Fórum dos Leitores

REJEIÇÃO POPULAR AO PT

O Estado de S.Paulo

22 Junho 2014 | 02h04

O sincericídio

Mea-culpa é um tipo de exercício que o PT jamais fez ou fará, dada a arrogância inerente a seus membros. Gilberto Carvalho teve um momento de "sincericídio" e acabou contradizendo aquele cujo nome não se deve mencionar, sobre o mimo feito pela "elite branca" à presidente na abertura da Copa. Mas a única razão para o "ato falho" é fortalecer a aceitação do Decreto 8.243 e, de quebra, o marco civil para calar a imprensa. Isso ficou claro quando Carvalho culpou a "pancadaria" da mídia, que, segundo ele, "desceu" até as classes mais baixas. Alarmada com a espontaneidade, a tropa já se pôs a postos para tentar reverter o estrago: o vice-presidente do PT sugere explicitamente a pena de morte para vários jornalistas "rebeldes" e nova pesquisa do Ibope "subindo" Dilma Rousseff e rebaixando Eduardo Campos apareceu de repente. Até o irmão do mensaleiro Genoino, deputado José Guimarães - aquele cujo assessor foi apanhado em Congonhas com milhares de dólares na cueca -, que já disse que "a mídia seria controlada nem que fosse à força", veio a público para se apoiar no resultado dessa pesquisa e reafirmar as mentiras.

CARMELA TASSI CHAVES

tassichaves@yahoo.com.br

São Paulo

Sincericídio é um termo novo que por enquanto se aplica só ao PT. A primeira a usá-lo foi dona Dilma, ao declarar desconhecimento das condições contratuais da compra da refinaria de Pasadena. Agora temos Gilberto Carvalho confirmando o xingamento a Dilma como amplo e irrestrito, levando sua candidatura por água abaixo. Esperamos que essa sinceridade do PT continue e, oxalá, alcance o Lula.

ULYSSES FERNANDES NUNES JR.

ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo

Quem é a elite branca?

Hoje elite é quem está no governo se locupletando do dinheiro do povo. E elite branca são José Dirceu, Lula, Lulinha e toda a turma do PT.

EDUARDO MANOEL

eduardo.ft@me.com

São Paulo

De evolução

O sr. Gilberto Carvalho, porta-voz dos sovietes instalados no governo federal, tem razão em dizer que os xingamentos contra Dilma não partiram apenas da "elite branca". E o sr. Lula também tem razão em dizer que eles partiram da "elite". O problema é que a cabeça do Lula não evoluiu, por se sentir todo-poderoso. O que ele trata como elite evoluiu, transformou-se em pessoas que pensam, e integra todos os estratos sociais. Estas se deram conta da incompetência, do desperdício de dinheiro público e da corrupção, entre tantos outros males, que são os principais legados dos governos petistas. As bases desses descalabros foram lançadas no governo de Lula e complementadas neste do seu poste (ou sua poste?).

JOÃO ALBERTO IANHEZ

ianhezrp@netpoint.com.br

Boa Esperança do Sul

Sem contraponto

É espantoso o sr. Gilberto Carvalho constatar que o PT não conseguiu fazer contraponto às críticas generalizadas ao partido. Não é porque não conseguiu, mas porque não quis. Não quis expulsar do partido os mensaleiros, os malfeitores e os corruptos. Não quis afastar do governo os suspeitos no envolvimento na trama que matou o prefeito Celso Daniel. Aliou-se a figuras políticas indigestas e suspeitas para o povo, como Collor, Sarney, Renan, Lupi, etc. Ou seja, quem não respeita o povo (todos) não se faz respeitado. O sr. Gilberto quer mais razões? Ou o PT continua achando que o certo é o que a sua "tchurma" faz e os outros estão errados, aí incluída a Justiça brasileira?

MANOEL SEBASTIÃO PEDROSA

link.pedrosa@gmail.com

São Paulo

Racismo

Chamar os frequentadores do Itaquerão de "elite branca" não é uma declaração racista?

MILTON BULACH

mbulach@gmail.com

Campinas

Se perguntar não ofende, o que aconteceria se o governador do Estado de São Paulo dissesse que os atos de vandalismo na quinta-feira na capital "não partiram só da elite negra"?

