Fórum dos Leitores

COMÉRCIO EXTERIOR

O Estado de S.Paulo

03 Outubro 2011 | 03h06

Troco na Argentina

A Argentina barra a entrada de calçados brasileiros, causando enormes prejuízos aos fabricantes, que não conseguem licenças para vender no país vizinho, e em alguns casos já passa de 200 dias. Por que tanta demora do governo brasileiro em resolver o problema, quando é só dar o troco barrando a entrada de automóveis argentinos no Brasil?

EDGARD GOBBI

edgardgobbi@gmail.com

Campinas

GOVERNO DILMA

Sem rumo

O governo Dilma é o sonho de consumo de toda oposição. Sem rumo, sem metas, sem competência. A começar pela própria presidente, que deixou pelo meio do caminho a faxina na administração pública, que todos nós, brasileiros decentes, torcíamos para que continuasse. E o que dizer da conjuntura econômica? Inflação em alta e revisão para baixo do crescimento do PIB não são exatamente indicativos de uma economia saudável... Sobre as obras de infraestrutura para a Copa de 2014, a solução para os atrasos - que muito provavelmente tornarão inviável o término a tempo da maioria dos projetos planejados - é simples: decreta-se feriado nos dias dos jogos! Nota 10 em planejamento, hein?! Que o diga a saúde pública: se ela vai mal, estabeleça-se um novo imposto. Afinal, o que é um mero trilhão de reais no Impostômetro? Esse é o Brasil do PT, da oposição mais inepta da História deste país e de um tal partido novo, o PSD, que não está nem aí para tudo isso e só quer saber mesmo da famigerada Constituinte.

HENRIQUE BRIGATTE

hbrigatte@yahoo.com.br

Pindamonhangaba

FARINHA POUCA...

... meu pirão primeiro

O presidente do PSD, prefeito omisso e incompetente da maior cidade do País, que cobra IPTU extorsivo e sem retorno e só faz política, em vez de "prefeitar" e cumprir a sua obrigação, para o que é pago, informa que o partido apoiará Dilma - como apoiaria qualquer governo, como outros da base, que vendem apoio por cargos e intere$$e deles, e não dos eleitores/contribuintes. Basta ver como vários políticos mudaram para essa legenda. Aliás, político muda de partido como se fosse cueca. E os eleitores antas votam nesses sujeitos, só verbo e sem predicados.

MÁRIO A. DENTE

dente28@gmail.com

São Paulo

Partidos políticos

E o PT, que já foi substantivo, hoje é mero adjetivo.

CARLOS DELPHIM DA GAMA NETO

carlosgama@croniquetas.com.br

Santos

Mosquedo

A criação do PSD não constrói nada de novo, apenas reagrupa uma grande quantidade de moscas sobrevoando mais do mesmo (ou da mesma...).

FLAVIO MARCUS JULIANO

opegapulhas@terra.com.br

São Paulo

Toma lá dá cá

Vem por aí a criação de mais alguns ministérios, para levar para a base os companheiros do PSD.

CARLOS NORBERTO VETORAZZI

cnorbertovetorazzi@yahoo.com.br

São José do Rio Preto

PODER JUDICIÁRIO

Acima das leis?

O missivista sr. William Carvalho (30/9), ao dar os parabéns e intimamente chamar de "companheiro" o ministro Cezar Peluso, do Supremo Tribunal Federal (STF), dá a entender também ser juiz. Até aí, tudo normal. Mas chamar a corajosa dra. Eliana Calmon de traidora, pérfida, desleal e elitista é outra história! Vai além de uma simples ofensa. E causa surpresa virem tais palavras de um trabalhador corporativo (como se identificou), bem como não aceitar que alguém seja investigado, punido e condenado quando provas concretas forem levantadas contra o malfeitor - seja ele juiz, empresário, político ou qualquer outro cidadão igual perante a lei. Juiz está acima das leis? P. S.: Se é verdade que nos últimos 500 anos a corporação se vem mantendo íntegra (palavras do missivista), aqui, em São Paulo, temos um juiz condenado por ter roubado milhões do Fórum Trabalhista - e não parece ser tão velho assim.

ROGÉRIO AMIR RIZZO

rizzomoreno@superig.com.br

São Paulo

Toga em moda

Eu, cidadão comum, preocupado com o cumprimento de meus deveres, não tenho conhecimento da existência de "bandidos de toga", como disse a corregedora nacional, Eliana Calmon. Porém imagino que haja muito bandido de colarinho branco se abrigando à sombra das togas escuras de alguns magistrados. Em vez de o ministro Cezar Peluso querer enquadrar o CNJ, ele devia, isso sim, reunir os seus pares do STF e pôr um ponto final, de maneira rápida e definitiva, à censura ao jornal O Estado de S. Paulo, que já dura mais de dois anos. Os três Poderes devem respeitar e fazer respeitar a Constituição brasileira. É isso que nós esperamos.

ALVARO SALVI

alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

STF x CNJ

Há que ser ressaltada a coragem da corregedora do Conselho de Nacional de Justiça (CNJ), ministra Eliana Calmon, seja por ter trazido ao conhecimento da opinião pública uma questão tão importante como é a que se refere aos poderes de investigação do CNJ, em análise no STF, seja também por ter revelado - ainda que sob a forma de um pecadilho, como disse um ministro do STF - a inusitada e injustificada resistência com que alguns tribunais estaduais têm buscado contrastar as decisões de âmbito disciplinar emanadas daquele Conselho. Destarte, caberá ao STF declarar a constitucionalidade do CNJ, que - relevante observar - figura ao lado do mesmo STF como órgão de cúpula do Poder Judiciário brasileiro (artigo 92, I-A, da Constituição), para assim reconhecer a plena legitimidade de seus atos, especialmente dos de investigação disciplinar, que outra não poderá ser, com certeza, a intelecção a ser extraída do artigo 103-B, § 4.º, da nossa Carta Magna. Como observava o marquês de Maricá, para bem julgar não basta ver, é necessário olhar, nem basta ouvir, é conveniente escutar. Que o STF ouça o que diz a opinião pública, reforçando cada vez mais o poder do CNJ, em vez de enfraquecê-lo.

VALENTINO APARECIDO DE ANDRADE, juiz de Direito

valentinoandrade@uol.com.br

São Paulo

 

PAULO MALUF NO STF

A notícia de que finalmente Paulo Maluf e familiares vão responder a uma ação penal no Supremo Tribunal Federal (STF), como mostrou a matéria Maluf vira réu em ação penal no Supremo (30/9, Nacional, A6), renova a esperança de que pode estar chegando o dia de nossa Justiça constatar (o que o mundo inteiro já sabe) que uma montanha de dinheiro público foi surrupiada e enviada para ser lavada criminosamente lá fora. Enquanto a polícia do mundo inteiro procura por esse cidadão com um mandado de prisão por crimes financeiros, aqui, de onde o dinheiro público foi desviado, nada tem acontecido, dado o sem número de chicanas de nossa morosa Justiça. A preocupação agora é se o STF também não vai contribuir para a continuidade dessa impunidade.

