Fórum dos Leitores

ELEIÇÕES

O Estado de S.Paulo

25 Agosto 2014 | 02h03

Política arcaica

Lula pede que os eleitores votem na candidata do PT ao Planalto, para lhe darem mais tempo para fazer um governo melhor que este. Melhor em quê? Como vai garantir uma administração equilibrada com aumento de 30% na energia elétrica e nos combustíveis, que afeta diretamente os alimentos (cesta básica)? O ex-presidente duvida da inteligência dos eleitores, mas eles já estão escaldados para não serem novamente comandados e verem mais fracassos de uma política arcaica. O povo quer é alternância para novos rumos na economia brasileira.

NELSON SCATENA

nelson.scatena@hotmail.com

São José dos Campos

Governo dos pobres...

O PT diz governar para os pobres e apregoa isso em todos os meios publicitários, discursos, palestras. Não consigo entender ou engolir essa "balela" de que R$ 70 por mês produzam tal efeito. Mas vamos ver como o PT governa para os pobres. Hoje mais da metade da classe média está inadimplente. Esse pessoal que, segundo o PT, começou a aparecer nas estatísticas (classes C, D, E) foi incentivado ao consumo. Lembram-se dos financiamentos de carros usados com até sete, oito anos de prazo para pagamento? Pois é, hoje eles representam mais de 90% dos veículos em pátios de empresas de leilões. Ao consumidor foi dito: você vai pagar R$ 200 ou R$ 250/mês e terá seu próprio carro. Esqueceram-se de dizer-lhe que os juros reais a pagar seriam de x%, induzindo sempre os "leigos" a entrar na conversa mole do governo. Com isso o governo literalmente "ferrou" os pobres e beneficiou os ricos, empresários do setor financeiro que cobram juros absurdos. Na minha terra isso tem nome: é "empurrar tatu na faca"! Por outro lado, induzindo ao consumo e com produção limitada, os custos aumentaram e com isso voltou a inflação, alicerçada por custos elevadíssimos de produtos essenciais, como alimentação, produtos in natura, tudo por falta de planejamento, de infraestrutura para escoamento e pela ganância do mercado, que sempre acha que é a última oportunidade. Com isso os preços sobem, sobem e nunca voltam aos patamares anteriores. Se alguém tem dúvida, consulte os preços de determinados produtos no início do ano e agora: vai ter um susto. Para diminuir a inflação o que faz o governo? Em vez de combater os preços com farta disponibilidade e opções de bens de consumo, prefere privilegiar os poderosos (vejam que o PT governa para os pobres) aumentando os juros. E com essa medida prejudica quem? Os pobres, que pagam mais caro, prestações maiores. Os ricos têm recursos, aplicam no mercado (títulos do Tesouro) e recebem sempre mais pela fragilidade do governo, enquanto os pobres pagam a conta. Aí o abismo entre ricos e pobres aumenta, a desigualdade torna-se mais visível. Em resumo, o governo do PT hoje tira dos pobres e repassa aos que não precisam. Esse é o governo demagógico do PT. A única coisa que realmente faz é propaganda. Outro detalhe: o governo precisa educar o povo, a começar pelo conhecimento dos números, dos porcentuais, para criar um status de repulsa ao analisar determinados aumentos. Um exemplo são esses estacionamentos de calçada que até ontem cobravam R$ 5 e passaram a cobrar R$ 7 de um dia para o outro. Para o brasileiro a primeira reação é: são só R$ 2. Não e não, é um abuso de 40%! E não protestamos... Desmintam-me!

HAROLDO EUSTAQUIO ROCHA

haroldoerocha@ig.com.br

São Paulo

Manobra cruel

O resultado verdadeiro da política econômica da presidente Dilma Rousseff é que as famílias ficaram com a sensação de estar mais ricas, mas já começam a devolver parte do que ganharam. Conforme anunciou a Serasa, 57 milhões de brasileiros estão inadimplentes, mais de 28% da população, o que é assustador. O aumento no último ano foi de 2 milhões, que estão nos bancos negociando dívidas. O trabalho de dona Dilma e Guido Mantega para a criação dessa sensação de riqueza, manobra eleitoreira cruel, não tem limites. Agora, com mais R$ 25 bilhões fornecido aos bancos e com juros elevadíssimos, estarão "criando" mais uma nova quantidade de inadimplentes e insolventes. Para o governo do PT, "os fins justificam os meios". O que Dilma deseja é mais votos dos eleitores que no futuro estarão mais pobres. Chega a ser impiedoso!