MARIO COBUCCI JUNIOR

maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

VANDALISMO

Em São Paulo

Parabéns ao sr. José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça, e à sra. Dilma Rousseff, presidente do Brasil. Constatamos que, conforme prometido recentemente, o governo federal não tolerou nem permitiu atos de vandalismo dos black blocs em São Paulo. A comemoração de um ano das demonstrações pacíficas de junho de 2013 decorreu na maior tranquilidade e ordem. Que bom que a promessa do governo foi cumprida e, de agora em diante, podemos confiar nas nossas mais altas autoridades.

KÁROLY J. GOMBERT

kjgombert@gmail.com

Vinhedo

Baderneiros

Após as depredações da última quinta-feira, só falta o coordenador desses grupos, Gilberto Carvalho, agendar reunião deles com a Dilma, no Palácio do Planalto, para tratar de propor uma lei que os torne impunes perante ações da polícia e da Justiça. É uma vergonha.

LUIZ LUCAS CASTELLO BRANCO

whitecastel.castellobranco@gmail.com

São Paulo

MOVIMENTOS SOCIAIS

Perigo das 'sociedades civis'

Lendo no Estadão (15/6, A16) o brilhante artigo de Moisés Naím Sociedade civil armada, entende-se claramente o sentido dos movimentos ditos sociais, hoje tão em moda em nosso país. Aí é onde mora o perigo, quando esses movimentos são manipulados por um partido populista e de feição totalitária. Reproduzo texto do articulista: "É a mesma artimanha nas ruas de Caracas, Havana e Teerã. Quando as pessoas saem às ruas para protestar contra o governo, são violentamente confrontadas por grupos 'de civis simpatizantes do regime'". Isso já está acontecendo aqui, representado e camuflado pelos black blocs. Também o Estadão, no editorial O decreto e a realidade (20/6, A3), expõe, claramente, o perigo que corremos se o Congresso ou a Justiça não barrarem esse monstrengo chamado Decreto 8.243, baixado pela nossa "presidenta". Esses pseudomovimentos sociais já estão bem desenvolvidos e organizados, atuando e afrontando a lei, custeados com o dinheiro do contribuinte. Que fiquem atentos os que ainda podem defender a verdadeira democracia, não essa falaciosa representatividade que esse decreto nos quer impingir goela abaixo.

JOÃO M. VENTURA

joaomv@terra.com.br

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

VÂNDALOS AGEM IMPUNEMENTE

O Brasil definitivamente se coloca como um paraíso para traficantes, criminosos, corruptos, e agora também para os vândalos. A impunidade literalmente se coloca como a mãe desta esculhambação de que o crime sempre compensa. Não fosse isso, os adeptos dos movimentos populares, sindicatos dos trabalhadores, incluindo também o grupo Black Bloc, que desde junho de 2013 estão infernizando e depredando patrimônio público, quando pegos pela polícia apenas são indiciados, e soltos como se nada de excrescente praticaram.  E na noite de 19/06/14 em São Paulo, na passeata do Movimento Passe Livre, além das costumeiras depredações a agências bancárias, atacaram a concessionária de automóveis a Caltabiano, danificando 12 carros de luxo, com um prejuízo estimado em R$ 3 milhões. O que vai acontecer com esses baderneiros que perturbam a ordem pública?   Absolutamente nada.  Porque as leis vigentes não contemplam altas penas para esse tipo de crime contra o patrimônio público. E tampouco se proíbe que um cidadão mascarado e de difícil identificação por parte da polícia, como os Black Bloc, sejam impedidos de participar destas manifestações populares, como se a democracia devesse aceitar tudo, mesmo que haja sérias ameaças para integridade física dos cidadãos e cause grandes prejuízos para sociedade.   Ou seja, nós temos como manda o figurino, instalados no País os Três Poderes, e uma Constituição, mas na prática no quesito que se garanta ao cidadão brasileiro o direito de ir vir é uma verdadeira piada. Infelizmente!

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com 
São Carlos

*

Enquanto os vândalos destruíam São Paulo, a PM apenas olhava. Culpa de quem? Precisa perguntar? A imprensa brasileira bateria fortemente na PM se os policiais agissem. Ou não? Na Globonews, a jornalista Leilane Neubach que cobria o início desse movimento, não escondia o encantamento com o que via. Os “manifestantes" tinham fechado uma via e “batiam bola" em pleno asfalto. Na pista contrária, queimavam pneus. Deu no que deu. Hoje, pela manhã, a mesma “Globonews” criticava a Polícia Militar por não ter impedido a baderna que se sucedeu. Esquizofrenia ou desonestidade intelectual? A imprensa brasileira precisa decidir de que lado está: da lei ou da baderna “revolucionária".

