Fórum dos Leitores

AHMADINEJAD

O Estado de S.Paulo

10 Janeiro 2012 | 03h06

Nunca mais!

Apesar da permanência dos srs. Celso Amorim e Marco Aurélio Garcia no governo federal, desta vez o Brasil não estendeu o tapete vermelho ao carrasco assassino de mulheres, homossexuais e dissidentes políticos e religiosos, Mahmoud Ahmadinejad. Parabéns à presidente Dilma Rousseff pela atitude democrática.

LUIZ NUSBAUM

lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

O Irã e a bomba

O desenvolvimento da bomba atômica no Irã, com a colaboração da China ou da Rússia, faz dos EUA reféns dos extremistas que ameaçam destruir Israel e qualquer outro alvo que possa afetar diretamente os norte-americanos. Só existe uma saída, que é impedir, se é que ainda há tempo, a conclusão das bombas, o que só será possível com o uso da força. Fica a pergunta: quem tem mais a lucrar com a ameaça iraniana, a Rússia ou a China? Em caso de ataque nuclear contra Israel, o Irã será completamente destruído, unindo o povo árabe contra os israelenses e os EUA, e os outros países assistirão de camarote ao começo do fim do mundo.

LUIZ RESS ERDEI

gzero@zipmail.com.br

Osasco

*

ENCHENTES

Eterno replay

As enchentes neste ano são as mesmas que atingiram o País no início de 2011. Os desabrigados são milhares, o ministro de quem esqueci o nome está sendo acusado de mandar as verbas para seu Estado natal e a construção de casas em áreas seguras é mais um projeto que se encontra sob os escombros da incompetência. O Brasil é mesmo o país do empurra-empurra: ou se empurra para debaixo do tapete ou se empurra com a barriga. Não sou Nostradamus, sou brasileiro, e sei que tudo no Brasil é um eterno replay.

MANOEL JOSÉ RODRIGUES

manoel.poeta@hotmail.com

Alvorada do Sul (PR)

*

'Ação planejada'

Li no Estadão de sexta-feira, sobre o rompimento do dique em Muriaé (RJ), as declarações do ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, de que foi uma "ação planejada" (sic). Gostaria que o ministro fosse bem claro e objetivo, explicando o que quis dizer com tal assertiva. Ao que consta, a tal rodovia foi construída pelo governo federal.

ASCIUDEME JOUBERT

asciudeme@ig.com.br

São Paulo

*

SECA NO SUL

Perdas agrícolas

Será que alguém se vai preocupar com a seca que devasta lavouras no Sul do País, com perdas estimadas de mais de R$ 3 bilhões? Apresenta-se um quadro complicado para o setor agrícola e aparentemente não visualizamos nenhum movimento ou ação do governo federal diante da descapitalização que este evento climático vai ocasionar.

CARLOS ROBERTO FAVORETTO

favoretto2004@brturbo.com.br

Barueri

*

CASO CELSO DANIEL

Entrevista do irmão Bruno

A entrevista do irmão de Celso Daniel (8/1, A12) necessita ser lida. Em particular, a última coluna. Trata-se de reflexões de quem viveu um drama pessoal no período de maior influência de Lula e do PT. Suas visões sobre o verdadeiro estado de coisas no âmbito institucional do País não coincidem com o propalado progresso social e econômico que o partido e o governo petista tanto apregoam. A impunidade no caso, ainda não julgado, do mensalão é outro fato que agrava as observações da entrevista. Algo de muito grave pode estar se desenvolvendo sem que o povo, deslumbrado com as benesses do consumo, se dê conta.

GILBERTO DIB

gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

MENSALÃO

Esclarecimento

Em respeito aos leitores desse prestigioso jornal e tendo em conta texto nele publicado ontem por conhecido articulista, no qual este teceu considerações sobre o chamado "processo do mensalão", permito-me esclarecer que, ao contrário do que foi recentemente veiculado em determinado periódico, jamais afirmei que as penas dos acusados iriam prescrever. Isso porque, embora em tese a ocorrência da prescrição seja uma possibilidade, ela só pode ser aferida a partir da pena aplicada em concreto, ou seja, ao final do julgamento. Também nunca asseverei que o meu voto como revisor do processo seria entregue em 2013, mesmo porque, à época da publicação dessas equivocadas notícias, eu ainda não havia recebido o relatório que tenho de revisar, acompanhado dos autos digitalizados do processo, o que só ocorreu no início do recesso forense, isto é, no final do expediente do dia 19 de dezembro passado. Ressalto, também, que a digitalização dos autos se completou apenas em setembro de 2011, com a entrega das alegações finais da defesa e da acusação, ato que marca o encerramento da instrução criminal. Observo, por fim, que, embora ainda não me tenham sido enviados os autos físicos do processo, que abrigam quase 50 mil folhas, já iniciei a revisão do relatório que me foi encaminhado e do material contido nos autos digitalizados com absoluta prioridade, conforme exige esse importante caso.

RICARDO LEWANDOWSKI, ministro do Supremo Tribunal Federal

silvana.freitas@tse.jus.br

Brasília

*

CRACOLÂNDIA

Não aprendem...

Na década de 1940, o então governador do Estado de São Paulo, Lucas Nogueira Garcez, resolveu acabar com a prostituição na cidade e fechou os prostíbulos que infestavam as Ruas Aimoré e Itaboca, na região de Campos Elísios e Bom Retiro. Resultado: prostitutas e frequentadores se espalharam por toda a cidade. Essas nossas autoridades não aprendem mesmo...

HENRIQUE MASSARELLI

hermassa@uol.com.br

São Paulo

*

O cachorro

Li o depoimento de uma usuária de crack que não quer tratar-se para não abandonar seu cachorro. Não sei se isso pode ajudar, mas eu me proponho a cuidar do cachorro enquanto ela se trata. Tenho um sítio com outros cachorros muito bem cuidados vivendo em liberdade total.

