Fórum dos Leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S.Paulo

06 Dezembro 2014 | 02h03

Generalizada

O ex-diretor da Petrobrás Paulo Roberto Costa asseverou em sua delação premiada perante o Juízo Federal do Paraná, sob a presidência do magistrado Sérgio Moro, que a corrupção pode ser encontrada em todas as estatais, incluídas a Eletrobrás e outras, bastando realizar a verificação para que ela apareça. Daí se entende que a Polícia Federal (PF) terá, durante anos, um trabalho exaustivo para demonstrar ao povo brasileiro que uma verdadeira democracia não pode sobreviver com tanta corrupção entranhada no seio do Estado. Mas tal atuação da PF valerá a pena, porque, mais uma vez, o povo deste país ficará sabendo o nome dos corruptos, dos corruptores e dos partidos políticos beneficiários da ladroagem.

JOSÉ CARLOS DE C. CARNEIRO

carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

A vez da Eletrobrás

Não foi surpresa, era expectativa geral que a Eletrobrás estaria na linha de investigações do TCU, da Justiça Federal e da PF. De fato, há suspeitas de irregularidades da elétrica com empreiteiras e em sociedades de propósito específico, como noticiado pelo Estadão. O ex-diretor da Petrobrás mencionou a corrupção na Eletrobrás, assim como em aeroportos, portos e outros setores com "entendimentos especiais" entre as empresas públicas e fornecedores de serviços e equipamentos. Uma nova turma de executivos deverá passar pelo mesmo que passaram os da Petrobrás e suas empreiteiras.

FABIO FIGUEIREDO

fafig3@terra.com.br

São Paulo

Propina 'doação oficial'

Satírico, deplorável. Agora mais este novíssimo gol de placa da corrupção: Esquema da Petrobrás incluía doação oficial ao PT é o que se estampa na capa do Estadão de 4/12. Não há dia que se abra o jornal sem que, às escâncaras, ali se vejam impressas as "manobras criminosas" que, segundo Paulo Roberto Costa, alcançam todos os governos de José Sarney a Dilma Rousseff. A corrupção tem diversas cores, diversas formas e maneiras: ora passiva, ora ativa, quer venha ela de nomeações nos ministérios, nas estatais; ora oculta, ora despudorada, com a participação efetiva na rapinagem dos porões do crime, quando se acompadriam autoridades, políticos e lobistas no consilium fraudis; ou entre sorrisos e afagos, no fausto dos paraísos fiscais. Aperto mais esta minha admiração pelo poder ideológico, digna de um Federico Fellini, diante da genial estratégia de golpear a Justiça e o povo, colhida pelo PT, de legalizar o crime de rapinagem do erário pela fórmula sonora de "doações" milionárias, quiçá bilionárias, vindas com a certidão de justas, meritórias, louváveis... Certo vai Colton ao afirmar que a corrupção é como bola de neve, quanto mais rola, mais aumenta e se fortalece. E, convenhamos, tão sedutora que embota as consciências a ponto de o corrupto acreditar que as boladas que lhe brotam na conta nada mais são do que meritória "doação oficial". Chocante!

ANTONIO BONIVAL CAMARGO

bonival@camargoecamargo.adv.br

São Paulo

E compulsória

A contabilidade criativa do PT é surpreendente. Agora eles criaram a doação compulsória para os empresários que são agraciados com os contratos superfaturados nas empresas estatais. Apenas um pequeno detalhe que eles nunca percebem é que quem paga essa barganha financeira é o povo brasileiro.

VAGNER RICCIARDI

vbricci@estadao.com.br

São Vicente

Fórmula perfeita

Descoberta a fórmula da corrupção perfeita: a empresa corruptora faz uma "doação" legal ao partido corrupto de 3% do valor do contrato. Este remunera os "operadores" na forma de pagamento de consultoria para eles ou para parentes, no caso de serem funcionários das empresas estatais. Tudo dentro da lei. Sr. ministro do STF, urge coibir a doação de empreiteiras aos partidos políticos.

NÍVEO AURÉLIO VILLA

niveoavilla@terra.com.br

Atibaia

Ver para crer

O ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, reagiu indignado às acusações de que o dinheiro de propina da Petrobrás abasteceu as contas do PT entre 2008 e 2012. E ainda alega que o seu governo está combatendo a corrupção. Gostaria de saber em que lugar posso encontrar esse combate...

LUIZ FRID

luiz.frid@globomail.com

São Paulo

Palavra de ministro

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse também que os desvios da Petrobrás para o PT não foram para financiar a campanha eleitoral da dona Dilma. Então, foram para quê? Ou para quem? Ele sabe? Na atual conjuntura, palavra de ministro vale pouco. E sendo do PT, vale menos ainda... Era melhor que ficasse calado. Com todo o respeito, Excelência!

