Fórum dos Leitores

VAIAS E XINGAMENTOS

O Estado de S.Paulo

16 Junho 2014 | 02h05

Arrogância inabalável

Mesmo tendo passado aquele lamentável constrangimento no Itaquerão e se acovardado na cerimônia de abertura da Copa, a sra. Dilma Rousseff segue arrogante e diz que não se abalou. Então, a sra. Dilma compareça às outras arenas em outros jogos e leve junto seu chefe, de vez que foi ele que trouxe esse evento para cá e seu governo é o responsável pelos gastos. Mostrem a cara.

ADEMAR MONTEIRO DE MORAES

ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

Dilma diz...

Apesar de afirmar que não se intimidará com os xingamentos, não discursou e o seu tutor nem sequer apareceu. Ella talvez seja a única chefe de nação a não proceder à abertura oral dos jogos.

IRACEMA M. OLIVEIRA

mandarino-oliveira@uol.com.br

Praia Grande

Imagina em outubro

De fato, se a sra. Dilma não se intimida, por que não discursou na abertura da Copa? Lula chama-nos de cretinos, babacas, canalhas e nos manda andar de jumento, enquanto ele anda de helicóptero. A sra. Dilma nos chama de pessimistas e derrotados. Tanto ele quanto ela deveriam estar na Linha Azul do Metrô sexta-feira às 6 da tarde! Espere até outubro e verá o que é a coragem de um povo que ama a liberdade, a justiça e a verdade.

LOURDES MIGLIAVACCA

lourdesmigliavacca@yahoo.com

São Paulo

Lição de democracia

"Nos jogos de futebol vaia-se até minuto de silêncio", diz o ditado. Entretanto, foi profundamente lamentável o comportamento da torcida ofendendo a presidente da República. Não menos infeliz foi a reação dela, ao lembrar seu "glorioso e heroico passado" como guerrilheira e terrorista. Já o ex-presidente voltou à velha e repisada cantilena dele, acusando "as elites" pela grosseria, quando a falta de educação não é privilégio de nenhuma classe social. Lição de democracia deu-nos o ex-presidente Juscelino Kubitschek quando, depois de ser vaiado em evento público, disse: "Feliz o povo que pode vaiar seu presidente".

LUIZ ANTONIO ALVES DE SOUZA

zam@uol.com.br

São Paulo

Na Copa não cola

Dilma cita "nossa Copa". É bom lembrá-la de que a Copa é primeiramente do povo brasileiro e ela não pode contar vantagem política pela ineficiência da organização nem se fazer de vítima e chamar a torcida de elite. É bom lembrá-la ainda de que ela é a extrema elite vivendo numa redoma de vidro. A maquiagem não funcionou, o povo sabe que de vítimas ela e Lulla não têm nada. Muitos sofreram na ditadura, isso torna ninguém herói nem deve ser explorado em campanhas políticas. Olhemos pra frente!

MARCELO H. PYLYPCIW SIMONI

marcelosimoni@hotmail.com

São Paulo

Lula e a educação

"Educação se aprende dentro de casa", frase de Lula da Silva. É só ler o livro Viagens com o Presidente para comprovar que ele não aproveitou as lições recebidas. Certas passagens nos deixam, como brasileiros, muito constrangidos. Frei Betto tem razão ao dizer que o poder mostrou a face real de Lula. Ele nada assimilou da convivência com pessoas de bom nível cultural, nos ambientes onde o respeito é essencial ao convívio, quanto à importância, ao sentido e à finalidade das palavras antes de pronunciá-las. Por isso, cobrar dos outros as virtudes que não temos é leviandade. Mas querer isso de Lula é esperar muito. Como escreveu João Ubaldo Ribeiro, para o Inácio isso ainda é o prefácio.

FÁBIO HADDAD

fabhaddad@ig.com.br

Campinas

Ódio de classes

"A elite está conseguindo o que nunca conseguimos: despertar o ódio de classes", palavras de Lula (14/6, A1 e A4). Ou seja, finalmente ele confessa que o seu PT tenta estabelecer no Brasil o regime comunista baseado na "luta de classes". Onde está o "Lulinha paz e amor"? O ex-presidente, assim, confessa também o engodo dos marqueteiros petistas, que passam contos do vigário em todos os brasileiros. Agora é imprescindível que a verdadeira carta do PT seja publicada bem antes das eleições, para conhecimento tanto dos eleitores quanto dos partidos que apoiam a candidata "presidenta".

