Fórum dos Leitores

POLÍTICA ECONÔMICA

O Estado de S.Paulo

09 Outubro 2011 | 03h04

Inflação

A inflação acumulada nos últimos 12 meses, medida pelo IPCA, foi de 7,31%. Considerando que o IPCA para os meses de outubro, novembro e dezembro de 2010 foi, respectivamente, de 0,75%, 0,83% e 0,63%, para que fechemos o ano com a inflação abaixo do teto de 6,5% o IPCA do último trimestre deverá apresentar índices, em média, 0,2 ponto porcentual inferiores aos do ano passado. É claro que se trata apenas de um capricho gregoriano - ficar bem na foto do réveillon -, mas será importante verificar o compromisso do governo com a meta. A partir de 2012 o IBGE deverá alterar sua metodologia de cálculo, medida perfeitamente normal e de acordo com a recomendação de institutos internacionais. Mas que o ato de jogar fora o termômetro dá um friozinho na barriga, isso é incontestável.

ALEXANDRU SOLOMON

alex191243@gmail.com

São Paulo

*

Tripé em questão

Os pilares que regem a economia brasileira são câmbio flutuante, regimes de metas de inflação e superávits primários. Adotado em 1999, o câmbio flutuante é considerado o mais adequado a economias estáveis. O valor da moeda internacional é definido pelo mercado na relação entre oferta e demanda. Quando há uma distorção no mercado, o Banco Central (BC) pode realizar operações de compra e venda da moeda para que a distorção seja corrigida. A "munição" que o País possui atualmente são as reservas de aproximadamente US$ 350 bilhões. Recentemente tivemos uma forte valorização (overshooting) do dólar, levando o BC a intervir no mercado, ofertando a moeda para reduzir tal valorização. Isso ocorreu em razão da diminuição do fluxo da moeda para o Brasil e da saída para investimentos em títulos do Tesouro norte-americano. Por sua vez, a inflação, cuja meta (IPCA) é de 4,5% para 2011, já acumula 4,42% no período de janeiro a agosto. As novas projeções do BC são de essa meta ser alcançada em 2012, entretanto, dependerá de alguns fatores, entre eles a diminuição na demanda mundial de commodities, prevista pelo governo em decorrência de uma redução do crescimento econômico mundial. Já o superávit primário - resultado positivo entre gastos e arrecadação do governo - é utilizado para pagar os juros da dívida. Sua meta para 2011 é de R$ 127 bilhões e está mais fácil de ser atingida, pois o montante encontra-se em R$ 96,54 bilhões no acumulado de janeiro a agosto, resultado, principalmente, da maior arrecadação. Estamos para enfrentar uma nova crise na economia mundial e devemos esperar que as nossas autoridades monetárias continuem a tomar medidas sensatas, para que esses três pilares que regem a nossa economia se mantenham de pé.

ALEXSANDRO DE AMORIM

alx.amr@uol.com.br

Florianópolis

*

CONTROLE DA MÍDIA

Ah, essa imprensa...

O calcanhar de Aquiles do PT é a imprensa. Enquanto os petistas não aprovarem seu marco regulatório para os meios de comunicação (entenda-se controle de conteúdo, ou censura mesmo!), não vão poder fazer seu caixa 2 com tranquilidade... Por essa razão o presidente do partido, Rui Falcão, anunciou que, num seminário em novembro, deve tratar desse espinhoso assunto. Eu gostaria de saber de que lado a presidente Dilma Rousseff está. Porque ela declarou em Nova York que conta com a "positiva ação vigilante da imprensa brasileira". Ou seja, os membros da cúpula petista ouviram e não deram a mínima para essa declaração, como se Dilma fosse do PSDB, por exemplo... É bom lembrar que, se mesmo com a imprensa desempenhando o seu incansável papel de denunciar os desvios de conduta da classe política a corrupção está no estágio em que está, imaginem com o seu silêncio, ou melhor, o efeito da censura sobre os meios de comunicação, como poderá ficar a ação desses pseudosservidores públicos (principalmente dos eleitos pelo povo) dentro das nossas instituições. A ociosidade é um perigo! Seria muito melhor se, no lugar desse seminário, esses sedentos pelo poder visitassem hospitais, centros de saúde, estradas e escolas nas periferias pobres deste Brasil, para ver o caos instalado.

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

 

*

Falta do que fazer?

Este governo do PT, com seus quase 40 ministérios e tanto para fazer, por incompetência ou inapetência para trabalhar fica preocupado com a mídia e programas de televisão em geral. A secretária de Políticas para as Mulheres, a petista Iriny Lopes, quer tirar do ar o comercial de lingerie com Gisele Bündchen e agora interfere na novela da Globo Fina Estampa! O Conar tem mais o que fazer. Pois é, e eles, do PT, ainda não conseguiram o famigerado "controle social da mídia"... Já imaginaram se conseguirem?! Cruz credo!

TANIA TAVARES

taniatma@hotmail.com

São Paulo

*

Consulta 'pública'

Os petistas não desistem nunca! Novamente veremos conferências, simpósios, encontros regionais/nacionais para discussão "pública" do assunto, porém só com o público interno - petistas, sindicatos, centrais sindicais, funcionários públicos, etc. -, para ouvirem apenas um lado das opiniões. E depois sai um projeto de lei ou decreto presidencial de surpresa e dizem que a matéria foi "amplamente discutida com a sociedade". Foi assim com o Plano Nacional de Educação, com o 3.º Programa Nacional de Direitos Humanos (PNDH-3) e outros. Esse é o Brasil do PT. Se a consulta é pública, têm de ouvir a minha opinião: sou contra qualquer controle da mídia, mesmo disfarçado de "democratização"!

