Fórum dos Leitores

MENSALÃO

O Estado de S.Paulo

11 Julho 2012 | 03h06

A vez da CUT

Quando foi anunciada a data do julgamento do mensalão do PT pelo STF, José Dirceu "sugeriu" que os estudantes, via UNE, se manifestassem, objetivando inocentá-los e evitar qualquer punição. Agora é a vez da CUT. Ganha um doce quem adivinhar qual sindicalista convocou a CUT para absolver os mensaleiros.

HUMBERTO SCHUWARTZ SOARES

hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

Apoio aos mensaleiros

A notícia de que a CUT planeja fazer manifestação em apoio aos réus do mensalão é algo inimaginável num país onde a corrupção é crime. Embora as autoridades já não sejam tão exigentes quanto à corrupção, não há ambiente para essa estranha atitude de uma entidade que era tida como respeitável. Isso significaria, sem dúvida, que honestidade não é mais um atributo exigido no País.

FABIO FIGUEIREDO

fafig3@terra.com.br

São Paulo

Código Penal

Vagner Freitas, presidente da CUT, vociferou que irá às ruas se o julgamento do mensalão for político. Se o sindicalista acredita que com suas ameaças vai intimidar os ministros do STF, dará com os burros n'água. O julgamento será técnico, amparado no ato petitório do então procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, denunciando ao STF 40 integrantes de uma "sofisticada organização criminosa que praticaram crimes de peculato, lavagem de dinheiro, corrupção ativa, gestão fraudulenta, além das mais diversas formas de fraude, tendo José Dirceu como chefe da quadrilha". Convém lembrar ao líder sindical que o artigo 344 do Código Penal preceitua ser crime contra a administração da Justiça "usar da violência ou grave ameaça, com o fim de favorecer interesse próprio ou alheio, contra autoridade, parte ou qualquer pessoa que funciona ou é chamada a intervir em processo judicial, policial ou administrativo, ou em juízo arbitral". A isso se dá o nome de associação ao crime.

JUNIOS PAES LEME

junios.paesleme@ig.com.br

Santos

Justiça em xeque

Pelo jeito, para o novo presidente da CUT, Vagner Freitas, qualquer condenação dos réus do mensalão constituirá "julgamento político" e seus filiados "irão para as ruas". Ou seja, querem também atuar no Judiciário, forçando os juízes do Supremo a julgar de acordo com sua visão ideológica e partidária - a lei e a Constituição não importam! Se conseguirem, será o começo da anarquia e o fim de nossa democracia republicana. Isso não se pode admitir!

SILVANO CORRÊA

scorrea@uol.com.br

São Paulo

O papel da militância petista

Estranho seria se a CUT anunciasse que iria às ruas para gritar contra a corrupção desvairada que vem ocorrendo nos últimos anos, em especial no governo do PT. Seu novo presidente disse que levará às ruas os seus militantes para defender os mensaleiros caso o julgamento seja político. Eis o objetivo da central sindical: amealhar pelegos em grande quantidade para defender os que, em nome da ética e da transparência, foram flagrados em crimes como peculato, evasão de divisas, lavagem de dinheiro, corrupção passiva e ativa, entre outros. Por trás de toda essa ação está a mão maquiavélica do presidente Lula em seu terceiro mandato, exortando os militantes a tomar as ruas para negar o que ele não quer admitir: a existência do mensalão. Quanto ao julgamento, caberá aos ministros da Suprema Corte decidir se os crimes cometidos pelos mensaleiros serão punidos, não importando a raça, cor, condição social, como reza a Constituição. A militância petista não faz escolhas, vive de chances; não é motivada, mas manipulada; não pensa em ser útil, pois se presta a ser usada; e não tem voz própria, pois ouve a voz dos outros. Alguns petistas que acreditaram nas ideias de Lula já viram que embarcaram numa canoa furada e estão pulando fora. Quem viver verá.

LUCIANA LINS

lucianavlins@gmail.com

Campinas

ANOS DE CHUMBO

Arquivos da ditadura

Parabéns ao Estado, em especial aos jornalistas Alana Rizzo e Leonencio Nossa, pelo trabalho que resultou na reportagem especial Fotos comprovam que morte de guerrilheiro foi omitida por 20 anos, que comprovou oficialmente a morte do guerrilheiro Ruy Carlos Vieira Berbert pelo Estado, durante a ditadura militar, em 1972. Desde criança, pela longa amizade de minha mãe, Clarice, com a irmã de Ruy Carlos, Regina, cada nuança, trecho ou possibilidade envolvendo as circunstâncias de sua morte eram sempre comentados, bem como a inconformidade com a versão "oficial" do governo brasileiro sobre a morte dele. Por essa razão, ler algo que comprova o que a família já sabia traz muita emoção. Se, de um lado, a reportagem permite descortinar um fato velado que devolve a verdade à família Vieira Berbert, de outro, reforça o importante papel da imprensa na construção democrática deste país, neste caso, via Lei de Acesso à Informação. Que outros dados venham à tona para elucidar os demais 474 desaparecimentos ou mortes registrados nos governos militares de 1964 a 1985. Nunca poderemos viver a plenitude da democracia se as questões relacionadas à ditadura militar permanecerem obscuras.

