Fórum dos Leitores

IMPOSTOS

O Estado de S.Paulo

08 Outubro 2011 | 03h06

Concorrência desleal

Certeiro o editorial A indústria nacional não suporta a carga tributária (5/10, B2) ao abordar um enorme prejuízo para o setor: a concorrência desleal dos produtos importados. Pesquisa recente do Sindicato da Micro e Pequena Indústria (Simpi) com 400 empresas mostrou que 53% das micro e pequenas indústrias paulistas demitiram ou deixaram de contratar nos últimos 12 meses por causa da competição dos importados. O que é atraente e imbatível em termos de preço no exterior não raro esconde salários mensais de US$ 30 (algo em torno de R$ 50), péssimas condições, agressões ao meio ambiente, trabalho infantil e escravo, entre outras irregularidades. Gerar emprego e estimular o mercado interno são vocações das micro e pequenas empresas, que já demonstraram ser um eficiente escudo anticrise. Resta olhar com mais atenção para elas, que são essenciais para o desenvolvimento do País, e dar-lhes igualdade de condições competitivas.

JOSEPH COURI, presidente do Simpi

presidencia@simpi.org.br

São Paulo

*

Carga pesada

O aumento da carga tributária de 33,14% para 33,56% do PIB significa mais R$ 4,2 bilhões na arrecadação. Somado o aumento do IOF pelo fim da CPMF, já temos a verba para a saúde sem criar nenhum imposto novo. Que tal?

GUSTAVO GUIMARÃES DA VEIGA

gjgveiga@hotmail.com

São Paulo

*

Dinheiro para a saúde

Se o governo não sabe onde obter recursos, nós sabemos: 40% da corrupção, 20% dos repasses indevidos, 15% dos desvios de verba, 9% do superfaturamento, 7% da roubalheira, 5% da algazarra política, 3% das mordomias da corte e 1% do desperdício. A conta está feita. Agora é só livrar o lombo do contribuinte, cansado de pagar tanto imposto sem retorno.

JOSÉ PEDRO ZANETTI

zanettao@yahoo.com.br

Rio Claro

*

REFORMAS

Expectativas

O Brasil precisa realizar urgentemente reformas para atender às expectativas mais básicas da população. Reforma política, para acabar com a corrupção e valorizar os bons políticos. Reforma tributária para reduzir impostos, que tanto sacrificam a população e afetam diretamente os mais necessitados. Reforma judiciária, para atender aos desejos populares de segurança e justiça rápida e eficiente. Reforma da Previdência, para acabar com privilégios e eliminar o enorme e permanente déficit previdenciário, pago pela sociedade por meio de uma carga tributária exagerada.

CLAUDIO FROES PEÑA

cpena@plugin.com.br

Porto Alegre

*

Pelo voto distrital

Será que a reforma política pretendida pelo PT subiu no telhado? A proposta que defende o financiamento público de campanhas e o nefasto voto proporcional misto - uma indecência que pioraria ainda mais o modelo de representação em vigor, ao deixar nas mãos dos partidos a responsabilidade pela nomeação de metade dos membros da Câmara dos Deputados - não foi apreciada pela Comissão de Constituição e Justiça na quarta-feira, como estava previsto, por falta de quórum e de consenso sobre o assunto entre aliados do governo. Um bom sinal, visto que tais modificações nas normas eleitorais têm como objetivo o fortalecimento unilateral dos partidos detentores das maiores bancadas congressuais, PT à frente. É chegada a hora de a sociedade civil buscar informações e vislumbrar a possibilidade de apoio à implantação do voto distrital, um dos únicos caminhos possíveis para aperfeiçoar o sistema democrático-representativo, aproximando eleitores de eleitos e contribuindo para reduzir significativamente os custos das campanhas eleitorais País afora.

HENRIQUE BRIGATTE

hbrigatte@yahoo.com.br

Pindamonhangaba

 

*

Pragas brasileiras

O Brasil está infestado por três pragas que impedem um crescimento sólido: burrocracia, corporativismo e impunidade. Os três Poderes da República, Judiciário, Legislativo e Executivo, criaram um corporativismo nefasto com benesses para seus pares, em que tudo é possível e que conta com a marca da impunidade para atos criminosos (em vez de "malfeitos"). Transformaram o Brasil num feudo burocrático para poderem extorquir os empresários. Os três Poderes estão podres e precisam se modernizar para que possamos ter um futuro digno, com ética e moral. Chega de regalias dignas de um reino, de um Judiciário que não julga nem o mensalão, nem a censura ao Estadão, nem essa farra generalizada com dinheiro público. O futuro está batendo à porta do País, mas nossos três Poderes impedem que esse sonho se torne realidade.

LUIZ HENRIQUE CHAVES DAVILA

luiz_davila@terra.com.br

São Paulo

 

*

ESTRELA DO MENSALÃO

Faz sentido

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) homenageia Delúbio Soares, tratando-o como ídolo, um popstar. Pensando bem, faz sentido...

M. CRISTINA ROCHA AZEVEDO

crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

 

*

Desagravo e censura

Não faltaram sorrisos, abraços, filas para autógrafo e pedidos de fotos no lançamento do CD de Delúbio Soares, com artigos, notícias, fotografias e outros itens de seu site na internet, na 13.ª Plenária da CUT, que começou na terça-feira, em Guarulhos. Mas a CUT barrou a entrada de jornalistas nesse ato de desagravo a Delúbio. Ex-tesoureiro do PT, ele é apontado pelo Ministério Público como o operador do esquema do mensalão e, se for condenado pelo STF, pode pegar até 111 anos de prisão pelos supostos crimes de formação de quadrilha, corrupção ativa e lavagem de dinheiro.

IRACEMA PALOMBELLO

cepalombello@yahoo.com.br

Bragança Paulista

 

*

Segredos...

Então, os jornalistas foram proibidos de ir a lançamento do CD de Delúbio Soares, quando este fez campanha para tentar mobilizar sindicalistas e militantes em sua defesa no processo do mensalão?! O que será de tão oculto que foi tratado nesse "evento", além do conteúdo do tal CD? Eis aí a CUT interferindo na liberdade de imprensa, pois até os jornalistas convidados foram postos para fora do recinto. Aí tem!

LEILA E. LEITÃO

São Paulo

 

*

 

HIPÓCRITA É POUCO

Segundo o Financial Times, os conselhos de Dilma, uma mera repetição das ideias de Guido Mantega na reunião do G-20, são "conselhos malucos", além de hipócritas. O problema não foi Dilma ter tentado ensinar os europeus a cuidar se sua economia, estando ela em visita presidencial. A questão principal é que Dilma sonegou metade da receita: carga tributária de 34%, os maiores juros do planeta e nenhum retorno ao contribuinte do dinheiro que ele paga. Faltou explicar que taxar em módicos 30% os automóveis produzidos em outros países, é uma medida não protecionista, aos olhos do governo brasileiro. Finalmente, faltou ensinar a interferir na política dos bancos centrais, de acordo com a conveniência política do momento. Hipócrita é pouco!