ALBERTO FUTURO

carlos_futuro@viscondeitaborai.com.br

São Paulo

*

CENSURA

'Estado', 800 dias

Não entendo de leis, decretos, petições, protelações e outros blá-blá-blás do nosso juridiquês, sou apenas um contribuinte otário que paga rigorosamente em dia os polpudos salários de ministros, juízes, desembargadores, senadores e "aspones" em geral. Todavia gostaria que alguém explicasse como é possível um dos mais importantes jornais do Brasil estar sob censura há 800 dias, por ação movida pelos Sarneys, sem que a Justiça tome uma atitude efetiva para dar fim a essa excrescência. Quanto tempo mais os leitores terão de esperar pela boa vontade dos meritíssimos? Quando é para aumento dos próprios salários, o Judiciário é célere. Já quando o assunto é julgar...

PAULO RIBEIRO DE CARVALHO JR.

paulorcc@uol.com.br

São Paulo

____________________________________

 

BOLSA-ALIENAÇÃO E OCASO DA RAZÃO

O Executivo estima que os gastos totais para a Copa Fifa-2014 serão de R$ 23,5 bilhões; o Senado, em R$ 40 bilhões; já a Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base "projeta", por enquanto, e sem aditivos, que tais dispêndios superarão R$ 80/85 bilhões. Não inclusos os gastos diretos da malfazeja politicalha municipal e estadual, além das isenções/renúncias fiscais e previdenciárias, e que na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) - orçamento federal até 2015 - constam apenas pela sigla NI (não informar?). Mister citar ainda o Regime Diferenciado de Contratação (RDC), constituído pelo Executivo e aprovado pelos representantes do povo para que este não tenha clareza na leitura dos gastos da Copa e da Olímpiada. Fatalmente chegaremos, ou ultrapassaremos R$ 100 bilhões (US$ 60 bilhões) para que a "bola corra como nunca correu no Brasil" ou no mundo. As três últimas versões de tal evento custaram juntas US$ 30,4 bilhões; foram construídos 27 estádios e reformados outros 15. Nem sequer faremos ¼ disso, e o nosso orçamento aproxima-se de US$ 60 bilhões - o dobro do custo das três últimas edições juntas. No Japão e Coreia (2002) acorreram 327 mil turistas, e os investimentos em estádios não apresentam pleno retorno até hoje, mesmo adaptados a outra atividades e posterior passagem à exploração privada ou uso por Universidades. Na Alemanha (2006), foram construídos apenas dois estádios e reformados outros dez - obteve-se o maior retorno, mas não o suficiente para o resgate daquilo empregado em alguns estádios. Para lá acorreu o maior público de todas as Copas - pouco mais de 820 mil turistas, e o maior número de espectadores em estádios - 3,4 milhões (ingressos vendidos). Na África do Sul (2010), foi empregado pelo Estado US$ 8,4 bilhões e construídos cinco estádios e reformados outros cinco. O lucro declarado pela Fifa foi de US$ 4 bilhões, o maior de todas as Copas. Cinco estádios mal abriram depois da Copa, e ainda permanecem os graves problemas sociais das "cidades de lata" - containeres onde em 2008 acomodaram milhares de famílias desapropriadas para construção de estádios. Os hotéis construídos e dimensionados para um milhão de turistas, apenas receberam 409 mil, e estão às moscas, alguns parcialmente fechados. Assim parte da população da Cidade do Cabo "reside" em containeres, cinco estádios fechados, governo endividado e por aqui falam de um "legado extraordinário" em Aeroportos e uma espécie de Metrô. Tal legado sequer chegou a 1/3 do total gasto; estádios também foram bisonhamente superfaturados aos auspícios e exigências da Fifa. Para que mais serviu a Copa na África além do lucro extraordinário a esta infame entidade? No Brasil será diferente? Faltam mil dias para a festa inaugural deste circo mambembe ao delírio da legião de hienas que veem nisto motivo de júbilo e defendem a realização do evento custe o que custar. Um promíscuo balcão de negócios regado com recursos públicos, ensejando a corrupção e a prostituição política que corre livre, lépida e solta, garantida pela promiscuidade da RDC. Legalizaram a negociata. Em provável jogo de cena, o Ministério Público agora se preocupa com a "explosão" dos custos dos estádios. Preocupação atrasada e inútil daquilo que está em curso e definido - custarão mais que o dobro ou o triplo do que se fossem construídos na Europa. Há provas concretas disso. Relutar ou afirmar que estes recursos são distintos ao que se aplicaria em áreas sociais é hipocrisia ou soberba ignorância, tal qual o é projetar legados ao custo exorbitante a que se estima serão construídos. Trata-se em verdade da Bolsa-Alienação - panis et circenses, o nutrimento do retrogrado populismo, numa oferenda aos analfabetos políticos e desregrados da cidadania, para que assim se mantenham e votem em crápulas nas próximas eleições. São "os alienados lesa-pátria da nação de chuteiras", embasbacados pela falta de juízo, como bem citado no artigo de Fernando Gabeira no Estadão (Pátria de chuteiras e ocaso da razão). Neste "ambiente de negociata", o Sebrae informa ter realizado estudo - provável publicidade do evento "populista", em que propala "que somente em SP, a Copa irá gerar R$ 10 bilhões em negócios às pequenas e microempresas". Como neste país falar em R$ 10 bilhões ou R$ 10 mil é a mesma coisa, tal leitura passa despercebida à maioria das pessoas. Pergunta-se: Qual seria o valor se incluíssem nesse debochado raciocínio, as grandes corporações que realmente faturam de forma significativa com eventos dessa ordem além da Fifa? Se apenas quatro ou cinco jogos rendem tanto - que se faça a Copa sempre aqui! Quanto ao calibre do otimismo desse "esboço publicitário", a história nos dirá a verdade. Quanto aos fundamentos e citações do legado, não há estória que possa dar substancia ou corroborar com a ilusão propagandeada e enganosa. Sequer observa o que está delineado, e nem traça analogia ao que ocorreu com as instalações dos alegados legados que diziam estar planejados para os jogos Pan-americanos. Antes de tamanha euforia publicitária (falaz) ao que ensejam a Itaquera, por exemplo, dever-se-ia analisar o que ocorreu com o Engenhão, que ficou quatro vezes mais caro do que o já caro orçamento inicial e cujo, então alegado legado ao entorno, não passa de um estorvo à segurança pública num local de abjeto convívio social, tal qual também o é nos Estádios da África do Sul. Qualquer jogo no Brasil será motivo de júbilo nas cidades sedes, nos Estados, e quiçá no país. Essa brincadeira populista custará um absurdo à nossa economia, e a nossa sociedade. Ao povo, lamentavelmente, tudo é, e será festa, em especial aos que se refestelam com a Bolsa-Alienação, e nisto ao que observo não há classe econômica e nem mesmo cultural; o que demonstra que o vírus do marasmo da cidadania, do populismo, e do analfabetismo político toma conta da sociedade dormente na imbecilidade e que vê no futebol uma fuga ao desordenamento moral generalizado da nação.