José Elias Laier joseeliaslaier@gmail.com

São Carlos

*

A GRANDE FAMÍLIA MALUF

Quando erramos, pagamos pelo erro, quando acertamos, não precisamos pagar nada. Como em toda a regra existe a exceção, Paulo Maluf é a exceção da regra. Desde que entrou na vida pública há mais ou menos 40 anos ele é acusado de cometer todos os crimes possíveis e impossíveis contra os cofres públicos. O fantástico é que ao longo de toda essa história de acusações, nada acontece com o eterno acusado. Um por cento das provas apresentadas até hoje contra ele colocariam qualquer marginal menos privilegiado um longo tempo na cadeia. O Dr. Paulo só esteve preso uma vez. Foi um caso atípico, porque cadeias, humilhações e punições foram feitas para os de pés de chinelo que roubam para comer, sejam eles culpados ou inocentes. Neste país, onde os ladrões de colarinho branco abrem champagne todo fim de semana para comemorar a impunidade e a benevolência dos juízes, o destino é ficarmos sempre no "passivo". Mas o Brasil é o berço esplêndido de acontecimentos estranhos. O Supremo Tribunal Federal (STF), que, certo ou não, sempre livrou a cara do Maluf, por sete votos a um, aceitou uma denúncia contra toda a família Maluf por lavagem de dinheiro. A denúncia foi oferecida pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel. O advogado de Maluf, tal como fez o defensor do Sarney, que conseguiu anular as provas do inquérito que acusavam a família Sarney, tentou fazer o mesmo, mas não conseguiu. O relator, Ricardo Lewandowski, afirma que o prejuízo aos cofres públicos da lavagem de dinheiro realizada no exterior pela família Maluf é da ordem de US$ 1 bilhão. Pelo jeito, o Dr. Paulo encaminhou muito bem toda a família nos seus "negócios".

Wilson Gordon Parker wgparker@oi.com.br

Nova Friburgo (RJ)

*

PREVISÃO DE RUMO

O STF precisará fazer das tripas coração para inocentar Maluf da acusação de "espraiados" desvios astronômicos. De início, supostos bandidos de toga integrantes da mais alta Corte tentarão anular as substanciosas provas fornecidas pela Suíça. Outras provas poderão ser invalidadas compulsoriamente. Afinal, amigos são para essas coisas.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

PESOS E MEDIDAS

O ex-prefeito da cidade de São Paulo Paulo Maluf foi acusado pelo Ministério Público de desviar mais de US$ 1 bilhão para o exterior. Ele só não será processado por formação de quadrilha porque tem mais de 70 anos e esse crime, para ele, está prescrito. O que eu não consigo entender é que, se um homem comum, mesmo com mais de 70 anos de idade, se apoderar indevidamente de um pote de margarina, nem por milagre escapará da cadeia.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

OS 'MALUF'

Que beleza! Eis, enfim, a prova cabal: a família que trabalha unida, permanece unida - até no banco dos réus. E agora? Será que o assessor de imprensa do réu Paulo Maluf, Adilson Laranjeira ("Paulo Maluf não tem nem nunca teve conta no exterior", sic), não vai se manifestar em nome do patrão? Mas boa mesmo foi a dica fornecida pelo famoooso Dr. José Roberto Batochio, advogado de Flávio Maluf, filho do deputado, ao dizer que, "no Brasil, transformaram formação de família em formação de quadrilha" (sic); mesmo porque, para que haja coerência em sua alegação, tudo indica que sua frase contém um síndromo (ver Pequeno Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa, da ABL-1943). Assim, ainda em decorrência desse síndromo pespegado por Sua Excia. inadvertidamente, poder-se-ia concluir que transformaram formação de quadrilha em formação de família, por contraposição. Como o advogado criou sua frase na terceira pessoa do plural, que não identifica o sujeito (eles), quem o autor - ou autores - do processo transformante somente ele mesmo, o Dr. Batochio, pode nos informar. Enfim, "tudo isso quer dizer... Brasil" (José Maria de Abreu). Pobre país dos meus amores!

João Guilherme Ortolan guiortolan@gmail.com

Bauru

*

PIADA

Acho que sou leitor do Estadão desde que nasci, e ele nunca havia publicado uma piada na primeira página, mas estava lá na manchete de sexta-feira: STF abre processo contra Maluf. Nossa, o Maluf já foi processado centenas de vezes por vários motivos e nunca foi condenado, graças as absolvições no STF e agora eles me saem com essa. Por favor, a quem querem enganar? Podem enganar muita gente, mas jamais enganarão um leitor do Estadão. Qual será a próxima piada do STF? Por isso que no Brasil humorista nunca perde o emprego!

José Milton Galindo galindo52@hotmail.com

Eldorado

*

VIDA LONGA A MALUF

O Supremo vai julgar o Sr. Maluf. Com a idade que ele tem, poderá nunca ser julgado em vida. Tomara que ele viva o bastante para devolver, caso seja condenado, o que teria desviado - o que duvido que irá acontecer.

Everardo Miquelin everardo.miquelin@ig.com.br

São Paulo

*

AQUI SE FAZ...

O mundo ficando cada vez menor para o senhor Paulo Maluf. Já não era sem tempo.

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

DESPOLUIÇÃO DO PINHEIROS

Após 10 anos de investimentos públicos que chegaram a R$ 160 milhões, o governo estadual paulista desistiu do plano de limpar o rio Pinheiros pelo método de flotação. Uma década inteira perdida e uma enorme soma de recursos públicos foram para o ralo nesse incrível caso de incompetência e despreparo do poder público. Os paulistanos deveriam ter o direito de usufruir de rios limpos, vivos e navegáveis, como acontece em muitas cidades do mundo. É triste ver o dinheiro público ser desperdiçado desta forma e os problemas continuarem sem solução com o passar dos anos. O governador Alckmin e o PSDB devem explicações ao povo paulista por mais esse fracasso.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

INVESTIGAÇÃO

Será que a desistência do método de flotação teve alguma outra intenção ou finalidade? Ministério Público, por favor, vamos investigar, chega de meter a mão na cumbuca do dinheiro do povo que pena para pagar impostos pesadíssimos.

Antonio Jose G. Marques a.jose@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

ALERTA ANTIENCHENTE

Gilberto Kassab, nosso digníssimo prefeito, está estudando a implantação de um sistema de sirenes para alertar da possibilidade de enchentes. Muito trabalho e muito dinheiro será gasto para avisar os que estão em áreas de risco. Será um mero paliativo que tentará salvar vidas, mas sem resolver o maior problema dos humildes que é a perda de patrimônio adquirido com trabalho e sacrifício. A implantação desse sistema é uma clara confissão de incompetência. Cobrar impostos, cada vez mais pesados, eles sabem fazer muito bem. Mas propiciar ao povo qualidade de vida já é outra história. No reajustar dos próprios salários eles são craques. Mas dar ao contribuinte um retorno pelo muito que contribui já é outra história. Espalhar câmeras escondidas pela cidade e multar motoristas com pressa, descuidados ou nervosos ninguém os supera. Consertar as ruas esburacadas e irregulares já é outra história. Além de sirenes para avisar de enchentes, que tal uma sinalização piscante para alertar sobre buracos nas ruas? E que tal colocar cartazes avisando da possibilidade de assaltos e roubos em locais perigosos? Assim logo poderemos ter uma secretaria especial para alertar sobre problemas que não conseguem resolver. Parece que, para eles, é mais fácil alertar do que resolver! Mas os impostos continuam aumentando e sendo cobrados sem piedade. Vamos também "alertar" esses maus representantes não votando neles na próxima eleição!

