Fórum dos Leitores

GASTOS DO GOVERNO

O Estado de S.Paulo

02 Julho 2012 | 03h04

Nos passos da Europa

Há muitos políticos no Congresso Nacional pressionando para a aprovação de projetos que, ultrapassando o bom senso, podem criar um volume de despesas tão alto que levaria o Brasil à situação crítica da Europa atual, sem dinheiro para pagar suas contas. O fim do "fator previdenciário", aumentando brutalmente os gastos do INSS; a redução da jornada de trabalho de enfermeiros para 30 horas semanais, que seria estendida a outras atividades do serviço público; a eliminação dos limites dos salários dos servidores; e o aumento de 54% nos proventos do Judiciário pressionarão tanto o Orçamento que dificilmente o contribuinte terá condições de pagar a conta. O governo terá de se endividar para honrar esses compromissos, tal como aconteceu com a Europa. Estamos nas mãos de políticos de qualidade rasteira, que não levam em conta os danos que podem causar para conseguir um punhado de votos. Nem vou mencionar aqui as questões de honra, ética e espírito público, desconhecidas da maioria de nossos parlamentares. A população precisa ter mais rigor nas suas escolhas e manifestar-se contra tantos abusos.

FABIO FIGUEIREDO

fafig3@terra.com.br

São Paulo

PLANOS DE SAÚDE

Reajuste e prejuízo

Afinal, as agências reguladoras no Brasil são subordinadas ao Poder Executivo ou são autônomas para agir a seu bel-prazer e dentro de suas conveniências? O governo libera um reajuste de pouco mais de 6% para as aposentadorias - baseado num índice até abaixo da inflação -, mas permite que a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) autorize um aumento de até 7,93% nos planos de saúde, portanto mais do que 30% acima do reajuste das aposentadorias. Um prejuízo do qual não escapamos justamente pela ausência da atuação do governo na assistência médica pública, que força o cidadão a comprometer parte de sua minguada renda com planos particulares. Seria incoerência, irresponsabilidade ou excesso de interesse em beneficiar financiadores de campanhas eleitorais?

JOÃO ROBERTO GULLINO

jrgullino@oi.com.br

Petrópolis (RJ)

NOVO PAC

O Leão não descansa

Com o PAC Equipamentos - Programa de Compras Governamentais, o governo novamente lança um pacote de medidas para estimular alguns segmentos da indústria. Parece que tem dificuldade de entender que o maior problema do País é a perda do poder aquisitivo da população. Todos os anos o Leão aumenta seu apetite, arrecadando cada vez mais, reajustando sempre a tabela do Imposto de Renda abaixo do reajuste salarial. Será que dá para lançar um pacote que reduza um pouco os impostos que pagamos? Se puser um pouco mais de dinheiro nas mãos dos consumidores, pode ter certeza de que o consumo aumenta e beneficia toda a cadeia produtiva, e não somente os grandes grupos que sempre são privilegiados.

LUIZ ANTONIO MACHADO

machalui@gmail.com

São Paulo

Remédio errado

O erro do governo, sem rumo na economia, é atacar pontualmente os efeitos, sem atingir as causas do problema. Podia chamar o Malan para a equipe.

FÁBIO DUARTE DE ARAÚJO

fabionyube@visualbyte.com.br

São Paulo

ELEIÇÃO MUNICIPAL

Petistas descontentes

Na política brasileira, "nem tudo está perdido", como diz a canção. Pesquisa divulgada há poucos dias revelou que 64% dos petistas de São Paulo são contrários à aliança entre Fernando Haddad (PT) e Paulo Maluf (PP). Prova inequívoca de que nem sempre Lulla acerta no afã de querer vencer uma eleição. Juntar-se a Maluf foi um tiro nos dois pés de Haddad.

KALED BARUCHE

kbaruche@bol.com.br

Belo Horizonte

Errou o alvo

O grande cabo eleitoral de José Serra, talvez o maior - acreditem -, é Maluf. Desta vez o nosso guia deu um tiro no próprio pé.

ATTILIO CERINO

attiliocerino@yahoo.com.br

São Paulo

Aliança PT-PP

"Estupra, mas não mata"; "relaxa e goza"; "bando de aloprados"; "eu mantenho todas as declarações erradas que fiz"; etc. Se for ver de perto, bem de perto mesmo, eles se merecem.

RODOLFO JESUS FUCIJI

fucijirepresentacao@ig.com.br

São Paulo

'Lulu'

O ex-presidente Lula já disse que está disposto até a "morder a canela dos adversários" para eleger Haddad. Quem morde canela de gente é cachorro pequeno. Será que Lula virou "Lulu"?