FABIO FIGUEIREDO

fafig3@terra.com.br

São Paulo

Déjà-vu

A sensação que Mantega passa é que ele quebra o País para Dilma ganhar a eleição.

FRANCISCO JOSÉ SIDOTI

fransidoti@gmail.com

São Paulo

Medidas demagógicas

Enquanto a Prefeitura de São Paulo constrói ciclovias na tentativa de tirar carros das ruas, o governo federal edita medidas de incentivo ao financiamento de compra de veículos automotores. Nessa enorme contradição de governantes do PT só resta saber quem mais engana a população com medidas demagógicas: o ingênuo prefeito Fernando Haddad ou a desesperada presidente Dilma Rousseff, tentando salvar a sua reeleição?

BYRON SILVA JÚNIOR

byron.junior@uol.com.br

Santos

Duas candidatas

Duas candidatas à Presidência da República de um mesmo partido, isso pode? Com a palavra a Justiça Eleitoral. Dona Dilma, originária do PDT, foi para o PT há 12, 13 anos. Tudo bem. Dona Marina Silva, petista de carteirinha, ex-ministra e ex-senadora pelo PT, transferiu-se para o Partido Verde (PV) - mas para ela era vermelho, ou melhor, "melancia", verde por fora e vermelho por dentro. Em 2010 foi candidata à Presidência pelo PV, teve perto de 20 milhões de votos, até ajudou a eleição de dona Dilma. Jogou a "rede" para formar um novo partido, em atenção ao PT. Ainda mantém vínculos familiares com o PT no seu Estado de origem. Fez coligação com o PSB para correr por fora e colaborar com o PT no segundo turno. Até a morte de Eduardo Campos contribuiu para essa "pegadinha". Portanto, não deixa de ser a segunda candidata do PT a presidente da República. Na realidade, as duas são candidatas do PT. Pergunta-se: esse tipo de "arranjo" é legal? O que não se faz pelo poder...

LUIZ DIAS

lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

FORMIGAS

Parasitismo

Quando li no Estadão (22/8) a descrição do comportamento da formiga parasita Mycocepurus castrator - "Ela coloca todo o formigueiro a seu serviço. Enquanto as outras trabalham, ela come e se reproduz" -, pensei com meus botões: acho que elas são filiadas ao PT.

ROBERTO A. KIRSCHNER

kir.robertoa@gmail.com

São Paulo

TRABALHADOR AMEAÇADO

As notícias sobre a criação de empregos no Brasil este ano são ruins. Se no mês de junho deste ano foram abertas apenas 25,3 mil vagas, o que dizer, então, do resultado de julho, de pífios 11.796 novos postos de trabalho? Ou seja, queda de 71,55% de empregos com relação ao mesmo período de 2013. Esses números refletem muito bem a estimativa do setor industrial, que deve dizimar 100 mil empregos em 2014. Neste caso, faria melhor a presidente Dilma Rousseff se parasse de humilhar o trabalhador brasileiro quando afirma, sem ruborizar, que a nossa situação econômica vai muito bem.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com
São Carlos

*
EM CRISE

É bom saber... Faça valer o seu voto, vote na alternância do poder, fique longe do PT, saiba por que: 1) a criação de empregos é a menor para o mês de julho em 15 anos; 2) o número de inadimplentes chega a 57 milhões de brasileiros em 2014, segundo a Serasa Experian, pouco mais de 1/4 da população, sem a exclusão dos menores de 16 anos; 3) conforme pesquisa, até a profissão mais antiga do mundo, a das prostitutas, tem o seu “preço” em queda. Essas e outras razões justificam a estagflação e o retrocesso do Brasil e dos brasileiros nos últimos 12 anos. O que não está em crise no Brasil?
 
Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br 
São Paulo

*
‘AS REFORMAS E OS PRESIDENCIÁVEIS’

No artigo de José Pastore (12/8, B2) sobre a reforma da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), originária da época de Getúlio Vargas em 1943, os candidatos à Presidência temem perder votos, caso se posicionem a favor da modernização das nossas leis trabalhistas. Ao lado da reforma da CLT estão outras reformas igualmente importantes e que devem ser feitas por etapas, mas que vão sendo “empurradas com a barriga” infinitamente, como a reforma política, em que o voto distrital seria uma ótima opção; a reforma tributária, pois que a atual é complicada e onerosa; e a reforma previdenciária, que corrigiria o déficit previdenciário e os benefícios irreais. Em suma, são reformas estruturais que, se não forem concretizadas por etapas, tudo ficará igual ou pior que no atual governo Dilma, ou seja, administração pública inchada, caríssima e ineficiente, que consome, conforme o consultor econômico Raul Velloso, 75% do orçamento federal para pagar salários e benefícios (10/3, B12).  

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com 
Campinas 

*
DOIS BRASIS

Benjamin Steinbruch disse que “só louco investe no Brasil”. Presidente da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) e da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), afirmou que a situação do Brasil é crítica, não adiantam medidas paliativas. Aponta, ainda, que há um risco iminente de desemprego e que grandes empresas já estão demitindo e reduzindo a capacidade de produção. Um retrato do Brasil real. Tudo o que o PT tenta mostrar tendo Dilma como garota-propaganda de seu desgoverno (Brasil irreal) o empresário contesta claramente sem ser incomodado. É o velho ditado, contra fatos não há argumentos. Ainda assim, em ano eleitoral, a propaganda política soa como a salvação para os candidatos continuarem iludindo seus eleitores. Sinceramente, os brasileiros fariam uma imensa economia de energia elétrica se desligassem seus aparelhos durante este “enganador horário político”. A pauta é sempre a mesma, vão melhorar saúde, educação, segurança, transportes etc. E o resultado é sentido no bolso e visto ao sair nas ruas. 

Izabel Avallone  izabelavallone@gmail.com 
São Paulo

*
JOGANDO ÀS CLARAS

Todos os índices possíveis apontam retração na economia no Brasil no segundo semestre. Menos o governo petelulista, que, além de nos iludir e ludibriar, quer fazer com que acreditemos em Papai Noel. 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br 
São Paulo

*
MAIS CRÉDITO NO MERCADO

Esse PT é mesmo incrível. É só surgir um problema na economia e eles liberam dinheiro, e o povão ignorante entra de novo no papo dessa turma e acaba se afundando cada vez mais. Pobre brasileiro, que não sabe para onde correr!

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@globo.com
São Paulo

*
CORRA, DILMA, CORRA

Medidas emergenciais de ultíssima hora, mutretas que colocam em risco toda a “liturgia” do sólido sistema bancário brasileiro, só para livrar a cara da dona Dilma nas vésperas das eleições.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br 
Monte Santo de Minas (MG)

*
PIB REBAIXADO

O mercado rebaixou para 0,8% o crescimento do produto interno bruto (PIB) para 2014, podendo chegar ao fim do ano em 0,5%. E nós, que pensávamos que o resultado de nossa economia sob a batuta da presidenta gerenta incompetenta Dilma seria o mesmo placar de nossa seleção na Copa, fatídicos 1 a 7. Um para crescimento e sete para inflação. O Brasil já está perdendo até para o maior vexame vivido pelo País. Esse resultado não consegue empregar nem os jovens que chegam à maioridade. Imagine os imigrantes que chegam aos borbotões. Melhor pode ficar. Basta votar com entendimento e consciência. Valha-nos povão!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br 
São Paulo

*
O CANHÃO

Segundo o ministro da Fazenda, Guido Mantega, em recente entrevista, "inflação não se combate com tiro de canhão", no que ele tem razão, uma vez que a esse combate seria muito extenso indicar dos contínuos erros estratégicos e táticos. Em suma, ao invés do tiro, bastaria fazer ao contrário do que vem fazendo, e a inflação começaria a ceder e a confiança, a voltar.
 