DANIELA BOCHEMBUZO

daniboche@uol.com.br

Bauru

Fotos esclarecedoras

As fotos publicadas pelo Estadão (7/7, A1 e A10) mostram como a liberação de documentos da época da última ditadura (1964-1985) é importante para a pacificação e reconciliação. Os parentes e amigos de pessoas que sofreram com o poder arbitrário àquela época têm o direito às informações e apenas dessa forma poderão dormir em paz. Mais do que isso, contudo, é a sociedade brasileira que precisa tornar público o seu conturbado passado, como uma maneira de evitar que tais abusos não voltem a ocorrer.

PEDRO PAULO A. FUNARI

ppfunari@reitoria.unicamp.br

Campinas

HERÓIS DE 32

Reajuste das pensões

Em relação às considerações da leitora sra. Neide Gumbis de S. Belluco (Menos que o mínimo!, 9/7), a Assessoria de Imprensa do governo do Estado esclarece que, por determinação do governador Geraldo Alckmin, foi encaminhado à Assembleia Legislativa projeto de lei que prevê reajuste de 60% no valor do benefício concedido aos heróis de 32, passando dos atuais R$ 450 para R$ 720 - equiparado ao piso dos servidores estaduais. A medida, que beneficiará mais de 2.300 pessoas, entre participantes do Movimento e pensionistas, é uma merecida homenagem aos heróis paulistas que, em nome da democracia e do Estado de Direito, lutaram bravamente durante a Revolução Constitucionalista, que este ano completa seu 80.º aniversário.

VINICIUS TRALDI

vinicius.traldi@gmail.com

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

A CUT VAI AS RUAS EM DEFESA DOS MENSALEIROS

A Central Única dos Trabalhadores (CUT), entidade sindicalista ligada diretamente ao então partido das vestais (PT) - criticavam tudo que era imoral e antiético no País - sairá às ruas (quem diria) para cobrar do Supremo Tribunal Federal (STF) um julgamento técnico e não político dos mensaleiros (muitos filiados ao PT) acusados de formação de quadrilha, peculato, lavagem de dinheiro e enriquecimento ilícito num esquema ardiloso de propina, que corrompia parlamentares, conforme disse o denunciante, o então deputado federal Roberto Jefferson (PTB), cassado em seguida, e também acusado no processo. Antes do início da votação, na Câmara dos Deputados, que o cassou em 2005, Jefferson fez um duro discurso contra o PT e o presidente Lula, com "farpas" para o relator de seu processo de cassação - Jairo Carneiro (PFL): "Tirei a roupa do rei. Mostrei ao Brasil quem são esses fariseus", gritou Jefferson, ao final do discurso, em referência aos integrantes do PT envolvidos no escândalo do mensalão. Dias atrás, como se não bastasse a tentativa (antiética) do ex-presidente Lula de empurrar para depois das eleições municipais o julgamento do processo do mensalão, há mais de seis anos em apuração, para fazer cair no esquecimento o maior escândalo da história republicana desse país, o deputado federal André Vargas (PR), secretário nacional de comunicação do PT, tentou desacreditar, perante a sociedade brasileira, a independência e a honradez do próprio STF, "Já imaginávamos que ia ter pressão, mas não imaginávamos que segmentos do Supremo seriam tão suscetíveis assim. Infelizmente , as ações do Supremo não são cercadas de austeridade (severidade, rigor) exigida para uma Corte Suprema. Ministro do Supremo não é para ficar sendo aplaudido em restaurante por decisão contra o PT. Nos EUA, eles não podem nem tirar foto, mas aqui tem ministro do Supremo com vocação para pop star", disse o parlamentar. Ou seja, tentam de todas as formas possíveis e antiéticas - agora usam a CUT - enlamear o STF e, consequentemente, a seriedade do julgamento do esquema do mensalão. No entanto, a sociedade brasileira, em nome do Estado democrático, tem o direito à verdade e de ver punidos, com o máximo rigor da lei, os que forem julgados culpados. Que o seja o mais breve possível. A CUT posiciona-se, no episódio do mensalão, ao lado do corporativismo, na tentativa desesperada de encobrir a lama na política. Profundamente lamentável. Que se indigne o povo brasileiro contra a falta de ética e decência na política e contra o sindicalismo tendencioso. Os caras-pintadas que compareçam às ruas para sufocar o grito insensato da CUT. Urgentemente, dentro da lei e da ordem democrática.

