Fórum dos Leitores

LULOPETISMO

O Estado de S.Paulo

19 Abril 2015 | 02h07

Crime de responsabilidade

Conforme decisão do plenário do Tribunal de Contas da União (TCU) em 15/4, 17 autoridades terão de explicar operações que envolveram o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal e o BNDES, num total de R$ 40 bilhões, "tomados de empréstimo" pelo governo federal. Por que não 18 autoridades? Afinal, são todas subalternas da presidente Dilma Rousseff e com certeza não agiram sem o conhecimento da suprema mandatária. Essas operações, que contrariam a Lei de Responsabilidade Fiscal, ficaram conhecidas como pedaladas fiscais e, segundo o TCU, não há dúvidas de que o governo incorreu, de fato, em crime de responsabilidade. Reiterando a decisão, o relator do processo, ministro José Múcio, afirmou com todas as letras: "Não tenha dúvida. Há um descumprimento da lei. Um banco público não pode emprestar dinheiro para o governo". Logo, a conclusão deixa claro que houve, sim, crime de responsabilidade fiscal. Então, por que aguardar 30 dias para as explicações dos envolvidos? Para que tenham tempo, acredito, de dar uma bicicleta, em vez das costumeiras pedaladas nas contas insolventes do governo.

SÉRGIO DAFRÉ

sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

Fora da lei renitente

Apurou-se que o Executivo federal executou manobras contábeis ardilosas, denominadas pedaladas, para criar uma situação financeira do País que não corresponde à realidade. Trata-se de decisão do TCU. Tornada pública a ilegalidade, o advogado-geral da União, Luís Inácio Lucena Adams, vem a público não para negar o "malfeito", mas para confirmá-lo, afirmando que essa violação da Lei de Responsabilidade Fiscal (datada de 2000) vinha ocorrendo há já vários anos (diz 14 anos, abrangendo plenamente, pois, os mandatos da presidente atual e os do anterior) e que não entende por que só agora o procedimento ilegal foi questionado. São suas palavras: "Vamos devagar. Desde 2001 esta sistemática de pagamentos acontece. Por que só agora estão questionando isto?". Ora, a pedalada é um procedimento criminoso, como assentou o TCU. Dada a sua obrigação institucional de "garantir a correta aplicação das leis", o sr. Adams deveria, no momento em que assumiu a Advocacia-Geral da União (2009), ter dado início às providências cabíveis justamente para "garantir a correta aplicação das leis", a fim de que a ilegalidade não continuasse sendo praticada pelos dirigentes da administração pública federal. Tudo sem prejuízo da identificação dos responsáveis, é claro. Em face da declaração referida, o sr. Adams admite (confessa!) que foi negligente no exercício de suas funções e atribuições, permitindo que um procedimento ilegal de que tinha conhecimento há muito tempo continuasse a ser uma prática da administração federal. Pode-se dizer, pois, que foi conivente com essa prática ilegal. Ademais, cabe anotar que as autoridades do Banco Central, parece, se rebelam contra a determinação do TCU, pois seu procurador Isaac Sidney Ferreira asseverou que a determinação jurídico-contábil firmada pelo TCU é indevida e por essa razão a decisão vai ser objeto de recurso. Enfim, a rebeldia da governança atual contra o disposto nas leis é uma verdadeira doença endêmica.

PEDRO LUÍS DE C. VERGUEIRO

pedrover@matrix.com.br

São Paulo

Dilma prevaricou

O argumento, surrado, é sempre o mesmo: fizemos o que os outros sempre fizeram. A pedalada fiscal é a bola da vez. Alegam que desde 2001 os governos sempre assim procederam. Ora, em assim sendo, se os governos petistas, em especial o atual, sabiam das irregularidades, deveriam ter denunciado e apurado as responsabilidades. Como não o fizeram, configura-se o crime de prevaricação cometido pela atual presidente da República.

MARCO ANTONIO ESTEVES BALBI

mbalbi69@globo.com

Rio de Janeiro

Não dá pedal

Também o nosso ministro da Justiça disse que o atraso nos repasses do Tesouro a bancos públicos responsáveis por pagamentos de benefícios e programas sociais é prática normal e antiga (entenda-se: vinda desde os tempos do governo FHC). O fato pitoresco é que o PT até há pouco tempo era "contra tudo isso que está aí". Agora o PT quer provar que é exatamente "igual a tudo isso que está aí". E dane-se o povo brasileiro.