 

Maria Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

 

*

GAROTA PROPAGANDA

O jornal Financial Times considera hipocrisia os conselhos de Dilma para o combate à crise mundial. O que eles não sabem é que ela é a garota propaganda do Lula, que depois será convidado a dar palestras cobrando duzentos mil reais para explicar...

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

 

*

CONSELHOS

A nossa presidente Dilma Rousseff anda pela Europa dando conselhos sobre economia como se fossem receitas de bolo dos programas da Ana Maria Braga, porém, carregando no fermento. A Ciência Econômica não é exata e depende de muitas ações até que se acerte a mão, assim, é necessário avaliar bem os problemas para depois tomar as medidas cabíveis. Algumas frases sobre conselhos podem ilustrar o fato: "Nunca dê conselhos. Os ignorantes não darão atenção a eles e os sábios não necessitam deles" (autor desconhecido). "Nada é mais perigoso que um bom conselho acompanhado de um mau exemplo" (Madame de Sable).

"Às vezes, quase sempre na hora errada, alguém dá um conselho não solicitado. Se valesse algo, não o despejaria fora com tanta facilidade" (Roque Aloisio Weschenfelder).

Alberto Bastos Cardoso de Carvalho albcc@ig.com.br

São Paulo

 

*

CONTEM COM ELA

Dilma, de maneira demagógica, disse que os países europeus podem contar com seu governo nesta crise mundial. E por que o brasileiro pobre e de classe média não pode contar com ela, se os europeus podem? Afinal, no Brasil, a educação pública é péssima,

a saúde pública é uma calamidade, a impunidade de políticos corruptos impera, a justiça é lenta e injusta, etc... A dona Dilma foi eleita pra ajudar o brasileiro, não para fazer demagogia e ir passear na terra do seu pai com o dinheiro dos nossos suados impostos.

Eliana Oda linaoda@bol.com.br

São Paulo

 

*

NOSSAS RESERVAS

A presidente Dilma põe o Brasil à disposição da Comunidade Europeia, "podem contar com o Brasil". Será que as nossas reservas serão à disposição?

 

Alberto Nunes albertonunes77@hotmail.com

Itapevi

 

*

ADVERTÊNCIA

A presidenta Dilma, se não tomar cuidado com seus conselhos à Unidade Europeia, pode virar motivo de chacota internacional, como foi o caso do seu antecessor, que quis resolver problemas seculares entre judeus e palestinos, com a sua grande experiência de sindicalista. 

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

 

*

AJUSTE FISCAL

A presidente "ensina" a Europa a lidar com a crise: nada de ajuste fiscal. E usa como exemplo o Brasil das décadas de 80 e 90, dizendo que o arrocho fiscal levou à estagnação econômica. Só pode ser piada! Sabemos muito bem que a hiperinflação foi fruto de uma farra fiscal que começou com a construção de Brasília e só foi terminar no 2º mandato de FHC. A inflação, essa sim foi a responsável pela estagnação. Estude um pouco mais, presidente Dilma!

Marcelo Guterman margutbr@gmail.com

São Paulo

 

*

RESPINGOS

Os conselhos da presidente Dilma, dirigidos aos líderes europeus sobre a crise econômica daquele continente, soam pretensiosos e simplistas. Não existe receita econômica única de sucesso, pois se existisse, já teria sido descoberta há tempo e o planeta seria mais feliz. A presidente e o ministro Mantega estão, sim, preocupados com o que pode respingar da crise no nosso meio.

 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

 

*

BOM-SENSO

Presidente Dilma: expressar-se é dom divino, saber calar é inteligente e diplomático, principalmente em casa alheia. Ainda mais quando não se tem conhecimento da matéria.

 

Iracema M. Oliveira mandarino-oliveira@uol.com.br

Praia Grande

 

*

INJEÇÃO DE € 200 BILHÕES

Essa injeção de capital de € 200 bilhões que o Fundo Monetário Internacional (FMI) pretende aplicar em bancos europeus tem de ser endovenosa. Se der a grana nas mãos dos banqueiros, ela some em dois tempos. 

 

Sergio S. de Oliveira marisanatali@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

 

*

GRÉCIA SOCIALISTA

A Grécia está comprovando que governo socialista só existe enquanto houver dinheiro dos outros para gastar. Não é posta em primeiro plano a execução de uma administração pública séria e responsável, dirigida aos interesses econômicos do Estado, menos despesas com empreguismo e tantos benefícios injustificáveis. É por isso que a Grécia está economicamente arrasada... Vejamos alguns itens incríveis: em 1930, um lago na Grécia secou, mas o Estado socialista grego mantém o Instituto para Proteção do Lago Kopais, que, desde aquela época, até hoje mantém dezenas de funcionários para a manutenção da sua conservação. Num hospital público existe um jardim com quatro árvores, e para cuidar delas, foram contratados 45 funcionários. A Grécia é o país da Comunidade Europeia que mais gasta em relação ao PIB, o triplo de Portugal. Há viaturas oficiais da administração do Estado com até 50 motoristas contratados. Assim quer dizer, os milhões da Unidade Europeia é que serviram, durante todos estes anos, para manter o nível de vida atingido pelos gregos. Por isso já estouraram 115 bilhões de euros e ainda querem mais 108 bilhões! Como pagar a conta sem uma fonte de produção equivalente?

 

Benone Augusto de Paiva benonepaiva@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

CORRUPÇÃO NA BULGÁRIA

Com a experiência em faxina adquirida no exercício de presidenta, Dona Dilma deveria é dar uns conselhos ao governo Búlgaro para combater a corrupção naquele país, que é o mais pobre e corrupto da União Europeia, dominado por máfias. Nisso somos muy parecidos.

 

Airton Moreira Sanches moreira.sanches@uol.com.br

São Paulo

 

*

PERFEITA PIADA

Essa história de que membros do alto escalão do governo da Bulgária são corruptos, e o governo brasileiro por esta razão vê um entrave para realizar parcerias com este País, só pode ser um delírio dos petistas. E que ainda ficaram bem desapontados os alojados no Planalto, por constatarem que o principal partido o PSB búlgaro, desviou recursos da União Europeia, para campanhas eleitorais! Oras, com que "caixa dois" o Lula se elegeu por duas vezes?! O que é o mensalão, os sanguessugas, superfaturamentos em quase todas as obras públicas, (o TCU, que o diga) entre outras ações vis que nos vem indignando há mais de oito anos de gestão petista?! Por que estes malfeitores querem esconder que ajudam o Brasil ser um dos países mais corruptos do mundo! E ainda devemos lembrar que o tamanho do rombo que é desviado do erário (US$ 60 bilhões) nesta terra tupiniquim anualmente é maior que o PIB, da Bulgária (US$ 48 bilhões)! O PT deve estar achando que por aqui só tem brasileiro mal informado e otário...  Vão plantar batata, diria meu falecido avô!