SUELY MANDELBAUM

suely.m@terra.com.br

São Paulo

Sim, Lula, o "ódio de classes" está despertando no País. Ódio entre a classe que quer trabalhar pelo Brasil e a que quer que o Brasil trabalhe por ela. Eu, orgulhosamente, me incluo na primeira!

LUIZ C. DO CANTO PEREIRA JR.

luiz.canto.jr@gmail.com

São Paulo

Guerra de secessão?

O ex-presidente Lulla (com dois eles para não ofender o animalzinho) mais uma vez incita a divisão de classes. O que quer o doutor horroris causa? Uma guerra de secessão no Brasil? Dividir norte e sul, ou petistas e não petistas? Quem semeia mentiras colhe ofensas, viu, PT? Até quando vai durar essa aberração? Deus nos proteja!

JULIO MARCOS MELGES WALDER

julio.walder@gmail.com

Santos

SOCIEDADE DIVIDIDA

A 'parte bonita'

Se, como Lula e Dilma advogam, os "trabalhadores" não estiveram na abertura da Copa por causa do preço dos ingressos, por que o governo gastou bilhões privilegiando os "doutores"? Para os "trabalhadores" que assistirão pela TV e em telões, tanto faz se a Copa é aqui ou em outro lugar. Mas com certeza faria diferença se esses bilhões tivessem atendido às suas reais necessidades de saúde e educação, e não de pão e circo. Agora Lula e Dilma se queixam dos insultos daqueles que eles mesmos decidiram privilegiar? Quem sabe, os "doutores" protestaram por estarem solidários com os "trabalhadores"? Ou Lula e Dilma têm o monopólio de amar os desfavorecidos? Foram ungidos por Deus nessa missão?

SANDRA MARIA GONÇALVES

sandgon@terra.com.br

São Paulo

A 'parte feia'

Nós, torcida corintiana, somos imensamente gratos ao ex-presidente Lula pela ajuda inestimável na construção do Itaquerão. E, claro, pela honra do primeiro jogo da Copa. Se tivesse reservado a maioria dos ingressos para nós, integrantes da parte feia da sociedade, com certeza, a nossa presidenta Dilma, além de receber flores, poderia chegar perto do microfone para fazer a abertura oficial do Mundial. Realmente, uma pena o esquecimento.

LUIZ CASADEI MANECHINI

travessi@uol.com.br

Cotia

*

BRASIL 3X1 CROÁCIA

Num jogo sofrido e difícil, mesmos em jogar bem, o Brasil começou a Copa do Mundo de 2014 com o pé direito ao vencer a Croácia por 3x1, de virada. Contamos com a ajuda providencial da arbitragem, que marcou um pênalti absolutamente inexistente em nosso favor. A festa de abertura da Copa foi bonita e simples, como deve ser. E a organização no Itaquerão também foi satisfatória e dentro dos conformes. Um bom começo, dentro e fora de campo, mas precisamos melhorar bastante nos próximos jogos. Rumo ao hexa.

Renato Khair

renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

EXIGÊNCIA DA FIFA?

Será que foi exigência da dona Fifa do Sr. Blatter a direção do espetáculo de abertura da Copa ser de responsabilidade de dois estrangeiros? Não haveria no Brasil patrícios nossos capacitados a apresentar uma cerimônia que empolgasse o público, em especial aquele que estava em casa, mormente os estrangeiros? E, cá para nós, a tal música que tentaram emplacar é muito ruim e nem o esforço dos intérpretes consegue chamar a atenção. Uma última pergunta: quem pagou? Nós ou Sr. Blatter?

Marco Antonio Esteves Balbi

mbalbi69@globo.com

Rio de Janeiro

*

CRÍTICAS DA ABERTURA

Mesmo que Deus conceda aos homens o livre arbítrio e nossa democracia garanta o direito de discordar de determinados temas, achei deprimente as críticas a "presidenta" Dilma Rousseff durante a abertura da Copa no Estádio do Itaquerão. Na minha opinião, a autoridade máxima de uma Nação merece respeito, principalmente quando a maioria que a vaiou são eleitores que a elegeram e, segundo pesquisas, parte deles ainda votará nela na próxima eleição. Não sou eleitor  de Dilma e muito menos do PT, porém presumo que respeito e educação cabe em qualquer lugar.

Virgílio Melhado Passoni

mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

PATRIOTISMO E FUTEBOL

O povo brasileiro, em sua maioria, só é patriota na Copa do Mundo; ele sonega impostos, joga lixo na rua, estaciona o carro em vagas de deficientes, oferece propina ao fiscal e ao guarda de trânsito, compra produtos piratas e contrabandeados. Pior ainda, nas eleições vota nos postes e tiriricas, sem se informar sobre o caráter e competência dos candidatos. Mas na Copa do Mundo veste uma camisa amarela e acha que isso é patriotismo.

