Fórum dos Leitores

TRENS DA ALEGRIA

O Estado de S.Paulo

17 Dezembro 2011 | 03h07

Judiciário

Parabéns à presidente Dilma por estar disposta a vetar a proposta de reajuste salarial dos magistrados e servidores do Judiciário. Se o momento é de apertar o cinto, como ela tem ponderado aos seus aliados, e de fato é, não há cabimento em se cogitar de aumento salarial para uma categoria funcional que, em paralelo à do Legislativo, desfruta remuneração superior à média que prevalece no setor público do País, sem falar do escândalo constituído por alguns vencimentos absurdamente altos que lá existem. E, ilustre presidente, que não fique só nessa questão o seu esforço para pôr cobro ao avanço injustificado do Judiciário: vete a criação das 69 Varas Trabalhistas que a irresponsabilidade da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara aprovou ao apagar das luzes dos seus "trabalhos". É necessário pôr fim à expansão da Justiça do Trabalho, prática nefasta que começou com a Constituição de 1988 ao criar um TRT em cada Estado (São Paulo conta com dois!) e que custa uma fortuna aos cofres da União. A modernização do Brasil passa forçosamente por uma redefinição das nossas relações trabalhistas e por um arejamento da solução dos conflitos capital-trabalho, herança getulista que perdura injustificavelmente por mais de 70 anos.

PAULO A. DE SAMPAIO AMARAL

drpaulo@uol.com.br

São Paulo

*

Câmara dos Deputados

Lendo o artigo do professor Roberto Macedo Trem da alegria na estação Câmara (15/12, A2) - mais um! -, fui tomada de enorme desânimo. Não me falta indignação, assim como tenho certeza que não falta a milhões de brasileiros. Procuro sempre nomes de pessoas corretas para votar, com a esperança de que façam a parte delas, ou seja, trabalhar visando o bem do nosso povo, mas não vejo nenhuma voz discordante. Precisamos urgentemente de uma reforma, nossos políticos não podem decidir sobre aumento de seus próprios salários! Obrigada, professor, por mais esse alerta.

CLELIA HELENA AIDAR

cleoaidar@hotmail.com

São Paulo

*

LEI DA PALMADA

Falta do que fazer

Nossos deputados federais parece que não têm muito o que fazer, isso explica o plenário sempre às moscas. Agora acharam um assunto importantíssimo: proibir a palmada! Pai pode até ser preso se a palmada causar sofrimento. Esqueceram-se, contudo, de definir o que é sofrimento, pois até hoje essa definição não é muito clara na psicologia nem na psicanálise. Nosso Código Penal já prevê sanções para maus-tratos, não precisavam nossos deputados embaralhar o meio de campo. Por falar em campo, sugerimos que os deputados proíbam gols em partidas de futebol, pois um simples gol pode provocar um enorme sofrimento em milhões de brasileiros, inclusive deputados. Meu Deus, por misericórdia ilumine um pouco as cabeças ocas de nossa Câmara. Eles é que merecem levar umas palmadas - mas sem sofrimento, claro.

JOÃO HENRIQUE RIEDER

rieder@uol.com.br

São Paulo

 

*

George Orwell

Acho um absurdo que o Estado queira interferir na criação dos nossos filhos tão profundamente. Uma coisa é a palmada de reprimenda, outra é espancar uma criança. George Orwell escreveu sobre isso no livro 1984, e ele estava certo, apenas com alguns anos de atraso. Assim estaremos criando monstrinhos sem limites, que é o mundo anarquista que alguns governantes sempre sonharam criar e já vem sendo implantado na última década no Brasil.

ANA PRUDENTE

ana_prudente@uol.com.br

São Paulo

 

*

Criança é intocável

Mesmo com a indelével marca da ingerência inadequada do Estado na individualidade do cidadão, a Lei da Palmada chega em boa hora, de forma preventiva, para evitar abusos. Quem bate numa criança agride-a de três formas: causa dor, assusta e traumatiza. Em criança não se bate. Criança é intocável.

ROBERTO CABRAL

cabralhoje@bol.com.br

Maringá (PR)

 

*

Eu decido

Agora só faltava o Estado querer controlar a intensidade das palmadas que eu devo dar no meu filho! Lógico que não vou espancá-lo, mas vou continuar educando do meu jeito. Vá que eu pare de dar umas palmadas e ele desande na vida e queira virar deputado ou ministro. Já pensou?

SÉRGIO ROBERTO DA COSTA

sergiorobertocosta@ig.com.br

São Paulo

*

USP

Reprovação em massa

Parabéns ao professor Carlos Alberto Ribeiro de Moura, que reprovou todos os alunos do curso de Filosofia da USP porque resolveram ficar em greve, mesmo sabendo das consequências de suas faltas. Essa foi e será, se nenhuma lei abrir uma brecha, uma verdadeira aula de democracia. Ou se ensina a esses estudantes que eles precisam ser responsáveis ou estamos criando mais vândalos em nossa sociedade. Infelizmente, os alunos darão de ombros porque, se ficarem em DP, nada terão de pagar, mas com isso atrasam em mais um ano a oportunidade de outros alunos virem a cursar uma faculdade que é paga com o dinheiro do contribuinte e, por isso mesmo, deveria ser levada muito a sério.

IZABEL AVALLONE

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

Boa lição

Também gostaria de dar os parabéns ao professor Carlos Alberto Ribeiro de Moura pela reprovação desses baderneiros que se dizem estudantes. O melhor seria mesmo expulsá-los e abrir concurso para ingresso de novos alunos, mas já foi uma boa lição. Espero que eles aprendam.

DAVID J. MARGATO

davidjm1@uol.com.br

São Paulo

*

BOAS-FESTAS

O Estado agradece e retribui os votos de feliz Natal e próspero ano-novo de Academia de Letras do Brasil (SC) Alfredo Wagner, Antonio Brandileone, Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes), Associação Médica Brasileira, Carlos Eduardo de Barros Rodrigues, Crianças da Legião da Boa Vontade (LBV), HG Telecomunicações, Jair Gomes Coelho, Joel Sanches Carrilho, José Roberto Palma, Silvia Carneiro - Secovi-SP, Sonia Jordão, Studio Design Comunicação e Tania Tavares.

