Fórum dos Leitores

GOVERNO DILMA

O Estado de S.Paulo

23 Janeiro 2012 | 03h05

Mais do mesmo

Janeiro já vai chegando ao fim e toda aquela expectativa de que a governante maior do País pudesse, enfim, se desfazer das amarras que supostamente a impediram no primeiro ano de mandato de ter "um governo com a sua cara" cai por terra, jogando uma ducha de água fria em quem achava que Dilma Rousseff seria diferente do antecessor. A tal reforma ministerial - que, segundo ela, "só existe na cabeça da imprensa" - foi pura peça de propaganda para desviar a atenção da realidade num momento crucial em que foi descortinada, diante dos incrédulos brasileiros mais bem informados, uma situação surreal até para os padrões das republiquetas mais atrasadas, institucionalmente falando: a de que nada menos que um ministro de Estado foi catapultado do cargo a cada dois meses por suspeita de conduta irregular. Tudo indica que nos três anos restantes teremos mais do mesmo: mais inaptidão na gestão pública, mais corrupção, mais demonstrações de incompetência, mais alianças espúrias com meros interesses eleitorais e, com toda a certeza, mais desfaçatez nas explicações dirigidas ao público que paga com (mais e mais) impostos toda essa pouca-vergonha em que espertalhões de toda espécie vêm transformando o que nas escolas nos ensinam ser a República Federativa do Brasil. Lamentável!

FERNANDO CESAR GASPARINI

phernando.g@bol.com.br

Mogi-Mirim

*

Os desajustados

Analisando a sofrível tripulação de grumetes que encabeça os ministérios - à exceção do novo ministro da Ciência e Tecnologia, o primeiro não curioso da especialidade a bordo - e passados 13 meses apenas faxinando o convés e assoprando a fumacinha na popa, parece que a reforma do casco não passará de uma gambiarra. Imaginem de quem se cogita para a Cultura - com tantos nomes valiosos e preparados para tão importante pasta! Jogam-se a Cultura e também a Educação na vala comum da incompetência.

FLAVIO MARCUS JULIANO

opegapulhas@terra.com.br

São Paulo

*

Incompetência no MEC

Se o Ministério da Educação (MEC) já era ruim com Fernando Haddad, ficará ainda pior com Aloizio Mercadante. Como pedagoga, lamento profundamente que Dilma não dê prioridade à educação. Assim seremos para sempre um país de Terceiro Mundo. Mas, sem dúvida, isso atende aos interesses de poder do PT: um povo subdesenvolvido é mais influenciável e dominado.

ANNA CAROLINA DE CARVALHO

annacmeirelles@gmail.com

São Paulo

*

Compensações

Dilma cogita de substituir a ministra da Cultura, Ana de Hollanda, pela senadora Marta Suplicy (PT-SP). O que se faz muito bem neste país, no meio governamental que temos, são as leis das compensações. Isto é, nada fica sem "paga", não é mesmo?

ANGELO TONELLI

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

SACOLAS PLÁSTICAS

Obrigação do vendedor

A partir desta quarta-feira os supermercados da cidade de São Paulo deixam de fornecer as sacolinhas de plástico para acondicionar as compras e põem à venda as tais sacolas retornáveis. Esses estabelecimentos, a meu ver, deveriam fornecer embalagens de papel, como fazem as padarias, porque a obrigação de embalar a mercadoria é de quem vende, não de quem compra.

CLÁUDIO MOSCHELLA

arquiteto@claudiomoschella.net

São Paulo

*

Só elas são vilãs?

Por que sou contra abolir as sacolas plásticas: onde moro, o lixeiro passa às terças, quintas e sábados. Na última sexta-feira, à noite, pus na lixeira, além do tradicional saco preto com o lixo dito orgânico, outro com o material reciclável, de plástico, constando de duas garrafas PET, uma garrafa de óleo de soja, uma garrafa de água mineral, oito garrafinhas de iogurte, duas embalagens de doces feitos na padaria do supermercado, uma embalagem de requeijão e duas de frutas. Por que, então, somente as sacolinhas são as vilãs? Quando as pessoas não tiverem mais as sacolinhas, precisarão comprar sacos de lixo. Que são... de plástico!

ECILLA BEZERRA

ecillabezerra@gmail.com

Peruíbe

*

Seis por meia dúzia

Em Campinas a proibição já vigora há alguns meses e pude observar que a grande maioria dos moradores passou a ter de comprar sacos plásticos nos supermercados para o lixo, em vez de utilizar as sacolas que eram fornecidas "gratuitamente" pelo comércio. Além de aumentar a despesa dos consumidores, não se pode esquecer de que o uso de sacos de papel ou de caixas de papelão para o descarte do lixo é inviável em dias de chuva. Considerando o meio ambiente, não estamos trocando seis por meia dúzia?

EDGARD GOBBI

edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

FROTA DE ÔNIBUS

Esclarecimento

A respeito da reportagem Ônibus: n.º de usuários aumenta, frota não (19/1), a São Paulo Transporte (SPTrans) informa que, de acordo com técnicos da empresa, autoridades e especialistas em transportes, o aumento do número de ônibus não é a solução para resolver a lotação. A Prefeitura, por intermédio da Secretaria Municipal de Transportes (SMT), está tomando todas as providências para ampliar a oferta de lugares nos coletivos e a prioridade é aumentar a velocidade média dos veículos nos corredores da cidade entre 10% e 15%. Isso equivale à inclusão de até 2.250 ônibus à disposição da população. O melhor exemplo é o resultado positivo da faixa exclusiva implantada na Radial Leste, que apresentou aumento de 20% na velocidade dos ônibus no horário de pico. A SPTrans ressalta que, entre 2009 e 2011, a oferta de lugares nos ônibus passou de 532.652 para 557.125 durante o horário de pico, um crescimento de 4,6%, enquanto o número de passageiros no período avançou 2,4%, passando de 2,87 bilhões para 2,94 bilhões/ano. Esse aumento de lugares foi possível por causa da renovação da frota com modelos maiores e mais confortáveis. De janeiro de 2005 a dezembro de 2011 foram renovados 12.037 veículos, ou 80% da frota de cerca de 15 mil ônibus.

