Fórum dos Leitores

GESTÃO HADDAD

O Estado de S.Paulo

20 Junho 2014 | 02h04

Feriado x rodízio

Pela primeira vez desde que Fernando Haddad assumiu a Prefeitura concordei com uma ideia dele: decretar feriado na segunda-feira, dia de jogo da seleção. O colapso no trânsito da última terça-feira mostrou ser essa a medida mais adequada, diante de nosso falido sistema viário. Infelizmente, os vereadores não entenderam assim e a ideia foi engavetada. A reação não tardou: como um garotinho mimado que tem um desejo recusado, Haddad utilizou seu poder para, de forma truculenta, alterar a legislação do rodízio municipal, impedindo de circular durante todo o dia os veículos com chapas de final 1 e 2. Essa atitude me parece, s.m.j., ilegal, pois, se para decretar feriado era necessária a aprovação da Câmara Municipal, a mesma autorização deveria ser necessária para modificar, ainda que por um dia, uma lei em vigor há tantos anos, e que certamente causará muitos transtornos. Esqueceu o ilustre alcaide que nesse dia a cidade receberá uma grande quantidade de visitantes e muitos deles também virão de carro. Mais uma demonstração de incompetência e arrogância, típica dos membros do partido a que ele pertence.

LUIZ SERGIO DOS SANTOS VALLE

luizsergiovalle@gmail.com

São Paulo

Esse decreto da Prefeitura da cidade de São Paulo estendendo o rodízio das 7 às 20 horas na segunda-feira mais parece antecipação de receita.

MARIO GHELLERE FILHO

marinhoghellere@gmail.com

Mococa

Caos no trânsito nos dias de jogo do Brasil? Só por incompetência da Prefeitura, que não se antecipa e propõe soluções simples, como a saída escalonada dos funcionários conforme o tipo de atividade ou aproveitamento das garagens dos shoppings instalando um telão para os funcionários poderem assistir ao jogo sem saírem. Grandes lojas e bancos poderiam tomar atitude similar. E funcionários de escritórios poderiam cotizar-se e comprar uma televisão para assistirem ao jogo e, no final do campeonato, rifar o aparelho entre si, etc. Feriado com o dinheiro do cidadão é que não vai dar. Só se for para encobrir as mentiras dos "ganhos" que a Copa traria, entre eles, a melhoria no transporte público.

FREDERICO FONTOURA LEINZ

fredy1943@gmail.com

São Paulo

TRÂNSITO

Faixas e improbidade

A notícia sobre o aumento no número de autuações por invasão de faixas exclusivas de ônibus (18/6) não é de estranhar. A criação afoita e atabalhoada de inúmeras faixas, sem nenhum critério nem estudos que a justifiquem, leva motoristas de autos particulares a se revoltar e não obedecer à norma do poder público. Entretanto, o mais grave dessa situação, se a minha observação estiver correta, é que transitando pelas ruas se observam funcionários da SPTrans próximos às faixas exclusivas com pranchetas onde, aparentemente, anotam placas de veículos invasores. O Código de Trânsito Brasileiro permite aos municípios, por acordo com o Ministério da Justiça (Denatran), normatizar e fiscalizar o tráfego dentro de suas áreas, indicando nos convênios os agentes autorizados a fazê-lo. Na cidade de São Paulo cabe aos agentes da CET. Se funcionários da SPTrans estiverem anotando placas dos veículos que invadem as faixas e as repassando à CET para ser lavrado o auto de atuação, ou eles mesmos lavrarem tais autos, estes estão eivados de irregularidades e todos são passíveis de ser anulados, podendo os autores da determinação dessa ação ser processados por improbidade administrativa. Que a Polícia Civil ou o Ministério Público da Cidadania tomem as providências que julgarem necessárias.

JOSÉ RENATO NASCIMENTO

jrnasc@gmail.com

São Paulo

Um questionamento fica no ar: os corredores e as faixas exclusivas foram benéficos e vantajosos para a população que usa ônibus ou para a Prefeitura, que assim aumentou, e muito, a sua arrecadação? A indústria das multas para todos os que, por qualquer motivo, os invadam fez superar sete vezes as autuações de 2012, enchendo cada vez mais os cofres da administração Haddad.

ANGELO TONELLI

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

Motoboys

O Brasil é realmente um país sui generis. A presidente travestiu-se (literalmente) de "motogirl" ao sancionar a lei que concede aos motoboys e mototaxistas adicional de periculosidade - que, diga-se, é em grande parte causada por eles mesmos ao transgredirem as leis de trânsito. O nobre deputado Vicentinho, líder da bancada do PT, diz que essa lei era necessária porque só em São Paulo morrem dois motoqueiros por dia, quando não também algum dos passageiros que eles levam. Ora, a lei promulgada na quarta-feira nada faz com relação a essas tantas mortes, a menos que morrer com algum dinheiro a mais na conta bancária seja considerado bom. Fazer algo de realmente efetivo para, se não acabar, ao menos reduzir essa mortandade parece não ser função dos nossos legisladores, tampouco da nossa presidente.