*

PRIORIDADE ARDIL

O jornal O Globo (15/12) traz mais uma denúncia grave contra o queridinho da presidente, o ministro Fernando Pimentel. Este petista recebeu da Federação das Indústrias de Minas (Fiemg) R$ 1 milhão por supostas palestras realizadas nas regionais da entidade. Acontece que, ao ser questionado sobre a veracidade da existência destes eventos, o presidente da Fiemg, Olavo Machado, disse que, "precisa pensar um pouquinho", para confirmar se realmente as palestras foram realizadas. Ou seja, se nem o mentor máximo da entidade não sabe responder, é porque a mutreta se evidencia. Neste caso, será que a Dilma, vai teimosamente repetir que está satisfeita com as explicações do Pimentel?!... A Dilma, como fiel aluna do petismo, não tem fugido a regra infelizmente! Ou seja, ministros denunciados do partido não precisão dar satisfação a sociedade e tampouco aos congressistas! Já os aliados sim! E assim, até o presente instante, o ministro Fernando Pimentel (PT) mesmo com pesadas denúncias nas costas, goza deste colchão confortável do Palácio do Planalto, que nestes últimos nove anos vêm se lixando pela ética. E o Brasil institucional que se dane!

 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

PALESTRA RELEVANTE

As caríssimas palestras de Fernando Pimentel tiveram tão pouca importância para a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais que o seu presidente, Olavo Machado, declarou que precisava "pensar um pouquinho" para responder sobre a realização das mesmas. Esse caso envolvendo o ministro é daqueles que quanto mais se mexe nele, mais malcheiroso fica.

Não há a menor condição ética da permanência de Pimentel no governo. Se Dilma insistir em mantê-lo no cargo, pagará caro por isso.

 

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

FERNANDO PIMENTEL

O ministro Pimentel está se recusando a mostrar na vida pública o que fez na privada

 

Ary Nisenbaum aryn@uol.com.br

São Paulo

 

*

 

COERÊNCIA E CONCISÃO

"Caso Pimentel não diz respeito a governo". Dona Dilma tem toda razão: diz respeito a desgoverno.

 

A. Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

 

 

VIDA PRIVADA

Também acho que o ministro não tem mesmo que dar explicações sobre o que faz. Afinal de contas todo mundo sabe o que fica na "privada".

 

José Luiz Tedesco tedescoporto@hotmail.com

Presidente Epitácio

 

*

 

CONSULTOR-MINISTRO

Imagino qual deve ter sido o tema da palestra do consultor-ministro Fernando Pimentel: Como enriquecer apenas com contratos públicos, ou como multiplicar o seu patrimônio em pouco tempo ou Networking para reduzir a burocracia nas licitações...

 

Roberto Saraiva Romera robertosaraivabr@gmail.com São Bernardo do Campo

 

*

PALESTRANTE

Bastaria dizer que foi palestrante, não consultor. Tarifa de palestra ninguém contesta.

 

Alexandru Solomon alex1243@gmai.com

São Paulo

 

*

 

HOMEM PÚBLICO

Todo político tem que dar, sim, explicações de seus atos para o povo. Afinal, ser político é ser um homem público.

 

Maria do Carmo Zaffalon Leme Cardoso mdokrmo@hotmail.com

Bauru

 

*

 

EFEITO COLATERAL

Os políticos do Brasil estão provocando uma epidemia de vômito pelo País.

 

Gilberto Lima Junqueira glima@keynet.com.br

Ribeirão Preto

 

*

 

BRASIL 2012

Aos trancos e barrancos, denúncia após denúncia,prova após prova,Dilma Rousseff vai pondo os pingos nos is e dando conta de faxinar seu improdutivo ministério,herança maldita do governo Lula."Entulho pesado,canga,peso morto" foram as palavras usadas por FHC em entrevista à rádio Estadão ESPN (13/12, A8) 2011 serviu para sentir a temperatura e pressão da água.Que o novo ano possa ser vivido com carga mais leve às costas da noviça presidente,envolta numa teia de aranhas venenosas que impedem o País de decolar rumo a melhores dias e menores problemas. Feliz 2012!

 

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

 

*

 

CORRUPÇÃO

Em resposta à leitora Sra. Iracema R. Oliveira (Fórum dos Leitores, 13/12/2011), gostaria de confortá-la que os corruptos podem até escapar da justiça humana, mas de modo algum da Justiça de Deus.... eles simplesmente não têm noção do que estão fazendo e quando se arrependerem, será tarde demais.

 

Geraldo Macias Martins maciasfilho@hotmail.com

Catanduva

 

*

 

CASAS COMERCIAIS

Depois de, por meio da imprensa, tomar conhecimento de tudo o que rolou, anda rolando e ainda vai rolar no caso da turma do mensalão, do Jader Barbalho, do Fernando Pimentel e da criação de 66 novos cargos para guardar a turma do PSD, cheguei à seguinte conclusão: queiram ou não, ministros, deputados e senadores querem transformar o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Congresso Nacional nas duas maiores Casas Comerciais do País. Acorda, Brasil!

 

Leônidas Marques leo_vr@terra.com.br

Volta Redonda (RJ)

 

*

 

O PAPEL DE CRISTINA KIRCHNER

Para censurar a imprensa portando máscara, assim como agem os malfeitores que realizam assaltos com seus rostos ocultos por protetores bizarros, Cristina Kirchner volta a controlar o papel, no sentido físico e estrito, destinado à imprensa, sonegando o material de escrita dos jornais de oposição. A América Latina continua tomada pelo populismo assistencialista e a democracia ainda é uma planta débil a crescer em seus pântanos.

 

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

 

*

 

NA ARGENTINA, COMO NO BRASIL

O interessante artigo de Sergio Fausto no Estadão de domingo (11/12, A2) chama a atenção para preocupações com a Argentina. Vejo que, aparentemente, são as mesmas que temos no Brasil. A partidarização do judiciário é igual à nosso, onde são criadas impunidades a seus políticos protetores e aliados. Ataques à imprensa também aqui foram iniciados por Lula e Franklin Martins, também igual. Na intervenção na economia o Brasil tem sido mais inteligente e criativo, embora leniente com "parceiros" como Argentina e "bolivarianos". A mais recente demontração quanto à justiça foi a sabatina da nova ministra do STF na CCJ, aprovada pelos 19 votos dos partidos do governo. Não respondeu à maioria das questões técnicas como Direito Penal, Civil e Processual. Sobre corrupção no judiciário, respondeu: "A corrupção é inerente à natureza humana...". E aí temos um nova, "competente" e certamente, "imparcial" Ministra.