FERNANDO SILVA

lfd.dasilva@2me.com.br

São Paulo

Eleição de Dilma

Os gravíssimos fatos que recentemente foram evidenciados, a amplitude e endemia da corrupção comprovada em nosso país, levam a sérias conclusões. A Operação Lava Jato, da PF, constatou a criminosa subtração patrimonial da Petrobrás, sendo o principal favorecido o partido de Dilma, o PT. Obviamente, esses fundos foram em grande parte usados para financiar as campanhas eleitorais de Dilma, tanto na sua primeira eleição como na do segundo turno, fortalecendo suas chances nesses pleitos. Ainda mais ocultando até o último dia da sua reeleição os péssimos resultados da sua administração econômico-financeira por intermédio de alterações criativas, dissimulando os dados reais publicados. Apenas esses eventos já seriam mais do que suficientes para invalidar a sua eleição e convocar um "terceiro turno", com a condição de que as partes declarassem a verba a ser gasta para tal fim e a origem desses fundos. Explica-se agora por que o PT demoniza com obsessão a eventual privatização da Petrobrás, pois o petróleo não é mais nosso, claro, é deles.

PABLO L. MAINZER

plmainzer@hotmail.com

São Paulo

De respeito

A presidente Dilma pede "respeito às escolhas da população". E a população pede que ela respeite as leis vigentes no País, para não mais, ao sabor de suas conveniências, alterá-las casuisticamente, valendo-se até de chantagem "oficial" (por decreto). O desrespeito à LDO acaba de se concretizar, com a conivência de um Congresso "de cócoras", como bem disse Aécio Neves. Respeito é via de mão dupla!

JUNIA VERNA F. DE SOUZA

juniaverna@uol.com.br

São Paulo

O CARTEL DOS TRENS EM SP

Após excelente trabalho, a Polícia Federal (PF) encerrou as investigações e acusou 33 pessoas como suspeitas de corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro, evasão fiscal, fraude licitatória, formação de quadrilha e outros crimes no cartel de trens em São Paulo, durante governos do PSDB (1998-2008). Entre os acusados estão ex-diretores de empresas como Siemens e Bombardier, o deputado federal José Aníbal (PSDB) e o ex-presidente da CPTM. Por aí se vê o tamanho da corrupção: licitações fraudadas, obras superfaturadas e desvio de verbas públicas que imperam no País, sangrando os cofres públicos em bilhões de reais. O governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP) e a cúpula do PSDB devem explicações à sociedade, assim como a Assembleia Legislativa, que engaveta as propostas de abertura de CPIs para investigar tais crimes. Seja o partido político que for, a corrupção é um crime nefasto, com gravíssimas consequências para toda a sociedade, e não pode ficar impune.
 
Renato Khair renatokhair@uol.com.br 
São Paulo

*
INVESTIGAÇÕES CONCLUÍDAS

Um processo que teve como origem as investigações  da Polícia Federal constatou a corrupção ativa e passiva, formação de cartel, lavagem de dinheiro e evasão de divisas relacionadas às obras do Metrô de São Paulo e da CPTM,  de 1998 a 2008. E no relatório da PF há vários políticos do PSDB e do DEM. Por que tanta demora na tramitação das investigações? E qual atitude o PSDB vai tomar? Afinal de contas, foram dez anos de trapaças que envolveram verbas públicas em obras promovidas em governos tucanos de São Paulo. 

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br  
Santos

*
ABUTRES

Cumprimentamos o "Estado" pela cobertura do processo de corrupção envolvendo altos funcionários do governo paulista acusados de receber propinas de multinacionais, fraudando licitações do Metrô. Pelo que já se apurou, constata-se que não são "tucanos" os implicados. São abutres que vêm bicando, há anos, o erário paulista, transformando nosso Metrô no mais caro do mundo.

Arsonval Mazzucco Muniz arsonval.muniz@superig.com.br 
São Paulo

*
A CORRUPÇÃO EXIGE CONSEQUÊNCIAS

União, Estados, prefeituras e empresas estatais são palcos da mais descarada roubalheira, os fatos assim indicam. A economia nacional só vai bem nas palavras do ministro da Fazenda. A indústria está produzindo pouco e demitindo muito; o crescimento do País é nulo. O avanço do PIB de 2015 teve sua previsão reduzida de 2% para 0,8%. A sensação é de que caminhamos para o colapso. Os trabalhos da Polícia, do Ministério Público e da Justiça Federal na identificação dos casos de corrupção são do mais alto interesse nacional. É preciso, no entanto, levar a reais consequências. Os corruptos de todos os níveis devem ser identificados, processados e submetidos a elevadas penas, sem gozarem dos múltiplos benefícios e recursos que incentivam a impunidade. Esses indivíduos e toda sua rede devem ser desmascarados e ter seus bens seqüestrados, para ressarcir os cofres públicos e o povo, sem prejuízo do processo criminal. Todos têm de saber que o Brasil possui leis e - o principal - que essas leis são cumpridas. Do contrário, não há democracia que aguente.