Maria Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com 
Florianópolis

*

Ser baderneiro é fácil. Difícil é ser brasileiro...

A.Fernandes standyball@hotmail.com 
São Paulo

*

DEFINIÇÃO DO QUE É MANIFESTAÇÃO PACÍFICA

O MPL (Movimento do Passe Livre) reuniu 1.500 pessoas para comemorar o aniversário da sua luta. O que seria uma festa acabou degringolando para o vandalismo e a depredação. Prova da falta de maturidade tanto dos manifestantes quanto das autoridades no que tange à definição do que seria a  manifestação pacífica garantida pelo texto constitucional. Nada contra o movimento que prega o passe livre, mas ele deveria realizar suas manifestações em áreas isoladas, sem interromper o trânsito ou tumultuar a vida da cidade. Seus organizadores precisam ter responsabilidade sobre o evento que promovem e, de alguma forma, evitar a infiltração de baderneiros, vândalos e outros contestadores violentos e de causas diversas. Se necessário, poderiam até requisitar o auxílio policial para esse controle. As autoridades deveriam dar suporte para a concretização do direito constitucional à manifestação e, além disso, dar ouvidos aos reclamos nela contidos. Precisamos, urgentemente, definir o que é manifestação pacífica, como ela deve se processar, o que fazer com quem a desvirtua, e criar mecanismos para que o povo possa reivindicar e ter ouvidos e solucionados seus problemas, sem o risco de ver todos os esforços naufragarem no mar da intolerância, da baderna e do oportunismo. Essa definição é um importante elemento de preservação democrática de que não podemos abrir mão. Sem isso, o caos será inevitável...

Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves - dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo)  aspomilpm@terra.com.br 
São Paulo

*                

Sinônimo de maldade: atrocidade, barbárie, barbaridade, desumanidade, ferocidade, impiedade, iniquidade, selvageria, truculência. Tem mais: crueldade, malevolência, malignidade, perversidade, ruindade. Qual desses, pergunto aos mochileiros covardes, mascarados, qual desses adjetivos vocês escolhem para si? Se são capazes de entender o que está escrito, coisa que duvido, afirmo, sem medo de errar, que você são tudo isso e muito mais! São o resto de uma escória que nunca teve noção ao respeito e  ao convívio social. Não fazem ideia o que é destruir patrimônio alheio de pessoas que labutam, de cidadãos que há muito já perderem seus direitos básicos, entre os quais de ir e vir e de trabalhar em paz. Vocês, mandantes e pau mandados, são a desgraça encarnada, pá de cal em tudo o que há de bom e belo no nosso Brasil. Estúpidos e arrogantes, destroem a si próprios,  pois não percebem que são apenas mais lixo do que o lixo que espalham. Causa náusea vermos governos frouxos e corruptos, como nunca antes neste País, apostarem no caos, no
desrespeito às leis, no ódio de classes para permanecerem no poder. Dia após dia, vai para o ralo da miséria moral, o que nos resta de dignidade, esperança e amor ao próximo. Solapam o estado de direito para que, no meio da bandidagem, permaneçam onde estão: nos Palácios em ruínas, em rega-bofes debochados, quais imperadores decaídos que reinam um país em franca decomposição.

Gloria de Moraes Fernandes glorinhafernandes@uol.com.br 
São Paulo

*

Acreditamos, aceitamos e apoiamos totalmente as ações e comportamentos da Polícia Militar no desenrolar das manifestações, passeatas em São Paulo, em todos os seus sentidos. Porém, temos uma crítica a registrar: como pode nosso secretário de Segurança Pública, Fernando Grella Vieira, acreditar no ofício recebido do Movimento Passe Livre, declarando que fariam passeata pacífica, sem vandalismo, destruições e agressividades, comemorando um ano na redução de R$ 0,20 na tarifa de ônibus? Deveriam no mínimo acompanhá-los lado a lado, né não? 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br 
São Paulo

*

QUEBRA-QUEBRA

O quebra-quebra da última quinta feira em São Paulo, provocado por baderneiros marginais  e confiantes na impunidade, é só mais uma das consequências das nossas leis penais brandas, frouxas e inúteis, resultado de um Legislativo preguiçoso, despreparado e malandro, que via de regra só se preocupa em formular leis em benefício próprio.
 