MARCELO L. Z. BERNABE

zbernabe@hotmail.com

São Paulo

O mérito é do povo

Os ministros José Eduardo Cardozo (Justiça) e Luís Inácio Adams (Advocacia-Geral da União) acusaram a oposição de "desespero compulsivo" por impeachment da presidente Dilma. Gostaria que esses ministros não dessem o crédito do pedido de impeachment da presidente à oposição, que até o presente momento está apática, e sim ao povo, que saiu às ruas pelo "Fora Dilma". Quem realmente está desesperado e pedindo a saída da Dilma do governo é o povo, que está pagando a conta da má administração desse governo incompetente e da roubalheira dos cofres públicos, com mais impostos, aumento do preço da energia elétrica e da gasolina, inflação acima da meta, etc. O povo exige que a presidente Dilma e seus companheiros deixem o governo para que no lugar deles pessoas honestas e competentes possam assumir e pôr o Brasil nos trilhos novamente. Não é o PSDB, não é o FHC nem o Aécio. É o POVO que está nas ruas pedindo "Fora Dilma", "Fora PT", "Fora PMDB", "Fora Foro de São Paulo". Os ministros entenderam ou preciso desenhar?

MARIA CARMEN DEL BEL TUNES

carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

Curiosidade

Eu só queria saber: se o sr. João Vaccari Neto, que cuidava do dinheirinho do PT, é inocente e se o PT faz tudo legalmente, por que todo o alvoroço que motivou a reunião da cúpula do partido e o açodamento do ministro da Justiça (!) em informar a presidente da República (!) para mantê-la atualizada sobre a prisão do prócer (tesoureiro é dirigente) desse partido? Como ela propaga aos quatro ventos dirigir (sic) o País para todos brasileiros, qual o motivo da sua preocupação com um fato atinente a somente um dos partidos políticos, coincidentemente o PT? Dá para responder?

RICARDO HANNA

ricardohanna@bol.com.br

São Paulo

Resumo da semana

Foi uma semana PT: Pedalada e Tesoureiro.

HAROLDO NADER

nader.haroldo@gmail.com

Valinhos

Recall já

A solução é o voto distrital com recall. Isso corrige tudo!

GUSTAVO GUIMARÃES DA VEIGA

ggveiga@outlook.com

São Paulo

DILMA ROUSSEFF, DA ASCENSÃO AO CAOS 

A presidente Dilma Rousseff, uma invenção do irresponsável e megalomaníaco Lula, parece não ter entendido que foi empurrada rampa acima no Palácio do Planalto sem ter a mínima competência para exercer a função que hoje ocupa. Após perceber que já não enganava nem os mais ingênuos, tendo de engolir vaias, xingamentos e panelaços de todos os lados, resolveu passar o bastão de comando a Michel Temer com apenas cem dias do seu segundo mandato. O vice-presidente agora assumiu a articulação política do governo. Nada mais resta a Dilma. Ela terá de escolher entre a renúncia ou tentar ficar no cargo por um longo período de tempo fingindo governar, inaugurando um ponto de ônibus aqui, um orelhão ali ou um semáforo em ruas da periferia. Dilma já fez de tudo para merecer ser lembrada como a primeira mulher a ocupar o mais elevado cargo da Nação, mas também não se esqueceu de fazer-se merecedora do troféu da pior presidente que o Brasil já teve. Sua reeleição, todos sabem, foi resultado de uma fraude jamais vista, da total ausência de escrúpulos da cúpula de seu partido, o PT. Os brasileiros jamais se esquecerão daquelas duas famosas frases ditas antes das eleições: "Eles não sabem do que somos capazes de fazer (para ganhar uma eleição)" e "nós podemos fazer 'o diabo' para ganhar uma eleição". Hoje, diante dos escombros da Petrobrás, podemos finalmente ter uma ideia da dimensão do significado daquelas frases.

Wilson Sanches Gomes sancheswil@hotmail.com 
Curitiba 

*
SAÍDA

Do Oiapoque ao Chuí a capilaridade da administração pública está tomada pela metástase da corrupção. O que de mais nobre poderia acontecer seria a presidente da República trocar o fico pelo renuncio. De outra forma não há saída para a pátria amada Brasil.