JILL OSTRAND

jill.ostrand@uol.com.br

Barueri

*

‘ESTADÃO’, 137 ANOS

Parabéns a Ruy Mesquita e a todos os funcionários do jornal O Estado S. Paulo pelos seus 137 anos de fundação. A família Neme lê o Estadão há mais de 70 anos. Acompanhou o crescimento desse conceituado jornal, que não tolera a quebra do Estado de Direito, pois defende a democracia sem covardia e com grande espírito cívico. Em defesa da ordem democrática houve até exílios de seus diretores e jornalistas. Seja esperto, assine o Estadão.

 

Paulo Dias Neme profpauloneme@terra.com.br

São Paulo

*

RÁPIDO E SEMPRE

O jornal O Estado de S. Paulo está entre os veículos de comunicação mais premiados do Brasil em todos os tempos. Por sua credibilidade e imparcialidade, o Estadão completou 137 anos de vida como um dos meios de comunicação mais importantes do nosso país. Parabéns, Estadão.

 

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

VITÓRIA

A Legião da Boa Vontade (LBV) felicita o jornal O Estado de S. Paulo pelos seus 137 anos de fundação em favor da ética e da credibilidade da informação. Que o sucesso que acompanha a trajetória deste importante veículo de comunicação possa continuar fazendo parte da vida de todos os profissionais que nele atuam. “Todas as vitórias estão decididamente ao nosso alcance pela força do nosso trabalho” (Paiva Netto).

Gizelle Tonin de Almeida, Superintendência de Relações Institucionais da LBV RPaiva@lbv.org.br

São Paulo

*

QUALIDADE E CORAGEM

137 anos corresponde a uma longevidade ímpar para um jornal, especialmente na América Latina. O Estado enfrentou e superou momentos terríveis sob os regimes de exceção. Um registro: quando presidente do CA XI de Agosto (1974), dirigia-me com os colegas à redação do Estado, no viaduto Major Quedinho, onde recebíamos das mãos de Oliveiros S. Ferreira as matérias que tinham sido substituídas por receitas culinárias ou poemas camonianos. Parabéns a essa trincheira da imprensa livre.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

COERÊNCIA

Cumprimentamos o jornal O Estado de S. Paulo pelos 137 anos de existência circulando e informando de forma coerente em benefício do desenvolvimento do País.

Luiz Ricardo Navarro navarrodesp@uol.com.br

Vargem Grande do Sul

*

ANIVERSÁRIO HONRADO

Não podia deixar passar despercebida esta gloriosa data dos 137 anos da fundação do jornal O Estado de S. Paulo, porque sou seu leitor desde o dia 9 de julho de 1932, portanto, há 80 anos, quando anunciou que São Paulo se levantara contra a ditadura Vargas em movimento revolucionário que se chamou Revolução Constitucionalista de 1932. Morava eu na Rua Bela Cintra da nossa capital, na residência de um irmão, e era estudante do Liceu Coração de Jesus, quando li na primeira página do Estadão a noticia do levante. Quando tornei-me independente economicamente e já formado em Direito pela gloriosa faculdade do Largo de São Francisco e casado, tornei-me assinante desse digno representante da imprensa paulista, o que sou até hoje, e lá se vão mais de 40 anos. Assim, tenho credenciais irrefutáveis para desejar ao Estadão séculos de vida para continuar honrando com seu trabalho patriótico, independente, de informar, de investigar tudo o que for necessário para a salvação da democracia brasileira.

Antonio Brandileone abrandileone@uol.com.br

Assis

*

COMEMORAÇÕES

Felicitamos os 137 anos de O Estado de S. Paulo, bem como o aniversário do Jornal da Tarde, Agência Estado e Rádio Eldorado. Sua história é a melhor expressão de jornalismo sério, combativo, imparcial e marcado pela ética, transparência e respeito aos brasileiros.

 

Ivo Barbiero, presidente do proScore, Bureau de Informação e Análise de Crédito fernanda@viveiros.com.br

São Paulo

*

JORNALISMO DE ALTO NÍVEL

Parabéns para O Estado de S. Paulo pelos seus 137 anos de história e também ao Jornal da Tarde, Rádio Eldorado e Agência Estado, nascidos da raiz desse grande jornal brasileiro. O grupo pratica jornalismo de alto nível, prestando relevantes serviços à população e ao Brasil, sempre com transparência, ética e dignidade.

 

Tadayuki Yoshimura, presidente da Associação Brasileira de Resíduos Sólidos e Limpeza Pública (ABLP) fernanda@viveiros.com.br

São Paulo

  

*

IMPRENSA LIVRE

Nesses 137 anos de Estadão, quero cumprimentá-los pela responsabilidade de nos trazer notícias confiáveis e de sempre colocar o leitor a par de tudo que acontece doa a quem doer. Acompanho o Grupo Estado há 74 anos, comecei a ler o jornal desde os 12 anos. Parabéns mais uma vez e mais mil anos para nosso entretenimento, nossa cultura e, principalmente, por estar ao lado de São Paulo e do Brasil. Que Deus proteja a imprensa livre!

 

Camillo Callari Netto comercial@vidape.com.br

São Paulo

*

BEZERRA NEGOCIA COM DILMA

Fernando Bezerra Coelho tenta manter-se à frente do Ministério da Integração Nacional negociando com Dilma: “aparentemente” abdicando de seu projeto de eleger-se prefeito do Recife, mas contando com o peso político de seu padrinho – o governador Eduardo Campos, importante aliado de Dilma – para não ser sumariamente descartado pela presidente. Ora, Bezerra já plantou seu filho como candidato forte à prefeitura de Petrolina, visto que nesta região o ministro espalhou com vontade suas $ementinha$. O eleitorado de seu filho está garantido. Portanto, propor desistir de concorrer ao pleito não é abdicar de nada, já que essa é a moeda de troca para se manter à frente do ministério, de onde poderá continuar $emeando no curral eleitoral de seu herdeiro. Enquanto isso, flagelados do Rio de Janeiro e de Minas Gerais que se lasquem, pois a regra que norteia este ministro do PSB é velha e diz que quem reparte e não fica com a maior parte ou é bobo ou não entende da arte...

