Fórum dos Leitores

PETROLÃO

O Estado de S.Paulo

30 Abril 2015 | 02h02

Réus da Lava Jato

Foi só o dono da UTC ameaçar delatar o Lula e eis que aparece o Supremo Tribunal Federal (STF), com seu viés político, determinando a prisão domiciliar dos réus (empreiteiros) da Lava Jato. Não é muita coincidência?!

PAULO DE TARSO ABRÃO

ptabrao@uol.com.br

São Paulo

Prisão domiciliar

Ficar "preso" nas mansões em que esses corruptos e corruptores moram até eu topo. Quero ver é ficar preso num barraco de tábua, medindo 2 x 2 numa favela. O cruel é que os corruptos e corruptores são os principais responsáveis por existirem moradias em condições tão precárias.

MILTON BONASSI

mbonassi@uol.com.br

São Paulo

Pra frente, Brasil!

Impossível não ficar perplexa, indignada e descrente com a libertação, pelo excelso STF, de empreiteiros presos na Operação Lava Jato. Estamos vivendo uma crise política, econômica e de valores nunca vista neste país. Com a libertação, alguém ainda acredita que farão delação premiada? Veremos outra pizza! Isso é uma vergonha para o Brasil!

M. TERESA SILOTO AZEVEDO PALU

mariateresapallu@gmail.com

São Paulo

Suprema pizza

Que maravilha, está aberta a nova pizzaria! Vamos ver quantos vão fugir do Brasil, via Paraguai, com passaportes falsos. Lamentavelmente, os PeTralhas conseguiram desfigurar até o STF.

LUIZ ANTÔNIO ALVES DE SOUZA

zam@uol.com.br

São Paulo

Explosão de felicidade

Até demorou, mas a segunda turma do SPTF, digo, STF soltou os empreiteiros corruptos ativos do esquema que implodiu a PTbrás, digo, Petrobrás. Certamente os petistas estão explodindo de felicidade, já que os libertados não mais precisarão fazer delações para reduzir a pena. Quanto aos ministros do supremo (minúsculas intencionais) que mais uma vez provaram que a Justiça no Brasil não pune os ricos, será que se incomodarão se os empreiteiros fugirem do Brasil, a exemplo de PC Farias, Jorgina Fernandes, Ricardo Mansur, Salvatore Cacciola, Henrique Pizzolato e mais algumas dúzias?

LUCIANO NOGUEIRA MARMONTEL

automat_br@ig.com.br

Pouso Alegre (MG)

Apequenou-se o stf

Qualquer brasileiro medianamente informado sabia que no instante em que alguns recursos dos envolvidos no petrolão chegassem ao stf os réus citados teriam outro tratamento, prova disso foi libertarem alguns envolvidos que recorreram da prisão determinada pelo juiz federal Sergio Moro, que conduz o processo. Fica a pergunta: como os três ministros que cancelaram as prisões vão controlar os contatos dos libertos por eles? Pelas tornozeleiras? Ora, ora, façam-me rir! Porão vigias 24 horas por dia para evitar que façam contatos que prejudiquem as investigações? A partir dessa decisão sabemos todos que teve início a "Operação Suja Jato", bem como se deu a um dos advogados (qual?) a chance de chamar o juiz Moro de "animal" quando disse que o stf colocou nele um freio! Depois dessa atitude, o stf não merece usar sua sigla em maiúsculas. Apequenou-se!

LAÉRCIO ZANINI

spettro@uol.com.br

Garça

Crime de lesa-pátria

O STF acabou de revogar por conta própria, contra os anseios da Nação e a favor da impunidade de corruptos incontestes, o artigo 312 do Código de Processo Penal (CPP), o qual garante a ordem pública, a aplicação da lei, a ordem econômica e a conveniência da instrução do processo penal. O argumento da defesa de que "atualmente" a prisão preventiva não se sustenta não passa de balela, pois para a revogação de uma lei vigente (CPP, artigo 312) necessária seria a edição de outra lei pelo Poder Legislativo ou, ao menos, de declaração em ação direta de inconstitucionalidade, não cabendo ao STF interpretar as leis alterando-as em seu significado primordial. Mais uma vez o STF, contrariando os anseios da Nação num crime de lesa-pátria e de grande clamor público, pratica o chamado "atavismo jurídico" em prol dos acusados. Uma reforma no sistema de indicação dos ministros do STF se faz urgente e necessária.

EDENILSON MEIRA

merojudas@hotmail.com

Itapetininga

Indicação dos ministros

Parabéns ao presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, que voltou a discutir proposta de mandato determinado e mudança da indicação para ministros do STF. De bom alvitre seria que a comissão especial instalada acostasse a discussão do tema à dissolução do quinto constitucional, liquidando de vez a ingerência e o peleguismo no Poder Judiciário.