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br
São Paulo

*
ESCÂNDALO DO METRÔ

Com o nome, RG, etc., a Polícia Federal indicia 33 no escândalo do Metrô de São Paulo. Que a punição venha independentemente do partido político e das pessoas envolvidas. Não queremos, não aceitamos nem compactuamos com nenhum assalto aos cofres públicos. O Brasil não pode mais ficar de cócoras para a bandalheira com os nossos impostos, tão mal empregados. Punição sempre. Doa a quem doer - e isso se estende ao petrolão, ao eletrobrasão, ao congressão, aos fundos de pensaozão, etc., etc.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br  
São Paulo

*
O PT E SEUS CORRUPTOS

Rui Falcão, presidente nacional do PT, anunciou que o partido expulsará seus filiados que forem comprovadamente envolvidos em casos de corrupção. Só agora o politiburo resolveu espulsar os corruptos? Já fez as contas de quantos ficarão?
  
Olavo Fortes Campos Rodrigues olavo_terceiro@hotmail.com  
São Paulo

*
TARDE DEMAIS

O PT, apesar de "sui generis", sempre pecou por falta de timing. Justamente agora, com a calamitosa falta de água, resolveu limpar o partido.

Marcos Catap marcoscatap@uol.com.br 
São Paulo

*
FALÁCIA

Essa "decisão" do Diretório Nacional do PT é uma falácia. Basta ver que, na sexta-feira (28/11), em Fortaleza, o sr. João Vaccari Neto foi aplaudido no encontro do partido ao fazer a sua defesa. E como esquecer os condenados do mensalão sendo tratados como injustiçados? 
 
Alexandre Fontana alexfontana70@yahoo.com.br  
São Paulo

*
'A FAMIGLIA'
 
Já foi o tempo em que era preciso investir para se associar a uma empresa e auferir retorno sob a forma de dividendos ou juros sobre o capital próprio. Ser acionista é ficar sujeito às mais variadas influências internas/externas e correr riscos. Hoje, na moderna administração petista, é vital estar em sintonia com os interesses da cúpula dominante, ser admitido numa empresa pública e, com criatividade e zero investimento, se obtêm fabulosos ganhos isentos de Imposto de Renda. Quanto maior a empresa, mais rendoso será. A "famiglia" é rica e unida: se houver contratempo, contrata os melhores advogados, alguém será levemente apenado, devolve parte dos ganhos e todos ficarão felizes. É assim que funciona.

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br  
Vila Velha (ES)

*
MORAL A ZERO

Os petistas estão desmoralizados com a incompetência e a corrupção de seu partido.

Eugênio José Alati eugeniojalati@gmail.com  
Campinas

*
DILMA FOI ÀS COMPRAS NO CONGRESSO
 
Apesar da bagunça típica de grandes promoções do varejo,  com direito a protestos, arma de choques elétricos e gravata na dona Ruth, uma patriota anciã de 79 anos, passou, finalmente, o Projeto de Lei (PLN 36) que flexibiliza a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), safando-se a presidente Dilma Rousseff de responder por "crime de responsabilidade" e, de quebra, zerando o jogo pelo descumprimento da meta de superávit primário, que  seu desgoverno perdulário tornou em déficit. Sem muitas opções no varejo e no melhor estilo "às favas com os escrúpulos", Dilma concentrou suas aquisições no Congresso Nacional. Ali, foi às compras e viu que o preço da "mercadoria" na prateleira estava uma verdadeira barganha: R$ 444,7 milhões pela consciência - se é que podemos usar tal palavra - de um punhado de políticos vendilhões ano/modelo 2010, mercadoria que estava com prazo de vencimento estourando, mas boa para consumo. O montante pago, uma espécie de mensalão institucionalizado por decreto, foi uma barganha digna de "black Friday" - troco de pinga perto do que foi o assalto do PT e asseclas à Petrobrás, cognominado "petrolão". É, enfim, o jeito PT de governar: num país em que tantos milhões estão à venda, desde o princípio deram-se conta de que para se perpetuarem no poder - o que têm conseguido com a compra de bolsistas - precisam aderir ao consumismo "burguês" e comprarem todos quantos estejam à venda. Nesse desiderato, já compraram a  UNE, o MST, as Centrais Sindicais, os movimentos sociais, as grandes empresas com o BNDES, as  grandes empreiteiras, com contratos superfaturados e sem licitação,  os humildes com os caramingás  do Bolsa Família e os parlamentares com seus mensalões e mensalinhos, agora legalizados por decreto presidencial. Dizem que todos têm seu preço. Não quero generalizar, mas, no Brasil, grande parte, de fato, tem, sim, indiscutivelmente. E - diga-se! - em geral é uma pechincha, como vimos na quarta-feira negra, a "black wednesday" no Congresso Nacional.
 
Silvio Natal silvionatal49@gmail.com 
São Paulo

*
DECRETO À MODA DILMA

"Decreto: para que sejam obrigados os parlamentares a votar a favor do PLN 36, que adéqua a legislação à minha necessidade, por ter desobedecido à Lei de Responsabilidade Fiscal, determino a liberação dos valores de emendas parlamentares àqueles que votarem a favor. Revogue-se a Lei de Responsabilidade Fiscal."