CARLOS FRANCISCO MICHELETTI

cfmicheletti@terra.com.br

Ribeirão Preto

AINDA AS VAIAS

Dilma e Merkel

Recomendo a leitura do artigo de José Nêumanne O baixo calão e o 'ódio ao PT' (18/6, A2) para se entenderem as razões do xingamento a Dilma Rousseff e da ovação à alemã Angela Merkel. Uma verdadeira aula de História brasileira, desde o fracasso diante do Uruguai, em 1950, até a parte "nunca antes vivida neste país".

HONYLDO ROBERTO P. PINTO

honyldo@gmail.com

Ribeirão Preto

Xingar ou agredir?

A propósito da indignação que certas pessoas e autoridades tiveram com as vaias e os xingamentos que Dilma recebeu no Itaquerão, gostaria de relembrar episódio ocorrido há alguns anos durante convenção do PT. Na ocasião, o poderoso petista José Dirceu conclamou seus companheiros de partido a fazerem mais e mais mobilização, mais e mais greve, mais e mais movimento de rua, e concluiu textualmente: "... porque eles têm que apanhar na rua e nas urnas". Pouco depois, o então governador Mário Covas foi agredido a pauladas durante manifestação de grevistas. Pergunto aos indignados: o que é pior, xingar grosseiramente ou incitar a violência física contra adversários políticos?

LEÃO MACHADO NETO

lneto@uol.com.br

São Paulo

MUNDIAL DA FIFA

Adiós, España...

Não é por nada, não, mas o Felipão está com uma cara de Vicente del Bosque...

JOSE ROBERTO IGLESIAS

rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

Cartas selecionadas para ­­o Fórum dos Leitores do portal estadão.com.br

ADIÓS, ESPAÑA

A Espanha chegou com muita pose e está voltando com a crista baixa. Foi o maior furo e a maior decepção desse mundial. Uma vergonha para tanta fama. Aliás, não vão fazer nenhuma falta por aqui. Hasta la vista, España.

Asdrubal Gobenati asdrubal.gobenati@bol.com.br 
São Paulo

*

Os espanhóis estão antecipando sua volta para assistirem à coroação de Felipe VI, o novo "Rei de Espanha". Quando voltarem ao cenário internacional que deixem a arrogância e empáfia de lado. Só lhes fará bem.

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com 
Avanhandava

*

DOIS NÚMEROS

No jogo de futebol entre Chile e Espanha, tinha um jogador do Chile, Arangues, uniformizado com o calção de número 19 e a camisa de número 20. Pode isso? Tratando-se de Copa do Mundo é uma tremenda falha.

Agostinho Locci legustan@gmail.com 
São Paulo

*

SELEÇÃO

Seleção jogando nada. Imagina na Copa!

Luiz Henrique Penchiari luiz_penchiari@hotmail.com 
São Paulo

*

VERDE E AMARELO 

É degradante as cores de nosso país serem mescladas, em propaganda subliminar, com o vermelho dos adoradores de regimes tirânicos e obsoletos. Gostaria de ver nas ruas a explosão de verde e amarelo, em efervescência de patriotismo, torcendo por um Brasil melhor, e não essa euforia alienada, a ser utilizada como trunfo eleitoral de estelionatários da esperança desse povo iludido por esmolas e propagandas enganosas.  Quando o brasileiro vai acordar?

Aparecida Dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com 
São Caetano do Sul

*

O VERMELHO

O símbolo da Copa no Brasil, logo que foi divulgado, suscitou algumas observações críticas em virtude do vermelho ter sido escolhido para colorir os dígitos de 2014 - ano de tentativa de reeleição -, que fazem parte do logotipo. O argumento dos que à época reagiram era de que a referida cor não era uma das representativas da bandeira nacional, com a ressalva simultânea a sugerir que a escolha fora decidida por influência ou talvez determinação da cúpula governamental pertencente ao PT, vermelho, o que dava ao partido uma proeminência indesejável e desnecessária quando se trata de símbolos e tonalidades nacionais, além de politizar uma marca que devia ser mantida ao largo de tais implicações. Entretanto, seria razoável supor que a adoção do vermelho no símbolo não devesse inspirar qualquer tipo de objeção, sendo atribuída tão somente à busca, pelos designers responsáveis pela criação, de uma harmonização estética. Porém, com a crise de confiança, a mãe de todas as crises, entre as inúmeras que estamos vivendo, mais intensa na interação governante-governados e eleitos-eleitores, e nas verborragias originadas do presidente virtual, Lula, que nunca soube de nada e de nada se lembra, ao dar, a todo momento, vazão à sua intenção explícita, desde que assumiu o poder, de dividir a sociedade por meio dos recorrentes "nós e eles" em seus discursos e da recente atribuição desatinada da responsabilidade "dazelite", pelas recentes vaias e xingamentos a  Dilma na Arena Corinthians, que nada expressaram além de  desabafo pela insatisfação com um desastroso governo. Não há como fugir da suposição de que realmente houve uma determinação de incluir o vermelho no símbolo da Copa com fins subliminares puramente políticos. O resultado prático de toda essa manobra visando reafirmar a superposição dos objetivos do PT em detrimento dos interesses do País é o lançamento frequente e desagradável nos rostos dos espectadores de um suspeito conjunto de símbolos vermelhos nas nossas telas. Difícil aguentar.