RUBENS LINHARES, Assessoria de Imprensa da SMT

rubenslinhares@prefeitura.sp.gov.br

São Paulo

*

CRESCER MENOS

Os indicadores da Organização das Nações Unidas (ONU) já divulgam a previsão de crescimento do Brasil para 2012 em 2,7%, tudo em razão de uma recessão na economia mundial. A nossa previsão é de 4%, conforme o sr. Guido Mantega. Não é melhor rever o índice? Será que a ONU vai acertar de novo? Medidas urgentes precisam ser tomadas para reduzir as despesas de custeio e principalmente as fraudes e desvios do erário, os superfaturamento de obras, as improbidades e corrupções, para evitar um ataque indiscriminado às reservas. Temos que nos contentar em crescer menos.

 

Luiz Dias lfd.silva@uol.com.br

São Paulo

*

INFLAÇÃO EM ALTA

O  primeira pesquisa de 2012 nos mostra que a inflação está subindo, e o que é pior, segundo a  Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) o maior aumento é nos alimentos : arroz e o feijão. Com a seca que assola o Rio Grande do Sul um dos maiores produtores de grãos do nosso país  onde houve região que  ocorreu perda total das lavouras, pressuponho que  por mais que o ministro da Fazenda, Guido Mantega, fala que inflação está sobre controle,pressuponho que vem chumbo grosso por ai...

 

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

REFORMAS

Por causa da voracidade arrecadatória imediatista do Estado (municipal, estadual e federal), dificilmente uma reforma tributária será realizada no Brasil Sem dispor de plano de desenvolvimento de longo prazo, os orçamentos anuais do governo carecem de fôlego para isenções pontuais de impostos que a médio e longo prazo poderiam aumentar sensivelmente a rentabilidade dos nossos setores produtivos, dobrando ou triplicando arrecadações futuras.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

DINHEIRO SUGADO

Brasília parece uma conspiração para sugar o dinheiro de quem trabalha, em beneficio de partidos e políticos. Ali, questões comuns como eficiência, produtividade e economia de recursos são pouco importantes, não aplicáveis nos salões do castelo, financiado com recursos públicos. Os freqüentes escândalos e os privilégios, nos três poderes públicos, demonstram nitidamente quais são ali as prioridades. Ferem a ética governamental e humana, vendo o tanto que ainda precisa ser feito neste País.

Flavio Langer diretoria@spaal.com.br

São Paulo

*

REFORMA TRIBUTÁRIA JÁ

Todos concordam que a carga tributária do Brasil é absolutamente perversa. Quebra qualquer orçamento, para ter uma idéia do quanto os cidadãos são penalizados pela voracidade arrecadatória do Estado, contribuímos com mais de 1.5 trilhões de Janeiro há 29 de Dezembro de 2011, 2012 arrecadação promete ser ainda maior. A cada hora, cerca de R$ 130 milhões entram nos cofres do governo. São impostos diretos e indiretos, federas, estaduais e municipais, das mais diversas rubricas. De acordo com um estudo do instituto brasileiro de planejamento tributário (IBPT), o contribuinte trabalha, em média, 157 dias por ano só para pagar tributos. Ou seja, de Janeiro até meados de Junho, todo ganho dos trabalhadores vai parar nos cofres dos governos, são mais de cinco meses para sustentar a máquina administrativa, e o que o contribuinte recebe em contra-partida? Com essa arrecadação o Estado poderia, por exemplo, fornecer cestas básicas para toda a população brasileira por 18 meses, daria para pagar medicamentos a todos os habitantes durante 297 meses, conseguiria construir mais de 32.493.151 casas populares de 40m². Seria possível, ainda, arcar com mais de 1.616.770.885 salários mínimos, e por aí vai. Mas não é bem isso que acontece, parte dessa dinheirama toda vai para o ralo em obras hiper faturadas. Porém, todos sabemos, o que recebemos em troca por ser recordistas mundiais em pagamentos de impostos: Mazelas. Os serviços de saúde, educação. segurança, como todos os demais, padecem de falta de qualidade. A administração de recursos é caótica, a gestão em todos os níveis vai de mal a pior e a corrupção se alastra diariamente por todos os poros da máquina governamental. Basta abrir o jornal, ligar a TV, o rádio ou navegar na internet para confirmar que não é exagero. Agora temos noticias até de juízes e magistrados envolvidos em enriquecimento ilícito, ou seja: Não temos mais para quem reclamar, a não ser abaixar a cabeça e assistir a tudo calado e indignado.

 

Turíbio Liberatto Gasparetto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

*

‘IMPOSTORMETRO’

Louvável a inauguração do "importômetro" mostrando, finalmente, que a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit) se sensibilizou com a grave tendência  de queda da produção e emprego na indústria têxtil, substituídos por produtos importados, muitas vezes sob práticas desleais como subfaturamento. Ao lado do "impostômetro", que registra marcas históricas de impostos arrecadados, o povo não pode continuar a alegar desconhecimento dos fatos. Seria extremamente conveniente que um terceiro painel – o "impostormetro", mostrasse quanto desse montante foi desviado, roubado ou mal gasto, pelos impostores que se camuflam em cargos políticos.