 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

 

*

O DEMÔNIO RETORNA DAS TREVAS

O assessor de profundas convicções stalinistas da presidente Dilma Rousseff, fã incondicional, ainda que dissimulado, das ditaduras mais torpes e de seus promotores sanguinários e repulsivos, Marco Aurélio Garcia demonstra, por suas declarações, que foi o responsável pela guinada do governo em subscrever a nota de condenação da ONU ao regime de Damasco, surpreendendo até mesmo os membros do Itamaraty. Para o assessor que permaneceu junto à Presidência por solerte imposição de Lula, Chaves, Fidel, Ahmadinejad et caterva, os opositores de Kadafi também não foram bonzinhos; isto é, numa guerra, o Ocidente e a ONU só podem apoiar grupos de serem angelicais contra os demônios armados de tanques que disparam contra populações pacíficas e passivas ante as agressões de brutamontes admirados por esse agente de autoritarismos que se declaram de esquerda. E, como não poderia deixar de ser, aplaudiu com entusiasmo o veto de seus camaradas de Pequim

.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

 

*

SÓ ELE

Pois é, se Marco Aurelio Garcia tivesse nascido uns 30 anos antes, sem dúvida teria apoiado Hitler na 2ª Guerra Mundial. Depois da guerra, teria protestado contra as execuções do Tribunal de Nuremberg.

 

Ulysses Fernandes Nunes Junior twitter: @Ulyssesfn São Paulo

 

*

GREVES

Fácil de fazê-las, difícil de resolvê-las... Correios, empresa estatal há 25 dias em greve e o PT no (des)governo. O povo que se lixe, enquanto permanecer o monopólio, que tal privatizar? Não tem solução?  

 

Luiz Dias lfd.silva@uol.com.br

São Paulo

 

*

CORREIOS

O governo está extremamente omisso e irresponsável nesta greve dos Correios, que já dura semanas. Se não pode dar conta do serviço, ou administrar seus problemas, como questão grevista, que privatize o setor. O que não pode é a população, para variar, ser o maior prejudicado nessas negligências federais. Os bancos estão aí mesmo com seu apetite voraz não querendo saber de nada. Ou procure a Internet atrás de seus boletos ou pague as multas pela falta de recebimento das contas a pagar.

 

Habib Saguiah Neto saguiah@mtznet.com.br

Marataízes (ES)

 

*

NADA DE CAIXINHA

O mal que a greve dos funcionários dos Correios está causando a toda a sociedade é inadmissível. Trata-se de atividade impossível de ser interrompida. Além da urgência da privatização da empresa, o governo há que ser duro com esse movimento. E todos os que pagam pelos serviços postais, que não são tão baratos assim, não podem esquecer de "esquecer" a "caixinha" neste final de ano, que já se faz bem próximo.

 

José Piacsek Neto bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

 

*

GREVE DOS BANCÁRIOS

É incrível como a lei de proteção ao menor só funciona para proteger menores infratores, quando se fala dos benefícios de menores que perderam seus pais por causa da profissão como policiais civis e militares, essa lei não funciona muito bem. Se o pai morre fora de serviço, não tem direito a seguro, um inventário demora tanto que perde-se a metade dos valores em bens e, quando o banco entra em greve, não recebe porque não tem direito a um cartão para atendimento no caixa eletrônico. Gostaria de ser ouvida por alguém, não é possível que neste país só quem anda fora do sistema consiga algo.

 

Grasiele Bruch gra_bruch@hotmail.com

São Paulo

 

*

TIRO NO PÉ 2

Caro Laert (Tiro no pé, 7/10), isso também se aplica à absurda aventura dos grevistas dos Correios - em greve há mais de 20 dias e sobrevivemos bem! É de esperar greves futuras contra a atuação dos motoboys, da internet e outros canais alternativos.

Hideo Masumoto hideomasumoto@terra.com.br

São Paulo

 

*

BOLSA PESCA, O BENEFÍCIO QUE GERA VOTOS

 O chamado seguro- defeso (bolsa pesca) é um benefício no valor de um salário mínimo, pago aos pescadores na época da reprodução de peixes e outras espécies quando a pesca é proibida. Ocorre que há denúncias de vários tipos e fraudes, porque o beneficio virou moeda de barganha para compra de votos em eleições. Até aí não é novidade para ninguém que toda espécie de benefícios faz parte da multiplicação de bolsas. Só para comparar, em 2003 eram 114 mil os favorecidos, em 2011 o número de favorecidos chegou a quase 554 mil. O aumento de favorecidos provocou um rombo nos gastos do governo de R$81 milhões para R$ 1,3 bilhão. O mais curioso o bolsa pesca é pago pelo ministério do Trabalho, já que o orçamento do ministério da Pesca é de R$553 milhões. Esses dados revelam o descaso do governo no trato com o dinheiro público, pois segundo Abraão Lincoln Ferreira da Cruz, presidente da Confederação Nacional dos Pescadores e Aquicultores,  hoje o governo nem sabe quantos pescadores artesanais existem no país. Agora se sabe por que nunca sobra dinheiro para os aposentados, não há controle das bolsas, visto que elas alimentam o processo eleitoral. E assim vai ficando claro que, aos poucos, todo cidadão  que se aposentar receberá  apenas um salário mínimo. Esse o jeito petista de governar. 

 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

 

*

CORRUPÇÃO EM SÃO PAULO

Pois é, temos um mensalão paulista e ninguém fala nada, como se estivesse ocorrendo na Conchichina. Estranho, não é? Para falarmos mal do governo federal, o macro espaço, não poderíamos ter sujeiras e corrupção no micro espaço, como ocorre em São Paulo. E ninguém investiga nada. Do Carandiru à Cracolância, da Assembleia Legislativa ao Palácio dos Bandeirantes. E antes o atual governo já tinha abortado 69 CPIs. E ninguém mandou carta pra jornal criticando. Depois, corrupção no Denarc, Deic, Detran, Aslom, Daslu, Metro, CDHU e, pior, muito pior, apesar da propaganda enganosa do governo do PSDB em SP, professor aqui ganha trinta por cento a menos do que professor do Piauí. E o nosso Ministério Público (MP) parece que é chapa branca. Enquanto a Dilma dá um show no exterior, pelo handicap, e você esperava leitores preocupados com uma transparência por atacado e fim da impunidade generalizada em Sampa, ou Samparaguai, como diria o poeta Silas Correa Leite, o que você vê é alguns leitores suspeitos (coniventes?) tapando o sol da paulistada com peneira, para esconder os escombros do estado mais corrupto do Brasil. Lamentável.