Eng. Roberto A.Kirschner

kir.robertoa@gmail.com

São Paulo

*

DR. SAMUEL JOHNSON

Esse pensador inglês, antes que fosse inventado o futebol, saiu-se com a célebre frase: "O patriotismo é o último recurso do canalha". Imagine-se o que diria se soubesse que haveria um país onde o paroxismo do patriotismo seria motivado por uma prática desportiva que seus compatriotas viriam a inventar e que, originalmente denominariam "football". Talvez tivesse formulado a frase com menção ao futuro desporto.

Mário Rubens Costa

costamar31@terra.com.br

Campinas

*

VAIAS NORMAIS

O Sr. Lula da Silva, ex-presidente, ex que não para de dar palpites, achou injusta as demissões dos metroviários - ele que ressuscitou o status da greve nesse país. O Ministro, (com “m” minúsculo) Gilberto Carvalho, em entrevista na TV disse que as vaias à senhora Dilma Rousseff são normais. Já aconteceu antes, um detalhe: a presidente não foi vaiada, foi xingada e várias vezes. Esses senhores querem tapar o sol com a peneira, não desistem de iludir o povo - é típico do PT. Está faltando gente na Papuda para fazer companhia ao cardiopata José Genoino.

Celso de Carvalho Mello

celsosaopauloadv@uol.com.br

São Paulo

*

A presidente falou em cadeia de rádio e televisão às vésperas da Copa, tentando nos convencer das vantagens que virão, mas por mais que insista, não há como justificar. Foi de total insensibilidade e irresponsabilidade trazer a Copa e construir os modernos estádios de futebol quando não temos escolas, hospitais, transportes, segurança. Nossa alegria era maior, espontânea e contagiante em Copas passadas. Hoje não é assim. Eu vejo poucas bandeiras em fachadas de casas e em carros. Há tristeza, indignação e vergonha no ar e não são só os pessimistas como ela insiste em sua fala. E ela sabe! Se apenas uma pequena minoria não aprovou a Copa no Brasil, porque ela não fez o discurso na festa de abertura? Afinal, seria aplaudida pela grande maioria dos torcedores felizes e as poucas vaias seriam abafadas, mas ela não falou. O Sr. Joseph Blatter, sorridente e muito satisfeito com os lucros, também preferiu o silêncio. Claro! Não são nada bobos. Podemos ser mesmo a 7ª economia do mundo, mas não graças ao governo. E se de fato destinaram perto de R$ 2 trilhões para a saúde e a educação (212 vezes os gastos com a Copa), porque ela mesma, o Lula, o Sarney, o Temer e tantos outros políticos quando “doentes”, estejam onde estiverem, vêm sempre para o Hospital Sírio Libanês aqui em São Paulo? Com tanto dinheiro investido na saúde poderiam muito bem usar o SUS como todos nós. Os direitos não são iguais? Falar é uma coisa, presidente. Fazer é outra, e exemplos valem muito mais que palavras.  A propósito, não sou pessimista, anarquista, político e nem cego. Sou apenas um aposentado que trabalhou a vida toda e não vê um Brasil melhor!

Nilson Martins Altran

nilson.altran@hotmail.com

São Caetano do Sul

*

Alguns “comentaristas” insistem em transmitir que foi uma elite que vaiou Dilma. O que impressiona é que Dilma não entendeu os clamores de uma sociedade organizada e tranqüila que protestava a um ano nas ruas em ordem contra os desmandos com o dinheiro público e com a política econômica que está nos levando para o buraco, e principalmente os cartazes pediam fim da corrupção. Ninguém pretendia intimidá-la, ela é que se sentiu intimidada e fugiu da raia. O povão que assistia das ruas, aqueles que não puderam comprar os ingressos padrão Fifa, também vaiou, embora as palavras de baixo calão fossem desnecessárias, os berros mostravam a revolta que está em pauta. Quem sabe depois desse fiasco todo, a “presidenta” tenta melhorar seu padrão de governança e pensar em escutar os cidadãos brasileiros em suas reivindicações e se dedicar menos em se manter no poder.