Flavio Marcus Juliano opegapulhas@terra.com.br

São Paulo

*

DÍVIDA CRUEL

Não fosse Lula – que, enquanto presidente abandonou, literalmente, o cargo para trabalhar "48 horas" por dia na campanha das eleições do ano passado –, Dilma jamais se elegeria presidente do Brasil. É uma dívida cruel! Não tem como deixá-la de pagar a cada dia que ela passa no Planalto. O mais engraçado foram as recomendações – e desejos – para que ela faça um bom governo e acabe com a corrupção no início do seu mandato pelas mais diversas classes profissionais brasileiras, inclusive por parte da grande mídia. Quem manda é ele e o Zé, os dois fanfarrões às avessas, que tiveram a ousadia de entregar o Pré-Sal para o rapaz que quer ser o homem mais rico do mundo daqui a três anos (coitado, ignora que nós, enquanto frágeis seres humanos, podemos deixar este vale de lágrimas no próximo minuto), tirando do Brasil - que sendo a 6ª maior economia do mundo, tem condições absolutas de explorar o pré-sal - e dos brasileiros, uma riqueza que poderia deixar o País como potência econômica mundial no máximo em 20 anos. Por favor, chamem a polícia, fomos roubados!

José Eduardo Victor je.victor@estadao.com.br

Jaú

*

PERFIL DA MÃO DE OBRA

É sempre bom saber quanto ganha por hora em média um empregado do setor  industrial em outros países. Por exemplo: nos EUA se paga por hora US$ 34, na Alemanha, US$ 44, e na Noruega US$ 57. Já na China, apenas US$ 1,36, ou R$ 2,5 por hora. No Brasil, o trabalhador ganha em média US$ 10, ou R$ 18,00 por hora. Esta pesquisa foi feita pelo Ministério do Trabalho dos Estudos Unidos, englobando 34 países. E outra conclusão importante detectada nesta amostragem é que, os reajustes salariais no Brasil, entre 2009 e 2010, foi o segundo maior entre os países pesquisados. Agora, é bom deixar claro que tampouco a Noruega que paga a hora trabalhada mais alta de US$ 57, deixa de ser competitiva no mercado externo, ou a China que remunera seu trabalhador com os pífios US$ 1,36 por hora, tem somente por isso a vantagem de inundar com seus produtos baratos o mundo afora, eliminando empregos inclusive no Brasil.

O buraco é mais fundo! Assim como na Noruega, EUA, Alemanha, China, etc., os impostos cobrados são bem inferiores ao nosso sobre a cadeia produtiva. Alem dos mais, estas nações não sofrem com os problemas cada vez mais crônicos do Brasil, da péssima infraestrutura, como estradas, portos, ferrovias, aeroportos, metros, etc., que a cada ano vem penalizando os custos de produção, e impedindo de disputar melhor o mercado externo, e até reduzir o impacto das importações. Logicamente que outro fator pesa na nossa produção, que é o da falta de mão de obra especializada. Essa penúria é consequência direta do péssimo estágio do nível de educação formal no País. Que compromete duramente a nossa produtividade que é baixa comparada com os países desenvolvidos, e alguns em desenvolvimento como a China e a Índia.  Acorda Brasil...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

A SEGURANÇA DO TRABALHO NA CONSTRUÇÃO CIVIL

Um dos setores mais importante e que mais gera empregos no Brasil, a Construção Civil, também e responsável por ser uma das atividades que mais tem vitimas de Acidente do Trabalho. Com o aquecimento econômico em alta todos os setores voltaram a contratar, mais nem todos se preocupam em investir na Segurança do Trabalho, pois muitas empresas entendem que o dinheiro da Segurança do Trabalho é uma despesa e não um investimento.

O resultado não poderia ser diferente em 2011apenas em São Paulo (14) vitimas fatais, é um número assustador e muito dolorido para os profissionais da área Ocupacional. A Norma Regulamentadora (NR) de nº 18 é a que nos trás os parâmetros de tal atividade. Dentre tantos itens o de nº 18.28 sub itens (nº 18.28.1 e 18.28.2) 18.28.1 Todos os empregados devem receber treinamentos admissional e periódico , visando a garantir a execução de suas atividades com segurança  18.28.2 Treinamento admissional deve ter carga horária de 6 (seis) horas . A pergunta é simples as Construtoras fazem este treinamento?Alguém deveria fiscalizar e com isto certamente evitaria e diminuiria as mortes na Construção Civil, setor tão importante da Economia Brasileira.

Paulo Rodrigues de Moura paulorodriguesmoura@hotmail.com

São Paulo

*

ECONOMIA GLOBAL

A economia mundial tem passado por momentos difíceis desde 2008, sobretudo devido implantação do neoliberalismo liberal totalmente desregulamentado em função do lucro especulativo que não promove a produção e o emprego de pessoal. A globalização do capital move grandiosas somas de dinheiro de um país a outro em segundos derrubando governos, empresas e a sociedade. O capitalismo e sua prerrogativa de exclusão e individualismo levou a criação de cooperativas entre iguais e a propriedade solidária já em 1826 na Inglaterra nos trabalhadores das primeiras fábricas do capitalismo industrial. Tem sido demonstrado por estudiosos de diversas áreas que o modelo do neoliberalismo adotado em escala mundial tem apresentado falhas estruturais graves e irreversíveis, um jogo perigoso de perde e ganha sem garantias e arriscado. É necessário que haja uma busca por novos modelos econômicos que valorizem o trabalho, a produção, a liberdade e a solidariedade, promovendo um capitalismo humanista e que não seja autodestrutivo e selvagem.

As cooperativas de trabalho, consumo e produção ainda que longe da perfeição e do lucro desejados são alternativas viáveis e merecem estímulos dos órgão governamentais e privados para sua implantação  no Brasil. O complexo econômico de Mondragon na Espanha é exemplo de uma cooperativa bem sucedida, abrangendo 30.000 trabalhadores, supermercados, banco e universidade. Assim, sua experiência bem sucedida é resultado de uma integração regional e econômica de todas as cooperativas e de seus subgrupos integrados, onde parte dos lucros das cooperativas mais rentáveis é repassado para outras deficitárias.

