Fórum dos Leitores

GOVERNO DILMA

O Estado de S.Paulo

03 Dezembro 2014 | 02h05

Toma lá dá cá

Por causa da desenfreada gastança e do descontrole contábil (do governo federal), para atingir a meta fiscal prevista na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) faltam R$ 81 bilhões. Está difícil para o Congresso Nacional engolir tamanho descalabro, mas tia Dilma tem um trunfo: só aprova o reajuste salarial de 34% (de R$ 26.723,13 para R$ 39.919,05) se os deputados e senadores engolirem a marretada na LDO. Nós, contribuintes, pagaremos a conta, claro. E a credibilidade internacional brasileira vai pro espaço, além do que, em cascata, as Assembleias Legislativas e as Câmaras Municipais sofrerão o mesmo reajuste. Assim, sem dinheiro, se elimina a chance de promover melhorias na saúde, na educação, na segurança, na mobilidade e na infraestrutura. Será que um dia a comunidade internacional vai considerar o Brasil um país sério?

HUMBERTO SCHUWARTZ SOARES

hs-soares@uol.com.br

Vila Velha

De quatro

O Congresso está de cócoras, chantageado pelo decreto presidencial que condiciona a liberação das emendas parlamentares à aprovação de lei modificadora das diretrizes orçamentárias. Em resumo, uma lei autorizando desobedecer a outra lei. Que pouca-vergonha, aonde chegamos! Até quando seremos obrigados a suportar tanto insulto?

JOSÉ ROBERTO CICOLIM

jrobcicolim@uol.com.br

Cordeirópolis

Compra de votos por decreto

A falta de pudor do governo Dilma atingiu novo patamar! Por decreto o Executivo oferece verbas a todos os parlamentares explicitamente em troca da aprovação do projeto que manda às urtigas a responsabilidade fiscal!

EDUARDO SPINOLA E CASTRO

spinola.adv@gmail.com

São Paulo

A lei diz que é crime

O PT aprendeu rápido como ganhar (comprar) votos. Primeiro, compra metade dos votos dos brasileiros com o Bolsa Família. Agora, condiciona a liberação de emendas (verbas) dos deputados e senadores à votação de projeto do (des) governo. E a lei diz que comprar votos é crime...

BATISTA MORETTI

batista.moretti@hotmail.com

Cerquilho

Venda 'casada'

Pergunto se é mesmo possível que o governo Dilma faça a proposta: aprovem o que me interessa e depois lhes dou dinheiro para emendas. Os bancos brasileiros estão impedidos de fazer oferta "casada" há muitos anos.

ANTONIO CARLOS EVA

evaantoniocarlos@gmail.com

São Paulo

Propina oficial

Ao vincular emendas à aprovação da nova regra fiscal, em decreto, Dilma inovou: oficializou a propina, a compra de votos, o mensalão. Que dia triste para o País! Mas mais triste ainda é, talvez, saber que isso só pode acontecer porque a nossa oposição está mesmo é interessada em "arranjos" desse tipo. Não temos quem defenda a democracia. Será que dá para piorar?

CARLA PEDROZA DE ANDRADE

carla-pedroza@uol.com.br

São Paulo

Herança bendita

Joaquim Levy indicado por Dilma e Henrique Meirelles indicado por Lula são testemunhos claros da herança bendita que foi a política econômica de FHC e Pedro Malan. Como estão dizendo, na hora do aperto os governos petistas acabam "tucanando". Com essa mudança a presidente tenta salvar o Plano Real, tão prejudicado pela política econômica irresponsável e não confiável de Guido Mantega. Mas outro pilar importante deixado por FHC, a Lei de Responsabilidade Fiscal está sendo seriamente minada pela flexibilização da LDO, por meio do pretendido PLN 36. A oposição não pode ceder, pois abrirá uma brecha para outras "flexibilizações" de leis disciplinadoras da Constituição. Se a receita não aparece, que reduzam os grandes e perdulários gastos feitos para atender a cupinchas e companheiros desempregados. Chega de aparelhamento! Queremos mais competência e eficiência no uso do nosso suado dinheiro!

SILVANO CORRÊA

scorrea@uol.com.br

São Paulo

Quem é golpista?

Acabou a perplexidade com a indicação do triunvirato do bem, Levy, Barbosa e Tombini, para os postos-chave da economia nacional. Eles representam apenas uma cortina de fumaça para tentar "reganhar" a confiança dos investidores nacionais e internacionais, quando, na verdade, dona Dilma se prepara para dar outra rasteira na credibilidade, na Justiça e na dignidade deste país. E contra isso não há Levy que resolva. Dilma Rousseff destinou vultosa soma para cada parlamentar do Congresso desde que sua vergonhosa proposta contra a Lei de Responsabilidade Fiscal seja aprovada, isto é, a liberação para que ela continue a lesar a Pátria com sua gastança desordenada está sendo comprada e, como sempre, com o nosso dinheiro! E depois essa presidente temporária - porque não há mal que sempre dure - tem a desfaçatez de chamar a oposição de golpista?!