WALDIR ROBERTO

wroberto04@yahoo.com.br

São Paulo

Agosto vem aí

Com a aproximação do mês do cachorro louco, Lula diz que vai morder a canela dos adversários. Muito apropriado...

GILBERTO DIB

gilberto@dib.com.br

São Paulo

ARQUIVO DO ESTADO

Esclarecimento

Sobre a reportagem Com novo prédio, Arquivo do Estado amplia capacidade, publicada pelo Estado no dia 19 de junho de 2012 (C8), gostaríamos de esclarecer que a matéria cita a ocorrência de "pelo menos dois incêndios recentes na instituição", o que não é verdade. Em 18 de fevereiro ocorreu um princípio de incêndio, logo contido por funcionários, no depósito 4C, provocado por um curto-circuito. O incidente atingiu quatro estantes com exemplares do Diário Oficial (dos quais existe outra cópia) e do Correio Paulistano (com cópia em microfilme). Diagnóstico da nossa equipe mostrou que os danos foram mínimos, a documentação original foi integralmente recuperada e não houve perda de informação. Esclarecemos que não foram danificados "cadastros de famílias do acervo do Memorial do Imigrante", ou qualquer documento desse acervo. A informação sobre um segundo foco de incêndio também é falsa. Esses esclarecimentos já haviam sido feitos ao jornalista por telefone e em carta enviada à redação do jornal no dia 13 de março de 2012.

VERÔNICA CRISTO, Núcleo de

Comunicação do Arquivo Público do Estado de São Paulo

comunicacao@arquivoestado.sp.gov.br

São Paulo

N. da R. - As informações referentes aos dois focos de incêndio, como está no texto, foram dadas por funcionários em entrevista realizada em março. O próprio coordenador do Arquivo do Estado confirmou que foram dois casos e não soube precisar quais documentos foram queimados.

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

*

CRIMES COM DATA MARCADA

Todas as vezes que se aproximam as eleições em São Paulo começam a acontecer queima de ônibus, assassinatos de policiais e outros crimes, em número muito maior que a média. Do mesmo modo que, à mesma época, ocorrem defeitos e problemas com os trens e metrôs em porcentagens características da época eleitoral. Ou seja, também elevadas. Uma rara ocorrência de crimes com data marcada.

Nelson Carvalho nscarv@gmail.com

São Paulo

*

CADA UM POR SI, DEDUÇÕES PRA TODOS

Já que o governo federal e os governos estaduais não dão conta da segurança garantida aos seus cidadãos pela lei fundamental e suprema do Brasil, obrigando-os a cuidar de si próprios, por conta e risco, seria justo que todos eles pudessem deduzir, sem restrições do imposto de renda devido, todas as despesas comprovadas com segurança pessoal e com segurança corporativa privada.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas - MG

*

ESTÁ TUDO DOMINADO

O noticiário dá conta de que os homicídios cometidos no Rio de Janeiro têm caído de maneira notável. Onde se conclui que os

criminosos daquela cidade estão respeitando a polícia e a Justiça, ou estão vindo para São Paulo. Aqui está tudo dominado.

