Fórum dos Leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S.Paulo

18 Outubro 2011 | 03h05

Nova fraude

Orlando Silva, ministro do Esporte, é a bola da vez (17/10, A4). E o roteiro é sempre o mesmo: a imprensa denuncia o ilícito, o denunciado, com ares de indignação, nega (imaginem se um infrator passa recibo do crime que comete!), seus companheiros hipotecam solidariedade, a presidente exige investigação, o Congresso convoca para explicações e dá-se por satisfeito com as alegações, nem sempre convincentes, do denunciado. Passam-se alguns dias e o denunciado pede afastamento, segundo ele, "para facilitar as investigações". E no fim fica tudo por isso mesmo: o denunciado não é punido, o dinheiro surrupiado não volta aos cofres da União e tudo continua como dantes no quartel de Abrantes. O difícil, para nós, é aceitar que o "ex" ainda pode ser premiado com alguma nova "boquinha" no serviço público, em outra repartição governamental. Somos, infelizmente, um país grande no tamanho, porém pequeno em se tratando de seriedade política. Lamentável!

ALVARO SALVI

alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

Dinheiro na garagem

Patético que no caso da denúncia de desvio de verbas do Ministério dos Esportes o foco central seja a falta de provas inquestionáveis de que o sr. Orlando Silva recebeu de volta parte dos R$ 3 milhões repassados às ONGs do policial militar João Dias Ferreira. Se provas resolvessem, a deputada Jaqueline Roriz (filmada recebendo propina) teria sido condenada e punida. O verdadeiro foco é examinar a fundo as inúmeras e claras evidências de que o Ministério dos Esportes desvia recursos públicos para fins particulares.

CLAUDIO JANOWITZER

cjano@terra.com.br

Rio de Janeiro

Bandidos e bandidos

O ministro do Esporte afirma que o policial militar que o acusou de receber propina na garagem do ministério é um bandido. Mas ele confirmou que o recebeu em seu gabinete. Como dizem que perguntar não ofende, quero saber: por que e como o ministro recebeu um bandido no gabinete?

MARIA TEREZA MURRAY

terezamurray@hotmail.com

São Paulo

Impunidade

É ela a mãe de todos os desmandos que políticos sem vergonha (a maioria, infelizmente) praticam, assaltando o dinheiro do contribuinte descarada e escancaradamente. O Amapá está apodrecido e a população segue quieta. Agora uma bomba explode no sempre suspeito Ministério do Esporte. E vai acontecer o quê? Nada! O que interessa é ter Copa do Mundo por aqui, não é mesmo? E o Judiciário? Vai analisar os autos nos próximos seis ou sete anos... E assim vai. O povo tem mesmo de ir às ruas. E que a mídia (rádios, jornais e outros) nos ajude!

ADEMAR MONTEIRO DE MORAES

ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

Tratamento meritório

Quem sabe, se a moda pegar, os eleitores comecem a tratar os políticos com as mesmas "gentilezas" com que alguns torcedores tratam jogadores de seus times de futebol. Ao menos seria mais justo e aceitável: o time pode perder uma partida, até um campeonato, já os políticos nos roubam o futuro e a corrupção nos mata.

OSWALDO COLOMBO FILHO

colomboconsult@gmail.com

São Paulo

Faxina x pobreza

Indagada por jornalistas, recentemente a presidente Dilma disse que a prioridade do seu governo não é a faxina da corrupção, e sim acabar com a pobreza. Neste momento, em que mais um ministro é suspeito, vale a pena a presidente repensar. Enquanto a corrupção institucionalizada continuar, a pobreza não vai acabar. Se os bilhões do dinheiro público desviado tivessem sido investidos em saúde e educação nestes últimos anos, teríamos um país bem melhor. Pessoas mais saudáveis e preparadas para poderem ter um emprego decente e uma vida digna. Enquanto a grande faxina não vier, continuaremos pagando cada vez mais impostos para tapar o buraco que a corrupção continua sempre cavando.

ARI GIORGI

arigiorgi@hotmail.com

São Paulo

O escândalo e a mídia

Aldo Fornazieri inseriu no seu artigo A esquerda e a corrupção (15/10, A2) frase lapidar que deve ter incomodado os nossos governantes do Planalto: "Antes de tudo é preciso dizer que não é a mídia que cria o escândalo, é o escândalo que gera a pauta".

CLEA M. G. CORRÊA

cleacorrea@uol.com.br

São Paulo

*

PAÍS DA COPA

Meros detalhes

Dez homens armados fazem arrastão na Via Dutra. Criminosos bloquearam uma das pistas neste domingo (16/10). Carteiras, celulares e um carro foram roubados durante a ação. Em compensação, estamos construindo modernos estádios de futebol, isso é o que interessa. Inflação, educação e saúde, cuidados nas péssimas estradas, juros estratosféricos... a Fifa não se importa com problemas menores!

MAURICIO VILLELA

mauricio@dialdata.com.br

São Paulo

Custos

Ao contrário do que diz a manchete do Estadão deste domingo, o Brasil sabe muito bem quanto vai custar a Copa do Mundo de 2014: muita mutreta, muito superfaturamento, muito escândalo e nenhuma punição.

JULIO C. TESHAINER

jcteshainer@terra.com.br

São Paulo

Duas certezas

A primeira delas é que o custo da Copa do Mundo ultrapassará cifras astronômicas (bilionárias), cujo montante o governo (responsável pelas obras) desconhece. A outra - não há dúvida nenhuma - é a corrupção, que atingirá uma escala invejável, colocando nosso país, com certeza, no topo do ranking das nações corruptas.

ALOISIO PEDRO NOVELLI

celnovelli@terra.com.br

Marília

A má gestão púbica

Projetos e obras públicas mal feitos, atrasados e com custos exorbitantes têm uma explicação simples: a terrível combinação de incompetência com safadeza!

CHRISTIAN NIELSEN

cnielsen@uol.com.br

São Paulo

 

*

AS SANGRIAS DAS FINANÇAS PÚBLICAS

Independentemente da verificação de responsabilidade por atos de corrupção, a nação brasileira toma conhecimento de mais uma sangria operada sobre os recursos públicos originados de contribuições tributárias que correspondem a mais de seis meses de seus rendimentos. Dinheiro entregue com facilidade pelo Ministério do Esporte, entre 2005 e 2007, a sociedades de Kung-Fu e embolsados pelos respectivos diretores. R$ 4 milhões. Nada significativo, se comparado com o valor total do dinheiro público escoado pelo ralo dessas entidades que mamam nas tetas do governo.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

AÍ TEM

O ministro do Esporte, Orlando Silva (PCdoB), está envolvido em

um suposto desvio de dinheiro em programa de Organização Não Governamental (ONG). Por que se chama organização "não governamental", se recebe verbas do governo federal? Será que não tem "tapioca" aí?

