Fórum dos Leitores

FIM DE ANO

O Estado de S.Paulo

29 Dezembro 2014 | 02h02

Presentes

Nós devemos agradecer de joelhos pelos presentes de dona Dilma Rousseff - em merecidas férias com a família na Bahia - e seu clube de aliados: a partir de janeiro, a conta de luz vai ficar mais cara, mas isso não significa que estaremos livres de racionamento. E devemos nos orgulhar, ainda, por termos uma presidente da República citada em ação na Justiça dos EUA movida contra a maior empresa brasileira (petrobrás, hoje minúscula mesmo). E viva o ano-novo! 2015 promete!

APARECIDA DILEIDE GAZIOLLA

aparecidagaziolla@gmail.com

São Caetano do Sul

O descanso de Dilma

Por aqui sobem a conta de luz, o transporte público, os combustíveis e o custo da alimentação, mas na Base Naval de Aratu, na Bahia, o céu e o mar são azuis e a inflação não existe, porque não há contas a pagar...

CRISTIANO WALTER SIMON

cws@amcham.com.br

Carapicuíba

Aumentos à vista

Terminado o período eleitoral e a temporada de promessas que, sabidamente, seriam impossíveis de serem viabilizadas, começaremos o ano de 2015 com notícias um tanto desanimadoras: aumento das tarifas de energia elétrica e reajuste no transporte público. Os candidatos negaram com veemência a possibilidade de aumentos abusivos. Dependendo do ponto de vista, de fato não haverá reajuste acima do tolerável, mas, quando analisamos a situação de grande parte da população, constatamos que todos os reajustes serão, sim, acima da média. Os salários não sobem no mesmo ritmo. Além da conta de luz e do transporte, quem vai ao supermercado sente o peso do "custo Brasil". Os alimentos consomem quase a metade do salário mínimo (incapaz de suprir o que há de mais básico na vida do cidadão trabalhador). Paralelo a tudo isso, os nossos representantes receberão uma bela bonificação, pois foi aprovado pelo Congresso Nacional o aumento de seus próprios salários. Enfim, num país onde falta tudo e o contribuinte é onerado de forma arbitrária, creio que fica mais do que evidente que a última eleição foi, sem dúvida, um jogo de mentiras.

WILLIAN MARTINS

martins.willian@globo.com

Guararema

Estamos alertas

O Banco Central está prometendo trazer a inflação para o centro da meta em 2016. Não sei a quem querem iludir. Nem os ignorantes coerentes acreditam nessas promessas. É impressionante como a equipe econômica do governo é teimosa, prepotente e irônica. Só agora, às vésperas do encerramento do ano, o governo reviu a projeção de crescimento do PIB deste ano para 0,2%. E, pelos sinais emitidos pela ilustre presidenta, pouca coisa vai mudar. Teremos de nos manter alertas e precavidos para sobreviver aos próximos anos.

MARCOS GUILHERME RISTOW

presibb@gmail.com

Blumenau (SC)

Por fora, bela viola...

Abri meu panetone no Natal, mas de frutas só tinha o cheirinho. Era massa pura. Assim são Dilma e o PT: só embrulho e rótulo de um produto que, quando se abre, nada se encontra do que está na embalagem. Apenas depois das eleições o ministro Guido Mantega trouxe à luz os dados oficiais da nossa economia, admitindo resultados fiscais inflados por receitas extraordinárias. Dona Dilma e seu ministro da Fazenda garantiram ao País que o Brasil estava uma maravilha e que no segundo semestre a economia estaria bem melhor. Pura propaganda enganosa.

GLÓRIA ANARUMA

glória.anaruma@gmail.com

Jundiaí

PETROBRÁS

A próxima vítima

Estatal atribui a ex-gerente prejuízos de R$ 25 milhões (Estadão, 24/12). Estava demorando: depois de um sem-número de malfeitos revelados pela ex-gerente da área de Abastecimento da Petrobrás Venina Velosa da Fonseca, ela foi considerada culpada pela comissão interna de apuração da companhia por prejuízo na assinatura de um contrato relativo à construção da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. A comissão revelou quatro irregularidades associadas a Venina, e a mais grave foi a omissão de parte do desconto oferecido pela Alusa Engenharia, estipulado em R$ 34 milhões. Desse valor, foram praticados apenas R$ 9,2 milhões como desconto, resultando, portanto, numa perda de R$ 24,8 milhões pela estatal. Contra fatos não há argumentos. Resta, agora, verificar sua veracidade e aproveitar a oportunidade para investigar os fatos revelados por Venina Velosa, que incluem nomes de peso da estatal, como o ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás Paulo Roberto Costa, a presidente da Petrobrás, Graça Foster, e a presidente da República, Dilma Rousseff.