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

VIOLÊNCIA

No Rio de Janeiro, onde foi detectado recentemente o recorde na queda de homicídios, desde 1991, fruto da recente intensificação das ações preventivas, repressivas e investigativas do aparelho policial mais proativo, sequer pode ser objeto de qualquer comemoração. Tal constatação, ainda que positiva sem dúvida, não infunde sensação de segurança no seio populacional. Pelo contrário, recentes episódios de violência extrema, que ameaçam a vida a qualquer hora e em qualquer lugar, comprovam uma implacável, real e incômodo rotina. No último final de semana, no Rio e no município vizinho de Duque de Caxias, um policial militar, identificado pela arma em seu carro, e uma senhora, proprietária de um conhecido e tradicional estabelecimento comercial , a Casa do Alemão, foram mortos, respectivamente no bairro do Cachambi e na rodovia Washington Luiz. Em ambos os casos fuzilados implacavelmente na frente de seus familiares, inclusive de seus filhos. O que estarrece em tais casos de violência desmedida é que muitas vezes nada levam de bem material, apenas agem apenas para satisfazer o instinto assassino, apertando o gatilho em represália à reação das vítimas ao tentar a fuga do local. Um trauma psicológico de uma cena, real e apavorante, de violência e terror que qualquer ser humano, adulto, adolescente ou criança jamais esquecerá. O que dizer agora para as crianças que foram testemunhas da terrível cena que levou para sempre seus entes queridos? Que a exclusão social foi a causa? Inexplicável. Inexplicável também como mentes assassinas desprezam a vida humana de forma tão perversa, matando fria e covardemente cidadãos em vias públicas. Para completar o contexto de violência permanente, uma jovem (19 anos), com um filho no colo - poderia ter sido o próprio bebê que resultou ferido - foi morta por uma bala perdida, no interior da favela do Chapadão, na Zona do Rio, nesta terça-feira, 26/06, durante a uma intervenção policial contra traficantes que aterrorizam o local. Registre-se que a polícia precisa também cumprir o seu dever de reprimir o trafico em qualquer área, num teatro de operações de violento combate urbano. Como em toda guerra, a população civil acaba também sofrendo os seus efeitos. Ou seja, 'se correr o bicho pega, se ficar o bicho come'. Tal ditado popular também se emprega, pois, ao contexto da violência urbana a que estamos submetidos. Em São Paulo, onde o banditismo também não dá tréguas, desde o início do ano cerca de 40 policiais militares, a maioria desenvolvendo atividade de segurança privada, no chamado"bico", foram assassinados, sendo seis na última semana. Ataques a bases da Polícia Militar e ônibus incendiados completam o quadro da atual ousadia extrema, com ações orquestradas por líderes do PCC, fora e dentro dos presídios. Um trailer de um filme já visto em 2006 na capital paulista. Ou seja, nem o rigor do cárcere intimida mais narcoterroristas. num inacreditável desafio ao poder público. Aqui no Rio surge a notícia inclusive de que a ordem para a proibição de venda crack em pontos de vendas de drogas, teria também partido de dentro dos presídios. Um clara estratégia para arrefecer a repressão policial. Nada mais. Uma espécie de falso bom mocismo de quem aterroriza cidadãos ordeiros em morros e favelas. Por sua vez, a reforma do Código Penal Brasileiro, que não contemplará a prisão perpétua (é cláusula pétrea constitucional) anda a passos de cágado, a pleno gosto dos criminólogos humanitários e ativistas de direitos humanos, que sempre justificam a violência de frios assassinos pela injusta exclusão social. Ou seja, "a sociedade os fez assim, agora que os agüente". São os mesmos ativistas que tentam livrar agora, desesperadamente, um brasileiro do corredor da morte, na Indonésia, condenado à pena capital por tráfico internacional de cocaína. Sugerem também o plantio doméstico da maconha no Brasil e a descriminalização total de drogas, numa real e perigosa ameaça à juventude brasileira.

Deveríamos pelos menos aprender com os indonésios que leis penais existem primeiramente para intimidar e desencorajar o ato criminoso, não para incentivar o crime. Por enquanto, todos nós pobres mortais, não sendo a polícia onipresente -faz o que é possível com suas limitações estruturais- e não podendo dispor de segurança pessoal, em razão de cargo ou de condição financeira, somos vítimas em potencial da sanha assassina. A roleta-russa da violência urbana prossegue assustando, em qualquer hora e em qualquer lugar. Triste e incômoda realidade.

Milton Corrêa da Costa milton.correa@globomail.com

Rio de Janeiro

*

INCÊNDIO EM ÔNIBUS

Na cidade de São Paulo, ônibus que têm como o único objetivo transportar passageiros estão literalmente virando fumaça. Seja qual for a justificativa para esse ato injustificável de vandalismo,esperamos que nossas autoridades tomem medidas mais drásticas contra esses vândalos,até por que, os prejuízos com a destruição desses ônibus quem acabará pagando serão os futuros passageiros que terão que pagar mais caro as passagens.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

ELEIÇÕES - PRAXE

Em qualquer governo, toda festa junina tem fogueira. Com governo tucano, eleição tem ônibus queimando.