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

DILMA E O MINISTRO DA VEZ

Depois de ser chamado de “bandido” pelo ex-companheiro de partido que o denuncia por receber propina e manter esquemas de fraude, o ministro Orlando Silva tem muito a explicar. Esperto, ele já corre pela tangente, dizendo-se vítima da cobiça política pelo seu cargo, que ganha importância com a Copa do Mundo no Brasil. Para o bem do seu governo, a presidenta tem de exigir o completo esclarecimento desse triste episódio. Além das auditorias e sindicâncias do Executivo, é interessante acionar a Polícia Federal para, com os seus recursos, possa levar a fundo a procura de atividades suspeitas do Ministério e seus conveniados e, se necessário, se faça a apreensão de equipamentos e documentos e até a prisão de envolvidos que possam atrapalhar as investigações. Não queremos a caracterização de um Estado policial, mas quando os casos são da magnitude do ora denunciado, a polícia pode ser o único “remédio” para deslinde. Os denunciantes também têm muito a explicar. Todos os envolvidos em corrupção devem ser exemplarmente investigados e, quando confirmada a irregularidade, receber a mais severa das condenações. O dinheiro público é sagrado e só pode ser aplicado em serviços e bens públicos. Há que se endurecer o jogo com todos os que deviam verbas em benefício próprio ou de terceiros. A falta desse dinheiro em sua destinação pública priva o povo de educação, saúde, moradia, trabalho e uma série de outros direitos básicos. A sociedade quer ver o caso totalmente esclarecido e os faltosos, punidos, independentemente de quem sejam. Bom seria se também pudéssemos ver condenados os implicados nos casos dos sanguessugas, dos mensalões, do dinheiro na cueca e de outros que ainda ecoam pelos quatro cantos do País...

 

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

CÍNICOS

Uma surpresa brasileira. Enquanto, em várias capitais da Europa, surgem fortes movimentos populares contra adoção de medidas que atingem os assalariados, no Brasil proliferam as ONGs sem fins lucrativos. Caso dos convênios firmados pelo ministro Orlando Silva. Caso das Organizações Sociais de Saúde no Estado do Rio de Janeiro. É estranho. Qual a razão disso? Farsa total, para contornar a Constituição federal. O parágrafo 2.º do artigo 199 veda taxativamente o uso de recursos públicos para subvenções ou auxílios a entidades privadas com fins lucrativos. Francamente: quem se dispõe a trabalhar gratuitamente? Por isso multiplicam-se as Organizações Não Governamentais disfarçando-se cinicamente no País.

 

Francisco Pedro do Coutto pedrocoutto7@yahoo.com.br

Rio de Janeiro

*

OUTRO ESQUEMA

O governo Dilma é velho. Cheira a mofo, nove meses e meio após a "mãe do PAC" ter tomado posse do cargo antes ocupado por Lula, o "pai do povo". Mais um sinal claro disso surgiu nesse final de semana, com as denúncias de que o ministro do Esporte, Orlando Silva, seria o mentor de (mais) um esquema de corrupção responsável pelo desvio de mais de R$ 40 milhões dos caixas públicos. O PT está de tal sorte acomodado no mais alto escalão da administração federal que não faz, há algum tempo, a menor questão de exigir dos membros do governo o mínimo de probidade, decência e moralidade (se é que já fez, algum dia). É isso o que sempre acontece com aqueles que pretendem, a todo custo, se perpetuar no poder. É inevitável: o tempo passa e, junto, o apreço pela ética vai sendo esmagado pela obsessão de agradar partidos, aliados, correligionários, empresários... Tudo em nome de um projeto de poder. Projeto de País? Ah, com isso, essa gente não está nem um pouco preocupada. Que o digam Alfredo Nascimento, Wagner Rossi, Pedro Novais e, agora, Orlando Silva.

 

Henrique Brigatte hbrigatte@yahoo.com.br

Pindamonhangaba

*

DELÚBIO ERA MAIS BARATO

Somando os "malfeitos" no Ministério dos Transportes aos do Ministério da Agricultura e, agora, aos do Ministério do Esporte, chego à triste conclusão de que com o Delúbio era mais barato...

 

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

*

QUADRILHA

O Ministério do governo Dilma se enquadra perfeitamente na definição de crime de formação de quadrilha, quando três ou mais pessoas se unem para o fim de realizar um ato ilícito. Com mais um ministro caminhando a passos largos rumo a renúncia ou cassação depois de ser denunciado corrupção resta saber o que se espera ainda para interpelar judicialmente esse governo por crime de formação de quadrilha!

 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

O CÂNCER QUE NÃO REGRIDE

São estarrecedoras as novas denúncias de desvios de verbas públicas, agora envolvendo pessoas do PCdoB, Partido Comunista do Brasil e ao próprio ministro do Esporte, Orlando Silva, ligado ao partido. Segundo a revista Veja, o suposto esquema "roubo de dinheiro público" teria desviado cerca de R$ 40 milhões nos últimos oito anos. A denúncia recai principalmente sobre o ministro, já que uma testemunha diz ter visto o ministro recebendo caixas com notas de R$ 50, e R$ 100 dentro de uma garagem. Como sempre alguém quando é pego com a mão na cumbuca vem com a frase dizendo que confia na justiça. Ca pra nós, já que a Polícia Federal vai investigar o caso, que tal iniciar as investigações pelas obras do Pan no Rio de Janeiro em 2007, que teve seus gastos multiplicados por dez, que até hoje não foi dada uma justificativa à sociedade, que é quem paga esse desbarates de dinheiro que vem sendo jogado no ralo, ou nos bolsos de alguns espertalhões? Já deu para reparar que os protestos iniciados em 7 de Setembro contra a corrupção estão cada vez mais ganhando as ruas e as redes sociais nos últimos tempos. Não chega perto de grandes manifestações da história do País, como a campanha pelas Diretas Já, no início dos anos 80, ou a do impeachment de Collor, nos anos 90. Mas também não dá para ignorar as 20 e tantas mil pessoas que se reuniram em Brasília, na quarta-feira, feriado do dia das crianças para expressar seu descontentamento e indignação com a enxurrada de denúncias de corrupção em quase todos os Poderes da República, e, o pior, ninguém até agora está preso nem devolveu o dinheiro "roubado" dos cofres públicos. No mundo todo, da Europa aos países árabes, passando até por Nova York, parece que é um bom momento para manifestações, por mais diferentes que sejam os motivos. Por aqui, a "faxina" que a presidente Dilma Rousseff mal ou bem foi obrigada a fazer parecer ter dado impulso aos protestos. Um dos pontos positivos da atual onda de manifestações no Brasil é que os slogans vagos estão dando lugar a reivindicações concretas, como a "ficha limpa" para cargos de confiança e o fim do voto secreto em processos de cassação de parlamentares. Ca pra nós, até as pedras sabem que a maioria das ONGS criadas no Brasil são para desviar dinheiro público para o bolso de alguém ou para campanhas políticas. Quanto às denúncias da revista Veja do fim de semana, tem que se investigar exaustivamente até porque essas pessoas estão diretamente ligadas a execução das obras da Copa de 2014, e a Olimpíada de 2016, que até o momento ninguém sabe dizer quanto será gasto com os dois maiores eventos do planeta. Se nada for feito, vai ser dinheiro público saindo pelo ladrão, alguém duvida? 

Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

*

DEVE SER CALÚNIA!

Nenhuma novidade, é o (des)governo do PT e aliados, agora chegou a vez do ministro do Esporte, Orlando Silva, que está sendo denunciado por fraude, por desviar verbas do programa Segundo Tempo. O denunciante, também envolvido, foi filiado ao partido do ministro – PcdoB –, como se deduz só pode ser "perseguição política" ou deve ser calúnia... Alguma dúvida? Faltam pouco mais de dois anos para a Copa-2014, imaginem a repercussão mundial? Com quase tudo por fazer, vai ser um $uce$$o. Alguns até sugerem a mudança de nome do ministro para "Roubando Silva", que já aceita inscrições de nova modalidade "esportiva" para a Olimpíada-2016, "rouba-monte", inclusive muitos apadrinhados e aliados já se inscreveram na modalidade por estarem muito bem preparados. Que tristeza, termos que fazer "piada" das nossas desgraças, - que como sempre não dão em nada, não há punição a ninguém e muito menos os valores apropriados são devolvidos -, um verdadeiro incentivo ao roubo do dinheiro público, que calúnia!

 

Luiz Dias lfd.silva@uol.com.br

São Paulo

*

AQUECIMENTO

Em Brasília, a roubalheira programada para o 2° tempo começa antes do jogo.

 

A. Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

O PCdoB E A CORRUPÇÃO

Se alguém de dentro do partido faz as revelações de corrupção e o modus operandi do minsitro canalha, é porque a coisa e seriíssima. Ninguém vai inventar uma história com tantos detalhes e nomes. Além disso, o culpado na verdade por toda essa corrupção é o ex-presidente orador Lula. Forçar a permanência de verdadeiros aproveitadores se julgando imprescindíveis e com a cama pronta só podia dar nisso. A renovação deveria ter sido a prioridade da presidente Dilma para acabar com o vício desses partidos parasitas. Não é o primeiro nem será o ultimo ministro canalha, mais horríveis surpresas virão por ai, infelizmente, para o nosso país, que não merece tanta corrupção. O povo sofrendo com os péssimos serviços públicos e um partido nanico e sem vergonha se esbaldando com tanta grana. Polícia Federal e procurador-geral neles todos e, por favor, ministro, chega de papo furado e cara de santo do pau oco. O Sr. está nessa para ficar RICO, é claro.

Antonio Jose G. Marques a.jose@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

RENDIMENTOS AUFERIDOS NOS MINISTÉRIOS

Astronômicos desvios na Copa e Olimpíada são os principais objetivos dos participantes da maratona da corrupção, que acontece na Esplanada dos Ministérios e na qual o Ministério do Esporte está bem cotado para subir ao pódio, já que de sua equipe faz parte a proficiente Secretaria Nacional de Esporte de Alto Rendimento.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

     

*

ESPORTE AMADOR OU PROFISSIONAL

As acusações ao ministro do Esporte não é coisa de amador, mas de profissional.

 

José Piacsek Neto bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

                                                                         

*

ORLANDO SILVA

Que comer criancinha nada, o esporte deles é outro! Não se fazem comunistas como antigamente...

Rubens Tarcisio da Luz Stelmachuk rtls@bol.com.br

Curitiba

*

DIFERENCIADOS

 

Outrora tivemos Orlando Silva, o cantor das multidões. Hoje temos outro Orlando Silva, o causador de apreensões.

 

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo

*

ELE FICARÁ

Será que o ministro Orlando Silva ficará até a Copa do Mundo e a Olimpíada?

Cícero Sonsim c-sonsim@bol.com.br

Nova Londrina (PR)

*

PAÍS DO FUTURO

Quatro anos após ter sido escolhido como sede da Copa do Mundo de 2014, o Brasil ainda não sabe quanto 80% dela irão custar. Porque 20%, bem, isso não é da nossa conta. A Controladoria-Geral da União (CGU) prevê R$ 24 bilhões e a Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib), R$ 112 bilhões. Uma diferencinha à toa de R$ 88bilhões.

Flavio Marcus Juliano opegapulhas@terra.com.br

São Paulo

*

COPA 2014

O Brasil não sabe quanto custará a Copa do Mundo de 2014. Que país é esse? Que governo (ou desgoverno) é esse? Isso aqui está parecendo piada pronta. Não há planejamento algum. Estamos à deriva. A presidente ainda sai pelo mundo dando conselhos de administração. Faça-me o favor. O analfabeto funcional diz em uma palestra que fez mais que Steve Jobs e Bill Gates juntos. Parem a Terra, que eu quero descer.