Leila E. Leitão

São Paulo

*

IMPOSTOS

Enquanto a Fifa fora isenta de recolhimento de impostos no Brasil, os cidadãos pagaram quase um trilhão de tributos no primeiro semestre do ano. Essa forma de agir não é compatível com um país emergente que prefere fazer a qualquer custo um evento internacional com espírito de agradar no estilo de pão e circo. A justiça fiscal não pode ser esmigalhada em prol de entidades internacionais ricas sobrando a conta para a sociedade civil.

Yvette Kfouri Abrão

abraoc@uol.com.br

São Paulo

*

SOBRE FUTEBOL E POBREZA

As considerações críticas do Prof. Eugênio Bucci sobre a fala presidencial, antecedendo o início da Copa do Mundo, podem dar a entender que o estilo besteirol foi inaugurado pela Sra. Dilma Rousseff. Há poucos dias, em editorial deste mesmo jornal ("Dando bom dia a cavalo"), foram analisadas falas do ex-presidente da República, demonstradoras da sua habitual desconexão entre o discurso e os fatos. Em tais falas há sempre o "nós contra eles". A criatura nada mais faz do que repetir o criador que, curiosamente, faz críticas ao governo de sua sucessora como não tivesse nada a ver com a herança recebida por ela. Por outro lado, a pobreza vocabular está em voga há doze anos, e sempre foi considerado preconceituoso fazer críticas a ela, vez que consideradas coisas da "zelite", inconformadas com o fato do ex-metalúrgico ser Presidente da República. Portanto, se for para criticar, vamos dar nomes aos bois: Lula é o primeiro e grande responsável pelos desatinos da pobre senhora, seja em palavras ou ações governamentais.

Ana Lúcia Amaral

anamaral@uol.com.br

São Paulo

*

SELEÇÃO, DEMOS O PRIMEIRO PASSO

O juiz Nishimura deve ser apadrinhado da Fifa, pois o cartão a Neymar, merecido, não foi aplicado ao time croata nas suas vinte e tantas faltas. Nossos laterais são fraquíssimos, zona de entrada fácil aos adversários, Hulk e Fred apagadíssimos, mas Oscar voltou apresentar jogadas. No gol de Neymar ele roubou, levou e empurrou a bola com maestria e vontade, depois marcou merecidamente um gol para coroar sua participação. Neymar fez dois gols, mas gostaria de saber o que faz um jogador de ataque naquele local dar um soco proposital num adversário? Infantilidade? E depois? Nossos zagueiros estiveram bem, assim como o goleiro, Luiz Gustavo, dessa vez acertou todas, bom para Felipão que tem uma semana para escalar agora jogadores que não precisem ser trocados durante o jogo, valeu pela vontade.

Julio Jose de Melo

julinho1952@hotmail.com

Sete Lagoas (MG)

*

COVARDIA

Nesta Copa do Mundo todo mundo viu o que nunca queríamos ver. Espero não ver nos próximos jogos.  Obrigado, senhora, por nos envergonhar com a sua covardia.

Wilson Matiotta

loluvies@gmail.com

São Paulo

*

JUIZ COVARDE AJUDOU O BRASIL

O juiz foi covarde quando deu cartão amarelo ao Neymar pela cotovelada premeditada que ele deu na cara do Modric, porque fosse a Copa noutro país teria mostrado o vermelho sem hesitar e resultaria na expulsão do boleiro. Nesse lance ele determinou o resultado da partida, porque alguém acredita que sem Neymar o Brasil teria virado o resultado? Eu duvido.

Laércio Zannini  

arsene@uol.com.br

São Paulo

*

Que a seleção pentacampeã siga em frente rumo ao hexa na base do seu talento e garra, sem precisar passar pelo vexame de entrar em campo com 12 jogadores! Boa sorte!

J.S. Decol

decoljs@globo.com

São Paulo

*

COPA DAS COPAS

Pelo que vimos ontem a Copa das Copas é mais "um sonho visionário" da presidente. Para quem é incapaz de governar era de se esperar! Que dupla essa entre o PT e a Fifa.

Laert Pinto Barbosa

laert_barbosa@globo.com

São Paulo

*

FÉRIAS

Além de assistirmos ao melhor futebol do mundo, estamos livres de Brasília até 13/7.  Menos tramoias...

Luiz Frid

luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

ITAQUERÃO DEPOIS DA COPA

Como está "semi-acabado", ficará da seguinte forma. Como o Estado de São Paulo não tem nada com isso, e a prefeitura mesmo que politicamente tenha vive de pires na mão ou as "torcidas organizadas" fazem vaquinha para acabar ou se tornará como outros estádios pelo País se transformando em "fantasmas da Copa". Veja lá se a diretoria do Corinthians que nunca fez estádio algum vai ter peito de terminar a obra inacabada. E tanto o Morumbi como até o Pacaembu poderiam ser cartões de visitas muito melhores para o Brasil. Herança do PT e do Sr. Lula para o Brasil e São Paulo, além de outras que terminarão na polícia um dia. Pena que o Joaquinzão está arrumando as malas para curtir sua aposentadoria "precoce".