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br 
São Paulo

*
TOMA LÁ, DÁ CÁ

Eu nunca vi nossos representantes (senadores e deputados) votarem alguma lei por ser justa ou por ser do interesse do Brasil. O que se vê é que eles votam em troca de verbas para emendas, ou em troca de cargos, de ministérios. É o toma lá dá cá institucionalizado. Será que foi para isso que os elegemos? E, ainda por cima, a imprensa escrita, falada e televisionada trata o assunto como "perfeitamente natural". Não está na hora de falar alguma coisa?
 
Sarah de Castro Fontes Barbosa sarahbarbosa@ig.com.br 
São Paulo 

*
DILMA E BISMARK

Bismark, em fase célebre, comparou o Parlamento a uma fábrica de salsichas. No projeto de lei de aprovação da meta do superávit primário de Dilma Rousseff, a maioria da base governista recebeu pagamento antecipado pelas salsichas. Pela primeira vez na história deste país, um decreto foi transformado num recado ao Congresso: se aprovado o projeto, serão liberados R$ 444,7 milhões em emendas de parlamentares. Não é preciso esquadrinhar a Constituição federal para localizar o preceito violado: é aquele que expressa o princípio da moralidade administrativa, presente no art. 37 da Carta, ofendido pela chapada chantagem.
 
Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br 
São Paulo

*
JOGADA POLÍTICA

E pensar que eu pensava que mala branca  existia só  no futebol... 

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com 
Jandaia do Sul (PR)

*
(IR)RESPONSABILIDADE FISCAL

Diante da pouca-vergonha da meta fiscal em meio a tantos escândalos e irregularidades, vale a pena reler: "O que mais preocupa não é o grito dos violentos, nem dos corruptos, nem dos desonestos, nem dos sem-caráter, nem dos sem-ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons" (Martin Luther King). "Homens sem consciência servem ao Estado como máquinas."

Peggy Beçak peggy@informemercosul.com.br 
São Paulo

*
SUBORNO ACEITO

Finalmente, o Congresso Nacional aprovou a lei que livra a presidente da República do descumprimento dos dispositivos da Lei de Responsabilidade Fiscal. Quantas cenas deprimentes e vergonhosas presenciamos durante as discussões! Até a história se repetiu como farsa, segundo o axioma marxista: a senadora "comunista" Vanessa Grazziotin pedindo ao "reacionário" Renan Calheiros para expulsar o povo das galerias. Vi um acabrunhado senador Pedro Simon afirmando a um repórter que durante os seus 34 anos de vida parlamentar nunca viu escândalo maior, "oficializado" com a publicação no "Diário Oficial". Na realidade, o Parlamento brasileiro se caracteriza por sua quase completa inutilidade; a maioria dos projetos transformados em leis são de autoria do Poder Executivo e o resto são leis menores, que pouco contribuem para o aperfeiçoamento de nossas instituições. Ao contrário do que normalmente ocorre em todos os Parlamentos do mundo civilizado, onde seus membros permanecem sentados e atentos ao que se está discutindo, as sessões de nossa Câmara dos Deputados transcorrem sob a mais completa balbúrdia, semelhante à da Rua 25 de Março. Sem cumprir suas funções clássicas num Estado Democrático de Direito, nosso Parlamento é mais um balcão de negócios sempre altamente rendosos para quem os faz e sempre ruinosos para os contribuintes. Agora o governo vai pagar o suborno, liberando as tais "emendas parlamentares" que nos custarão quase meio bilhão de reais. E aí vamos ter Brasil afora, paróquias com fontes luminosas, chafarizes, réplicas horrorosas da estátua de Cristo Redentor do Rio e portais iguais àquele que um ilustre desconhecido e já esquecido ministro do turismo mandou construir na sua cidadezinha no interior do Maranhão. Certamente, milhares de turistas nacionais e estrangeiros a visitam, para admirar o magnífico portal. Sem falar nas subvenções que serão pagas às numerosas entidades de fachada, criadas e mantidas pelos parlamentares para desviar verbas públicas. Por tudo isso estou entre os cidadãos que não estão satisfeitos com esta "democracia à brasileira". E não vejo saída: o PT cada vez mais audacioso e rapace, transformando o Brasil num México do PRI. Deus deixou de ser brasileiro e Cícero já dizia no Senado Romano, há mais de dois mil anos, que "cada povo tem o governo que merece".

Elias da Costa Lima preussen@uol.com.br
São Paulo

*
VENDILHÕES DO CONGRESSO

O templo sagrado do Estado Democrático de Direito foi profanado no vergonhoso episódio da aprovação de mudança da LDO. Às vésperas do Natal, cabe perguntar se há alguma diferença entre os vendilhões do Templo e os do Congre$$o Nacional.