Paulo Ribeiro de Carvalho Jr. paulorcc@uol.com.br 
São Paulo                                                     

*

Black blocs atacam lojas, destroem dez carros de luxo e computadores, e dão prejuízos de R$1,5 milhão. Não ficam presos e de quebra somos obrigados a ouvir pessoas dizendo que a polícia agiu com truculência.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com 
Jandaia do Sul (PR)

*

PROCISSÃO PARA EOLO

Para a turma de manifestantes, vários, que em suas passeatas diárias resultam em congestionamento de trânsito e enchem o saco do paulistano trabalhador, uma sugestão:  reunirem-se num só grupo e saírem  em procissão de  novena para  rogar ao deus Eolo, que  sopre  forte de Sul a  Sudeste para  desviar parte do mundão de água que inunda o Paraná venha ser  despejado  aqui na bacia  hidrográfica do Sistema Cantareira, que está mais seca que o deserto do Atacama. 

Laércio Zanini arsene@uol.com.br 
São Paulo

*

PURA COINCIDÊNCIA?

A diferença entre as classes sociais, pregadas pelo nosso ex-presidente, pode levar nosso país a uma contenda que não interessa a ninguém, nem mesmo para o próprio PT. Esquecem nossos governantes, que quem os sustentam – e por tabela, as classes carentes de tudo, via tributação compulsória – é essa mesma classe odiosa, racista e preconceituosa, ferozmente acusada pelos áulicos petistas. A senha para início de uma possível convulsão social já foi dada lá atrás nos movimentos de junho e agora novamente com os mascarados destruindo bens móveis e imóveis dos ricos. Será pura coincidência?

Aloisio A. de Lucca  aloisiodelucca@yahoo.com.br 
São Paulo

*

CONTRADIÇÃO

E com essa história de PT e anti-PT, está todo mundo jogando todo mundo contra todo mundo. E olha lá, que ninguém tem razão, nem elite nem povão. Intelectual se fazendo de bobo, e bobo se fazendo de espertão. Um clássico da manipulação. E o “copia e cola, comendo solto", sem filtro de opinião. Xingar a presidente pelo bem de uma nação, de certo é coisa estranha, esquisita, não importa a formação, pedir por coisa nobre, usando falta de educação. Os “antis” acharam o máximo, mas suas lideranças fingiram que não. E o governo se fez de coitado, aproveitando a ocasião, oportunistas dos dois lados, subestimando a população. Ambos incentivando a divisão, a polarização. Quando, na verdade, o nós é contra eles, os políticos, independente de filiação. Reforma política, já! A necessidade é de renovação. O Brasil, não era antes um paraíso e nem será depois da eleição. Seja qual for o partido, aqui reina a corrupção. Muito cuidado ao abraçar quem oferece a redenção, quem já teve sua chance e não mostrou aptidão. A elite gritando impropérios, tomando uísque no camarote, é contra a Dilma, contra a Copa, mas não adere ao boicote. Está ruim pra mim também, dizem, só tem oito anos o meu scotch. E também grita pelos outros, não é egoísta não – o País não tem saúde e Dilma vai toma no c..., eu quero educação. Mas não se de esqueça que sou liberal, Bolsa Família eu não quero não. É comunista? Vai para Cuba. No meu dinheiro ninguém põe a mão! Nem mesmo o governo, peço dignidade, mas pratico a sonegação. Cada um com o que é seu, pelo mérito e dedicação. Sou herdeiro, o meu está salvo, aqui não tem preocupação. O protesto que vale mesmo é no dia da eleição, mas desse eu não participo, justifiquei, fui à praia curtir o feriadão. Enquanto isso, o pobre se cala, esperando a salvação, mês que vem vai melhorar, eu já fiz a minha oração. Brasil, um país de todos? Não, não...  O País da contradição!

Fabio Galazzo fabiogalazzo.adv@gmail.com 
São Paulo

*

TORCENDO SEM DISTORCER

Torcer, sim, mas sem distorcer. O significado da Copa do Mundo é apenas definir qual seleção, no momento, joga futebol um pouco melhor que as outras. Só isso, mais nada. Um torcedor falou claro: “It´s only football”. Não se trata da superioridade de uma raça, nem de um país sobre o outro, não anula as nossas fraquezas. Deve provocar alegria, entusiasmo, união, vibração, mas não vaidades infantis. Quando o time ganha, somos todos campeões? Não! Os campeões são só aqueles que jogaram, não adiantam as vuvuzelas. Quando o time perde, significa que os colegas do outro time jogaram melhor naquele jogo. Vitória sem vaidade, derrota sem humilhação. É natural que se queiram ganhar prêmios e taças – mas vamos escolher os títulos realmente importantes: IDH, educação e saúde.  Os heróis de que precisamos são outros.