ARNALDO RAVACCI

arnaldoravacci05@gmail.com

Sorocaba

Composição da Corte

Em benefício da Nação, não há dúvida que os ministros do Supremo Tribunal deveriam ficar no cargo por período não muito extenso, 10 a 12 anos, por exemplo. Além do mais, a composição da mais alta Corte do País não deve ficar a cargo exclusivo da Presidência da República. Seria bastante satisfatório que a Câmara dos Deputados, o Senado, a Presidência da República, entidades dos magistrados e do Ministério Público, bem como a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), participassem da escolha dos ministros, com indicações em sequência legalmente estabelecida. Teríamos, então, uma Corte composta por juristas representantes dos diversos segmentos legais do País, eliminando-se a exclusividade e o partidarismo, como hoje ocorre. A ideia do deputado Eduardo Cunha, presidente da Câmara, deve ser desenvolvida e vem em boa hora e em atenção a uma expectativa do mundo jurídico.

JOSÉ CARLOS DE C. CARNEIRO

carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

Só para a 'zelite'

O cidadão brasileiro que paga as contas e é honesto demora mais de ano (se não muitos anos) para que um processo seu suba ao STF. Já os processos dos da "zelite" ou seus amigos sobem e são julgados rapidamente. Por que essa diferença, caros ministros?

ROBERTO CARDIERI FERREIRA

roberto1283@terra.com.br

Ilha Solteira

Assim caminha o Brasil

Diz o artigo 5.º da Constituição brasileira: "Todos são iguais perante a lei". Será verdade? Se alguém roubar um litro de leite ou um frasco de xampu e não tiver ótimo(s) advogado(s), vai preso. Já se roubar bilhões e tiver acesso a essa excelência, vai para casa usufruir o produto do roubo.

LUIZ NUSBAUM

lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

O SILÊNCIO DA PRESIDENTE
A presidente Dilma Rousseff, representante máxima do Brasil e membro do Partido dos Trabalhadores (PT), não se pronunciará em cadeia nacional de rádio e de TV no Dia do Trabalho, 1.º de maio. Está claro ou é preciso explicar?
Luiz Frid luiz.frid@globomail.com 
São Paulo

*

DILMA ESTÁ COM MEDINHO?
Quer dizer que em 1.º de maio não teremos, em rede nacional de TV e de rádio, a simpática e carismática Dilma Rousseff falando ao povo brasileiro? Cadê aquela prepotente e mentirosa candidata que prometia um país maravilhoso nas eleições de outubro de 2014, sabendo que o País estava afundado em corrupção? Cadê a "gerentona"? Cadê a presidente que rosna para todo mundo? E ainda vem um tal de Edinho Silva, outro Pinóquio, e declara que "a chefa não teme nenhum tipo de manifestação da democracia". Então por que não coloca a carantona na telinha? Está com medinho do gigantesco panelaço que irá ecoar no País inteiro? 
Agnes Eckermann agneseck@gmail.com 
Porto Feliz

*

PAVOR DO PANELAÇO
Naturalmente influenciada por seu atento marqueteiro e seu guru inventor, Ph.D. na arte de se fazer de morto quando lhe convém, a presidente Dilma desistiu do tradicional discurso do 1.º de Maio. Melhor para nós, que nos livramos dos exitosos discursos, cheios de mentiras que se repetem na intenção de se tornarem realidade, como diz o ditado, mas que não têm a menor conexão com a realidade em que vivemos. Bom também para as panelas, que serão poupadas das pancadas que receberiam nas janelas dos pagadores de impostos que sustentam este país.
Abel Pires Rodrigues abel@knn.com.br 
Rio de Janeiro

*

FAVAS CONTADAS
Não é por medo de panelaço que Dilma não fará o tradicional discurso pela TV no dia 1º de maio. É pela certeza.
Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br 
São Paulo

*

Dilma desiste de falar na TV no dia 1.º de Maio. Coração valente?
Franco Consonni fconsonn@uol.com.br
São Paulo

*

NOSSA COTA DE FELICIDADE
Dilma não vai discursar no dia 1.º de maio por duas razões: é Dia do Trabalho e o PT não sabe o que isso quer dizer, apenas emprestou o nome para compor a sigla. Outra razão para ela não sair da zona de conforto e desempenhar o seu papel - pelo menos enquanto ainda estiver fantasiada de presidente - é o medo das vaias e do panelaço. Com isso, Dilma nos impede de receber a nossa cota de endorfina, o hormônio da felicidade pelo imenso prazer que sentimos ao vaiá-la e panelá-la. Decididamente, Dilma não gosta de nós e não nos quer ver felizes.
Carmela Tassi Chaves tassichaves@yahoo.com.br 
São Paulo

*

SÓ RESTA ABDICAR
Desculpas esfarrapadas dadas pelo ministro da Comunicação Social, de que a presidente Dilma quer prestigiar outras mídias e falar com os trabalhadores pelas redes sociais, e não pelas rádios e TVs, nos levam a concluir que temos uma chefe da Nação que não cumpre o que prometeu em campanha política, que não comanda a economia, não dialoga com o Poder Legislativo e que foge de suas prerrogativas por medo de vaias e "panelaços". E que estaria pronta para pegar o boné, dar adeus e ir embora. Assim sendo, faria um favor a si mesma e à maioria do povo que a rejeita, abdicando de seu cargo.
Leila E. Leitão
São Paulo 