Silvano Corrêa scorrea@uol.com.br

São Paulo

*

SIRENE NÃO RESOLVE

A atitude que poderá ser tomada pelo prefeito da maior cidade brasileira, São Paulo, Gilberto Kassab, está estudando a implantação de "sirene antienchente"... Isso não resolverá o sofrimento dos paulistanos com as constantes inundações. São Paulo precisa é de prefeito e governador competente que respeitem os contribuintes e façam um projeto viável, idêntico ao que foi feito em Tókio para acabar com tanto sofrimento e até mortes com as constantes inundações. Chega de jogar dinheiro fora e apresentem uma efetiva solução.

Benone Augusto de Paiva benonepaiva@yahoo.com.br

São Paulo

*

ODORICO PARAGUAÇÚ

Como advogado militante e jornalista, portanto uma pessoa interessada nos destinos de nossa cidade, de nosso Estado e de nosso país, procuro ler, ouvir e assistir a tudo que versa sobre matérias que possam de alguma forma mudar nossos destinos, nossa vida e até influenciar as atitudes de nossos filhos. Faço este intróito para comentar a vergonhosa atuação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), transmitida na integra pela TV Justiça, no vexatório episódio "registro do PSD". A indigna performance do presidente daquele Tribunal Superior só pode ser comparada com a atuação pífia de um ator de segunda linha, sendo dirigido por um diretor pior ainda. Sua fala, muito bem decorada, para defender o "indefensável", sugeria que o mesmo estivesse lendo um texto preparado pelos advogados do PSD. Sua imposição e impertinência draconiana, intimidava e muito os demais Ministros, mostrando que tudo que se comenta sobre a falta de moralidade de determinados julgadores no trato das coisas públicas é a mais pura verdade. Portanto, quando da insurgência contra as atitudes moralizadoras do CNJ, quando mais de 150 juízes de Primeira Instância estão sendo processados pelo Conselho Nacional de Justiça, quando a corregedora do CNJ, afirma que pelo menos 1% da magistratura brasileira está comprometida, quando quase 50 desembargadores dos mais diversos Tribunais de Segunda Instância, de todos os estados brasileiros, foram aposentados compulsoriamente pelos mais diversos motivos, destacando-se o desvio de conduta na aplicação do direito, tudo isto vem á tona, pela simples atitude draconiana do presidente do Superior Tribunal Eleitoral, que numa vergonhosa e cinzenta parceria, deu guarida ao registro de um partido nascido do lodo, alimentado por denúncias das mais críticas, partido feito de assinaturas de " mortos", partido feito de assinaturas colhidas por agentes públicos, com promessas de vantagens, ou até com ameaças de desvantagens. Quero lamentar o meu voto nas últimas eleições ao atual prefeito de São Paulo, pois o episódio da "criação de seu partido político" e a maneira da realização do feito, aliás, digna do mais escandaloso "coronelismo", nos faz refletir e pensar muito para não errarmos de novo, ou então seria melhor mudarmos para a cidade cinematográfica de Sucupira vibrando e aplaudindo o hipotético prefeito Odorico Paraguaçu, o verdadeiro professor da Universidade, onde estudaram o nosso prefeito e também o presidente o tribunal eleitoral.

Silvio Carlos Machado silcamachado@ig.com.br

São Paulo

*

NOVO PARTIDO

Se com assinatura falsa posso criar um partido, por que não posso fazer algo idêntico na assinatura de um cheque?

Carlos Jose Benatti cjbenatti@globo.com

São Paulo

*

AJUDINHA

Parabéns ao ministro Marco Aurélio de Mello, que deu uma aula aos seus colegas ministros sobre as enormes falhas existentes no processo que registrou o PSD, cujo dono, Kassab, foi muito esperto e conseguiu o registro pois certamente o Lula deu um "alozinho" aos ministros que ele nomeou para que ajudassem ao Kassab que pelo menos por tática disse que vai ajudar a governabilidade da Dilma e por tabela ao Lula. O parecer do ministro Marco Aurélio reduziu a sub nitrato de pó todos os demais ministros que apresentaram justificativas vazias de conteúdo para permitirem o registro do partido do Kassab. A corrupção no Brasil não tem mais jeito.

Ulisses Fioravante ulissesfioravante@yahoo.com.br

Campinas

*

NÃO CABERÃO

Com a aprovação do novo partido, PSD, pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o número de partidos políticos no País passou para 28 e pode chegar a 29 ou 30 ainda este ano. Atualmente o número de ministérios do governo federal é 37 e a pergunta que se faz : se o número de partidos que apoiam o governo continuar

crescendo, não será necessário a duplicação da Esplanada dos Ministérios em Brasília para acomodar tantos "companheiros"?

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

PARTIDOS POLÍTICOS

Alguém sabe quantos partidos políticos temos no Brasil?

Milton Bulach bulach@estadao.com.br

Campinas

*

PSD

Parabéns ao Kassab pela criação do PSD. Será que valeu a pena deixar São Paulo de lado por isso? Valeu esquecer que existe uma fila quilométrica para uma vaga numa creche da cidade, tão quilométrico quanto os engarrafamentos diários, tão quilométrico quanto a ficha corrida de muitos dos seus novos colegas de partido, será que valeu a pena Kassab?

Roberto Saraiva Romera robertosaraivabr@gmail.com

São Bernardo do Campo

*

GOLPE NO FECHAMENTO DAS RUAS

Cumprimento o jornal O Estado de S. Paulo pela inserção na edição do dia 26 de setembro de texto titulado Golpe no fechamento de ruas, relatando com muita propriedade a figura ilegal e inconstitucional dos Loteamentos Fechados e dos Loteamentos Públicos transformados em Municípios como Loteamentos Fechados. Promovi Loteamento público no Município de Americana, denominado "Portal dos Nobres" e em administração municipal anterior transformaram o loteamento através de Lei Municipal em "Loteamento fechado" procedimento ilegal e inconstitucional pois a liberdade de ir e vir está consagrada na Carta Magna. Também não existe na Lei Federal que regulamenta em nível nacional o parcelamento do solo a figura do Loteamento Fechado ou a transformação do Loteamento Público em Loteamento Fechado. Criaram-se verdadeiros "feudos" com verdadeiros subterfúgios de que a prestação dos serviços públicos de segurança e outros iriam aprimorar-se no empreendimento. Ledo engano, são inúmeros os Boletins de Ocorrência registrados nas Unidades Policiais relatando furtos e roubos dentro do Loteamento. Não bastasse isso a prestação de serviços públicos como remoção de lixo, etc. só é permitida através de certame licitatório que deve ser promovido pelo Poder Público a nível geral no Município e não delegar pura e simplesmente a Associação de Loteamentos Fechados a prestação desses serviços. O município de Americana, no Loteamento Portal dos Nobres tributa "Taxa de remoção de lixo" juntamente com o IPTU. A Associação dos moradores também cobra existindo duplicidade de cobrança. A utilização de áreas públicas de circulação (ruas e avenidas) e praças são de uso comum da população e não de determinados "feudos". É necessário que o Dr. José Carlos de Freitas, promotor de Habitação e Urbanismo

promova ações diretas de inconstitucionalidade de Leis Municipais que transformaram Loteamentos Públicos em Loteamentos Fechados e também os que foram criados e implantados como Loteamentos Fechados. Aí sim sairemos do discurso fácil para verdadeiras ações que representam o anseio

público. Como mencionei anteriormente, não há a figura legal de Loteamento Fechado, portanto é premente a ação do Dr. José Carlos de Freitas pleiteando aos Municípios o encaminhamentos das Leis Municipais e promova perante o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo as ações referidas. Ações de ressarcimento são morosas.