Ariovaldo Batista

arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

É HORA DE COPA

Vamos lá! Chegou a hora da Copa! Vamos fazer o feijão com arroz na nossa cozinha e comer a bola lá na deles. Depois dos comes, os gols! Depois dos gols, gritos, abraços e bebes pra comemorar! E não vamos dirigir depois!

Luiz Moreira roblms@terra.com.br

São Paulo

*

O EXOESQUELETO DE NICOLELIS

“Em 2014, tetraplégico vai dar o pontapé inicial da Copa do Mundo usando um exoesqueleto", prometeu o neurocientista Miguel Nicolelis em 2011. O momento tão esperado por muitos deficientes e familiares passou despercebido, pois a cena durou menos de 15 segundos e foi realizada logo após o encerramento da cerimônia de abertura da Copa, em um canto da Arena, onde um "paciente" parado sobre uma pequena plataforma e amparado por duas pessoas, moveu levemente o pé direito para a frente e tocou uma bola de futebol. O projeto foi financiado pelo governo federal ao custo de R$ 33 milhões. Eu pergunto: esse projeto foi apenas mais uma promessa do governo petista não cumprida e desperdício de dinheiro público ou ainda pode ser a esperança de muitos deficientes?

Maria Carmen Del Bel Tunes

carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

O LADO SOMBRIO DA COPA

O lado sombrio da Copa de 2022 no Qatar com quase mil operários mortos e a suspeita de ampla corrupção para sediar o evento têm ampla cobertura da imprensa europeia e pouca repercussão no Brasil.

Luiz Roberto Da Costa Jr.

lrcostajr@uol.com.br

Campinas

*

CLIMA DA COPA.

O clima da Copa certamente fará os brasileiros esquecerem-se de muitas mazelas que dominam a Pátria. Por exemplo, os escândalos escabrosos da Petrobrás ficarão em paz, abafados, talvez, pelos jogos, da mesma forma que o caso paulistano da Alstom também ficará no travesseiro e na expectativa. A inflação e o desgoverno também. Se não houver confrontos entre as forças de segurança e os Black Blocs e PCC, muito melhor para a nação. E se não houver depredações, mas somente movimentos de protesto e contestatórios pacíficos, significa que a paz pode retornar até as eleições, quando, então, todos os protestos, contestações e desapontamentos podem ser convertidos em votos, como mandam os regimes democráticos. Se o Brasil ficar campeão, melhor para todos os brasileiros. Em caso contrário, nada justificará protestos e depredações contra tudo e todos. Esses comportamentos não poderão mudar o Brasil, mas os votos sim.

José Carlos de Carvalho Carneiro

carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

É patético ver a cidade de São Paulo parada por conta de um jogo de futebol que será realizado na vizinha Itaquera às cinco horas da tarde. O governo admite com isso que a cidade não tem mais condições de funcionar, está em colapso, se não decretassem feriado teríamos mais de 500 quilômetros de congestionamentos, caos total. A abertura da Copa é um evento pequeno, reuniu  60 mil pessoas no máximo, a cidade deveria ser capaz de receber esse evento com mais naturalidade. Quando custa a cidade de São Paulo parada por um dia?

Mário Barilá Filho

mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

NÃO VAI TER PIZZA

Os movimentos autonomeados “Não vai ter Copa”, que levaram sete anos para perceber o engodo da Copa das Copas, deveriam entender que a Copa está aí, as seleções já chegaram e os jogos começaram. Se querem realmente mudar alguma coisa, sugiro pensarem na Olimpíada cujos superfaturamentos estão atrasados e ainda podem ser contidos ou exigirem que as CPIs da Petrobrás no Congresso Nacional, não terminem em pizza pois a abertura dessa caixa preta chamada Petrobrás deve mostrar desvios no valor de algumas Copas das Copas...

Victor Germano Pereira

victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

A ação de vândalos contra a realização dos jogos da Copa mostra que são integrantes de organizações que visam desgastar o Governo Federal. É motivação eleitoral. E mais, a decisão de fazer a Copa no Brasil é de 2007. Por que a agitação só agora? E qual a atitude desses grupinhos quando da preparação dos orçamentos municipais, estaduais e federais, em que as despesas são definidas? É lamentável o que eles estão fazendo.