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com 
Rio de Janeiro

*

VALE TUDO

Se a população de Brasília notar luz de vela iluminando o Palácio do Planalto nestes dias de Copa do Mundo, não se assuste não, não se trata de apagão, tão comum nos últimos meses, e sim de promessa da presidente Dilma Rousseff para que a seleção tenha sucesso no torneio. Depois do futebolzinho apresentado nos dois primeiros jogos, vale tudo para que iminente fracasso não aconteça e atrapalhe na campanha por mais quatro anos de reinado. As últimas pesquisas mostram que o descontentamento popular com a “presidenta” é crescente e, em caso de um fiasco futebolístico, os índices de aprovação tendem a despencar ainda mais. Então não custa nada apelar para uma mãozinha de todos os santos e orixás para que s situação já periclitante não piore e vire um verdadeiro “inferno”. Aí, sim, o “ódio” vencerá a esperança, mas não só da oposição, como sugere o ex-presidente Lula, esim por pelo menos 51% da população.

Sérgio Dafré sergio_dafre@hotmail.com 
Jundiaí

*

DICOTOMIA

Diante da última pesquisa voltada aos que conhecem os candidatos na eleição presidencial, a presidente Dilma despenca na intenção de votos. Desesperados, enquanto de um lado o ex-presidente Lula volta-se ao novo chavão desta feita voltado ao irado "ódio". Aliás, já manifestado pela guru filosófica dos petralhas, Marilena Chaui, que "odeia a classe média", de outro lado confusos até na refração ao apresentar um "pacote de bondades" a essa mesma classe que supostamente tanto os odeia e. Se assim for, não será sem razão, a mesma que produz riquezas gerando empregos e impostos para que eles, os governantes, repitam os mesmos erros por opção. 

Mario Cobucci Junior maritocobucci@uol.com.br 
São Paulo

*

OFENSAS À PRESIDENTE DILMA

Quero deixar claro que sou contra a grosseria de palavrões dirigidos à presidente Dilma, principalmente pela sua condição de mulher e pelo cargo que ocupa. No entanto, as vaias altas e sonoras e em grande número que são dirigidas a ela são legítimas manifestações de insatisfação e altamente democráticas. As reações da presidente e de seu mentor, o ex-presidente Lula, a estas ofensas, sugerindo que o público do estádio não representa o povo brasileiro e sobre luta de classes e críticas culpando a imprensa, é típica do pensamento do PT, partido que está no poder e governa para uma parcela sofrida da população à qual oferece bolsas “tudo” para mantê-los presos a esta situação e sem chances de poder se qualificar para não mais necessitar desta ajuda. Através de seus votos o PT garante a permanência no poder. Todos somos brasileiros, os mal e os bem educados, os ricos, os pobres e a classe média, somos mais de 200 milhões e só falta a presidente Dilma, Lula e todos os petistas entenderem o que significa governar para todos.

Henrique Schnaider hschnaider4@gmail.com 
São Paulo

*

Tem gente que ainda insiste em atacar aqueles que vaiaram a presidente Dilma na abertura da Copa do Mundo. Evocam, até, o princípio da educação para justificar que o coro que a insultou estava movido por um ódio orquestrado, talvez, por “forças políticas de oposição”. É muita hipocrisia, principalmente, se levarmos em conta que a população que entoou o cântico da revolta o fez pensando no alto preço da realização do evento com seus incontáveis bilhões de reais que foram para o ralo levando aposentados, moribundos, transportes caóticos, falta de segurança e uma educação de repreensível qualidade como a nossa. Ódio, presidente, seria pegar um fuzil para praticar crimes e alegar que aquele era um legítimo instrumento de protesto. Como a senhora e sua grei um dia fizeram. Se os torcedores que estavam no estádio a vaiaram e - com um certo exagero, para alguns destes aleivosos adeptos da “paz” - a xingaram, este, sim, foi um jeito de repudiar a grande onda de corrupção que assola o País. E, ainda, bem, usando uma das melhores armas de que se dispõe que é abrir a garganta, coração na boca, peito aberto, sangrando, como pregava Gonzaguinha.
 