Dr. Mauro Moore Madureira mauromm@uol.com.br 
São Paulo

*

Fadiga de material, cansaram, chega de politicamente correto. Brasil atual precisa do politicamente certo, gente séria, chega de corruptos e picaretas. Este papinho de luta de classes, rico contra pobres, estados do Sul, contra estados do Norte e Nordeste, elite branca, chega de papinhos furados, povo não é tão bobo como vocês pensam. As vaias refletem os desmando na Petrobrás, na economia, desvios, atrasos, seus parceiros, política internacional incipiente e ideológica, seus mensaleiros que não tem dignidade de cumprir as penas impostas pela suas arbitrariedades. Chega de discursos pensando que o povo é idiota, que não tem condições de análise. Seu discurso antes da abertura da Copa mostra isto, os dados foram todos relativizados, dando impressão que tudo está uma maravilha. Só faltou vocês falarem que as vaias eram de paulistas.

Ferdinando Perrella fperrella@hotmail.com 
São Paulo

*

LÊNIN E LULA

“Usaremos o idiota útil na linha de frente. Incitaremos o ódio entre as classes. Destruiremos a sua base moral, a família e a espiritualidade. Comerão as migalhas que caírem de nossas mesas. Nossa minoria organizada irá sempre derrotar a maioria desorganizada”. Não tenho dúvidas de que Lula, Dilma, e a maioria absoluta do PT estão preparados para implantar, no Brasil, esse discurso do revolucionário russo Vladimir Lênin que colocou a Rússia no fundo do poço.  O povo foi ao Itaquerão para avisar que o Brasil está acordou.
 
Leônidas Marques leo_vr@terra.com.br 
Rio de Janeiro

*

TIRA TEIMA
 
Vai ver Lula tem razão ao afirmar na abertura da Copa no Itaquerão “não foi o povo que foi mal educado ao desrespeitar com vaias e xingamentos a presidente Dilma – foi coisa da elite, de gente rica que não tem calos nas mãos.“ É de fácil confirmação, de calar a boca de muita gente, basta a presidente Dilma comparecer a um jogo do povão e, melhor ainda, levar Lula com ela ao Itaquerão para assistir ao embate entre Corinthians x Internacional (16 de julho), no reinício do Brasileirão 2014. Será o tira teima, com um povão heterogêneo, sem público arranjado nem a elite da abertura da Copa. Tal visibilidade até servirá de palanque favorável à sua reeleição, mas se não comparecer (mesmo sob pretexto de doença ou compromisso inadiável) será um claro atestado de que só se submete ao público chapa branca.

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br 
Vila Velha (ES)

*

Inacreditável! Desde que a Copa do Mundo começou acabaram todos os nossos antigos problemas. Não há mais corrupção. Não há mais escândalos envolvendo políticos corruptos. Não há mais greves. Não há mais protestos, nem mesmo dos índios. Não há mais invasões. Não há mais problemas na Petrobrás. Não há mais problemas na saúde. Não há mais problemas na educação. Finalmente resolvemos todos os nossos problemas. Somos agora um pais de primeiro mundo .Bendita Fifa. Que tal realizarmos todo ano uma Copa do Mundo, mas com padrão Fifa?

Mario Miguel mmlimpeza@terra.com.br 
Jundiaí

*

PREPARAÇÃO

Não sei que preparação é essa da seleção brasileira. Após o jogo contra o México, e como no anterior, a seleção volta para a Granja Comari, em Teresópolis. Encontra nevoeiro, chuva e temperatura de 15º. Pergunto: é o que encontrarão em Brasilia amanhã no jogo contra a seleção de Camarões? Não seria mais razoável levar a seleção para Brasília e continuar o treinamento lá, com as condições climáticas de lá? Olha, esta seleção já está me dando raiva.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com 
Rio de Janeiro

*

O ex-comunista está certo, e ainda se pode completar. Se Deus fosse, de fato, brasileiro, essa seleção de garotos do Felipão perderia a Copa. O que é difícil, porque a Fifa tanto quanto os governos principalmente do mundo ralé vivem da corrupção que se compra em qualquer esquina, como qualquer droga. Contrariando o Tiririca, pior do que está, ainda pode ficar.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com 
São Bernardo do Campo

*

Parabéns ao futebol sul-americano pelo bom desempenho na primeira fase da Copa do Mundo do Brasil. Nos confrontos contra os europeus, os sul-americanos vão goleando até aqui por 5x1, fora o baile. Entre os europeus, Espanha, Inglaterra e Itália são uma decepção enorme, com as duas primeiras já eliminadas precocemente. Rumo ao sonhado hexa!
 
