Fórum dos Leitores

MPL E BLACK BLOCS

O Estado de S.Paulo

21 Junho 2014 | 02h04

E o vandalismo continua

Até quando as nossas autoridades vão permitir que uma minoria irresponsável continue bloqueando avenidas, destruindo bancos, concessionárias de automóveis, etc., infernizando o direito de ir e vir dos cidadãos que pagam os seus impostos, trabalham e querem viver em paz?

LUIZ ROBERTO SAVOLDELLI

savoldelli@uol.com.br

São Bernardo do Campo

A gota d'água

É, até quando seremos obrigados a assistir, impotentes, a esses quebra-quebras que se repetem há um ano sob o olhar impassível dos governantes? Sr. Geraldo Alckmin, estamos cansados dessa leniência no tratamento desses arruaceiros mascarados. Acredito que raros sejam os que têm um pai suficientemente corajoso para tirar a pescoções o filho do meio da baderna. E se a família é insuficiente, que se movam os órgãos policiais, deem-se a eles meios concretos para responder à altura e conter tais atos de bandidagem. Esses black blocs não só intimidam, como perturbam as manifestações pacíficas e, o que é pior, chegam a atingir negativamente o próprio governo, que, engessado diante do anarquismo, aparece fraco, depauperado perante a opinião pública. Isso não pode continuar. Afinal, vivemos num Estado de Direito ou numa espécie de faroeste? Decida-se, sr. Alckmin, e dispense o tratamento adequado à situação. Essa inação não lhe aproveita, mas possivelmente aproveitará a seus opositores. Portanto, não aguarde as eleições. Instale já uma linha 0800, que inúmeros cidadãos levarão sugestões. A destruição de quinta-feira é a gota d'água.

MARISA DARDÉ SAMPAIO AMARAL

gatarada@uol.com.br

São Paulo

Comédia ou tragédia?

Imaginem um filme cômico surrealista em que uma quadrilha, responsável por vários crimes envia uma carta à polícia pedindo-lhe que não atrapalhe a sua próxima reunião. Até aí, é só engraçado. O surrealismo entra em cena quando a polícia concorda com a proposta! Por incrível que pareça, isso aconteceu na cidade de São Paulo. Só que na vida real foi uma tragédia.

MARIO SILVIO NUSBAUM

mario_silvio@hotmail.com

São Paulo

Papel de 'trouxa'

Inadmissível a ingenuidade do comando da Polícia Militar (PM) ao acreditar no ofício do chamado Movimento Passe Livre (MPL) solicitando a não intervenção na manifestação. Desde que as manifestações começaram, há um ano, a população está cansada de saber que a probabilidade de qualquer evento desses descambar para o vandalismo é altíssima. A intenção da carta do MPL pode até ter sido honesta, mas seguramente esse movimento nunca assumirá a responsabilidade pela atitude de vândalos, sejam de dentro ou de fora dele. Que isso sirva de lição, pois passada a Copa esse estado de coisas vai piorar.

LUCIANO HARARY

lharary@hotmail.com

São Paulo

Pueril candura

Nosso secretário de Segurança, Fernando Grella Vieira, demonstrou claramente ainda acreditar em Papai Noel, coelhinho da Páscoa e na cegonha ao acatar e obedecer ao ofício do MPL de que faria uma passeata pacífica e não queria a presença policial.

ANGELO TONELLI

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

Questões sobre a bagunça

Não dá para acreditar que a PM tenha feito acordo com o MPL. Realmente, parece que o coronel Leonardo Torres Ribeiro, comandante de policiamento da capital, e o secretário de Segurança Pública do Estado ainda acreditam em Papai Noel. Impressionante a liberdade com que os black blocs agiram e depredaram tudo o que encontraram pela frente. Pergunto: onde estava o sr. Alckmin, que não deu ordem explícita para que os policiais aparecessem? Então, um grupelho de radicais pode amedrontar e dar prejuízo a uma parte da cidade e a Segurança nada faz? E desde quando acham que podem confiar nesses pirralhos, que tanta bagunça fizeram no ano passado e ganharam grande exposição por causa de suas reivindicações, que se sabe serem prejudiciais a todos os cidadãos, pois a falta do aumento (no preço das passagens de ônibus e metrô) está forçando os governos estadual e municipal a usar mais dinheiro para cobrir os furos? Será que a PM ficou com medo dos jornalistas que os demonizaram por cumprirem a sua função, que é proteger a população?