Foram utilizadas estratégias empresariais como o compromisso com a manutenção do emprego dos trabalhadores e capitalização através da contribuição dos próprios trabalhadores, obrigando as empresas serem flexíveis e inovadoras. Por outro lado, a política de Mondragon evita o crescimento desmedido de outras cooperativas, promovendo inovação e melhoria nos níveis de produtividade constantemente. Sempre foi apontada como a principal desvantagem das cooperativas o fato de a democratização exigir o voto de cada um dos membros em decisões importantes, dificuldade que foi resolvida com a internet que pôde computar os votos em segurança e em tempo real de todos os cooperados. A disseminação dos chamados clubes de compras na internet comprova o fato. O atual estado econômico, confirmando as previsões de Karl Marx de acumulação do capital com consequências desastrosas à humanidade já está sendo confirmado em todas as escalas da economia global, portanto é nosso dever buscar soluções que beneficiem o Estado e a sociedade. O ressurgimento das formas de produções solidárias e das cooperativas de trabalhadores na atualidade são alternativas de produção aos outros modelos em crise. Os autores relacionam quatro razões fundamentais ao estudo e promoção da cooperativas. 1) O cooperativismo busca a separação do capital e do trabalho, partindo de uma perspectiva não-capitalista ao mesmo tempo atuando em economia de mercado. 2) As cooperativas  de trabalho são mais produtivas devido ao maior incentivo econômico e moral, porquanto não necessita supervisores, visto que os trabalhadores são beneficiados diretamente da prosperidade da empresa. São flexíveis e inovadoras buscando sempre uma participação ativa e em constante mudança no meio empresarial. 3) A característica principal das cooperativas de trabalhadores é igualdade da distribuição da propriedade e dos lucros, assim contribuindo diretamente para a diminuição da desigualdade e estimulando o crescimento econômico. 4) As cooperativas beneficiam diretamente todas as comunidades, visto que não se utilizam das desigualdades mantidas pelo capitalismo e promovem a democracia econômica e social ampliando a cidadania, sendo  fundamentada nos valores de autonomia, democracia, solidariedade, igualdade e liberdade em função de um controle democrático e justo de todos os seus membros de forma a atingir metas comuns.

Daniel Marques danielmarquesvgp@gmail.com

Virginópolis (MG)

*

RECUPERAÇÃO

Para o bem da humanidade aos poucos a economia dos EUA está voltando a normalidade. O desemprego que estava 10% em dezembro 2009 caiu para 8,5% em dezembro de 2011. O mundo pode respirar melhor. Quero que o homem viva bem e não sofra. Deus quer o bem do ser humano.

Paulo Dias Neme profpauloneme@terra.com.br  

São Paulo

*

CONCORDATA DA KODAK

Trabalhei muito anos na Kodak uma empresa exemplar e correta

Pena vê-la nessa situação de quase insolvência. Para todos terem uma ideia da força e poder da empresa, a mesma possuía anos atrás uma Universidade em Rochester (sede), Estado de Nova York. Tratava os funcionários correta e muitíssimo bem, com imaginem assistentes sociais quando ninguém falava nisso. Espero que se recupere e volte com força total afinal foram eles que lançaram a câmera digital mas deixarem a ideia escapar da mãos.

Antonio Jose G. Marques a.jose@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

LIÇÃO

O episódio do naufrágio do navio na costa italiana, deixou uma lição: hoje em dia quem tem caráter e age de maneira correta, decente e honesta, é a exceção, vira herói, mesmo que não estivesse fazendo nada mais do que a sua simples obrigação. É o caso do capitão da Guarda Costeira De Falco, que  com a frase   “ vada a bordo caz..” mandou o comandante Schettini, voltar a bordo para auxiliar no salvamento dos passageiros. O caráter é um predicado tão raro hoje em dia na nossa sociedade, que se essa tragédia fosse no Brasil, não haveria tal discussão, o comandante seria o herói,  pois foi mais esperto e se safou logo. A frase nas camisetas não seria “Vada a bordo caz..”, mas sim: “escorreguei e cai no bote salva vidas”. (desculpa dada pelo comandante Schettini, ao capitão De Falco, justificando a sua rápida saída do local do acidente).

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

COSTA CONCÓRDIA

Fosse no Brasil a tragédia do Concórdia, o capitão, safado, diria que é petista, amigo de uns e outros, que a homenagem era para um político da ilha, etc. e tal, o Supremo Tribunal Federal (STF) lhe daria imunidade, habeas corpus e o cambau, e as seguradoras iriam levar tantos anos quanto levam os precatórios, enquanto os mancebos do agreste delongariam sem fim em CPIs inconclusivas, mas, no final favoráveis ao jantar do comandante com a loira, porque brasileiro é esperto, a classe política é unida e o judiciário, alem de corporativista, é lento.  Os pagantes turistas, que se salvaram da tragédia, ainda teriam de pagar suas custas, amargar o prejuízo e agradecer não terem sido assaltados na saída do resgate. Há, de fato, uma grande diferença entre países acima e abaixo do Equador.

Ronaldo Parisi rparisi@uol.com.br

São Paulo

*

FUGA

Tenho um furo sensacional: o Comandante do navio de cruzeiro que ele afundou na costa da Itália vai comunicar-se com o Itamaraty  para contatar a presidente Dilma e o ex Lula de sua intenção de fuga para o Brasil, onde espera ser recebido como herói,baseado em antecedentes acontecidos com outros foragidos de lei italiana.