Renato Khair renatokhair@uol.com.br 
São Paulo

*

RICA SURPRESA

Copa rica, Costa Rica. Não brinco mais de bolão.

Alessandro Lucchesi timtim.lucchesi@hotmail.com 
São Paulo

*

A seleção costarriquenha sem alarde ou estardalhaço já está classificada. Todo o seu elenco ganha menos que o nosso consagrado Neymar, depois de derrotar duas ex-campeãs do mundo, Uruguai e Itália, a Costa Rica de jogadores que lutam com amor e dedicação poderá ser a esperança americana.
 
Yvette Kfouri Abrão abraoc@uol.com.br 
São Paulo

*

Não se ganha Copa do Mundo só com previsões. Está faltando futebol.

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com 
São Paulo

*

FAN FEST

Os “caras” petistas não conseguiram organizar satisfatoriamente nem o Fan Fest no Anhangabaú-SP? Quem votou nestas armaduras? 
 
Nelson Pereira Bizerra nepebizerra@Hotmail.com  
São Paulo

*

VAIAS À DILMA

“Quando os que comandam perdem a vergonha, os que obedecem perdem o respeito.” - Georg Lichtenberg (filósofo, escritor e matemático alemão) Sábias palavras que se aplicam perfeitamente ao episódio ocorrido com a presidente Dilma Rousseff na abertura da Copa do Mundo 2014.
 
José Ernesto Hurtado Parada jehurtado@bol.com.br 
São Paulo

*

CORO UNIDO

Ao dizer que o coro de ofensas dirigidas à Dilma na abertura da Copa, no Itaquerão, não era formado apenas pela "elite branca", mas também pelas classes menos favorecidas, ninguém menos que o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, com rara propriedade que não lhe é peculiar, identificou, de fato, o nível de ebulição a que chegou a indignação da população frente ao estado geral de coisas em que o País se encontra sob o desgoverno petista. O condenável baixo calão é fenômeno que vai de cima a baixo, num fervor coletivo de uma só classe social, formada por brasileiros desiludidos, indignados e revoltados contra a farra do poder público e seu menosprezo pela população. É chegada a hora de se dar um basta e gritar em uníssono: muda, Brasil!

J.S. Decol decoljs@globo.com 
São Paulo

*

ODEIAM TODOS

Pelo que estou entendendo, o PT do Luladilma não gosta nem da "zelite" nem da classe média, e nem dos pobres. Senão, vejamos:
quanto à "zelite", o próprio Lula não se cansa de atribuir a ela todas as mazelas do desgoverno petista. Os baderneiros se encarregam de destruir seus carrões. Quanto à casse média, eles odeiam . Basta ver o que diz Marilena Chauí. E quanto aos pobres? Precisa falar? São eles que morrem nas filas dos hospitais, moram nas ruas ou em áreas de risco, passam fome e são diuturnamente enganados pelo marqueteiro oficial. Pelo que estou entendendo, o PT do Luladilma só gosta mesmo é dos "companheiros", do Maluf, do Sarney, do Fidel Castro, do Maduro, do Evo, do Eike Batista e das Farc. Que miscelânea, hein? Ah, ia me esquecendo, gostam também das empreiteiras. Acordem, ricos, remediados e pobres!!!

Carlos Eduardo Stamato dadostamato@hotmail.com 
São Paulo

*

DE BATATADA EM BATATADA

De pronunciamento em pronunciamento ou de batatada em batatada, as sociedades brasileiras, tanto a “feia” como a “bonita” vão descobrindo quem é o ilusionista Luiz Inácio Lula da Silva.

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br 
São Paulo

*

ELEIÇÃO DIFÍCIL

O discurso do ministro Gilberto Carvalho, olhos e ouvidos de Lula no Planalto, tem endereço certo. Ele atribui as manifestações às várias classes sociais e ainda diz que a eleição será muito difícil. Mas o mais difícil, ministro, será a fiscalização das urnas eletrônicas. Sistema que os americanos, detentores de tecnologia de ponta, não quiseram por acharem falhas. O Brasil caminha a passos largos rumo à Venezuela !