CLÁUDIO MOSCHELLA

arquiteto@claudiomoschella.net

São Paulo

Vilã

Como era de esperar, a sra. Venina será transformada na vilã da Petrobrás. Não é que já tem até sindicância contra ela? E será que vai ter sindicância também para apurar a diferença, que é de bilhões, entre o valor orçado e o valor até agora gasto na construção da Refinaria Abreu e Lima?

ADEMAR MONTEIRO DE MORAES

ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

Em maus lençóis

Por que só depois do depoimento consistente de Venina Velosa à imprensa é que a acusam de responsabilidade nos prejuízos em Abreu e Lima? É uma tentativa de calar a boca da ex-gerente? E, por acaso, estão fabricando dossiês falsos, nos moldes dos já conhecidos desde o governo Lula, revelados por Romeu Tuma Jr. e não contestados? Qualquer das opções acima deixa as presidentes Graça Foster e dona Dilma em maus lençóis.

ANTONIO C. GOMES DA SILVA

acarlosgs@uol.com.br

São Paulo

O inferno são os outros

Pelo andar da carruagem, ainda vão querer colocar na cabeça dos brasileiros que a Petrobrás - que tem sofrido diversos processos na Justiça dos EUA por prejuízos decorrentes da corrupção - está sendo vítima de um complô internacional cujo objetivo é a apropriação do nosso pré-sal pelo capitalismo global e que a compra da Refinaria de Pasadena foi feita única e exclusivamente pela ex-gerente Venina.

JOSE J. ROSA

jjrosa1945@yahoo.com.br

São Paulo

BOAS-FESTAS

O Estado agradece e retribui os votos de boas-festas e próspero ano-novo de Antônio Misael Lustosa Pires, Equipe Infra Experts, Fábio Bertoncello, Jorge Peixoto Frisene e família e Odiléa Mignon.

BRASIL INDEFESO

O governo Dilma, ao nomear para o Ministério da Defesa o sr. Jacques Wagner, tornará o Brasil mais indefeso. Indefeso porque o ex-governador, ao longo dos dois mandatos de governo na Bahia, deu mostras evidentes de incapacidade administrativa e falta de traquejo político, uma prévia de como poderá ser sua interação com os comandos das Forças Armadas.  Mais indefeso também estará o País ao ver suas Forças Armadas, instituições que contam com a confiança da população, serem comandadas por um político profissional sem nenhuma relação com elas, nem possuindo ele, em seu currículo, formação que o capacite a exercer o cargo, pois nem o curso superior de Engenharia conseguiu  concluir. Indefeso também estará o País porque, mais uma vez, o governo dá demonstrações claras de que a escolha para o cargo nunca mereceu a atenção a que faz jus, reservando seu preenchimento tão somente para completar o polígono ministerial de 39 lados com os determinantes político-partidários. Enfim, o Brasil estará mais indefeso, não só pelo futuro incerto de suas Forças Armadas, mas também pelo atraso que aos poucos está sendo imposto por meio do crescimento econômico medíocre, pela educação mal ranqueada, a ser entregue a titular polêmico, pela saúde pública pedindo socorro e pela segurança pública amargando um dos maiores índices de homicídios do mundo. Quem nos defenderá de todas essas ameaças? Sobreviveremos como nação, a médio prazo ou mesmo a curto prazo? Oremos que sim.
 
Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com 
Rio de Janeiro

*
MENOS MINISTÉRIOS

JK governou com 13 ministérios, em Brasília. Agora o PT está com 39. Para que tudo isso? Bastaria tão-somente criar secretarias vinculadas aos respectivos ministérios existentes e a estes relacionadas. Nada mais. Será que isso significa querer ressaltar o partido como diferente de todos ou mais verbas indo para o ralo? 