 

Delmiro T. Latz delmirot@bol.com.br

São Paulo

 

*

VENDA DE EMENDAS

Fala a verdade: algum deputado estadual está preocupado com essa denúncia do Roque Barbieri de que existe esquema de corrupção na Assembleia de São Paulo? Garanto que nenhum deles perdeu uma noite de sono sequer... pois existem tantos mecanismos para livrar a cara de todo mundo , do corrupto ao corruptor , que denúncia hoje em dia não causa nem frisson. Ainda mais que já se passaram vários dias desde que os jornais deram destaque a uma entrevista de Barbieri... e de lá para cá, eu imagino que um esquema de blindagem já foi armado para proteger a maioria, e para que tal se dê, também  já devem ter escalado alguns "bois de piranha" , aqueles que  por algum preço ou troca de favores, se deixarão devorar para que a boiada atravesse tranquila e sem maiores percalços esta enxurrada de corrupção. Só quero lembrar que este esquema deve ser peixe pequeno diante do que acontece no Brasil neste ambiente de pré Copa e Olimpíada... o mar está mais para tubarões!

 

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

 

*

OPORTUNIDADE

Vende-se emenda 0Km, modelo 2011, excelente para uso no Interior. Negócio rápido e concreto, com muito concreto, dependendo do valor da comissão. São sete anos de tradição no ramo, no mínimo. Garantia de total indiscrição, pagamento em espécie, sem recibo. Tratar no camelódromo da Av. Pedro A. Cabral (SP).

 

Flavio Marcus Juliano opegapulhas@terra.com.br

São Paulo

 

*

APURAÇÃO

Neste país, onde os políticos têm um comportamento nada sério, para não dizer outra coisa, é melhor uma denúncia sem apontar nomes, do que nenhuma denúncia. Não se aceita esta situação, mas é perfeitamente inteligível. Que dá para tentar apurar, dá.

 

Ulysses Fernandes Nunes Junior twitter: @Ulyssesfn

São Paulo

 

*

STEVE JOBS

Steve Jobs foi uma pessoa fora de sua época, ele entrou para a história da humanidade, como realizador de sonhos. Quem poderia imaginar que um dia existiria um equipamento como o computador Macintosh. Outrora a gente via cada computador gigantesco, hoje se constata que os tempos mudaram mesmo, agora eles ficaram tão pequenos que chegam a caber na palma da mão, graças a um sonhador como Jobs que conseguiu transformar estes sonhos em realidade. Fiquei a pensar naqueles sonhadores que existem dentro das universidades, que não conseguem realizar seus ideais por não fazerem parte de partidos políticos, nem terem amigos influentes. Ainda bem que Jobs, lutou muito, pagou seu preço pela genialidade conseguiu escapar das mãos dos medíocres, incapazes, desonrados e antiéticos etc..

 

Reginaldo de Paula reg.paula@hotmail.com

Campinas

*

FILHO PRÓDIGO

Steve Jobs não morreu. Só voltou prá casa do Pai.

 

A. Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

 

*

TRIBUTO AO GRANDE STEVE JOBS

Adaptamos o texto de autoria do Pe. Orlando Gambi, Oração e Disposição por tudo que você nos deixou. Steve nos deixa um legado de que pela, Ousadia, Inovação, Humildade, Simplicidade, Coragem  e Determinação é que poderemos vencer os grandes desafios que a vida nos coloca enquanto aqui estivermos. Nas frases seguintes, tem a nossa homenagem ao Grande Homem que de maneira simples, humilde, nos grandes lançamentos da Apple, ele aparecia com 1 par de tênis, uma calça jeans e uma camisa preta, porém sua inteligência revestida de uma enorme criatividade e determinação de que suas invenções beneficiaram milhões de pessoas, e com a comunicação ele chegou aos bilhões de mentes e corações. Steve receba nossa homenagem por tudo que você fez em vida, e que seu Espírito já descansa em Paz na companhia do Criador. Seu legado será para sempre a esta e as gerações futuras. Steve, se você não foi a árvore que dá frutos, você foi o arbusto que deu sombra.  Steve, se você não pode ser o rio que inunda a terra, você foi a fonte que deu de beber. Steve, se você não foi uma estrela no céu, você foi uma luz que animou as esperanças. Steve se você não foi. o teto que abriga a todos,  você foi a porta que se abre a quem bate. Steve, se você não foi o mar que liga os continentes, você foi o porto que recebe a embarcação.

Steve, se você não pode ser o bosque que floresce, você foi  o pássaro que nele canta. Steve, se você não pode ser a roseira carregada, você foi o perfume de uma flor. Steve, se você não pode ser a melodia que enleva, você foi a inspiração de cada verso. Steve, se você não pode ser o vento que arrebata, você foi a brisa que acaricia. Steve, se você não pode ser  o livro que ensina, você foi  o criador do  iPad, iPhone. Steve, se não pode ser  o fogo que incendeia, você foi o óleo que mantém a chama. Steve, se não pode ser  a estrada que conduz,  você foi  o sinal que marca a direção. Steve, se não pode ser  a chuva que irriga o solo, você foi o orvalho que umedece a flor. Steve, se não pode ser  o amor que tudo começa, você foi o amor que fez chegar ao fim! Com carinho e gratidão.

 

Jose Pedro Naisser jpnaisser@hotmail.com

Curitiba

*

DOUTOR JOBS

Steve Jobs se foi, modestamente e em silêncio. Não me consta ele ter recebido um título de doutor honoris causa, apesar de sua enorme contribuição para o mundo. Já outros, que constante e escancaradamente exaltaram suas próprias qualidades como "nunca antes visto neste País", sem ter realizado proezas como o Jobs, já foram premiados com sete títulos honoris "causas" (sic). O tempora, o mores.

 

Geert J. Prange prange@sul.com.br

Paranaguá (PR)

 

*

JOBS BRASILEIRO

Se Steve Jobs tivesse nascido no Brasil, teria sido o que foi? Pense nisso.