 

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

 

*

 

INTERFERÊNCIA NO GOVERNO

Atitude mais cínica do que montar esse esquema de proteção em torno do ministro Fernando Pimentel, mesmo após ter "jogados às cobras" todos os outros "ministros maracuteiros", tal como aconteceu com Antonio Palocci, Alfredo Nascimento, Wagner Rossi, Pedro Nova, Orlando Silva e Carlos Lupi, é o descaramento dos nazipetralhas ao tentar, através do manjado esquema de que "uma mentira repetida mil vezes ganha ares de verdade", fazer com os brasileiros acreditem que o tal de Fernando Pimentel, na ocasião em que teria prestado suas milionárias consultorias, não tinha qualquer ligação com o Governo, por não estar exercendo qualquer função pública. Pense em uma enganação! Esquecem-se os governistas que "estar no Governo", com direito a usufruir de todo tipo de informações privilegiadas, não exige necessariamente que o sujeito exerça algum cargo público, conforme pode ser comprovado, por exemplo, com a atual situação do ex-ministro Zé Dirceu e do ex-presidente Lulla. Na prática, embora ambos estejam sem qualquer vínculo oficial com o governo Dilma, continuam mandando e desmandado nesse Brasil Tiririca, graças ao muitos "contatos" que conseguiram manter em "cargos estratégicos". Para que fique claro o poder que tem, por exemplo, o ex-ministro Zé Dirceu basta relembrar que em suas viagens pelo Brasil, independente da atividade que vá desempenhar, tem sempre um "magote" de bajuladores prontos para "facilitar sua vida". Destaque-se que em uma recente viagem a Pernambuco, sob a desculpa de gozar férias na Praia de Porto de Galinhas, a quase 70 Km do Recife, o "todo poderoso" Zé Dirceu foi diariamente visitado por "caravanas" de políticos pernambucanos, ávidos por dar uma "babadinha" naquele que foi, e continua sendo, apesar dos pesares, "o poder por trás do trono". Se acontece com Zé Dirceu, porque não pode ter acontecido com Fernando Pimentel?

 

Júlio Ferreira julioferreira.net@gmail.com

Recife

 

*

 

ROUBOTECA

Com mais um ministro do governo do PT acusado de corrupção (o que já virou rotina) - desta vez está na berlinda o ministro Fernando Pimentel do Desenvolvimento -, a Caixa Econômica Federal poderia aproveitar para lançar um novo tipo de loteria. Seria a Rouboteca e funcionaria assim: o apostador receberia um volante com os nomes de todos os ministros do governo petista e assinalaria naquele que ele achar que será próximo demitido por corrupção. Quem acertasse dividiria a bolada. Tenho certeza que este jogo não acabaria nunca. Fica ai a sugestão!

 

José Milton Galindo galindo52@hotmail.com

Eldorado

 

*

 

COLUNA DORSAL

Sou médico. Tenho visto quase diariamente na mídia, a execração de médicos pela demora no atendimento de pacientes nos postos de saúde. Em condições de trabalho humilhantes, seja pela pletora, seja pelas condições lamentáveis de instalações, de higiene e de materiais sucateados, são submetidos à ira de população desassistida e desesperada, vítima da criminosa omissão do poder público que ainda zomba ao apresentar dispendiosas propagandas na TV a respeito de um sistema assistencial "perfeito" que existiria no país. Pouco se fala, no entanto de uma justiça lenta, arrogante, bem remunerada e instalada, plena de privilégios, agora politizada e voltada para o exibicionismo, esquecida talvez, ou mesmo insensível ao fato de se constituir em pilastra básica de democracia que se preze. Estender proteção a conhecidos bandidos, permite reuniões com interessados diretos, dar entrevistas à televisão sobre assuntos em curso e até sobre questões eventualmente vindouras, passou a ser hábito deliciosamente cultivado por ministros da mais alta corte. Acaba de acontecer com ilustre magistrado que prenuncia, sem qualquer constrangimento, sem rubor em suas faces magistrais, a prescrição de crimes que caracterizaram agressão às instituições, como "nunca antes vista em nosso país". Disse ainda que o relator do processo, parado desde 2005 (!), está acometido de moléstia na coluna dorsal, o que o impede de ser mais eficiente. Ainda mais, que ele, ao receber, para revisão, tal processo ( processo em que o procurador geral da república aponta a formação de quadrilha) levará mais de ano para conduzi-lo a julgamento ( mesmo sem ser acometido de semelhante patologia limitante). A impunidade então está anunciada por antecipação. É mesmo de estarrecer, de causar indignação e revolta. Parece que a única coisa que pode tirar o sono de tais magistrados, além da briga negociada com o congresso a respeito de dinheiro - apelidados de proventos -, é alguma dor na coluna dorsal. Estão esquecidos de que atualmente a coluna dorsal mais atingida é a do conceito que a população vem fazendo da justiça. Mas essa só dói na população e não atinge ainda as pessoas "especiais". Além do mais, quem ganha com tal ensaiada letargia, senão os criminosos encastelados no poder e o império da leniência, da irresponsabilidade e do cinismo?

 

Gustavo A. S. Murgel gustavomurgel@hotmail.com

Campinas

 

*

 

‘A GENTE FINGIMOS ACREDITAR’