João Rochael jrochael@ibest.com.br 
São Paulo

*
MÁS ESCOLHAS

A considerar alguns nomes já definidos para ocupar os ministérios do próximo governo Dilma, tudo leva a crer que a coisa será padrão Lava Jato mesmo!

Orivaldo Tenorio de Vasconcelos professortenorio@uol.com.br
Monte Alto

*
QUERO SER MINISTRO TAMBÉM

Presidente Dilma, sou um jogador de futebol aos domingos e tenista aos sábados, sou muito bem informado sobre esses dois esportes, leio todos as paginas esportivas dos grandes jornais e revistas, tenho 63 anos e gostaria de ser ministro, fazer parte de seu ministério, se for possível vou sugerir, eu gostaria de ocupar (com todo esse meu currículo) o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, por achar um bonito nome. Não tenho conhecimento nenhum dessa área, mas, como todos, devagarzinho vou me integrando do assunto. Antecipadamente agradeço.  

Arcangelo Sforcin Filho arcangelosforcin@gmail.com 
São Paulo

*
FOTO

Sensacional a foto da presidente Dilma Rousseff (PT) na janela do avião presidencial, onde está escrito “Saída de Emergência” (“Estadão”, 26/12). Uma foto que vale por mil palavras. Parabéns ao foto-jornalista pela grande sacada.
 
Renato Khair renatokhair@uol.com.br 
São Paulo

*
AS FÉRIAS DE DONA DILMA

Em menos de seis meses, esta foi a segunda vez que dona Dilma saiu de férias. Nós, pequenos empresários, nem sabemos o que a palavra férias significa e, portanto, julgo essa atitude uma falta de respeito imensa para conosco, meros pagadores de impostos. Socialistas e comunistas gostam mesmo de uma boa mordomia, helicópteros, passeios de iate pela costa, enquanto seu governo afunda num lamaçal de corrupção! Estivesse eu em seu lugar, jamais tiraria meus pés de Brasília pela segunda vez e menos de seis meses. Uma afronta a um país que está com sua economia em frangalhos, afundado em corrupção e que vê no seu último loteamento de ministérios uma barbárie total, antiética e incompetente para tentar manter a base de sustentação para propostas indecentes, como foi a votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). Vocês, governantes, têm de ter vergonha na cara em suas atitudes medíocres e que passam longe de grandes estadistas que já vimos na historia do mundo. Vocês teriam de dar exemplo e trabalhar por este país, que está à deriva! Quanta mediocridade! 
 
Armando Favoretto Junior afjsrf@ig.com.br 
São Jose do Rio Pardo

*
PETROBRÁS

Auditoria interna da Petrobrás iniciada em abril deste ano e concluída agora, sobre as obras da Refinaria Abreu e Lima, acusa a ex-gerente Venina Velosa de culpa por a Petrobrás ter perdido R$ 25 milhões ao desconsiderar um desconto num contrato. Bem, vamos lá. A obra desta refinaria iniciou em 2007 a um custo inicial de R$ 2,5 bilhões, já consumiu R$ 24 bilhões e ainda não está concluída. A auditoria interna da Petrobrás auditou isso? Tem relatórios? O que tem a dizer? Ou disse amém para tudo? Sem entrar no mérito da questão do valor que está sendo imputado como culpa da ex-gerente, se a auditoria interna da Petrobrás não vir a público e mostrar as auditorias que fez, para justificar o aumento no custo, se é que um aumento deste tem justificativa, fica parecendo uma tentativa de desconstruir/desqualificar a ex-gerente. Ela, em suas entrevistas, disse que teve encontros com a presidente Graça Foster, mostrou-lhe e-mails, mas Graça disse que ela nunca falou em cartel ou em corrupção. Bem, tem gente que para entender certas coisas você tem de desenhar. Pode ter sido o caso. O ex-presidente Fernando Collor sofreu impeachment por corrupção. O ex-presidente João Goulart foi derrubado por acusação de infiltrações comunistas no seu governo. Este governo é uma corrupção atrás da outra, a cada dia, e não acontece nada?