CARMELA TASSI CHAVES

tassichaves@yahoo.com.br

São Paulo

Corrupto e corruptor

No caso do petrolão, houve corruptos e corruptores. Uns só assinavam contratos se pagassem o valor da propina. A presidenta condiciona a liberação de recursos à aprovação da nova lei fiscal pelos parlamentares. Não é a mesma coisa? Toma lá dá cá. Que nome se dá a isso senão conluio, tramoia, acerto entre as partes, propina? Os srs. parlamentares não foram convidados singelamente a se corromper? Neste caso, quem é o corruptor? Não é o caso de eles fazerem em coro uma delação premiada?

JOSE PEDRO VILARDI

vilardijp@ig.com.br

São Paulo

Dança do mensalão

A presidente é o poder corruptor. Deputados e senadores aceitarão ser corrompidos? É a dança do mensalão que se repete.

MARIUS ARANTES RATHSAM

mariusrathsam@hotmail.com

São Paulo

PETISMO EM AÇÃO

Expulsão de corruptos

Fico feliz e esperançoso com a decisão do presidente do PT, Rui Falcão, aprovada na reunião do partido no Ceará, de expulsar de seus quadros os envolvidos em corrupção. Portanto, José Dirceu, Delúbio Soares et caterva deverão ser expulsos. Só fico com uma dúvida: será que depois de cumprirem a pena os criminosos corruptos poderão retornar ao partido?

FABIO PORCHAT

fabioporchat@gmail.com

São Paulo

POLÍTICA PROSTITUÍDA

Uma nova modalidade de prostituição foi oficializada no Brasil. O Planalto condicionou o pagamento de emendas parlamentares individuais previstas para este ano à aprovação do projeto de lei que flexibiliza a meta do superávit primário, o PLN 36/2014, que permite ao governo federal gastar mais do que pode, dentro da lei.

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br 
Americana

*
TOMA LÁ, DÁ CÁ

Liberação de verbas a parlamentares condicionada à aprovação de decreto de Dilma para alterar a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), se não é chantagem, o que poderia ser?

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br 
São Paulo

*
MARX, MAQUIAVEL E O PT
 
A curva do Índice de Moralidade Pública (IMP) anda tão em baixa no Brasil que assuntos e decisões políticas com potencial de assombrar qualquer nação minimamente civilizada, aqui, viraram notícia secundária, perdida num mar de escândalos produzidos pelo desgoverno do PT. Assim foi que a presidente Dilma, tendo descumprido a meta de superávit primário, sacou de sua flexibilíssima “Régua de Lesbos” para amoldar, à medida das necessidades do poder, a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), com o objetivo de legalizar o que é ilegal. Para atingir seus objetivos espúrios, tudo passou a ser válido, a começar pela bizarra substituição, na lei – por sugestão do senador Romero Jucá, da base aliada – da palavra “meta” (que faz todo sentido) por outra mais apropriada para o padrão da economia petista: “resultado” (que não faz sentido algum). Ao fraudar o espírito da lei, o governo descumpre a LDO e a Lei de Responsabilidade Fiscal ao mesmo tempo e sai pimpão. Dado que o jogo é bruto e a pílula é difícil de engolir, nada como o bom e velho vil metal para aplainar as coisas: Dilma promete distribuir R$ 747,5 milhões adicionais (!) aos senhores deputados e senadores em troca da aprovação do novo texto legal – verba para irrigar as emendas parlamentares –, comprando, destarte, em moeda sonante e de forma explícita, o voto dos parlamentares para a aprovação do projeto de lei que flexibiliza a meta do superávit de 2014. Tal expediente embute em si um misto de prêmio e chantagem, expedientes abjetos e repulsivos que o PT, todavia, é useiro e vezeiro em praticar, como ficou claro no episódio do mensalão. Faz assim seja com as grandes empreiteiras, empresas, parlamentares, etc., seja com os humildes (bolsas). A ideia do novo socialismo é usar o dinheiro do povo para comprar a todos – pagando bem – e seguir dando as ordens, acima do bem e do mal. Marx disse que compraria a corda com a qual enforcaria seus adversários. O velho ideólogo, se vivo fosse, ficaria surpreendido com o uso maquiavélico que seus discípulos, ditos socialistas, passaram a fazer do capital, anos após sua morte, num improvável país abaixo do Equador.
 
Silvio Natal silvionatal49@gmail.com    
São Paulo

*
EXTORSÃO

Dona Dilma afirmou que só libera verbas para os nobres deputados se eles aprovarem a lei da anarquia das contas públicas. Isso não é corrupção?