 

Sergio Michilin ser.michilin@hotmail.com

Osasco

*

A CORRUPÇÃO QUE NOS ASSOLA

A notícia de que não se sabe quanto o Brasil vai gastar na Copa depois de 4 anos da indicação mostra o quanto há de despreparo e de desmando dentro do governo petista. Um partido que antes bradou a bandeira da moralidade está agora permitindo e participando de coisas inacreditáveis há alguns anos atrás. Não é nenhuma novidade que na área de Esportes a corrupção corre solta, assim como na do Turismo, dos Transportes, das Cidades, da... Se no Estado escolhido pelo sr. Sarney para  ser senador a roubalheira é incrível, como será no resto do País, onde ainda não foi feita uma operação  Mãos Limpas? Quanto mais de impostos o governo quer arrecadar para fazer frente a tudo que precisa se o escorredouro da corrupção não é contido? O que faz a presidente que está se valendo de algumas demissões de corruptos para se fortalecer e fecha os olhos e ouvidos para o resto? Até onde este ministério lulo-dilmista vai funcionar como está? Será que pensam que somos todos idiotas? Pode ser que grande parte do povo esteja contente com a melhora de suas condições de vida que se deu por causa do Plano Real, mas o que fará quando descobrir que a inflação voltou forte e que seu poder de compra se esvaneceu? O movimento contra a corrupção está só começando e tudo indica, se as coisas continuam como estão, que vai se fortalecer dia a dia. Chega de corrupção!

 

Maria Tereza Murray terezamurray@hotmail.com

São Paulo

*

MAIS UMA

A mais nova realização do Lula: a abertura da torneira para benefício do PT e toda a sua corja (Copa 2014)!

 

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@ig.com.br

São Paulo

*

SEM CORAGEM DE DIZER A VERDADE

Como pode um governo enganar a sociedade com dados sabidamente falsos e continuar impune? Em 2010 o governo orçou o gasto com a Copa do Mundo de futebol em R$ 21 bilhões.  Em setembro de 2011 esse valor já aumentou, segundo o governo, para R$ 27 bilhões, ou 30% a mais. No entanto, estudos da Abdib avaliam em R$ 112 bilhões os gastos totais com o evento. Para um país que precisa de R$ 45 bilhões para a saúde, parece muito dinheiro gasto com a competição. Certamente não entram nas contas do governo federal os gastos de prefeituras como a de São Paulo como também as exigências da Fifa em isenção de vários impostos por mais de um ano. Da Espanha vem o comentário sobre a “hora da verdade de Dilma” que chegará quando auditarem as despesas da Copa, diz o jornal El País. Se auditarem! Se um dia divulgarem! Falsa esperança, o povo nunca saberá a verdade.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

O DRIBLE BRASILEIRO

Das duas, uma: ou assinamos o contrato sem ler a Lei Geral da Copa ou os cartolas da Fifa modificaram as regras do jogo.

Helena Rodarte Costa Valente helenacv@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

VERGONHA

Manchetes de jornais e revistas envergonham o País: Presidente da CBF suspeito de lavagem de dinheiro; Ministro do Esporte suspeito de receber propina. Às vésperas da realização da Copa do Mundo de Futebol, não se pode dizer que  estejamos indo muito bem no que diz respeito a dirigentes dessa área. E nem falei da nossa precária infraestrutura.

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

ALMA LAVADA

Mais uma vez me senti com a "alma lavada" ao ler último artigo de Carlos Alberto Sardenberg, Na base do puxadinho (17/10, B2), adorei a parte do "desculpa aí, pessoal, foi mal". Sem falar que este governo tem medo de reformas tanto previdenciária, tributária e principalmente trabalhista. Por que o Sardenberg não escreve diariamente no Estadão? Suas colunas são ótimas.

Roberto Saraiva Romera robertosaraivabr@gmail.com

São Bernardo do Campo

*

2014, O ANO DA FIFA NO BRASIL

A Fifa espera que as assembleias estaduais e municipais das doze cidades sedes da Copa de 2014 aprovem o projeto que concede plenos poderes a ela para fazer o que bem entender aqui no Brasil durante todo o ano de 2014. No Congresso Nacional também está em tramitação o projeto de Lei Geral da Copa, que concede poderes especiais à Fifa dentro do território nacional. Portanto, durante todo o ano da Copa do Mundo, a Fifa vai fazer e desfazer aqui no Brasil. Diante desta nova realidade seria bom mudar o apelido de "Casa da Mãe Joana" para "Casa da Fifa". Os novos governantes vão poder mudar até o nome dos estádios de futebol. O Itaquerão deve ter o nome mudado para "Fidelity Stadiun", em homenagem à torcida corintiana. Isenção de impostos sobre todos os produtos das empresas que sustentam o bando que controla a Fifa. A farra vai ser inesquecível. O assalto aos cofres públicos não vai ser feito apenas por corruptos nacionais, mas por quadrilhas milionárias do primeiro mundo. Não será exigido visto de entrada no Brasil para qualquer membro da Fifa, nem para os torcedores estrangeiros que tenham comprado ingressos para os jogos. Qualquer vigarista ou terrorista poderá entrar no Brasil, desde que apresente um bilhete de entrada para algum jogo da Copa. Meu Deus, que loucura! O ano de 2014 deverá entrar para a história como sendo o ano em que o Brasil foi governado pela Fifa. Diante deste quadro surrealista, acho que a presidência do Brasil em 2014 deveria ser doada ao Ricardo Teixeira.

Wilson Gordon Parker wgparker@oi.com.br

Nova Friburgo (RJ)

*

‘FIELZÃO’

Sobre o artigos a respeito do Fielzão (16/10) e comentários do professor Jaime Waisman, cabe lembrar que este estádio possibilitará à cidade receber a abertura da copa, e os estudos realizados apontam receitas superiores ao dobro das benesses concedidas. Mais ainda, ao se prever eventos constantes no estádio do Palmeiras, em região de maior poder aquisitivo, estas garantirão o investimento, mas, fatalmente, a qualidade de vida dos moradores do entorno cairá.

 

André C. Frohnknecht anchar.fro@hotmail.com

São Paulo

*

SINAIS PARA ALERTAR

Vamos cair na vala comum: só não vê quem não quiser ver. Antes agora do que mais na frente, quando o buraco seguramente vai ser muito maior. Analise um pouco pela disponibilidade de tempo, e dos rolos que estão acontecendo e que vão acontecer até 2016, envolvendo, principalmente, Fifa, COI, COB, CBD e cia. Cada um com o tamanho particular de suas mazelas sem nenhuma transparência que possa interessar ao povo, a não ser a eles mesmos... Quem? Todo “mundo” sabe. Só eles nunca sabem de  nada como se a m... não fosse com eles.