MARIA TEREZA MURRAY

terezamurray@hotmail.com

São Paulo

Acordo de cavalheiros...

Gostaria muito de entender a posição do coronel Torres Ribeiro de respeitar o tal acordo com o MPL. A partir do momento em que a primeira pedra foi arremessada contra um estabelecimento, qualquer "acordo de cavalheiros" deixa de existir, isso é óbvio. É essa a imagem que a polícia deseja mostrar ao mundo? Sim, porque todos os olhos estão mais voltados ainda para nós. E o que dizer da sua função, que deve ser a de nos proteger de atos como os vistos anteontem? Toda a imprensa estava presente, alguns protegendo-se com capacetes, como numa guerra civil. Quem vai explicar? Quem vai arcar com os prejuízos? E como assim, ninguém foi preso? É incompreensível! Infelizmente, chego à conclusão de que estamos, sim, num país de ninguém, sem comando, sem pulso firme, sem autoridade, onde mascarados se infiltram em atos pacíficos e saem destruindo tudo à sua frente porque sabem que sairão impunes.

ANNIE BRITT FISCHER

annie@atenuasom.com.br

São Paulo

Reaja, Alckmin!

Mais uma arruaça dos black blocs, cenas lamentáveis, com a costumeira quebradeira numa loja de veículos caros, que deixa a impressão de uma polícia totalmente despreparada por aceitar a oferta de uma passeata comemorativa do MPL, que cuidaria para ocorrer em ordem. A PM estava nos quartéis e não tinha um único elemento infiltrado entre os arruaceiros para, ao menor sinal de início da quebradeira, avisar seus parceiros para entrarem em ação? Mesmo sem intervir, a PM deveria ter acompanhado o "passeio" para fazer cerco aos baderneiros que invadiram a loja e prender todos. O que se espera de uma polícia já cansada de enfrentar tais situações é que tenha tática, eficácia e eficiência no combate a esses arruaceiros e não aceite placidamente "acordos" com grupos que usam tais manifestações com intenções políticas porque sabem do medo de Alckmin de ordenar que a PM aja com o rigor necessário, medo de que a ação policial possa resultar na morte de um baderneiro. Reaja, Alckmin, faça como na greve dos metroviários e decida! Ou acabará perdendo eleitores para concorrentes que não merecem nem ter o nome mencionado.

LAÉRCIO ZANINI

arsene@uol.com.br

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadão.com.br

VANDALISMO

Se alguém arrombar a porta de minha casa e entrar com um cano de ferro e começar a bater e destruir tudo, qual deve ser a minha reação?  Há uns vinte anos, visitando a África do Sul, me impressionei com avisos nos portões das casas dizendo: “Se ultrapassar sem autorização, resposta armada”. As cenas de ontem, em Pinheiros, quando arrombadores destruíram os carros de uma concessionária, sendo que um deles portava um pesado extintor de incêndio como arma de ataque, deixaram-me revoltado até a alma. E não apareceu nenhum policial militar. Se a resposta for armada, ou seja, eu, no primeiro caso, ou o responsável pela concessionária, no de ontem, atirarmos em defesa estaremos agindo ou não em legítima defesa? Penso que será necessário liquidar o primeiro bandido para acabar com essa vergonha.

 

Alberto Martinez alberto.martinez@terra.com.br 

São Paulo

*

Cantar o nosso hino nacional à capela tem um significado especial de protesto em relação à ordem da Fifa. Na mesma linha, todos os dias temos protestos que acabam em vandalismo. No último dia 18, os torcedores do Chile invadiram a sala de imprensa do Maracanã destruindo muitos bens. No dia 19, dois protestos no fim do jogo, na marginal Pinheiros e arredores, tiveram vandalismo de tal ordem que agências bancárias e concessionária de carros estavam totalmente destruídas. Usaram carrinho de mão de pedreiro, extintores de incêndio para promover o quebra-quebra. Junte-se a isso o Movimento Passe Livre, que fechou as duas pistas da marginal Pinheiros, incendiando lixo, destruindo o que viam pela frente. Tenho 70 anos e sequer consigo marcar uma consulta médica cardiológica, pois não consigo chegar no horário. Ouço dizer que a prefeitura passou a limpar o xixi e o lixo de Vila Madalena. Pergunto: até onde vamos parar? Será que um dia teremos paz? Pois há um ano nos foi prometido que fariam o "diabo" para conseguir ficar no poder. Será que voltamos aos anos de chumbo? Fifa virou nossos governantes?