*

ATITUDE VERGONHOSA
O covarde é aquele que se esconde de enfrentar seus opositores e ter medo de encarar o povo que governa é fugir por ter receio de vaias. O verdadeiro estadista sabe pedir desculpas quando erra e abaixa a cabeça em sinal de arrependimento. Parabéns, presidente Dilma, por mais esta vergonhosa atitude.
Valdir Sayeg valdirsayeg@uol.com.br
São Paulo

*

GOLPE NO FÍGADO
Ao recusar-se, covardemente, a fazer o tradicionalíssimo pronunciamento à Nação no Dia do Trabalho - em pleno governo do Partido dos Trabalhadores! -, Dilma Rousseff dá mostras de ter finalmente acusado o duro golpe no fígado dado pelo gigantesco porcentual de brasileiros que se dizem declaradamente contrários e profundamente insatisfeitos com sua incompetente e desastrada gestão. Em 1.º de maio, vamos comemorar a vitória do panelaço.
J. S. Decol decoljs@globo.com 
São Paulo

*

PÂNICO
Dia 1.º de maio está chegando. Ainda espero que a presidente não se omita para trazer à Nação palavras de conforto e de novas propostas para os brasileiros, pois não podemos continuar a ser o PIB mais baixo da América do Sul, com volta da inflação, com um batalhão de desempregados, com o comércio, indústria e construção totalmente estagnados; ceifando empregos, desestabilizando famílias. Até quando vamos ficar nesse marasmo? O Brasil precisa andar, gerar oportunidades e avançar. Mas como, se a cada dia uma nova denúncia? Agora, veio à tona a reforma do sítio do filho do Lula. Antes, a compra superfaturada de Pasadena. Como vemos, o poder é para beneficiar o povo, e não o partido, como nos 10% de propina e desvios na Petrobrás, etc. Tenha coragem! E no dia 1.º de maio traga ao País e aos brasileiros, esperanças para os investidores na geração de mais empregos e que a indústria, o comércio e a construção civil vejam uma luz no fim do túnel e este monstro que é o Brasil comece a andar...
Nelson Scatena nelson.scatena@hotmail.com
São José dos Campos

*

FALA, DILMA!
Sra presidenta, amanhã seria uma boa hora para enfiar o pé na jaca, mandar tudo isso que está aí para o inferno, voltar para o Rio Grande do Sul e ser feliz. Aliás, todos nós...
Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br
Osasco

*

O DISCURSO DE LULA
"Nós temos de dizer em alto e bom som dentro do PT para a companheira Dilma ouvir e para nossos deputados e militantes ouvirem, que nós precisamos começar a dizer o que nós vamos fazer neste segundo mandato, qual é a política de desenvolvimento que nós vamos colocar em prática, qual é o tipo de indústria que nós vamos incentivar." "Se Dilma fracassar, é o PT quem fracassa, e, se o PT fracassar, a gente vai contribuir para o fracasso da Dilma. E eu não vim ao mundo para fracassar." Estes trechos são parte do inflamado e megalomaníaco discurso do criador Lula, em evento de seu partido em São Paulo, no final da semana passada. Não existe nenhum pejo de se declarar o governante de fato (NÓS), e, assim, como um pet amestrado, a criatura fez uma parada estratégica na capital paulista para tomar instruções e ordens de forma a reverter o "mau humor" da população, depois da viagem a Xanxerê (SC). E assim dona Dilma, encolhida em sua insignificância, não nos brindará com seu blá-blá-blá no Primeiro de Maio, evitando a retumbante homenagem de panelas e vaias que merece.
Aparecida Dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com 
São Caetano do Sul

*

QUESTÃO DE AUTOESTIMA
Um governo sem credibilidade não é suportável em lugar nenhum do mundo. O impeachment, antes ainda de ser uma questão jurídica e política, é uma questão de autoestima e de cultura cívica.
Harald Hellmuth hhellmuth@uol.com.br 
São Paulo

*

'O PT EXAGEROU NO ROUBO'
Que maravilha ouvir do presidente do PDT, Carlos Lupi, partido que integra o governo, que o PT exauriu-se, esgotou-se, exagerou, roubou demais, ufa, lavou a alma! E vindo de quem veio, de uma pessoa com conhecimento de causa, que foi "faxinado" e afastado do cargo de ministro do Trabalho pela presidente Dilma Rousseff, não deixa nenhuma dúvida sobre a índole deturpada deste governo que aí está. Não foi a oposição que alardeou essas verdades sobre o PT, o que seria um milagre, mas elas vieram do presidente de um partido que dá guarida ao governo de sua "presidenta", anotou o senador Humberto Costa. Dos 18 partidos da base, 2 já estão se arranjando. O PMDB já domina o cenário político e ocupa os principais cargos na linha sucessória à Presidência; e o PDT, depois das declarações de Lupi, está de malas prontas para abandonar o barco e flerta com o PSDB. Os restantes, oportunistas que são, não vão demorar a procurar um porto seguro, pois, com o barco à deriva, não querem perder a oportunidade de adular quem quer que esteja no poder. Vamos torcer para que mais 16 "boquirrotos" soltem a língua. 
Sérgio Dafré sergio_dafre@hotmail.com 
Jundiaí