Luiz Carlos Cunha luiz.cunha@terra.com.br

São Paulo

*

LOBBY

O que poderíamos esperar nesta união maléfica entre o ministro da Trabalho, Carlos Lupi, o ex-secretário de Relações de Trabalho Luiz António Medeiros e o líder da Força Sindical deputado Paulo Ferreira da Silva? Na ocasião em que conseguiram emitir certidão atestando que o "CSPB" representa servidores públicos federais e, desta forma, podem receber o imposto sindical. É uma vergonha, não é?

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

O MOVIMENTO ESTÁ CRESCENDO

 

Sem apoio de partidos, sindicatos, UNE, grandes empresas, figurões da TV, e sem grande divulgação na mídia, o movimento contra corrupção em São Paulo triplicou de tamanho, paralisou a Avenida Paulista e depois a Avenida da Consolação. Jovens, profissionais liberais, cidadãos comuns de várias idades se juntaram para levar a mensagem de protesto contra a corrupção no Brasil, agora com propostas mais claras: Ficha Limpa, Voto Aberto no Congresso e Corrupção como Crime Hediondo. Mais 27 cidades participaram, com 20 mil pessoas em Brasília. O melhor refrão foi: "Ou para a Corrupção ou paramos o Brasil". Um excelente convite a todos os brasileiros do bem para participar em 15 de Novembro.

 

Gabriel Vilardi gabrielvilardi@hotmail.com

São Paulo

*

SHALIT LIVRE

Hoje, terça feira (18/10/2011), testemunharemos a libertação do soldado israelense Gilad Shalit. Na verdade, mais do que uma libertação, uma troca dolorosa na qual Israel terá de comprometer parte de sua segurança e entregar 1.027 criminosos e terroristas para receber apenas um. Isso demonstra claramente o peso que uma vida tem para nós judeus. Demonstra que mesmo chantageado o governo do único país judaico do mundo não optou pela invasão, pela destruição ou morte de seus opositores para resgatar seu soldado e esperou pelo momento certo para efetuar troca. Fica aqui uma à todos aqueles que insana e cegamente julgam e condenam Israel de violação dos Direitos Humanos que Israel prefere negociar a combater. E acima de tudo, que um único soldado que defende sua pátria vale mais do que mil terroristas que só pensam em destruição e morte. Shalit, seja bem-vindo e Shaná Tová.

Leandro Spett spett@hotmail.com

São Paulo

*

VALORIZAÇÃO DA VIDA

Políticas e interesses à parte, o mundo assiste nesta terça feira algo digno de aplauso: Israel está trocando 1.027 presos por l (um) soldado sequestrado à cinco anos. Este é o fato. Enquanto isso, assistimos, aqui em ruas brasileiras a vida sendo banalizada em filas de postos de saúde e total falta de segurança ao cidadão que paga seus impostos no ir e vir assegurado pela liberdade democrática. Já passamos da hora de encararmos os fatos como eles são, ou então, mudarmos a efígie de nossa bandeira, onde lemos “Ordem e Progresso”. Termino, desejando, que este ato de troca de prisioneiros seja um grande passo para a sonhada paz no Oriente médio, e um exemplo para todos os povos que aspiram a paz em todas as suas magnitudes. Valorização da vida é o que clamamos, a Deus e aos governantes de bom senso.

Vitor Adissi montreal@uol.com.br

São Paulo

*

DESPROPORCIONALIDADE

Estou inconformado com a reação desproporcional de Israel ao trocar mais de mil prisioneiros palestinos por um soldado israelense.

Ary Nisenbaum aryn@uol.com.br                   

São Paulo

*

SHALOM, SALAM, PARA SEMPRE

Para alguns deve tratar-se da simples troca de prisioneiros de uma guerra quase sem fim. Para muitos a confirmação de que apenas na mesa de negociações, sem violência, com bom senso, generosidade e vontade, a paz tão sonhada entre Israel e Palestinos será alcançada. Um grande passo que espero não se encerre por si mesmo.

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

A CAMINHO DO BRASIL

Em breve teremos mais um terrorista (Tawfic Abdallah) para chamar de nosso, ou melhor, vosso porque se dependesse de mim apodreceria no deserto. Mais uma vez o governo brasileiro está abrindo seus braços para um assassino, agora um palestino que seqüestrou e executou com suas próprias mãos um soldado que pedia carona. Só foi bem-sucedido, pois contou com a ajuda de sua esposa com passaporte Brasileiro para alugar um carro com placa israelense e sequestrar o primeiro que lhes pedisse carona, do contrario israelense algum pediria para um carro que não tivesse esta placa. Agora este terrorista, um dos 1.027 que serão libertados por Israel na troca com o Hamas, vem se juntar à sua esposa no Brasil, libertada por Israel em 1997 por conta de outro acordo e hoje uma bem sucedida empresaria do ramo de modas com lojas inclusive no bairro do Bom Retiro, quem diria, reduto judaico em São Paulo.

Ariel arielkrok@gmail.com

São Paulo

*

NATOS E IMPORTADOS

Certamente o governo brasileiro já está trabalhando para que Tawfic Abdallah, terrorista palestino assassino do soldado israelense David Manos, que será solto hoje em Israel, seja enviado ao Brasil, para encontrar-se com sua esposa Lamia Maruf, coautora do assassinato ocorrido em 1984. Enfim, o Brasil do PT é o paraíso de bandidos natos e importados. 

José Francisco Peres França josefranciscof@uol.com.br

Espírito Santo do Pinhal

*

QUE IMAGEM PROJETAMOS?

Mais alguns dias o Brasil receberá mais um sangrento e covarde assassino. Tawfik Abdallah que "deu carona" e assassinou friamente o soldado Daniel Manos, fazendo uso do passaporte brasileiro de sua esposa - também partícipe deste bárbaro ato. Já abrigamos no Brasil ao mega-assassino nazista Franz Stangl, aqui viveu Ronald Biggs, maior ladrão Inglês. Há pouco nosso ex-presidente lula (minúsculas) deu abrigo ao assassino Cesare Battisti e agora estamos a ponto de receber mais um monstro. Será que nos convém ser conhecidos como "paraíso de assassinos"? Será que nos cabe absorver mais um sujeito que prega o ódio entre os povos? Será que cada vez que viajo ao exterior preciso encontrar desculpas sem substância para defender meu país? Acho que basta! Que vá para o Afeganistão, para o Paquistão, para a Chechênia – onde atos como os seus parecem receber aplausos – e deixe-nos em paz!