 

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

BEZERRICES

É inacreditável! O ministro Bezerra, acostumado à impunidade reinante no País, principalmente no alto escalão, dá-se ao luxo de optar por continuar no ministério ou candidatar-se à prefeitura do Recife. E eu, aqui, pensando na morte da bezerra!

Cléa Corrêa cleacorrea@uol.com.br

São Paulo

*

BREJO

Será que essa Bezerra não vai pro brejo, dona presidenta?

Mário A. Dente dente28@gmail.com

São Paulo

*

QUESTÃO DE ÓTICA

Pelo imbróglio em que se meteu o Fernando Bezerra, dá a impressão de que seja um analfabeto funcional, porque confunde o Ministério da Integração, que dirige, como se fosse “da integração de parentes e amigos”. Isso é grave! Se fosse o Lula, porque estudou somente até o quarto ano do fundamental, poderia se desculpar. Mas, na verdade essa árvore quase genealógica que o Estadão (7/1) publicou demonstra como o ministro pernambucano indicou para os cargos mais importantes de sua pasta parentes e correligionários do PSB, partido a que pertence.  Ou seja, um condomínio fechado, para tentar blindar possivelmente as bandalheiras que lá ocorrem, como a recém denunciada pelo mesmo jornal, em que este irresponsável colaborador da Dilma concentra estupidamente envio de verbas vultosas somente para seu Estado, Pernambuco. Como se esse cidadão não soubesse que o Brasil é divido em 27 Estados mais o Distrito Federal, e 5.561 municípios. Longe talvez de ser um analfabeto funcional, o Fernando Bezerra está mais para cúmplice da picaretagem. E a presidente, terá coragem de despedir este camaradinha ligado ao governador Eduardo Campos?!

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

PORTEIRA FECHADA

Depois que os políticos petistas inventaram a “governabilidade”, surgiram os Ministérios de porteira fechada, nos quais a presidenta Dilma faz de conta que faz faxina. Como nada será feito para extirpar este mal, lanço humildemente o Movimento Ocupe os Ministérios (desde que não seja ocupação feita por manifestantes contratados, é claro).

Luiz Henrique Penchiari Jr. luiz_penchiari@hotmail.com

Vinhedo

*

PRIVILÉGIO

Realmente o Brasil nunca vai ter solução no que diz respeito ao bem público e respeito pelos mais necessitados. Agora está claro o motivo de tanta verba para o Pernambuco. O ministro Bezerra destinou a maioria das verbas ao seu filho deputado federal pelo mesmo Estado, ou seja, para privilegiar o filho, por tabela Pernambuco ganhou todas. Na verdade filho e pai deveriam ficar inelegíveis, pelo tamanho da gambiarra. Por essas atitudes baixas o povo sofrido de outros Estados está literalmente na pior, e não vai melhorar, pois a verba não vai chegar e as obras de contenção vão demorar mais de um ano. E fica tudo como está, pois presidenta Dilma sabia de tudo. Eu vou falar o quê? Só posso ficar indignado.

Antonio Jose G. Marques a.jose@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

O COELHO VERBALONGA

Bezerra que privilegia seu curral, destinando 90% da verba das enchentes aos coelhos verbalonga – filho e tio do filho – é burro, na melhor das hipóteses. Como um abutre, disponibiliza verbas paquidérmicas achando que nunca vai dar bode e que as tetas dos camelos que pagam impostos são infinitas. Macacos me mordam se, com tanto cabra da peste, exista um pingo de honestidade na política deste país, governado por bichos-preguiça, espertos como raposas e ladinos como hienas. Pombas, está na hora de faxinar a Arca de Noé, pois as ovelhas, eleitoras anencéfalas, estão sendo enganadas diariamente!

Flavio Marcus Juliano opegapulhas@terra.com.br

São Paulo

*

REGIONALISMO

A nomeação do irmão do ministro não foi nepotismo. Sem discriminação, foi só uma ligeira pernambuquice.

 

A. Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

DEMISSÃO JÁ!

Cadê a Justiça, já que a faxineira está se fazendo de morta com relação aos crimes cometidos pelo ministro Fernando Bezerra? Esvaziar só a pasta, colocando a Gleisi Hoffmann de interventora não resolve, por exemplo, o problema do desrespeito ao decreto de nepotismo, com a manutenção de seu irmão no comando de estatal subordinada ao Ministério. Demissão já, para Fernando Bezerra!