Uriel Villas Boas

urielvillasboas@yahoo.com.br

São Paulo

*

O metrô teve sua greve decretada pela Justiça como abusiva, ainda assim, continuou sem dar a mínima para Justiça brasileira, porém quem sofre de verdade é o trabalhador que, não tendo como chegar, muitas vezes tem o dia descontado e muitas vezes é mandado embora, sem dizer as diaristas que deixam de ganhar seu suado dinheiro, pois não teve como ir trabalhar. Quem em sã consciência não acha abusiva uma greve dessas?

Marcos Barbosa  

micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

*

INTROMISSÃO FORA DE HORA

Como apresentado no Caderno principal do “Estadão” de 2014, Lula, o "incalável", novamente abre sua boca para palpitar onde não foi chamado para que o Governador Alckmin readmita os 42 baderneiros que foram mandados embora do Metrô por justa causa por terem cometido crimes contra esta empresa. Lula, que sempre foi um baderneiro profissional no ABCD paulista quando metalúrgico, parando fábricas e montadoras naquela região e gerando as maiores confusões agora vem palpitar onde não deve para querer fazer bonito perante estes desordeiros e seus dignos herdeiros de desordens em São Paulo onde sua candidata Dilma e seu candidato Padilha perdem de lavada nas próximas eleições. Estava mais que na hora de Lula se calar para sempre e se recolher em sua tremenda ignorância plena de rancores contra aquilo que ele deixou como herança maldita como: inflação descontrolada, desindustrialização, corrupção, Mensalão, falência da Petrobrás, Dilma, Haddad, cooptação dentro do congresso, programas assistencialistas onde não se ensina a pescar mas sim como já comer o peixe pronto posto no prato e devidamente mastigado, saúde na UTI, educação plena de analfabetismo, transportes e logística de quinto mundo que ele tanto adora, adoração por ditadores sanguinários, construção de portos e outras obras a fundo perdido em Cuba e outros países autoritários ou falidos conotando desvios de nosso rico dinheirinho para fins questionáveis, etc. Seu estilo político é o de criar cabides de emprego como os de mais de 30 ministérios, a grande maioria sem qualquer tipo de função a não ser aquela de desvio de verbas e geração de cabides de emprego para seus amigos diretos e indiretos. Ainda vemos o ilustre advogado de José Genoíno, Dr. Luiz Fernando Pacheco, ameaçar Joaquim Barbosa em pleno STF de forma acintosa e, ao que parece, a OAB apoiar este advogado. Este deve ser um dos motivos da aposentadoria precoce do Presidente do STF. Prisão perpétua aos mensaleiros! Está mais que na hora de a população brasileira dar um basta neste tipinho de político de fundo de poço para que possamos ter algum tipo de esperança de dias melhores para nós e nossas famílias e futuras gerações. Caso contrário nem teremos futuras gerações com que nos preocuparmos!

Boris Becker

borisbecker@uol.com.br

São Paulo

*

O MEDO

Existe um brocado popular que diz “quem tem, tem medo”, com várias interpretações a gosto de quem dele se serve. A mais utilizada traduz o brocardo como “quem tem juízo, tem medo”. Lembrei-me dele com a decisão dos metroviários em suspender a greve que alardeavam continuar a Copa de Futebol em São Paulo, em uma vidente e inescrupulosa chantagem contra o governo estadual e uma inaceitável ação não só contra a população paulistana, como a da região metropolitana da capital. E estava claro para todos nós, que tivemos a felicidade de poder entender, ainda que minimamente, os meandros da politicalha, que ela não representava em absoluto o desejo daquela categoria. Acostumados a terem anualmente reajustes salariais acima dos índices de inflação, assim como neste ano, seus líderes resolveram partir para a chantagem exigindo reajustes muito acima dos índices atuais. O Metrô de São Paulo tem atualmente perto de 9.500 funcionários, que evidentemente não podem se acomodar no local onde realizam as suas assembleias. Portanto, o número de funcionários que votaram pela greve da categoria é muitíssimo menor que o total de funcionários. Quem já acompanhou com atenção as assembleias, como estudante, ou como trabalhador, sabe que as decisões de greves, são decididas por um grupo reduzido da categoria, pois a grande maioria não comparece e, geralmente, os seus líderes conseguem aprovar o que adrede já decidiram em reunião de diretoria. Existem táticas simples para conseguirem seu intento, Além disso, pelo noticiário sabe-se  agora que suas lideranças estão ligadas aos movimentos da esquerda radical, daí o apoio que estão recebendo do MTST e do Movimento Passe Livre e outros. Sendo uma greve indevida e que causava transtornos incomensuráveis à população, em minha opinião, o governador Alckmin teve paciência até de mais, em vista do aumento acima da inflação que já havia concedido. Mas foi usar da autoridade que lhe concede a Carta Magna, exonerando um grupo de funcionários, entre os mais radicais, de pronto acabou com o movimento. O pedido que alardeavam de dois dígitos de reposição salarial para retornarem ao trabalho esvaiu-se, aceitaram o que lhes tinha sido proposto há mais tempo e agora só tentam reverter as demissões de companheiras e companheiros. O ex-presidente Lula já deu seu palpite, aconselhando o governador a reverter as demissões, embora reconhecendo que os metroviários foram além da conta. Entretanto, o prejuízo e o desgaste impostos à população, não poderão ser revertidas, tanto para aqueles que tiveram seus dias descontados em seus serviços, ou quiçá demitidos, como para aqueles que após esperarem por meses uma consulta ou um exame, tiveram que remarcá-los. Eis porque, por justiça à população ordeira e trabalhadora, o governador não deve, e nem teria sentido readmiti-los. Caso em contrário sempre estaremos à mercê dos desejos mesquinhos dos trabalhadores dos meios transportes e outros serviços essenciais à população. Reivindicações justas, de qualquer categoria merecem e devem receber o apoio da população, mas essa dos metroviários merece a repulsa de todos nós.