"Presidenta": mande o homem de volta para as Alterosas! Ninguém melhor que a senhora sabe que ele passou por um período bem verdinho, como fruta nova que mal começara a despontar entre a ramagem variegada de seu Ministério. Há cerca de quarenta ou quarenta e cinco dias, entretanto, a fruta chegou ao ponto. Agora, finalmente, já está bem madura. No ponto de ser apanhada para se comer, como diz o vulgo. Mais uns dias, passando do ponto, ela estará... podre! Vai acabar caindo de per si. Essas transformações todas que a natureza impõe à própria natureza, Excia., com certeza vão acabar contaminando o seu governo. Como no exemplo que aprendemos desde a infância, a respeito do saco de laranjas acabadas de serem colhidas, fresquinhas e prontas para serem degustadas, dentro do qual se coloca uma laranja já apodrecida. O resto da história, todos sabemos... Da mesma maneira que uma simples laranja contaminou todas as outras, esse seu amigo de juventude vai acabar contaminando todo o seu governo, principalmente em decorrência de sua persistência em mantê-lo num cargo que, depois de tantas denúncias, já não mais o comporta e suporta. Digo o seu governo porque, seu ministério já está, mesmo, é na UTI. Também, depois de seis frutas que, de tão podres, já estavam cheirando mal... E algo me diz que ainda há frutas já malcheirosas nas suas proximidades, "presidenta". Tudo isso, Dona Dilma, se não for pior para o PT, para a senhora e para o cerne do poder, já está sendo péssimo para o Brasil. Tenho ciência de seu absoluto patriotismo e de seu amor por este país. Isso V. Excia. já provou durante o período da nojenta ditadura militar. Assim, não importa a amizade de ambos desde a juventude que durou todo o período da clandestinidade. Tampouco importa se houve ou não algo mais profundo e bonito entre os dois, então. Afinal, a vida clandestina, que obriga muitas vezes a convivência de pessoas por dias e dias trancafiadas em uma aparelho, provoca, forçosamente, a revelação das carências afetivas, principalmente dos mais jovens. A verdade, senhora "presidenta", é que não está dando certo a participação desse seu velho amigo no ministério, o que pode tornar as coisas incontroláveis. Se algo pior vier a ocorrer, a senhora, e não o seu engodo - elle não passa disso - será responsabilizada. Não por mim, por toda a oposição, pelas Forças Armadas, pelo povo ou por cada paralelepípedo das cidades da nação, mas pela própria história. A senhora pode muito bem fazer tudo de maneira que represente que ele, o seu ministro, se cansou e pediu demissão. Como o ocorrido com os outros colegas dele, que felizmente já se foram, também. A título de colaboração, nós vamos até fingir que acreditamos... Nós já aprendemos a fingir também, Dona Dilma. Pudera! Com os mestres que temos tido!

 

João Guilherme Ortolan guiortolan@hotmail.com

Bauru

 

*

 

DIVERSIDADE MACABRA E DOLO EVENTUAL

O ministério de Dilma, certamente o pior da história deste país, não se cansa de nos brindar com sua vasta carta de veneno social - seis ministros caídos por corrupção; dois na corda-bamba, incluindo o mais próximo da Soberana, pego no tráfico de influência; duas "fraquinhas" e por ai vai... Agora se derrama sobre nós a intestina e indecente confissão de descaso, sinecura e incompetência do Sr. Aloizio Mercadante, aquele mesmo quase-beneficiário de uma das ações criminosas do lulopetismo quando candidato ao governo de São Paulo, mais um Pilatos desmascarado da Casa Estelar Alvi-Rubra: pessoas morrerão em consequência das chuvas neste verão e nos próximos... Dito com naturalidade e cara-de-pau, como se não integrasse o governo federal e como se a petralha não estivesse no poder desde 2003... Por culpa de quem, Sr. Aloizio? Na sua opinião (tudo bem, a pergunta é mesmo retórica...) os agentes públicos, que têm o dever de agir para o bem-estar do povo e não o fazem a contento, são negligentes, imprudentes, imperitos ou assumem o risco de matar pessoas ao tungar recursos públicos, ainda que compactuando com a bandidagem institucionalizada, talvez o maior e mais desastroso legado do lulopetismo?

 

Saulo Vieira Tortelli saulo_tortelli@msn.com

São Paulo

 

*

CIDADE PRE

PARADA

Parabéns à preparada cidade de São Paulo, não chegou janeiro e qualquer chuva já nos transtorna terrivelmente! Uma cidade mal cuidada apesar de milionária, suja apesar de esclarecida,só se organiza e funciona totalmente na passeata Gay.O senhor prefeito solteirão não casou com a cidade,sua promessa de matrimonio e campanha.Sua cidade,senhor prefeito.está isto aí que o senhor não vê,somente os usuários enxergam esta porcaria e caos.Que venha logo a FIFA para dar um jeito nisto!

 

Mauricio Villela mauricio@dialdata.com.br

São Paulo

 

*

 

NOVELA DE TODO VERÃO

Alguém vai precisar dar um pontapé inicial para que haja mudança na postura das autoridades com vistas a solucionar alguns problemas e também para mudar os argumentos requentados e inconsistentes. Esses argumentos em nada se diferenciam de roteiro de novela. Não existe uma novela que não tenha dois irmãos apaixonados, por um desconhecer quem é o pai. Não pode faltar uma cunhada caidinha pelo marido da irmã ou pelo seu padrasto ou vice-versa; uma série de traições entre casais e alguns triângulos amorosos, além de alguém sempre flagrado falando mal de outro. Essas situações cativam os telespectadores, que vibram com as surras homéricas dadas por franzinos traiçoeiros em gigantes traidores. É forçado em demasia que o bem se prevalece até no físico. Todos esses enredos de novelas após novelas conseguem mantê-las em evidência permanente, com altíssimos índices de audiência, e até as tornam um dos principais produtos de exportação do Brasil, com enorme aceitação em vários países do mundo.

Na novela nossa de todo verão o enredo também é repetitivo, com muitas semelhanças e algumas divergências essenciais. Começa pela Natureza que, teimosa, é repetitiva em mandar chuva em determinadas épocas para as regiões aclimatizadas para chover. Com qualquer chuva, surgem quilômetros de congestionamento nas grandes cidades. Com chuvas mais intensas, bairros inteiros ficam inundados, produzindo as cenas rotineiras de pessoas misturadas com fezes, animais mortos e com todo tipo de sujeira. Quando vêm os temporais, o primeiro problema surge com os institutos de previsão ao anunciarem que choveu, num dia ou em horas, trezentos por cento do previsto para todo o mês ou para período de chuvas. Falam com uma naturalidade assombrosa. Não dizem que ou as chuvas são imprevisíveis ou os institutos podem preveem tudo, menos chuva. Algumas diferenças entre as novelas. Primeiro de roteiro. Na nossa, os personagens são sempre as vítimas; nas de televisão, os autores e diretores aprecem quando elas estão no auge; na novela nossa de todo verão, não existe autor nem responsável pela direção. Na nossa, as personagens são verdadeiras. No fim é que tudo difere. A partir da suposição deste texto. A novela real é a fictícia, a de televisão, e traz sempre um resultado fictício. Aqui, a fictícia é a real, e traz também o resultado mais real do mundo. Na televisiva, o bem sempre prevalece; na real, na nossa de todo verão, o mal sempre prevalece no fim. O autor da novela fictícia assume que é responsável pelo seu final; na nossa, não existem responsáveis, e o final é conhecido com antecedência. Os telespectadores de ambas são reais. Só que os da fictícia vão das favelas aos bairros nobres como Leblon, no Rio de Janeiro, Morumbi e Alphaville, em São Paulo. Na real, o público alcançado é sempre da periferia. Pode ser apenas coincidência. A diferença essencial é que o público participa intensamente da novela fictícia, mas fica anestesiado em relação à novela real. Existe muito choro em ambas. Na fictícia, resulta do imaginário; na real, o choro vem pela perda de fato. Mas a principal diferença é que, de fato, a novela fictícia chega ao fim; já a novela real é eterna. E a maior diferença entre as novelas, é que nas verdadeiras de ficção, as pessoas desaparecem do telespectador apenas no imaginário; na nossa diária, as mães nunca mais verão seus filhos, ou estes nunca mais terão suas mães. Os corpos de garotos como os de Igor Menderson da Silva e Hebert da Silva, em 2010, no bairro de Americanópolis, São Paulo, dão o prenúncio de que a novela de todo verão só tem recomeço. Deste ano já começou.