Luciano Souza Paes Cruz lucianospcruz@gmail.com

Campinas

 

*

COMANDANTES

Respondo ao artigo publicado na página 12 do Estadão do dia 19 de Janeiro de 2012, onde diz que "o naufrágio só pode ter sido obra de um Comandante italiano", para lembrar ao autor, da Reuters, APe AFP que então, afundar o Titanic em una noite clara, de mar calmo, batendo contra um iceberg, cuja presença já fora avisada, matando mais de 1400 passageiros, só pode ter sido obra de um estúpido e orgulhoso Comandante britânico.

 

Sergio Cosulich cosulich@ig.com.br

São Paulo

*

PROVÁVEIS ERROS HUMANOS

É usual empresas de transporte carrearem à culpa de seus operadores as razões de acidentes graves. No caso do naufrágio do Costa Concordia, os depoimentos e as fotos, todavia, conduzem a essa responsabilidade pessoal, principalmente do comandante, que se encontra preso. O navio, com 4.200 pessoas a bordo, navegava perigosamente junto à costa, próximo a rochas, recifes e bancos de areia. A foto exibido pelo Estado é bem demonstrativa. Claro que somente investigações criteriosas elucidarão essa tragédia, que só não foi mais grave que a do Titanic graças aos equipamentos de salvamento que hoje temos à disposição. E, ao contrário do que ocorreu, é cediço que o comandante deve ser o último a deixar a embarcação em apuros.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

EXEMPLO PARA O BRASIL

A República da Islândia, é simplesmente uma ilha, a segunda maior da Europa, cujo nome significa 'terra do gelo' -situa-se no extremo norte do oceano Atlântico-, nos limites do círculo polar ártico. Se não bastasse o frio, ainda é conhecida como a terra dos vulcões que ajuda no degelo de 12% da superfície do país. Com todas essas dificuldades enfrentada anualmente em seu território, pouco se consegue produzir por absoluta impossibilidade climática. Com muita habilidade administrativa, adquirem no exterior a matéria prima que lhe convém, manufaturam e exportam para conseguir as divisas necessária (PIB de U$17 bilhões) para proporcionar aos seus cidadãos o melhor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do mundo; que usam também a sábia exploração econômica da pesca que garante também o primeiro lugar mundial na qualidade da educação. Isto sim, é um exemplo a ser seguido pelos políticos brasileiros que mesmo estando num país rico em toas as matérias primas, temos um péssimo (IDH) e uma educação das mais fracas do mundo.

Benone Augusto de Paiva benonepaiva@yahoo.com.br

São Paulo

*

ELEIÇÃO EM SP

Com o PT colocando todas as suas fichas no seu candidato Fernando Haddad na próxima eleição para a Prefeitura de São Paulo, tendo o Partido seguido cegamente as instruções de Lula para que não houvesse prévias e, consequentemente, disputas internas e fogos amigos, Haddad vai ser uma parada duríssima para os seus oponentes na contenda. Até uma antes inimaginável aliança com Gilberto Kassab está sendo articulada. Enquanto o PT já inicia descaradamente a sua campanha, com ele aparecendo nacionalmente na mídia como estando saindo do MEC para disputar a prefeitura de São Paulo, e aparecendo ao lado de Dilma em eventos como a inauguração de uma creche em Angra dos Reis, seu provável principal oponente, que sairá do PSDB, ainda não está definido e luta internamente pela sua indicação com os demais pretendentes ao posto. Contra Haddad existe a constatação de que ele foi um péssimo ministro da Educação, com problemas recorrentes no Enem, dentre outros, e a fama de contumaz trapalhão. Mas como São Paulo elegeu Tiririca como seu mais votado deputado federal na eleição passada, tudo é possível acontecer, até a eleição de Haddad.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro 

*

VALE A PENA VER DE NOVO?

O governador paulista Geraldo Alckmin, afirmou nesta semana que a escolha do candidato do PSDB para disputar a prefeitura de São Paulo só aparecerá em março. José Serra não pretende entrar na disputa e o governador minimiza a decisão afirmando que : '' nós temos ótimos candidatos''. Enquanto isso, o candidato do PT, Fernando Haddad, já deixou o ministério da Saúde e iniciou a sua campanha. Esse filme nós já vimos na campanha de 2009, quando José Serra e Aécio Neves questionavam-se quem seria o candidato do PSDB contra a  dupla Lula/Dilma.O molusco cefalópode, malandramente percorria o Brasil de cabo a rabo, levando sua ''criação'' a tiracolo, contrariando a Lei Eleitoral, inaugurando pedras fundamentais que não existiam e obras inacabadas. Quando Serra e Aécio decidiram  deixar de lado a soberba e a autossuficiência, a ''criatura'' já estava digerida pela maioria dos eleitores. Serra tem a obsessão da presidência da República, mas carrega o estigma de ser político com DNA paulista e paulistano, mas quer porque quer ser candidato a presidência em 2014.Parodiando a Pitonisa de Alexandre, o Grande, coloque as vírgulas dando o sentido que te agrada. ''Vai ganharás não perderás''.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

CULTURA – LEI ROUANET

A torneira do ministério da Cultura vazou demais, liberou tanto dinheiro e ignora o destino de R$ 3,8 bilhões, o valor supera 70% do orçamento anual da pasta... Que pasta? Como apurar os responsáveis envolvidos e os privilegiados? E agora, fica por isso mesmo?

 

Maria Teresa Amaral mteresa0409@estadao.com.br

São Paulo

*

INGRESSOS

É um absurdo que o ingresso de cinema custe mais caro em São Paulo do que em cidades caras e ricas como Paris e Nova York. É mais um bom exemplo de como os preços no Brasil estão fora da realidade. O Brasil se tornou um dos países mais caros do mundo para se viver. Enquanto franceses e americanos ganham em euros e dólares e tem uma renda per capita muito superior, nós ganhamos em reais e pagamos muito mais caro pelos mesmos bens e serviços. É lamentável que o cinema tenha se tornado tão caro no país, deixando de ser uma atividade de cultura e lazer para o povo em geral e passando a ser entretenimento da classe média para cima.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

‘COOPERAÇÃO CONTRA O TRÁFICO’

Quando um problema é constatado, é sabido que a sua efetiva resolução passa obrigatoriamente pela identificação e extermínio de sua causa, pelo ataque à fonte onde o problema se origina, não adiantando, portanto, o simples combate às suas consequências.