Oswaldo Colombo Filho colomboconsult@gmail.com

São Paulo

*

FIFA

A Fifa não pode querer mudar aquilo que é lei em nosso país, para atender aos seus interesses. A pretensão é uma ingerência indevida em nossos assuntos. É, portanto, inadmissível. O Brasil tem interesse na realização da Copa em nosso território, mas não pode curvar-se a exigências prejudiciais ao país e ao povo.

Alvaro Salvi alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

*

HIPOCRISIA RENDE VOTOS

Hipocrisia. É isto o que esta acontecendo agora com toda esta historia de meia entrada para idoso e estudante, é claro que do início, quando o governo analisou o paramentos para se ter o evento com a condições, já tomou conhecimento e aceitou as imposições para se ter a Copa do Mundo no Brasil. Aceitou e agora vem com esta politicagem eleitoreira para colocar nossa presidente de defensora da Lei. Pior, a proibição de bebida alcoólica, pois fui ao jogo Santos x Ceará no Pacaembu e a cerveja é vendida oficialmente dentro e nas arquibancadas. Mais um caso de propaganda enganosa do lado dos "defensores dos oprimidos", infelizmente ficamos sempre com a pecha de um país não serio, hoje, é o que temos...

Jacques Germano jacques.germano@gmail.com

São Paulo

*

JÁ GASTARAM DEMAIS

O Sr Ricardo Teixeira agora está com um tremendo Ibope por estar enrolado até o pescoço. Além de todas as falcatruas levantadas inclusive por ingleses, no Rio de Janeiro gastaram para a eleição do Brasil, mais de R$ 3,5 milhões? Num país miserável e cheio de sem-camisas e sem o que comer, é um acinte ao sofrimento de tantos que ganham uma miséria para poder sobreviver. Não somos a Somália, mas os tiranos se repetem em todo mundo. E ninguém levanta uma bendita ou maldita CPI para ver o que realmente aconteceu e está acontecendo?

Antonio Jose G. Marques a.jose@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

SEM CANIÇO E SAMBURÁ

Demorou mais do que o previsto. Na Olimpíada da corrupção, sobe ao pódio o ministério da Pesca, hoje ocupado pelo ministro Luiz Sérgio, que apresenta irregularidades que mais uma vez deixa claro que não existe a fiscalização devida na distribuição de dinheiro dos cofres públicos, desde que o objetivo (índices de popularidade e vitória nas eleições), estejam na pauta. Em cada escândalo, salta aos olhos o volume de dinheiro que é manuseado. Os números escandalizam. Em 2003, eram favorecidos pelo ministério do Trabalho, 113.783 pescadores ou ''pescadores''. Em 2011, esse número chegou a 553.172 beneficiários. O gasto que era de R$81,5 milhões em 2003 passou para R$ 1,3 bilhão agora, mais que o dobro do ministério da Pesca. Esses números escanda- lizam o povo e não chamam a atenção dos tribunais de contas dos estados, (TCE), dos Tribunais de Contas da União (TCU) e da Controladoria Geral da União (CGU). Aguardemos a vez dos ministérios da Saúde e o da Educação. ''Disse-lhes Jesus: lançai a rede para o lado direito da barca e encontrareis'' (João 21:3-13). Hoje, a pesca é mais fácil.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

ESTADO DE ABANDONO

A cada dia que passa nos sentimos mais desprotegidos e abandonados nesse país infestado de políticos corruptos nós roubando e dilapidando cada vez mais. Comandados pelos seus partidos "PT", "PMDB" e "partidos aliados" no poder há quase 10 anos que os dominam e ditam regras e esquemas a serem seguidos sempre com a única finalidade de se beneficiarem e angariarem cada vez mais dinheiro para enriquecerem à nossa custa. Para poder avaliar a situação em que nos deixaram chegar, basta analisar os valores já arrecadados em impostos que já superaram a casa de R$ 1 trilhão. Cifra esta que ninguém tem conhecimento onde foi parar, pois se tivesse sido aplicada em nosso benefício, não estaríamos no estado caótico que nós encontramos na "saúde", "educação", "transportes", "segurança", etc. A nossa presidente que está com aprovação em alta, pela população brasileira, aprendeu as lições e está trilhando o mesmo caminho do "cara" seu antecessor.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

BRASIL, PAÍS DE QUE FUTURO?