Maria de Mello nina.7mello@uol.com.br 

São Paulo

*

FALTA DE AÇÃO

Por que não agir com firmeza preventiva e prontidão para coibir rápida e seriamente assim que começam essas marchas? Por que esperar que comecem as injustificáveis e ilegais ataques a pessoas, transeuntes, e outras pessoas que livremente tem o direito sagrado e constitucional de ir e vir? E os ataques a bancos e concessionárias? Tudo isso mostra inércia e fraqueza do comando da Polícia Militar de São Paulo, seja de seu comandante, seja do governo do Estado, seja do secretário de Segurança Pública. Tudo isso também aumenta cada vez mais a sensação de impunidade, por um lado, e de insegurança do cidadão, das empresas, ou seja, do povo como um todo.

Sergio H B Freire sergio.hbf@terra.com.br 

São Paulo

*

Comportamento da torcida chilena foi uma verdadeira selvageria, quebrando tudo que via pela frente. Apoio a decisão de deportar esses vândalos.

Wagner Monteiro wagnermon@ig.com.br 

São Paulo

*

Pelo menos 85 "torcedores" chilenos que invadiram o Centro de Mídia da Fifa no Estádio do Maracanã irão ver o sol nascer quadrado.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com 

Jandaia do Sul (PR)

*

Como é que um grupo de 88 torcedores conseguiu entrar no Maracanã sem ingresso? Fui assistir ao 1º jogo da Copa no Maracanã e tive de mostrar o ingresso em duas barreiras, distantes 100 metros uma da outra. Na 2ª barreira falei que já tinha mostrado o ingresso na 1ª barreira e disseram: "Senhor, estamos cumprindo nosso dever". Alguém não cumpriu seu dever, no caso dos chilenos. Ou então é tudo mise en scene.

Panayotis Poulis  ppoulis46@gmail.com 

Rio de Janeiro

*

COSTA RICA BATEU FÁCIL A ITÁLIA

A Costa Rica, assim como foi contra o Uruguai, passou por uma Itália em que apenas um boleiro mostrou futebol, Pirlo, como sempre com seus passes certeiros, mas um pouco sozinho e desanimado com a atuação da equipe, principalmente após fazer um lançamento perfeito para o Balloteli que perdeu um gol  incrível  e  sumiu, talvez envergonhado pela grossura mostrada no lance. A isso soma-se várias saídas hesitantes do Buffon, como a  que ficou no meio do caminho e tomou  o gol costarriquenho,  o que não é comum nesse goleiro e talvez mostre a ele a hora da aposentadoria. Foram coadjuvados por um Chiellini que tivesse um nível de futebol do tamanho do nariz teria se antecipado e cortado o cruzamento fatal, além de cometer um pênalti não marcado pelo árbitro. O resto do time nem merece comentários. Muitos reclamaram que com o pênalti seria um resultado de 2 x 0, mas tal não aconteceria porque o lance do gol foi talvez um minuto depois, se muito, assim como o ainda  pênalti teria de ser batido e poderia não resultar em gol. A Itália corre o risco de não passar para outra fase, porque terá que brigar com o Uruguai pela vaga, e, quanto a Costa Rica, sei lá, pode ir em frente, até onde não sabemos, como cair na próxima fase e ser o que chamamos de “cavalo paraguaio”.

Laércio Zannini  arsene@uol.com.br

São Paulo

*

ZEBRAS

Com a eliminação precoce, ainda na primeira fase, da campeã mundial Espanha e da Inglaterra, a "Copa das copas" é a Copa das zebras!