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

CHUVAS E DESTRUIÇÃO

Todos os anos é a mesma coisa, chove, o barranco sede, o barraco cai, o povo grita, a imprensa escreve e dentro de algumas semanas, tudo vira lembranças, até mesmo para os que foram vitimas. E por que nada muda? Não muda por que tudo depende da política e dos políticos. E com eles nada acontece, são ungidos com o manto protetor do voto. O voto também tem conferido as eles o direito a impunidade, já que tudo vira intriga da oposição e é abafado em nome do “bem comum”. Eu não mexo com você e você também não mexe comigo, somos todos do mesmo “clube”, Judiciário, Legislativo e Executivos – todos servidores públicos. O voto tem permitido a eles o direito de prometer e não cumprir e a faculdade de exercer o ofício sem ter vocação. Não muda por que quem poderia promover as mudanças, atribui as causas das tragédias aos desígnios divinos. Deus resolve tudo, só não orienta o povo na hora de votar, nem tampouco seleciona candidatos decentes para que o erro possa ser menor. Não muda por que quem define as eleições, e que são as maiores vitimas das tragédias, não sabe e nunca saberá ser o juiz da democracia. Não muda, por que o modelo eleitoral está falido e permite que sejamos governados por indivíduos mal intencionados e incompetentes que estão ocupando cargos importantes, quando deveriam ficar longe deles. Não adianta gritar, espernear e achar que as manchetes dos jornais surtirão efeito. Mais tarde, no conforto do sofá, tudo é esquecido na frente da telinha... Nossa democracia padece de um pecado que o "Filósofo Platão" (Sec IV a.C) chamou de "pecado original de governos do povo", intrínseco: Ela permite a qualquer um, o que não deveria ser para “qualquer um”, e quem sela esse pacto, não sabe o que está fazendo, vive no jardim de infância, eternamente. Nossas classes dominantes e uma parcela significativa das classes intermediárias, incluindo a classe média, não costumam precisar da política e dos políticos, estão com a vida e a sobrevivência garantidas – isso inclui o Judiciário e o Ministério Público – que estão se lixando para o modelo eleitoral que facilita a entrada dos maus e desanima os bons cidadãos no interesse pela política. O povão, por sua vez, que é quem define as eleições está entretido com o futebol, novelas, carnaval e mais recentemente com a barbárie do MMA e do UFC. Por isso o coro da imprensa costuma ser em vão. Se queremos mudanças de fato, capazes de evitar tragédias, o país precisa de uma limpa na política e de mudanças radicais no processo eleitoral. Com efeito, essa limpa jamais vai acontecer. Enquanto mandatos forem comprados e não conquistados por idealismo, altruísmo e vocação, nada muda. Está cada vez mais claro que o voto do povo serve de arma contra ele próprio. Se o governo é do povo, conseqüentemente a culpa pelas tragédias recorrentes é do próprio povo e não é por acaso que existe uma máxima que diz que cada povo tem o governo que merece.

José Aparecido Ribeiro jaribeirobh@gmail.com

Belo Horizonte

*

DESASTRE REPETITIVO

O Rio Muriaé rompe o dique pela segunda vez, e quem viu os vídeos pôde reparar no tipo de construção que havia naquela estrada: nem jogaram pedras e cascalho, e o mato com mais de dois metros nas margens não deixaria ver qualquer falha nas margens da estrada. Isso mostra o descaso das autoridades com o dinheiro público, e com os moradores de Campos (RJ) que sofrem com as enchentes. Como já não bastasse o que aconteceu na região dos Lagos, com mais de 900 mortos, até hoje praticamente não fizeram nada. O que está acontecendo com as verbas públicas, principalmente com os bilhões de royalties do Rio de Janeiro desses anos todos? Isso serve de exemplo principalmente para o senador Aécio Neves, que vem propondo também royalties para os minérios de Minas Gerais.

Reginaldo de Paula reg.paula@hotmail.com

Campinas

*

MELIANTES

Os desmoronamentos principalmente em Minas Gerais são obra da dupla Filito e Itabirito, O Mini$tério da Integração Nacional já solicitou à Policia Federal que prenda os meliantes.

 

Harry Rentel harry@citratus.com.br

Vinhedo

*

INFLAÇÃO E FESTA

O governo publicou a variação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 6,50% e saiu fazendo festa para comemorar. Lamento, mas comemorar o que, se o aumento em relação ao centro da meta foi de 44,44%, não nos impedindo de considerar que, sendo de 4,50% o centro da meta, a inflação foi muito alta? Pena que a maioria dos brasileiros não sabe fazer a conta.

 

Marcos Antonio Scuccuglia sasocram@ig.com.br

Santo André

*

EFEITO ORLOFF

Com a divulgação do IPCA de 2011 em exatos 6,50% (o teto da meta), cada vez mais sinto a sensação que voltamos ao tempo do “efeito Orloff”, que durante vários anos assombrou a economia brasileira. A exemplo do que ocorre na Argentina, fica cada vez mais claro que o índice de inflação divulgado é o desejado pelo governo e não o que o povo vivencia no dia a dia dos preços nas feiras, supermercados e serviços. Em se tratando de declarações do Sr. Guido Mantega, fico com a desagradável sensação de que estou assistindo a um episódio de Lie to me. Sinceramente, não compraria um carro usado do Sr. Mantega, ainda mais se o velocímetro apontasse exatos 6.500 ou mesmo 65.000 kms rodados.

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

 

*

APOSENTADORIAS – CONTRASSENSO

As aposentadorias com valor acima do salário mínimo, que foi elevado a partir deste mês de R$ 545 para R$ 622, ou seja um reajuste de 14,1%, enquanto a inflação "maquiada" e anunciada relativa a 2011 foi de 6,5%, acredite na nova mentira do atual desgoverno, para enganar o povo, que de comum acordo com o Ministério da Previdência Social (INSS) vai reajustá-las em apenas 6,08%. Por que será? Deve ser para não faltar recursos para a "roubalheira" institucionalizada dos ministérios partidários, com total anuência da presidente. Qual o reajuste das aposentadorias do setor público, dos parlamentares, dos cargos de confiança e nomeados? Por que um direito adquirido quando aposentado em 1995, depois de 35 anos de serviço e tendo recolhido o INSS calculado sempre sobre 10 salários mínimos (inclusive tendo recolhido o INSS durante alguns anos sobre 20 salários mínimos), a aposentadoria liberada na época foi o equivalente a 8,8 salários mínimos e neste momento, mesmo já aplicando o reajuste de 6,08% (mais um roubo), não atinge 3,6 salários mínimos? Os próprios governantes não cumprem o Estatuto do Idoso e as leis, para quem servem? As leis são iguais para todos ou não? O tetrapresidente do Senado, todos conhecem bem, e os seus "malfeitos" também, tem apenas três aposentadorias e em idênticas condições estão outros tantos parlamentares e políticos "corruPTos". Pelo visto, a revolução social tem de ser deflagrada por nós, os "velhinhos" aposentados do setor privado da economia, que estão sendo esbulhados em seus direitos há mais de 30 anos neste país, cuja receita para o INSS sempre foi superavitária e o excedente, sempre desviado para cobrir os enormes "buracos" de outros setores os quais nunca e nada recolheram, além de "favores e benesses" concedidos com recursos do INSS para esportistas/jogadores de futebol e outros. O próprio valor do salário mínimo já é extremamente baixo, o recém aprovado, de R$ 622,73, conforme estudo e cálculos do Dieese, deveria ser de R$ 2.349,26, mas para evitar um prejuízo maior aos assalariados, "inventaram" os complementos do salário mínimo, negociados pelos sindicatos: vale-transporte, vale-refeição, cesta básica, convênio médico/odontológico, etc., mais uma maneira de "burlar" os reais valores de cálculo das aposentadorias. Meus caros aposentados, querem acabar conosco. As "autoridades" se protegeram, fizeram e aprovaram as leis para benefício próprio, estamos sendo vilipendiados pelos nossos governantes, que querem nos transformar em "homens-bomba" ou querem antecipar o nosso fim. Temos de lutar pelo que nos é de direito... É ou não é um contrassenso?