Milton Bulach mbulach@gmail.com 
Campinas 

*
CHANTAGEM

Chantagem explícita a do governo Dilma, condicionando à aprovação do projeto que cancela metas a liberação de verbas para os parlamentares. Com risos do senhor Ricardo Berzoini, aquele do rombo do Bancoop em 2002, e ironia do senhor Gilberto Carvalho, na maior cara de pau dizendo que o trio que cuidará da economia vai se adequar à linha do governo. Se assim fosse, o Brasil quebraria de vez.
 
Celso de Carvalho Mello celsosaopauloadv@uol.com.br 
São Paulo

*
DECRETO E AMEAÇA

Tinha de ser numa sexta-feira (28/11), um dia da semana apropriado para que Dilma Rousseff mandasse publicar no “Diário Oficial” da União uma chantagem explícita usando abertamente um documento oficial. O poder eterno desejado pelo Partido dos Trabalhadores (PT) está consolidado, tamanho é o descaramento do governo. O mais odioso dessa petulância é que, no texto do decreto, é mandado um recado malcriado ao Congresso: se o Parlamento não aprovar a burla da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) por meio de mudança na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), contrariando preceitos constitucionais, a verba não será liberada. A aprovação do PLN 36/2014 deveria envergonhar não só o Congresso, mas também estes dirigentes que há 12 anos mostram ser apátridas. O Brasil há de resistir a esta horda de hunos tropicais.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com 
Vassouras (RJ)

*
A FERRO E FOGO
 
Se vocês, parlamentares, não aprovarem a nova Lei Fiscal, não liberarei os R$ 444,7 milhões em emendas, enfatiza Dilma. Os reflexos dessa atitude fascista, caso seus desejos não sejam alcançados, farão um bem para o Brasil, senhora presidente? Jogar a Lei de Responsabilidade Fiscal no lixo é um risco muito perigoso e poderá trazer consequências graves ao País. 
  
Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br 
São Paulo

*
CORDEIROS

Setecentos e quarenta e oito mil reais serão oferecidos a cada deputado que aprovar um projeto que isenta a “presidAnta” da responsabilidade fiscal. O povo não pode se calar, isso será pago por nós. Não podemos financiar ladrões. Devemos prestar atenção em quais dos nossos representantes são os cordeiros. Está na hora de mostrar que não seremos Venezuela. Acordem, brasileiros honestos, e vamos fazer um país com justiça. 

Wilson Matiotta loluvies@gmail.com 
São Paulo

*
VOTAÇÃO NO CONGRESSO

Na liberação das “emendas parlamentares”, o remendo lulopetista. Um Congresso podre só pode ser cooptado por moeda podre.

A.Fernandes standyball@hotmail.com 
São Paulo

*
EMENDAS X LDO

Trata-se de uma compra de votos, explícita e imoral. 

Luigi Vercesi luigiapvercesi@gmail.com 
Botucatu

*
PONTO SEM VOLTA

Quando um presidente se permite fazer abertamente uma chantagem escancarada como a sra. Dilma Rousseff está fazendo sobre o Legislativo, é porque chegamos ao “no return point”. Daqui para a frente, vamos todos ter de ajoelhar no milho. Onde estão as forças éticas da Nação?

Filippo Pardini filippo@pardini.net 
São Paulo 

*
OPOSIÇÃO

A pergunta quer não quer calar: cadê a oposição?

Arnaldo de A. Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com
São Paulo

*
‘ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA’

De acordo com a Lei n.º 12.850 (16 de setembro de 2013), a definição de organização criminosa é: “Associarem-se três ou mais pessoas para o fim de cometer crimes”. Logo, seria mais produtivo e lógico que o PT, ao invés de processar o senador Aécio Neves – que disse que não perdeu a eleição para um partido político, mas para uma “organização criminosa” –, editasse uma medida provisória, especialidade petista, mudando essa interpretação.

Abel Pires Rodrigues abel@knn.com.br 
Rio de Janeiro

*
SOCORRO

É muito, muito grave o que o sr. senador da República Aécio Neves afirmou. Quer dizer, então, que vamos ser governados por mais quatro anos por uma organização criminosa? Diante disso, só cabe uma palavra: socorro!

Valdir Sayeg valdirsayeg@uol.com.br
São Paulo

*
DEFESA NO SENADO

O senador Humberto Costa subiu à tribuna para responder e tentar defender o indefensável diante da manifestação do senador Aécio Neves. O senador Humberto Costa tem de aprender que, antes de defensor de um partido político, ele é um senador da República e que é a moralização das entidades representativas da República que ele tem de defender.