J.S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

A ESPANHA SAIU DE CENA

Pena a derrota de uma Espanha vencida pelo tempo que não perdoou algum de seus boleiros como Xavi, aquele baixinho que enxergava o jogo como ninguém e fazia  a bola deslizar certeira  pelos gramados,  junto com seu parceiro Iniesta era uma dupla “nanica” só no tamanho,  mas grande na qualidade do futebol jogado e  somados a garra de um Puyol, e a segurança do goleiro Casillas,  fizeram da “Fúria” uma seleção de respeito após ganhar duas Eurocopas e um Mundial. Uma pena, porque quem gosta do bom futebol lamenta esse fim de ciclo e não festeja como alguns jornalistas brasileiros cheios de empáfia e prazer, como vejo agora o apresentador do noticiário matutino de uma TV encher a boca para comentar o desastre espanhol consumado pós-derrota para um Chile, que só parece  bom, mas é  freguês de caderneta do Brasil. Sou  descendente de italianos, portanto nada a ver com a Espanha, mas sua débâcle deixou em mim  tristeza igual quando o Brasil de Telê caiu em 82. Coisa de “futebólatra”, só isso.

Laércio Zanini arsene@uol.com.br

São Paulo

*

PATRIOTISMO QUADRIANUAL

É comovente andar pelas ruas e ver tantas bandeiras do Brasil, casas e lojas enfeitadas de verde e amarelo. Um patriotismo relâmpago que só pode ser visto a olho nu em cada quatro anos, tipo meteoro mesmo. Triste ter a certeza que ao acabar a Copa todo este arsenal vai pro lixo. E se a seleção canarinha cair fora do torneio, vamos ver muitas bandeirinhas de haste de plástico de retrovisor de carros esparramadas pelo chão. Num país de corrupção, desmandos, injustiças e violência, o povão se agarra numa seleção como se fossem os 12 apóstolos da salvação. Acaba a Copa, cai por terra o castelo de sonhos que o povo cria em suas pobres e ingênuas mentes. E os políticos nos camarotes Vips das arenas da vergonha riem da nossa cara.

 

Célio Borba borba.celio@bol.com.br

Curitiba

*

O desumano horário de 13h para uma partida de futebol não foi repudiado pela mídia por causa dos interesses comerciais. Talvez só chame a atenção quando os jogadores começarem a desmaiar em campo nas próximas rodadas.

Luiz Roberto Da Costa Jr. lrcostajr@uol.com.br

Campinas

*

OBSERVAÇÃO DE UM FALASTRÃO

Diz o falastrão secretário Gilberto Carvalho que as vaias/xingamentos de que foi alvo dona Dilma Rousseff - merecidas - não partiram só da "elite branca". Entendo que elite não tem cor, ponto; se não é assim, há, no mínimo, uma discriminação politicamente incorreta. Então, Sr. secretário, o que quis dizer com "elite branca"? O que é e quem integra a classe da elite branca? Se os impropérios não partiram apenas da "elite branca", então que outra elite participou da manifestação? Isso, honesta e corajosamente, precisa ser esclarecido, pois é o povo brasileiro frequentador de arenas que está sendo envolvido.

Pedro Luís De Campos Vergueiro pedrover@matrix.com.br

São Paulo

*

Gilberto Carvalho, a eminência parda do governo, faz declarações enigmáticas sobre os xingamentos dizendo que "a coisa desceu", que não é só a elite branca que está xingando como disse Lula, que não há contraponto, etc. Parece até coisa de oposição. Crise de identidade petista? De fato, é tamanho o fracasso desse governo e a decepção com o País que Lula e seus camaradas podem ter conseguido o inimaginável: separar o P do T, privilegiando os corruptos e desocupados, e afastando o partido da sua verdadeira base trabalhadora.

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

ELITE BRANCA

Ao ler as infelizes declarações do Ministro Gilberto Carvalho, que discrimina a parte da população que carrega este país nas costas, trabalhando e pagando impostos abusivos, gostaria de lhe responder que eu prefiro ser parte da elite branca, do que da gentalha parasita vermelha.

Fernando Fenerich ffenerich@gmail.com

São Paulo

*

ESSA COISA

De acordo com o todo poderoso ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência, “essa coisa de que somos um bando de aventureiros que veio se locupletar desceu” e está atingindo a classe dos eleitores petistas. As ofensas ao governo, completou Gilberto Carvalho, não são mais exclusividade da elite branca.  O ministro entendeu que o governo de D. Dilma não conseguiu provar o contrário à sociedade brasileira e enxergou alguns passos à frente dos narizes empinados que caracterizam o entorno da presidente. Digo mais: “essa coisa” faz muito tempo que ronda a política brasileira, tanto que chegamos onde chegamos e pessoas de bem não se candidatam mais a cargos políticos. Com a falta de líderes verdadeiros e exemplares vem a falta de ideias, a estagnação, o marasmo, o desinteresse, o desânimo e o pessimismo em que se encontra toda a nossa sociedade.