 

Luiz Dias lfd.silva@uol.com.br

São Paulo

*

SALÁRIOS ACHATADOS

Interessante observar que, quando se aumenta o salário mínimo, os críticos de plantão fazem a estimativa dos valores a entrar para o consumo, e quando sai o aumento dos aposentados que recebem mais de um salário mínimo a conta que se faz é o impacto que terá o aumento na previdência. Por falar nisso, deputados e senadores nada dizem sobre essa política perversa do governo de achatar cada vez mais o salário dos aposentados. A política adotada por Lula é a de achatar o salário daqueles que pagaram para receber um pouco mais na velhice, deixando as aposentadorias no valor de um salário mínimo. É nivelar por baixo, contanto que não se mexa nos altos salários daqueles que nunca se esforçaram para chegar lá, mas, apenas tiveram sorte. Que horror! Acordem, eleitores, teremos eleições em outubro para prefeitos e vereadores.

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

APOSENTADOS E A INFLAÇÃO

Mais uma vez penalizam os "miseráveis" e "massacrados" aposentados deste país, que se diz justo e honesto e agora na 6ª colocação mundial, mas é manipulado e dirigido por políticos "corruptos", "ladrões", "inúteis", "incoerentes", só visando aos benefícios próprios e de seus familiares. Dirigidos por Dilma Rousseff, que esbraveja pelo Brasil que quer um país "sem miséria e sem fome", podemos denominar essas afirmações de "escabrosas", "falsas" e "ridículas". Basta ver o que ela fez aos aposentados, mais uma vez, concedendo-lhes um aumento de 6,08%, diante de uma inflação anunciada de 6,5%. Esta afirmo não ser verdadeira. Para comprovar, basta a presidente pegar uma sacolinha e ir ao supermercado quatro semanas seguidas para constatar se os preços não se alteram constantemente e em porcentuais assustadores. Ou ela pagar contas de luz, água, gás, telefone, plano de saúde, etc., etc., etc.

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

CORTE NO PESCOÇO

Por serem minoria no eleitorado, os aposentados acima de um salário nunca têm apoio desses políticos corruptos e safados que comandam há décadas o nosso Brasil. Esses últimos números da inflação indicando que ela superou todas as expectativas foi o tiro de misericórdia para os aposentados, que só vivem cortando despesas para elaborar um cada vez mais impossível orçamento doméstico. Tudo possui os preços reajustados acima da inflação, sobretudo o salário mínimo – maioria do eleitorado, menos o salário do aposentado, que sempre fica abaixo dela. No ritmo atual, o próximo corte a fazer será do próprio pescoço.

Habib Saguiah Neto saguiah@mtznet.com.br

Marataízes (ES)

*

LESADOS DE NOVO

Mais um ano se passou e os aposentados continuam sendo lesados por esta quadrilha que se instalaram no governo, todos aposentados, filhos e parentes, afinal todos serão aposentados no futuro, devem lutar para tirar o PT e suas corjas aliadas do governo, pois o PT que traiu os aposentados deve ficar no seu lugar que é oposição,e nos aposentados que recebem mais de um salário mínimo e que para isto contribuiu,devem voltar ao trabalho de maneira informal, sem contribuir novamente, sem pagar imposto de renda e não votar em políticos traidores como o maior deles, o ex-presidente Lula, que atualmente é milionário.

Jose Mendes josemendesca@ig.com.br

Votorantim 

*

ORAÇÃO

Coitados dos aposentados, o que será que eles farão com o aumento anunciado? Não conseguirão comprar os remédios. A previdência não foi, não é e jamais será deficitária, o que precisa é o governo ter a coragem e vergonha, de separar a previdência da seguridade, que é de sua responsabilidade, e deixe de usar sabe-se lá onde todos os recursos que são contabilizados. A previdência tem num piscar de olhos a lista geral de todos os seus devedores, basta chamar os devedores e impor simplesmente que as dívidas sejam pagas em dez parcelas, mais a atual, visto que as empresas, clubes e outros, descontam dos funcionários e não repassam à Previdência. Onde estão os sindicatos e associações de classe? Os sindicatos só pensam no imposto sindical e em outras mamatas, as associações vivem indo a Brasília a passeio, pois não são respeitados. O trabalhador da ativa se esquece de que ele será o aposentado de amanhã. Infelizmente, o trabalhador não sabe a força e o poder que tem, o dia que resolverem se unir, as coisas mudarão. Só nos basta orar.