Combater as consequências de um problema é como "enxugar o gelo", e quando se fala sobre o problema do crack e outras drogas, programas de internação voluntária dos usuários é uma típica medida de tratamento das consequências de um grave problema.

A fonte principal do problema das drogas reside junto àqueles que cultivam e fornecem a matéria prima (as folhas de coca) para a elaboração destas drogas, e hoje encontramos a Bolívia - pós ascensão de Evo Morales - como o maior produtor e exportador desta matéria prima para o Brasil e países vizinhos. Na Colômbia, pelo menos, vemos que há uma luta de muitos anos dos sucessivos governos contra o plantio da coca e contra o seu tráfico, mas na Bolívia o que encontramos é o incentivo à sua plantação, e não é mera coincidência o fornecimento de crack e outras drogas ter se elevado tanto no Brasil nos últimos anos, tendo se convertido hoje numa verdadeira epidemia. Sra. Dilma Rousseff: a principal causa, a principal fonte do problema das drogas no Brasil encontra-se na Bolívia, e até hoje nunca vimos alguém do governo cobrando o Sr. Evo Morales sobre isto, e, muito pelo contrário, nos últimos 8 anos o que assistimos foi o Sr. Lula, Celso Amorim e Marco Aurélio Garcia passando a mão na cabeça do presidente boliviano a todo momento, e defendendo a soberania do Sr. Evo sobre qualquer assunto, mesmo aqueles extremamente prejudiciais à sociedade brasileira. O governo brasileiro deveria tomar medidas severas, drásticas se necessário, e que eventualmente até afetassem o relacionamento diplomático entre os dois países, mas o governo não pode ficar passivamente assistindo de camarote o Sr. Evo Morales continuar a exportar dor, violência e desgraça impunemente para o nosso país. Tentar remediar as nefastas consequências das drogas é algo necessário, mas atacar a real causa do problema é o que pode efetivamente mudar esta situação. Vamos acompanhar para ver até onde vai a capacidade analítica do governo quanto a esta questão.

Nivaldo Silva ouvidoriaativa@gmail.com

São Paulo

*

CRACK

Considero um dos maiores males da cultura brasileira nossa paixão por emitir opinião sobre tudo e todos por meio do “achômetro”. Se não gostamos, ou gostamos, de certa medida ou solução, vamos aos recônditos escaninhos da memória e de lá trazemos conhecimentos e argumentos para convencer os outros sobre nossa opinião. Infelizmente, nossa mídia tem oferecido espaço a opiniões sobre a contenção do uso de “crack” sem conteúdo científico, estimulando o falso debate propiciado pelo “achômetro”. A contenção das drogas envolve várias áreas de conhecimento técnico-científico e diferentes instrumentos de ação em que se destacam as ciências biológicas e sociais. Hoje, fiquei feliz de saber que existe um curso de pós-graduação destinado a capacitar profissionais no uso de instrumentos científicos, focado na recuperação de pessoas viciadas em drogas. Esta ano terá lugar o XIII Curso sobre Dependência Química promovido pela UNIAD – Unidade de Pesquisas em Álcool e Drogas e INPAD – Instituto Nacional de Tecnologia para o Álcool e outras Drogas, ligados à UNIFESP. O curso é coordenado pelo conhecido e experiente médico psiquiatra Dr. Ronaldo Laranjeira. Profissionais competentes são o melhor antídoto contra a improvisação e o "achômetro", hábitos que acometem pessoas respeitáveis em suas áreas de atuação como jornalistas, artistas, políticos, filósofos,  e, até mesmo, psicanalistas e psicólogos que não acreditam em "dependência química", por exemplo.  

 

Eduardo José Daros daros@transporte.org.br

São Paulo

*

A SAÚDE E O PLANALTO

A Dona Dilma mandou apurar a morte de um funcionário público que nessa madrugada, em Brasília, passou por dois hospitais particulares que não o atenderam porque ele não pagou a consulta em dinheiro ou cheque, pois ambos hospitais não são da rede conveniada do ex-servidor. Agora pergunto: Por que ela não manda apurar as dezenas, talvez centenas de mortes pelo Brasil afora de cidadãos comuns, que pagam o salário dela e de todos os demais servidores, causadas por omissão de socorro ou ineficiência do setor público? Será que ela é presidente apenas dos servidores públicos? Outra coisa que preciso entender. Por que a sociedade paga um batalhão de servidores públicos e ainda tem que contribuir com parte do plano de saúde deles? Será que o serviço que eles prestam à sociedade não está à altura dos servidores? É como se contratássemos uma empregada que não comesse da própria comida, só quisesse comer da comida do restaurante da esquina, pode? Eu a demitiria. No Brasil está tudo trocado. Acorda, povo!

 

Artur Larangeira Filho  artur_larangeira@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

APESAR DE TUDO, BONS EXEMPLOS

Devo parabenizar a ministra Maria do Rosário e o ministro Paulo Bernardo pelos bons exemplos, pois apesar de terem excedido seus pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) seguiram o "caminho normal" o qual todo o cidadão comum deve fazer caso cometa a mesma falta, apesar de tudo parabéns a ambos pelos bons exemplos, que sempre os ministros e homens públicos tenham este tipo de comportamento caso cometam uma falha.