Mario Cobucci Junior maritocobucci@uol.com.br
São Paulo

*
CRÍTICAS DE SÃO PAULO

Como os pessimistas de plantão avaliam os riscos que novamente se fazem presentes nas principais economias da Europa? As críticas à situação no Brasil parecem que têm objetivo eleitoreiro, contra o atual governo federal. É lamentável tal posicionamento de quem vive no Estado mais rico do Brasil e que não resolve suas crises na saúde, na educação, no transporte público e na segurança.

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br 
Santos

*
ADMINISTRAÇÃO E RECICLAGEM

Famosos executivos são contratados para salvar e/ou aumentar o lucro das empresas, e a sua primeira providência quase sempre é reduzir despesas, notadamente com corte de pessoal. Essa técnica quase sempre dá resultado, pois os valores reduzidos impactam diretamente no balanço da empresa, porém traz grandes prejuízos emocionais aos funcionários. Executivos mais modernos, ao invés de reduzir mão de obra, investem no C2C e utilizam matérias-primas recicladas para a produção. Fazem vendas antecipadas para os sucateiros e/ou recicladores da devolução do material para reciclagem após o uso do produto, garantindo a recompra mais barata da mesma matéria-prima. Essa técnica também impacta positivamente no balanço da empresa, sem trazer grandes tensões e traumas aos funcionários.
 
Fernando Mauro Marcilio fermarcilio@uol.com.br 
São Paulo

*
HORÁRIO ELEITORAL – A HORA DA ENGANAÇÃO

O País não vai crescer neste ano nem 1%. A inflação é ao menos de 6,5% e os juros já chegaram a 11%. O crescimento do emprego é o pior desde 1999, a indústria pede água e todo dia vem mais um índice da economia piorando e quase parando os negócios no Brasil. Para aparecer no nefasto programa eleitoral, bancado pelos cidadãos e que custará cerca de R$ 1 bilhão neste ano (gratuito é que não é, é só obrigatório), o PT resolveu fazer uma maquiagem nas pessoas. Doou para uma senhora da Bahia uma prótese dentária e melhorias em sua casa para que ela apareça e diga que foram o "pai dos pobres" e a "mãe dos pobres" que lhe deram tudo. Imagine-se o que mais acontece nestes rincões. Dilma e Lula deveriam se envergonhar, mas populista não tem vergonha. O povo sem instrução (e é por isso que não melhora a educação no País) agradece aos nhôs  e vota em quem lhes dê uma migalha, nunca em quem lhes dará um futuro.

Maria Tereza Murray terezamurray@hotmail.com
São Paulo

*
A SORTE DE DONA MARINALVA

Em gravação para o horário político, noticia-se, manifestou-se dona Marinalva Gomes Filha, trabalhadora rural do sertão da Bahia. A todos os brasileiros então comunicou que "tudo o que tenho aqui foi Dilma que me deu", inclusive prótese dentária, fogão a lenha, etc. ("Sertaneja ganhou prótese dentária antes de gravar com Dilma para TV”, “Folha de S.Paulo”, 22/8/2014). No meu entender, dona Nalvinha foi usada para falar o que disse na frente de uma filmadora. Inocente útil, se diria outrora. Usada porque na sua simplicidade não aquilata, coisa que ninguém a informou é claro, que o que tem e recebeu não foi a Dilma que lhe deu, mas sim todo o povo brasileiro que contribuiu para que pudesse ter o que, sem o ônus do pagamento, tem. Não foi a Dilma, com dinheiro de seu próprio bolso, que lhe pagou a prótese dentária que agora pode exibir. Por outro lado, daí realmente ter sido usada na campanha política, o que foi exibido deixa patente que ela, dona Nalvinha, circunstância que deve ignorar, que ela é uma mulher privilegiada por ter sido p reparada para participar da campanha política e compor a elite que fala o que disse, o que a mandaram dizer: será que ela sabe quantos brasileiros existem que não têm a sorte que ela teve de ser premiada com uma prótese dentária? Será que ela olhou para os lados e comparou suas posses atuais com as dos seus vizinhos? 

Pedro Luís de Campos Vergueiro pedrover@matrix.com.br
São Paulo

*
PROPAGANDA ELEITORAL

Na Amazônia, os madeireiros continuam desmatando. Na TV, os caras-de-pau plantam novas promessas...