Artur Valter Janjon avjanjon@gmail.com

Americana

*

JUSTIÇA

A história do skinhead Vinicius, que matou um e aleijou outro, tem tudo pra repetir o caso do jornalista Pimenta Neves, que assassinou sua namorada com dois tiros e apelou durante 11 anos. O skinhead, que foi condenado a 31 anos, por meio de um habeas corpus foi dormir em casa. Como é que pode um absurdo desses? Algo de muito errado acontece nesta nossa Justiça surrealista!

Iracema Palombello cepalombello@yahoo.com.br

Bragança Paulista

*

SER BRASILEIRO É REALMENTE SER UM CORAJOSO

Segurança para o cidadão é uma coisa bem complicada. A Lei n.º 10.826, conhecida como o "Estatuto do Desarmamento" praticamente tornou impossível ao cidadão comum, aquele honesto e pagador do seus impostos, ter uma arma de fogo para defender sua família e sua casa, que por lei, é asilo inviolável. Bom, vamos adiante então, já que não se pode ter uma arma de fogo para se defender, vamos então apelar para outra opção, um colete à prova de balas, pronto achamos a saída, porém, lá vem mais burocracia, para um cidadão adquirir e usar um colete balístico também é necessário registro de propriedade de colete, que também requer certa burocracia. Fazer o que, vamos adiante novamente, vamos mudar a opção e comprar um carro blindado para poder oferecer segurança para a família nos deslocamentos já que a cidade é tão perigosa, porém novamente esbarraremos na burocracia, o carro só pode ser blindado com autorização do Exército e deve também ser registrado no Detran como veículo blindado. Bom, vemos que o Estado brasileiro não dá opção de defesa ao cidadão e, ao contrário disso, aprova a lei que só prende bandidos por crimes considerados graves, traduzindo em miúdos, o Governo Federal prima pelos Direitos Humanos, não os seus, é lógico! Mais bandidos nas ruas, você, sem direito de se defender e o governo e ainda dizendo sempre, entregue sua arma! Não reaja! Dá pra se entender o porquê da alta absurda dos índices de violência e criminalidade atuais, os criminosos sabem da impunidade, que podem "deitar e rolar" que não terão maiores problemas com a lei, pois para eles, ela é branda. Bom, muitos ainda podem afirmar, devemos confiar na polícia, porém ela não é onipresente, lembro de ter lido uma entrevista de um policial norte-americano condecorado que disse o seguinte "... a polícia é basicamente uma força de reação, chegamos no local, colhemos as evidências e, com sorte, chegaremos aos criminosos, mas isso nada interessa ao seu cadáver frio". Ah, não esqueçam que ainda querem a liberação da maconha, pronto será a glória, para os traficantes e bandidos e nós, cidadãos, como ficamos nessa história?

Paulo Henrique de S. Ribeiro phmagnum@gmail.com

São Paulo

*

CRIMINALIDADE EM SP

Estou indignado com o aumento da criminalidade em nosso Estado. Dessa vez chegamos no limite e sem chance imediata de qualquer mudança. A responsabilidade é toda do atual governo que: trata com total descaso a segurança pública do maior e mais rico Estado da Federação. Tenho plena consciência que minha revolta não vai dar em nada, mas, nas próximas eleições, com toda certeza, darei o troco.

Francisco M. Borges frankmartins_br@yahoo.com.br

Campinas

*

PASSADO QUE CONDENA

Engana-se quem pensa que o passado não importa. Passado, presente e futuro se confundem na vida de qualquer pessoa. Tomemos por exemplo, o caso do tenente-coronel que foi comandante do Batalhão de São Gonçalo, no Rio de Janeiro, hoje preso e acusado de mandar matar a Juíza Patrícia Acioli. Ele já havia sido investigado por outros crimes, absolvido continuou na senda nebulosa do crime que culminou com o assassinato da juíza. Governo de todos os Estados deveriam tomar mais cuidados ao nomear policiais, civis e militares para cargos relevantes de comando. Observar o caráter dessa gente significa zelar pela imagem da Instituição.

Odiléa Mignon cardosomignon@gmail.com

Rio de Janeiro

*

O QUE VALE A VIDA?

O fato concreto é que hoje em dia a sociedade está vivendo o verdadeiro Big Brother do crime, não temos mais onde nos esconder da bandidagem que há cada dia ficam mais audaciosos em suas ações. Nos dias atuais é assustador como a vida perdeu seu valor. Repetidas vezes ouvimos relatos de que alguém foi morto por um celular, um par de tênis, por torcer pelo time adversário, por alguns poucos trocados ou mesmo um carro. Outras vezes assistimos relatos de que motoristas embriagados tiraram a vida de pedestres porque sob efeito do álcool dirigiam feitos loucos. Levantamento inédito aponta que o número de vítimas de acidentes de trânsito em hospitais públicos paulistas cresceu 28,8% nos últimos três anos. O gasto do "SUS" (Sistema Único de Saúde), para tratar esses pacientes chegou em 2010, a R$ 56,7 milhões, valor equivalente á construção de uma unidade hospitalar com 200 leitos. Em 2008 foram 31,3 mil internações de vítimas de acidentes quando a maioria dos condutores estavam embriagados. Esse número chegou a 40,3 mil no ano passado. Há episódios de pessoas que espancam moradores de rua até a morte, ou ateiam fogo por puro vandalismo. Há os que promovem torturas em outros apenas porque têm opção sexual diferente, como se isso fosse verdadeiro crime que merecesse a morte. Namoradas e esposas são seqüestradas e mortas por simples ciúme, sem falar nos que tiram a própria vida. Porém, em meio a esses cenários chocantes, alguns chamam mais a atenção. O que levou uma criança de apenas 10 anos tirar sua própria vida, após atirar em sua professora. Assustador é saber que o pequeno garoto pode ter premeditado o crime e o suicídio. De certo é que cada vez mais vemos os valores morais serem perdidos em meio á correria do cotidiano. A culpa é de quem? Dos pais? Da sociedade hipócrita que não da a devida atenção aos jovens? Da modernidade dos relacionamentos? O fato é que de uma forma ou outra todas são vítimas das próprias ações e atitudes. Depois da porta arrombada não adianta correr atrás do prejuízo!

Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

*

INGLATERRA X BRASIL

O jornal The Independent noticiou na edição de 26/9 (página 14) que o salário dos presidiários que trabalham fora da prisão será taxado em 40% para compor um fundo de socorro às vítimas de crime. Segundo o Ministro da Polícia, Nick Herbert: "Fazer com que os criminosos paguem reparação financeira às vítimas, vai requerer deles que assumam responsabilidade pessoal por seus crimes". Já em outras plagas, um preso, mesmo sem trabalhar, tem mais direitos, inclusive pecuniários, que um trabalhador que suou a vida toda até conseguir se aposentar. Também na Inglaterra, o ex-primeiro ministro Tony Blair tem sido seriamente questionado por ter prestado serviços à grande corporações depois de deixar o governo, fato que ameaça as pretensões eleitorais dos trabalhistas. Já em outras plagas, sujeitos moralmente desqualificados enriquecem a própria família em pleno exercício do mandato e todo mundo acha que ele foi um sujeito bem sucedido, apesar de ter sabotado as leis que jurou defender. Ou seja, com o auxílio de um judiciário pusilânime, estamos nos afastando cada vez mais do mundo civilizado.