Roberto Saraiva Romera robertosaraivabr@gmail.com

São Bernardo do Campo

*

CHUVAS E SECAS

O governo brasileiro agora se preocupa em criar leis para proteger a Terra das agressões do homem à ecologia. Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Rio Grande do Sul já sofrem as conseqüências do desequilíbrio climático. O equilíbrio ecológico é uma linha frágil e tudo ocorre em cadeia. As chuvas são conseqüências das frentes frias e do calor que encontram e geram turbulências. O efeito estufa, os calores exagerados são causados pelo homem que queima florestas e derivados do petróleo. Não é fácil recuperar o equilíbrio da natureza. Pensamos que somente a educação pode levar o bicho homem a parar de consumir e destruir de maneira tão agressora. Nós erramos e nós temos que aprender a parar de consumir e queimar. É uma longa luta. Contamos com os homens de bem que se unirão no propósito único de salvar o planeta. A união faz a força. Vamos mudar a Terra.

 

Paulo Roberto Girão Lessa paulinhogirao@uol.com.br

Fortaleza

*

SACOLAS DE SUPERMERCADO

 

A partir deste mês (25 de janeiro),  os  supermercados deixam de fornecer as  sacolinhas de plástico para acondicionar as compras e colocam à venda as tais sacolas retornáveis. Acho que os estabelecimentos deveriam fornecer embalagens de papel, como fazem as padarias, porque a obrigação de embalar a mercadoria é de quem vende, não de quem compra.

 

Cláudio Moschella arquiteto@claudiomoschella.net

São Paulo

*

LOBBY

Repórteres que gostam de notícias podem procurar que tem algum dono de sacolas e lobistas de supermercados alojados entre os funcionários da Prefeitura. Vai-se apenas substituir os saquinhos dos mercados, pelos sacos de lixo, na prática, seis por meia dúzia. Que tal deixar os "saquinhos" e dar um desconto nas compras para quem nos utiliza? Isso é moral, mas evidentemente não é político. O supermercado vai "descontar" os saquinhos que constavam de seus custos? Estão ai os Srs. Kassab e Alckmin aprendendo como se fabricam "mensalões", basta que os jornais investiguem, aqueles que não fazem parte da bandalheira.

 

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

CIDADANIA

Uma vez convenci um amigo a deixar de transferir seus deveres de cidadão ao poder público ou à grandes empresas e indústrias. O fato de grande parte do estrago ambiental ser causado pelas indústrias e mega empresas não exime o cidadão de cumprir sua parte para tentar reverter os estragos ambientais, cada vez maiores. As sacolas reutilizáveis vendidas nos mercados são muito resistentes, cada uma suporta vários litros. Uso as mesmas faz mais de ano. Aplaudo com  entusiasmo a lei que proíbe sacolas plásticas descartáveis.

Marcos Pantaleoni marcospanta@gmail.com

São Paulo

*

ENGANAÇÃO OU PASSO CONSCIENTE

Diferentemente do que pensa o leitor Fernando Figueiredo acredito que eliminar as sacolas plásticas dos supermercados é um ato que vai de encontro ao moderno pensamento de sustentabilidade. Na Alemanha, por exemplo, os supermercados não fornecem sacolinhas. Se alguém quiser, compra. Sua substituição por sacolas retornáveis é muito bem vinda. Sejam sacolas vendidas nos supermercados, sejam sacolas trazidas de casa, não importa. Que estas medidas sejam implementadas o quanto antes. O planeta agradece.

Edgar Werblowsky edgar@freeway.tur.br

São Paulo

*

CORREIOS

É lamentável que a nossa Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos até poucos anos atrás  altamente conceituada, hoje está transformada num verdadeiro caos. Cartas que anteriormente chegava a esta no máximo dois dias após serem postadas, hoje demoram mais de uma semana. Chateado com essa demora, resolvi perguntar ao carteiro, o motivo pelo qual a performance  dos correios estava em franca decadência. Sem papas na língua o carteiro foi dizendo: que é o PT que está avacalhando propositalmente os correios porque quer  privatizar os serviços postais. O governo do Fernando Henrique também queria privatizar, mas ao perceber que os correios estavam indo muito bem e sendo uma empresa reconhecida pelo povo, desistiu da abominável idéia. Naquela ocasião, os petistas que trabalhavam nos correios eram contra a privatização. Segundo o carteiro ao assumir o governo, o PT logo de cara já começou a preparar a deterioração dos serviços dando inicio às substituições de pessoas competentes e colocando pessoas sem capacidade para chefiar os mais diversos setores da Empresa e com isso chegamos a atual  estado de calamidade. Aqueles petistas que antes eram contra a privatização, hoje depois da lavagem cerebral que fizeram neles, são os maiores defensores dessa idéia que visa entregar à iniciativa privada a nossa ECT. Se isto se confirmar pelo que ficamos sabendo,o  governo estaria cometendo um crime de   lesa-pátria. A imprensa tem informado que nos últimos 10 anos mais, de 80 milhões foram pelos ralos da corrupção e é por isto que os grandes empreiteiros estão todos apoiando ao governo do PT, porque ficam com a parte maior. Brasileiros não permitamos que privatizem os nossos correios, Procure o seu deputado federal, estadual ou vereador do PT e implore a eles que não permitam que entregue o patrimônio do povo brasileiro as esses abutres que não saem dos corredores palacianos em busca do sangue dos contribuintes. Só assim evitarão daqui alguns anos que alguém corajoso  escreva sobe a “Privataria dos petisatas”!