J. S. Decol  decoljs@globo.com 
São Paulo

*
PURA CANALHICE

O sr. Arlindo Chinaglia cometeu uma atitude digna de "canalha" ao perguntar quanto uma senhora estava recebendo para participar da manifestação, na entrada do Congresso, contra a pouca-vergonha que já se esperava e estava prestes a acontecer, como sempre, durante a madrugada, naquela fossa chamada de Congresso Nacional. O deputado teria coragem de fazer essa pergunta cretina a um homem estando a poucos metros de distância? Na minha opinião, está desmoralizado como parlamentar e como colega, desde quando foi presidente do Sindicato dos Médicos de São Paulo e fez da política sindical trampolim para uma política partidária suja, digna desta quadrilha a que ele pertence, conhecida como  Partido dos Trabalhadores (PT), onde quase todos se vendem e que agora sabemos o preço de cada um. 

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com 
São Paulo

*
CORRUPÇÃO E META FISCAL

Dilma Rousseff ainda insiste em afirmar que toda denúncia de corrupção e o não à flexibilização da meta fiscal ainda são atos de derrotados na eleição. Acorda aí, presidente, o povo que tem cultura e acompanha as mutretas do seu governo e do PT sabe muito bem analisar a situação e identificar que o maior problema são a sua prepotência e a sua incompetência.

Wagner Monteiro wagnermon@ig.com.br 
São Paulo 

*
RESPEITO ÀS ESCOLHAS

A presidente Dilma Rousseff pede respeito às escolhas da população. Bem, não custa lembrar que o Congresso atual não é o escolhido na última eleição. E que houve tempo suficiente para que cada cidadão avaliasse qual o respeito que esse Legislativo merece. Já em relação ao modo como a escolha é realizada, sugiro que ela e o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) procurem na web a coluna do jornalista Augusto Nunes de 30/7/2014 intitulada "Entre todos os países que adotaram o voto eletrônico, o Brasil é o único que ainda utiliza urnas que podem ser manipuladas". Boa leitura a ambos.
Hermínio Silva Júnior hsilvajr@terra.com.br  
São Paulo

*
COMISSÃO DA VERDADE - RETA FINAL

A Lei n.º 12.528, de 18 de novembro de 2011, criou a Comissão Nacional da Verdade e estabeleceu, como sua finalidade, examinar e esclarecer as graves violações de direitos humanos e promover a reconciliação nacional. Desde então, no entanto, o desenvolvimento dos trabalhos associados tem mostrado que sistematicamente o propósito relacionado com a referida reconciliação vem sendo ignorado por práticas que tentam incriminar unilateralmente os agentes do Estado que atuaram no período abrangido, esquecendo as graves violações dos direitos humanos resultantes de ações terroristas, igualmente lesivas à dignidade, hoje glamourizadas por alguns dos seus autores que ocupam cargos de poder no governo, numa atitude nitidamente revanchista. Às vésperas de emitir seu relatório, verifica-se com tristeza que seu objetivo em nenhum momento foi de sepultar ressentimentos, mas de aumentar a cizânia e manter acesos velhos ódios. Será um final melancólico para um trabalho que tinha tudo para atingir suas verdadeiras metas, mas cedeu aos apelos de parcialidade oportunista.   

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com
Rio de Janeiro

*
CIRCO NACIONAL DA VERDADE
 
Circo é coisa séria para fazer rir e verdade é a dignidade vestida com a pureza da nudez. Circo e verdade são imiscíveis; a ilusão é o cerne, a palhaçada o devaneio, o trapézio a apreensão. Palanque não é tribunal. Promovem espetáculos, mas convencem menos do que anúncios de DNA em programas de TV. Tribunal julga. Relembrando a nomeação da comissão (salário de R$ 11.179,36) que tem objetivos de apurar os desrespeitos aos direitos humanos de 1946 a 1988, fixou-se no período do regime militar. Dentre os integrantes, Rosa Maria C. da Cunha, advogada da então guerrilheira Dilma. É autora do livro "O caráter retórico do princípio da legalidade", que tem na capa "ou como a lei penal retroage em prejuízo do acusado". Outro é Paulo Sérgio Pinheiro, que afirma após ser nomeado que "a comissão não pune porque não tem que punir. Isso é do Judiciário." Mas, em matéria publicada na "Folha de S.Paulo" em 5/5/2010, sob o título "O STF de costas para a humanidade": "Pena que o clamor de justiça pela sociedade e pelos familiares dos desaparecidos (...) e assassinados pelos agentes da ditadura não tenha sido levado a sério. Por zelo formalista, a maioria dos ministros jogou pá de cal no exame pelo Judiciário, desses crimes. A execração da tortura soou farisaica (...) e negou direitos e justiça às vítimas (...) A recusa da revisão da Lei de Anistia (...) consagrou de vez o Brasil na rabeira dos países do continente quanto à responsabilização dos agentes do Estado responsáveis por graves violações de direitos humanos". A psicanalista Maria Rita Kehl foi editora do jornal "Movimento" e no curso de mestrado dissertou sobre "O papel da Rede Globo e das novelas da Globo em domesticar o Brasil durante a ditadura militar". Foi um dos nomes propostos pelas famílias dos desaparecidos na luta armada. José Cavalvante Filho é filho do comunista e escritor José Cavalcante e, ao que consta, conviveu nessa situação de conflito e perseguição ao pai. José Carlos Dias também foi advogado de presos da subversão. Cláudio Fonteles atuou no movimento estudantil e foi membro do Grupo Ação Popular (AP), atuante na UNE na década de 1960. Substituído na Comissão. A mais, Gilson L. Dipp, ministro do Superior Tribunal de Justiça. Em entrevista sobre punição aos agentes do Estado, respondeu: "Não vou fazer este comentário porque não estou autorizado a fazer, por enquanto". No entanto, já tinha a sua convicção. Fora da Comissão, na palestra de 14/08/2014 na Escola Judicial, expôs que o Brasil é o único país do cone sul que ainda não revogou formalmente a sua Lei de Anistia. Nomeação dúbia por conta do Art. 95/Constituição, parágrafo único. "Aos juízes é vedado: 1 - exercer, ainda que em disponibilidade, outro cargo ou função, salvo de magistério;". Dois espetáculos foram manchetes. A exumação de João Goulart e de Juscelino Kubitschek. Por que matar Jango na Argentina? Morreu ao lado da esposa, Maria Teresa, que sempre foi contra a exumação. Brizola estava ao lado, no Uruguai! Morreu velho, em 2004, aos 82 anos. Sempre revolucionário. Por que não foi morto pela ditadura? E o ex-guerrilheiro, ex-deputado José Genoino? Bem vivo... e preso. Da exumação de JK ficou a lição da filha do seu motorista, também morto no acidente. Maria de Lourdes exclama, revoltada: "Essa tese de tiro é muito primária (...) Eu poderia pedir indenização, mas meu pai me ensinou que a mentira prende e a verdade solta". A Comissão dita da Verdade não pode ser tribunal revolucionário do tipo Prestes, que executou Elza Fernandes em 1936, ou do Lamarca, que esfacelou o crânio do tenente Alberto Mendes Junior em 1970.
 