Manoel Braga manoelbraga@mecpar.com 
Matão

*
DO MENSALÃO AO PETROLÃO

No último protesto contra o governo corrupto de Dilma (PT), o movimento foi 60% inferior ao do dia 15 de março. Protestar, neste caso, dá resultado? A recente história mostra o triunfo da impunidade: no governo Lula, a quadrilha 1 era formada por homens de sua confiança (Dirceu, Genoino, Delúbio, etc.), que estão livres, leves e soltos. Neste desgoverno, a "dama de vermelho", criatura de Lula, como o ex-presidente também diz nunca saber de nada, mas que todos os culpados devem ser punidos. Pois bem, a quadrilha 2 já começou a ser presa: é a vez do tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, associado na Operação Lava Jato por corrupção e lavagem de dinheiro. Mas até quando vai ficar preso?

Alex Tanner alextanner.sss@hotmail.com 
Sumaré

*
MEDO

Tem gente morrendo de medo, caso haja delação premiada do senhor João Vaccari Neto, preso pela Operação Lava Jato. Não é mesmo, senhor Ricardo Berzoini, fundador da Bancoop e atual presidente do Partido dos Trabalhadores?

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com
São Paulo

*
O QUE QUEREM AS RUAS

As vozes das ruas pedem essencialmente duas coisas: fim da corrupção e "impeachment" da presidente Dilma. A oposição tem um longo trabalho pela frente se quiser atender às solicitações do povo. Os dois temas estão indubitavelmente ligados um ao outro. Se os políticos com "p" maiúsculo quiserem trabalhar seriamente, devem promover as investigações sobre as contas públicas e participação da presidente na corrupção da Petrobrás e provável crime de responsabilidade. Com provas sobre a participação de Dilma nestes temas, poderá, então, tomar a iniciativa de promover seu processo de impeachment. Por muito menos Collor foi afastado da Presidência e não será impossível fazê-lo com Dilma. O povo está ávido por retirá-la desta cadeira, que mais parece um trono de desregramentos. 
  
Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com
Rio de Janeiro

*
IMPEACHMENT

Para recebimento de uma denúncia, não é preciso prova da autoria, bastam prova do crime e sérios indícios de autoria. Na denúncia por crime de responsabilidade, necessário também é o apoio popular, pois seu recebimento compete à Câmara dos Deputados. Há provas de que houve improbidade na Petrobrás e até de que o motivo foi político: confissões de envolvidos, devoluções de numerário desviado, contemporaneidade de pagamento de contratos suspeitos e de doações generosas a partido no poder (esta última é indício a compor conjunto probatório com as anteriores). Há sérios indícios de autoria (que, no caso, não precisa ser uma ação, basta ciência dos fatos e omissão de obstá-los): função de ministra de Minas e Energia e presidência do conselho da estatal, na época dos fatos, autorização para compra suspeita de determinada refinaria, generalização e volume dos desvios em diversas diretorias, benefício direto à sua eleição e reeleição. Tudo isso, ao menos, indica seriamente ciência dos fatos. A omissão, já como primeira mandatária, é reconhecida (a ciência pode ser anterior ao mandato; a omissão tem de ser no mandato). A prova de autoria pode ou não ser obtida no curso do processo, já no Senado e com afastamento do poder da denunciada, com oitiva dos envolvidos, perícia na execução dos contratos e na contabilidade das empresas contratantes, rastreamentos de verbas. A lei exige afastamento do poder do denunciado, para o bem da colheita judicial das provas. As questões cruciais, então, são se a renovação do mandato presidencial impede o processo de fatos anteriores, da mesma mandatária, como afirma, por exemplo, o ilustre jurista Miguel Reale Jr., e se há disposição política e da Nação para o processo.

Haroldo Nader nader.haroldo@gmail.com 
Valinhos

*
PROTESTO DE CONSERVADORES

A revista "The Economist" diz que "Tea Party tropical quer derrubar Dilma". Por outro lado, a Cachaça Party poderá derrubar Lula! 
  