José Fernandez Rodriguez cholo@terra.com.br

Santos

*

PERSEGUIÇÃO COVARDE

O governo do ex-presidente Lula e o atual da ex-guerrilheira Dilma resolveram em sua política neofascista exterminar com todos os aposentados que ganham acima do salário mínimo. Desde suas posses os aposentados vêm sofrendo todo tipo de perseguição, desde falta de assistência médica até os humilhantes aumentos que lhes são concedidos. Os senhores deputados e senadores, cúmplices desta política criminosa, deveriam tomar vergonha na cara e lembrar que grande parte de seus votos partiram de pessoas a quem eles iludiram prometendo o que jamais poderiam cumprir. Os senadores e deputados da oposição deveriam propor que as contribuições para a Previdência fossem facultativas, dando assim a oportunidade de o cidadão escolher onde ele iria apor seus recursos para garantir uma aposentadoria digna e sem os roubos praticados pelo governo. Somos culpados de termos contribuído para que esses neofascistas fossem conduzidos ao poder. Essa senhora durante anos esteve na clandestinidade e nunca contribui para a previdência e agora se locupleta de vultosos salários e mordomias do cargo que exerce.

Onde anda a sua dignidade, senhora presidenta? Por que não cumpre o que prometeu em campanha? O que a senhora pregava em sua campanha era o combate à corrupção e a não privatização. Então, dona Dilma, por que a corrupção cresceu assustadoramente dentro de seu governo e as privatizações também? Como podemos notar, esse seu PT e a senhora vendem balelas e aproveitam-se dos incautos com distribuição de migalhas, enquanto enriquecem à custa da Nação. Quer um exemplo? Agora mesmo a senhora saiu por uns dias de férias e levou uma boa quantidade de amigos e parentes para gozarem das maravilhas de um litoral, enquanto inundações matavam e colocavam ao relento brasileiros que inocentemente votaram em seu governo de falsos nacionalistas e pretensiosos e criminosos neofascistas. E olhe que até mesmo o ex-marido e a atual esposa gozaram dessa mordomia que no passado era tão criticada pelos petistas petralhas. Sua incompetência como gestora para os problemas nacionais é evidente e mostrada a todos os instantes. Tanto a senhora como seu antecessor aproveitam da oportunidade de estarem presidentes para conhecerem o mundo e fazerem suas políticas demagógicas para os estrangeiros e criminosas para os brasileiros. A senhora bem que podia seguir o caminho traçado honrosamente por Jânio Quadros, que foi o da renúncia, mas por favor, se assim for de seu agrado, não se esqueça de levar consigo o seu vice e os presidentes do Senado e da Câmara. Juro que a senhora seria lembrada com carinho pelo povo brasileiro por esse ato de caridade.

Antonio Ranauro Soares antonioranauro@bol.com.br

Sete Lagoas (MG)

*

SÓ BAJULAÇÃO

Li com tristeza o comentário do sr. Miguel Reale Júnior a respeito do julgamento da Dilma pela justiça militar do nosso país na época do governo da revolução de 1964, em 1970 (Desafios à firmeza de Dilma, 7/1, A2). Mas será que o sr. Miguel tem noção das covardia praticado por esse grupo de terroristas? Será que ele sabe dos assassinatos covardes praticados por esse grupo de que Dilma fazia parte? No final de 1969, esse grupo assassinou covardemente meu amigo Elias dos Santos, com 19 anos de vida, mas isso não interessa para esse tipo de bajuladores desse desgoverno incompetente e corrupto. O noticiário divulga as roubalheira do sr. Bezerra, ministro da Integração, e Dilma não sabe de nada. Mas o nome dela está juntinho do filho do sr. Bezerra num muro em uma propaganda. Está tudo combinado e a roubalheira não vai terminar nunca nesse desgoverno.

Paulo Francisco Siqueira dos Santos paulosiqueirasantos@hotmail.com

Santa Rita do Passa Quatro

*

APOIO À PRESIDENTE

 

No passado, não longínquo, a presidente Dilma Rousseff lutou heroicamente para desbancar a ditadura militar e implantar no Brasil o regime comunista que, na época, parecia ser a melhor solução para o Brasil e muitos outros países. Agora, minha cara presidente, a senhora é dona dos poderes que regem a Nação. Com o apoio da população daria para acabar definitivamente com toda essa corrupção que assola o governo brasileiro. Portanto, vá em frente, Dilma, não se intimide com as ameaças destes políticos corruptos, principalmente os que dizem dar sustentabilidade ao seu governo. Lembre-se de que foi eleita pelo povo, e não por partidos.  Agindo assim, em benefício da Nação, o povo brasileiro com o seu voto deixará a senhora ficar por muitos anos no poder.

 

Valdy Callado valdypinto@hotmail.com

São Paulo

*

YOANI SÁNCHEZ

Ao enviar uma carta à embaixada cubana no Brasil pedindo que o regime autorize a jornalista cubana Yoani Sánchez, autora do blog Generación Y e colunista do Estado, a vir ao Brasil para o lançamento de um documentário em que ela aparece como entrevistada, o senador Eduardo Suplicy “joga a toalha” reconhecendo que o direito fundamental individual de ir e vir não é respeitado na ilha paradisíaca da família Castro.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

CRACOLÂNDIA, INCOMPETÊNCIA E LÁGRIMAS

 

O uso de “dor e sofrimento” para forçar os viciados da cracolândia a aceitar o tratamento é tortura, prática infamante, condenada em todas as sociedades e só admitida nos piores pontos do planeta. As “procissões” de drogados, noticiadas pela imprensa, em nada contribuem para resolver o problema e expõem a incapacidade de nossos governantes. Ainda está em tempo de a máquina pública unir-se para a busca real de uma solução. Primeiro, dar combate sem trégua ao tráfico, e empregar a Polícia Militar (PM), em vez da repressão aos viciados, na realizasse de uma Ação Cívico Social como tantas que já fez para atender populações carentes. Barracas de campanha com médicos, farmacêuticos, psicólogos, dentistas, assistentes sociais e até membros do Judiciário, para dar o atendimento integral ao viciado no seu próprio habitat. Oferecer toda assistência, inclusive alimentação e higiene pessoal, e só levar para internação aqueles que tenham quadro clínico mais grave ou apresentem alto grau de periculosidade, dependência à droga e risco à própria vida e à de terceiros. Além dos serviços públicos, também poderiam ser chamadas a colaborar as igrejas e entidades sociais que já executam trabalhos com drogados. Tudo para que o usuário, que é uma vitima, em vez de reprimido, sinta-se apoiado, promovido e espiritualmente confortado. Mas isso não deve se restringir apenas à cracolândia paulistana. Praticamente todos os 645 municípios do Estado vivem o drama do crack.