 

Pedro Cardoso da Costa pedcarcosta@gmail.com

São Paulo

 

*

 

LEI DA PALMADA

A Câmara dos Deputados aprovou a chamada "Lei da Palmada", que proíbe pais de baterem nos filhos. Bem, eu sou do tempo da palmada até em escola, e nem por isso cresci revoltado ou sai de casa. E os meus pais nunca processaram a escola ou o professor. Acho isto uma ingerência indevida. Há pais que cometem abusos? Há. Mas porque não tiveram uma educação e orientação que deveriam ter, então não sabem como educar os filhos. Nem deveriam ter. Permitam-me contar um fato que eu e os demais clientes de uma farmácia, no Rio de Janeiro, presenciamos. Uma garotinha de uns 4 anos, não mais, no colo do pai, que estava fazendo uma compra deu um show de malcriação, rolou no chão aos berros a ponto do pai desistir da compra, pegá-la no colo e sair envergonhado. Percebia-se que ele não tinha cara para olhar para ninguém. Não sabemos se ela queria algo e o pai não a atendeu. Eu os demais fregueses ficamos de boca aberta, uns olhando para os outros, espantados com a cena. E vimos que aquilo foi, ou é, a falta de uma boa palmada, na medida certa e na hora certa que não foi dada. Agora vão proibir isso? Não há outras maneiras de proteger as crianças não?

 

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

 

EDUCAÇÃO

Caso os pais desses políticos que se notabilizam por falcatruas, roubalheiras e malandragens tivessem aplicado a sábia psicologia da chinelada na bunda dessas "ilustres" figuras quando ainda crianças, hoje não precisaríamos da Lei da Ficha Limpa.

 

Lourenço Innocentini Neto

lorencoinnocentini@gmail.com

São Carlos

 

*

A FAVOR DAS PALMADAS

Sou a favor de que, agora que as crianças não poderão mais ser disciplinadas com palmadas, que sejam liberadas as palmadas nos políticos, principalmente nos corruptos que quando crianças não foram devidamente corrigidos com palmadas e por isto deu no que deu, começaram roubando o lanche diferente do coleguinha e hoje criam ONGs fantasma para roubar milhões do orçamento, tem funcionários fantasma e usam funcionários públicos para serviços pessoais e ainda fraudam concorrências e chamam de sobras de campanha o dinheiro do mensalão da corrupção.

 

Márcio M. Carvalho mmcoak@hotmail.com

Bauru

*

 

FORA DE HORA

O Brasil sinceramente é um país sem rumo nem direção. Temos milhões de problemas com saneamento, segurança com ênfase aos menores que matam por nada, a saúde,com pessoas amontoadas em corredores ,a educação com deficiências mil,moradores de rua, usuários de crack e viciados em outros tóxicos, sem ninguém cuidar de nada. Agora do nada aparece uma deputada chamada Tereza, que deve ser um expert em educação infantil,com uma lei,onde os pais não podem fazer nada com os filhos mesmo que estes não se aquietem por nada? Sugiro aos pais que chamem a Tereza pois ela deve ter a solução para tudo e para todos? Será que essa e a nossa grande prioridade e essa sra é a pessoa que realmente entende alguma coisa de educação? Só pode ser piada e de muito mau gosto.

 

Antonio José Justino anjogoma@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

 

‘OS CARGOS E A CARREIRA NO SETOR PÚBLICO’

Prezado professor Sérgio Amad Costa (15/12, B2), entendi que o Sr. quis se limitar ao problema de carreira no setor público e não bombardear Nossa Constituição Cidadã: O mesmo Artigo 37 permite a indicação para cargos em comissão e de confiança (item V), aliás isto vem acontecendo em todas as Constituições desde a República Velha. A possibilidade de indicação para cargos de confiança estimula investimento nas candidaturas muito acima do que será obtido pela remuneração do eleito, o retorno será através de cargos, contratos, tráfico de influência, etc., das organizações do estado capturadas. Naturalmente estes candidatos e seus parceiros estão familiarizados com o "Sistemão" onde eficácia e eficiência não é importante: Os Partidos Políticos ( Quadrilhas?) não selecionam os candidatos, podemos dizer que o prestigio dos mesmos está na proporção direta com as organizações do estado capturadas pelos seus políticos! O fato da legislação dos funcionários do estado estar ancorada na Constituição de 88 justifica os apagões que assistimos constantemente na Educação, Saúde, Segurança, Transportes, Controle ambiental, etc. O Sr. como professor de Recursos Humanos e Relações Trabalhistas conhece a importância de Sistema de Recursos Humanos ( incluindo recrutamento e promoções) atualizado para que as organizações do estado tenham eficácia e eficiência: O desperdício de recursos arrecadados devido a incompetência e corrupção nas organizações do estado é colossal e o desperdício causado à iniciativa privada pelas organizações do estado é significativamente maior, prejudicando a distribuição de renda, crescimento econômico e comprometendo o processo democrático. Creio que estou falando em mudança de cultura ( no longuíssimo prazo) que deveria começar nas salas de aula e se propagar pelo país. Os nossos partidos não selecionam candidatos, não têm compromisso com objetivos da população, não apresentam propostas visando o aperfeiçoamento democrático, disputam o loteamento das organizações do estado,etc.: enfim, não passam de quadrilhas de chupins do Estado!