João Direnna joao_direnna@hotmail.com 
Quissamã (RJ)

*

MIOPIA
 
Ainda sobre as vaias e o coro entoado pela torcida em São Paulo, Dilma apenas foi a encarregada de levar o recado do povo aos três poderes em Brasília. Estamos cansados de pagar uma conta que só aumenta e nada é devolvido em forma de benefícios à população. O povo não foi consultado se seria bom ter uma Copa ou investimento na saúde e educação. A democracia que é o governo do povo para o povo é bela como frase, mas no Brasil o povo só entra com os votos e a maior carga tributária do mundo, se considerado o nada que se faz com ela. O que o povo pensa do governo federal se resume a quatro palavras cantadas no estádio, o que é péssimo para o País.
 
Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br 
Osasco

*

O ELEITOR, O ELEITO E O ÓDIO
 
Os ex-presidentes Lula e FHC discutem corrupção, proselitismo eleitoral e acusam-se de espalhar o ódio. Não devem se esquecer de que cada um deles governou este país por oito anos e que, direta ou indiretamente, têm responsabilidade pelo ambiente hoje vivido. Fariam melhor se, em vez de cabos eleitorais, fossem catalisadores de um processo de fortalecimento do processo eleitoral e do relacionamento dos políticos com o eleitorado, deixando o embate e a disputa para os candidatos. A democracia brasileira carece de meios para sua sustentação. Não basta eleição a cada quatro anos. É preciso que dela saiam governantes e parlamentares comprometidos com o país e a causa pública, identificados com o povo e por este reconhecidos como seus representantes. Mais importante até do que ganhar eleição é criar condições para que os eleitos assumam seus postos respeitados e prestigiados. Esse é um digno trabalho suprapartidário que os ex-presidentes poderiam executar. Para o bem e a regularidade do País, suas figuras deveriam ser mantidas acima da disputa. Eles já deram seu trabalho e contribuição ao País e deveriam, agora, serem preservados como elementos de equilíbrio; jamais transformados em garotos-propaganda ou gurus de candidatos ou grupos.

Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves - dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo) aspomilpm@terra.com.br 
São Paulo

*

MEMÓRIA
 
A Presidente diz que não se deixará intimidar por xingamentos. Não somos adeptos de ofensas, de falta de educação, de torturas, do cerceamento da liberdade, da mentira, do porte de armas ilegais, do crime contra a pessoa, do crime contra a propriedade.
Enfim somos contra a indignidade de qualquer natureza. A mentira é a forma de tentar acobertar todas as sequelas citadas. A propósito, Lula, em defesa da presidenta, fala em “ódio de classes”. Ora, quem foi o incentivador desse ódio nos últimos tempos? Quem fala em operário como explorado dos patrões? Quem exacerba o racismo ao humilhar os negros e descendentes, oferecendo-lhes favores que os coloca em inferioridade frente a outras raças? A esse cidadão só resta uma pergunta. Hoje, em que classe você se coloca? Pobre ou rica? Operário ou empresário? Declare se quiser.
 
Lígia Maria Venturelli lmfiora@uol.com.br 
São Paulo

*

RESPOSTA AO LULA

Sr. Lula, não temos ódio que as classes menos favorecidas tenham melhorado seu padrão de vida. Temos ódio, sim, da falta de investimentos em educação, em saúde, em saneamento básico, em infraestrutura, só para enumerar algumas das muitas carências da nossa nação. Temos ódio em ler nos jornais e nos meios de comunicação os bilhões que foram gastos em estádios e nessa Copa do Mundo. Investimentos que não trarão nenhum legado para a população brasileira. Temos ódio dos inúmeros escândalos de corrupção nesses 12 anos de governo do PT; Mensalão, Pasadena, entre outros. Temos ódio ao ler que o governo brasileiro investiu bilhões em um Porto em Cuba quando nossos estão sucateados. Temos ódio da complacência do governo do PT com a inflação, que já se aproxima perigosamente do teto, e com esse crescimento medíocre do PIB. Posso não concordar com as palavras que foram dirigidas à nossa presidenta Dilma, mas eu, assim como os milhares de torcedores presentes na abertura da Copa e milhões de brasileiros Brasil afora não iriam hesitar em dar um cartão vermelho para esses 12 anos de PT. Chega de incompetência, corrupção, programas populistas e marketing. O povo espera um governo sério e competente que possa fazer com que esse país realmente cresça. 
  
Fábio Zatz fzatz@uol.com.br 
São Paulo

*

A DIVISÃO DO PAÍS

Salvo engano, a Copa está no Brasil graças ao empenho do ex-presidente Lula. Era evidente e claro o investimento que haveria de ser feito num País com tantas carências. Lamentavelmente a presidente da República foi xingada na abertura da Copa, na Arena Corinthians, em São Paulo. Para alavancar uma campanha eleitoral, diz uma ala do PT, que os xingamentos iniciaram na ala VIP do estádio, onde os “pobres” não estavam. Ora, ser for verdade essa tese, fica mais claro e evidente que a Copa foi feita para os ricos e estrangeiros. E aos pobres cabe a falta de saúde, educação, segurança pública e transporte público. Tentar fazer essa divisão me parece, no mínimo, uma atitude insensata, ineficaz e absolutamente incoerente. Esse é um país unido, mesmo com todas as diferenças de classes que temos e com os problemas que se agravam. Dividir, jamais. 