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com 
Rio de Janeiro

*
COMISSÃO SEM MORAL

Esta Comissão Interna de Apuração da Petrobrás acaba de se desmoralizar ao responsabilizar a ex-funcionária Venina, em clara retaliação à denúncia dela envolvendo a presidente Graça Foster no escândalo dos roubos milionários levantados pela Operação Lava Jato. Segundo o relatório dessa tal comissão, Venina foi culpada por uma perda de R$ 25 milhões na construção da Refinaria Abreu e Lima, uma refinaria que foi inicialmente orçada em R$ 2,5 bilhões e já consumiu R$ 24 bilhões. E os outros R$ 21.475 milhões perdidos na refinaria, além dos R$ 25 milhões atribuídos a Venina? São culpa de quem? De Lula, Dilma, Gabrielli, Graça, Duque, além daqueles que já se acusaram?

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com 
Rio de Janeiro  

*
O LADO FRACO DA CORDA

Era evidente que tal comissão, como um cãozinho fiel, correria para culpar (e divulgar) a gerente que denunciava os “mandos e desmandos” da diretoria, principalmente agora, que a presidente da empresa foi “prestigiada”. Gerente e cargos abaixo têm de ter provas fortes para denunciar, senão dança. Isso é lei natural.

M. Mendes de Brito voni.brito@gmail.com 
Bertioga

*
É SIMPLES

Para não deixar o cachimbo cair da boca torta, a comissão (quá! quá! quá) interna da Petrobrás, aliás de altíssima confiabilidade, agora passa a acusar e responsabilizar a sra. Venina por malfeitos. É simples: basta verificar a sua evolução patrimonial. Se for incompatível, procurar as causas. Mas que tal verificar também a evolução patrimonial dos membros da comissão? E por que não divulgar os nomes destes que, em tão poucos dias, foram tão ágeis em encontrar os malfeitos dela? Não seria o caso de incumbi-los de revisar a lista de malfeitos da tchurma? 

Ricardo Hanna ricardohanna@bol.com.br 
São Paulo  

*
TRANSFERINDO VALORES

Toda a grana surrupiada investigada pela Operação Lava Jato deveria ser repassada a custos próximo do zero às usinas sucroalcooleiras. O governo e a Petrobrás são os principais responsáveis pela quebra desse setor altamente alocador de mão de obra e produtor de energia renovável. Todos os envolvidos, pessoas jurídicas e físicas, devem devolver essa grana e repassar ao setor citado. Pode não ser tudo, mas que ajuda, ajuda. É no mínimo um ato didático de postura ética e de conduta louvável.

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com 
Avanhandava

*
MÁ-FÉ EM PASADENA

Que a compra da Refinaria de Pasadena, nos EUA, foi uma malandragem contra a Petrobrás e o País, isso foi. O inusitado é que os figurantes máximos na época, Lula, Dilma e Graça, continuam surfando em céu de brigadeiros. Além de nanicos como governo, somos nanicos como Justiça também. Tomara que no exterior a coisa ganhe corpo.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com
São Bernardo do Campo

*
PROCESSOS NOS EUA

Agora que a Justiça norte-americana entrou com ações contra a Petrobrás, executivos e diretores, não é mais dona Graça e os sem-graça que são os não confiáveis, mas a própria Petrobrás e, principalmente, a reputação do País que estão em jogo, ainda mais quando se questionam na Justiça as provas inquestionáveis de corrupção.

José Sergio Trabbold jsergiotrabbold@hotmail.com 
São  Paulo
 
*
BARBAS DE MOHLO

Com o avanço das investigações, não só tubarões, mas outros espécimes da fauna marinha estão com as barbas de molho...

A.Fernandes standyball@hotmail.com 
São Paulo

*
O LEGADO DE JOSÉ SARNEY

O velho José Sarney se vangloria tanto de seu Estado, o Maranhão, dizendo ser a sua maior vitória ter mudado a mentalidade do Estado. Mudou a tal ponto que se tornou o presidente do Brasil. O sr. Sarney esqueceu-se de dizer que foi presidente sem votos e por um acaso e azar do Brasil e dos brasileiros. Em mais de 50 anos de vida pública, Sarney deixa um grande legado de pobreza aos maranhenses. Chamou de seu o Maranhão, deu seu nome a todos os lugares da cidade, usou dinheiro público para se promover e, sem o menor constrangimento, afirmou em seu jornal do Maranhão que o índice de Desenvolvimento Humano (IDH) foi criado para explorar as fraquezas em países em desenvolvimento. Sarney só não disse que empobreceu seu Estado, enriquecendo sua família e, não satisfeito, se reinventou senador do Amapá deixando o caminho livre para seus filhos no Maranhão. Ao sair da Presidência da República, Sarney tinha 14% de aprovação, porcentual dado pela sua família e beneficiários. Se o IDH foi criado para explorar riquezas, o que dizer do jornal da família Sarney e dos anos em que ficaram no poder? Como faz falta educação neste país. 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com 
São Paulo