*

BALAIO DE GATOS
O conflito entre os presidentes da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e o do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), ambos do mesmo partido, era absolutamente previsível. Há muito tempo o PMDB virou um balaio de gatos cujo objetivo comum é permanecer junto do poder e, se possível, exercê-lo. É neste momento, quando alçam o poder, que os gatos mostram suas garras e começam a brigar entre si por interesses exclusivamente pessoais. E a sociedade? Brincadeira...
Luciano Harary lharary@hotmail.com 
São Paulo

*

MARTA SUPLICY
Marta Suplicy formalizou sua saída do PT após 33 anos. E lembrar que há pouco tempo ela dizia que o governo Dilma estava "bombando"...
Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com 
Jandaia do Sul (PR)

*

ABANDONANDO O BARCO
Foi deputada federal (PT), prefeita de São Paulo (PT), ministra do Turismo (PT), ministra da Cultura (PT), e atualmente é senadora (PT). Agora que o navio PT virou um Titanic, Marta Suplicy abandona o barco. Oportunista!
Tania Tavares taniatma@hotmail.com 
São Paulo

*

LAMA LADEIRA ACIMA
O mar de lama da corrupção petista está cada vez mais perto de seus dirigentes. Ou João Vaccari Neto não estaria preso e muito menos Renato Duque. Ou não teriam descoberto que a consultoria de José Dirceu é uma fraude, mas que rende milhões, mesmo enquanto ele estava na Papuda. Ou não se saberia que Lula tem um sítio que não é seu, que seu filho mora em apartamento de R$ 6 milhões, que também não é dele, do mesmo jeito que seu pai mora em São Bernardo do Campo há anos em apartamento que está em nome de um amigo. Diante das acusações, todos ficam mudos, calados. Mas até quando a sociedade vai ficar muda também quando sabe, vê e vive a veracidade dessas informações? Em Atibaia todos sabem que aquela é a chácara do Lula. Em São Paulo, sabem onde Lulinha mora e onde tem escritório, mas ninguém diz nada, e a Justiça e a Receita também nada fazem. Como explicar que se mora, há anos, em apartamento que está em nome de outra pessoa e não há aluguel sendo pago? Mas não é isso o que sempre fez o pai? Ficamos quietos? E isso é só a ponta do iceberg. Até quando?
Maria Tereza Murray terezamurray@hotmail.com
São Paulo

*

SÓ A RECEITA NÃO VIU
José Dirceu fechou a empresa de consultoria que foi aberta em 1998, começou a arrecadar em 2006 até 2013 e onde foi contabilizada a modesta quantia de R$ 39,1 milhões na época do mensalão - inclusive no tempo em que o chefe estava no presídio da Papuda. E só o Leão não viu como veio e de onde veio a grana. Na República petista, tudo é possível... para os petistas, é claro.
Carlos R. Gomes Fernandes crgfernandes@uol.com.br 
Ourinhos 

*

UM TSUNAMI
Prejuízo de R$ 21,58 bilhões em 2014; milhares de antes confiantes acionistas com grandes perdas; ações na Justiça dos EUA que podem representar grandes multas; seu nome e sua administração, antes motivo de orgulho nacional, em frangalhos... Essa é (era) a maior empresa nacional, a Petrobrás. Um verdadeiro "tsunami" petista a atingiu na última década. Mas a "presidenta" não está preocupada: saiu o balanço (com cinco meses de atraso) de 2014 da empresa, as ações voltaram a subir por especulação da Bolsa e ela acha que se "virou a página". Só se foi uma das muitas páginas da folha corrida deste gigantesco assalto petista ao patrimônio nacional. Ao trabalhador sério e honesto, preso nesta nau chamada Brasil, só resta gritar: "Socorro, a 'pilota' sumiu!".
Silvano Corrêa scorrea@uol.com.br
São Paulo

*

VIRANDO PÓ
Grau de investimento? Como pôr dinheiro numa empresa de capital misto? Empresa estatal com participação do capital privado provou ser um investimento de altíssimo risco no Brasil. Políticos se servem da companhia como num banquete, destroem a empresa e ninguém é responsável por isso? Quantos milhões de muitos pequenos e grandes investidores viraram pó? A corrupção sempre existiu, mas e a ingerência e a irresponsabilidade de investimentos milionários e que devastaram a Petrobrás? Como podem ficar ilesos os membros do conselho que assinaram essas barbaridades? Não se trata só de dinheiro público, são investimentos privados e empregos de milhares de pessoas que viraram pó.
João Braulio Junqueira Netto jonjunq@gmail.com 
São Paulo 

*

EMPRÉSTIMOS DE R$ 82 BI À PETROBRÁS 
Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Bradesco não sabem em que arapuca estão se metendo?
Luigi Vercesi luigiapvercesi@gmail.com 
Botucatu