Robert Haller robelisa1@terra.com.br  
São Paulo

*
ALA RADICAL APAIXONADA PELA ÉTICA

"Ao contrário da Europa, aqui protestos não são de esquerda", diz o "The Economist" com o título "Tea Party tropical quer derrubar Dilma - Movimento que protesta pela saída da presidente se assemelha à ala conservadora e radical do Partido Republicano nos EUA". Assim é o enunciado da matéria (17/4, A5). Nossa! Realmente espantoso saber que 2/3 da população são radicais de direita, inclusive, grande parte do pobre povo nordestino, por se sentirem ludibriados ao darem-se conta de que quantia imensa de dinheiro que poderia ser aplicado na melhoria de sua qualidade de vida escorre sem constrangimento pelo ralo da corrupção que desemboca direto nas contas do partido no qual tanto confiaram e que tinha a ética como sua principal bandeira. Perceberam também que nenhuma justiça social é duradoura quando o dinheiro público é usado com total irresponsabilidade e incompetência. Quem está contra este governo não é de esquerda, tem razão o articulista do "The Economist", ao contrário, é gente direita com vontade de ter um governo probo que endireite sua vida sempre tão sofrida. Quanto aos mais ricos, são igualmente direitos apaixonados pela ética querendo que o dinheiro público seja aplicado naquilo para o qual foi destinado e não para o caixa de um partido ou para o bolso de alguns sem caráter nem compaixão. É isso que eles chamam de "ala conservadora e radical"? Incrível! Então, pela lógica, os de esquerda aqui no Brasil são todos aqueles que estão do lado contrário, defendendo ou praticando a mais tenebrosa corrupção que ocorreu na história do Brasil. E olhe que a corrupção aqui nunca foi pouca. Mas esta bateu todos os recordes. Parabéns, esquerda tupiniquim! Aí está um troféu que os "de direita" jamais gostariam de exibir e que vocês adquiriram com muito mérito. 
 
Eliana França Leme efleme@terra.com.br  
São Paulo

*
FENÔMENO

Dona Dilma está se beneficiando de um fenômeno que só ocorre no Brasil: permanecer presidente mesmo negativada.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br 
Monte Santo de Minas (MG)

*
TEMOS OPOSIÇÃO?

Só agora o PSDB estuda a possibilidade de entrar com um pedido de impeachment contra a presidente Dilma. Estão demorando muito. Se ficarem muito tempo discutindo as inúmeras alternativas, a tendência do País é piorar ainda mais. Enquanto i$$o, o PT vai "limpando" os cofres públicos, mas negando sempre. A esta altura, devem estar quase vazios e até já falam na eleição de 2018. Quando a oposição se mexer, pode ser tarde demais... A "pedalada fiscal" é um dos muitos motivos, mas há muitos. Aos cidadãos brasileiros nem parece que temos oposição. Temos?
 
Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br 
São Paulo

*
IDEIA FIXA

O senador Aécio Neves precisa esquecer o impeachment (ou deixá-lo na conta do povo), reatar com o trabalho, provando ser melhor do que foi nas últimas eleições, até porque ganhar no grito nem o homem do apito!

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com 
Niterói (RJ)

*
SÓ NÃO VÊ QUEM NÃO QUER

A competente colunista deste jornal Eliane Cantanhêde, em sua coluna de quinta-feira (16/4), enfocou o fato de "63% dos brasileiros serem favoráveis ao impeachment da presidente. E, ontem (15/4), movimentos unidos pelo grito 'Fora Dilma' foram à oposição cobrando que aja como oposição. Quem tem que evitar o impeachment é o governo, não o PSDB". Concluiu dizendo que Aécio Neves jogou a toalha e que FHC é prudente quanto ao impeachment. Ocorre que, sem muito esforço de raciocínio, é perceptível que não interessa ao PSDB que Dilma saia do governo antes do término de seu mandato, quer por meio de processo de impeachment, quer por outro qualquer meio: morte, renúncia, posto que quem vai assumir a Presidência, neste caso, é o vice-presidente, Michel Temer, do PMDB. Os tucanos, principalmente o experiente FHC, sabem que o povo brasileiro irá dar todo apoio ao novo presidente e será paciente com ele, à espera dos resultados das decisões que vier a tomar, por saber que pegou o bonde andando. Nisso ele se credenciará a concorrer com grande possibilidade de ser eleito e reeleito nas duas próximas eleições, adiando para data longeva (2022) a possibilidade de os tucanos voltarem a governar o País. Aécio não sabe se será o escolhido para concorrer à próxima eleição presidencial, por isso jogou a toalha, sendo a favor de expurgar Dilma do cargo que ocupa. Já FHC, que não pretende ser candidato, torce para que a presidente cumpra até o fim o seu mandato, embora com cada vez mais desgaste, dela e do PT, perante aos eleitores.  

Roberto Cividanes robcividanes@gmail.com 
São Paulo

*
O DESTINO DESTE GOVERNO
 
A prisão de João Vaccari Neto, tesoureiro do PT, mas já afastado da entidade, põe em foco, mais uma vez, a Operação Lava Jato e seu eficiente trabalho. Entretanto, com a inflação em alta e acima da meta, o medo dos investidores, além da absoluta falta de confiança neste governo, o que torna mais negro o futuro, rápido está sendo o percurso para requerer o impeachment da presidente Dilma Rousseff. E todas as forças reunidas, povo e partidos de oposição, podem dar origem ao documento inicial de pedido de impedimento, segundo determinam os artigos 84 e seguintes da Carta Magna. Daí em diante, começará o calvário de dona Dilma. Assim, a renúncia, como no caso de Collor de Melo, é perfeitamente factível.