Ricardo Guerrini ricguerrini@hotmail.com

São Paulo

 

*

STEVE JOBS - ROQUE BARBIERI E A URGÊNCIA

Quero avisar, desde logo, que não pretendo, nem poderia pretender, desmerecer os grandes avanços permitidos pelas invenções de Steve Jobs, até porque vivo ou sobrevivo às custas do uso das suas invenções mais remotas (não conheço e não me considero apto a conhecer nenhum dos iP's, tablets, etc.). E não pretendo, nem precisaria pretender, achincalhar o prestígio dos nossos funcionários públicos - eles mesmos já cuidam disso, magistralmente. Mas sempre que uso um dos produtos (ou deveria dizer: programas?) ligados à informática e, especialmente, à Internet, ao mesmo tempo em que leio aquelas letrinhas e pontinhos animados, dizendo: "conectando ..."; "processando ... "; "carregando perfil ..."; "carregando suplementos ..."; etc., etc., etc., ouço, vindo lá da caixa de som onde estão guardadas as memórias mais desagradáveis, aquela vozinha muito "simpática" da funcionária atrás do balcão dizendo: "Está em processamento, doutor, é preciso esperar!" Nunca tive o prazer ou o desprazer de lidar com instituições públicas de outro país, mas tenho certeza de que a maioria dos leitores com mais de 35 anos há de lembrar de uma das aventuras do Asterix, o herói gaulês criado pelos quadrinistas franceses Albert Uderzo e René Goscinny, sempre às voltas com suas brigas contra os romanos, em que se fez uma paródia com os "Doze Trabalhos de Hércules". Nessa obra, um dos trabalhos de Asterix era o de conseguir, na Prefeitura de Paris (sob a ocupação romana), um determinado documento; só com muitos romanos e funcionários literalmente massacrados (sempre com a ajuda da poção mágica), é que o documento foi obtido. Também tenho certeza de que Uderzo e/ou Goscinny não vieram fazer turnée nas repartições brasileiras para descobrir o funcionamento dos serviços públicos; acredito, mais, que, em Paris, na França e/ou em qualquer parte do mundo, a coisa seja senão idêntica, sempre movida por interesses - quase sempre inconfessáveis! Voltando aos inventos de Steve Jobs, costumo dizer, fazendo aquela piadinha especialmente criada para poder desabafar, que todo endereço de qualquer site começa com os famosos www, que querem dizer: "wait... wait... wait...". Porém, inobstante não se possa evitar a conclusão de que os inventos de Steve Jobs, efetivamente, revolucionaram o mundo em que vivemos, também não posso evitar o pensamento de que a sua utilização, por outro lado, parece uma ode ao sistema de trabalho de qualquer repartição pública: tudo vem ao seu tempo, desde que você tenha paciência (ou vá tomar um cafezinho) enquanto, na tela, vão se animando as palavrinhas: "...processando, ...carregando..." e tantas outras do mesmo naipe. Isso porque, também não posso deixar de ouvir, vindo da mesma caixa de som a que acima me referi, instalada na memória, tanto antiga quanto recente, a voz autoritária, apressada, cheia de urgência e de razão, do cliente (ou chefe) afirmando categòricamente: "Bota uma grana na mão 'desses caras' que o documento sai num instante!". Por favor, não pensem que se está falando de algum cliente ou chefe mafioso; Não! Esse cliente, esse chefe e/ou esse patrão, assim como eu  e tantos outros que são obrigados a frequentar balcões de repartições públicas, primeiro não têm a poção mágica dos druídas gauleses; segundo não pretendem (ou temem) sair por aí arrebentando balcões ou soldados romanos; apenas foram criados, instruídos, dessa maneira, sob a principal lição magistral dada aos contribuintes: o serviço público é só mantido com o dinheiro dos impostos - a sua eficiência; a sua produtividade; o seu bom resultado; são "comprados" mediante pagamento à vista! Daí, vendo, na mesma página, notícias sobre Steve Jobs e seus produtos e sobre as denúncias do deputado Roque Barbieri, tornou-se mais impossível acreditar que qualquer um dos políticos deste mundo em que vivemos tenha qualquer interesse na elucidação do caso!; a partir, evidentemente, dele mesmo, Roque Barbieri, que, nestas alturas, já deve ter percebido que aquilo que colocou diante do ventilador vai sujá-lo tanto ou mais do que aqueles a quem ele pretendia atingir!

 

Carlos Olail de Carvalho olail@terra.com.br

São Paulo

 

*

YOM KIPPUR

Yom Kipur, a data mais sagrada do calendário judaico. O dia da expiação, da purificação, em que o judeu reflete, repensa seus atos e principalmente se arrepende dos erros e pede perdão da forma mais sincera possível. Que o ano de 5772 (2011) possa ser o ano em que cada ser humano, independente da religião ou religiosidade, se reconcilie consigo e com o próximo, se harmonize com a natureza e pense exclusivamente na paz e no progresso da humanidade, visando sempre o bem estar. Que cada um de nós tenha a nobreza de reconhecer nossos erros e que tenhamos a humildade suficiente para pedir desculpas e perdão. "L 'shana Tova - Ketivá ve-chatimá Tová": "Feliz Ano Novo, que você seja inscrito e carimbado no Livro da Vida".

 

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

 

*

MICHEL SCHLESINGER

O artigo do rabino Michel Schlesinger no Estado de 5/10 (Yom Kippur e os fanatismos religiosos) é muito oportuno, principalmente para a Igreja Católica, onde temos de conviver e rezar no templo junto de canalhas que, quando descem as escadarias, praticam as maiores atrocidades, e, no domingo, voltam à missa, bajulam o padre e se consideram perdoados. A melhor alternativa é rezar em casa ou passar uma procuração para alguém rezar por você na missa.

 

José Francisco Peres França josefranciscof@uol.com.br

Espírito Santo do Pinhal

 

*

EQUILÍBRIO

Cumprimentos ao Sr. Carlos C. Adumrad, por sua manifestação neste Fórum (7/10/2011) sob o título Oriente Médio - Com muita paz, ponderado e equilibrado, contrastando com outras pessoas que se pronunciam sob influencia emocional e/ou parcial.