Quando criança na década de 50, sempre ouvia a frase que o Brasil era o país do futuro, ficando contente vendo filmes americanos e imaginando que um dia seríamos iguais aos gringos. Hoje, passando dos 60 anos de idade, o futuro sonhado não veio e pior, estou sentindo é a possibilidade do Brasil se transformar num gigantesco Maranhão ou Sarneylandia, tanto faz..

Laércio Zannini arsene@uol.com.br

São Paulo

*

DIRETORIA

Parece que a corrupção tem acompanhado o cargo de diretor. Após crise no ministério dos Transportes, que resultou na demissão do ex-diretor do Departamento Nacional de Infraestrutura dos Transportes (Dnit) Luiz Antonio Pagot, em julho deste ano, surgem novas suspeitas de irregularidades no órgão. O atual diretor, Jorge Fraxe, foi surpreendido pelo próprio passado - veio à tona que ele chefiou uma obra suspeita do Exército. Em paralelo, outro fato peculiar envolvendo diretoria - agora em Furnas - é noticiado: o diretor de Gestão Corporativa, Luis Fernando Paroli dos Santos, dedica parte de seu tempo a atos eleitorais em Minas Gerais, como a entrega de ambulâncias a prefeituras. Melhor nem usar o termo 'faxina', não porque a presidente Dilma Rousseff o considera um complô da grande mídia, mas porque num futuro próximo teremos utilizar o termo 'dedetização'.

Gustavo Nunes gustavonunes67@gmail.com

São Paulo

*

REFORMA POLÍTICA

O PT, principalmente, mas a maioria dos partidos pensa que a política é para servir aos políticos e não ao eleitor. A insistência do partido do Burla em enfiar pela goela abaixo dos eleitores o voto em lista comprova isso; para eles o sistema distrital não é conveniente. Mas o sistema eleitoral é propriedade do eleitor, e pesquisas realizadas provam que a preferência do eleitor, dono do voto, é pelo sistema de voto distrital. Como o PT - e seu dono, Lula - só busca suas conveniências e interesses (incluindo os que você está pensando) vamos boicotá-lo nas próximas eleições e dar-lhe o que ele merece: receber votos só dos petistas.

Mário A. Dente dente28@gmail.com

São Paulo

*

INVEROSSÍMIL

Não dá para acreditar que um deputado federal possa propor um projeto de reforma política que desagradou à todos. É de indignar que um povo como o gaúcho, possa eleger um deputado dessa categoria. Refiro-me ao nobre deputado Henrique Fontana do PT do Rio Grande do Sul.

José Piacsek Neto bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

*

REFORMA ELEITORAL, UMA PROPOSTA

O partido é o formador de políticos. Para fazer uma reforma política devemos principiar na formação de candidato. Isso deverá ser feito dentro dos partidos de igual modo são feitos os cursos realizados nas faculdades e universidades. Serão cursos completos visando a formação de novos políticos. Digamos que um determinado jovem ou qualquer pessoa tenha aspirações políticas, planos e idéias que melhorariam seu município, seu estado ou o país poderia candidatar-se em uma eleição futura. Começando pela sua inscrição no curso de candidato a vereador. Terá de seguir um programa básico alem de outras matérias pertinentes a função de edil. Cabe ao partido elaborar um programa e sua duração (um ano), por exemplo. No currículo: História do Brasil; história do Estado; história do município; geografia do município; vocação do município: agrícola, industrial, de serviços, etc.; noções de direito constitucional; noções de direito orçamentário e tributário municipal; problemas municipais. Soluções apresentadas no seu ponto de vista deverão ser publicadas como plataforma de sua campanha eleitoral. Exame da solução seria apresentado ao Tribunal Eleitoral Regional como uma tese e, em seguida, deveria vir a público (publicação). Para deputado estadual: a continuação do futuro candidato, tendo êxito nas suas pretensões, deseja ter um novo desafio dentro de sua carreira política ele quer ser deputado estadual. Novo curso dentro do partido, com currículo específico, duração de dois anos. Depois de ter sido vereador pelo menos uma vez. Para deputado federal, curso com duração de três anos ou mais. Ter exercido mandato de deputado estadual. Para candidato a senador o curso seria de quatro anos ou mais depois de ter sido deputado estadual por mais de três legislaturas ou três vezes deputado federal. Para ser candidato a governador, o candidato só poderia ser quem foi deputado estadual por cinco legislaturas, ou deputado federal por quatro legislaturas, ou senado por duas legislaturas. Só pode ser presidente da República quem foi ou é governador de Estado. Ninguém esta isento de fazer o curso de política. Quem já tiver diploma de eleito caso deseja fazer carreira política pode concomitantemente ao exercício de sua função eletiva, poderá cursar no partido o currículo da próxima candidatura. Vantagens de tal proposta: diminui a candidatura de semi-alfabetizados, o curso pelo menos alfabetizará alguns candidatos; inibe aventureiros e obriga estes a se prepararem para a função política, ser for bom de bola, de ter programa de auditório, qualquer outro meio de promoção pessoal obrigaria a se preparem para ganhar votos; e, por fim, é mais fácil controlar o comportamento e exercício de um governante durante seu mandado, são mais visíveis, o que permitirá melhor avaliação de um modo geral, o candidato terá que mostrar sua capacidade de direção, êxitos de sua gestão.