José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br 
Rio Claro

*
COMANDO VERMELHO

Estou curioso para saber qual será o Comando Vermelho (CV) que mandará nas penitenciárias em breve.

André C. Frohnknecht caxumba888@gmail.com 
São Paulo

*
VAQUINHA PETISTA

Para pagar as multas impostas pelo STF aos condenados do mensalão do PT, sr. José Dirceu, José Genoino e outros, os petistas fizeram uma "vaquinha" pela internet. Agora, já está na hora de os petistas começarem uma nova campanha para arrecadarem os US$ 200 milhões de que o sr. João Vaccari Neto se apoderou nos contratos da Petrobrás. Ou que tal - é só uma sugestão - cada um dos quase 53 milhões de eleitores que votaram na Dilma doarem US$ 4,00 para o ressarcimento desse roubo?
 
Valdy Callado
São Paulo

*
FALECIMENTO

Faleceu no Brasil, com muitos anos, um partido político. Fundado inicialmente com o princípio básico de defesa do povo, da moralidade e da honestidade, desvirtuou-se em sua existência tornando-se um arremedo de partido. Enfileirou em suas base gatunos, pessoas de mau caráter, mentirosos, dissimulados, mas dotados de grande inteligência, voltada para o crime e os malfeitos de todas as espécies. Após as prisões de alguns de seus baluartes, e alguns membros de sua família considerados foragidos pela Polícia Federal, chegou-se à conclusão de que não há mais luz para eles. O féretro se dará dentro de poucos dias, tão logo a sua componente-mor e o seu criador saírem por si só ou expulsos, como eles deveriam ser. Ficaria, assim, eliminada a possibilidade futura de ouvir os nomes de alguns políticos indigestos, asquerosos e desqualificados, mas agora milionários.
 
Aguiar Juliani Farina jfarina19@hotmail.com 
São Paulo

*
SOBREVIVÊNCIA

Apesar de toda a crise, infelizmente o PT não vai acabar.

José Roberto Iglesias rzeiglesias@gmail.com  
São Paulo 

*
HERANÇA MALDITA

Perguntar não ofende nem defende: o imposto federal sobre heranças também vai incidir sobre herança maldita? 13 anos de 13: sai uruca!

Olga Kos olgakos@hotmail.com
São Paulo

*
A PROVA DA MENTIRA

"O Tribunal de Contas da União (TCU) declarou não haver mais nenhuma dúvida de que o governo Dilma Rousseff incorreu em crime de responsabilidade fiscal ao utilizar recursos de bancos públicos para inflar artificialmente os resultados e melhorar as contas da União" ("Estadão", 16/4, B5). A presidente Dilma gastou demais o dinheiro público e, para esconder isso dos brasileiros, usou de artifícios ilegais. Mentiu. Arruinou a economia, impondo inflação e desemprego aos brasileiros, que agora têm de pagar por sua desonestidade. Temos base para pedir sua destituição.

Carlos de Oliveira Avila gardjota@gmail.com
São Paulo

*
PEDALADA DECISIVA

Não é a pedalada do Robinho (Santos F.C.), tampouco do reduzido número de ciclistas que utilizam as imensas e desnecessárias ciclovias de São Paulo. A pedalada é a do governo Dilma, que o Tribunal de Contas da União (TCU) considera "crime de responsabilidade fiscal", porque usou recursos de bancos públicos como os da Caixa e do Banco do Brasil para disfarçar artificialmente os resultados como de bom desempenho das contas da União. Ou seja, das intermináveis traquinagens contábeis da era petista... E, se as 17 altas autoridades do governo federal convocadas pelo TCU não forem convincentes em seus esclarecimentos sobre esse escandaloso caso, a presidente Dilma, por força da Lei de Responsabilidade Fiscal, poderá inclusive perder seu mandato, reforçando, assim, a tese do impeachment da presidente, que já está inclusive sendo confabulada pelo PSDB, com apoio dos partidos PPS, DEM, SD, e PV.  Essa é uma das razões por que quase 3 milhões de manifestantes saíram às ruas e avenidas deste país, demonstrando seu repúdio ao governo Dilma e ao PT de Lula.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com
São Carlos 

*
MANOBRAS FISCAIS

Às pedaladas, Dilma conduz o Brasil ladeira abaixo.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br 
São Paulo

*
O PIOR AINDA VIRÁ

O PT, sempre esperto, abusou do saque a descoberto. E após estrago de tal monta, aos que não ganharam nada restará, ainda por cima, ter de pagar a conta! 