*

PETROLÃO SALVO EM BRASÍLIA
No mensalão, o saudoso ministro Joaquim Barbosa ainda conseguiu que empresários fossem presos, embora não conseguindo – por impossível a ele, minoritário – que o mesmo ocorresse com os mandantes, os PolíTicos, apenas ligeiramente incomodados. Agora, no caso do PeTrolão, tudo é mais fácil para eles. O atual STF (que alguns denominam SPTF) consegue liberar até os empresários, visto que os políticos já estão praticamente fora. Em qualquer julgamento, escore de 3 x 2, vitória para o ParTido. E os mesmos empresários de volta... E viva a liberdade!
Nelson Carvalho nscarv@gmail.com
São Paulo

*

O RECADO DO JUDICIÁRIO
Com o resultado de 3 a 2 no STF, começa a fazer água a Operação Lava Jato... Quero ver o que o exmo. procurador-geral da República vai fazer nos inquéritos contra os investigados com foro por prerrogativa de função! Não adianta o "fora Dilma". Chegamos aonde chegamos graças à colaboração inestimável do Poder Judiciário. Pobre povo, pobre país.
Ana Lúcia Amaral anamaral@uol.com.br 
São Paulo

*

OPERAÇÃO SOLTA JATO?
Cláudio Moschella arquiteto@claudiomoschella.net 
São Paulo

*

LAVA JATO
A pizza começou a ser assada nos fornos de Brasília.
Carlos Angelo Ferro carlosangelo@uol.com.br
Mogi Mirim

*

SUPREMO A DOMICÍLIO
Como exigir retidão e respeito das pessoas com a cidadania usurpada diariamente? 
Adilson Mencarini adilsonmencarini@uol.com.br
Guarulhos 

*

JULGAMENTO
Senhores magistrados, não façam como Pilatos, não lavem as mãos com petróleo nem troquem as togas pelo macacão laranja da Petrobrás. Julguem com o seu notório saber jurídico (aqueles que o têm) e com imparcialidade todos aqueles que saquearam a petroleira brasileira.
Luiz Carlos Tiessi tiessilc@hotmail.com 
Jacarezinho (PR)

*

HISTORINHA BRASILEIRA
No fim da década de 1980, uma reunião do secretariado de Alceu Collares na Prefeitura de Porto Alegre tinha um convidado especial: Leonel Brizola. Durante o evento, uma das secretárias, Dilma Vana Rousseff, fez intervenções e questionamentos os mais estapafúrdios. Ao fim dos trabalhos, Brizola, muito reservadamente, perguntou a Alceu: "Quem é e de onde vocês tiraram essa maluca?". Pois bem, hoje Brizola está morto, Dilma é presidente da República e Alceu, aos 87 anos, é conselheiro da Itaipu Binacional, onde até há pouco tempo lhe fazia companhia o sr. João Vaccari Neto. Pena Brizola não estar vivo para sentir como a vida é dinâmica e surpreendente.
José Carlos Vendramini Fleury zkfleury@uol.com.br 
São Paulo

*

CORRUPÇÃO NO SETOR ELÉTRICO
Oba! Vai começar a Operação Curto Circuito. Promete ser eletrizante! 
Ricardo Hanna ricardohanna@bol.com.br 
São Paulo 

*

MAIS UM ESCÂNDALO
A Operação Lava Jato, além de trazer à tona o maior escândalo de corrupção que quase destruiu uma das maiores empresas petrolíferas do mundo, provocou uma crise sem precedentes no partido do governo e de seus aliados. Sabendo que as portas dos cofres da Petrobrás haviam se fechado de forma abrupta, deixando o Partido dos Trabalhadores (PT) e seus aliados sem os milhões que vinham do governo disfarçados de doações de empreiteiras, Dilma agiu muito rápido, encontrando a solução na triplicação da verba destinada ao Fundo Partidário, para garantir aquela vida nababesca que tanto encanta aquela turma de Brasília. Dilma, acostumada a agir de forma irresponsável e encorajada por Lula, nem sequer piscou na hora de assinar esse absurdo que só acontece no Brasil. Podemos imaginar os tempos difíceis para o pessoal da PT, sem a fortuna de dinheiro público que jorrava do propinoduto proveniente da simbiose entre as empreiteiras e a Petrobrás. Como seria ter de despedir João Santana, especialista em escrever os discursos da presidente na hora que precisa iludir os mais inocentes? Como seria a revolta dos milhares de petistas com o anúncio de que a fonte havia secado e que o partido teria de reduzir drasticamente o dinheiro da farra com que estavam acostumados? Como ficaria o PT sem a sua poderosa arma de persuasão conhecida como o "toma lá dá cá"? A presidente Dilma ignora o aperto de cintos que Joaquim Levy vive anunciando para os próximos anos, parece que as ações irresponsáveis de seu governo recebem o aval do ministro da Fazenda. Cuidado, Joaquim Levy, para não se tornar um novo Guido Mantega, especialista em baixar a cabeça.
Wilson Sanches Gomes sancheswil@hotmail.com
Curitiba 