Sebastião Hetem sebahetem@ig.com.br
Taiuva

*
MOINHOS DE VENTO

Respondendo a Aécio Neves, o nobre senador Humberto Costa falou em moinhos de vento. Pura verdade. O mensalão não passou disso, “moinhos de vento”. Pena que os operadores do aparelho foram presos. E o episódio dos aloprados? As pás ainda giram moendo a farinha da cara de pau. E, finalmente, o caso Petrobrás. Que belo moinho construído – é claro – pela Polícia Federal. Talvez o nobre senador pensou em moinhos por associação com pizza, a imensa pizza da comemoração da impunidade. Haja farinha!

Cloder Rivas Martos closir@ig.com.br  
São Paulo

*
INCOERENTE

As grossuras proferidas pelo senador Aécio numa entrevista na televisão mostra uma pessoa por demais incoerente. As suas acusações contra a candidata que o derrotou nas eleições recentes podem ser caracterizadas como desespero. Quer dizer que ele pode xingar à vontade e seus adversários são obrigados a serem delicados, ficando calados?

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br 
Santos

*
O ‘PETROLÃO’ E O PP

“Quase todo o PP está ligado a propinas, acusa Alberto Youssef.” Essa foi a manchete do “Estadão” de segunda-feira. Se eu não estiver equivocado, o Partido Progressista (PP) tem hoje 40 deputados federais, entre eles grandes conhecidos do eleitorado: Paulo Maluf, Espiridião Amin, e o radical Jair Bolsonaro. E, dos seus cinco senadores, destaco Ana Amélia, que disputou o último pleito para o governo do Rio Grande do Sul, Francisco Dornelles e Ciro Nogueira, presidente do partido. O doleiro Alberto Youssef, que está preso e tenta se beneficiar com a delação premiada, afirmou à Polícia Federal (PF) que somente dois parlamentares do PP é que não estariam envolvidos nos desvios de recursos da Petrobrás, investigados pela Operação Lava Jato. Ou seja, se confirmada essa denúncia, o partido de Maluf pode ser até extinto. E o que esperar, então, das graves denúncias, inclusive do delator Paulo Roberto Costa, que envolvem o PT, partido de Lula, e o PMDB, partido do vice-presidente Michel Temer, que desde o início das investigações, e ao lado do PP, são citados como dos maiores beneficiários neste mega rombo nos cofres da estatal de petróleo?
 
Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com
São Carlos

*
‘PARTIDO DA PROPINA’

Diante das graves denúncias feitas pelo doleiro Alberto Youssef contra o Partido Progressista, os dirigentes do partido precisam vir a público esclarecer essa delicada situação, sob pena de se tornar o “Partido da Propina”.
 
Marcos Abrão m.abrao@terra.com.br 
São Paulo

*
PPP

O Partido Progressista deveria adicionar um P à sua sigla: PPP, Partido Progressista da Propina.

Silvio Leis silvioleis@hotmail.com 
São Paulo

*
‘PETROLÃO’

Não estaria na hora de aparecer os nomes dos políticos envolvidos? Ou vão continuar debaixo do tapete?

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com 
São Paulo

*
DESVIO DE BILHÕES

Imaginem, por exemplo, todo esse dinheiro pego na Operação Lava Jato direcionado para a saúde. Definitivamente, os envolvidos deveriam ser banidos do Brasil. Como puderam trocar o calor de um coração verde e amarelo pela frieza de um cofre de aço, tão pesado quanto sua consciência?

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com 
Niterói (RJ)

*
AUMENTO DA CRIMINALIDADE

Talvez o título desta carta soe como um desabafo sobre o crescimento da criminalidade em todos os Estados e municípios brasileiros. Embora esse tipo de violência seja motivo de preocupação constante entre os cidadãos, faço referência à violência cometida pelos políticos: a corrupção. Os jornais noticiam volta e meia um novo escândalo. Uma nova descoberta sobre quem ou qual partido político “abocanhou” determinado valor ou se apropriou indevidamente do patrimônio público, ou seja, o nosso. Penso que passou da hora de darmos um basta nisso tudo. A presidente foi reeleita e o novo Congresso tomará posse em 2015, mas isso não significa que tudo pode continuar do jeito que está. Faltam investimentos em tudo e não há lei que puna de forma efetiva e rigorosa aqueles que prejudicam o erário. O mensalão é a prova inconteste dessa afirmação. A Operação Lava Jato será outro exemplo de que a legislação é branda em demasia. As reformas estruturais estão engavetadas no Congresso. Enfim, as decisões de interesse nacional continuam paradas. Enquanto isso, permanecemos na lanterna do desenvolvimento, os corruptos estão livres e a conta da inércia do Legislativo fica sob responsabilidade da sociedade. 