José Benedito Napoleone Silveira nenosilveira@aim.com

Londres

*

FLAGRANTE

Aguardava eu a minha filha na porta da Rua Barão de Itapetininga n.º 93, centro de São Paulo. Um prédio velho de arquitetura maravilhosa, bastante bem conservado... o Edifício Jaraguá, onde no térreo se instalou originalmente a livraria da "Editora Brasiliense" e no topo residiu por muitos anos, escreveu suas melhores obras e morreu o proprietário, Monteiro Lobato (na parede externa há uma placa alusiva à relevância histórica do prédio). Foi quando, já que anoitecia, o porteiro começou a empilhar sacos e mais sacos plásticos pretos a serem retirados pela coleta de lixo. Não demorou muito a uma dessas figuras esquálidas que percorrem o centro arrastando pesados carrinhos, rasgar e revirar tudo a cata de papelão. Vi-me no meio de detritos espalhados e notei então uma caixa - dessas de tênis - bem lacrada com barbante, contendo os dizeres "cuedado vidros cuebrados"... enquanto o homem do carrinho seguia na direção da praça da República. Das escadarias do Teatro Municipal - no sentido oposto - me chegava o som estridente dos habituais reclamos contra o "elitismo" do senhor prefeito.

Edu Funicelli funicelli@lycos.com

São Paulo

*

DROGAS

O que alguns defensores da liberalização das drogas (que não raro usam do eufemismo 'drogas recreativas') chamam de "moralidade oportunista" eu chamo de esquizofrenia social e puro egoísmo !

Reafirmo o convite raramente publicado para que visitem uma clinica séria de desintoxicação de drogados (basta do pol. correto 'usuário', é viciado mesmo!) para ouvirem o drama real de como começaram suas decadências física, moral, psicológica, familiar e financeira através da maconha e depois, cocaína e crack! Nas que atuo como voluntário, temos até mesmo o caso de uma menina apresentada as drogas (pasmem!) por um professor que dava aulas em uma grande rede de ensino metida a liberal em suas apostilinhas de humanas... Drogas possuem por si só, mesmo em abstrato, o potencial de matar, viciar e estimular a violência de todas as formas fazendo de todos nós em sociedade vítimas de uma forma ou de outra. Basta olhar ao redor.

Paulo Boccato pofboccato@yahoo.com.br

São Carlos

*

O ÔNIBUS NOSSO DO DIA A DIA

Já na metade dos anos 1950, eu sabia da dureza de ter que pegar duas conduções para ir à escola. Às cinco e meia da manhã saia de casa, na Vila Olímpia, e andava um quilômetro para pegar um ônibus na Avenida Santo Amaro; era o da linha 79, que vinha de Santo Amaro, ou então o 81 Brooklin, ambos com destino ao Anhangabaú. O ônibus naquele tempo não tinha catraca e o cobrador percorria o veículo de ponta a ponta indo e voltando, com bloco de bilhetes na mão, entregando às pessoas que pagavam a passagem, e tinham o comprovante para não pagar duas vezes. Na saída do ônibus, próximo ao motorista, tinha uma urna para o passageiro colocar o bilhete que lhe era fornecido. Muita gente não tinha paciência de colocar o papelzinho na fenda da urna e deixava caído no chão, perto dos degraus da porta da frente. Naquele tempo a gente entrava pela porta de trás e descia pela frente. Sempre tinha uma pessoa que antes de descer pegava as papeletas dos degraus e colocava na urna. Geralmente pessoas de idade. Às vezes tinha alguém que ficava nos degraus da porta de trás e descia por ela quando a porta era aberta para alguém subir só para não pagar a passagem. Na Avenida Nove de Julho, faltando três pontos para chegar ao Anhangabaú, o motorista não mais abria a porta de trás, mesmo que alguém fizesse sinal. Isso para não ter uma debandada de "espertos". E por falar em dar o sinal, uma vez um passageiro, num ponto da Avenida Nove de Julho, em vez de fazer sinal com a mão, o fez com o pé. Depois que ele subiu o motorista parou o ônibus e foi até ele, para perguntar: - "Oh Cara, você é gente ou cavalo?" O passageiro, sem graça, respondeu: - "Sou um ser humano, por quê?" - "Porque gente não dá sinal para parar um ônibus usando o pé!" Foi dada uma salva de palmas para o motorista. Naqueles anos da minha infância os itinerários não eram muito longos. Quem vinha de Santo Amaro achava longe até o Anhangabaú, como quem vinha de São Miguel para o parque Dom Pedro. Os ônibus que vinham da Zona Sul paravam no Vale do Anhangabaú. Já os que vinham da Zona Leste, tinham o ponto final no parque Dom Pedro ou Praça da Sé. Os da Zona Norte no largo do Paissandu e baixos do viaduto Santa Ifigênia. Os da Zona Oeste ao lado do Teatro Municipal. A primeira linha de ônibus que ultrapassou o limite do centro da cidade de São Paulo foi o Penha-Lapa. Era a linha mais longa do transporte coletivo de nossa cidade. Virou sinônimo de "coisa grande". O Chope, por exemplo, tinha o copo pequeno, o médio e o grande. Depois veio um maior ainda, o copo duas vezes maior que o copo grande, apelidado de Penha-Lapa. Mania de grandeza que foi ultrapassada pela cidade de Itu. Mais tarde soube-se que tinha também uma linha que circulava pela estrada de Sapopemba, de alguns quilômetros a mais. Hoje em dia sabe-se que a linha de maior extensão é a que vai para a cidade Tiradentes, passando pelo elevado, que já foi chamado fura-fila. São 50 quilômetros, que dobra entre ida e volta. As pessoas que vão trabalhar no centro ou adjacências saem de casa às três horas da madrugada a caminho do centro da cidade, dão mais uma dormida no veículo para completar o sono, já que demora 50 minutos devido ao pouco trânsito, mas que nas horas de pico demora muito mais. Normalmente as pessoas que entram no veículo naquele horário são sempre os mesmos desse horário, e daí nasce uma grande amizade; vão conversando e a segunda-feira é o dia de um papo mais apurado por causa dos resultados do futebol do dia anterior. Mas isso é um pouco mais tarde, porque no veiculo madrugada não se ouve um pio. Todos estão dormindo ou cochilando. É a luta diária pelo pão. A maioria das pessoas são, obreiros que vão da Zona Leste para ajudar o crescimento da nossa cidade geralmente os irmãos nordestinhos, responsáveis pela construção dos espigões da cidade. Sem eles, não sei, talvez não existissem tantos. Motoristas das linhas mais longas da cidade são homens experientes no volante, normalmente de meia idade, que pelo fato de ter que prestar atenção à frente, pouco conversa com os passageiros, a não ser quando alguém pede antecipadamente que queira descer em tal ponto e ele, muito solícito, no momento exato "grita" para o passageiro, já na porta de trás: é agora! Já os cobradores são mais conversadores. Numa reportagem de um programa jornalístico da TV, um deles disse que começou a namorar uma moça que pegava seu ônibus todo dia no mesmo horário das cinco da manhã. Conversa vai, conversa vem, e pronto, quando perceberam estavam no altar ouvindo o padre dizer: - "Vocês juram estar um ao lado do outro na alegria e na tristeza?" Com um jeito meio tímido, ele disse que estava já havia quinze anos casado com ela. Sabe-se que de cada dez cobradores, oito se casam com passageiras. No meu tempo de usuário, havia muita encrenca dentro do ônibus. Era sempre homem abusando de mulher, dando encoxadas na maior sem-vergonhice quando o veículo estava lotado. A maioria das mulheres faziam cara feia e saía fora. Mas algumas "barraqueiras" faziam um tremendo sururu, que o cara apanhava de quem estava perto. Tinha também mulher que, por motivo fútil, promovia barraco dizendo que um homem estava com má intenção, mas se via no rosto dele que não tinha esse perfil; então era ela chamada de vagabunda. Nesse mister de se aproveitar dessas ocasiões para abusar das mulheres, tinha sempre um bastante ousado que tirava o pênis para fora da calça, quando o veículo estava lotado. Num veiculo que ia para o Brás uma mulher estava sendo ultrajada com esse tipo de coisa. Ela aguentou como pôde até ver que o veículo daria uma esvaziada. Quando isso aconteceu, ela deu dois passos à frente e a coisa dele ficou exposta. Levou uma surra. Sua sorte foi que tinha um guarda civil que evitou um linchamento maior. Hoje em dia estamos em outro patamar. Quando não são os arrastões, é um ou dois sujeitos armados levando tudo o que puder da gaveta e dos passageiros. Isso quando não tem um policial à paisana que pega sua arma e dispara, nem sempre acerta no ladrão. Uma bala desavisada acerta um inocente. Evoluímos?