*
UM PRÓXIMO ANO MAIS CARO

O ano começará bem com a conta de luz 8,3% mais cara, graças à aplicação da "bandeira vermelha", instrumento que eleva automaticamente a conta de luz assim que o custo de produção da energia é considerado elevado, ao caso em R$ 3 para cada 100 KWh. Se bandeira amarela, será de R$ 1,50, e, verde, permanece inalterado o valor original. Diante da conjuntura, nada melhor que o vermelho, a cor do perigo, identificando o PT e mais uma mentira do governo petista, com promessas impraticáveis a serem cumpridas, sendo este aumento o primeiro, sem prejuízo, dos que virão para o ano próximo. Afinal, para uma presidente que diz que para vencer a eleição pode fazer de tudo, não foge do expressado 
e coerente na sordidez.

Mario Cobucci Junior maritocobucci@uol.com.br
São Paulo

*
PROMESSAS APENAS

Atualmente, ouvimos tantas e tantas asneiras e mentiras oriundas das autoridades dos Três Poderes e dos três níveis, federal, estadual e municipal, que o conhecido ditado popular já se inverteu para “melhor ser surdo do que ouvir isso”. E vamos pagando mais impostos!

Joao Paulo jp@lepper.eco.br 
São Paulo

*
VOLTARÁ A CPMF?

Muito bom o editorial de 25/12 “Para piorar o que já é ruim”, do “Estadão”, que versa sobre articulações dos governadores eleitos pelo PT para a volta da CPMF, com discreto apoio do Palácio do Planalto (conspiração!), o imposto dos mais execrados pelos brasileiros. Para piorar o que já é escroto, acrescento que será um tiro no pé, porque vai cutucar a onça com uma vara bem curta. Já pagamos os impostos mais caros do planeta e essa aberração tributária, que é a CPMF, sabendo que é para sustentar uma máquina incompetente, destruidora, corrupta e ineficiente: 39 ministérios, a maioria para acomodar a base alugada paga por nós e aposentadorias políticas que maltratam a nossa inteligência. A governadora Roseana Sarney, por exemplo, já aposentada pelo Senado com R$ 23 mil, após renunciar o governo do Maranhão, vai se apossar (o verbo é esse) de mais uma aposentadoria, como "governadora aposentada", com mais R$ 25 mil na bolsa (meu Deus, eu ainda não consigo acreditar em tamanha extravagância de conceito!). Onde está o Ministério Público Federal para acabar com essa farra com o dinheiro público? Política não é profissão, não tem ordenamento jurídico e constitucional para legislar em previdência, ainda mais coercitivas e absurdas como acontece em várias cidades e estados brasileiros. Estes caras estão apostando que o brasileiro é realmente tolo, precisamos dar o troco, e rápido. Devo desejar, como de praxe, um feliz ano-novo para todos. Boa sorte, mas... Que venha 2015!

José Eduardo Victor je.victor@estadao.com.br 
Jaú

*
QUEREMOS SABER ANTES

Se Joaquim Levy está considerando a volta da CPMF, o imposto mais burro que se conhece, é melhor nem tomar posse!

Gustavo Guimarães da Veiga ggveiga@outlook.com 
São Paulo 

*
ESTAMOS PRONTOS

Governo prepara volta da CPMF. Nós, que somos os maiores pagadores de impostos, sem retorno, no mundo, não suportamos mais impostos. Estamos preparados para ir para as ruas.

José Carlos Alves jcalves@jcalves.net
São Paulo

*
IDEIA ABSURDA

Totalmente absurda a ideia da volta da CPMF. Mais dinheiro para a corrupção? Não! Temos de manifestar nossa vontade através dos meios disponíveis: cartas, movimentação da sociedade nas ruas, enfim, precisamos nos fazer ouvir, não podemos deixar passar pacificamente mais esse assalto aos nossos bolsos. A hora é essa, já que não temos apoio político, vamos reagir do jeito que puder para defender nossos direitos e interesses.