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

A Dilma foi só o endereçamento. Aquele vai tomar no c... foi para o PT e para o governo em geral.  Foi para os mensaleiros do PT e para todos os corruptos do PT que estão no governo e fora do governo. O povo começou a tomar no c... em 2002 e continua tomando. A pancadaria será diária sim, Sr. Gilberto Carvalho, até que o povo para de tomar no c...!

Arcangelo Sforcin Filho arcangelosforcin@gmail.com

São Paulo

*

A seção do Senado, na quarta-feira 18, mais parecia um velório onde carpideiras travestidas de pitbulls hidrófobos investiam ferozes sobre uma hipotética "elite branca" que havia vaiado e xingado a presidente da República Dilma num ato de selvageria e ofensa à figura de uma mulher. Senadores do PT usaram a tribuna, principalmente o senador Humberto Costa (PT-PE) líder da bancada do governo e  a senadora Vanessa Grazziotini (PT-AM) menos defendendo a "imolada do Itaquerão" e mais exaltando as maravilhas das realizações do governo com seus 30 bilhões gastos nas "arenas" da Copa. Para tornar a seção mais paroquial possível, ocupava a Presidência do Senado o senador Eduardo Suplicy (PT-SP) que engrossava a lamuriosa seção reforçando o momento de loas e hosanas à presidente. Depois do Itaquerão, o pessoal do PT está de luto obsequioso. O pânico nas hostes petistas só é comparado à presença de uma raposa no galinheiro. Azedando mais ainda o molho Gilberto Carvalho, eminência parda no governo disse que os xingamentos e vaias a Dima não partiram só da elite branca mas de todas as classes de trabalhadores transportadas como gado de corte; dos pacientes do SUS que procuram os hospitais públicos para salvar a vida e encontram a morte; de toda a população que não suporta mais tanta corrupção, tanto mal uso de bilhões beneficiando até países estrangeiros. É a vaia que é representada por uma única vogal, mas que pode representar o necrológio de um poder sem a mínima condição de continuidade.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

XINGAMENTO

Não acredito que o ministro Carvalho andou de metrô. Deve ter ido e voltado de jumento, a declaração que o xingamento a Dilma desceu às classes mais pobres é típico dos petistas em pânico. É muito risco ele querer andar de metrô, pois, se reconhecido, poderão dar um tapa na sua cara de pau.

Rodolfo Fiorilo rofiorilo@uol.com.br

São Paulo

*

HOMBRIDADE

Ao menos o secretário geral da Presidência teve a hombridade de reconhecer, por testemunho próprio, que as vaias à presidente Dilma não vieram somente da "elite branca", infeliz e retrógrado termo declarado pelo ex-presidente Lula com claro objetivo de estimular a luta de classes. Está na hora de o PT começar a se rediscutir e, para isso, é premente que algumas figuras saiam de cena, a começar pelo ex-presidente.

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

JUSTO ELOGIO

As palavras dirigidas à presidente na abertura da Copa não eram ordens. Era apenas uma sugestão. Afinal, vivemos numa democracia e a liberdade de expressão ainda não foi revogada. E a presidente, pela resposta dada posteriormente de que sofreu mais na ditadura, me deu a entender que era bastante familiarizada com o assunto e não parecia abalada caso fosse materializada a sugestão. Quanto ao Lula, a internet já divulgou inúmeros vídeos de reuniões do PT que ele participou, e aquele xingamento proferido no jogo era vírgula perto do que ele vociferava nas referidas reuniões. Então poupe-nos desses arroubos de moralidade e sensações de injustiça.