José Carlos Lobosque jocalo@terra.com.br

São Paulo

*

DILEMAS DO NOVO CÓDIGO FLORESTAL

Assim não dá... quem muito quer nada tem. Essa é a resposta que os ambientalistas devem dar aos produtores rurais, pois eles conseguiram flexibilizar tudo e vão acabar ficando com nada, porque os ambientalistas vão endurecer o dobro e serão tão intransigentes quanto eles. Eles poderiam dizer, se o governo nos der isenção e subsídios suficientes para investirmos em pesquisa científica a fim de crescer a produtividade nós aceitamos a rigidez ainda maior contra os crimes ambientais e o aumento da área a ser preservada e reflorestada. Queremos um prazo de transição para isto, mas querer anistia, redução da área preservada, além de não ser razoável torna a negociação inviável, jamais o executivo sancionará o atual Código Florestal, nos moldes os quais ele foi votado pelos deputados e deve passar também no senado.

Fábio André Balthazar rrobertoms@uol.com.br

São Paulo

*

ONDE A COERÊNCIA?

Dilma fecha novamente os olhos à carnificina patrocinada por uma ditadura, desta vez à Síria, ao se abster de votar pela imposição de sanções ao regime do déspota Bashar al-Assad, no Conselho de Segurança da ONU. Renova o Brasil, a abstenção de alguns meses atrás para não incomodar outro déspota da região, "amigão" de Lulla - o agora varrido Muamar Kadafi, da Líbia. Neste período petista, tudo indica, a ordem é dar de ombros aos direitos humanos e aos banhos de sangue patrocinados mundo afora, desde que promovidos por ditaduras "amigas". Em 7 meses, segundo a ONU, pereceram, na Síria, 3 mil dissidentes, sangue que não parece ter sido suficiente para sensibilizar a mesma 'presidenta' que, há meses, condenou a prática do apedrejamento no Irã. Quer dizer: lapidação, isso não; carnificina, abstenção! Alguém entendeu? E os "direitos humanos" do discurso petista, como ficam? O curioso é que, no plano interno, insistem eles, agora, em escarafunchar, com a "Comissão da Verdade", um passado no qual, segundo dados idôneos, pereceram, em 21 anos do ciclo militar, pequena fração dos que, só este ano (!), foram abatidos na Síria, vítimas do regime "amigo" dos petistas. Por que os olhos de lince com a troca de chumbo de 40 anos atrás no Brasil (forças oficiais vs. 'luta armada' de inspiração comunista) e a abjeta cumplicidade com regimes reconhecidamente bandidos nos dias atuais? Quem é capaz de ver um pingo de coerência no discurso dessa gente, afinal?

Silvio Natal silvionatal49@yahoo.com.br

São Paulo

*

REBOLADO

Agora que Barack Obama nomeou a Shakira para uma comissão educacional, estou me borrando de medo de que Dilma Rousseff entregue o Ministério da Educação para Ivete Sangalo. Ou Gretchen.

Doca Ramos Mello ddramosmello@uol.com.br

São Sebastião

*

OS SONHOS E A REALIDADE

Segundo um dos mais respeitados institutos internacionais de avaliação das universidades, entre as duzentas melhores do mundo, os EUA têm setenta e cinco. E a primeira colocada. O Brasil tem uma, nossa gloriosa Universidade de São Paulo (USP). E há quem acredite que os americanos estão perdidos, enquanto, ao contrário, ninguém segura este país.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

CONTRADIÇÕES

A USP, que acabou de galgar cinqüenta e quatro posições no ranking das duzentas melhores do mundo, vai derrubar mil trezentas e tantas árvores de seu campus, para construir um conjunto de museus. Espera-se que sejam contempladas as áreas de botânica e de zoologia, para que possam abrigar alguns espécimes da flora e da fauna que ali vivem e os filhos ou os netos de nossos netos possam saber como era uma árvore ou o sabiá, pássaro símbolo daquele país onde nasceram seus ancestrais.

Carlos Delphim Nogueira da Gama Neto carlosgama@croniquetas.com.br

Santos

*

USP

Quando uma universidade brasileira, aliás, a maior de todas e com mais recursos, fica em 178º lugar em uma lista mundial em um ranking de quinhentas e por aqui chamam a isto de 'estar entre as primeiras 200' é para chorar e não para comemorar! Se a USP estudasse mais, fizesse greve de menos e não fosse aparelhada para ser um parque de diversões ideológico de uma esquerda atrasada e dinossaurica quem sabe um dia poderia estar entre as cem primeiras que nesta lista, tem os seus principais lugares ocupados majoritariamente por universidades do capitalista e 'imperialista' EUA! Mais estudo e menos discurso ideológico engajado 'dona USP'; nós que pagamos os impostos, agradecemos!

Paulo Boccato pofboccato@yahoo.com.br

São Carlos

*

EDUCAR E VALORIZAR

Em adição às brilhantes considerações de Washington Novaes (Do analfabetismo à 'educação sensual', 7/10), há de se avaliar o peso proporcional do PIB investido em educação em comparação com a) a eficiência do uso do recurso e b) com o custo das ações em cada país. A valorização do professor do ensino superior somente se faz quando ela está atrelada à pesquisa científica. Caso contrário, temos as famigeradas escolas caça-níqueis. Na educação básica, a valorização não acontece, diferente de outros países. Assim, mesmo com valores investidos (dinheiro), não se auferem valores (mérito, reconhecimento), o que torna a base de comparação difícil. Em experiências, como a de trazer alunos de ensino médio de escolas públicas para acompanhar projetos científicos na universidade, vemos que pequenas ações já resultam em mudança de comportamento dos alunos e de seu interesse. A questão é fazer isso em ampla escala.