Odiléa Mignon cardosomignon@gmail.com 
Rio de Janeiro

*
NO DNA

Corromper, ser corrompido, falar e fazer besteiras, desprezar as leis em todas as esferas (cível, penal e eleitoral), meter a mão no bolso do contribuinte via mensalão, petrolão e outros ãos, comprar votos via bolsas, comprar de batelada a consciência de um bando de canalhas que se instalou nas duas câmaras, tornando todos coautores de seus crimes, aumentar impostos e, agora, também querer ressuscitar a execrável CPMF para ter ainda mais dinheiro no bolso. Tudo isso está no DNA petralha. Piorar o que já é ruim é a marca registrada desta quadrilha e, principalmente, de seu intocável chefe.

Renato Otto Ortlepp renatotto@hotmail.com 
São Paulo

*
E AGORA?

Companheiros! Com o PIB dos EUA crescendo 5%, se o Fed autorizar a alta da taxa de juros, estaremos literalmente fritos!

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br  
Monte Santo de Minas (MG)

*
METRÔ DE SÃO PAULO – 2015 

O “Estadão” de 26/12 nos trouxe o “presente de Natal” do governador Geraldo Alckmin aos paulistanos, pela entrevista concedida ao jornalista Caio do Valle, de que em 2015 o Metrô inaugurará apenas duas míseras estações, a Oscar Freire e a Higienópolis, ambas da Linha 4. À pergunta de qual a razão da entrega menor que a prevista, o governador respondeu que “olha, obras do metrô, obras enterradas, caríssimas e complexas, você não faz em 24 horas. O importante é o canteiro. Temos um canteiro de 103 quilômetros”. Ora, o governador subestima a inteligência do paulistano com tal argumento. Para mim, fica evidente que o planejamento dessas obras foi incorreto ou houve interferência política nas decisões. A linha 4, por exemplo, que foi batizada pelo Metrô de Linha Amarela, deveria denominar-se de Linha Penélope, tal a demora em sua conclusão. Ela começou a ser implantada há uma década e tinha previsão de estar praticamente pronta em 2014, como, por exemplo, o trecho que compreenderia as Estações São Paulo-Morumbi e Vila Sônia, sendo que junto a esta última seria construído um importante terminal de ônibus. Agora o trecho ficará pronto para os últimos meses de 2016. Em minha opinião, é lógico que o Estado deve incrementar ao máximo as obras para a rede de trens metropolitanos, mas tem de dar prioridade às estações que atendem a regiões estratégicas para uma cidade que tem uma carência absurda de transportes sobre trilhos. Aliás, na mesma linha de pensamento do engenheiro Emiliano Affonso, presidente da Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Metrô de São Paulo. Ter um canteiro de 103 quilômetros em obras é importante, mas não para termos apenas duas estações inauguradas em 2015 e algumas em 2016. O Metropolitano de São Paulo está décadas atrasado e o crescimento da cidade não suporta tantos adiamentos. Também salta à vista, na atual conjuntura, que inaugurar estações pontuais na zona leste, para desafogar a linha vermelha deveria ter prioridade sobre todas as outras estações que ainda serão inauguradas.

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br 
São Paulo

*
A SECRETARIA DE GERALDO ALCKMIN

Floriano Pesaro deve vir a público justificar porque desdenhar dos 113 mil eleitores que acreditaram em sua capacidade e em seu pedido de votos para ser representante de anseios de paulistas na Câmara dos Deputados. Para mim, trocar a dignidade de um cargo para o qual se foi eleito pelo povo, para ser um secretário de governo estadual ou outro é menosprezar e escarrar no voto é dar ao seu eleitor, um ilustre desconhecido no seu lugar. Se for por exigência do partido, não só diminui a si mesmo (o partido o considera uma pecinha manipulável e comprada com dinheiro de campanha, e não um Líder em processo de formação) como diminui o partido, podendo até lhe ser atribuídas funções de arrecadador via porcentagem para o partido para repor o que lhe foi entregue. Meu desgosto é para ele a quem votei e para todos que aviltam os votos recebidos em negociatas partidárias. Quem pleiteou e recebeu os votos necessários para cumprir um cargo eletivo tem que exercê-lo.  A não ser é claro, que ocorra uma renúncia baseada em causa justa.