Eduardo Augusto Delgado Filho e.delgadofilho@gmail.com  
Campinas

*
DE CABEÇA PARA BAIXO

Seria imaginável pensar que, diante de tantas promessas de campanha, em menos de seis meses o nosso país passaria a ter de conviver com tudo o que aí está. Ao invés das fábricas de veículos estarem produzindo e exportando, o que vemos são centenas de pessoas perdendo seu emprego, o que, aliás, não tem acontecido só no setor automobilístico, mas em outros segmentos também. E pensar que no Brasil o único setor que continua com muito trabalho é a Polícia Federal, que a cada dia põe mais corruptos atrás das grades.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com 
Jandaia do Sul (PR)

*
CUSTO FISCAL DO SALÁRIO DO TRABALHADOR

Conforme relatório anual publicado pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o Brasil tem a maior cunha fiscal entre os países emergentes, que é o desconto de 33,5% no salário referente ao Imposto de Renda e à Previdência, ou seja, o trabalhador, na verdade, leva para casa 66,5% do salário registrado em carteira. Lembrando que a média na América Latina é de 15%. Segue a pergunta: nesse cálculo para o Brasil, será que a OCDE não deveria incluir o Imposto Sindical compulsório, que equivale a um dia de trabalho, essa herança maldita de Vargas que é contrária às normas da Organização Internacional do Trabalho (OIT)? 

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com 
Campinas 

*
OS BEIJINHOS DA PRESIDENTE

A presidente Dilma Rousseff, demonstrando ser possuidora de grande astúcia e sagacidade, e em meio a uma grande crise política, no dia da comemoração do Exército Brasileiro, 19 de abril, numa reunião especialmente convocada, condecorou vários inimigos políticos com a Ordem do Mérito Militar, naturalmente com a intenção de agradar e melhorar sua posição governamental, que hoje, por estar indiretamente ligada a várias  operações de inquéritos parlamentares, está em franco declínio, como indicaram várias enquetes populares. E por estar ligada principalmente à chamada Operação Lava Jato. Foram nada mais, nada menos que 265 agraciados (haja medalhas). Dentre estes, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que decepção, e o deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO), outra decepção. Também se fez presente o comandante das Forças Armadas, general Eduardo Villas Boas, que ressaltou que "a instituição se mantém democrática e apartidária". Assim, a presidente Dilma conseguiu agradar a "gregos e troianos", com a arma mais poderosa que Deus lhe deu, contra a qual não há defesa: os beijinhos que ela distribui entre seus ex-inimigos

Antonio Brandileone abrandileone@uol.com.br 
Assis

*
HIPOCRISIA

Dona Dilma continua hipócrita como sempre. Desta vez em dose dupla. Numa cerimônia comemorativa ao Dia do Exército, compareceu trajando verde e afirmou que a "população tem orgulho do Exército". Pergunto: ela estava se referindo ao Exército Verde Oliva ou ao exército vermelho do general Stédile?

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com 
São Paulo 

*
DESAFETOS CONDECORADOS

No Dia do Exército, medalha da Ordem do Mérito Militar é usada para comprar votos de apoio político. É uma vergonha! 

Luigi Vercesi luigiapvercesi@gmail.com 
Botucatu

*
JUDAS

Contemplando por longo tempo a foto de Dilma e Cunha se beijando na "solenidade" de condecoração do Dia do Exército, pus-me a indagar: o que estaria ela pensando? O que estaria ele pensando? Desisti, mas somente uma dúvida restou: quem será Iscariotes?

José Carlos Thomaz josecthomaz@gmail.com 
São Paulo

*
O BEIJO

A foto da primeira página do "Estadão" de sexta-feira (17/4) lembrou os famosos filmes sobre a máfia: quando um mafioso beija outro na boca significa que este último será assassinado. Bem, apenas uma analogia...