Willian Martins martins.willian@globo.com 
Guararema

*
BRASIL DOMINADO PELO CRIME 

Os telejornais mostram crimes e mais crimes. Os criminosos dominam nas cidades, matando até policiais, e, na política, roubando impunes. As leis são feitas por políticos, classe em último lugar na confiança dos cidadãos nas pesquisas, penalizando os bons. No poder estão os maus e todos sabem quem é o chefão, mas as leis o protegem. Na Itália, juízes cumpridores das leis, que não obedeciam ao “cappo” da máfia, prenderam todos. Quando teremos leis e um Judiciário iguais?

Mário A. Dente dente28@gmail.com 
São Paulo

*
O CUSTO DA CAMPANHA ELEITORAL

A campanha eleitoral deste ano apresentou custo total de R$ 5,1 bilhões. Pena que 70% de tudo o que os políticos nos prometem em campanhas é balela.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com 
Jandaia do Sul (PR)

*
FINANCIAMENTO DAS CAMPANHAS

Segundo o raciocínio de muitos, e especialmente dos petistas, se acabar o financiamento de campanha por empresas, a corrupção acaba. Isso é uma grande falácia. Não havendo financiamento das empresas, o caixa 2 vai acabar? De onde tiraram essa ideia? E a corrupção? Quer dizer que todas essas lambanças na Petrobrás não existiriam, se não houvesse o financiamento legal das campanhas pelas empresas? Só um boboca pode acreditar nisso. E é de extrema falta de decoro o que se tem ouvido de parlamentares e da própria presidente. O que garante que os corruptos deixarão de manipular as estatais com isso? Que haja um controle maior, um limite e regras mais igualitárias. O financiamento público só beneficia o PT, está claro. Nada muda com relação à corrupção, que grassa pelo País, se a proibição do financiamento de campanha por empresas for aprovada.
 
Maria Tereza Murray terezamurray@hotmail.com
São Paulo

*
KÁTIA ABREU EM MAUS LENÇÓIS

Ih, caramba! O frigorífico JBS esperneou com a indicação da senadora dona Kátia Abreu para o Ministério da Agricultura. Ou será que é o “filhinho do papai” com relações comerciais muito próximas da Friboi (do Grupo JBS) que está por trás, esperneando? E agora, será que a presidente Dilma vai consultar o chefe do clube? Acho que dona Kátia Abreu está em maus lençóis. 

Clézio Donizete Goulart clezio_goulart@yahoo.com.br 
São Paulo

*
O DOADOR DA CAMPANHA MANDA?

Aqui é Brasil? Será que é mesmo? Mudou muito, mas é o nosso Brasil na era da PTulância, onde até doador de campanha eleitoral dá “ordens” ao governo. Não concorda com a indicação para o Ministério da Agricultura da senadora Kátia Abreu, do PMDB-TO. Pasmem, só podia ser o Grupo JBS (Friboi) de quem, de quem? Do filho “prodígio” do ex-presidente Lula, o Lulinha. Conhecem? Será preciso dizer ou escrever mais alguma coisa ou dar mais referências?
 
Fernando Silva lfd.dasilva@2me.com.br 
São Paulo

*
A CONTA DO DEPUTADO

O deputado federal do PMDB Eduardo Cunha gastou com telefonia R$ 108 mil de janeiro a outubro de 2014, ou R$ 10.800,00 por mês, em média. Como nossos deputados “trabalham” três longos dias por semana, temos, considerando 12 dias, a média de R$ 900,00 por dia. E todo esse gasto é feito com o dinheiro público que nós, cidadãos contribuintes, pagamos em impostos. A minha indignação é tamanha que o que estou pensando não posso escrever aqui.

José Luiz Martin jlmartin@estadao.com.br 
São Paulo

*
O EXEMPLO NÃO VEM DE CIMA?

Aprendi que o bom exemplo vem de cima. Se o governo nomeou uma equipe econômica ortodoxa, é porque quer cortar gastos, fazer ajustes severos na economia. Então o governo terá de dar o exemplo, mas parece que não é assim. Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) terão aumento de salário de 22% em janeiro de 2015. Será que os parlamentares não aumentarão em 26% os seus salários? Para dar bom exemplo, a verba indenizatória da Câmara dos Deputados, de R$ 32.600,00 mensais por deputado, será reduzida? Quando a farinha é pouca, o meu pirão primeiro. Assim sendo, quem sofrerá as consequências do ajuste mais uma vez será o povo brasileiro. 

José Luiz Martin jlmartin@estadao.com.br 
São Paulo

*
A VOLTA DO IMPOSTO DO CHEQUE

Conforme notícias desta semana, três governadores recém-eleitos, Camilo Santana (PT-CE), Rui Costa (PT-BA) e Wellington Dias (PT-PI), se articulam para a volta da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), o imposto do cheque. Será que a carga tributária de 36,27% do produto interno bruto (PIB) do Brasil, de R$ 2,242 trilhões, não é mais do que suficiente? Que tal reduzir as despesas com salários e benefícios que consomem 75% do Orçamento federal, e esquecer o tal imposto do cheque?