Lucio Ferretti de Castro lucio1290@yahoo.com.br

Sorocaba

*

METRÔ SÃO PAULO

Tenho utilizado a Via Amarela do Metrô, e a cada dia fico mais espantada com a incompetência deste empreendimento. Tudo é muito grande, majestoso, faraônico, cheio de riscos e defeitos. Agora dá pra entender porque ruiu a estação Pinheiros, enquanto era construída, é incompetência mesmo. A estação Paulista tem problemas sérios de circulação, as pessoas precisam andar até o final da estação para conseguir acessar a escada para Butantã, vindo da via Azul. O que mais espanta é que eles colocam muitos, mas muitos seguranças para impedir que as pessoas cruzem as faixas de contenção porque não tem paciência de andar até o final do corredor, mas entre as esteiras e entre as escadas nunca tem nenhum funcionário. Sempre tem alguma coisa que não funciona, um dia são as escadas rolantes, no outro as esteiras e por ai vai. A estação é maravilhosa, lindíssima, mas nunca saiu de lá sem ficar muito nervosa e irritada. Com os recursos que ganham será que não conseguem contratar um engenheiro de tráfego, existe isso, será que eles não sabem?! A estação Pinheiros é um problema a parte. Também maravilhosa, diz na placa que comporta 1.900 por viagem. Hoje eu estava subindo a primeira escada e ouvi a chegada de mais 2 trens. O que significa, arredondando, 5.000 pessoas tentando subir duas miseras escadas. Leva-se 7 minutos para chegar até a saída e chegam pelo menos 2 trens a cada 2 minutos. Isso tem cheiro de confusão. Além disso, o corredor de acesso entre as escadas é mínimo, fazendo com que as pessoas se aglomerem em um espaço ínfimo. Está claro que a estação tem problemas sérios de projeto. Tenho comigo uma teoria que os metrôs são feitos para gastar dinheiro, arrecadar empréstimos pelo mundo a fora e depois que se danem os usuários. Não é um negócio de verdade feito como investimento como qualquer empresário faria. Isso provaria o que acontece com a linha Amarela, todo o projeto é defeituoso. Há alguns dias, uma maldita de uma moça com uma criança de 2 anos na minha frente. Claro que a criança não consegue andar rapidamente. E quase, mas por muito pouco as pessoas que vinham atrás não caíram. O mesmo está sempre prestes a acontecer nas saídas das esteiras na estação Paulista. As pessoas empacam, empacam mesmo... é preciso levar isso em consideração. E nestes espaços de “risco”, claro que não tem ninguém do Metrô supervisionando ou a disposição para o caso de um acidente. Fui reclamar com um sujeitinho que tinha cara de “dotô engenhero” recém saído da faculdade, me dizendo que eles tem um projeto para instalar mais escadas rolantes. Gente... a estação não fez aniversário ainda, não tem um ano e já precisa ser ampliada? Dá pra acreditar?! Acho esta linha um risco para a segurança da população, e ainda pior é que os problemas internos do Metrô nunca saem no noticiário, dá pra entender que é uma questão de evitar o pânico. Então como saber se não se está correndo um grave risco de um acidente numa destas escadas... se duas pessoas pararem no alto de um escada e o que vier atrás cair... olha o tamanho do tumulto.

Angela Helena Viel angelaviel@gmail.com

São Paulo

*

RIO CLARO OU OBSCURO?

Na cidade de Rio Claro (SP) alguém envia uma carta-bomba a uma juíza. Ainda não se sabe quem e, muito menos, o motivo. A desgraceira está em fase de perícia. Portanto, o delito continua envolto em mistério. Seja como for, só pode ser arte de algum aborígine com neurônios avariados! Isso não se faz! A uma meritíssima a gente pode enviar muita coisa: petição inicial, mandado de segurança, pedido de reconsideração, habeas Corpus... Bomba? Só se for de chocolate! Juíza também é filha de Deus e merece ser tratada como tal. O evento por si só causa espanto. Porém, a fala do doutor Cezar Peluso, Presidente do Supremo Tribunal Federal, ao manifestar-se sobre o caso, também é algo espantoso! Disse ele bem assim: “O Estado e a sociedade não podem tolerar que seja o Judiciário, pela terceira vez, covardemente golpeado por terroristas que, aproveitando-se de artificioso e injusto clima de hostilidade à instituição como um todo, pretendem transtornar e impedir o trabalho de juízes...”! É ou não é um discurso delirante? Ao ler o texto na Internet fiquei pasmo! Salta à vista que o ilustre ministro tem forte vocação para a literatura de ficção científica e alcandorado amor pela hipérbole. A toga esconde um fabuloso escritor, quiçá um prêmio Nobel! Que terroristas? Da Al Qaeda, do Taleban, das Farc? Ao mesmo tempo em que demonstra vibrante imaginação, o magistrado levanta sérias indagações: será que sua excelência conhece os reais motivos do remetente da missiva-bomba? Como sabe, o distinto, que o nóia homicida está se aproveitando de um “clima”? E, finalmente, será o valente Peluso, além de jurisconsulto, um privilegiado telepata? A fala desse ministro passa desagradável impressão... Parece que ele está se aproveitando de um fato trágico para colocar o Judiciário inteiro como vítima de uma trama diabólica e esse Poder de Estado fosse uma deslumbrante Vestal em vias de ser canonizada! Pegou mal, minha gente! De uma pessoa que ocupa tão nobre cargo, espera-se palavra mais sábia e ponderada! Puxar a sardinha pro seu lado qualquer um sabe fazer! Peluso comporta-se talqualzinho aquela esposa que leva um beliscão do marido, mas conta pro delegado que apanhou de cinta, vara de marmelo e ainda foi queimada com ponta de cigarro... Esse doutor prima pelo exagero! Ele foi tão enfático na defesa da sua “teoria da conspiração” que alguém poderá imaginar o outro lado da moeda: “e se essa bomba pé de chinelo foi enviada à juíza justamente para o Judiciário se fazer de vítima?” O Brasil precisa tomar muito cuidado: nem sempre a magistratura baliza-se pela verdade. No caso do Peluso, a fantasia está na cara!  Ou melhor, a máscara...

Benedito Madaleno Mendes beneditomadalenomendes@yahoo.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.