vergonhoso.

Asdrubal Gobenati asdrubal.gobenati@bol.com.br

Rio de Janeiro

*

SÃO PAULO GANHOU NA COPA

 

Agindo com firmeza e determinação, o Metrô de São Paulo quebrou a espinha do sindicato dos metroviários, que insanamente tentou até a última hora chantagear com a ameaça de tumultuar a abertura da Copa. Escudados na estabilidade, os dirigentes do sindicato jogaram na fogueira os seus liderados, afrontando decisões da Justiça do Trabalho e insistindo na agressão diária a 4,5 milhões de usuários do Metrô. Os metroviários estão agora aprendendo que o desrespeito às leis pode resultar em punições, e que é muito alto o preço pago com a perda do emprego quando usados como massa de manobra por lideranças alucinadas. Que essa lição sirva para que se precatem no futuro, e escolham melhor seus representantes. O sindicato vai pôr as barbas de molho por um bom tempo, mas é indispensável que a direção do Metrô continue agindo com firmeza para dissuadir eventuais tentativas futuras.

Hélio de Lima Carvalho hlc.consult@mail.com

São Paulo

*

Triste e por vezes patética a figura de alguns metroviários afirmando serem pais de família, com filhos para sustentar, como se entre os milhões de pessoas prejudicadas por mais uma greve de interesse político-partidário, conduzida pelos dirigentes sindicais notabilizados pelo despotismo e radicalismo. Houvesse realmente o interesse tão somente pela melhoria de salário e condições de trabalho, esses sindicalistas deveriam, em solidariedade, pedir demissão. Essa sim seria uma atitude digna e de nobreza de caráter, e não fazer campanha em inglês e espanhol, além de ameaçar a população novamente.

 

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

Sorte dos paulistas por ter um governador sério e competente, que nos orgulha ao agir com seriedade e responsabilidade perante essa greve oportunista que tem por intuito denegrir nosso estado. Parabéns pela ação concreta, atitude que norteia sua gestão. Tenho orgulho de ser governado por Geraldo Alckmin.

Eduardo Luiz Bicudo Ferraro "Brigadeiro" brigadeiroourinhos@gmail.com

São Paulo

*

PROPAGANDA ELEITORAL

O sistema de tempo que os candidatos têm nos programas eleitorais obrigatórios para se exibir nas TVs precisa ser modificado, com urgência. Vemos notícias de que os que estão no poder fazem concessões aos partidos maiores, à custa dos contribuintes, para conseguir o apoio e mais tempo, alguns contando lorotas. Acho que os três principais candidatos à Presidência, nesta eleição e nas futuras, deveriam ter o mesmo tempo de exibição. Seria mais justo, por que os da oposição não podem fazer "doações" a outros partidos. Vamos fazer uma corrente nesse sentido?

Mário A. Dente dente28@gmail.com

São Paulo

*

A intensa campanha que o governo está fazendo pelo rádio, orientando o bolsa famélico a manter o seu C.U. (Cadastro Único) atualizado vai dar o que falar.

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

Será que o TCU está controlando as despesas do governo federal quanto à publicidade televisiva? A cada 10 dias eles vão à televisão falar abobrinhas. Quanto está esta conta? Será que é possível alguém de bom senso me responder?

 

Maria José da Fonseca fonsecamj@ig.com.br

São Paulo

*

O TIRANO JOAQUIM BARBOSA

Por favor, não confundam responsabilidade de réus criminais e direitos dos advogados. Sem a observância destes, a democracia morre. Os maiores resistentes contra a ditadura militar foram os estudantes e os advogados. Onde estava o Dr. Joaquim Barbosa? Uma bomba explodiu na seção da Ordem do Rio, matando nossa secretária. Joaquim Barbosa odeia os advogados. Independentemente do mensalão, é um autoritário e opressor. A Constituição Federal, em seu art. 113, dispõe que o advogado é indispensável à administração da Justiça. "Seguranças, tirem esse homem daqui", ofendeu à classe inteira dos advogados. E os brasileiros têm esse tiranete de segunda expressão política, porque nunca foi eleito pelo povo brasileiro, com nosso salvador da pátria, o sempre esperado Messias, o "homem forte". Como a tristeza se abate sobre os democratas deste país.

 

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

ÚLTIMO SUSPIRO

Sr. Joaquim Barbosa foi o ultimo suspiro de dignidade deste quadro governamental. Todas nossas instituições estão carcomidas pelo desmantelamento petista. Um desastre institucional, que o pronunciamento de nossa presidente deixou claro em sua mentira deslavada contra os pessimistas. Não são pessimistas, mas realistas que estão vendo tudo e se manifestando contra toda esta bagunça institucionalizada da corrupção generalizada, do compra-tudo para calar até a oposição. A democracia petista é na base da mentira, do faz de conta, mas aqui fora a realidade é outra. Estamos órfãos de representantes, o quadro político está sem conexão com o que a população está aspirando. Só falta fechar o Congresso e assumir que vivemos uma ditadura partidária.

João Braulio Junqueira Netto jonjunq@gmail.com

São Paulo

*

Como brasileiro que sou, amante da verdade, não poderia, por ocasião de sua aposentadoria, de prestar uma singela homenagem a V. Excia, dedicando-lhe o último verso de música interpretada por Nana Caymmi, que diz: "existiria a verdade, verdade que ninguém vê, se todos fossem no mundo (Brasil) iguais a você (V. Excia.)"

Batista Cassiano batistacassiano@hotmail.com

São Paulo

*

Esse advogado de José Genoino, José Luiz Fernando Pacheco, que, embriagado, conforme depoimentos prestados pelos seguranças do STF que o retiraram do plenário, afrontou o ministro Joaquim Barbosa, é aquele mesmo que fez a declaração de conotação racista que a aposentadoria do presidente da nossa mais alta Corte representava o "fim de uma noite escura". A OAB, em vez de partir para a defesa do causídico, deveria enquadrá-lo por falta de ética profissional.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.