José Luiz Martineli Aranas jaranas@uol.com.br 
Ibitinga

*

Até a presidente e principalmente o ex-presidente criticaram que falta educação do povo brasileiro, devido às vaias e palavras de baixo calão proferidas quando do jogo de abertura da Copa na Arena Corinthians. Só agora se deram conta que há mais de uma década de desgoverno do PT, se esqueceram da educação, da saúde, da segurança, da moradia e de toda infraestrutura em nosso País? É culpa exclusiva deles mesmos, e agora querem culpar o “ódio de classes”. Se existe, também é culpa deles. Os cidadãos brasileiros aprenderam e já confundem com a falta de educação dos próprios “governantes”, incultos e desbocados que conseguiram degradar grande parte da sociedade brasileira, assumam as suas responsabilidades. Agora será mais difícil o povo mudar. Se habituem às vaias e aos xingamentos, será uma constante até a derrocada definitiva do PT... Que se aproxima!

Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br 
São Paulo

*

A esperança vencerá o ódio que o povo tem por um governo formado por políticos ladrões que desviam para seus bolsos o dinheiro que deveria ser bem aplicado em educação, saúde, segurança e infraestrutura.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br 
São Paulo

*

Primeiro o Gilberto Carvalho diz que o "bicho vai pegar", depois dona Dilma diz que "vale fazer o diabo". Vem o Rui Falcão e diz que  "tudo que dá errado" e que é culpa da imprensa conservadora e da elite dominante. Depois vem o Lula da Silva e alega que a oposição é que está com ódio deles. Vociferando e babando como ele está, podemos ter uma certeza: os bolivarianos estão perdidinhos da silva , não estão achando o próprio rumo. E ainda não devem estar levando em consideração os resultados das últimas pesquisas. Vamos nos preparar para registrarmos fortes baixarias, como nunca visto antes na história deste país. Os eleitores brasileiros saberão filtrar muito bem os acontecimentos até outubro/2014.
 
Antônio Carelli Filho palestrino1949@hotmail.com 
Taubaté

*

CARTA AOS BRASILEIROS II

O ex-presidente Lula é imbatível quando se trata de inverter o sentido das coisas. O ódio entre as classes sociais no Brasil, que Lula acusa a oposição de implantar, vem sendo fomentado há 12 anos por ele mesmo e os comunistas que o rodeiam. Há 12 anos, nas eleições de 2002, Lula publicou a “Carta aos Brasileiros” porque a sociedade brasileira estava receosa do que hoje está batendo novamente à nossa porta. Se o partido do governo tivesse um surto de caráter e ética, e divulgasse aos seus desavisados eleitores uma “Carta aos Brasileiros II”, explicando os reais objetivos da reeleição de D. Dilma, anunciados previamente através do decreto 8243, aí, sim, não haveria segundo turno nas próximas eleições.

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br 
São Paulo

*

A que "ódio" se refere o PT? Àquele que os petistas tem se esmerado em disseminar entre os brasileiros, colocando-nos uns contra os outros através de diversos ardis, como cotas, raças, bolsas, classes sociais, privilégios, discriminação, etc.? Sem contar que, a essa altura de quase três mandatos, a esperança já devia ter sido substituída pela competência.
 
Doca Ramos Mello ddramosmello@uol.com.br 
São Sebastião

*

Encarapitado nos tamancos da soberba, Lula acabará tropeçando na decantada esperteza e se afogando na costumeira verborragia...

A.Fernandes standyball@hotmail.com 
São Paulo

*

DEMOCRACIA SEM POVO

Dilma diz que a oposição quer democracia sem povo, mas que democracia ela quer com o decreto instituindo regime de sovietes de algibeira do PT? Onde e como entra o “povo” nisso? Acredita ela que o PT, o partido mais corrupto e demagógico que temos, tem a exclusividade de representação do “povo”. Estou começando a acreditar que o povo do jogo do Itaquerão, embora sem lisura, tinha toda razão.

Wilson Scarpelli wiscar@terra.com.br 
São Paulo

*

BURRICES DOLOROSAS

A página A3 da edição do dia 15 de junho está carregada de horrorosas verdades e análises sobre os cruéis planos do PT. Acho vital e importante que artigos sobre a lamentável administração petista, seja no governo federal ou em nossa Capital, mereçam justas e implacáveis análises diárias e que sejam publicados em destaque. Claramente, podemos ver bem que nosso Brasil está sendo preparado e aparelhado para o modelo populista venezuelano, de muito baixa qualidade e bem mais que num flerte, transando com tragédias. Mas mesmo sob o infeliz ponto de vista e as terríveis intenções petistas, teremos de reconhecer algo bem mais claro e evidente, e muito mais grosseiro: o maior problema do Haddad e do Tatto é que ambos são extremamente burros, inábeis, teimosos e sociopatas.