Mario Lopomo mlopomo@uol.com.br

São Paulo

*

ROTINA

Já virou rotina todo o final de semana, a noticia de atropelamento no transito com motorista embriagado, apesar da frequente conscientização da mídia, que a mistura de álcool com direção não combina. Vai carecer que a Justiça seja mais rigorosa com esse inovado tipo de crime. Alias, esse tipo de crime na maioria das vezes é cometido só por bacanas.

Arnaldo Luiz de Oliveira Filho arluolf@hotmail.com

Itapeva

*

O TRÂNSITO NAS CIDADES E AS 'CICLOPASSARELAS'

Fiquei absorto ante a notícia do caderno Metrópole da semana passada e o plot plant relativo às futuras obras. As cidades precisam de um projeto resolutivo para resolver de vez o problema de forma ampla e segura. São Paulo precisa de Corredores Inteligentes e que permitam o deslocamento com motos e bicicletas, com postos de estacionamento bem como dispositivos para circulação de pedestres livres de semáforos e apitos. Com isso, eliminaremos: desperdício de combustível, GEE, tempo e, especialmente, acidentes. O projeto já existe, porém nada foi feito para sua execução.

Nicolas Martinez contpor@hotmail.com

Praia Grande

*

CONSULTAS MÉDICAS

Numa consulta medica de emergência, fiquei sabendo que a consulta só poderia ser paga em dinheiro ou cheque, fui obrigado ir ate um caixa eletrônico e sacar o dinheiro da consulta, para o meu filho ser atendido. Conversando com alguns amigos fiquei sabendo que todos eles tiveram os mesmo tipos de problemas, com risco de serem assaltados. Os pacientes terão que andar com dinheiro no bolso. Conversado com as atendentes, perguntei a elas porque não usam a maquina de cartão, ela disse que nem é pela tarifa do uso do cartão, mas porque os médicos pagariam imposto sobre as consultas, só para não pagar o imposto põem em risco a vida dos pacientes e familiares e a dele com risco de serem assaltados.

Reginaldo de Paula reg.paula@hotmail.com

Campinas

*

HOSPITAL DAS CLÍNICAS

Sou médica pneumologista pediátrica do Hospital das Clínicas (HC), contratada há 13 anos após concurso e hoje fui surpreendida de não ter disponibilizada para nós, funcionários, a vacina contra meningite C. Irei a um congresso em Salvador dentro de 10 dias e quero me imunizar visto os casos que estão ocorrendo na região. O nome do Hospital das Clínicas será ressaltado nas palestras e outras participações que terei no evento mas caso eu adoeça e até morra, talvez isso seja encarado como um mero acidente de trabalho. Para quem, com doutorado, recebe um salário de R$1.791,95 por mês, desconta R$180,00 todo mês de estacionamento para o carro e esse mês descontarei R$170,00 para a vacina que necessito tomar, estou achando que logo terei que pagar para trabalhar no HC. O que motiva eu e outros colegas a continuar no HC é o espírito acadêmico, que envolve a atualização médica contínua, o ensino aos colegas recém-formados, as pesquisas que fazemos, além da boa assistência que procuramos prestar à população tão carente de bons profissionais. Mas sem o mínimo de reconhecimento das entidades que nos governam está ficando cada vez mais desanimador manter tanta dedicação.

Fabíola Villac Adde fabiva@terra.com.br

São Paulo

*

UM NECESSÁRIO CHOQUE DE GESTÃO NA SAÚDE

Os ambulatórios das Organizações Sociais contratadas pela Prefeitura de São Paulo não prestam o atendimento médico previsto nas respectivas metas. No entanto, continuam a receber pelos serviços não prestados. A alegação de que há falta de médicos é de uma gritante hipocrisia: médicos não são contratados e o dinheiro destinado ao pagamento de seus salários é embolsado pela contratada. Está visto que, antes de se pensar em mais imposto para a saúde, é preciso rever métodos e revolucionar o setor sob o aspecto ético e administrativo.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

MAIS UM IMPOSTO

A pertinentíssima colocação do leitor sr. Renato Índio da Costa deve ser considerada e levada aos quatro cantos deste país, por toda imprensa, em uníssono, da maneira mais enfática possível, extraída desta seção deste jornal como manchete de primeira página em letras capitais, certamente, com o endosso dos cidadãos lúcidos e esclarecidos deste Brasil.

Geraldo C. Meirelles gmeirelles@prmurray.com.br

São Paulo

*

REGULAMENTAÇÃO DOS BINGOS

Sou empresário na cidade de Campinas (SP), proprietário de uma gráfica especializada na fabricação de cartelas para bingos, dizem que os bingos estão proibidos no Brasil, mas na realidade não existe Lei que proíbe e nem que regularize esta atividade no pais, mas os bingos estão abertos, infelizmente na clandestinidade, pois eu atendo mais de (100) cem casas e existe mais (8) gráficas especializada na mesma atividade. Imagino que existe muito mais do que 500 abertos, mas se não acreditar no que digo entre no www.magocom.com, a Sr. vai ver que todos os dias fecham varias casas em todo o Brasil e nem por isso acaba, pois estão enxugando gelo, e posso garantir que com os bingos abertos clandestinamente a corrupção não vai parar, pois se estão abertos é porque estão corrompendo e policiais, juízes, ministério publico, policia federal enfim o Estado sendo corrompido. Desde 2004 tem empresários do setor que querem trabalhar na luz do dia, pagar impostos e registrar seus funcionários, pois esse tempo todo não estão fazendo. Maquinas caça níqueis colocadas em bares, lanchonetes, padarias e até em salão de beleza onde entra e sai menores de idade, isso não aconteceria nos cassinos e casas de bingos regularizadas, pois a entrada é proibida para menores de 18 anos. Não seria a hora de acabar com isso? Regularizando os bingos acabaria com a corrupção, tiraria as maquinas dos bares e etc., arrecadaria bilhões de reais em impostos e ainda daria milhares de empregos com carteira assinada, garantindo assim os direitos desses trabalhadores. Não sei se o Ministério da Saúde quer a receita deste imposto, mas tenho a certeza que o Ministério dos Esportes, os asilos, creches etc., gostariam muito de receber uma ajuda desse montante que esta indo parar nas mãos da corrupção. Gostaria muito que a Sr. pense não com a paixão de uma ideologia, mas sim pelo bem de nosso pais, regulamentando os jogos iriam contribuir e muito com a arrecadação de bilhões de reais e milhares de empregos com carteira assinada e de quebra acabaria com a corrupção.