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

GOVERNO, JUDICIÁRIO, MP E O CRIME ORGANIZADO

Seis ônibus incendiados em de 24 horas na quarta-feira. Policiais atacados e mortos por bandidos. O governo investiga se é um ataque do crime organizado ou ação isolada de criminosos. Independente do que seja, a situação é critica. Quem garante que isso não seja apenas um teste do crime organizado, para medir a resistência do Estado e, depois, atacar? Oxalá não seja isso, mas se for, os responsáveis pela ordem e segurança devem estar preparados para a justa reprimenda e a manutenção da ordem pública. O governador do Estado precisa, com a máxima urgência, reunir-se com o presidente do Tribunal de Justiça e o chefe do Ministério Público para, juntos, definirem, a melhor forma de enfrentamento imediato e a solução do problema, saindo dali as orientações, o apoio logístico e a determinação para as polícias agirem. Passado o momento crítico, é necessário adotar medidas e empenhar o peso político e institucional para conseguir junto aos congressistas a mudança das leis frouxas que parece terem sido fabricadas com o objetivo único de esvaziar cadeias. Com o Código Penal dos anos 40 e as absurdas benesses introduzidas na legislação penal, não há sociedade que resista e nem polícia ou judiciário eficazes, pois a bandidagem tem a certeza da impunidade. Governantes, legisladores, juízes, promotores públicos, juristas e forças comunitárias devem se preparar para a grande tarefa de recuperação da autoridade do Estado, pois o caos pode estar bem mais próximo do que todos nós imaginamos...

Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

ACORDA BRASIL

Enquanto nossos parlamentares discutem o que podem e o que não podem fazer aos corruptos declarados, lá fora a largada para a bandidagem corre à solta. Sequestros ações contra a polícia civil e militar, queima de ônibus, a sociedade oprimida pela pânico, tornando-se reféns da maldade criminosa, do vício e da síndrome do medo, pelo latrocínio, pelo tráfico de drogas, favorecendo nossos vizinhos das fronteiras, pedofilia, sequestros, e outros crimes que estão por aí. Se o Brasil tivesse políticos de postura, modificariam o nosso Código Penal ultrapassado há mais de setenta anos e usariam o modelo da Indonésia (Ásia), pelas práticas desses crimes. Só assim teríamos um país sério e corrigido temporariamente. Vamos pensar nisso? Acorda Brasil!

Antonio Rochael Jr antoniorochael@gmail.com

Iguape

*

PROTESTO EM CAPÃO REDONDO

Em relação aos protestos sobre a violência, ocorrida em Capão Redondo e que valem para todo o País, é preciso entender o seguinte: os dois melhores indicadores para se avaliar se o Brasil está indo em direção ao Primeiro Mundo ou andando de lado é ver como o mercado encara as profissões de jardineiro e serralheiro, ambas consideradas sem qualificação. Em nosso país, em sua maioria, jardineiro é uma profissão de pouca procura e baixo salário. Ao invés, serralheiro é uma profissão procuradíssima e o salário é alto, considerando que não é preciso muito estudo para exercê-la. No mundo da política, já estamos no Primeiro Mundo. No mundo real, a população de bem vive como prisioneira da violência e da criminalidade, e os beneficiados pelos "Direitos Humanos" estão fazendo a alegria dos serralheiros.

Lincoln Scorsoni lincoln-scorsoni@bol.com.br

São Paulo

*

TOLERÂNCIA ZERO

Novamente a baderna! Começou uma onda de crimes bárbaros no País. O recente assassinato do executivo da Yoki- que levou um tiro na cabeça e foi esquartejado pela mulher enciumada- e uma mostra do quanto a humilhação de um ser humano por outro pode resultar em atos horrendos e sanguinários, o difícil é acreditar que tenha sido praticado por um ser humano. Outro fato que nos trás péssimas lembranças! Começam a pipocar novamente alguns ataques criminosos, como aquela onde que ocorreu em 2006, em que mais de quinhentas pessoas foram mortas no confronto entre policiais e bandidos, com direito a incêndio a ônibus e toque de recolher, metralhamento de bases da polícia em alguns pontos de São Paulo. Assim como na primeira vez, as ações parecem ser orquestradas pela mesma organização criminosa, que comanda o crime organizado de dentro dos presídios mesmo com a negação da secretaria de segurança do Estado que comanda todos os presídios de São Paulo, inclusive os chamados de "segurança máxima". Como se comenta pelas ruas, os chefes do "PCC" continuam comandando o crime e o tráfico de dentro dos presídios. Infelizmente, alguns policiais já foram mortos em confrontos com bandidos. Comenta-se que os ataques é uma vingança pela morte de seis bandidos ligados ao "PCC" em confronto com policiais da ROTA. A polícia militar tem feito o que é possível para evitar a situação, mas o crime organizado mostra cada vez mais poder de articulação. Está comprovado que os últimos ataques têm sido novamente orquestrados e arquitetados de dentro das penitenciarias. Dados oficiais dão conta que seis policiais militares morreram durante a folga nos últimos 10 dias, além de bases da PM que foram atacadas. Uma dezena de ônibus foi incendiada na capital, na periferia da Grande São Paulo e ABC. Que as autoridades não queiram causar pânico na população, até entendemos, mas afirmar que os casos são isolados e não tem relação um com o outro, vejo como querer tapar o sol com a peneira e achar que todos somos otários, que não estamos entendendo o que está acontecendo, e o porquê dos ataques a policiais. O que acho estranho é quando pessoas que dependem da justiça criticam os policiais. Que enfrentam a tudo isso mesmo com baixíssimos salários e condições de trabalho muito abaixo do ideal e armamentos ultrapassados, graças a esses homens heroicos é que a criminalidade não tomou conta de vez daquilo que chamamos de ordem. Como não tenho o celular do Batman, me vejo na obrigação de colaborar e acreditar na competência da polícia militar e de seus comandados em São Paulo. Só espero realmente que esses discursos das autoridades responsáveis pela segurança do estado, não seja nada orquestrado, apenas para manter a tranquilidade das pessoas, e que o comando das policias estejam tomando atitudes enérgicas para estabelecer a ordem e o direito dos cidadãos de ir e vir em segurança de casa para o trabalho, e do trabalho para casa, como também de seus familiares. É pedir muito pelo tamanho dos impostos que pagamos?