Murilo Luciano Filho muarilou@uol.com.br 
São Paulo

*

Lula manda PT apoiar Sarney no Amapá. Uai, essa ninguém entendeu: o Sarney não é das famigeradas "zelites"? Lula não explica uma coisa: quando alguém do povo, adorado por ele, fica doente é atendido no SUS, enquanto o Lula e seus companheiros são atendidos no Sírio-Libanês, um dos melhores hospitais do mundo. Nesse caso, quem é elite?

José Milton Galindo  galindo52@hotmail.com 
São Paulo

*

A atual presidenta Dilma não tem por que se preocupar com a reeleição. Com o advento da urna eletrônica, completamente manipulável, ela já ganhou, muito antes dos votos.
 
Conrado de Paulo conrado.paulo@uol.com.br 
São Paulo

*

BAIXARIA

O voto é mais forte que bala, já dizia Abraham Lincoln, por isso, prestem bem atenção à baixaria diária dos eventuais candidatos a tudo antes mesmo das baixarias oficiais acontecerem pela TV e rádios. Precisamos exercer nosso voto com muito mais cuidado do que antes, para não sermos mais surpreendidos por corruptos travestidos de éticos e pombas da paz.
 
Antonio Jose Gomes Marques a.jose@uol.com.br 
São Paulo

*

Por interesses pessoais os corruptos têm muito mais adeptos dos que se opõem à corrupção, é por isso que o PT está há tanto tempo no poder!

Eugênio José Alati alatieugenio@gmail.com 
Campinas

*

Caiu a ficha do Planalto

O ministro da Secretária-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, confirmando o reduzido senso de humildade do PT, diz tardiamente que ofensa a Dilma, pelos  torcedores brasileiros presente no Itaquerão, não foi (como os petistas queriam fazer entender) só da elite branca. Ou seja, o ministro reconhece que as criticas ao governo “desceram” às classes mais “pobres” também por falta de “contraponto”.  E ainda acrescentou que “dizer que o governo é corrupto pegou”.  Bem, a falta de contraponto, e que o governo é corrupto, estão evidenciadas de forma cristalina nas respostas dos eleitores nas diversas pesquisas de opinião divulgadas com referência a esta corrida presidencial. E o dito “contraponto” por Carvalho (expressão esta propositalmente usada para que o povão não entenda), é a confissão literal de que tampouco Lula, e agora a Dilma atenderam as prioridades da sociedade brasileira.  Porque a indignação é geral e recai sobre a alta da inflação, na falta qualidade na educação, no atendimento a saúde, no transporte urbano, infraestrutura, nas traquinagens contábeis, o escancarado desprezo a ética, incluindo a   excrescente proteção aos seus corruptos condenados do mensalão, e hoje encarcerados na Papuda, etc. Ou seja, somente agora que os petistas estão próximos de perder o direito de continuar no poder por mais quatro anos, é que procuram através do ministro Gilberto Carvalho, passar a idéia de que realmente ouvem e entendem os clamores do povão. E de ex-seminarista também Carvalho não tem nada...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com 
São Carlos

*

Aquele que não se deve nominar diz que vaias a Dilma são "maior" vergonha do País. Ele ainda não se deu conta que a "maior" vergonha do País é sua postura de dono do Brasil e vive dizendo asneiras com uma cara de quem não está nem aí com o povo que o elege. Vergonha são petralhas no poder, os mesmo que desviaram e desviam verbas e mais verbas. Vergonha é ter uma pessoa na presidência que vive pedindo ajuda para governar o País, a cada crise pede ajuda. Enquanto tivermos os mesmos no poder, tudo continuará como está. O pensamento individual deve ser deixado de lado em nome do coletivo, já nos disse um professor de biologia e que adora cuidar do seu ecossistema.  Só temos uma chance de salvar o Brasil e esta passa pela conscientização das pessoas, pois é a soma das atitudes que poderá promover alguma mudança. 

Tanay Jim Bacellar tanay.jim@gmail.com 
São Caetano do Sul

*

Aliança mal elaborada ou precipitada? Ao que parece existem mais divergências do que convergências entre Marina e Campos.
Marina não deixa de expor, já Campos dissimula.
 
Ulysses Fernandes Nunes Jr Ulyssesfn@terra.com.br 
São Paulo

*

VOLUME MORTO

Se Dilma e Lula comparam Alckmin a um volume morto, imaginem o que são Dilma, Lulla, Haddad, Padilha e toda a baixaria do PT que vivem a falar besteiras e ameaçar até de morte o presidente do STF, Joaquim Barbosa. Nem volume morto são. São a podridão do Brasil.
 