A.Fernandes standyball@hotmail.com 
São Paulo

*
PRESIDENCIÁVEL

As eleições estão fazendo muito bem para Dilma Rousseff. Ninguém nunca viu ela sorrir tanto.

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com 
São Paulo

*
RETRATOS DE UMA ELEIÇÃO SEM LÓGICA

Início de agosto: Dilma lidera, mas com um índice de votos sofrível para quem busca a reeleição. Aécio Neves se apresentava com força suficiente para duelar diretamente com o PT mais uma vez. Longe, na rabeira, vinha Eduardo Campos e seus 8%. Todos diziam: com o horário eleitoral vamos crescer. De repente o nanico Campos morre e a eleição de um país com 200 milhões de habitantes passa a girar em torno de um defunto que tinha 8% dos votos. Partidos atônitos: o que fazer? Dilma Rousseff turbina o horário eleitoral: obras faraônicas e lindas imagens que levam a crer que o Brasil é algo entre a Suécia e a Dinamarca, e não o país da alta inflação, da pobreza, do PIB abaixo de 1% e das obras paradas. De terninho azul para parecer suave e simpática (e tucana), a presidente fala das maravilhas do país, e deixa o trabalho podre para Lula. Ataques à imprensa e aos adversários vindos do profeta dos pobres parecem ser irresistíveis aos olhos do eleitorado. Aécio Neves mantém a tradição do PSDB: chegar ao meio da eleição sem saber a que veio. O programa de governo é bom, as bases de apoio e de financiamento de campanha são fortes, mas o candidato não sabe como se portar. Na TV não demonstra o pulso firme e liderança que teve em Minas Gerais, e fala como se estivesse num auditório da Fiesp: respeito aos contratos, regras claras, corte de gastos, eficiência e agências reguladoras fortes. Esqueceu que o Zeca da padaria da esquina não sabe nada sobre isso e que em qualquer lugar do mundo oposição só chega ao poder prometendo saúde, educação e renda. O próprio FHC fez isso com os cinco dedos da mão em 1994: saúde, educação, emprego, agricultura e segurança. Aécio fala do caminho a percorrer e se esquece de mostrar o resultado que levará ao povo. Por fim, surge Marina Silva, da Rede que não existe ainda. Substituiu Campos no PSB e até agora ninguém sabe exatamente o que ela prega. O que fará com o agronegócio? Como se portará nas relações exteriores? Quais as propostas para a saúde? Como fica o tamanho da máquina pública? Com que base no Congresso vai governar? O que se tem conhecimento até o momento, é que o seu plano econômico é comandado por criadores do Plano Real e sócios do Itaú, e é muito parecido com o do PSDB. De resto, não importam as respostas. Marina cumpre o seu papel: prometer um novo país e uma nova política, abraçada ao retrato do finado candidato. Marina quer captar os 70% dos eleitores que querem mudança, e sabe falar para eles de um jeito que o economês tucano não consegue. Petistas e tucanos estão em polvorosa. Os bastidores indicam que Marina, sem abrir a boca para propor nada, já está roubando votos dos dois adversários. Para o PT perder para uma ex-petista num partido com 2 minutos na TV é humilhante. Para o PSDB, mais humilhante ainda é ficar em terceiro lugar. Resta saber até que ponto a terceira via se sustenta com pouco tempo na TV e com os prováveis ataques que receberá de todos os lados a partir de setembro. Lula, em 1989, aniquilou Brizola e se garantiu no segundo turno. Serra, em 2002, fez o mesmo com Ciro Gomes e também foi para o segundo turno. Marina que se cuide, e trate de esclarecer o que fará com o Brasil.

Rodrigo Leonardo Vargas Silveira rodrigo.silveira@msn.com 
Itajaí (SC)

*
LULA X IMPRENSA

Vamos nos curvar às ameaças do ex-eterno presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra a imprensa livre? Tá passando da hora de pôr um fim nesse martírio que já dura 12 anos. Acorda, Brasil!

Jose Roberto Iglesias rzeiglesias@gmail.com 
São Paulo 

*
AUTENTICIDADE

Na propaganda eleitoral, a diferença entre Tiririca e Lula é que 
Tiririca é autêntico.