Gilberto Pacini

benetazzos@bol.com.br

São Paulo

*

POLÍTICO SÓ AFRONTA

O Brasil mais parece uma terra sem lei! E o péssimo exemplo vem da bela e próspera cidade de Americana, interior de São Paulo, em que o prefeito recém cassado por ilícitos praticados na campanha eleitoral, como Diego De Nadai (PSDB) mal deixou o posto juntamente com o seu vice, foi nomeado pelo novo mandatário da cidade Paulo Chocolate (PSC) até então presidente da Câmara, para Secretária de Governo! Pode? Essa classe política brasileira não tem limites, e continua na cara dura afrontando a nossa sociedade. Ainda mais que um ex-presidente da República, como o Lula, à luz do dia, e se lixando para ética, defende e apóia com unhas e dentes seus corruptos presos na Papuda, esses réus do mensalão. O que pretende essa medíocre classe política brasileira? Anarquizar o País?  Outubro está ai! E não podemos transformar mais os nossos votos colocados nas urnas, como se penicos fossem...

Paulo Panossian

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

A Dilma ainda nem se reelegeu e já está reclamando que a oposição está copiando projetos deles, o PT? Mas ela, como todos os petistas, se esquece de que o Lula copiou tudo do FHC e em 2003 ele era contra o Bolsa Família, que agora virou bandeira petista, ou seja, só os outros copiam ou roubam ideias. O PT é mais fominha e mete a mão com vontade como no mensalão. A herança maldita do Lula para a Dilma. PT, saudações

Mustafa Baruki

mustafa-baruki@bol.com.br

São Paulo

*

O MAIOR CULPADO

O senhor Roberto Macedo deve ter se confundido na conclusão do seu artigo na A2 (“O maior culpado pelas taxinhas do PIB”). Em vez de “o governo deveria mesmo é reconhecer os seus erros, pedir perdão e guiar corretamente a economia” deve ter querido escrever “o governo deveria mesmo é reconhecer os seus erros, pedir demissão e abandonar imediatamente a economia”.

Sergio S. de Oliveira

ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

ORGANIZAÇÃO É PROGRESSO

Como profissionais atuantes e membros da Associação Nacional dos Profissionais de Organização e Produtividade - ANPOP - entidade de classe recentemente criada para inicialmente lutar pelo reconhecimento junto ao poder público; divulgar a atividade de organizador profissional; fomentar a qualificação e especialização; estabelecer padrões e conduta ética para com clientes e entre prestadores deste serviço, manifestamos nosso repúdio e gostaríamos de esclarecer as afirmações ofensivas contidas na crônica “Desordem e Progresso”, da jornalista Lucia Guimarães, tais como “Há incautos dispostos a pagar U$ 125 por hora a um profissional cujo serviço é uma pérola do charlatanismo: o organizador profissional”. A atividade do profissional de organização é recente no Brasil, tendo entre os pioneiros, pessoas que atuam 15 anos no mercado. É fato que, de cinco anos para cá, essa prestação de serviço está se tornando cada vez mais conhecida e necessária para uma parcela da sociedade que entende os benefícios da organização para seu ambiente residencial ou empresarial. Nossa atividade é exercida de maneira séria e ética, e só entramos em residências e empresas onde nossos serviços são solicitados. Trabalhamos mediante contrato, especificando os serviços prestados, tempo de execução e valores para realizar um projeto de organização onde as pessoas envolvidas não têm tempo ou não conseguem realizar esta tarefa.