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com 
Campinas 

*
A CPMF E OS LADRÕES

Muito gostoso pedir de volta a CPMF num país habituado a roubar o cidadão, com aprovação de autoridades venais e políticos que trocam até a mãe por um cargo. Mais este furto ao dinheiro do cidadão será aprovado, mas falar qual será o imposto substituído ou se servirá de desconto no Imposto de Renda, nada! É puro e simples furto.
 
Roberto Moreira da Silva rrobertoms@uol.com.br 
São Paulo

*
A PRESIDENTE QUE SE VIRE

A nova equipe econômica nem assumiu e já começaram os aumentos de impostos. Aumentou o preço da gasolina, da energia elétrica, da cesta de Natal, dos produtos importados, do IPTU, etc. Agora, governadores eleitos do PT querem também ressuscitar o CPMF! Já que é assim, convoco todos os brasileiros para que ajam como os europeus, que, depois de duas guerras mundiais, que arrasaram suas cidades, aprenderam pela fome a economizar, deixando para comprar apenas produtos essenciais. Além de ser uma ótima oportunidade para educar os filhos contra o consumismo exagerado, será uma forma de mostrar ao governo que, se ele gastou desmesuradamente, que assuma sua dívida e não jogue mais uma vez nas costas do povo brasileiro o fardo de resolver o problema.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br 
São Paulo

*
GOVERNO PERDULÁRIO

A imprensa noticia que a equipe econômica estuda aumento de impostos para equilibrar as contas do governo. Quer dizer que a nova equipe econômica desconhece que um governo que é perdulário gasta mais do que arrecada (e como arrecada!) e, quando fica sem dinheiro, a saída que encontra é o aumento de impostos? Qualquer chefe de família sabe que, quando seu orçamento estoura, ele tem de reduzir os seus gastos. Por que o governo não corta os seus gastos? Se a equipe não sabe como fazer para o dinheiro aparecer, aqui vai uma sugestão: basta demitir os milhares de companheiros que estão abrigados sob o guarda-chuva do governo – esta uma primeira medida, certamente há muitas. Pelo visto, a palavra economia não existe para o governo, o verbo que ele adora é gastar. O governo é a grande sanguessuga dos brasileiros que trabalham para sustentar esta cambada de incompetentes! Brasil, um país de tolos!

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com 
São Paulo

*
IPVA PARA MÁQUINAS AGRÍCOLAS

O governo federal faz jus à sua ideologia socialista gramsciana, esbulhando e imolando mais uma vez o setor produtivo, ao pôr em prática o emplacamento e cobrança de Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) sobre máquinas agrícolas. Há de deixar claro que máquinas agrícolas não são veículos que carregam passageiros e também não são utilizados para deslocamentos, viagens e lazer, mas, sim, para gerar divisas e produzir alimentos para o País, além de garantir o saldo positivo da balança comercial brasileira. Mas no Brasil de hoje, onde uma juíza federal defende numa palestra para policiais que estes não podem atirar em bandidos, onde diretores de uma estatal roubam dela o equivalente ao PIB de muitos países durante dez anos e onde a senhora presidente da República acha que conhece meteorologia melhor do que os oficiais da Aeronáutica que pilotam o avião presidencial, só falta encontrarmos andando pelas ruas o boitatá, a mula-sem-cabeça e o saci pererê.

Frederico d’Avila fredericobdavila@hotmail.com 
Buri

*
CRISE NA INDÚSTRIA

A desindustrialização brasileira e seus impactos negativos na economia, na geração de empregos e de renda é gravíssima e tem sido ignorada por governos, federações e empresários. Citando como exemplo o mercado de aço e equipamentos, o Brasil tem produzido anualmente o que a China produz em 18 dias, e somente na última década a importação de produtos chineses pelo Brasil gerou 1 milhão de empregos naquele país. Cabe ressaltar que cada emprego gerado pelo setor siderúrgico cria outros 23 empregos indiretos. Assim, estamos gerando emprego e renda só para os chineses. Impressionam os dados divulgados pela Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) revelando que a participação das fábricas mineiras no crescimento do Estado passou de 28,4%, no ano de 1985, para atuais 11,8%, e com tendência de queda. A permissividade dos brasileiros com a exploração e envio do minério de ferro e demais matérias-primas brutas ao exterior sem nenhum valor agregado certamente reduzirá o Brasil a uma mera colônia exploratória e consumidora de seus próprios produtos com altos custos, ainda pior do que o realizado nos tempos de colônia portuguesa.