 

Darcy Andrade de Almeida dalmeida1@uol.com.br

São Paulo

 

*

UTOPIA DOS GOVERNANTES

Nossa presidenta Dilma, como o nosso governador Geraldo Alckmin, está fora da realidade presente no sistema de saúde do povo. Senão, vejamos, o governador quer admitir 3 mil médicos, ora bolas, como admiti-los? São necessários 8 longos anos para sua formatura e olhe lá mesmo formados não sabem ler nem um raio X. Qual médico vai se sujeitar a ir por exemplo a uma pequena cidade do Nordeste ou no interior de São Paulo ou mesmo no litoral se nesses locais não existe infra estrutura para que sua família possa viver de forma condizente com sua profissão? Dona Dilma diz que irá fazer a atendimento domiciliar aos doentes e idosos, se nem esparadrapo os pronto-socorro possuem? É ver para crer.

 

Francisco de Paula Russo comercial@fredericorusso.com.br

São Paulo

 

*

INCENTIVO PARA MÉDICOS

Governo federal esta dando incentivo para médicos irem às regiões que esta faltando assistência médica, isto é a lei da semeadura, "o que se planta colhe". As universidades públicas estão cheias de playboys, é uma coisa simples melhora o estudo do pobre que sua condição de vida é consequência, enquanto tiver partidos defendendo a elite, continuaremos pagando a conta!

 

Ednamérico Minhoto stengetelhado@yahoo.com.br

Campinas

 

*

MEDICINA SELVAGEM

Parodiando Milton Hatoum, a medicina selvagem de hoje alterou para sempre a relação dos médicos com seus pacientes, com a saúde e a doença e com a própria historia da medicina brasileira.

 

Carlos Jose Benatti cjbenatti@globo.com

São Paulo

 

*

FINGINDO DE MORTO

Com vistas grossas dos donos dos jornais paulistas, a Folha de S.Paulo e o Estadão, a Assembleia Legislativa aprovou lei com o objetivo específico de estabelecer a privatização de parte do Hospital das Clínicas (HC) e do Instituto de Câncer Octávio Frias de Oliveira, ICESP. Convênios médicos terão preferência para inscrever seus associados nas agendas desses hospitais públicos. Uma das maiores vergonhas contra os pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) de que se tem notícia. Geraldo Alckmin, sem mostrar claramente a cara, está atrás da cortina e deverá obviamente sacramentar o golpe. Cartas de pacientes do SUS tentando mostrar o absurdo dessa apropriação, nenhuma delas foi publicada pelos jornais. E o povão mais uma vez sobrou.

 

Severino Neves Batista Filho bat.filho@hotmail.com

São Paulo

 

*

CONSELHO ESTRANHO

Segundo a coluna de Mônica Bergamo, da Folha, o ex-presidente Lula foi aconselhado por muitas pessoas a viajar para os Estados Unidos para tratar do câncer na laringe... aquele que, graças à Deus e ao médicos do Hospital Sírio Libanês, miraculosamente regrediu 75% com apenas duas aplicações de quimioterapia e não lançou metástases no organismo do paciente. Mas então porque Lula está recebendo este tipo de conselho? O que estas pessoas sabem que não sabemos? É muito estranho...

 

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

 

*

 

SUS PARA TODOS

Como é bom e vantajoso ser político no Brasil, exemplo disso é o ministro da Previdência Social. Que seu pai também está internado no Hospital Sírio Libanês sendo cuidado por médicos classificados entre os que há de melhor no país, aproveitando sua ida visitou Lula. Alexandre Padilha, ministro da Saúde também esteve no hospital em visita a Lula, deixando-se fotografar totalmente sorridente. Poderia aproveitar essa ida para se orientar e aprender um pouco do que seja o mínimo necessário para se ter num hospital, para que a população possa ser atendida com dignidade. E não continuar morrendo na fila de espera aguardando durante horas, e em caso de ter necessidade de um eventual procedimento cirúrgico aguardar mais de ano. Alias gostaria de perguntar ao ministro se já entrou em qualquer unidade do "SUS" existente pelo país e sua opinião à respeito do lixo que é ? E gostaria de perguntar também, por que os políticos e seus familiares não utilizam o "SUS" se é o que o governo oferece a população brasileira, chamando de "saúde"? E por fim quem paga essas contas dessa corja toda, somos nós os trouxas claro, não é?

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

O MILAGRE DE LULA

Apesar do dr. Kalil ter afirmado que, após as primeiras aplicações em Lula, iriam cair todos os pelos do corpo e após dª. Marisa encenar o papel de barbeira - o cabelo e a barba não caíram, foram raspados - mas o bigode ficou lá e, milagrosamente, em menos de dois meses o tumor recuou 75%. Será que ninguém acha o fato estranho, será que os grandes estudiosos não vão analisar esse milagre? É como disse uma amiga - não teve romaria na porta de seu prédio, não fizeram evangelização por sua cura, não deu Ibope junto ao eleitorado, então foi melhor curar de uma vez tal "câncer" para não prolongar por mais tempo tanto "sofrimento" e, principalmente, tanta mudez, pois a garganta deve estar coçando demais.

 

João Roberto Gullino jrgullino@oi.com.br

Petrópolis (RJ)

 

*

 

COMO É BOM SER POLÍTICO

A doença do Lula regrediu 75% segundo os médicos de um dos mais conceituados centros de oncologia do mundo. Como é bom ser político no Brasil e usufruir dessa excelência de tratamento, pois, se o Lula fosse um vil mortal, ele estaria ainda percorrendo as filas do SUS para tentar tirar uma mísera chapa, visto que fazer uma tomo nem pensar.Será que tem algum eleitor que acredita na propaganda enganosa que o governo petista veicula nas emissoras, divulgando o tratamento que o povo receberá no SUS? Quanta mentira e desfaçatez!

 

Alberto Bastos Cardoso de Carvalho albcc@ig.com.br

São Paulo

 

*

LULA & CHÁVEZ

Graças ao tratamento médico recebido, Lula está no caminho da cura completa da sua enfermidade. Chávez, que pelas últimas fotos parece bem mal, também poderia estar quase curado. O problema é que sua mente delirante ignora que a medicina, para se desenvolver, necessita de ampla liberdade de circulação de ideias e pessoas. Os médicos cubanos, por melhor intencionados que sejam, estão confinados há mais de 50 anos nessa ilha da fantasia dos irmãos Castro, e assim, não conseguem se atualizar num campo em que todos os dias surgem técnicas e medicamentos novos.