Vale esclarecer que não violamos a privacidade de ninguém, e não enganamos incautos como comenta a colunista. Caberia à jornalista de tão alto gabarito informar-se com fontes mais confiáveis a respeito de nossa atividade, pois certamente explicariam melhor sobre o trabalho e os benefícios que uma organização profissional pode levar à vida de quem quer e necessita da organização. Respeitamos a opinião da colunista sobre ordem e caos - é apenas a opinião dela - porém, não podemos nos calar quando somos chamados de charlatães, principalmente quando um dos principais meios de comunicação deste país escolhe um trecho de teor sensacionalista e ignóbil para a chamada de tal coluna de opinião. Esse jornal tem responsabilidade sobre suas publicações e, para que seus leitores possam conhecer o verdadeiro trabalho dos organizadores profissionais e eles mesmos formarem suas opiniões sobre nossa atividade, nos colocamos à disposição para uma reportagem que trate o tema com o devido respeito. Em nome da Diretoria Executiva e Conselho Deliberativo da ANPOP, Ana Lucia Ziccardi Nogueira

São Paulo

*

O SONHO ACABOU

Dilma Rousseff em todas as suas aparições insiste em afirmar que o Brasil nunca caminhou tão maravilhosamente bem a partir do momento em que eles assumiram o poder e principalmente agora, acredito que ela deve ser como o Lula não lê jornais nem vê noticiários talvez porque lhe dê azia também. Para sua informação: comércio está estagnado, exportações paradas, inadimplência aumentando dia a dia, crédito curto, dinheiro caríssimo, indústria em crise nunca vista, tanto que a maioria está em férias coletivas, demitindo e em programas de PDV, sendo que a Chevrolet programou férias coletivas nas quatro fábricas que possui no País para 100% de seus funcionários. Acorda, Dilma, o sonho acabou

Angelo Tonelli

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

A exemplo do Reino Unido e da Itália, Portugal e Espanha também resolveram incluir no cálculo do PIB recursos gerados por atividades ilegais, como tráfico de drogas, prostituição e contrabando. Ué, assim deixam de ser ilegais, não? Como é que a polícia vai combater uma atividade que passa a fazer parte do cálculo do PIB. É verdade isso? Custo a acreditar.

Panayotis Poulis

ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

NÃO EXISTE INFLAÇÃO

Tenho um plano de saúde Sul America Qualicorp e está aumentando 17,36% ao ano. E ainda tem gênio falando em inflação de 5,6%. Vão ser otários assim lá em Brasília. Na verdade, esta maldita inflação, cada um faz a que quer e ninguém perturba, afinal de contas, não temos ninguém para controlar ou fiscalizar nada, a não ser os assalariados. É lamentável um país dos espertos em todas as áreas.

Antonio Jose Gomes Marques

a.jose@uol.com.br

São Paulo

*

GRAÇAS AS ÁGUAS

São Paulo, sem as chuvas de verão comuns no final e início de ano, passa por um racionamento e a situação é crítica. No Paraná as chuvas já deixaram um trágico saldo de 13 mortos e milhares de desabrigados. Mas o que é péssimo para os paulistas e para os paranaenses é uma dádiva para o governo federal. Itaipu, construída na época dos militares, vai garantir que não haja racionamento, e os paulistas passando sede é tudo o que o ex-ministro Alexandre Padilha precisa para ganhar alguns pontos nas pesquisas.

Luiz Ress Erdei

gzero@zipmail.com.br

Osasco

*

CONSUMO RESPONSÁVEL

Sobre o tema da economia de água, adotei uma providência "doméstica" de reaproveitamento. Instalei um tambor plástico de 150 litros ao lado da nossa lavadora. Ele é enchido com a água já utilizada pela lavadora e que iria para o esgoto. Pela torneira que coloquei na parte mais baixa do tambor, vou utilizando a água para lavar o quintal (tenho cachorros), e, mesmo regar as plantas do jardim, já que os sabões em pó são biodegradáveis e até agora não tive nenhum efeito colateral nas plantas.

Nestor Rodrigues Pereira Filho

rodrigues-nestor@ig.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.