Daniel Marques danielmarquesvgp@gmail.com 
Virginópolis (MG)

*
LEI DE MURPHY

“Perícia de restos mortais de Jango é inconclusiva.” Se os fatos não comprovam a sua teoria, despreze os fatos (uma das leis de Murphy)
 
Ulysses Fernandes Nunes Jr Ulyssesfn@terra.com.br 
São Paulo

*
DIREITOS HUMANOS

A perícia internacional comprovou que João Goulart não foi envenenado, o que certamente causou decepção aos defensores dos direitos humanos e, consequentemente, nada de pagar uma polpuda indenização e reerguer a imagem política de Jango. Enquanto isso, pobre não tem vez, pois, quando sofre um acidente de trânsito, os seus familiares nem sabem que existe um DPVAT, que sempre dá uma ajudazinha financeira hospitalar ou ao funeral.

José Millei millei.jose@gmail.com  
São Paulo 

*
JOÃO GOULART

Depois de a conclusão da perícia internacional afirmar que não encontrou nenhuma substância tóxica nos restos mortais do ex-presidente João Goulart, a família e os defensores das indenizações aos torturados pela ditadura militar caíram do cavalo, não vão poder tomar meu dinheiro. Se comparar as absurdas indenizações que muita gente ganhou por ficar um dia preso, imagino quantos milhões de reais iriam custar ao País. Agora pergunto quem vai pagar a parafernália que fizeram para desenterrar, transladar, importar técnicos estrangeiros, criar um ambiente de idolatria e, agora, nada foi confirmado. Será que a Comissão da Verdade vai ressarcir o erário ou vai descobrir outra artimanha para premiar a família Goulart?

Antonio Favaro Neto a.favano.nico@uol.com.br 
São Paulo

*
GASTO INÚTIL

Dona Maria do Rosário recebeu uma lição sobre exumação. Antes que seja tarde demais, a ex-ministra poderia exigir justiça para Celso Daniel. O caminho é simples e sem custo: basta pedir a Ricardo Lewandowski que tire da gaveta o pedido de habeas corpus de Sergio Sombra.      

Helena R. Costa Valente  helenacv@uol.com.br  
Rio de Janeiro 

*
COMISSÃO DA VERDADE

Concordo plenamente com o professor Denis Lerrer Rosenfield (“Tabus e verdade”, 1/12, A2) em relação à Comissão da Verdade. Estamos fartos dessa comissão, totalmente parcial. A “verdade” aplica-se a alguns, e não a outros. Os “direitos humanos” só valem para os que estão do lado “certo”, dos companheiros revolucionários? Fora estes, os demais não são humanos? Uma verdadeira reconstituição dos fatos deveria ver todos os lados envolvidos.

Cleo Aidar cleoaidar@hotmail.com
São Paulo

*
CARLOS LAMARCA

Cumprimento o articulista Denis Lerrer Rosenfield (1/12, A2), que de forma objetiva retratou a verdadeira face do guerrilheiro assassino Carlos Lamarca, que hoje é idolatrado como herói pela esquerda festiva tupiniquim. Para acrescentar, incluo também como feito dos guerrilheiros assassinos a morte do inocente guarda de trânsito Orlando Pinto da Silva, na Rua Piratininga, Mooca, em 9/5/1969, assassinado sem nenhuma chance de defesa com um tiro na testa.

Carlos da Silva Leite Filho fatima.leite@superig.com.br 
São Paulo

*
HERÓIS E VILÕES

Quais eram os defensores da nação brasileira? São os revolucionários que assaltavam bancos e invadiam quartéis para roubar armamentos, sacrificando soldados inocentes, que, como disse o articulista Denis Lerrer Rosenfield, são heróis? Esta comissão somente tem olhos para um lado, dando-lhes direito a felpudas indenizações. Os leais à Pátria que se danem. Os antigos revolucionários estão em sua maioria extorquindo a Nação por meio da corrupção. 

Antônio Nacif Boan aboan@terra.com.br 
Belo Horizonte

*
‘TABUS E VERDADE’

Com bom senso ou sem bom senso, este relatório da Comissão da Verdade deverá ser arquivado, assim como o resultado da exumação do ex-presidente Jango Goulart, que acabou morrendo de morte morrida, sem vestígios de veneno ou substâncias tóxicas. Infelizmente, o efeito de uma eventual praga, rogada pelos seus próprios correligionários, só poderá ser comprovado na eternidade.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br 
Monte Santo de Minas (MG)

*
GUERRILHA DO ARAGUAIA

A condenação do Brasil pela Corte Internacional de Direitos Humanos da OEA pela questão da guerrilha do Araguaia não leva em consideração que o Estado  brasileiro despendeu, na época, todos os recursos para erradicar a guerrilha contra o Estado, sendo obrigado a empregar as suas Forças Armadas por anos para debelar os insurretos, com os métodos convencionais da época para combater  guerrilhas. Esquece a Corte que um dos propósitos da Lei de Anistia é a conciliação, e que um de seus famosos líderes, José Genoino, já foi até agraciado com as mais honrosas condecorações das Forças Armadas, e com elas colaborou como assessor do ministro da Defesa, mas até hoje, mesmo condenado, não devolveu as medalhas militares. Pergunte-se a Genoino quem mais desrespeitou os direitos humanos naquele solo hostil, em que é impossível encontrar quem desapareceu na luta inglória.