 

Adib Hanna adib.hanna@bol.com.br

São Paulo

 

*

HUMANIDADES

Há um equívoco generalizado de conceitos, tanto na religião, como na ciência e nas artes, e o rabino advogado comete o mesmo equívoco. Igreja não é religião, como empresa ou instituição não é ciência, como artista não é arte. Artes, religião e ciência são acervos de conhecimentos acumulados da sociedade humana. Instituições, qualquer que seja, são organizações humanas que se propõem aplicar religião, ciência ou arte, através dos próprios homens. Instituições demandam regras, leis, rituais, etc., que são de fato dogmas de fé, exatamente como o operário tem que bater cartão de ponto por regra. Assim também há "cânones ou costumes" que se transformam em regras canônicas nas igrejas. Quem for da igreja, obedece sem discutir, ou deixa a igreja. Nas empresas é o mesmo. Apenas nas artes a coisa é um pouco diferente, porque as artes são apenas a ética da procura do melhor, da excelência, etc. Por isso Deus é de fato o rumo da arte, a excelência ao infinito. Sem a arte, a religião e a ciência são estáticas, áridas, etc., a arte dá o movimento da evolução. O paradigma de todas as religiões é claro e simples: se cada indivíduo na condição de sua razão for melhor, a sociedade humana também será melhor como consequência, é o paradigma da moral rumo à justiça. As igrejas procuram colocar isso em prática, como as empresas procuram também fazer com a ciência, e o artista, com as artes. A bem da verdade, qualquer igreja funciona como qualquer empresa, sem dinheiro todas fecham, então, não se deve confundir fatos com doutrinas ou teorias. Doutrinas e teorias são paradigmas da religião e ciência respectivamente.

 

Ariovaldo Batista ariioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

 

*

ISRAEL E OS PALESTINOS

Li com toda a atenção a verdadeira homilia que é o artigo do rabino Michel Schlesinger publicado no Estadão desta semana, centrado todo ele na exigência absoluta, de acordo com a religião judaica, de que haja coerência entre "a [nossa] atitude ritual e o nosso comportamento social", vale dizer, é falsa e hipócrita a religião de quem só a exterioriza em atos de cumprimento da ritualística religiosa e não a faz acompanhar de atos de piedade interior, de amor ao próximo e de solidariedade social. Quero louvar aqui a sua coragem e descortino de mencionar o pleito palestino de reconhecimento como Estado-membro da ONU no contexto do artigo. Ele não é explícito a respeito, mas apenas o fato de citar a questão israelense-palestina no fim da sua prédica, depois de repetidamente ao longo dela insistir no verdadeiro imperativo categórico que é o reclamo da coerência acima referida e dirigir críticas aos fanatismos (termo este, aliás, que está no título), me leva a concluir ser ele favorável ao pleito da Autoridade Palestina formulado à ONU. Se assim é, quero deixar registrado aqui meu elogio à posição corajosa e desassombrada do rabino Michel Schlesinger, que desta forma demonstra alinhar-se aos espíritos judaicos mais lúcidos que lutam por um acordo de paz entre judeus e palestinos à base de concessões recíprocas, sem extremismos.

 

Paulo Afonso de Sampaio Amaral drpaulo@uol.com.br

São Paulo

 

*

ORIENTE MÉDIO

Na qualidade de descendente de libaneses, gostaria de ponderar o que se segue. De há muito o Líbano abriga refugiados palestinos expulsos de suas terras por Israel. Israel invadiu duas vezes o Líbano utilizando-se de bombas de fragmentação para atacar escolas, hospitais, etc., e destruir a infraestrutura do Líbano, além de deixar milhares de minas terrestres no sul do país. As invasões ensejaram o nascimento do Hezbollah. Israel é uma potência nuclear, pratica terrorismo de estado e cometeu um verdadeiro genocídio em Gaza, utilizando-se de bombas de fósforo branco, além de ocupar territórios palestinos, Golan na Síria e Shebaa no Líbano. O chanceler Avigdor Lieberman, reconhecidamente racista, é nascido na Moldávia e se julga com mais direito de viver na Palestina do que milhões de pessoas cujas famílias milenarmente habitam a região, sob o pretexto que Deus presenteou essas terras aos judeus. Qual o país deve ser considerado violento e extremista: o Líbano ou Israel?

 

Wilson Haddad wilson.haddad@uol.com.br

São Paulo

         

*

PAZ

Nestes séculos quantas guerras tivemos ceifando vidas inocentes,para ilustrar vejamos algumas entre povos amigos e irmãos. As Cruzadas (1096 a 1291), Guerra de Secessão nos Estados Unidos (1861-1865), Guerras da Unificação da Itália (1848 a 1866), Guerra da Barba (1152 a 1453), Guerra dos Cem Anos (1337 a 1453), Guerra das Duas Rosas (1455 a 1485), I Guerra Mundial (1914 a 1918), II Guerra Mundial (1939 a 1945), Guerra das Coréias, Vietnã, Irã e Iraque, essas são apenas algumas guerras que durante séculos macularam a história da humanidade. Hoje, em pleno século 21, vemos algumas atrocidades ainda acontecerem, como na Somália e outros países em que o povo simples esta morrendo não por balas, mas de fome, causada pela falta de escrúpulos de governantes que pesam apenas no poder em detrimento deste povo, pois roubam a comida enviada pela ajuda humanitária mundial para depois venderem e comparem mais armas. A humanidade em sua maioria absoluta não quer mais guerras seja de forma qualquer, PAZ é que todos pedem e uma das mais simbólicas busca por esta PAZ está no Oriente Médio, com o reconhecimento mútuo entre Judeus e Palestinos, como Estados Plenos e Independentes. São irmãos, filhos do mesmo pai Abraão (para os judeus) e Ibrahim (para os palestinos), Isaque (descendentes os judeus) e Ismael (descenderes os palestinos). Com a morte de Abraão ou Ibrahim, o mesmo não deixou testamento de quem seriam as terras, por isso esta luta. Passados séculos, neste ano de 2011 temos a oportunidade de dividir a Terra Santa, entre os irmãos Judeus e Palestinos, se fizerem uma enquete mundial verão que mais de 90% do povo quer a PAZ naquela região. Somos judeus ou palestinos, somos acima de tudo  irmãos que queremos viver em paz,sem sermos dominantes e nem dominados, as Nações Unidas tem neste final de ano a oportunidade de colocar um final a uma guerra que não tem mais sentido em existir. Que a palavra PAZ seja, mais forte que a econômica ou bélica, religiosa ou ateia, judaísmo ou islamismo, ou qualquer outra que de conotação a ceifar vidas inocentes que num futuro próximo venham a serem os governantes deste países soberanos, sempre sentados na mesma mesa e usufruindo do Kasher e do Musakhan, esta será a maior prova que a humanidade tem como  dizer temos a plena PAZ. Que este ano de 2011 seja coroado com o reconhecimentos de ambos os povos mutuamente. Shalon-Salaam.