Luciano Harary lharary@hotmail.com 
São Paulo

*
DILMA E EDUARDO CUNHA

Os assistentes preocupados devem estar apostando como é o beijo de dois bicudos. O cinismo é a marca registrada de qualquer político.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com
São Bernardo do Campo

*
UM NOVO MINISTRO PARA O STF

A depender da sabatina do Senado, o Movimento dos Sem Terra (MST) e o "exército do Stédile" poderão fazer o que quiserem, pois contarão, no Supremo Tribunal Federal (STF), com um superapoiador do movimento, o advogado Luiz Edson Fachin, petista de carteirinha e Dilmista ferrenho. Depois os petralhas negam a vontade infinita de implantar uma ditadura bolivariana no País. Pobre Brasil!
 
Antônio Carelli Filho palestrino1949@hotmail.com
Taubaté

*
SABATINAS NO SENADO

Os grandes nomes do Direito nacional estão a se congratular e a comemorar a indicação de Luiz Edson Fachin para o Supremo Tribunal Federal. À parte os méritos acadêmicos do indicado, causa preocupação que a famigerada sigla "MST" esteja sempre próxima do indicado nas manchetes de jornal e nas pesquisas em sites de busca da internet. Não há como não lamentar a possível proximidade do indicado com uma sigla que nem sequer tem existência formal (mas que recebe milhões do Orçamento da União), promove desrespeito ao direito de propriedade (direito individual que o ministro Fachin terá de defender no STF), ameaça pessoas, bloqueia estradas (outro dia três infelizes morreram em Sergipe, numa rodovia bloqueada pelo MST), atrasa as pesquisas científicas do Brasil e comete atos que em determinados países são considerados como antessala do terrorismo. O líder-mor da sigla ainda circula pela América Latina incentivando a mesma baderna promovida aqui e se coloca como reserva paramilitar de ex-presidentes da República. Então, meus caros, por hora, digo apenas que "eu não sou Fachin". Espero que os votos do ministro desmintam minha preocupação. E sobre as indicações ao STF e tribunais superiores em geral, está mais do que na hora de as sabatinas no Senado de fato verificarem os requisitos constitucionais para os cargos. Os indicados não podem se recusar a responder perguntas dos senadores sob o pretexto de que no futuro ele poderá julgar casos versando sobre os assuntos pelos quais foi questionado. Nos EUA os indicados à Suprema Corte devem expor suas posições sobre diversas questões. Aqui nós merecemos saber as posições dos indicados sobre aborto, drogas, combate à criminalidade, maioridade penal, foro privilegiado etc., sem que isso configure um futuro impedimento ou sirva como pretexto para manter silêncio. Qualquer recusa ou omissão deve ser considerado um desrespeito ao Senado Federal e servir de prenúncio para a recusa de um candidato.

Luiz Augusto Módolo de Paula luaump@yahoo.com.br 
São Paulo

*
PODER JUDICIÁRIO

STF, o "supremo" abstracionismo legal que cerca a Nação.

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com 
São Paulo

*
CORRUPÇÃO SEM LIMITES
 
Bastou a polícia e o Ministério Público Federal investigarem, pronto! Novas falcatruas aparecem. A bola da vez é o ex-diretor da Eletronorte Winter Andrade Coelho, acusado de ter fraudado licitações no valor de R$ 40 milhões. O Brasil se consagra mesmo como o país da corrupção. Mas, para amenizarmos um pouco nossa indignação, reconhecemos o eficiente trabalho realizado pelos dois órgãos acima citados, que cumprem o dever de investigar os malfeitores que furtam descaradamente dinheiro público.
  
Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br 
São Paulo

*
UNIVERSO DE LAMA

O mesmo erro cometido no mensalão do PT está se repetindo agora. A oposição tem que gritar e lembrar que o PT é uma escola de corrupção. Será que alguém acredita que o Lula não sabia do mensalão? Será que os valores da corrupção da Petrobrás, do BNDES, da Eletrobrás, da Caixa Econômica, do Banco do Brasil, empréstimos ocultos, dinheiro dos médicos cubanos ficam só com Zé Dirceu e Vaccari Neto? O PT é muito unido pelo poder a qualquer preço. Será que pode passar pela cabeça de um ser humano normal que Lula e Dilma não foram beneficiados pela corrupção da Petrobrás e companhia? Há precedentes de que o PT é capaz. E o que mais preocupa é vermos o STF ser o quintal de brincadeiras do PT. Será que já está tendo o mensalão dos bancos, pois há 25 anos esperamos o julgamento dos planos econômicos? Com este STF, coitados dos poupadores... Os movimentos de protesto já estão perdendo força e é tudo o que o PT quer. Daqui a dois, três meses com as mentiras e mais mentiras na TV, o PT voltará, com Lula e Dilma, a ser novamente herói nacional. A oposição e o povo têm de lembrar todos os dias e com a voz muito forte mostrar que nos últimos 12 anos o Brasil vem sendo comandado por uma verdadeira gangue, com certeza de corrupção e "suspeitas" até de assassinatos - dos prefeitos de Campinas e de Santo André. Não ler a cartilha vermelha pode ser fatal.