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com 
São Paulo

*
AS RAZÕES DO ELEITOR

O eleitor tem razões que a própria razão desconhece... Dá para entender que Fernando Pimentel, aquele que foi pego usando sua influência no governo e enriquecer prestando consultorias altamente suspeitas entre a sua saída da prefeitura de Belo Horizonte e a sua entrada no governo Dilma, seja o primeiro colocado nas pesquisas para o governo de Minas Gerais? Sem a proteção oferecida por sua grande amiga Dilma, que fez com que o caso das consultorias fantasmas fosse abafado, ele hoje não estaria em condições de pleitear esse importante cargo.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com 
Rio de Janeiro 

*
A PREGAÇÃO DE UM INGRATO

Os políticos, candidatos e especialmente o ex-presidente Lula, têm se ocupado em criticar a imprensa, classificando-a como “partido de oposição”. Nada mais injusto quando dito por alguém que, desde o emergir do sindicalismo no final dos anos 70 e em toda a sua trajetória, foi agraciado com largos espaços nos veículos de comunicação. Não é a primeira vez; no final do seu segundo mandato presidencial, Lula já tentou impor à nação uma lei onde o governo poderia controlar e amordaçar os veículos de comunicação. É preciso entender que a imprensa livre é um dos pressupostos da democracia. Quando ocorre um retrocesso – de esquerda ou de direita – o primeiro ato é censurar a imprensa. No Brasil contemporâneo, as mazelas só são descobertas graças ao trabalho da imprensa livre e destemida, mesmo com todas as pressões que sofrem jornais, revistas, emissoras de rádio e televisão e jornalistas. Sem essa atividade, os malfeitos continuariam e os malfeitores seguiriam impunes. Essa atividade não deve ser encarada em caráter pessoal e nem classificada como militância, pois se trata da natureza do meio, a luta pelo aperfeiçoamento do serviço público e pelas mudanças aspiradas na sociedade. Lula, por certo, não acha ter sido opositora ou até golpista a imprensa que, cumprindo a finalidade de então, deu guarida à sua pregação contra os governos militares e civis que antecederam sua posse na presidência da República. O que teria mudado entre os velhos tempos da “luta democrática” e hoje? 
 
Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br
São Paulo

*
DECLARAÇÕES ABSURDAS

“Estadão”: 1) “Lula diz que imprensa é 'principal partido de oposição' a Dilma”. 2) Dilma cobra gestão FHC na Petrobrás e defende presidente da estatal. Petista afirma que afundamento de plataforma e troca de ativos sob suspeita nunca foram investigados com ‘denodo’ no governo tucano”. O boquirroto não esconde seu viés autoritário e confunde imprensa livre com Congresso omisso (parte dele comprado, segundo o julgamento do mensalão). Já a  dona Dilma deveria se abster de comentar qualquer coisa sobre a Petrobrás após ter admitido que  aprovou a compra da Refinaria de Pasadena baseada em relatório incompleto, clara demonstração de inépcia. Além do mais deveria se dar por feliz por ter sido poupada pela  Rede Globo que passou ao largo do assunto Petrobrás na entrevista  realizada na semana passada.    

Antonio C. Gomes da Silva acarlosgs@uol.com.br 
São Paulo

*
A PROPAGANDA ACEITA TUDO

A transposição do Rio São Francisco já está atrasada em dois anos e parte da obra tem que ser refeita por falta de manutenção. Parques eólicos no Nordeste do País estão com suas hélices travadas por atraso na construção das linhas de transmissão que deveriam fazer a ligação com as regiões de consumo. Trecho de 220 km da Ferrovia Norte-Sul, inaugurada em maio deste ano por dona Dilma, terá de ser reformada porque os dormentes de madeira utilizados em 2010 estragaram por falta de manutenção. São apenas três exemplos da falta de planejamento e da incompetência dos governos petistas que agem como aquele pombo jogador de xadrez, que derruba as peças, suja todo o tabuleiro, estufa o peito e sai cantando vitória. 