*

PARA 'ELES' SEMPRE TEM
O País atravessando uma crise econômica sem precedentes, provocada pelos gastos públicos sem controle e ingerência, mas a presidente Dilma mantém o Fundo Partidário "turbinado". Mais um desperdício com recursos elevados, R$ 867,5 milhões, aprovado por emenda ao Orçamento da União de 2015, sancionado em 20/4. Para os direitos dos cidadãos faltam recursos, mas para "ele$" sempre tem! O impeachment não é apenas uma pressão popular, é uma necessidade premente para a Nação.
Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br 
São Paulo

*

ESCAPANDO DA FISCALIZAÇÃO
Em face da lentidão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em razão da falta de estrutura e de pessoal, partidos políticos escapam de punição pelo mau uso do Fundo Partidário. Este mesmo, que teve sua verba triplicada com o nosso dinheiro. Processos são arquivados por prescrição. Fazem-nos de palhaços, e merecemos. Qual a razão da falta de estrutura? Óbvio que é para não serem fiscalizados. O País tem falta de fiscais, logo, as irregularidades ficam impunes. Não lhes interessa que haja fiscalização. 
Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com 
Rio de Janeiro

*

PACHORRENTA LENTIDÃO
Os partidos fazem mau uso do Fundo Partidário, e mesmo assim a presidente Dilma os presenteou com aumento de verba de R$ 319,9 milhões para R$ 867,5 milhões neste ano. Por lentidão e impunidade do Tribunal Superior Eleitoral, os partidos deitam e rolam. Essa lentidão do tribunal fez o PSDB se livrar do pagamento de R$ 1,9 milhão e o PT de R$ 2,2 milhões. De 2004 a 2013, 13 contas apresentadas ao TSE já prescreveram. Os partidos são gratos a Dilma, pelo mimo, e ao TSE, pela pachorrenta lentidão. Essa lentidão parece um "pé no freio" proposital porque há uma decisão de considerar prescritas as contas não julgadas em cinco anos e que já beneficiou 7 dos 10 maiores partidos. Para ter uma ideia da incapacidade operacional do tribunal, o ministro Dias Toffoli, presidente, afirmou que solicitou técnicos aos Tribunais de Contas da União e do Distrito Federal para auxiliar na análise das contas. Apenas o PP teve aprovadas sem ressalvas suas contas e o PSD, criado em 2011, até hoje não teve nenhuma conta julgada. "O meu conceito de Justiça é o seguinte: Salve-se quem puder!" (Emílio de Menezes).
Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com 
Vassouras (RJ)

*

ELES E NÓS
O mais engraçado nesta situação toda é que a gerentona e seu ministro da Fazenda querem jogar em nossas costas todas as burradas e pedaladas ilegais feitas em sua gestão anterior, mas, para amealhar votos no Congresso Nacional, a maioria venal triplica o valor do Fundo Partidário, com este valor ultrapassando os R$ 857 milhões, tirados também de nossos bolsos! Que ajuste econômico fajuto é este em que tão somente NÓS arcamos com as falcatruas e pedaladas de Dilma e do PT? Por quais razões somos NÓS que sempre temos de sustentar uma máquina de cabides de empregos com 39 ministérios e cargos comissionados e deputados e senadores que trabalham somente dois dias por semana? Por qual motivo devemos sustentar um STF bolivariano em sua grande maioria, que sempre atua em seu interesse e segundo o interesse de mensaleiros, corruptos do petrolão, etc.? Por quais motivos somos NÓS, população espoliada, que devemos arcar com todos os ônus da corrupção desenfreada implantada pelo PT de Lula e de Dilma?
Boris Becker borisbecker@uol.com.br 
São Paulo

*

EXPEDIENTE ABJETO
O Brasil viu, estarrecido, a devastação causada por vendaval excepcional em Xanxerê (SC), causando mortes, muitos feridos e destruição. Enquanto autoridades locais, moradores do local e de cidades vizinhas tratavam de socorrer e recolher bens remanescentes, alguns desqualificados foram surpreendidos saqueando os destroços. Em nível nacional, presenciamos um comportamento similar, de congressistas, sob a liderança do senador Romero Jucá, se associando para extorquir do Tesouro um aumento de 200% do montante do Fundo Partidário, para quase R$ 900 milhões, quando é de conhecimento geral o estado de penúria da Nação, que, entre outras coisas, corrigiu a tabela do Imposto de Renda abaixo do índice oficial da inflação, o que implicou efetivo aumento da tributação. Os ganhos totais dos senadores e deputados são nababescos, e injustificáveis, e ainda recorrem a esse abjeto expediente para multiplicar seus ganhos...
Mario Helvio Miotto mariohmiotto@gmail.com 
Piracicaba

*

O MILAGRE DA TRIPLICAÇÃO
Jesus multiplicou os pães e peixes, a presidente Dilma foi além, turbinou - ou, melhor, triplicou - o Fundo Partidário, elevando-o de R$ 289,5 milhões para R$ 867,5 milhões. Como bom evangélico, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, limitou-se a dizer "amém, senhora presidente, nós, humildes servidores do tão sofrido povo brasileiro, lhe agradecemos para o todo e sempre".
Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com
São Paulo