Mário Issa drmarioissa@yahoo.com.br 
São Paulo

*

QUEBRA-QUEBRA EM 2015

Se por causa de um pequeno aumento nas passagens de ônibus o Brasil quase parou, imaginem em 2015, com significativo aumento dos combustíveis e da energia. O que acontecerá? Eu, se fosse a presidenta, com todo respeito, deixaria a bomba estourar na mão de outro candidato, ficaria na encolha esperando ele resolver a herança maldita e voltaria em 2018 como se nada tivesse acontecido.

Geraldo Siffert Junior geraldosiffertjunior@gmail.com 
Rio de Janeiro

*

Quando assumiu o poder, Lula disse ao então ex-presidente FHC que não palpitasse no governo e fosse cuidar dos netos. No atual governo Dilma, ele dá ordens diretas à presidente, faz articulações no governo, faz reuniões com equipes do governo, dá diretrizes a seguir, manda e desmanda, sem ter mandato para tal. Um conselho: ex-presidente Lula, porque o senhor não vai cuidar dos seus netos?

Márcia Rossi soares marciarossi1@hotmail.com 
São Paulo

*

DECRETO DE DILMA

O decreto 8.243 da presidente Dilma que pretende fazer a ligação direta entre a administração pública federal e a sociedade civil, sem passar pelo poder legislativo, permitirá que instituições com o Primeiro Comando da Capital (PCC) e o Comando Vermelho (CV) passem a atuar diretamente junto ao governo. Nas palavras do ministro Gilberto Carvalho esse decreto é "simplesmente um texto para dar organicidade para àquilo que na prática já existe."

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br 
São Paulo

*

GOVERNANÇA

A Dilma diz que por causa das eleições não pode parar de governar, então comece, estamos esperando há quatro anos. Fale com o seu chefe Lula como é que se faz, porque faz  tempo que ele se reúne com você, dá as dicas, mas parece que as coisas são difíceis de entender.

Delcio da Silva  delcio796@terra.com.br 
São Paulo

*

O discurso das esquerdas de que a culpa das mazelas do País é culpa única e exclusivamente das elites e da classe média não cola mais hoje em dia. Era e foi eficaz quando a esquerda morava em favelas, nas periferias, não tinham dentes, andavam de ônibus e trens superlotados, comiam suas marmitas estragadas, viviam desempregados por incompetência, seus filhos estudavam em escolas públicas, se socorriam nas filas dos postos de saúde e outras desgraças inerentes e que até hoje perduram para as classes mais desfavorecidas. Hoje com um agravante. Aprenderam a vagabundear com o Bolsa Família. E os esquerdistas-caviar hoje vivem nas zonas sul das cidades, com filhos estudando nos melhores colégios, implantes dentários, férias em Paris, Nova York ou Miami, carros importados com motoristas, etc. O que foi explicitado tem como seu exemplo mais nítido a figura do ex-presidente Lula. 

Paulo Henrique Coimbra De Oliveira ph.coimbraoliveira@gmail.com 
Rio de Janeiro

*

ALEXANDRE PADILHA

Para nós que somos do contra, foi ótima a escolha de Alexandre Padilha para concorrer a governador de São Paulo pelo PT. Isso porque eles poderiam apresentar um candidato com uma personalidade ímpar, que representaria uma espécie de Tiririca, porém culto, falante, cantante e até atuante. De quebra agradaria às tão faladas "elites brancas, que estudaram e comeram demais" de São Paulo, já que é de tradicional família paulista – trata-se de Eduardo Suplicy, que felizmente foi escolhido para concorrer ao Senado.

Nestor Rodrigues Pereira Filho rodrigues-nestor@ig.com.br 
São Paulo

*

Alguém sabe do paradeiro ou o que anda fazendo o Guilherme Afif Domingos?

Ademar Monteiro de Moraes ammoraes57@hotmail.com 
São Paulo

*

IBOPE EXISTE?

Sou mais um que não acredita em Ibope. Uno-me ao Sr. Afonso Mesquita, que nunca foi  entrevistado e não conhece ninguém que foi. E, olhe, já tenho vários anos de janela e sempre residi em São Paulo. 

Paulo Corrêa Leite paulocleite@bol.com.br 
São Bernardo do Campo

*

O MANIFESTO

O manifesto contra Joaquim Barbosa, assinado por 300 profissionais, elite de diversas áreas da sociedade brasileira, urdido, segundo o jornal “O Globo”, por José Dirceu, deixou-me estarrecido. Não se deve contraditá-lo desqualificando os seus subscritores, pois política e ideologia são assuntos a serem debatidos na campanha eleitoral que se avizinha. Mas nada que venha de Dirceu merece crédito. Da mesma forma, João Vicente Goulart é aquele mesmo filho de João Goulart que desenterrou o pai para fazer marola, aparecer politicamente e catar uns "caraminguás" do Estado. No fim das apurações, como todo o mundo já sabia desde o princípio, menos o Dallari, ficou provado que Jango morreu mesmo de morte morrida. Mas ninguém veio a público desculpar-se, sequer dar uma explicação. Deixaram que o assunto morresse com a conivência de grande parte da mídia.