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br
São Paulo

*
ELEIÇÃO E SEGURANÇA PÚBLICA

Alguns candidatos ao governo insistem na redução da maioridade penal, mas não há como reduzi-la dentro do nosso ordenamento jurídico. De acordo com o Artigo 228 da Constituição federal, os menores de 18 anos são penalmente inimputáveis, e ainda amparado pelo Artigo 5º Inciso XL, a lei penal só retroagirá em benefício do réu. Considerando ainda o Artigo 60,§4º, Inciso IV, não será alterada nenhuma cláusula que envolva garantia ou direito individual, como o de ser penalmente inimputável até os 18 anos. Dito isso, fica evidente que a proposta do pastor Everaldo é inconstitucional e pode induzir ao erro milhares de brasileiros. Atenção nas propostas.

Felipe da Silva Prado felipeprado39@gmail.com 
São Paulo

*
SLOGANS SURRADOS

Mais uma vez a sempre famosa frase do candidato Paulo Maluf, a deputado federal: “No meu governo, a Rota ficava nas ruas e bandidos na cadeia”. Vamos mudar um pouco: “No meu governo, a Rota ficava nas ruas e os bandidos na Prefeitura de São Paulo”. Chega! Está mais do que na hora do deputado Maluf se aposentar.

Maria José da Fonseca fonsecamj@ig.com.br 
São Paulo

*
EMPRÉSTIMO CONSIGNADO – SINUCA DE BICO

Com aumento modesto da aposentadoria, muitos da terceira idade estão com o nome no (SPC). Conforme dados do Banco Central (BC), os pensionistas do INSS devem R$ 71 bilhões nessa modalidade. Em 2004, quando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deu autorização para que os empréstimos consignados fossem descontados direto das aposentadorias, Lula estufava o peito dizendo que os aposentados iam tomar mais iogurtes. Como perguntar não é ofensa: Como nossos idosos farão para sair dessa sinuca de bico? 

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com 
Jandaia do Sul (PR)

*
CONFISCO

Utopia de milhões de aposentados é sonhar que o governo brasileiro respeite os seus direitos de cidadão, que ajudou a escrever a história deste país com o suor de sua pele e o sangue de seu corpo, e não ver esse passado honrado e glorioso ser esquecido e menosprezado. Respeitem os idosos e parem de confiscar 11% desses milhões de aposentados, que já pagaram a previdência para se aposentar.

Newton Faro newtonfaro@yahoo.com.br 
Rio de Janeiro

*
PRIMEIRA NECESSIDADE

Para incentivar a venda de carros o governo estuda mudança no Código Civil. Para atender a um segmento que quase nada acrescenta ao PIB do País o governo pretende mexer no Código Civil. Pelo visto, carro deve ser gênero de primeiríssima necessidade. O Código Civil precisa passar por alterações, bem como o Código Penal, este então urge que se façam mudanças para ontem. A letargia do governo em algumas atitudes e o interesse de atender certos segmentos é de estarrecer. A mídia está noticiando fraudes na venda de remédios e na má gestão que provoca a falta dos mesmos. Alguma medida sobre isto? Não. Provavelmente este sistema está na mão de algum afilhado do governo e não se deve mexer.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com 
Rio de Janeiro

*
OS CARROS E O PT

O governo do PT quer aumentar a venda de carros, "facilitando" o financiamento. O prefeito de São Paulo, do PT, quer restringir o uso do carro. Dá para entender?

Milton Bulach mbulach@gmail.com 
Campinas 

*
PALMEIRAS, 100 ANOS

A Sociedade Esportiva Palmeiras – ex-Palestra Itália – é o Campeão do Século 20 e o clube mais vezes campeão brasileiro da história. Chega aos 100 anos de vida (26/8/1914 – 26/8/2014) com história gloriosa, recheado de grandes conquistas, títulos e vitórias. Em todas as vezes em que o Brasil conquistou um Mundial, sempre teve um atleta do clube. Em 7/9/1965, na inauguração do estádio do Mineirão, em Belo Horizonte (MG), o Palmeiras vestiu a camisa amarela da Seleção Brasileira e venceu o Uruguai por 3 a 0. É o primeiro Campeão Mundial Interclubes, em 1951, campeão da Copa Libertadores da América e revelou grandes craques para o futebol brasileiro e mundial. Tem a terceira maior torcida do País. Uma apaixonada torcida, que canta e vibra. Parabéns, Verdão Campeão – 100, sempre nos nossos corações!
 
Renato Khair renatokhair@uol.com.br 
São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.