Jaqueline Grossmann Jaquelineg2004@uol.com.br 
São Paulo

*
AEROPORTO DE GUARULHOS

Seria interessante que um repórter deste jornal, quando de passagem pelo Aeroporto de Guarulhos, tentasse usar qualquer um dos aparelhos telefônicos instalados nos terminais. Estão sem funcionar há mais de uma semana e, segundo a funcionária da empresa concessionária, o motivo é o rompimento de um cabo, que só deverá sofrer reparos "no ano que vem". Ainda bem que estamos a poucos dias do ano que vem.

Ody Parreira parreir@gmail.com 
Londrina (PR)

*
LIMPEZA DOS BANHEIROS

Pelo estado de imundície do banheiro feminino da sala VIP da Gru Airport, no novo Terminal 3 do Aeroporto de Cumbica, em plena sexta-feira, dia 26 de dezembro, às 21 horas, tive uma amostra da qualidade da concessionária, que não consegue administrar nem a limpeza dos banheiros.

Paulo Ruas pstreets@terra.com.br 
São Paulo

*
CORREIO NO PASSO DE TARTARUGA

Enviei no início de dezembro 52 cartas de Natal (prioridade) via Correio para a Alemanha e os Estados Unidos. Até hoje não chegaram lá. Que vergonha! No ano 1930 uma carta do Brasil para a Alemanha via “Zeppelin” levou 5 dias! Hoje, com aviões a jato, nem em 4 semanas chegam as cartas. O Correio do Brasil foi antes um exemplo para o mundo. Foi o segundo país que lançou selos postais no ano 1843 (a Alemanha, somente em 1849). O Correio do Brasil foi durante mais de 160 anos o melhor do mundo e durante décadas o chefe do nosso correio foi presidente da União Postal Mundial (UPU).

Michael Peuser mpeuser@hotmail.com
São Paulo 

*
‘O DESTEMPERO DO CORONEL’

Cumprimento o jornal pela crítica, em editorial de 27/12, que faz sobre a entrevista do senhor comandante da Polícia Militar. Clara, concisa e objetiva, analisa as distorcidas especulações do entrevistado. Muitas vezes, algumas pessoas perdem grande oportunidade de ficarem caladas. Este senhor representa a maior corporação do País e deveria se manter firme e sóbrio até o final de sua atividade funcional. Não é de forma pública que se resolvem problemas corporativos, e sim internamente. Talvez, esteja descontente em razão das escolhas que fez, o que fica patente nas colocações e palpites em seara alheia. Suas sugestões são extremadas, eis que sugere uma Lei de Execução Penal mais rígida, diria até desumana, palpita em orçamento público em cotejo com a instituição policial civil sem demonstrar faticamente suas razões, grita contra a administração pública quando deveria ter concorrido diretamente para transformar uma realidade. Suas ingênuas colocações ferem a inteligência de quem trabalha com segurança pública. 

Paulo Gilberto Negrão negraopg@terra.com.br
São Paulo 

*
O CORONEL ESTÁ CORRETO

Infeliz foi o Estado por pedir e após criticar o que solicitou. Vamos aos tópicos: Discordo do comandante quando fala de partido político. Quebrar a paridade foi um grande erro do nosso governador e espero que o erro seja corrigido e as reclamações devem ser tratadas como foram, pois a população precisa saber das nossas reivindicações. Comandei guarnição militar na penitenciária do Estado e Casa de Detenção por vários anos (1967/1969) e aprendi muito com os diretores da época e posso dizer com tranquilidade que devemos ficar atentos a tudo, pois tudo desemboca na nossa corporação. Quanto mais direitos e vantagens dermos aos presos, pagaremos na vida do dia a dia. Cortar privilégios e não negar a eles dignidade, com presídios melhores e, se preciso for, trabalho forçado não mata, mas educa. Quanto às promoções, fico com o governador, pois o critério de promoção por merecimento sempre será político. Quanto a sobrar para o governo federal, sobrou pouco, pois é só conferir quantos milhões não são aplicados no sistema penitenciário e na segurança pública. Parabéns ao comandante da Polícia Militar.

Luiz de Gonzaga Santos lg.santos@terra.com.br 
Paraibuna

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.