Paulo Henrique Coimbra De Oliveira ph.coimbraoliveira@gmail.com

Rio de Janeiro

*

Já que estão voltando com o discurso sobre culpar parte ou tipo de elite nas vaias e xingamentos em eventos onde comparecem as autoridades do País, aproveito a oportunidade para perguntar: Que parte ou tipo de elite xinga jogadores, técnicos, árbitros e dirigentes de futebol? Que parte ou tipo de elite joga moedas no campo para protestar contra jogadores e técnicos de futebol? Que parte ou tipo de elite solta rojões após os gols dos jogos realizados às 22h, enquanto o cidadão trabalhador precisa dormir para poder acordar de madrugada? Que parte ou tipo de elite vai aos encontros na avenida paulista promover baderna após a vitória do seu time no campeonato? É importante ter a consciência da necessidade de cada cidadão entender que existem direitos e deveres para todos na sociedade, portanto a educação é a mola que alavanca tudo isso, então chegamos à conclusão que ela não é privilégio de classes. “A educação do homem começa no momento do seu nascimento; antes de falar; antes de entender, já se instrui.” - Jean-Jacques Rousseau.

 

José Luiz Martin jluizmartin@yahoo.com.br

São Paulo

*

LEONARDO BOFF

A defesa que esse senhor faz da Presidenta Dilma Rousseff é bastante suspeita, vindo de onde vem. Há que se lembrar V. Sa. que no ano de 2008, a atual ocupante do cargo de 1ª mandatária, então, na chefia da Casa Civil, juntamente com a sua amiga desonesta Erenice Guerra, tentaram desmoralizar a emérita antropóloga Dra. Ruth Cardoso com estapafúrdias e mentirosas denúncias em um dossiê que foi repudiado por todos os brasileiros de honra. Em todos os estádios que D. Dilma ou seu criador forem serão de prontos vaiados, tão logo sejam anunciadas suas presenças.

 

Schindler Pedroza s_paschoal@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

O grande slogan dos governantes ao qualificar o público que compareceu na abertura da "Copa Das Copas" foi avaliado da seguinte forma: quando canta à capela é povo brasileiro, mas quando vaia é elite paulistana. Os números desmentem os xingamentos atrabílis de Lula sobre os brasileiros que foram ao Itaquerão onde 60% eram convidados da FIFA e os demais 40% eram, em sua maioria, pessoas convidadas do governo e das estatais. O governo e a Fifa não escolheram bem seus convidados vindos de várias regiões desse Brasil, pois envergonharam o ex-presidente achincalhando a sua "presidenta". E Lula achincalhou. Bem, nós já sabemos.

Leila E. Leitão

São Paulo

*

BOLSA JUIZ

A presidenta Dilma precisa urgentemente conversar com o presidente da Fifa, Joseph Blatter, para escalar no próximo jogo do Brasil contra Camarões o juiz japonês Yuichi Nishimura.  Vai ter de funcionar o "bolsa juiz", pois com esse timinho, Felipão, não vai a lugar nenhum. Só envergonhar os brasileiros.

 

Arnaldo Luiz de Oliveira Filho arluolf@hotmail.com

Itapeva

*

FELIPÃO, O FINANCISTA

Não consigo enxergar os 10% que nossa seleção de futebol tem melhorado a cada jogo como afirma nosso financista, ou melhor, técnico Felipão. Já não bastam os 11% a.a da Selic. De dez em dez por cento o Felipão vai inflacionar de tal modo esse negócio, que é de curtíssimo prazo, que será necessário um choque de competência urgentemente.

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

*

TREM BALA

 

No Brasil da corrupção e da impunidade, mas o desgoverno, que arrecada trilhões, não cumpre o que promete. O PAC internacional, que foi a Carta de Intenções para promover a Copa do Mundo e as Olimpíadas, é rico de promessas, mas pobre em realizações (tudo feito de última hora e com preços superfaturados - o que se faz com R$ 10, aqui se gasta R$ 20 e ninguém é responsabilizado nem punido). Tivemos sete anos para providenciar as arenas e a infraestrutura - tudo prometido por escrito, mas só as arenas estão em condições. É lindo e gratificante ver a festa nos estádios quando estamos numa vitrina internacional. Graças à hospitalidade, à receptividade do povo brasileiro, o problema é amenizado e os eventos acontecem, pois se dependesse só do desgoverno, seria um fiasco.