Marcos L. Susskind  eulerei@estadao.com.br

São Paulo

*

CASO BATTISTI

O caso Battisti é a cara do nosso Brasil. Depois de terem concedido todas as regalias da lei a um fugitivo acusado e julgado por assassinato na Itália, agora uma luz brilha na memória do procurador-geral da República, Hélio Ferreira Heringer Junior e o faz recordar que a nossa Constituição ordena que assassinos julgados por crime em outro país não podem receber visto de permanência. Isto quer dizer o seguinte: nem o ex-presidente da republica, nem o Ministro da Justiça, talvez os diplomatas e muito menos os empolados ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), que tem por dever de ofício conhecer e defender o que reza a nossa constituição sabiam dessa obrigatoriedade. É tenebroso pensar que estamos nas mãos de tantos incompetentes e ainda pagando por isso.

Leila E. Leitão

São Paulo

*

BATTISTI, O COITADO

O Ministério Público (MP) sustenta em ação aquilo que todos nós já sabemos, mas que o STF parece não ter ainda descoberto: que a concessão do visto a Cesare Battisti foi ilegal, e satisfez apenas a um capricho e a vontade do ex-presidente Lula que, alegando ser sua decisão de dar o visto a Battisti um ato de soberania, mostrou a força de seu braço-de-ferro contra a lei, ora a lei... Não creio que o MP ganhe esta parada, pois os supremos togados estão todos ainda firmemente cooptados à vontade de Lula, o soberano.  Tanto que o Ministro Marco Aurélio Mello mostrou-se surpreso e inconformado de se lançar Battisti "numa nova via crucis".  Coitado do Battisti, vivendo tão tranquilo no litoral paulista, planejando montar uma ONG para que dinheiro público seja devidamente desviado para seu bolso... e vem o MP incomodá-lo? Mello tem razão... é uma via crucis mesmo... mas para todos nós brasileiros...indignados com a inversão de valores e de interpretação de nossas leis. A nossa aguda percepção desta inversão pode nos levar para onde? Fica a pergunta...

 

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

CESARE BATTISTI

Se bobear, sai candidato a vereador...

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

O COMPLÔ IRANIANO

Confesso que é um progresso reconhecer o editorial do Estadão de ontem (17/10), que o tal complô iraniano é estranho, embora se justificasse o superlativo “estranhíssimo”, mas afirmar que “ não é crível que Washington tenha inventado um pretexto para punir o país persa” com isso não posso concordar. Exemplos abundam na História americana, desde o longínquo episódio do incêndio e explosão do cruzador USS Maine na baía de Havana em 1898, falsamente atribuído aos espanhóis para justificar a Guerra contra Espanha, passando pelo ataque forjado do Golfo de Tonquin em 1964 que Lyndon Johnson usou para declarar guerra ao Vietnã do Norte e iniciar os seus bombardeios maciços e mais recentemente pelas tais armas de destruição em massa de Saddam Hussein que ninguém sabe e ninguém viu e que constituíram o fundamento para Bush lançar o ataque ao Iraque. Infelizmente é perfeitamente possível que o suposto complô não passe de mais uma trama forjada pelo Governo americano na sua verdadeira obsessão contra o Irã e o editorial do Estadão aponta todas as razões da sua inverossimilhança, tendo faltado apenas mencionar que Obama necessita de uma ação enérgica e vigorosa no plano externo para melhorar a sua imagem e aprovação perante o eleitorado americano.

Paulo Afonso de Sampaio Amaral drpaulo@uol.com.br

São Paulo

*

OCUPEM WALL STREET

A informação que o movimento "Ocupe Wall Street", que segundo os historiadores é a continuação de semelhante postura ocorrida em 1999 em Seatle, e que está levando tais  protestos a cerca de dezenas de cidades em todos os continentes – inclusive por aqui – são emblemáticos. Mostram tais posturas, a necessidade que as lideranças globais operacionalizarem mudanças na gestão da macroeconomia globalizada, para que a exclusão de muitos não sirva de combustível nefasto para uma explosão virulenta, que não interessa a ninguém.

José de Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

*

SISTEMA EM RISCO

É preocupante saber que bancos públicos como a Caixa e o Banco do Brasil, estão super alavancados com empréstimos. Enquanto bancos privados estocam R$ 1 para cada R$ 9,10 emprestados de capital próprio emprestados, os controlados pelo governo provisionam R$ 1 para cada R$ 34,90 de financiamentos, como nos informa o Estadão (16/10/11). Mais ou menos nesta situação de alavancagem irresponsável é que estavam as financeiras americanas ligadas ao setor habitacional que quase levaram a bancarrota em 2008 o sistema bancário mundial. Esta forma relapsa e populista do petismo administrar pode trazer graves consequências para economia brasileira, porque a inadimplência vem crescendo, e esses dois bancos públicos citados estão perigosamente comprometidos pelo volume de empréstimos já consolidados. Na gestão FHC, foi feito uma operação de guerra para salvar o sistema bancário. Aliás, o PT na oportunidade foi contra. Não fosse aquela responsável intervenção hoje com esta crise financeira externa a situação econômica do País seria um caos. Mas esses alojados no Planalto não aprendem, e podem comprometer o futuro da Nação! E o Banco Central, o que está esperando para intervir nesta prática amadora de administrar?!...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

REDUÇÃO DA SELIC

Tudo indica de que o Comitê de Política Monetária (Copom) irá reduzir a taxa Selic para 11,5% ao ano na próxima reunião. Na sexta feira retirou em torno de R$ 64 bilhões dos Bancos contra uma taxa de juros parecida com 11,32% ao ano.  Em paralelo o relator do orçamento federal para 2012 na Câmara Federal está montando uma alteração na previsão da Receita em torno de R$ 30 bilhões. Pela leitura trata-se de uma decisão política para aumentar os gastos públicos com a aprovação das famosas emendas parlamentares. Para quem acompanha as finanças públicas sem paixão forçosamente fica com a impressão de que a política econômica na vida real será a de “stop and go”. Quer dizer “vamos experimentar mexer nisso para ver como o mercado reage”. “Conforme o mercado reagir mudaremos novamente”. Tudo explicado de forma a convencer a grande massa de que o governo está defendendo os interesses do povo. Certamente em curto prazo, porque as eleições estão próximas. O capitalismo está cada vez mais alicerçado no mercado e no sistema financeiro. Independentemente das fronteiras políticas. Sem o funcionamento do sistema financeiro não se movimenta o mercado. E sem o mercado as famílias aumentarão as suas dificuldades, transformando-se em opositoras dos políticos governantes. Sejam eles quais sejam. Nesse clima volátil as empresas responsáveis aumentam as suas precauções na gestão, procurando o aumento da produtividade. No Brasil esse aumento de produtividade é a chave, inclusive do desenvolvimento. E esse deslanche depende de decisões políticas do governo federal. E algumas decisões pontuais não serão suficientes para recriar a confiança de longo prazo. Enquanto isso a Nação irá continuar a conviver com greves de toda ordem. A última anunciada é a dos juízes federais para o dia 30 de novembro.