Ernesto Caruso egcaruso@gmail.com 
Campo Grande

*
A EXUMAÇÃO DE JANGO

Depois de uma série de exames nos restos mortais de Jango, a equipe de peritos em análises químicas de cadáveres, após não detectarem vestígios de produtos químicos que possam ter causado sua morte por envenenamento, terminaram os exames sem uma conclusão final. A indefinição faz o grupo que pediu os exames continuar teimando em insistir na tese de envenenamento, porque, segundo ele, com "esse resultado sem uma conclusão definitiva não se pode abandonar a suspeita" que levou a pedir a profanação do cadáver, mais por interesse político que por outras razões. A indefinição leva forçosamente a uma pergunta: como alguns cientistas conseguem hoje detectar sinais de substâncias químicas em cadáveres de múmias de mais de 2 mil anos, enquanto este grupo que analisou um cadáver de menos de 40 anos de sepulcro não conseguiu achar vestígios químicos  que possam ter sido a causa da morte de Jango? Este fim deixa uma dúvida: não eram peritos com conhecimentos suficientes para a tarefa ou, se tinham capacidade para tal e nada acharam, preferiram deixar sem uma conclusão final para dar ao grupo político que pediu os exames uma razão para ainda teimar na morte por envenenamento? 

Laércio Zanini arsene@uol.com.br 
Garça

*
OPERAÇÃO CONDOR

Desesperados do governo (e do ex-governo) atiram em todas as direções tentando diminuir as repercussões da Operação Lava Jato. Lançam acusações sobre o PSDB no petrolão, como se fosse crível que os associados da magna negociata tivessem sido capazes de beneficiar seus figadais inimigos. Falam de malfeitos na petroleira no governo militar, mas não implicam ninguém do mais alto escalão. Aliás, insinuam, mas não citam nomes, nem o de Geisel, que a presidiu e morreu pobre. E vem a Comissão da Verdade falar da Condor e de novas acusações contra militares, além de não conseguir identificar nenhum (nenhumzinho) dos mais de 8 mil índios e camponeses sacrificados (sic) pela ditadura. Querem nos fazer de tolos?! Enquanto isso, começam a aparecer nomes de políticos eleitos com recursos do grande propinoduto: Humberto Costa (PE), Otto Alencar (BA) e, ainda que não citada, Dilma Rousseff (BR). Temer está, com razão, "tranquilíssimo", afinal ele é apenas vice-presidente da República e, como tal, não fez campanha pessoal, não precisou sujar as mãos. 

Mário Alves Souza maroca64@bol.com.br 
Salvador

*
ESTRAGO

Pelo que temos visto do Executivo, do Legislativo e do Judiciário, esses não são mais poderes, e, sim, comparsas poderosos. O petismo-banditismo está acabando com o Brasil. Nem a ditadura militar fez tanto estrago.
 
André Coutinho arcouti@uol.com.br
Campinas

*
BOLSA FAMÍLIA EM SÃO PAULO

("Prefeitura levará Bolsa Família a mais imigrantes", "Estado", 5/12). Gostaria de saber se o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, está preparado para receber uma multidão de desocupados que serão atraídos pelo Bolsa Família oferecidos. Ele acha que com esse dinheiro vai mantê-los vivendo com dignidade ou teremos mais dependentes vagando pelas ruas? São Paulo não merece um amador cuidando da cidade. A única alegria é que cada dia que passa estamos mais perto do fim de seu mandato.