Newton de A. Prado newtonaprado@gmail.com 
Americana

*
ANDRÉ VARGAS
 
Nada como um dia depois do outro. Ontem mesmo, o poderoso vice-presidente da Câmara dos Deputados, deputado pelo PT André Vargas, erguia arrogante o braço, punho cerrado, fazendo pirraça para o ex-ministro do STF Joaquim Barbosa, presente na Câmara dos Deputados para uma solenidade. Barbosa havia ajudado a por no xilindró pelos crimes do mensalão - aquele "malfeito" que Lula disse não ter existido - os colegas petistas de Vargas, como Dirceu, Genoíno e João Paulo Cunha, chamados de "heróis do povo brasileiro". Quem diria, hoje, quem está preso à disposição da Justiça, acusado de lavagem de dinheiro, entre outros crimes, é o próprio Vargas. Não mais punho ao alto, cerrado. Agora, punhos baixos, devidamente algemados. Baixaram a bola de Vargas assim como esperamos que baixem a de todos os ladrões do erário - que não são poucos.
 
Silvio Natal  silvionatal49@gmail.com 
São Paulo

*
'A PETROBRÁS ESTÁ LIMPA'

Os ex-presidentes da Petrobrás José Sérgio Gabrielli e Graça Foster nada fizeram nem limparam coisa nenhuma na empresa, e ainda alegaram não saber de nada. Nem a presidente demitiu alguém. Dizer que a "Petrobrás está limpa" é conversa "pra boi dormir", como sempre. Se não fosse a Operação Lava Jato, a empresa iria sangrar até morrer. Senhora presidente da República, mude o disco! Veja sua amiga Erenice Guerra, quantos milhões faturou, na sala ao lado da sua, só como exemplo.

Celso de Carvalho Mello celsosaopauloadv@uol.com.br
São Paulo

*
ONGS NA PETROBRÁS
 
A Petrobrás perdeu o charme por causa da politicagem em seus vultosos contratos com empreiteiras. O petrolão está em evidência, mas um significativo sorvedouro de recursos continua inserido na petrolífera sem que seja questionado, nem sequer mencionado. Pelo que consta, centenas de ONGs mantidas pela Petrobrás são integrantes da caixa preta, a exemplo do cartão corporativo, parece envolver a inconcebível "segurança nacional" para não trazer à tona indecentes maracutaias. Tanto em empresas de capital aberto quanto todo uso de recursos públicos deveriam, obrigatoriamente, ser transparentes, regularmente divulgados para mostrar a honesta lisura na sua utilização.

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br 
Vila Velha (ES)

*
CPI DO BNDES

Se de fato acontecer a CPI do BNDES, de maneira séria, como esperamos que seja, aí, sim, assistiremos a um verdadeiro circo de horrores com o dinheiro público. O BNDES nas mãos do PT virou um banco de fomento internacional para favorecer empreiteiros brasileiros no exterior, quase todas envolvidas na Operação Lava Jato. O presidente do BNDES, que já teve grande dificuldade em se explicar aos parlamentares na CPI da Petrobrás, terá de contratar uma fonoaudióloga para melhor se explicar, tal era sua dificuldade em se explicar. Por se tratar de uma empresa estatal, a contratação da referida fonoaudióloga deverá ser via concurso público, dado não ser possível, neste caso, terceirização, pois comunicação do presidente é atividade-fim, ao público brasileiro, que está ansioso em saber das atividades do referido banco.

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com 
Avanhandava

*
CARTEL METROFERROVIÁRIO

As operações desencadeadas pela Polícia Federal merecem amplo destaque na imprensa e uma das razões, por certo, tem a ver com o fato de envolver pessoas ligadas ao governo federal, de forma direta ou indireta. Mas a investigação do Ministério Público Estadual sobre as atividades do cartel metroferroviário que envolve a CPTM em São Paulo e tem sua origem nos idos de 1998 agora vem a público, envolvendo várias empreiteiras e pessoas ligadas à direção do organismo estadual. Por que tanta demora na tramitação? E será que finalmente haverá uma definição e a punição dos envolvidos?

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br 
Santos

Mais conteúdo sobre:
forum dos leitores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.