Turíbio Liberatto Gasparetto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

*

AUMENTO DO VALOR DE PEDÁGIO EM SÃO PAULO

A promessa de campanha de Alckmin na redução da tarifa de pedágio não foi cumprida no primeiro período de reajuste por causa do improvável tempo hábil na confecção das planilhas. E agora? Qual é a desculpa? Quando o Estado vai aliviar sua "mão gorda" no conteúdo da tarifa?

Eduardo Mendes Pinto eduardo.mendesp@gmail.com

Santana de Parnaíba

*

CONTRAN E MOTOCICLETAS

A nova resolução do Contran que institui diversas obrigações aos motofretistas e mototaxistas é uma medida que pode reduzir o excessivo número de acidentes com motocicletas. Considerando que é um veículo extremamente perigoso e de baixa visibilidade no trânsito, o uso de jaquetas reflexivas e adesivos refletivos nas motos deveria ser obrigatório a todos os condutores de motocicletas. Todas as medidas visando reduzir os acidentes de trânsito são benéficas, mesmo que tragam prejuízo estético.

Daniel Marques danielmarquesvgp@gmail.com

Virginópolis (MG)

*

CILCISTA X CARRO

Mistura explosiva, feita com paternidade comprovada pela Prefeitura de São Paulo. São Paulo não tem topografia, tradição ou perfil, para atender ao despreparado e ingênuo ciclista. Com os órgãos públicos, incentivando o ciclista a enfrentar este trânsito doido, só poderia dar no que deu. Uma morte por dia, e seis internações com gravidade.

Ulysses Fernandes Nunes Junior Ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo

*

PAC EQUIPAMENTOS

Governo bem-intencionado não cria pacotes, e sim, realiza profunda reforma fiscal com planos plurianuais para desonerar os meios de produção, promovendo crescimento consistente da economia, e não se rendendo a investimentos de capitais oportunistas.

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com

São Paulo

*

REVOGANDO LEIS

O nosso ministro da Fazenda, senhor Guido "empacotador" Mantega, ficou tão animado de ter conseguido revogar a lei da concorrência no PAC equipamentos, que já está pensando em tentar revogar, também, a lei da gravidade.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte santo de Minas - MG

*

VEIA POPULISTA

Os PAC's do governo petista revelam a veia populista sem limites

que ocupa o poder central.

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com

São Paulo

*

GUIZO NO GATO

Depois de cem anos de industrialização, já não era para o Brasil ser um país tão pobre. O grande entrave estrutural brasileiro persiste sendo o seu secular problema de repartição. Entre 1940, ano de sua implantação, e 2000, o valor real do salário mínimo reduziu-se à metade - dados do IPEA - e mesmo com toda a recuperação recente, ainda está longe do seu pico histórico de R$ 934,16 equivalentes, de 1960! Tecnicamente o salário tem que corresponder à "produtividade-padrão" da economia. Só uma pesquisa específica do IBGE pode estabelecer o valor exato, mas pode-se estimar, com tranqüilidade, que, ainda que a produtividade do trabalho no Brasil, ou seja, até por isso mesmo, baixíssima, seria de pelo menos, umas duas vezes o salário mínimo vigente. Não será com essa política de aumentos reais homeopáticos do PT que se resolverá essa situação; doses insuficientes do antibiótico acabam criando efeitos colaterais que j á começam a aflorar por todo lado. Quem vai pendurar o guizo no gato? Não é questão de coragem, mas de técnica: é só fazê-lo por meio de um Plano Real para o Salário, que, como se fez com a inflação, agora realinhe os preços relativos da economia a essa nova referencia salarial. O mais difícil pode ser encontrar um (a) estadista para fazê-lo. .