Inacio Cavanã inacio.cavana@hotmail.com

Campinas

*

PASSOU DA HORA

Recebi alta do hospital da Rede Pública onde fora internado para tratamento de um processo infeccioso, portando duas receitas com a orientação de dar continuidade ao tratamento em casa. Como o posto de saúde não tinha o medicamento de uma das receitas, uma pomada de uso tópico, dirigi-me a uma drogaria para efetuar a compra. Quem ler a receita poderá observar que quase nenhuma letra nega que a mesma foi redigida por um médico. O atendente da drogaria foi capaz de ler o meu nome, ler o nome do medicamento e outras informações contidas na receita, mas foi incapaz de aceitar que a data da mesma é 29/ /09/2011 (data original da receita), negou-se a me atender alegando que a data da receita estava vencida: 29/5/2011. Este pequeno incidente vai ser resolvido, claro. Mas, já não está na hora de profissionais de todos os segmentos de mercado e de todos os graus de formação escreverem correta e legivelmente qualquer documento, sejam receitas, sentenças, relatórios, laudos, boletins, etc.? Assim, como não está passando da hora de empresas terem funcionários que entendam que uma receita redigida por um médico onde o "R" parece um "V", o "M" parece "um traço", que um "9" não possa ser parecido com um "5".

Nei Silveira de Almeida neizao1@yahoo.com.br

Belo Horizonte

*

DINHEIRO DO BNDES PARA A VENEZUELA

Eu só queria entender por que o BNDES precisa emprestar para a Venezuela, para que sejam sócios da Refinaria da Petrobrás no "Recife"! Quem tiver uma luz que me ilumine, porque nas condições que Hugo Chávez deixou a Venezuela desde que assumiu, quem pagará a conta seremos nós, para que Chávez (Bolivariano) possa nos ajudar no que mesmo? Com a palavra os donos da PeTrobrás!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

INCOMPETÊNCIA

Já que perguntar não ofende... Por que diabos o nosso BNDES está a financiar estrada para os bolivianos e emprestando para a Venezuela, ser sócia da Refinaria da Petrobrás em Recife? Seriam acordos que fazem parte da herança maldita de Lula pra os brasileiros pagarem? Quem tomará providencias para nos safar dessa perda de dinheiro uma vez que em ambos os casos a situação já mostra incompetência?

Leila E. Leitão

São Paulo

*

AVENTURAS DO TRAPALHÃO

Lulla, ao fazer favores ao cocaleiro Morales com o chapéu alheio (dinheiro do BNDES), acabou detonando agora uma guerra entre os indígenas e o governo desse "chefete de Estado". E o nosso dinheiro, quando retornará? O superdoutor da Silva, na sua incapacidade de sempre, acabou prejudicando os povos de dois países, e ainda recebe títulos de doutor por aí. Eu pergunto, doutor em quê? Só se for em falastrianismo, pregador de mentiras, trapalhadas, malversação de dinheiro público, e outros impublicáveis. Em que parcas mãos fomos cair. E o "cara" ainda quer mandar ainda mais em nossa Pátria, indicando candidatos e correndo o mundo às custas dos que beneficiou. E por aqui os sindicatos estão detonando greves que também só nos prejudicam, como as do Correio, dos Bancários, e por aí vai. Será que ninguém enxerga para poder dar um basta em tudo isso? Valha-nos Deus, que dizem que é brasileiro. Creio que nem Ele aguentou o PT e Lula y sus amiguitos (como Sarney e seu bando).

Carlos E. Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

*

NÃO COLA MAIS

O ex-presidente Lula ao receber o título de doutor honoris causa em Paris, disse que, "não conheço um governo que tenha exercido a democracia como nós exercemos". Não acredito que o ex-metalúrgico tenha problemas de memória! No alto da sua soberba, não lhe interessa lembrar que no início de seu governo tentou expulsar um jornalista americano só porque escreveu que o Lula entre outras coisas gosta muito de uma cachaça... Também pesa nas suas costas de sinais antidemocráticos, a extradição de atletas cubanos que vieram participar do Pan, e sonhavam se libertar de uma déspota como o Fidel. Assim também esteve sempre a vontade ao lado do criminoso, defendendo Kadafi, e outros ditadores. E não pensou duas vezes para, peitar a ONU, e dizer que o Ahmadinejad era seu grande amigo. Da imprensa que o criticava ameaçava com o projeto de controle de conteúdo. Isso sem falar que, não emitiu uma frase sequer em defesa do jornal, O Estado de São Paulo, que fora censurado pela justiça a pedido da família Sarney. Chega de bazófias, Lula! Porque não falou do caos da saúde, da educação e de nossa infraestrutura que não avançou nada em oito anos de seu governo...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

CASO BATTISTI

Vá lá que o governo não queira voltar atrás no caso Battisti ou reconhecer competência à Corte Internacional de Justiça para dizer se o ato do presidente Lula foi ou não legal. Mas nem por isso os vários crimes pelos quais ele foi condenado na Itália devem ficar impunes: "Medida de toda justiça decorrente de ser negada a extradição do nacional é o dever do Estado requerido de julgá-lo. Vige no direito interno brasileiro, por ter sido consagrada pelo art. 1º do D.L. 394, art. 1º, §§ 2º e 3º: "Negada a extradição de brasileiro, este será julgado no País ... Do mesmo modo proceder-se-á quando for o caso, se negada a extradição do estrangeiro" - "Nos casos do parágrafo anterior, serão solicitados ao Governo requerente os elementos de convicção para o processo e julgamento, sendo-lhe depois comunicada a sentença ou resolução definitiva". - Esse texto não foi revogado pelos artigos 84 a 103 sobre extradição de estrangeiro do D.L. 941, de 1969". (Haroldo Valladão, Tratado de Direito Internacional Privado, vol. 3, pág. 256, Livraria Freitas Bastos, 1978). O fundamento da recusa do Presidente Lula de extraditar Battisti foi que se aplicaria ao caso o Art. 3º, alínea "f", do Tratado de Extradição com a Itália, segundo o qual a extradição não será concedida "se a Parte requerida tiver razões ponderáveis para supor que a pessoa reclamada será submetida a atos de perseguição e discriminação por motivos de raça, religião, sexo, nacionalidade, língua, opinião política, condição social ou pessoal; ou que sua situação possa ser agravada por um dos elementos antes mencionados". Como Battisti não corre esse risco se for julgado no Brasil, o que está esperando o Ministério Público para iniciar uma ação penal contra ele?

José Thomaz Nabuco Filho escritorio.adv@nabuco.com.br

Rio de Janeiro

*

PALAVRAS DA PRESIDENTE

Causou-me nojo e perplexidade as palavras da sra "presidente", ao reafirmar que é contra a pirataria no setor de veículos importados, ao defender o "roubo" do aumento do IPI. Esta "sra" não só chamou os veículos importados, como também os senhores empresários importadores, de piratas. Esta "sra" esqueceu que estes piratas pagam impostos, geram empregos e contribuem para o desenvolvimento do nosso país. Realmente não somos um país de quarta categoria, mas pelo andar dos acontecimentos chegaremos logo a um país de décima categoria.