 

Nestor Rodrigues Pereira Filho rodrigues-nestor@ig.com.br

São Paulo

 

*

 

PROPAGANDA ENGANOSA É CRIME

O estrago que a doença do Lula causou a imagem do SUS e o que todos nós simples mortais sem biografia sabemos muito bem como funciona, aliás,como não funciona,quem realmente necessita de tratamento medico está lascado,não é nem 10% do que propaganda enganosa mostra a toda hora na TV,a única coisa efetiva desta propaganda é que consome milhões de reais em recursos públicos em uma grande mentira,este governo não pode ser tão simplório em achar que pode enganar a maioria do povo Brasileiro e que em grandes proporções é uma população doente e mal cuidada, por governantes que preferem utilizar recursos públicos em causa própria, do que dar andamento aos diversos programas sociais que somente ficam no papel e os recursos liberados no inicio são justamente aqueles que somem pelo ralo da corrupção.Tudo que estou dizendo não é imaginação,é uma constatação,pois não tenho biografia,como o Lula e Sarney, e entre o SUS e a auto medicação prefiro a segunda opção.

 

Jose Mendes josemendesca@ig.com.br

Votorantim

 

*

 

EXPECTATIVA DE VIDA DOS BRASILEIROS

Com a divulgação da expectativa de vida dos brasileiros, ainda significativamente aquém dos países desenvolvidos, nota-se o quão é gritante é o efeito do fator previdenciário no Brasil. Ele foi implementado como um instrumento que desestimularia a precocidade ao requerimento da aposentadoria dos trabalhadores da iniciativa privada. O seu efeito se anula; ou seja, deixa de vilipendiar o valor inicial dos benefícios do "novo aposentado" no interstício de tempo que se coadune com a relação em que se somando o tempo de contribuição e idade de um homem chega-se praticamente ao numeral cem. Em outras palavras isto ocorre ao intervalo entre alguém que complete 40 anos de contribuição e atinja 60 anos de idade, até quem atingir pouco mais de 64 anos de idade com 35 anos de contribuição. Dirão os pseudosexperts em Previdência no Brasil - Tal qual na Europa! Mentira. Lá, assim como em quase toda OCDE, com 40 anos de contribuição, e independente da idade do cidadão, a aposentadoria é concedida integralmente. Os limites, quando adotados por lá, a idade mínima raramente passa dos 62 anos, e isto apenas para integralidade dos direitos, na maioria dos países ela se define em 60 a 62 anos para integralidade dos benefícios. Grande parte dos países convive com a fórmula 95, ou estão se ajustando também a sua aplicação às mulheres. Isto, como opção à fixação da idade mínima, e que versa pela soma da idade com tempo de contribuição e deve resultar no numeral no 95, permitindo a aposentadoria com qualquer idade que seja e de forma plena ao valor do benefício. No Brasil tanto aos homens como às mulheres resulta entre 99 e 100, pela fórmula de calcular supracitada. As mulheres para eliminarem a incidência do fator deverão situar-se num interstício de tempo entre 36 anos de contribuição e 63 anos de idade a 30 anos de contribuição e 68 anos de idade. A magnânima diferença ou dosagem exagerada aplicada por essa política insólita e vergonhosa de FHC e mantida por Lula, está em que nos países que tem fixado a idade mínima em 60 a 62 anos como na Europa, e que tem servido de suporte aos defensores do fator, aqui no Brasil, é que a expectativa de vida, por lá supera os oitenta anos, além de a assistência médica ser considerada de alto nível, praticamente gratuita até mesmo no fornecimento de medicamentos. Em suma existe Seguridade Social Aqui apesar de Lula dizer que o SUS "está perto da perfeição", e ele sequer se trata lá, o que é uma contrapropaganda ao que o governo ora faz nas rádios, e a nossa expectativa de vida (média) é de 69,7 anos aos homens e às mulheres é de 77, 3 anos, o que modifica completamente toda a história.

 

Oswaldo Colombo Filho colomboconsult@gmail.com

São Paulo

 

*

 

PREVIDÊNCIA E EXPECTATIVA DE VIDA

O grande impasse da Previdência na Europa, consequência do expressivo aumento da expectativa de vida nas últimas décadas, nunca foi enfrentado convenientemente, em virtude do populismo e imediatismo político que caracterizaram muitos dos governos passados. É óbvio que constitui um dos principais motivos dos distúrbios a que estamos diariamente assistindo nas capitais do velho mundo. Ironicamente, portanto, a crise europeia chega a ter seu lado didático, na medida em que mostra claramente as consequências nefastas do engavetamento de soluções relacionadas a tragédias anunciadas. É dever dos governos, Brasil incluído, aprender com as aulas europeias, gratuitas, e colocar as barbas de molho, se não quiser ter que lidar com situações irreversíveis. Mas isso é tarefa para estadista, aquele que cuida das gerações futuras, conforme já definido por alguém.

 

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

 