Adilson Roberto Gonçalves priadi@uol.com.br

Lorena

*

IMPERIALISMO BRASILEIRO

Não bastasse ter presenteado a hermana Bolívia com uma bela fatia da Petrobrás... de mão beijada...agora ficamos sabendo que Lula é o pivô de uma séria crise neste país , tudo porque a construção de uma estrada de 306 quilômetros financiada quase totalmente pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) por decisão do ex-presidente brasileiro , tem um trajeto que afeta os recursos naturais de um Parque Nacional e da Reserva Indígena Isiboro-Secure, na Amazônia Boliviana. Acrescente-se a isto o fato do trajeto facilitar a atividade dos plantadores de coca que pouco se preocupam com a preservação ambiental, fato que deixa em alerta e irrita os índios da região. Os indígenas foram fazer um protesto pacífico e foram rechaçados com toda violência pelas forças do governo de Evo Morales, que elegeu-se com a promessa de fazer aprovar uma Carta conferindo poderes excepcionais aos indígenas. Pelo visto, os direitos dos cocaleiros são prioridade de Evo. Críticos de Evo Morales já verbalizam o rancor que alimentam contra o "imperialismo brasileiro" nesta obra apoiada pelo BNDES. Pois é, o Brasil leva má fama por causa de um mal feito de Lula... isso é que é uma herança mais do que maldita!

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

HERANÇA MALDITA

Somos tachados de imperialistas brasileiros pelos bolivianos graças às artimanhas do ex-Lulla que se juntou ao Evo Morales nas obras de uma estrada beneficiada com dinheiro do "nosso" BNDES desrespeitando os indígenas daquele país. Mais uma intromissão do errático ex-presidente. Pelo visto a herança incômoda não atingiu só aos brasileiros.

Leila E. Leitão

São Paulo

*

CRISE NA BOLÍVIA DE EVO

Ser comunista já é burrice, e comunista ignorante é burrice ao quadrado. Está aí o quadro atual da Bolívia.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

SUPERSALÁRIOS

Apesar de a Constituição federal prever expressamente como teto máximo salarial do funcionalismo público o salário dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), na prática, inúmeros servidores públicos - sobretudo do Judiciário, do Ministério Público e do Legislativo - recebem "supersalários", que extrapolam em muito o teto constitucional. Há uma verdadeira "caixa preta" quanto ao ganho ilegal e abusivo de certos servidores, que são pagos com dinheiro público. Num país sério, a lei é cumprida e nenhum funcionário público recebe remuneração indevida e acima do teto constitucional. Como estamos no Brasil, acontece o contrário e a lei e a Constituição de 1988 são desrespeitadas de forma flagrante pelos próprios agentes públicos, em evidente corporativismo.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

NOTICIÁRIO SOMBRIO

Vivemos momentos complicados mas absolutamente contornáveis, no que se refere a restauração de princípios éticos. O Judiciário, um poder que nunca deveria ser citado por desmandos virou notícia (ruim), a política está repleta de conduta condenável, de conformidade com a maioria dos homens que exercem o Poder Legislativo (federal, estadual e municipal). Ainda bem que a liberdade "ainda" está vigorando, e cabe a população melhorar as coisas, votando em gente séria, com ficha limpa e voltado as causas públicas, não para as "coisas públicas". Quem tem que fazer a faxina somos nós, conscientizando-nos sobre a responsabilidade do voto e cada cidadão procurando alertar as pessoas para que pensem no Brasil na hora de eleger os candidatos. Enquanto isso não mudar, o noticiário estará repleto de informações sobre desvios de dinheiro, que prejudicam e muito toda a população.

Ademar Monteiro de Moraes ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

*

JUDICIÁRIO

Se tudo o que estão falando do Poder Judiciário puder ser provado, só resta uma alternativa: devolver o Brasil para Portugal, e pedir desculpas pelo estrago.

Pedro Mori advpedromori@ig.com.br

São Paulo

*

ALGO DE PODRE ACONTECE

Isto é Brasil. Enquanto o Poder Executivo da República vai empurrando com a barrica o royalty do petróleo, o Poder Legislativo aproveita e empurra as reformas política e tributária. Seguindo o mesmo caminho, o Supremo Tribunal Federal (STF) joga para escanteio a ação da Associação dos Magistrados do Brasil (AMB), que tira do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) o poder de punição dos magistrados que cometeram delitos. Medo de quê? Está acontecendo algo de podre dentro dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário. Acorda, Brasil.

Leônidas Marques leo_vr@terra.com.br

Volta Redonda (RJ)

*

BANDIDOS DE TOGA

Dizem que o Judiciário é o menos corrupto dos Poderes, mas será que na prática isso se confirma? Será que quem fez essa afirmação está certa, é inegável que ele é também. A mais alta corte do País, o Supremo Tribunal Federal (STF) terá de determinar como a justiça brasileira lidara daqui para a frente com investigações que atingem os próprios integrantes - sejam eles juízes de primeira instância, desembargadores ou ministros de tribunais superiores. Atrás das togas dos juízes, tem bandido escondido. A frase é forte, e quem o pronunciou foi a corregedoria do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Eliana Calmon. Criado em 2004 para investigar e punir juízes corruptos. A fala da ministra Eliana Calmon, provocou uma reação vigorosa da parte do presidente do supremo, e também presidente do CNJ, ministro Cezar Peluso, como se os juízes fossem seres de outro planeta, que não estariam a margem de erros como qualquer outro cidadão mortal. Peluso disse que as declarações de Eliana Calmon eram "um atentado ao estado democrático de direito" e que, em quarenta anos de magistratura, "nunca havia lido uma coisa tão grave". Duvido que o ministro tenha encontrado alguém que pense como ele a respeito da honestidade de muitos juízes? Muitos deles mesmo recebendo salários que não chega estar entre os mais bem pagos pela iniciativa privada, tem exibido patrimônio milionários e suntuosos. Dinheiro não cai do céu, ou cai pra juízes? Nos últimos anos muitos juízes foram afastados de suas funções e outros presos por venda de sentenças, uso de verbas para fins pessoais (como foi o caso do juiz "Lalau"), fez corpo mole nos julgamentos: Certamente, essa não é a regra na grande maioria dos magistrados. Mas nessa categoria de trabalhadores não só é formada de pessoas ética e santificadas que não se corrompem. O bate boca surgiu enquanto o supremo julgava uma ação, movida pela associação dos magistrados brasileiros, que vai no sentido de diminuir os poderes do CNJ. Para alguns ministros do STF, o CNJ atropela os órgãos estaduais de justiça. É claro que, no âmbito estadual, as pressões pela impunidade são bem maiores - e foi por isso mesmo que se criou um conselho federal para cuidar do assunto, que parece tanto estar incomodando os ministros do supremo tribunal federal, em especial o seu presidente, ministro Cezar Peluso. Não tem dúvida: Vai pegar mal se o supremo decidir diminuir os poderes do CNJ. A frase de Eliana Calmon, foi mais que assertiva, o fato chamou a atenção para as tentativas, que sempre existem de se jogar para debaixo do tapete, de deixar as mazelas não muito republicanas do judiciário sem rigorosas fiscalização. Essa não é a justiça dos homens?

Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

*

'IMAGEM DO JUDICIÁRIO EM TRANSE'

Espero que, na cúpula do Judiciário, a vertente que encarna o valor democrático da transparência, consiga prevalecer sobre a outra que prefere o conforto do corpo opaco, para que, pelo menos as transmissões ao vivo da TV Justiça permaneçam no ar.

Sergio S. de Oliveira marisanatali@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

JUSTIÇA EM DEBATE

Na semana passada o Brasil foi surpreendido pela mídia com a notícia do depoimento da corregedora do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Eliana Calmon, verdadeira heroína ao dizer que há "bandidos atrás das togas" (toga vestimenta de juízes). O povo já tinha visto varias sentenças que punham em duvida o Supremo Tribunal Federal, colocando em liberdade vários réus como por exemplo: Daniel Dantas, José Arruda, Roger Abdelmassih e a Jaqueline Roriz etc..alguns foram filmados em vídeos praticando o ilícito!! Agora saiu na mídia que o Presidente do Supremo Tribunal Federal Cezar Peluso, nega debater com a Calmon no senado. Por que será que ele não quer ir debater, e por que ele insiste que juízes deve ser investigado no seus "redutos" estaduais, o que já se sabe, não vai dar em nada. Há uma luz no final do túnel da justiça, não vamos deixar alguém apagar esta esperança desta nação.

Anderson Aparecido dandersonaparecido@yahoo.com

Hortolândia

*

AGORA CHEGA

Faz mais de uma ano que o ministro do STF Dias Tofolli segura todos os processos referentes às poupanças devidamente tungadas pelos Planos Econômicos de Sarney e Collor, amicíssimos de Lulla e Dilma, e nada faz para que estes tenham o devido andamento. Isso é uma afronta a todos aqueles que foram prejudicados por Sarney e Collor em suas "viagens alucinatórias" nas décadas de 80 e 90, causando danos irreparáveis em todos os cidadãos de bem do Brasil! Muitos dos que tiveram seus valores retidos até se mataram por culpa de Collor e agora o pessoal do STF se faz de cego, surdo e mudo para não tomarem qualquer atitude legal para que todos os bancos, quer sejam públicos ou privados nos devolvam o que nos tiraram na época. Por este e outros motivos é que devemos, de fato, questionarmos nosso Poder Judiciário, pois situações como estas somente denigrem a imagem do que outrora já foi um símbolo de real justiça para toda a população brasileira .

Boris Becker borisbecker@uol.com.br

São Paulo

*

GOLPE DAS TELECOMUNICAÇÕES

A integração das redes de serviços Net, Claro e Embratel deixa o cidadão cada vez mais refém dos péssimos serviços prestados e do alto custo, pois terão cada vez menos ofertas na praça. A junção das empresas é mais um golpe contra o consumidor e uma forma de ficarem protegidas. Onde está a Anatel que fecha os olhos para essa aberração? As empresas não possuem um call center digno. Os clientes vivem estressados tentando resolver pendências dos serviços pelos quais pagam. Interessante notar os preços dos pacotes que vão variar entre R$400,00 a R$700,00. Quais consumidores essas empresas estão tentando atingir? Excelente negócio para o bilionário mexicano Carlos Slim e alguns espertos que se associam a ele. Péssimo negócio aos brasileiros., Bom lembrar que, no discurso de muitos políticos a promessa era serviço de banda larga mais barato e com maior velocidade. A velocidade que se vê é o assalto ao bolso do cliente que deve fazer as contas e procurar quem oferece melhor serviço e preço.

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

PAGANDO MAIS PELO MESMO

As operadoras de telefonia móvel pressionaram o governo e conseguiram alterar as condições para a banda 4G. O governo cedeu no estabelecimento de metas para a qualidade da banda, aumentando o prazo das metas para alcançar esta qualidade. Continuaremos a ter uma internet a passo de cágado e a preço caríssimo de 3º mundo, sim, porque no Primeiro Mundo, que tem uma internet que bota a nossa no chinelo, o custo é 1/3 da nossa internet. Continuaremos pagando caro e tendo um serviço de m..., graças ao governo.

Panayotis Poulis ppoulis@yahoo.com.br

Rio de Janeiro

*

CENSURA

A Secretaria de Políticas para as Mulheres ligada à Presidência da República e o Sindicato dos Metroviários de São Paulo apoiam a suspensão do melhor quadro de humor surgido nas últimas décadas na mesmice do humorismo televisivo brasileiro. O quadro em que o travesti Valéria interpretado por Rodrigo Sant'anna conversa com a ingênua suburbana Janete, interpretada por Thalita Carauta dentro de um vagão do metro no programa Zorra Total da rede Globo, é extremamente hilário e inteligente e por isso mesmo, se tornou uma rara exceção nos programas humorísticos da TV brasileira.