Ricardo Mello Santos pramar681@hotmail.com 
Salvador

*

QUEM TEM PRESSA?

O Sociólogo Herbert José de Souza, o Betinho, falecido em 2007, figura lendária, com agitada história de vida, notabilizou-se por ter coordenado, durante a década de 90 do século passado, o projeto "Ação da Cidadania Contra a Fome, a Miséria e pela Vida", do qual o PT se apropriou quando assumiu o poder, dando-lhe a denominação de "fome zero", hoje extinto.  O propósito  de Betinho era aliviar o estado de abandono pelo poder público e de fome endêmica de milhões de brasileiros que viviam (e ainda vivem!) excluídos da sociedade, seres humanos marginalizados e, de uma forma ou de outra, direta ou indiretamente, usurpados pelos poderes constituídos. É de sua autoria a frase que simbolizou a dinâmica da sua ação humanitária: "Quem tem fome, tem pressa". Por outro lado, foi com absoluta surpresa que se assistiu pela televisão ao Ministro do STF, Luís Roberto Barroso, indicado há pouco mais de um ano pelo governo do PT, ora sorteado para substituir Joaquim Barbosa na relatoria do mensalão, afirmar que pretendia acelerar ao máximo o andamento das demandas dos condenados e presos em decorrência do processo, que solicitavam a revisão de regimes prisionais de modo a permitir-lhes trabalhar fora da cadeia, complementando que "quem está preso tem pressa". A analogia com a frase do sociólogo, pretendida pelo ministro, é, no entanto, das mais infelizes, pois os que estão agora presos, ao contrário daqueles aos quais Betinho se referia não são seres famintos nem usurpados pelos poderes constituídos mas bem alimentados usurpadores dos mesmos. Por outro lado, será que em algum momento se lembrou Sua Excelência dos milhares de encarcerados, que, por lentidão da mesma justiça da qual agora é integrante na sua mais alta instância, permanecem indevidamente presos, naturalmente apressados, congestionando o nosso quase falido sistema prisional? E dos que ficam largados, sem pressa, nos pisos das emergências, sem atendimento, no contexto de um sistema de saúde moribundo por não poder contar, entre outros, com os recursos que foram desviados pelos hoje apressados condenados, segundo o ministro, artífices do mensalão? E dos cidadãos que, Brasil afora, estão com o direito de ir e vir prejudicado, estes também com muita pressa. É, ministro, existe muita gente com pressa no País. Será que a atenção aos condenados ora demonstrada encaixa-se numa prioridade justa? Parece que não. Na verdade, a repentina comiseração demonstrada é desalentadora.  

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com 
Rio de Janeiro

*

ARQUIVOS AMERICANOS

A Primavera de Praga, dias solares na Checoslováquia sob o comunismo, findou em longa noite, voltando o sol apenas com a queda do muro de Berlin. A saída de Joaquim Barbosa e mais um ministro de STF a ser indicado pelo governo petista, são prenúncios de um manto de escuridão a encobrir o Brasil. Esperemos que o sol das eleições higienize o País.

Roberto Viana Santos rovisa681@gmail.com 
Salvador

*

O governo e a "sua" Comissão da Verdade exultam com a decisão americana de abrir arquivos do tempo do governo militar. Exultamos todos os estudiosos de História, pois assim poderemos saber mais do lado que a CV quer ocultar e os imparciais arquivos podem contar: que crimes cometeu a extrema esquerda para ser tão perseguida? Qual a história oculta do sequestro do embaixador americano? E os dólares do cofre do Adhemar? Há muito mais...

Paulo Roberto Santos prsantos1952@bol.com.br 
Niterói (RJ)

*

JUAN MANOEL SANTOS

Estimado senhor presidente, como a Colômbia consegue crescer 6,4% no primeiro trimestre deste ano, em relação ao quarto trimestre de 2013, mesmo com a Farc atrapalhando, e nós  permanecemos estagnados em relação a 2013 mesmo com o PT no poder e o MST ajudando? No entiendo!

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br 
Monte santo de Minas (MG)
                        

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.