Rogério Antonio Lagoeiro de Magalhães lagorog@uol.com.br

Niterói (RJ)

*

ECONOMIA - INCENTIVO FISCAL

O ministro só não reduz a alíquota da demagogia barata.

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

APOSENTADOS

A triste realidade. A via crucis dos aposentados pelo INSS começa no cálculo fraudulento da aposentadoria, terminando nos reajustes indecorosos que eles têm recebido. Lembramos que o aposentado mal remunerado necessita trabalhar para manter sua família, e infelizmente tira a vaga de jovens que brigam por um emprego inicial. Senhores políticos e vem vocês derrubarem o teto salarial seus porque acham pouco. Vão trabalhar seus safados!

Sergio Sebastião Martini martinicomplete@gmail.com

São Paulo

*

APOSENTADORIAS DISCRIMINNATÓRIAS

Recebo constantemente comunicados da Federação dos Aposentados que, a cada dez comunicados, nove são sobre o serviço público e um sobre o setor privado "daqui para frente" e nenhum sobre os "daqui para trás". Conforme as novas medidas noticiadas pela imprensa de hoje, os três poderes - incluindo os sindicatos - deveriam ter um mínimo de pudor e vergonha com o tratamento dado aos trabalhadores que contribuíram, no passado, tanto com seu trabalho como com a Previdência e que hoje são alijados e jogados na sarjeta, em favor do parasitário criado e incentivado pela dupla populista, Lula & Dilma, que, além do setor público que só produz burocracia para adquirir facilidades, concede, aos que não trabalham, bolsa-parasita até acima de dois s/m enquanto o trabalhador ou o aposentado fica limitado a defasagem de seus proventos. Esta é a justiça socialista do PT para conseguir votos em vez de implantar um rigoroso controle de natalidade, incentivando que a ralé ociosa goze vergonhosamente, na acepção total da palavra, às custas dos idosos e dos trabalhadores, que são os aposentados de amanhã.

João Roberto Gullino jrgullino@oi.com.br

Petrópolis (RJ)

*

GREVES PREJUDICIAIS

Os professores das universidades federais ganham razoavelmente bem. Os alunos irão integrar, de futuro, um conjunto de profissionais indispensáveis ao desenvolvimento da nação. E o povo espera de ambas as categorias que deixem de lado questões menores e pensem em um país que delas precisa, para alcançar a meta de ser uma das três maiores nações deste planeta. Toda política merece ser exercitada, porque o regime democrático assim faculta. Entretanto, para tudo existe um limite, sempre condicionado, também, à oportunidade. São mais de duas quinzenas de greve, posicionamento que, sem dúvida, já trouxe um prejuízo enorme aos alunos, porque a reposição de período tão longo será praticamente impossível. Está na hora de professores e alunos colocarem a mão na consciência e darem um basta no procedimento que já exauriu a paciência da população nacional. Ganhar razoavelmente, em crise, já é uma conquista, e estudar gratuitamente é uma rara oportunidade que os jovens grevistas precisam avaliar e para que sirva de alavanca para pressionar os professores mais renitentes.

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojcc@uol.com.br

Rio Claro

*

ADIADA REUNIÃO COM DOCENTES E INSTITUTOS FEDERAIS EM GREVE

Talvez a greve não possa surgir tanto efeito quando queremos lutar por melhorias! Entretanto, a greve é a ultima opção que pode ser validada e de fato impor direitos, e lutar por melhorias. Hoje a maior parte das universidades, instituições aderiram em massa o movimento grevista, a luta maior não é contra o direito pessoal, contra os policias, principais liberalista, mas, sim contra o MEC, contra o governo federal, que em vez de apresentar principais propostas que agradem ao sindicato dos professores, tende a fugir, atrasando mais ainda o acesso a educação de muitos alunos que estão fora de sala. Não podemos simplesmente ficar parados, enquanto o governo cancela ali e aqui as reuniões. Como um todo, temos direito a educação e por melhorias a ele oferecidas. Digo como um todo, pois não engloba somente aos professores, mais também aos estudantes que são os maiores prejudicados por terem as atividades acadêmicas paralisadas.

Glaucia Ignácio de Queiróz Gglaucia.queiroz_sp@hotmail.com

Americana

*

AUMENTO SALARIAL

A greve de professores atinge 56 das 59 universidades federais

(43 dias) e deve se arrastar indefinidamente, pois se trata de "greve remunerada". Onde está a "segurança jurídica" para prevalecer o direito de enorme quantidade de estudantes brasileiros prejudicados, em confronto com o direito de uma minoria cujo objetivo é aumento salarial?