 

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

CRACOLÂNDIAS

A operação da PM ao procurar romper o fornecimento de drogas aos viciados provocou até agora o espalhamento do rebanho de "nóias" pela cidade,criando várias cracolândias em lugar da que estava concentrada e com endereço certo na Luz,centro de SP.Sem lugar adequado para receber a grande quantidade de pessoas a serem corretamente tratadas pelo Poder Público,o esforço se mostra em vão,com a criação de novos polos de concentração de farrapos humanos,colocando em risco o dia a dia de outros bairros.Os governos Estadual e Municipal devem,com a máxima urgência,procurar o entendimento em busca da solução adequada que a gravidade do caso requer.A população,aflita e ameaçada,aguarda que o governador e o prefeito fumem juntos o cachimbo da paz sob a bênção de Nossa Senhora do Crack. Amém.

 

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

EQUÍVOCOS DE UM PROFESSOR

O Sr. Dr. Dartiu Xavier da Silveira, psiquiatra da Unifesp, comete, em seu texto sobre a ação na cracolândia, alguns equívocos espantosos (‘Estão fazendo tudo o que não pode’, 8/1). Atribuir o consumo de drogas á pobreza é afirmar que todos os pobres se drogam e que eles, por serem pobres, não fazem escolhas morais. O Sr. Dartiu foi, no mínimo, infeliz na sua afirmação, assim como são aqueles que atribuem todo tipo de criminalidade à pobreza, como se os pobres não fizessem escolhas. Tanto fazem, que a maioria das pessoas pobres são, sim, honestas e não usuárias de drogas! O Sr. Dartiu desconhece que o crack não tem fronteira social e é consumido por gente de todas as classes. Outro equívoco é dizer que a ação contra o tráfico nos EUA  foi um fracasso. Ele confunde alhos e bugalhos. A ação mais próxima do que é feita na cracolândia, naquele pais, foi a realizada em Nova York, o Tolerância Zero.  E esta, é inegável, funcionou. E funcionou graças à repressão. O fato é que existe uma espécie de reserva de mercado dos drogados, sem os quais muita gente perderia seu ganha pão. Consciente ou inconscientemente, estas pessoas relutam em aceitar qualquer coisa que possa retirar de suas mãos a legião de drogados que vagueiam pelas ruas. Afinal, sem os drogados, eles viveriam de quê? É preciso, na verdade, mudar os conceitos que nortearam as políticas reativas às drogas nos últimos 30 anos, que, afinal, deram os resultados lamentáveis que vemos. O Brasil, sem repressão alguma, tornou-se o segundo maior consumidor de drogas do mundo. Essa é a realidade.

 

M. Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@gmail.com

Florianópolis

*

LEI DE DROGAS X CRACOLÂNDIA

Só para recordarmos: Os objetivos da Lei 11.343/06 são: coibir o tráfico ilícito de drogas; diferenciar o traficante do usuário; agravar a situação penal do traficante e dos agentes responsáveis pela disseminação de drogas; tratar o usuário como agente que necessita de cuidados, tratamentos e proteção do Estado. Fica complicado para os policiais diferenciar o traficante do usuário porque os traficantes se misturam entre os usuários vendendo a droga em pequenas quantidades. Os policiais que estão agindo na Cracolândia devem tratar os dependentes químicos como doentes, os usuários de drogas não podem ser tratados como criminosos, não devem apanhar, levar chutes e serem ameaçados necessitam de tratamento. O crack gera dependência quase que imediata, fumar o crack é a via mais rápida de fazer com que a droga chegue ao cérebro, ele atinge o sistema de recompensa, esse sistema responde pelas sensações de prazer e satisfação, fazendo com que o usuário fique cada vez mais dependente da droga e assim ele passa a usar novamente para ter a mesma sensação de prazer intenso. A dependência química é uma doença crônica e requer um tratamento especializado. Os dependentes químicos não são culpados por sua doença, mas são responsáveis por sua recuperação, mas muitos não têm mais a noção de responsabilidade, se tratar por que, para quê? A grande maioria dos “noias” da Cracolândia não vão pedir ajuda, a prioridade deles é o crack, então eles vão procurar um jeito de buscar a droga para evitar a abstinência e alcançar o prazer que o crack lhes proporciona, “crack o poder da ilusão”. Percebo que a Lei não está sendo respeitada, tenho acompanhado as abordagens na Cracolândia e se a Lei diz que o usuário deve ser tratado como agente que necessita de cuidados, tratamentos e proteção o que estão fazendo com eles? Apenas mudanças de endereço. Os usuários estão mais perdidos que antes, a Cracolândia era sua única referência e agora que foram expulsos cadê os cuidados, a proteção, cadê o centro de tratamento especializado? Precipitação falta de diálogo, se o centro de atendimento está quase pronto, porque espantar os usuários ao invés de tratá-los. Quem errou?