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com 
São Paulo

*
BOLSA PARA IMIGRANTE
 
Mas que pouca vergonha é esta de dar Bolsa Família a imigrantes?! Se o governo resolveu praticar essa imbecilidade, que pague a conta. Nós, o povo, não temos nada que ver com isso. Que Lula e Dilma e o PT paguem por essa idiotice. É claro que estão antevendo votos para o futuro.
 
Conrado de Paulo conrado.paulo@uol.com.br 
Bragança Paulista

*
BENEFÍCIOS SEM TRABALHO?

O artigo 194 da Constituição federal tem como um dos ramos que formam a seguridade social o direito à saúde, que é um direito de todos (brasileiros e estrangeiros) indistintamente. Pois no ramo da saúde há uma universalidade no atendimento, assim, qualquer estrangeiro que more ou seja turista tem direito constitucional de agonizar na fila do SUS dentro do território brasileiro. Mas, não para o meu espanto, me deparo com a notícia de que haverá o mutirão do cadastro do Bolsa Família para estrangeiros, mais especificamente bolivianos e haitianos. Quer dizer, então, que a cumpanheirada do PT está cada vez mais seguindo os dogmas do bolivarianismo. Enquanto isso, nos EUA o nem tanto assim cumpanheiro Barack Obama sofre ameaça de todos os lados por querer aprovar na caneta uma lei que beneficie estrangeiros que trabalham no território americano. Fica cada vez mais caracterizado que este governo em breve transformará o Brasil numa Venezuela. 

Giovani L. Montenegro giovani.limamontenegro@gmail.com 
São Paulo

*
APOSENTADORIA X BOLSA

Trabalhei por exatos 52 anos. A empresa da qual eu fui sócio e, depois, empregado recolheu todos os encargos - sei disso porque acompanhava a área financeira da empresa. No entanto, minha aposentadoria - a fórceps - foi concedida em R$ 724,00. Mas um vagabundo, que nunca fez nada na vida, recebe Bolsa Família quase no mesmo valor da minha aposentadoria. Conclusão: este é o país onde os vagabundos são premiados e as pessoas que realmente trabalham são penalizadas. Este é o país do PT. Vagabundos!

Geraldo Roberto Banaskiwitz geraldo.banas@gmail.com 
São Paulo 

*
PARA OUTROS, A COBRANÇA

Tem prefeito já preocupado com a reeleição, pensando: "Já vamos cadastrar os estrangeiros pro Bolsa Família". Ainda bem que só os legalizados, pelo menos! E nós teremos aumento de IPTU, na tarifa de ônibus, etc. 

Moises Goldstein mgoldstein@bol.com.br 
São Paulo

*
MINHOCÃO
 
Ao ler o editorial "A desativação do Minhocão", publicado na edição de 1/12, imaginei uma alternativa para desativar aquela estrutura desproporcional, que tanto enfeia a região central da cidade. Sugiro desmontar o tabuleiro superior e demolir parcialmente os pilares de sustentação, até um nível de aproximadamente dois metros abaixo da avenida. Remontar a estrutura na parte remanescente dos pilares. O espaço resultante entre o nível da avenida e a estrutura remontada seria preenchido com terra, de modo a formar um jardim. Sobre esse jardim seria criado um parque linear, na largura da estrutura remontada. O leito carroçável do antigo viaduto seria substituído por dois túneis a serem construídos em ambos os lados da parte enterrada dos pilares parcialmente demolidos. Com esta solução, a cidade ganharia um parque linear no mesmo nível da Avenida São João, com acesso amplamente facilitado para seus usuários.
 
Cláudio Moschella arquiteto@claudiomoschella.net
São Paulo

*
MELHORIAS

Uma via expressa, como é o Minhocão, com fluxo de trânsito igual à Avenida 23 de Maio, tem de servir de modelo para os próximos minhocões que terão de ser construídos na cidade, com melhorias, como por exemplo, paredes com acústicas nas laterais para proteger do barulho as moradias no entorno (como é no Japão), e jamais pensar em sua desativação.  

Arcangelo Sforcin Filho arcangelosforcin@gmail.com 
São Paulo

*
TÚNEL VERDE

Nem manter o Minhocão como está nem demoli-lo, mas integrá-lo à paisagem de forma mais harmônica e calmante, fazendo dele um túnel verde, guarnecendo suas muretas laterais com floreiras, de modo a proporcionar uma barreira viva ao som e à poluição. Isso melhoraria a qualidade de vida das pessoas que vivem nos apartamentos fronteiriços, que não veriam mais e ouviriam menos os carros que trafegam sobre o Minhocão. Pelo contrário, teriam à sua frente um enorme painel verdejante.