Hélio Mazzolli mazzolli@terra.com.br

Criciúma (SC)

*

MP AUMENTANDO IMPOSTOS

Medida Provisória da desoneração aumentando imposto mostra a que veio esse governo. Falta pouco para sermos uma "Cuba branca"! Enquanto em Cuba os salários ficam diretamente com o Estado e esse repassa uma merreca ao trabalhador, aqui eles dão o gostinho do trabalhador receber o salário integral, mas que indiretamente voltará todinho aos cofres do governo. Ao dar aumento as empresas produtoras quem eles pensam que pagará a conta? Será tudo repassado ao consumidor final, obvio. Eles acharam uma forma eficiente de implantar o "comunismo moderno" no desavisado povo brasileiro. Como criar nova CPMF coloca a presidente Dillma em perjúrio, acharam outros meios de assaltar nossos bolsos indiretamente. Fica mais fácil do que investir em gestão eficiente não é? Até quando assaltarão o povo brasileiro, sendo que já trabalhamos quase seis meses por ano para pagar impostos?

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

INFLAÇÃO E CREDIBILIDADE

O ministro da Fazenda tem se revezado com o presidente do Banco Central visando a “vender” resultados otimistas. Situação análoga ocorre com IBGE e Ipea, com relação aos índices oficiais divulgados. O grande problema é que há muito eu deixei de acreditar nestas pessoas e nestes órgãos. Aí, repito, está o grande problema: credibilidade se conquista e não se exige.

J. André Bagatin andré@bagatin.com.br

São Paulo

*

O LIXO HOSPITALAR

Essa de uma empresa importar o lixo nojento de hospitais americanos passa dos limites de qualquer paiseco, mas cabe aqui na Lulandia.  Absurdos como esse deveriam ser punidos com a prisão imediata do dono da empresa que importa o lixo e sem direito a responder em liberdade, porque alegar engano é conversa fiada. Enquanto a Lulandia não tomar atitudes como Cingapura e mais ainda a China que premia safados com uma bala na nuca, podem esquecer, jamais chegaremos ao Primeiro Mundo.

 

Laércio Zanini arsene@uol.com.br

Garça

*

OUTRAS PREOCUPAÇÕES

Enquanto o governador de Pernambuco se preocupava com o futuro da mãe (TCU) e de suas contas, desperdiçando seu tempo fazendo lobby, bem debaixo de seu nariz, lixo hospitalar sendo comercializado.Beleza, hein, seu Dudu!

Aroldo Miranda aroldomiranda@uol.com.br

São Paulo

*

O RIO DE CABRAL E PAES

Um cidadão erra o caminho e entra numa favela no Rio de Janeiro, é recebido com alvejadas de balas e leva um tiro. Levado ao hospital não consegue ser atendido, pois a UTI esta lotada, é levado para outro hospital 50 km de distância e não resiste, morre. Este é o Rio do governador Sérgio Cabral ¬– amigo do Eike Batista – e do prefeito – bom garoto – Eduardo Paes.

Marcos Barbosa micabarbosa@gmail.com

São Paulo

*

PSICANÁLISE

Leio com surpresa na entrevista do Sr Plínio Montagna (17/10, Caderno 2) sobre a existência de um Conselho Regional de Psicanálise, que resolveria os problemas da formação dos analistas com seu “selo de qualidade”. Para além da escolha por um atributo fundamental neste ofício, próxima do “conhece-te a ti mesmo” e distante da máxima freudiana “o Homem não é dono de sua própria morada”, tomar como implícito que um analista tem como necessário o selo de uma instituição, desconhecida em todo o caso, depois de ter justamente abalado a suposição quanto ao Saber de um outro sobre seu desejo, é um abuso. A questão não é simples e não se resolve alimentando a supremacia de antigos mestres. Embora o tom da entrevista seja bastante otimista e simpático, é como se os literatos, doutos ou não, soubessem dizer o que faz de alguém um escritor ou, lembrando os 5 anos de prazo para o tratamento citados de viés, qual a melhor quantidade de páginas para os romances.

Dr Carlos Serafim Martinez, psicanalista, psiquiatra gymno@uol.com.br

Campinas

*

MATÉRIA OBRIGATÓRIA

“Exemplo de honestidade e competência administrativa”. No último domingo, 16/10/2011, o programa Fantástico exibiu uma reportagem que deveria ser apresentada em rede nacional em substituição da propaganda política para sensibilizar os eleitores e exemplificar o que deveríamos ter como administradores públicos. Em dez anos de exemplar administração, o professor Jordenes da Silva transformou uma escola pública que estava em plena decadência social em um modelo de ensino e agregação social. Localizado no bairro de Arapoanga, a 40 quilômetros de Brasília, este maravilhoso exemplo de competência e compromisso com o bem feito esta disponível para todos que queiram aprender como se deve administrar instituições públicas. Sem gastos com campanhas políticas, promessas infundadas e ilusionismo descarado de desvios de recursos financeiros aliados com o enriquecimento ilícito e imunidade parlamentar. Como matéria obrigatória todos os políticos, e servidores públicos, principalmente os que estão sediados em Brasília, bem próximo deste bairro, um dos mais violentos de Planaltina, deveriam freqüentar esta escola dirigida pelo professor Jordenes. A boa administração pública não é um milagre e nem deve ser considerado como casos isolados, quão esse de Arapoanga, e sim, tem a obrigação de ser igual ou superior a esse demonstrado na referida reportagem. Parabéns, professor Jordenes da Silva. O povo brasileiro agradece e se orgulha de seu trabalho. 