 

Walter Francisco Barros walterfbarros@yahoo.com.br

Araçatuba

 

*

ESTATUTO DA JUVENTUDE

Não dá para entender por que um país precisa de tantos estatutos, sobretudo este dos jovens. Se um jovem de 25 anos ainda não conseguiu condições financeiras para pagar inteira no cinema, teatro, etc., é um fracassado. Se isso for aprovado, pagarão meia, mas que será a metade do dobro que custaria uma entrada de cinema ou teatro, caso contrário os cinemas e teatros irão a falência, ou seja no lugar de melhorar vão inflacionar os custos. Tinha de ser uma deputada do PCdoB... eles acreditam em Estados paizões, e transformam a população em eternos adolescentes, gente que nunca fica adulta, nunca evolui.

 

Francisco da Costa Oliveira fco.paco@uol.com.br

São Paulo

 

*

PARA A TORCIDA

Falta do que fazer, vontade de jogar para a torcida, ou simplesmente burrice, levou a Câmara a aprovar esse Estatuto da Juventude. Ele, juntamente com o Estatuto do Idoso, vai fazer com que as pessoas entre 30 e 59 anos paguem um valor muito maior em ingressos e passagens para compensar o desconto das faixas etárias privilegiadas. Vão acabar conseguindo inviabilizar ou piorar a qualidade dos serviços oferecidos. Viva o Brasil!

 

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

 

*

MEIA-ENTRADA

A base governista na Câmara vacilou na redação do Estatuto da Juventude, ao aprovar a meia-entrada para estudantes de 15 a 29 anos nos jogos de futebol, pois esqueceram de dizer que a lei só é válida quando não afetar os interesses da Fifa. O líder do governo na Câmara disse que o Estatuto da Juventude é uma coisa perene e que ali tem mais desejos e vontades do que outra coisa qualquer. Essas questões com a Fifa, que agora chegaram no Congresso Nacional, estão mostrando ao povo brasileiro a face oculta da maioria das nossas autoridades políticas e executivas. Este caso mostra perfeitamente que essa turma não está no parlamento para defender nenhuma idéia de qualidade cívica ou moral. Estão alí apenas para aceitar e defender os interesses que poderão propiciar alguma vantagem pessoal. O líder do governo na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), admitiu o erro, mas confia plenamente na correção que os senadores deverão fazer, colocando o Estatuto da Juventude conforme a Fifa deseja. Essa triste negociata em torno da votação do Estatuto do Juventude é o retrato fiel do comportamento da maioria dos nossos parlamentares. Espero que a juventude nunca se esqueça de como foi a votação do seu Estatuto.

 

Wilson Gordon Parker wgparker@oi.com.br

Nova Friburgo (RJ)

 

*

FALTOU CONSULTAR QUEM MANDA

O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), afirmou que deverão ser feitas alterações no Senado no projeto do Estatuto da Juventude em relação à previsão de meia-entrada para estudantes de até 29 anos em eventos culturais e esportivos. O projeto foi aprovado pela Câmara e torna o direito uma lei federal. É o que dá não consultar quem manda… Se tivessem falado com a Fifa antes evitava-se o desgaste…

 

Jorge Alves jorgersalves@estadao.com.br

Jau

*

IDOSO, ETERNO ESQUECIDO

O Congresso Nacional, numa atitude magnânima, para socializar mais o País, resolve, por unanimidade, aprovar o novo Estatuto da Juventude, que, entre tantas benesses, dará o direito ao jovem até 29 anos, em pleno vigor profissional, passear para outros Estados pagando meia passagem, enquanto os idosos, vilipendiados em suas aposentadorias, cada vez mais espremidos, só usufruem de tal direito aqueles que receberem até dois s/m assim mesmo, com declaração do INSS. Isso é que os "nobres" deputados chamam de socialização - somente para se promoverem junto à população eleitora achando que idoso não vota mais. E ainda há quem combata a correção dos aposentados acima da inflação para não prejudicar uma Previdência superavitária. Como sempre, uma aberração inominável de nosso Congresso parasitário e mais um agressão ao idoso que lhe destinaram um Estatuto capenga e fantasioso.

 

João Roberto Gullino jrgullino@oi.com.br

Petrópolis (RJ)

 

*

INSEGURANÇA NA PAULISTA

   

A cidade de São Paulo vem se tornando a capital da ignorância contra homossexuais. No último sábado, 1/10, foi constatado um novo caso de agressão motivado pela homofobia, e mais uma vez, nos arredores da Avenida Paulista, a mais importante do Estado. Nos últimos anos, o local considerado como a capital financeira do país vem sendo palco de constantes ataques sem maiores explicações  a homossexuais, sem que nenhuma medida efetiva seja tomada pelas autoridades para coibir este tipo de aberração humana. Enquanto não houver uma punição exemplar há esses usurpadores preconceituosos a barbárie vai persistir não só na Paulista mas em outros locais na cidade. Sei que o pensamento que condena minorias e julga como anormais aqueles que demonstram comportamento contrário ao que é considerado certo por nossa sociedade, carregada de verdades absolutas, não fica restrito à principal Avenida Paulista, mas é grande o número de casos de violência contra pessoas nesta importante região, é uma afronta a todos nós do bem. Algo deve ser feito com urgência para evitar novas agressões e acabar com essa infeliz reincidência que parece ter, inclusive, o apoio do descaso das autoridades. Não acho que o simples aumento do policiamento resolveria. Julgo que é necessário ensinar aos homens a não julgar, mas por enquanto os que utilizam a ignorância para atestar sua "superioridade e sadismo", deveriam ao menos se sentirem ameaçados por uma legislação mais severa. Até quando vão deixar persistir essa violência contra homossexuais na maior cidade do País?

                

Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

 

*

HOMOFOBIA

Até quando teremos que agüentar os constantes ataques suicidas aos homossexuais? Não bastassem os homofóbicos, que nos atacam e agridem física e moralmente, ainda temos que agüentar detentores do poder que, vendo toda esta aberração cometida contra os homossexuais, como o caso da Avenida Paulista (dentre outros), dizer que é apenas mais um caso, e são estas as pessoas que impedem, através de um discurso preconceituoso e cheio de ranço e velhacaria, que o governo tome medidas mais enérgicas contra as praticas de preconceitos a que os homossexuais são vitimas diárias. Assim, sem punição para os crimes de homofobia, e com os discursos preconceituosos, a situação dos gays só vai se agravando (e não só em nosso Estado, mas também em nosso País). Muito mais do que ser "simpático" a causa homossexual e entender e respeitar a luta desta população, é preciso que os governos arregacem as mangas, quebrem tabus e comecem a ousar na tentativa de implantar políticas publicas verdadeiras e leis voltadas para a população LGBTT. Fácil ficar em um gabinete e dizer que apóia a causa, mas é necessário ir alem disso, punindo verdadeiramente os agressores, transformando a homofobia em crime. É o mínimo que se pede, e o mínimo que o governo pode fazer.