Edgar Werblowsky edgariw@freeway.tur.br 
São Paulo

*
NATAL NO RIO DE JANEIRO

A inauguração da árvore de natal da Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio de Janeiro, é um evento tradicional que todo ano agrada a uma grande parcela da população, entretanto, quem mora na região é vítima do ataque predatório que sofrem os bairros vizinhos. Durante todo o período de exposição da árvore aflui à região um excesso de cidadãos sem educação que desrespeitam a ciclovia, os estacionamentos, os gramados e jardins, etc., etc., etc. Quem mora por ali paga um IPTU muito caro e não tem o respeito que deveria ter pela prefeitura para zelar pelo que tem direito: fiscalização adequada para impedir a atuação de vândalos, para impedir a depredação da orla, para o despejo de lixo, para impedir assaltos e, enfim, impedir que os carros ultrapassem os sinais vermelhos sem o menor pudor. A cidade maravilhosa é vítima da exploração predatória de suas belezas naturais. A cidade está ficando linda apenas de avião, mas, quando se chega ao solo, a feiúra do que se vê aparece em detalhe.
 
Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com
Rio de Janeiro

*
AS ÁGUAS DO RIO PARAÍBA DO SUL

Sabesp oferece ao Rio de Janeiro volume morto de Paraibuna em troca de transposição. Lá vai a verdade nua e crua: nós, da Câmara Técnica de Educação Ambiental e Mobilização Social do Comitê das Bacias Hidrográficas do Rio Paraíba do Sul (Cbh-OS), temos outra opinião e queremos ser ouvidos e consultados quando se fala do Rio Paraíba do Sul. Parece que a matemática não está sendo usada pelos responsáveis pela anarquia em que se tornou o uso compartilhado das águas das bacias hidrográficas do Paraíba do Sul. Solução: retirar dos reservatórios até 80% das águas que entram, administrar sempre pensando e respeitando o uso pelo ser humano e animais sedentários em primeiro lugar, após outros usos. Respeitar as advertências feitas pela Cbh-PS do uso indevido em usar as águas para gerar energia e lavar esgoto no Guandú, prejudicando toda a população ribeirinha das cidades mineiras e do Rio de Janeiro após a transposição em Barra do Piraí. Retiram até 190 metros por segundo, quando 40 metros são suficientes e com folga para abastecer toda a população da Grande Rio.

Luiz de Gonzaga Santos lg.santos@terra.com.br 
Paraibuna

*
ESTIAGEM NO BRASIL

Neste ano, as chuvas foram escassas no Brasil, principalmente na região que se estende da Bahia a São Paulo. Infelizmente, secaram os reservatórios destinados a abastecer as cidades, tanto quanto as represas das usinas hidrelétricas. O Estado de São Paulo encarou de frente o problema, procurou esclarecer a população e promoveu a economia, por meio de incentivos e descontos nas contas de água. Por outro lado, o governo federal procurou esconder o problema, por meio da utilização intensa da energia termoelétrica, altamente poluente, que utiliza gás e combustíveis importados, gerando uma energia de valores que podem ultrapassar dez vezes o valor da energia hidrelétrica. O custo dessa energia deverá ser repassado aos consumidores ou, mais uma vez, o "Tesouro" vai assumir esses custos. Como a grande maioria do povo brasileiro ignora que o tal "Tesouro" é bancado por ele próprio, de alguma maneira a conta vai sobrar para a população e/ou para os acionistas da Petrobrás.

Luiz Antonio Alves de Souza zam@uol.com.br 
São Paulo
  
*
CONSCIENTIZAÇÃO E INVESTIMENTO

Com a crise da falta d'água que assola o Estado de São Paulo, não vejo nenhuma intervenção do governo do Estado e dos prefeitos da região metropolitana pedindo à população para poupar o precioso líquido. Por enquanto, creio que nosso sistema de abastecimento ainda não foi afetado, muito embora o Rio Paraíba do Sul apresente redução de seu fluxo. É preciso uma maciça divulgação pela mídia para que a população passe a economizar água. Como é preciso, também, investir. Em Conservatória, a cidade das serestas e serenatas, por exemplo, tem faltado água sistematicamente nos fins de semana, quando o afluxo de turistas é imenso.

Sebastião Paschoal  s_paschoal@hotmail.com 
Rio de Janeiro

*
ELIANE CANTANHÊDE

Foi uma agradável surpresa tomar conhecimento da contratação da jornalista Eliane Cantanhêde para compor o quadro de brilhantes colunistas da equipe do "Estadão". Parabéns ao jornal mais admirado do Brasil por esta auspiciosa notícia e  pela seriedade e honestidade com que mantém seus posicionamentos, sem com isso deixar de ser objetivo e independente. 

Eliana França Leme efleme@terra.com.br 
São Paulo

*
Cumprimento o "Estadão" pela contratação da jornalista Eliane Cantanhêde. Excelente comentarista política, digna de pertencer a este conceituado jornal independente, onde imperam a liberdade de expressão e o compromisso com a democracia.
                   
Leila E. Leitão
São Paulo 

Mais conteúdo sobre:
forum dos leitores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.