Paulo Marcos Gomes Lustoza pmlustoz@gmail.com 
Rio de Janeiro

*
ESQUERDA CRISTÃ

O Ministério da Justiça liberou novos relatórios sobre a ditadura militar brasileira para a Comissão Nacional da Verdade (CNV). O conteúdo e a publicidade desses dados ratificam a perseguição e repressão feita contra padres, freiras e até bispos. A tortura física foi usada pelos militares em 24% dos casos analisados. O grupo de trabalho da CNV, intitulado “Papel das igrejas durante a ditadura”, ressalta que os perseguidos ligados à esquerda cristã da época foram principalmente os participantes dos grupos AC (Ação Popular) e JUC (Juventude Universitária Católica). Ambos os grupos tinham integrantes filiados ao PCdoB e ao Movimento Popular de Libertação. Os dados totalizam 57 casos de repressão, tendo ocorrido inclusive em 1981, ou seja, já numa época de abertura política e início da redemocratização do Brasil. Ditadura nunca mais!

Wellington Martins am.wellington@hotmail.com 
Bauru

*
ELEIÇÃO NO URUGUAI

Tabaré Vasquez foi eleito como novo presidente do Uruguai e deve manter o ótimo governo que a esquerda vem fazendo no país há pouco mais de uma década. Vasquez já foi presidente, o excelente Pepe Mujica o sucedeu e levaram o Uruguai a obter grandes êxitos e vitórias na melhoria da vida do povo. O país deixou a estagnação econômica em que se encontrava, voltou a crescer, reduziu drasticamente a pobreza a apenas 11% da população, descriminalizou o aborto e a maconha e se tornou exemplo a ser seguido na América latina e no mundo. O Uruguai é um país pequeno, tranquilo, com apenas 3 milhões de habitantes e é também um país progressista, letrado e com alto Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Mujica foi um presidente sensacional e o povo uruguaio está de parabéns por tantas melhoras obtidas na última década e que devem seguir ocorrendo no próximo governo. Oxalá o Brasil aprenda com os nossos vizinhos do sul e siga o mesmo bom caminho do Uruguai.
 
Renato Khair renatokhair@uol.com.br 
São Paulo

*
VIOLÊNCIA E PROTESTOS NOS EUA

Tenho acompanhado com interesse e preocupação as notícias sobre as manifestações, nos Estados Unidos, em razão da morte do rapaz negro pela polícia.  Entretanto, para minha surpresa, assisti numa reportagem na televisão a um vídeo em que se via que o “menino de 18 anos” media 1,95m e pesava 135kg, e aparecia espancando impiedosamente o dono de uma loja de conveniência por ele assaltada. Ademais, na mesma reportagem aparece o policial com o rosto marcado por um violento soco do “garoto”. Ninguém está tentando justificar um assassinato e muito menos um possível ato de racismo, mas acho que a mídia norte-americana está sendo um pouco tendenciosa.

Luiz Antônio Alves de Souza zam@uol.com.br 
São Paulo 

*
VERGONHA, BRASIL

Quando se pensa que já se viu de tudo, eis que mais uma vez nosso querido Brasil se supera. Imagens da miséria contrastando com estádios suntuosos, criminosos condenados, à solta e rindo da cara do povo, palavra da presidente que não é cumprida, violência escancarada e todas as demais mazelas da saúde, educação, segurança, infraestrutura e a falta de vergonha na cara. Ver uma cadeirante subindo de nádegas as escadas de um avião estacionado no aeroporto de uma das maiores atrações turísticas é demais para qualquer cabeça.
 
Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br
São Paulo

*
‘ESTADÃO’

Não é de admirar que o “Estadão” nosso de cada dia tenha sido eleito pela 12.ª vez (6.ª consecutiva!) “o jornal mais admirado do País”, segundo pesquisa da Meio & Mensagem e do Grupo Troiano de Branding. Por sua irredutível postura, desde a fundação, em 1875, de manter-se independente em defesa dos ideais republicanos da democracia, da lisura, transparência e liberdade de expressão na nobre missão e vocação de levar informação ao maior número de pessoas, é que, nos 15 anos em que a pesquisa é realizada, o jornal obteve o 1.º lugar em 12 (!) oportunidades. Imprensa livre, país livre. Minha admiração, meus cumprimentos e felicitações. Bravo!

J. S. Decol decoljs@globo.com 
São Paulo

Mais conteúdo sobre:
Fórum dos Leitores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.