*

TRÊS VEZES MAIS?!
Fundo Partidário ou Fundo Perdulário, senhora presidente?
Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br 
São Paulo

*

SEM VERGONHA
É muito cinismo, muita cara de pau do Congresso e do Executivo proporem e aprovarem este aumento descarado do Fundo Partidário. Triplicar a verba num ano que deveria ser de cortes de despesas em todos os níveis governamentais, a começar pela eliminação de ministérios inúteis?! E essa corja de políticos é atendida pela presidente! Enquanto isso, aumentam os impostos, pois é a maneira mais fácil de fazer caixa. Trata-se de um tapa no rosto de todos os brasileiros. Políticos, criem vergonha na cara!
Heleo Pohlmann Braga heleo.braga@hotmail.com 
Ribeirão Preto 

*

FADADOS AO FRACASSO
Triplicar a verba para estes partidos corruptos, partidos pequenos, partidos desprezíveis, recheados de ladrões, recheados de corruptos envolvidos em mensalão, petrolão e crimes de toda espécie, é no mínimo provocar este povo já tão exaurido de tanto pagar impostos, vendo sua vida e a de sua família serem massacradas pelas novas regras impostas por este governo mentiroso e corrupto que nos jogou no fundo do poço. Se não tivermos coragem de destituir todos estes bandidos dos poderes desta pseudorrepública, estaremos, todos, fadados ao fracasso total.
Armando Favoretto Junior afjsrf@ig.com.br 
São José do Rio Pardo

*

INDECÊNCIA
Depois que a presidente Dilma sancionou o aumento de verba para o Fundo Partidário, alguém pode acreditar em ajuste de alguma coisa neste país? Ou será que em Brasília endireitar o Brasil significa endinheirar-se com ele? Por favor, Excelências, tirem a máscara!
Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com 
Niterói (RJ)

*

SEIS POR CINCO
Quase US$ 200 milhões a mais no Fundo Partidário! Uma bagatela que não prejudicará o ajuste fiscal nem fará falta diante da calamitosa situação da saúde pública e das estradas, entre outras deficiências que nos afligem. Isso é o que se pode deduzir das levianas declarações do vice-presidente da República em Lisboa. Então, valerá apena fazer uma gigantesca campanha política pelo impedimento de dona Dilma, para substituí-la pelo dissimulado sr. Temer? Não será trocar seis por cinco? Na ditadura, o cidadão ainda podia dizer que os generais lá estavam, mas sem o seu voto. Na democracia, não: os bandoleiros da política foram colocados e são mantidos no poder pelo voto da maioria dos brasileiros. Assim é e continuará a ser "per secula seculorum", só porque uma célebre lei nunca "pegou" no Brasil. Refiro-me à Lei Capistrano de Abreu, de um só artigo: "Todo brasileiro é obrigado a ter vergonha na cara". É simples assim.
Elias da Costa Lima preussen@uol.com.br
São Paulo

*

DIREITOS DE ALGUNS
Milhões de pessoas que nunca contribuíram nem com um centavo recebem aumentos reais da aposentadoria. Entretanto, quem contribuiu com valores acima do mínimo não deve ser penalizado para favorecer estes que nunca pagaram. Estão achatando de tal modo a aposentadoria dos que ganham mais que o mínimo que logo ficaremos no salário mínimo. Pessoas que contribuíram sobre 10 salários (ou 20 salários, nas décadas de 1970, 1980) estão sendo tremendamente prejudicados. É revoltante. Não existem direitos adquiridos, ou isso só vale para certas categorias?
Everardo Miquelin everardo.miquelin@ig.com.br 
São Paulo

*

A CONTA DO GOLPE ELEITORAL
Se não bastasse um duro e necessário ajuste fiscal para cobrir rombos desta irresponsável administração de Dilma, que há exatos seis meses, durante sua campanha eleitoral, mentia afirmando que tudo no País corria às mil maravilhas, agora a Caixa Econômica Federal (CEF), que a presidente sugou até o último bagaço com as suas pedaladas fiscais ditas pelo TCU como criminosas, não tem recurso para incentivar a compra de moradias. Primeira paulada foi o de reduzir o limite de financiamento para imóveis de 90% para 80%, e elevar a taxa de juros. Agora, porque o quadro da nossa economia é dramático, e o governo não tem recursos para incentivar este setor da construção civil, que mais emprega trabalhadores, o banco citado dá o tiro de misericórdia contra os possíveis compradores de imóveis usados: o financiamento será de apenas 50% do valor do imóvel, quando o limite anterior era de 80%. Dessa forma, o PT, com o protagonismo de Dilma, manda um recado aos otários, ou idiotas (certamente assim a cúpula petista pensa), que votaram na sua reeleição, de que acabou a orgia pré-eleitoral do Partido dos Trabalhadores. O dinheiro do contribuinte foi para o lixo da corrupção e da incompetência administrativa pelas mãos das crias de Lula. Afundaram o Brasil na vala de mediocridade.
Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com
São Carlos