 

Mário Grego mariogrego@uol.com.br

São Paulo

*

O CÓDIGO SOB OUTROS PRISMAS

 

Divulga-se uma conexão de internet, que deve estar incluída entre as muitas bolsas-voto engendradas pelo poder público. Enquanto os papagaios falam, o pato paga quase do dobro, por uma conexão cuja velocidade é a metade da mínima anunciada por aqueles que invadem as nossas casas para fazerem propaganda de seus feitos passados, presentes e futuros, garantindo a própria permanência no comando desta embarcação que vive à deriva e na neblina. O governo de São Paulo atua em defesa do consumidor, regulamentando algumas questões divergentes entre donos de restaurantes e clientes, mas atua também fora de área, determinando quem vai ser o médico ou qual será a clínica onde o cidadão fará o seu exame de vista para obtenção ou revalidação da carteira de habilitação. O estranho, nesta história, é que o consumidor vai pagar pela consulta e quem escolhe o local é o governo. Imagine-se um plano de saúde, pelo qual também paga o consumidor, determinando qual o médico que o cliente deve usar.

O consumidor precisa mesmo, é que o poder público seja o primeiro a respeitar o Código de Defesa do Consumidor (CDC) e não o trate apenas como o eleitor incapaz que ele vem mostrando ser.

 

Carlos Delphim Nogueira da Gama Neto carlosgama@croniquetas.com.br

Santos

 

*

TRABALHO ESCRAVO

O trabalho escravo ainda existe no Brasil, depois de 123 anos de sua abolição. Tanto assim que a titular da Secretaria de Inspeção do Trabalho, Vera Lúcia Albuquerque, publicou instrução normativa na pag. 102 do Diário Oficial de 6 de outubro, estabelecendo medidas para erradicação do trabalho escravo. Não existisse, a portaria não teria sentido. A escravidão resiste portanto, não só à abolição, mas também à CLT de Vargas, esta de 1943. Além de o Estatuto da terra, novembro de 64, de autoria de Roberto Campos. Quatro situações configuram a escravidão 2011: 1) submissão a trabalhos forçados; 2) submissão a jornadas excessivas; 3) sujeição a condições degradantes e 4) tráfico de seres humanos.

 

Francisco Pedro do Coutto pedrocoutto7@yahoo.com.br

Rio de Janeiro

 

*

GRAMADO EM FRANGALHOS

O gramado do Engenhão está péssimo. Às vezes o jogador chuta de canela ou fura a bola por causa do gramado. E como se não bastasse realiza-se lá o show do cantor Justin Bieber. Já diziam há alguns anos que o futebol brasileiro só evoluiu do túnel para o campo, pois no resto está na idade da pedra. É verdade. O Maracanã, antes das obras, era usado nas visitas do Papa, pelo bispo Edir Macedo ou outros evangélicos, para o show da Xuxa no fim de ano com a chegada do Papai Noel, para o show do Roberto Carlos, etc. Depois queriam que o gramado estivesse em bom estado. Como, se até pelada de fim de ano dos funcionários da Suderj tinha?

 

Panayotis Poulis ppoulis@yahoo.com.br

Rio de Janeiro       

                                        

*

SHOPPING CENTER NORTE

Li no Estadão de 6/10/2011 entrevista de uma das proprietárias do Center Norte. E a manchete publicada no jornal repetia a trecho da entrevistada de que foi uma irresponsabilidade a prefeitura determinar o fechamento do shopping. Provavelmente essa senhora não estudou com mais cuidado o problema do metano no subsolo local. Na minha adolescência, morando em Santana, cheguei a ir até o que chamávamos de fundão, que era uma lagoa decorrente das escavações realizadas no local pela mineradora que ali desenvolveu as suas atividades. E a denominação popular refletia perfeitamente a profundidade daquela lagoa. Posteriormente a prefeitura transformou o local em "Lixão", e pelo histórico acima, nos dá uma ideia da quantidade de lixo ali depositada e, consequentemente, o potencial de gás metano ali emanado. Houvesse na época da inauguração d o shopping, a tecnologia atual, eventualmente poderia ter sido instalada ali, uma mini usina de eletricidade, para abastecer suas instalações. Não é de agora que as autoridades estão pressionando a direção dado Center Norte para que instale os dutos de eliminação do metano e ela vem "empurrando de barriga" a solução do problema. O argumento da empresária é que contrataram para sanar o problema, por indicação da Cetesb, a empresa Tecnohidro, que os enrolou durante dois anos sem resolver o problema. Ora, e porque não reincidiram o contrato? Talvez não tenha tomado conhecimento do que ocorreu no Osasco Plaza Shopping Osasco em 1996, quando uma explosão de gás matou 42 pessoas e 300 ficaram feridas. Portanto, em minha opinião, irresponsabilidade foi o ato da diretoria do Center Norte em ir postergando a solução do problema, até a Cetesb e o prefeito Kassab tomarem uma atitude profilática. Não é admissível que a direção do shopping aceitou pacificamente a incompetência da empresa contratada, acima citada, contando talvez com a providência divina. Também não consigo entender, sendo engenheiro, como o juiz Emílio Migliano Neto concedeu liminar ao shopping, conta a decisão do prefeito, em plena sexta-feira, para ele mesmo cassá-la na segunda-feira, após acatar os argumentos das autoridades municipais. E se tivesse ocorrido uma explosão no local naquele fim de semana, quem seria o responsável? Acredito que o juiz tomou a sua decisão baseado na legislação vigente, a qual, como sabemos, é fruto das decisões dos deputados federais e senadores, que infelizmente não merecem a nossa credibilidade, apesar de legislarem em nosso nome. Enfim quanto à irresponsabilidade apontada pela proprietária do Center Norte, ela deve procurar entre seus pares e não tentar transferi-la para quem está procurando corrigir seus erros e salvar a sociedade de uma catástrofe anunciada. Hoje o Estadão nos informa que a Cetesb interpelou a empresária judicialmente e que o Center Norte abrirá hoje depois de ficar dois dias fechado, já que finalmente instalou os equipamentos exigidos pelas autoridades. Resumo da ópera: para economizar dinheiro e evitar que o shopping fechasse por dois dias, há dois anos vêm colocando a vida de seus funcionários e frequentadores em perigo. E põe irresponsabilidade nisso.

 

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br

São Paulo

 

*

DÍZIMO

Se perguntar não ofende, quem deixou de ganhar o dízimo para que o Center Norte deixasse de funcionar? Ora, se todo solo está com problemas de implosão, porque o conjunto habitacional não foi isolado! Acho que o Sr. Kassab está extrapolando nas suas atitudes. Menos, Sr. Kassab...

 

Maria José da Fonseca fonsecamj@ig.com.br

São Paulo

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.