Rafael Luiz Riga Travaglioni Riga@terra.com.br

São Paulo

*

HORÁRIO DE VERÃO

Dia 16 de novembro começou o horário de verão no Brasil, obrigando os trabalhadores e estudantes dos estados mais industrializados a se dirigir a seus locais de trabalho e escolas ainda à noite e a alterar seu ciclo biológico. Instituído em 1931, na era Vargas, o horário de verão foi copiado do que se faz em países do hemisfério norte e nosso país é um dos poucos países do mundo em que regiões entre latitudes de 12 a 31°  são obrigadas a adiantar seu relógio em uma hora. A Austrália que se estende entre latitudes 10 a 44° só adota horário de verão em locais de latitudes abaixo de 32° S. Enquanto na maioria dos países que o adotam, o horário de verão se estende por 7 meses, no Brasil nossas baixas latitudes levaram nossas autoridades a crer que ele devesse ter a duração de  somente 4 meses. No entanto, se querem copiar corretamente o sistema, considerando seu custo/benefício, nosso horário de verão tem que se estender pelo ano todo. Caso isso acontecesse, no Rio de Janeiro, por exemplo, no solstício de inverno  do hemisfério sul (entre 21 e 23 de junho) o sol nasceria em torno de 7:30, que é o que ocorre em alguns países europeus que adotam o horário de verão. Ou seja, em nossa noite mais longa do ano estaríamos no período matinal na mesma situação da França, por exemplo sem maiores inconvenientes. Conclusão: ou se acaba com esse ranço da era Vargas, deixando o horário como está: -3 horas UTC (hora padrão mundial/meridiano de Greenwich), ou se adota novo fuso horário permanente de -2 horas UTC. Qualquer das duas soluções será muito mais interessante para o cidadão brasileiro.

Flávio José Rodrigues de Aguiar rsd100936@terra.com.br

Resende (RJ)

*

IGREJA X PT

Perfeita a colocação do leitor Laert Pinto Barbosa que na edição de 16 do corrente aqui nesta coluna sob o título Atitude atrasada, manifesta a sua insatisfação com a igreja católica. Como ele também sou católico. Qualquer brasileiro que se interessa pela política sabe que a igreja católica foi a grande  parceira e principal responsável pelo crescimento do PT. Até aí tudo bem, pois o objetivo era melhorar a vida dos mais pobres e inclui-los na sociedade. Mas de uns anos para cá a identidade prometida pelo PT com o povo vem se esvaziando de forma acintosa. O partido que antes dormia com a ética e a decência,  hoje é exatamente o oposto. Nunca na história deste país vimos tanta corrupção como na atualidade sob o governo do PT. Recentemente a imprensa anunciou que durante estes 9 anos mais de 40 bilhões foram consumidos pela corrupção e até hoje não li e não vi ninguém do PT defender o governo dessa acusação. Quem cala consente. Pergunto: onde está a nossa igreja católica, que dá uma de avestruz e finge que nada vê. Vemos padres e fiéis católicos infiltrados camufladamente nesse partido que fazem de conta que não estão vendo isso e continuam sem querer (ou querendo, sei lá) fortalecendo esse partido que está levando nosso país para o abismo e ainda não nos demos conta, pois ganhando dinheiro a elite brasileira que é mercenária pela própria natureza se associa à corrupção crescente. Esta cidade infelizmente é um  protótipo disto. Inteligentes os petistas  vendo a avidez de muitos padres os adoçam com emendas etc., uns caem nessa por inocência, mas outros por malandragens. Da mesma forma que nos anos 60 a igreja lutou contra  a ditadura, deve agora lutar pelo restabelecimento da democracia para todos e não para os 26 mil apadrinhados pelo PT e que estão espalhados pelo  país para promover o Lula de qualquer maneira. É hora da CNBB se redimir do erro cometido no passado e botar ordem na casa. Não adianta o bispo dizer que os padres não terão candidatos. Alguns cumprem suas determinações, mas a maioria pega por fora, afinal a corrupção é uma epidemia no Brasil. O negocio está tão  mercenário  que há um ano antes das eleições, grupos católicos já optaram em apoiar candidato de outra seita em função do vil metal. Nada contra ser  de outra seita ou religião, mas dessa forma fica claro que não foi idealismo, amor ao próximo e sim oportunismo. Deus tenha piedade de nós.

Elcio do Prado Junior edopradojunior@yahoo.com

São José do Rio Preto

*

‘PRECATÓRIOS: SEM VER A COR DO DINHEIRO 2’

 

A indignação do Sr. Corinto Ribeiro publicada neste espaço em 15/10/11 é a mesma de dezenas de milhares de credores de precatórios. No caso citado pelo leitor do Estadão, o requerimento de pagamento prioritário e a comprovação de sua condição de idoso e portador de doença grave foi feita ao Tribunal de Justiça em  20/04/2010. Quase um ano depois, em 31/03/2011, o TJSP reconheceu o direito ao recebimento prioritário do crédito, limitado a  R$41.000,00 e remetendo o valor ao processo judicial em andamento no Setor de Execução. Em 3/2012 foi requerido o levantamento do dinheiro. Estamos aguardando até agora. Para receber a diferença do crédito do precatório a que tem direito, o Sr. Corinto - assim como fizeram outros 4000  credores - aceitou conceder à Prefeitura de São Paulo um desconto de 50% em 29/07/2011. Desde então, todos que aderiram, aguardam a publicação da relação de credores, que descansa na mesa do Sr. Prefeito. A situação dos precatórios no Estado de São Paulo é dramática! Em setembro redigi relatório pela OAB/SP,  encaminhado a diversas autoridades, descrevendo-a com toda a objetividade de seus dados e propondo soluções, dentre as quais o pagamento direito pelo TJ das prioridades dos idosos, portadores de doença grave e acordos conciliatórios (a exemplo do que é feito no Rio de Janeiro); a realização de convênios, mutirões e a necessidade de dezenas de novos serventuários. Segunda 17/10, teremos uma audiência no Tribunal de Justiça sobre o tema, em razão de uma representação que a OAB/SP fez ao Conselho Nacional de Justiça – CNJ. Apesar disso, infelizmente, não temos condição de responder ao Sr. Corinto e aos demais credores de precatório quando eles vão ver a cor do dinheiro.

Marcelo Gatti Reis Lobo, brasileiro, advogado, conselheiro da OAB/SP, membro das Comissões de Dívida Pública da OAB/SP e dos Credores Públicos do Conselho Federal da OAB falecom@marcelolobo.com.br

São Paulo

Resposta do leitor – A citação de seu prestigiado escritório de advocacia ocorreu em função de querer reproduzir ipsis literis a publicação referida; não lhes imputo nenhuma responsabilidade pela demora na liquidação da quantia a que faço jus.

 

Corinto Luis Ribeiro corinto@corinto.arq.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.