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

ZORRA TOTAL

Sindicato dos Metroviários reclama e pede a retirada de quadro do Zorra Total. Nós também gostaríamos de reclamar e pedir a saída da zorra dos Sindicatos.

Maria Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

*

A VOLTA DA BESTA

O comercial de Gisele e o Metrô Zorra Brasil estão na mira da censura. A Secretaria de Política para as Mulheres deveria se preocupar com as mulheres nas cracolândias do Brasil inteiro, a maioria jovens e crianças, nos pontos conhecidos de prostituição principalmente no Norte e Nordeste brasileiro e no trabalho semiescravo nas matas da região amazônica. Se querem realmente ajudar as mulheres brasileiras, não é ressuscitando a censura que vão conseguir algum resultado. Resultado se consegue com informação, sem milongas, sem meias palavras. Censura é a besta da ditadura que tantos gostariam que voltasse para continuar a festa com dinheiro e tempo roubados do povo brasileiro. Seria maravilhoso uma aparição de Gisele no Metrô Zorra Brasil para desespero dos despeitados ou despeitadas da tal secretaria...

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br

Osasco

*

BEDELHO

Primeiro, a propaganda. Depois, o humorístico. Agora, a novela. A ministra lullopetista não tem mesmo o que fazer!

A. Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

A MINISTRA, O MODELO E O FAZ-DE-CONTA

O que faz uma ministra fazer tanto barulho por causa de uma propaganda que não é da sua conta? Será falta do que fazer, promoção pessoal, vontade de aparecer ? mas não ouvi nada da ministra nem das suas assistentes que correram em corroborar com a infeliz manifestação da ministra, sobre a agressão, mais uma, a um casal gay ou a prostituição de mulheres, algumas menores, nas prisões do Pará. Acho que a ministra Iriny Lopes comprou o modelito, usou mas não causou o efeito esperado?

Roberto Aranha rcao@globo.com

São Paulo

*

CONCEITO DE BELEZA

Independentemente da legalidade do apelo sexual apresentado pela Gisele Bündchen em seu milionário comercial de sianinhas, foco eu o fato de ser seu corpo considerado corpão. Pode ser corpão para as jovens anoréticas que se esforçam para serem modelos; para criadores de moda que não admitem que a beleza da modelo supere o esplendor de seus modelitos e nos desfiles apareçam como simples cabides recheados; para os por demais sensíveis que vêm nesses corpos sem curvas o surgimento de um novo conceito de beleza essencial feminina. No entanto para os apreciadores do corpo feminino, uma altura gigantesca atrapalha; faltas de curvas desestimulam as carícias manuais; coxas tênues, bumbuns chapados e seios tímidos diminuem muito a atração sexual, principalmente nos momentos íntimos.

J. Treffis jotatreffis@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

'CAPETALISMO'

Os excluídos e empobrecidos pelo perverso e ganancioso sistema financeiro internacional, e que são permanentemente atormentados por um "espírito imundo" que só pensa em lucros e juros escorchantes, em detrimento dos princípios básicos da dignidade humana, ocupam as ruas desde Wall Street até a Grécia, para promover um "exorcismo coletivo", clamando em uníssono: "Abaixo o 'capetalismo'! Vade retro, '$ataná$'!". Que seja gestada uma nova humanidade através desse movimento alvissareiro, aguerrido, espontâneo, coletivo e global, na qual impere o "ser" em vez do "ter".

Túllio Marco Soares Carvalho tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte

*

FORRAGEM

Pelo jeitão grego, o cavalo de Tróia vai continuar pastando.

A. Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

PRIVATIZAÇÃO DOS AEROPORTOS

O empresário que for louco o suficiente para aceitar as novas regras impostas para privatização dos aeroportos brasileiros que levante a mão! Essa ideia só pode ter saído de uma cabeçinha ideológica, sonhadora e esquerdopata. Depois dessa a aviação brasileira vai parar logo, logo! É brincadeira!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

MODELO DE PRIVATIZAÇÃO DAS RODOVIAS

Para contrapor aos pedágios com preço de primeiro mundo do PSDB SP e depois do modelo fracassado de você finge que paga pedágio e as concessionárias fingem que fazem obra, tipo barato e ruim. Agora o governo federal lança o pedágio "ruim, barato e demorado" onde as obras que já eram devagar, agora vão ser oficialmente diluídas em até 25 anos, ou seja, o que era demorado agora vai ser mais ainda e depois que pagarmos o pedágio, ainda vai morrer muita gente até que as melhorias fiquem prontas. É o contraponto ao bom e caro demais do PSDB em São Paulo onde temos estradas quase de primeiro mundo com pedágios com preços ainda maiores. No entanto ainda em São Paulo, existem rodovias péssimas (sem duplicação) e pedagiadas como a Bauru - Ipaussu, rodovia da morte pedagiada, onde Serra inaugurou o "pedágio pecúlio" pague hoje e garanta segurança para seus filhos e netos amanhã.

Márcio M. Carvalho mmcoak@hotmail.com

Bauru

*

TERCEIRO AEROPORTO DE SP

É incrível que alguém de bom-senso diga que Viracopos é aeroporto para a Capital a não ser para cargas, que não reclamam da longa viajem. Autoridades federais continuam querendo estrangular o setor aeroportuário de São Paulo. O terceiro aeroporto é urgentíssimo, além da expansão de Guarulhos, atrasada 15 anos. Daí o caos aéreo, insegurança e desconforto absurdos.

Sylvio Gama sngama@gmail.com

Rio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.