Boris Becker borisbecker@uol.com.br 
São Paulo

*

JOAQUIM BARBOSA

O homem que vinha nos dando alguma esperança está deixando
o STF, sob ameaça de morte depois de ter mandado para a cadeia os famigerados do mensalão. A democracia brasileira corre perigo. Estamos, como uma manada, sendo conduzidos rumo a um túnel longo e escuro. Se não houver quem interrompa a caminhada ou feche a entrada, quando sairmos para a claridade,  do outro lado, saberemos que o calafrio que sentimos no escuro foi a mudança de vestimenta. Estaremos usando roupa vermelha e, do lado esquerdo do peito, o broche do PT. No comunismo não se pode falar, quanto mais o abandonar. Quem tentar, encontrará pela frente a "generala, mãe de todas as armas" disposta a levar o incauto para conhecer o "paredon". Precisamos acordar, ficar de olhos bem abertos e reagir a essa tendência insana de levar o País para as trevas. Votem bem nas próximas eleições de outubro.

Alvaro Salvi alvarosalvi@hotmail.com 
Santo André

*

Nossas leis, justiça, são comprovadamente fracas, ineficientes, totalmente destemidas. Basta ver que mesmo após cena ridícula e absurda transmitida pela TV ao Brasil e talvez ao mundo em que o advogado Luiz Fernando Pacheco, defensor do ex-deputado José Genoíno, de maneira grosseira e mal-educada, demonstrando estar alcoolizado, dirigiu-se ao presidente Joaquim Barbosa do Supremo Tribunal Federal (STF). Atitude inadmissível. Contudo, para que o mesmo possa representar contra o advogado, só será possível após eventual denúncia do Ministério Público.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br 
São Paulo

*

O PT conseguiu tirar o Joaquinzão do Mensalão, o maior caso de corrupção no Brasil desde a chegada de Cabral. Agora com o novo ministro os larapios terão vida boa. Infelizmente no Brasil a Justiça tarda e nunca chega, pois sempre tem alguém que meteu a mão dando uma de santo do pau oco. E até um presidente envolvido virou surdo. Lamentável a saída do ministro Joaquinzão. A coisa agora vai acabar em pizza, algo comum em Brasília e vergonhoso para o Brasil.

Mustafa Baruki mustafa-baruki@bol.com.br 
São Paulo

*

Sem Joaquim Barbosa vamos ver como se comportará o STF em relação à sua independência contra os ataques políticos do PT. Não estou otimista.

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com 
São Paulo

*

A ARTE DA MANIPULAÇÃO

Como sempre, o “Estadão” jamais vai colocar qualquer menção ou crítica ao PSDB no Fórum dos Leitores, que na realidade deveria se chamar fórum do PSDB. Mas, como estão colocando em evidência este Sr. FHC, que considero um verdadeiro artista na arte da manipulação da mídia e da memória da classe média, a mais maltratada e enganada por este senhor, vamos recordar só algumas fatos provocado por ele, em quem votei, também enganado pelos donos da informação. Ninguém mais se lembra que foi este senhor que quebrou o País por três vezes. Já esqueceram também da compra comprovada de votos para sua reeleição. Já não se lembram que no governo deste senhor o desemprego girava próximo de 15% da população ativa. Também já esqueceram que quase todas as empresas no Brasil, no seu governo, eram obrigadas a comprar geradores por falta de energia. Não se lembram que foi o governo deste senhor que fez a privatização - até certo ponto necessária -, mas não as das empresas lucrativas, sendo que algumas foram parar nas mãos de seus amigos, além do desvio de R$ 124 bilhões, consequência destas negociatas, que por sinal daria para construir 220 destes estádios de futebol que tanto estão criticando agora. Já esqueceram também que foi neste governo que ocorreram as maiores perdas nos salário dos  aposentados, os quais chamou de vagabundos, sendo ele próprio, aposentado várias vezes. Mas a arte maior de FHC vai muito além do entendimento de um simples cidadão. Como ele consegue unir a mídia em sua proteção, que não noticia fatos como quando ele ainda senador teve um filho com sua amante e jornalista da “Globo” Miriam Dutra, cujo segredo durou 8 anos até vir a público, fato que qualquer outro político jamais conseguiria esconder? Outro fato interessante: os meios de informações jamais deixaram vazar que este senhor recebia salário de forma indireta da Fundação Ford, e esta recebia dinheiro da CIA americana. Mais misterioso ainda é quando os meios de informações após o sucesso do plano Real creditaram a sua execução a FHC, quando era sabido por todos estes jornalistas, da oposição inicial de FHC, neste plano de Itamar Franco. A sociedade continua não sabendo, mas por que será que o Sr. FHC destruiu o projeto nuclear brasileiro, em favor de interesses norte-americanos? Também porque ninguém nunca criticou este senhor como devia, pela sua submissão ao consenso de Washington, no qual defendia que os países em desenvolvimento deveriam participar do progresso global somente no fornecimento de matérias primas, indo completamente contra aos interesses do Brasil. Estas são só algumas considerações que faço sobre este senhor, no qual sempre votei. Ao perceber meu erro, me senti pessoalmente traído, assim como senti traídos os interesses do País. Considerações como estas ainda serão estudadas e desvendadas no decorrer do tempo e descobriremos, assim, por que o interesse de uma pessoa está acima do interesse de um país, de sua população e de seu desenvolvimento. Também saberemos por que este senhor é avalizado por uma minoria que, por enquanto, manipula e desinforma a opinião pública. Em um país sério, isso seria motivo de investigações e consequentes punições. Mas, infelizmente no Brasil, a lei e a Justiça se fizeram para punir o pobre e alguns partidos políticos, convenientemente.
 