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

*

LIDERANÇA

O homem sempre viveu em grupos, desde o início de sua existência. Esses grupos podem ser chamados de bandos, tribos, vilas, sociedades, países etc. E sempre necessitou ter alguma forma de liderança para seu desenvolvimento, proteção, organização e definir a sua forma de sustento. Quanto melhores os líderes, mais sucesso esses grupos tinham e melhor viviam. Alguns líderes ficaram para a história e são cultuados até hoje pelo seu grupo, em função de seu valor, código de conduta e ética e legado que deixaram para seu grupo. Isso vale também para empresas e famílias. Essa é a nossa grande falha. Não temos liderança decente. Nosso país é governado, legislado e julgado pelo que há de pior em nosso grupo (gente corrupta, picareta, mentirosa). Escolhemos e cobramos mal de nossos líderes e acabamos por nos transformar em seres tão medíocres quanto nossos líderes. Mas, aos poucos , vamos percebendo esse quadro. Será que nas próximas eleições teremos a consciência de começarmos uma transformação?

 

André L. Coutinho arcouti@uol.com.br

Campinas

*

Um tsunami vai varrer o PT. Que comece por São Bernardo e se desloque para Brasilia.

 

Robert Haller robelisa1@terra.com.br

São Paulo

*

PERGUNTA

Não é por nada não, apenas curiosidade. Em qual das partes, Sr. Lula, o senhor se encaixaria? Bonita ou feia?

J.Perin Garcia jperin@uol.com.br

São Paulo

*

COMPRA DE VOTOS

Com absoluta certeza, sem medo de errar, a mando de Lula e com a finalidade de reconquistar os votos perdidos por Dilma para presidência, determinou, ordenou o prefeito de São Paulo Fernando Haddad, mediante seus longos tentáculos, tramar uma maneira de interferir no Plano Diretor para beneficiar cinco ocupações do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), dando dessa forma início à compra de votos perdidos.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

Do que adiantou aprovar o “Novo Código Florestal”, se na primeira invasão de sem-teto na cidade de São Paulo o prefeito Haddad transforma os poucos mananciais ainda preservados em terra ocupada? A mídia já comprovou que os organizadores do MTST cobram diárias aos sem-teto pelo local invadido e quem não pode pagar precisa sair. Outros fizeram dessas invasões ótimo negócio, vendendo seu terreno por até R$-20,0 mil. Quando Erundina (ex-PT) foi prefeita em SP aconteceram invasões na beira das nossas represas com anuência do PT, que sem saneamento transformaram em esgoto a céu aberto. Os paulistanos deveriam apoiar o projeto do vereador Gilberto Natalini do PV, que propõe áreas degradas para construção de casas populares, como nos bairros do Brás, Glicério, Luz e Pari. Mas será difícil o prefeito Haddad mudar seus planos, já que o MTST é braço direito e esquerdo do PT e não receberia nada em troca, já que nesses bairros os terrenos já têm dono. A cada rateada do paulistano que elege um petista, São Paulo fica com as desastrosas consequências. Do que adiantou então o novo “Código Florestal”? Engaveta tudo.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

SUPREMO DOMINADO

Com a saída do ministro Barbosa, um dos últimos baluartes desta República, e a nomeação do ministro Barroso como relator do Mensalão, parece final da Copa, festa na Papuda, no PT. Advogados bem remunerados dos mensaleiros deverão sair em carreata com caminhão do Corpo de Bombeiros, cedido pelo governador petista do Distrito Federal. Conforme contribuição do ministro Barroso, devemos ter no Supremo vários pontos fora de uma reta, deve ser nomeado mais um com a saída do ministro Barbosa, o qual já deve estar escolhido. Ministros, estamos de olhos em vocês, vamos começar a sentir isto a partir daquelas sentenças intelectualizadas, que a inteligência mediana do povo trabalhador e pagador de impostos não entende.

Ferdinando Perrella fperrella@hotmail.com

São Paulo

*

Pela primeira vez nessas dezenas de anos que acompanho diariamente meu “Estadão”, uma crítica severa devo fazer: devia ser na capa e não na segunda página o texto intitulado "Por favor, um melhor Supremo"  do insigne desembargador Aloísio de Toledo César.

Attilio Cerino attiliocerino@yahoo.com.br

São Paulo

*

Lúcida e muito bem feita a matéria do desembargador aposentado

Aloísio de Toledo César.  Está de parabéns.  Será que os brasileiros não leem e apoiam uma publicação tão bem feita? Acorda, Brasil.