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

SOBRE EDUCAÇÃO E AS "AULAS CHATAS"

Falemos das chamadas "aulas chatas". Precisamos encarar nossa realidade educacional: há muitas aulas que chegam a ser insuportáveis! Eu falo tanto como professor quanto como aluno.

Já se tornou costume de as aulas serem entediantes. Em todos os níveis escolares! Do fundamental ao superior. A realidade é dura: de fato, as classes estão lotadas e barulhentas; de fato, os professores são muito mal pagos e desanimados; de fato, falta dinâmica, falta espaço, falta formação, falta investimento etc. etc. etc. É uma pena, mas basta estagiar em escolas aqui na nossa região mesmo, para constatar a "chatice" que são as aulas. Pode escolher qualquer nível. Peça para assistir as aulas, e você verá alunos, professores e direção estressados e pouco produtivos! E se for mais longe, e chegar até a periferia, verá que as aulas são péssimas e o rendimento, em muitos casos, zero! Coitados dos alunos que aguentam aulas chatas; coitados dos professores que trabalham com aulas chatas; coitadas das escolas que são antros de aulas chatas; coitada da nossa sociedade que, por ser fruto dessas aulas chatas, não é uma sociedade apaixonada pelo conhecimento, não é uma sociedade que vê graça na cultura... Enfim, ainda bem que existem exceções. Eu sou professor para ser essa exceção! Mas a regra, na realidade, tristemente, são aulas muitas vezes insuportáveis. Por isso, em incontáveis casos, a escola se tornou, para alunos e professores, um local estressante e até traumático. Basta ler mais os jornais para constatar essa realidade que grita por transformação!

Wellington Martins am.wellington@hotmail.com

São Paulo

*

GRIPE A: SC PEDE SOCORRO

Já são 40 mortos e 309 infectados pela gripe A em Santa Catarina. Esperava-se que o Ministério da Saúde enviasse 200 mil doses de vacina para Blumenau, onde se concentrava o maior número de casos. Além disso, 13 cidades fizeram pedidos urgentes. Para nosso espanto, no dia 14 de junho o Ministério negou o fornecimento. A justificativa do Ministério da Saúde é que a ampliação da vacinação não diminuiria o número de casos registrados no Vale, já que a imunização é para preventiva. De lá para cá, mais oito pessoas morreram no Estado. Estamos abandonados à nossa própria sorte!

Maria Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

*

SANGRAMENTO DO TJSP

Parabenizo o articulista Aloísio de Toledo César, desembargador aposentado do TJSP., sobre o excelente artigo o sangramento do Tribunal de Justiça (A2,29/06), magistrados têm o dever de cumprir aquilo que está exposto na Lei Orgânica da Magistratura, sua obrigação é "manter conduta irrepreensível na vida pública e particular". Jamais pensaríamos um dia que ocorresse o sangramento do TJSP, o correto seria o afastamento voluntário da turma do milhão, resguardando assim, por ora, a imagem do Tribunal de Justiça, já bastante abalado pelo ocorrido.

Antonio Roberto Kortz Abujamra aabujamra@uol.com.br

Itu

*

ALOÍSIO DE TOLEDO CÉSAR

Lúcido e límpido artigo publicado em 29/06, da lavra do desembargador Aloisio de Toledo Cesar, que expõe com muita clareza a situação do Tribunal de São Paulo.Não ha explicações plausíveis para tudo o que tem sido feito naquele Tribunal.O ponto mais expoente ,lamentável e condenável é o que toca profundamente refere-se o Juiz segregado lá nas barrancas do Paraná ou até do Paranapanema,para o qual não há a menor chance de fazer o mesmo: obter os mesmos privilégios de recebimentos antecipados,tornando-os desiguais aos demais.Soma-se a isso a discussão a que assisti terça feira passada onde os Promotores correm o risco de não poderem mais investigar os crimes ,cujas lacunas o Ministério Público não poderá revisar ou preencher. De tudo que entendi parece haver um conflito de interesse entre as duas policias e Judiciário. Algo de estranho parece estar acontecendo na Justiça e Polícia de São Paulo,onde a imprensa noticiou que o comandante estava na Argentina,por ter pedido afastamento,por dois dias.Enquanto isso ônibus sendo queimados,toque de recolher para a população,policiais sendo mortos,etc.