Carlyle A. Cunha carlyle.cunha@uol.com.br 
São Paulo

*

FHC completou 83 anos nesse 18 de junho. Sociólogo e professor, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso mantém suas atividades intelectuais e políticas, atento aos desafios contemporâneos globais, ajudando a construir o futuro sustentável do Brasil. Depois de ter vivido planos econômicos fracassados de governos anteriores ao seu, nobre professor e ex presidente de nossa República democrática brasileira, confiarei sempre em sua palavra. 

Vanderlei Pereira De Jesus pvanderlei@hotmail.com   
São Paulo

*

Responsável desde 2001 por gerir a estratégica área de energia do País, parece que a nossa gerente se esqueceu de alguns fatores importantes. Um deles foi o aproveitamento do gás, fundamental insumo para as indústrias, bem como para combustível das térmicas. Parece que o nosso gás vai ficar queimando aí na natureza. Isso para não falar nos atrasos das obras das hidroelétricas, além da falta de linhas de transmissão necessárias, por exemplo, para ligar plantas eólicas prontas aos consumidores. Acho que já está mais do que na hora de mudar a gerente!

Marco Antonio Esteves Balbi mbalbi69@globo.com 
Rio de Janeiro

*

SEM GASODUTOS

Infelizmente a notícia de que o Brasil não tem qualquer projeto para construção de dutos e unidades de processamento, necessários para o escoamento da produção de gás que até 2030 subirá em 68% não incomoda nossos governantes. É assim como construir navios em estaleiros sem ligação com o mar. Um velho crítico da nossa política dizia mais ou menos assim: o só vai dar certo quando for governado por gerentes.

Abel Pires Rodrigues ablrod@terra.com.br 
Rio de Janeiro

*

COMEMORANDO EM PARIS

Chico Buarque de Holanda comemorou ontem 70 anos de vida e está celebrando no seu apartamento em Paris. Porque não em Havana? Não é lá o paraíso terrestre dele e de outros cubanistas que vivem por estas bandas? Discursar é fácil, mas na hora do desfrute...

Ademar Monteiro de Moraes ammoraes57@hotmail.com 
São Paulo                                 

*

TIETÊ PODE FICAR SEM ÁGUA

Com muita frequência tenho lido sobre o problema de água em São Paulo. Porém, o que vejo é que as pessoas lamentam e não apresentam uma solução ou, é claro, uma técnica para pelo menos minimizar o problema. O que sabemos é que a chuva é consequência de evaporação da água do mar ou a transpiração de árvore. A água concentra-se e posteriormente temos a chuva.  O que proponho é estudar um dispositivo para interceptar a corrente de ar contendo água e fazê-la condensar e precipitar antes da formação da nuvem. Provavelmente será necessária a instalação de vários dispositivos para minimizar o problema da falta de água. O Chile está usando essa técnica no deserto do Atacama e tem obtido bom resultado.

Gilberto Jungi Abe gjn_abe@yahoo.com.br 
São Paulo

*

A INTIMIDAÇÃO DO MTST

No último dia 18, 3 mil participantes do MTST se deram o direito de interromper o trânsito da cidade dos paulistanos para pressionar a Câmara Municipal a lhes concederem os terrenos que invadiram, para furar a fila do Minha Casa, Minha Vida, assim como o programa habitacional estadual e municipal. Continuam, assim, impedindo que os demais moradores da cidade produzam parte do segundo PIB do Brasil e responsável por boa parte da verba que os governos destinam para as construções de casas populares. Ou seja, além de furarem a fila dos que esperem democraticamente a sua vez, ainda são responsáveis pela diminuição do número de moradias. Assim, o atual prefeito e os vereadores que costumam atender a tais absurdos demagogicamente pensando nas eleições deveriam atentar para o fato que agradarão cerca de 30 mil invasores, mas desagradarão o restante dos 11 milhões de habitantes. O governador deveria também pensar nisso quando a PM assiste a tantas bagunças sem prender os arruaceiros. A cidade mais importante do País não pode mais continuar convivendo com essa bagunça diária.
 
Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br 
São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.