Kate Salles Milani katemilani@hotmail.com

São Paulo

*

PRESSA SUPREMA

Como "quem está preso tem pressa", vem aí o Padeim - Programa de Aceleração de Deferimento de Embargos Infringentes dos Mensaleiros.

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

ENDIVIDAMENTO DO BRASIL

Conforme matéria do “Estadão” (19/06, A3), o Brasil é um dos emergentes com a maior dívida pública seguindo o padrão brasileiro de 56,8% do PIB , ou  66,3 % do PIB, conforme padrão do FMI. Qualquer que seja o padrão adotado, a posição brasileira na posição 20 ou 24 é preocupante, se comparado com a maioria dos 29 países emergentes. E outro detalhe importante é que os juros pagos pelos títulos da dívida são os mais elevados do mundo se comparado com as maiores economias, como a dos EUA, França e Alemanha, que têm dívidas bem maiores que a do Brasil. E para complicar mais o cenário econômico, o déficit da nossa balança comercial de janeiro a maio foi US$  4,85 bilhões  ( US$ 5,38 bilhões em 2013), e que poderia ser bem pior se não fosse o agronegócio que funciona de verdade. Em suma, é o preço que o País paga pela falta de planejamento estrutural, pois é impossível melhorar o equilíbrio econômico em que 75% do orçamento federal é para pagar salários e benéficos, segundo o consultor econômico Raul Veloso (10/03, B12).

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

IMPORTÂNCIA DO PIB

O artigo do economista Roberto Macedo, publicado (19/06/14) no “Estadão” com o título “Por que um PIB bem maior” ilustra bem o erro crasso que cometeu o governo petista nestes 12 anos ocupando o poder no Planalto, porque somente se preocupou e demagogicamente incentivar o consumo interno, e desprezou realizar investimentos em infraestrutura, que certamente elevaria o crescimento econômico, que é pífio, e ainda reduziria o custo da produção, distribuindo maior renda. E para não ficar só na retórica, Macedo dá um exemplo, do porque o Brasil precisa urgente alavancar o PIB.   O reino Unido, com seus quatro países, e apenas 63,6 milhões de habitantes tem um PIB de US$ 2, 476 trilhões, e uma renda per capita de US$ 38.931, Já o Brasil com 198 milhões de habitantes, e um PIB de US$ 2, 253 trilhões, tem uma renda per capita de apenas US$ 11.339. Ou seja, 3,5 vezes menor do que o Reino Unido. E se analisarmos também que a carga tributária do Brasil, e do Reino Unido está em torno de 36% do PIB, o setor publico brasileiro por habitante fica com apenas US$ 4.082, para atender as prioridades da Nação, e os governos do Reino Unido contam neste quesito com US$ 14.015. Não por outra razão que a qualidade da educação, serviços de saúde, transporte urbano, e infraestrutura geral são infinitamente melhores do que desta terra tupiniquim. Fazer o quê?!  Só nos resta cumprimentar o excelente e oportuno artigo do Roberto Macedo e lamentar o retrocesso econômico que os governos petistas proporcionaram ao nosso país. 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

O governo petista, que adora criar despesas para onerar o custo das atividades produtivas dos contribuintes, bolou um bom truque para reduzir a presença dos motoboys no trânsito urbano: obrigar os empresários do setor a pagarem 30% sobre o salário dos condutores, a título de periculosidade.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

SETENTÃO

Parabéns ao grande Chico Buarque de Holanda pelos seus 70 anos de vida. Chico é um dos maiores artistas do Brasil de todos os tempos. Suas canções são pura arte, com poesia, ritmo, sensibilidade, emoção. Ele traduziu como poucos a alma carioca e brasileira em seus sambas. É daqueles que nos dão orgulho de sermos brasileiros. E, como se não bastasse seu imenso talento, é bom de bola, um artista engajado, de esquerda, que sempre esteve ao lado do povo e torcedor apaixonado do Flu, no Rio.

 

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

Muito importante para a História a informação dada pelo vice-presidente americano, veiculada pelo Jornal Nacional, que os arquivos daquele país sobre o período do regime militar serão abertos ao público. Só assim saberemos, de fonte imparcial, sobre sequestros e roubos naquele período, por parte do terror. Quem sabe apareça um "troco" daquele milhão de dólares do cofre do Adhemar.

Roberto Viana Santos rovisa681@gmail.com

Salvador

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.