Maria de Mello nina.7mello@uol.com.br

São Paulo

*

LIBERTADORES

O mais importante nessa história toda, que morram de inveja os outros que torcem contra, é que este clima de Corinthians com Vasco, Santos e agora Boca Junior, já não importa se vamos ou não ser campeões, pois, a emoção, o falatório, os fogos, a agitação nos bares e restaurantes com TV, número de torcedores e membros da imprensa na "Bombonera", nunca houve desde que existe a Taça Libertadores da América. Isto é timão, ô ô ô ô!!

Celso de Carvalho Mello celsosaopauloadv@uol.com.br

São Paulo

*

O DEUSES DO FUTEBOL AJUDAM TITE

O técnico Tite está a um fio de perder a proteção dos deuses do futebol que até agora têm premiado o alvinegro, por irritar sua teimosia em tomar atitudes mesmo estando a beira do abismo, como foi o empate na Bombonera e que aos 46 minutos do segundo tempo deve ter sido a espada de S. Jorge que evitou o segundo gol do Boca. Ele teima em não mudar, mesmo sofrendo tamanho sufoco que prenunciava ser apenas uma questão de tempo tomar gol, o que aconteceu, para só aí colocar o Romarinho a dez minutos do fim. Puro desespero. No jogo daqui, porque não mudar frente a um Boca com aspecto "cansado", escalando atacantes rápidos como o Romarinho na esquerda, Willian na direita e o Emerson como centro-avante e os três se revezando o tempo todo para confundir os marcadores adversários ? Armaria o meio com Ralf, Paulinho e daria mais uma chance ao Alex, porque ele junto com Danilo e Liedson não apareceu na Bombonera. O jogo no Pacaembu ajudará o Boca, que mesmo longe do timaço de outrora é "encardido" demais. Ele se defenderá todo o tempo tentando apanhar o alvinegro em contra-ataques e por isso não se pode embarcar no otimismo exagerado da torcida. Melhor se prevenir, para não entrar naquela de começar a fritar o queijo do omelete sem a galinha ter botado o ovo.

Laércio Zanini arsene@uol.com.br

São Paulo

*

5 DICAS AO COMPETENTE TITE

1) Colocar jogadores altos com boa impulsão para ajudar nossos laterais (pouca impulsão) nos cruzamentos. Aí estão as jogadas mortais do Boca; 2) No gol deles, nossos defensores se adiantaram para deixarem impedidos os adversários (eram 3) e o Chicão sozinho voltou e tirou o impedimento. Essa postura não pode se repetir; 3) O nosso 2º tempo foi bem abaixo do que o 1º. Precisamos orientar nosso meio de campo e os atacantes que segurem mais o jogo, senão a pressão do Boca desestabiliza o time; 4) Treinar, treinar e treinar quanto mais bater pênaltis melhor o aproveitamento; 5) Na 2ª feira ir com a faixa de Campeão agradecer a Deus em Aparecida do Norte.

Roberto Soares Hungria cardosohungria@gmail.com

Itapetininga

*

CRISE NO FLAMENGO

O Flamengo está em crise, com certeza que passa também pelo seu técnico, Joel Santana. Mas trocar só o técnico é como aquele marido traído que troca o colchão da cama do casal, como solução do problema. O Flamengo que tem problemas no elenco principal tem nas formações de base do próprio clube resposta se não para todos, talvez para grande parte do problema. Para usar essa alternativa é preciso um técnico que conheça essa garotada para efetivá-los. E aí vem a lembrança do técnico defenestrado depois da conquista do hexacampeonato brasileiro em 2009, Andrade. O problema do Fla também esbarra naquele tipo de dirigente que só enxerga a contratação de grandes estrelas que envolvem grandes cifras. Romarinho do Corinthians foi uma solução que veio de time do interior paulista, e a preço de banana. Mas ao que parece o Flamengo vai mesmo trocar o colchão!

Emanuel Cancella emanuelcancella@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

CBF

O esperto Ricardo Teixeira mesmo tendo saído da CBF continua recebendo a mixaria de mais de R$ 250 mil por mês, e alguém deve explicar o motivo disso. O sr. Jose Maria Marin,aquele que rouba as medalhas de times juvenis,deve urgentemente,explicar isso,pois a bandalheira precisa e deve acabar,chega de tanta pouca vergonha e dinheiro não é capim.Devem existir muitos ex-jogadores que deram o sangue pelo Brasil precisando desse rico dinheirinho ao invés do Malaca Ricardo Teixeira.

Kaled Baruche kbaruche@bol.com.br

Belo Horizonte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.