*

SUSPENSÃO DOS ANOREXÍGENOS

A maioria - ainda que não a totalidade - dos médicos que eu conheço é contra a resolução da Anvisa de proibir , a partir de 09/12/2011, a venda de medicamentos anorexígenos (Anfepramona,Femproporex, Mazindol), assim como a de instituir a obrigatoriedade de preenchimento em três vias de termo de responsabilidade para a prescrição de Sibutramina , outro medicamento utilizado no combate 'a Obesidade (como se a receita médica , assinada e carimbada ,já não fosse por si só ,um termo de responsabilidade inequívoco do médico para com o seu paciente, de inquestionável valor perante a lei ). A partir de agora, sem os anorexígenos, será mais difícil tratar a obesidade e suas co-morbidades! A alegação de que os referidos anorexígenos contém um potencial de efeitos colaterais para alguns pacientes, por si só não justificaria a proibição, afinal, como todos nós sabemos, qualquer medicamento pode causar algum efeito colateral em pacientes mais suscetíveis. Se formos por aí , então vamos proibir a Aspirina (porque pode causar sangramento em portadores de gastrite ou ulcera péptica), o diclofenaco ( popular anti-inflamatório, fornecido gratuitamente na rede publica), a Dipirona (que nos EUA não entra), os anticoncepcionais, os antibióticos, os psicotrópicos, e por aí vai. Concordamos que alguns desses medicamentos não devam ser prescritos para certos pacientes , mas daí a proibi-los para todos, é um exagero. Então vamos proibir todos os medicamentos que as gestantes não podem tomar , mesmo para homens e mulheres não grávidas,só porque em gestantes eles estão contra-indicados?! Qual mulher que nunca teve de trocar por outro um anticoncepcional que lhe trouxe efeitos colaterais ? Vamos proibir então esse que lhe fez mal para todas as outras mulheres? Qual médico que nunca teve que trocar um antibiótico no meio de um tratamento, porque o paciente não se adaptou 'a primeira prescrição? Vamos proibir então os antibióticos por conta disso? O que podemos esperar com a suspensão dos anorexígenos? Bom , os pacientes ficarão sem absolutamente nenhum acesso a eles já que , como o Brasil é um pais sério, não precisaremos nos preocupar com contrabando ou vendas ilícitas desses medicamentos. Entretanto, certamente veremos crescer a incidência de diabetes, dislipidemia, hipertensão arterial, problemas osteo-musculares, varizes, roncos,desconforto social,etc... co-morbidades que geralmente acompanham a Obesidade, e que o uso dos anorexígenos - levando 'a perda de peso - reduz , adia, ou mesmo inibe sua manifestação. Infelizmente teremos um aumento nos gastos públicos (e na receita dos grandes laboratórios farmacêuticos), já que muitos dos medicamentos que tratam as co-morbidades acima mencionados ( alguns caros) já são fornecidos pelo Governo, e certamente se verá um aumento na prescrição dos mesmos, assim como na internação hospitalar de pacientes acometidos por efeitos secundários 'a obesidade não controlada. Não se pode retirar um medicamento do mercado sem que tenhamos condições de substituí-lo por outro(s) similar(es) em ação e eficácia, e é justamente isso o que vai acontecer após a retirada dos medicamentos. Não teremos nada similar para oferecer em troca.

Ficamos com o premio de consolação da Sibutramina, mas sabemos que nem todos os pacientes respondem bem a ela. Recentemente, uma revista muito conhecida e de distribuição em todo o território Nacional, publicou matéria referente a um medicamento injetável para o tratamento de Diabetes que, por tabela, levou ao emagrecimento de alguns pacientes acompanhados. Trata-se de medicamento extremamente caro para o cidadão comum (beira R$ 400,00 o tratamento / mês) e que ainda não está autorizado pela Anvisa para o tratamento de Obesidade, mas que vendeu mais na primeira semana pós publicação da citada matéria do que nos primeiros meses após chegar ao Brasil, a ponto dos estoques terem se esgotado em todo o Território Nacional (sic). Isso só demonstra que os pacientes acima do peso ( ou que assim se consideram...) estão dispostos a investir em qualquer opção de tratamento que se lhes apresente, independente de respaldo cientifico ou mesmo de indicação formal (ou legal) para tal. Haverá um "boom" na prescrição de medicamentos off-label. Sinceramente, acho que a Anvisa está dando "um tiro no pé"!

 

João Manuel Faria Simões de Carvalho Maio clinicamaio@terra.com.br

São José dos Campos

 

*

BIOÉTICA NO SÉCULO 21

Chamo-me Jose Cabral Jr., resido nos Estados Unidos há 15 anos onde atuo como interprete medico na University of Massachusetts Medical Center e também curso o quinto ano de Bacharelado em Enfermagem na University of Massachusetts Boston. Em janeiro de 2008, meu pai faleceu apos o mesmo ter realizado uma colonoscopia como exame de rotina, na qual o mesmo não foi informado sobre os riscos do tal procedimento, ou seja não foi dado a ela o direito de tomada de decisão considerando seus riscos e benefícios, porem sabe-se que o código de ética medico e a declaração universal dos direitos humanos garantem ao cidadão as condições de saber o que e melhor para si. O conceito de autonomia na relação médico-paciente implica em que ambas as partes são competentes para avaliar as opções possíveis e fazer uma escolha consciente. Somente o paciente pode fazer esta escolha apos ser devidamente instruído, e por isso os procedimentos a serem realizados devem ser detalhados de maneira clara e compreensível. Sabe-se ainda que o médico e sua equipe só podem realizar certos procedimentos, como o da colonoscopia mediante a obtenção do "consentimento livre e esclarecido". Não adianta o governo investir em melhorias no acesso a saúde, reforma hospitalar e outros ,se a bioética não se faz presente na pratica médico-paciente. Divulgar os direitos do cidadão baseando-se nos princípios da bioética muito poderá contribuir para o raciocínio e analise ética, afim de que se consiga atribuir nossos significados a proteção do sujeito e perceber a complexidade de sua participação na busca por respostas que beneficiarão toda a sociedade brasileira. Na esperança que eu tenha despertado em você que esta lendo este apelo de sugestão o espírito de sensibilidade, desde já fica aqui o meu mais profundo e sincero agradecimento.

 

Jose Cabral Jr. jose.cabral@umassmemorial.org

Marlborough (EUA)

 

*

 

‘MEDIMOS AS MEDIDAS’ - PALADAR

Queria parabenizar a mente criativa e caridosa por trás da matéria de capa do caderno Paladar de quinta-feira (15/12). Quando recebi o jornal hoje de manhã abri um sorriso e pensei "Finalmente!". A matéria sobre a dificuldade em" medir as medidas" das receitas é perfeita para perdidinhos na cozinha, como eu, que sofrem para desvendar uma receita. Identifiquei-me muito também com as receitas orais. Há alguns anos atrás tentei pedir para a minha avó me ensinar como fazer sua esfiha - a melhor esfiha do mundo, juro - a medida mais precisa era "um pouco de".... Ou seja, é colar nela e aprender com os olhos mesmo.

 

Marina Jarouche Aun marjarouche@gmail.com

São Paulo

 

*

 

AVENIDA PAULISTA NA PASSAGEM DO ANO

Gostaria muito de poder compartilhar com minha experiência suportada no final do ano de 2001 durante minha internação e o barulho ensurdecedor da festa na Avenida Paulista. Segue o link da gravação que publiquei no Youtube. A meu ver, trata-se de interesse público e relevante ao exercício da cidadania tão carente nos tempos atuais: http://www.youtube.com/watch?v=kBnIhWL2rdQ&feature=mfu_in_order&list=UL.

Arnaldo Nunes Martins Neto http://www.arnaldomartins.adv.br/

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.