 

Adriana Moraes, psicóloga e pesquisadora sobre o crack adri.psi@ig.com.br

São Paulo

*

A LUTA CONTRA AS DROGAS

 

Impedir que os traficantes cheguem até os viciados, sem dúvida, é uma providência salutar. Entretanto, trata-se de uma luta árdua e que, sem trégua, precisa perdurar, sob pena de verificarmos sempre o recomeço das ações dos meliantes do tráfico. Assim, os governos estadual e municipal de São Paulo  estão cumprindo bem a tarefa na cracolândia e adjacências. Porém, esse tipo de luta precisa ser estendido para outras cidades do interior do Estado, onde os traficantes estão transitando quase que livremente e impondo suas maléficas atuações aos jovens drogados, nas portas de escolas, clubes e demais locais de frequência juvenil. Estamos diante da necessidade de manter a guerra contra o tráfico neste país, custe o que custar.

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

DOR E SOFRIMENTO

O coordenador de Políticas sobre Drogas, Luiz Alberto Chaves de Oliveira, declarou que o usuário de drogas pede ajuda para se tratar quando sente dor e sofrimento. Os molambos que vemos a fumar crack não pedem ajuda, logo, segundo o coordenador, não devem sentir dor e nem sofrer. Devem ser tão felizes!

Fausto Ferraz Filho faustoferrazfilho@hotmail.com

São Paulo 

*

A PARTE DA PREFEITURA

Antes, os usuários de crack ficavam confinados na Cracolândia. Agora, com a ação da Polícia foram espalhados por toda a região central. Comerciantes e moradores das redondezas, para ter acesso ou sair do seu estabelecimento ou moradia, tem que entrar em confronto com os "nóias" que se amontoam nas portas destes, deixando o local imundo e fedido. A PM está fazendo a parte dela. Já a Prefeitura continua apenas no discurso, principal característica do atual prefeito.

 

Haroldo Lopes aluisantos@yahoo.com.br

São Paulo

*

AÇÃO POLICIAL

Nota dez para a secretária de Estado da Justiça Dra. Eloisa de Sousa Arruda, que não se melindrou e apoiou a ação policial, para o Dr. Luis Alberto Chaves de Oliveira (Laco) que com seu esforço já ajudara o governo a dispor de 400 leitos iniciais para tratamento involuntário e, principalmente, para a PM paulista que está cumprindo sua obrigação com a segurança da população. São válidos todos os esforços para acabar com as cracolândias, até mesmo esta ação policial que se iniciou no dia 3 e poderá ser sistematizada. Que se somem agora as iniciativas preventivas na educação, as iniciativas sociais das ONGs e igrejas, redução de danos (albergue, banho, alimentação etc.), atendimento ambulatorial, internações em comunidades terapêuticas e em hospitais e clínicas psiquiátricas, todos aparelhados adequadamente e com condições dignas de tratamento. Reclamar de qualquer uma dessas iniciativas é atraso e falta de conhecimento.

Jorge Cesar Gomes de Figueiredo, psiquiatra fig@osite.com.br

São Paulo

*

CRACOLÂNDIA E OUTROS PROBLEMAS

Uma palavra minúscula, mas com um significado incomensurável, caso fosse cumprida e levada ao pé da letra, bastaria para resolver os gravíssimos problemas da cracolândia  e   outros de igual importância que assolam uma cidade como São Paulo. A palavra é lei.

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

TRAFICANTES

A prisão de traficante na Cracolândia mostra que lá não era reduto apenas de usuários, mas fonte de renda para muitos traficantes. Que a polícia continue com seu belo trabalho e que o governo dê tratamento aos usuários que realmente desejem sair "desta vida" e prenda os criminosos que desgraçam a vida de tantas famílias.

Roberto Saraiva Romera robertosaraivabr@gmail.com

São Bernardo do Campo

*

RECUPERAÇÃO

 

Muitas pessoas criticam a crueldade no trato com os drogados da "cracolandia" e confesso não ter a mínima idéia de como resolver o assunto e por isso não faço o mesmo com a operação atual que a PM faz no local. Quanto aos críticos, desde o leitor comum até especialistas no assunto  que se condoem com os drogados mas também não tem como resolver a situação, a esses uma sugestão: adote um drogado levando-o para sua casa e recupere o mesmo para uma vida decente.

 

Laércio Zannini arsene@uol.com.br

São Paulo    

*

DANIEL PIZA

Chegando a São Paulo vi a triste notícia da morte e missa de sétimo dia , hoje, de Daniel Piza. Meu coração ficou assim pequenininho, pois foi um grande amigo que se foi. Não o conheci pessoalmente, mas como disse muito bem o Marcos Caetano em sua crônica de sábado (7/1, E2), “sempre nos tornamos amigos dos autores que lemos”. Que perda enorme... Que falta vai fazer para todos nós essa grande cultura e inteligência tão cedo partida. A “Sinopse” foi um dos grandes momentos do jornalismo brasileiro, com a incomparável abordagem que Daniel Piza dava aos mais variados assuntos culturais e políticos. Como cidadão culto e sensível, nunca fugia de fazer sua análise contundente sobre nossa atualidade política, nem sempre muito agradável. Sua mulher e filhos podem ter o enorme orgulho de ver, pelas inúmeras manifestações de admiração e carinho de tantos amigos, como Daniel foi querido por suas inúmeras qualidades de homem e intelectual. Foram 41 anos muito fecundos e seu trabalho será sempre muito admirado por uma legião enorme de amigos. Meus sinceros pêsames para a Família e para o Estadão que perde um de seus mais brilhantes e fecundos colaboradores.  Sinto muitas saudades.

Nelson Penteado de Castro pentecas@uol.com.br

São Paulo

*

ESCRITORES

Que Deus é esse que leva uma jóia preciosa de ouro maciço tão cedo como Daniel Piza e preserva uma bijouteria enferrujada como esse Sarney que tanto mal faz a sociedade?

Orivaldo Tenorio de Vasconcelos professortenorio@uol.com.br

Monte Alto

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.