Anastacio Gabriel anastacioangola@terra.com.br

São Paulo

*

MERCADO INTERNO

Estimular o consumo interno é ótimo, desde que a indústria nacional tenha fôlego para sustentá-lo, senão quem saem no lucro são os "piratas" do Mar da China Oriental.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

PERDEMOS O BONDE

Não deixa de ser uma grande ironia. A CCCC (Construções e Comércio Camargo Correa), hoje extinta com esta razão social, já foi a maior Construtora Pesada do Brasil. À época da construção da Barragem "Três Gargantas" (A maior do Mundo), na China, só não concorreu para sua construção, porque a China na última hora resolveu fazer a Obra sozinha. Hoje a CCCC quer voltar a construir no Brasil, mas seu nome agora é "China Communication Construction Company". Perdemos o Bonde. O tempo tudo muda. Acorda, Brasil.

Ulysses Fernandes Nunes Junior twitter: @Ulyssesfn

São Paulo

*

DILMA = ALCKMIN

A presidente Dilma tem apregoado aos quatro cantos que defende a mão de obra de nossos trabalhadores, mas foi ao Equador e disse que autorizaria a importação de bananas pelo Brasil, passando por cima de todas as restrições fitossanitárias existentes. Entretanto, devido à desvalorização do real, talvez isso não ocorra para tranqüilidade de nossos produtores, que não recebem os subsídios que os equatorianos têm. Alckmin foi a Campinas e disse que Viracopos não é importante para São Paulo e que é preciso construir outro dentro da sua Região Metropolitana. Entretanto, desconhece que o clima de Viracopos é considerado um dos melhores do mundo para pousos e decolagens e depois de tal afirmação publica, volta atrás e diz que não foi bem isso que quis dizer. Esses são os políticos que temos de agüentar.

Raul S. Moreira raulmoreira@mpc.com.br

Campinas

*

FIM DE ANO GORDO

As concessões a serem realizadas dos aeroportos de Guarulhos, Viracopos e Brasília foram marcadas com um leilão a ser realizado no dia 22 de dezembro de 2011. Isso quer dizer que muitos dos participantes e envolvidos no "pregão" com certeza terão um Natal e ano-novo excelentes. Recheados e bem gordos.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

ETANOL

Fico pensando como o Brasil pode querer transformar o etanol em commodity internacional se não consegue sequer garantir o abastecimento básico nos postos nacionais, ora é quebra da safra, ora altera o percentual do teor do álcool anidro na gasolina, ora é Cide arrecadatória e agora aumentando a importação de gasolina. Só me pergunto uma coisa no passado o governo Lula não propagou nos quatro cantos do mundo que era "auto-suficiente" em petróleo?

Roberto Saraiva Romera robertosaraivabr@gmail.com

São Bernardo do Campo

*

BOLHA IMOBILIÁRIA

Só podia ser, as empresas do setor imobiliário fabricaram e manipularam a divulgação das informações que sustentaram a bolha. A valorização dos imóveis para venda ou locação é totalmente artificial e fictícia. A liberação de financiamento imobiliário, sem precedentes, contribuiu para a elevação dos preços dos imóveis de maneira descontrolada. A indústria da construção se aproveitou da situação e ainda tenta manter os preços além da normalidade, que em breve se estabilizarão. A bolha imobiliária já murchou, no curto prazo, quem pagou caro vai ficar no prejuízo.

Luiz Dias lfd.silva@uol.com.br

São Paulo

*

DIMINUIU?

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) anunciou que o número de pessoas de baixa renda diminuiu 25% em 9 anos. Resta saber por que o Bolsa-Família não para de crescer. Com a palavra, o Sr. Márcio Pochmann.

Maria Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

*

NOTA FISCAL PAULISTA

Como cidadão me sinto um verdadeiro idiota todas as vezes que passo em um caixa para pagamento e ouvir a famosa frase; quer CPF na nota? Acho um verdadeiro absurdo entendo se a pessoa quer participar da campanha feroz do Governo em arrecadar sempre mais e mais obrigando o povo a ser seu fiscal em troca de um suposto desconto ínfimo e um sorteio com pouquíssima chance, o interesse é dela em fazer o pedido. Sabendo-se também, se tivéssemos um governo serio que devolvesse pelo menos parte da arrecadação em beneficio para a população não haveria a necessidade se fazer esse tipo de campanha. É obrigação de todos os cidadãos exigirem nota fiscal ..para o bem de todos...

Benedito Raimundo Moreira br_moreira@terra.com.br

Guarulhos

*

CRUZ DOS JOVENS

No Estado de 24 de setembro, o jornalista Musa Cavallari escreve sobre a Cruz dos Jovens que começou a peregrinar em diocese da América do Sul a caminho do Rio de Janeiro, sede, em 2013, da Jornada Mundial da Juventude. Que bom! Uma sugestão aos jovens: que a jornada de 2013 inclua no seu temário a justiça social no mundo, a partir da Doutrina Social da Igreja. Poderão também se concentrar em como contribuir para ajudar a Igreja a superar as "sombras" que empalidecem sua ação pastoral na América Latina (Documento de Aparecida, 100). Também os jovens precisam "avançar para águas mais profundas". Devem e podem ajudar na solução dos grandes problemas do homem no mundo de hoje. Nesta linha de ação, e sempre inspirados no Evangelho, estarão participando, indiretamente, na política econômica, da urgente necessidade de superação da impatriota ortodoxia do Consenso de Washington. Torcemos para que isso aconteça.

Francisco de Oliveira Régis eugenia@uol.com.br

São Paulo

*

A DIGNIFICAÇÃO DO MÚSICO INSTRUMENTAL

Indignação, forte e triste indignação, é o sentimento que continuo tendo com relação ao total descaso com a "obra" do importante e virtuoso instrumentista da gaita, nosso querido Edu da Gaita (Eduardo Nadruz). Edu da gaita, grande virtuoso, para os eruditos era considerado um popular atrevido e para os populares apenas um grande e importante músico. A excelente e oportuna matéria de Perfil Instrumental, sábado 24/9, D4 C2+música retrata,com dignidade e objetividade, a triste realidade da obra deste importante e querido gênio da musica instrumental mundial. Precisamos lutar, mais e mais, para que esta triste realidade não venha aumentar e , desta forma, prejudicar gerações e a nossa importante cultura. Parabéns, novamente, ao Estadão e conte com meu apoio na luta contra a inócua, absurda e irresponsável censura. Liberdade pra a obra do genial Edu da Gaita.

Vilmar de Souza Torres vilmar.torres@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

DANIEL DANTAS

A carta intitulada Luz na Justiça, publicada em 30/9 no Fórum dos Leitores do Estadao.com, assinada por Anderson Aparecido, cita Daniel Dantas. Por isso, é preciso esclarecer que: 1) A operação Satiagraha foi uma fraude armada para atender a interesses privados e políticos. O objetivo era prender, mesmo após as investigações policiais constatarem a inexistência de crime por parte do Opportunity, o que está comprovado em documentos. Quanto aos interesses que levaram à execução da operação fraudada, as investigações - que estão em andamento - devem apontá-los. 2) Parecer do Ministério Público Federal, no julgamento do Superior Tribunal de Justiça (STJ), recomendou a nulidade da operação e da ação penal em razão de suas ilegalidades. 3) Em junho de 2011, o STJ acatou o parecer do Ministério Público Federal. 4) O delegado Protógenes Queiroz, que comandava a operação, foi condenado por fraude processual. O Ministério Público Federal entendeu também que ele deve responder pelos crimes de prevaricação e corrupção passiva. Vai ser julgado pelo Supremo Tribunal Federal (em função de ter foro privilegiado já que foi eleito deputado na esteira dos votos do palhaço Tiririca).

Elisabel Benozatti, assessoria de comunicação do Opportunity ebenozatti@opportunity.com.br

São Paulo

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.