*

ABALO NO MERCADO IMOBILIÁRIO.
Com a nova providência governamental de só financiar 50% do valor dos imóveis usados, teremos uma redução nos negócios imobiliários, porquanto poucos serão os adquirentes que possuem os recursos necessários para realizar o financiamento, o que dará uma folga aos recursos da entidade financiadora, entre elas a Caixa Econômica Federal. Essas medidas, na verdade, reduzem a velocidade do desenvolvimento e redundam em obstáculos aos negócios. Se não tivessem ocorrido os roubos demonstrados pela Lava Jato, certamente não teria acontecido a providência comentada.
José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br 
Rio Claro

*

PROMESSA REQUENTADA
Não me recordo exatamente a data, pois faz tempo, em que a revista "Veja" publicou uma matéria enaltecendo a iniciativa da presidente Dilma de lançar um pacote de boas intenções para a infraestrutura, mas que não saiu do papel, pois todo o dinheiro que o governo teria para investir fora desviados pelo ralo da corrupção. Novamente, para tentar sair do buraco em que se encontra, Dilma Rousseff promete novos pacotes para obras de infraestrutura, que solucionarão os problemas de transporte no Brasil, com investimentos nas rodovias, ferrovias e aeroportos. Com essas promessas requentadas, ganhou espaço na mídia, sendo tema do editorial do "Estadão" de 28/4, "Pacotes de crescimento". Será que agora as promessas sairão do papel? Será que o PT e aliados irão aceitar reduzir os valores das "taxas de sucesso", também conhecidas como propina ou caixa dois para financiamento de campanha, para níveis "normais", sem exageros no roubo, conforme palavra do ex-ministro Carlos Lupi (PDT)? E, depois da Operação Lava Jato, será que ainda tem alguma empreiteira interessada em prestar serviços para o governo federal? Enfim, como bem finalizou o editorial, para conseguir sucesso na implantação desse pacote, o governo precisará mostrar muito mais competência do que exibiu até agora. Mas sabemos que competência não é uma característica de Dilma, não é? Por isso o povo está pedindo "fora Dilma!".
Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br 
Americana

*

PARABÉNS
Quero parabenizar o professor Marcelo de Paiva Abreu pelo magnífico artigo "Berço esplêndido" em sua lúcida opinião sobre a atual conjuntura brasileira, publicado em 29/4 (B2).
José Sergio Trabbold jsergiotrabbold@hotmail.com
São Paulo 

*

PROFESSORES EM GREVE EM SP
Classes superlotadas, alunos desrespeitosos, salário aquém do merecido, greves cheias de vândalos infiltrados... Somos professores ou sofredores?
Fausto Ferraz Filho faustofefi@ig.com.br 
São Paulo

*

'ROTA 66'
Transmito nesta carta efusivas congratulações ao conceituado jornalista Marcelo Godoy, pela primorosa reportagem sobre o "Caso da Rota 66" ("Estadão", 26/4). Como advogado criminalista, convivi profissionalmente com Marcelo e com suas matérias, e sou testemunha da dedicação e do denodo que o fizeram um dos grandes nomes do jornalismo investigativo. No "Caso Adriana Caringi", refém morta por atirador de elite da Polícia Militar em 1990, Marcelo corajosamente denunciou à opinião púbica as inúmeras fraudes praticadas com a conivência de altas autoridades do Estado, com o propósito de obter a impunidade do autor do crime e de seus comandantes. 
Abdalla Achcar achcarabdalla@gmail.com
São Paulo

*

TERREMOTO NO NEPAL
Nossa total solidariedade e apoio ao povo do Nepal, após o terrível terremoto que matou mais de 5 mil pessoas e deixou milhares de feridos e desabrigados no país. O Nepal é um belo país, com povo hospitaleiro, gentil e acolhedor. Um país com as maiores montanhas do planeta, com seus sherpas, monges, mosteiros budistas e muita cultura e tradição. Oxalá a comunidade internacional ajude o Nepal a se reconstruir e envie ajuda humanitária e recursos aos desabrigados. Mostra como nós, seres humanos, somos frágeis, vulneráveis e como estamos sujeitos e à mercê dos fatos e acontecimentos. A ajuda e a solidariedade internacional serão essenciais para o povo nepalês e na reconstrução do Nepal.
Renato Khair renatokhair@uol.com.br 
São Paulo

*

RECONSTRUÇÃO
Barack Obama disse que, para reconstruir o Nepal, seriam necessários US$ 10 bilhões. Ora, bem que o PT poderia resolver tudo isso numa boa, né não?
Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br
São Paulo

*

NÃO PRECISAMOS DE TERREMOTOS
A ocupação urbana irregular em Salvador, responsável por esse desastre calamitoso que vitimou a população baiana, faz estrago similar.
Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br
Monte Santo de Minas (MG)

*
OURINHENSES
Relacionou bem ontem, no Caderno 2, Jefferson Del Rios os ourinhenses ilustres (ele próprio mais Ary, Vânia e Abu). Faltou um, no entanto. Artista contemporâneo que (pode se dizer) já ganhou o mundo: Henrique de Souza Oliveira. Criador, dentre outras obras-primas, dos Tapumes.
J. B. de Souza Freitas jbdesouzafreitas@gmail.com
São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.