Milton Corrêa da Costa milton.correa@globomail.com

Rio de Janeiro

*

DIREITA OU TORTA?

CUT não quer a volta da "direita". Para eles, enquanto estiver tudo torto, tá bom...

Ricardo Marin s1estudio@ig.com.br

Osasco

*

JULGAMENTO POLÍTICO

O novo presidente da CUT, Vagner Freitas, se diz disposto a promover atos em favor dos réus do mensalão se o julgamento for político, antecipando, não a posição dos trabalhadores, mas a polarização entre o PT e os partidos de oposição. É uma perigosa ameaça à democracia a premissa de que a nossa mais alta Corte poderá operar sob a influência de tendências político-partidárias, correndo o risco de se desviar de seu dever como um dos poderes autônomos da República. Por outro lado, quem julgará o presumido conteúdo político do julgamento? A CUT? Os réus, carregados eles próprios de argumentações capazes de influenciar a opinião pública? É claro que com o julgamento é chegada a hora do verdadeiro divisor de águas da nossa triste história de corrupção. Se ceder a pressões que não medem esforços para se manter no poder, o País seguirá um rumo sem retorno de degradação moral e ética, ficando mal visto no cenário internacional, com a consequente perda de confiança. Está nas mãos da sociedade.

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

MENSALÃO E A CUT

O mensalão foi um monstruoso assalto que desviou bilhões de recursos públicos para irrigar caixas 2 de campanhas do PT.O presidente da CUT, Vagner Freitas, ameaça levar sindicalistas para as ruas se o julgamento do mensalão for político, deu soberba demonstração do tamanho de sua ignorância, pois o mensalão irrigou as contas de parlamentares dos templos do Congresso Nacional. Entenda-se por julgamento político a condenação de José Dirceu, que foi considerado o chefe da "gangue", por nada menos que dois procuradores gerais da República. Quer dizer, para esse democrata, STF não tem de julgar nada, tem de se submeter às ordens do PT. O sarcófago já está lá no STF, se os mensaleiros forem absolvidos, então que se sepulte a justiça brasileira e por jurisprudência, nunca mais se prendam batedores de carteira, trombadinhas nem mesmo assaltantes de banco, que se instaure o caos nessa República sindicalista, onde crianças não têm creches e escolas, o povo morre em corredores de superlotados hospitais, enquanto desocupados, que sempre mamaram nas tetas da Nação, moram em mansões de condomínios de luxo e nunca receberam salário mínimo. O pior que em breve enterraremos mais de R$ 10 bilhões em mais de uma dezena de elefantes brancos na forma de arenas esportivas, que permanecerão como eterna lembrança da medíocre visão das prioridades do chefe-maior do PT.

João Henrique Rieder rieder@uol.com.br

São Paulo

*

CULPADOS DEVEM SER PUNIDOS

O recém-eleito presidente da CUT deu declarações sobre o processo do mensalão que precisam ser interpretadas sem deturpação. Ao citar o agendamento do julgamento dos acusados do mensalão, ele alega que isso tem motivado manifestações de pessoas que usam o fato para tentar pressionar o STF a condená-los. Qualquer cidadão de bom senso por certo não concorda que culpados devam ser absolvidos. Mas não dá para transformar o julgamento numa ação política com muitos que advogam o que vai contra a orientação que se espera de uma Corte da importância do TST. Essa foi a posição do Vagner Freitas, esse é o nome do presidente da entidade de trabalhadores e que precisa ser respeitada. Dentro da forma como foi colocada.

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

ARBITRAGEM

Se a CUT botar a "torcida" na rua, saberemos quantos e quais juízes do STF são "gandulas".

A. Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

ALIADOS DA CORRUPÇÃO

Que vergonha! A CUT, braço direito do Lula, anuncia que a companheirada vai sair às ruas em defesa dos réus, ou melhor, da quadrilha do mensalão, que finalmente será julgada pelo STF, em agosto próximo! Isso não é novidade! Este pseudosindicato há dez anos que se configura como irrestrito defensor ou avalista das mazelas do PT no governo federal e em outras instâncias das nossas instituições, porque jamais e em tempo algum, ameaçaram sair às ruas contra os milionários recursos que vêm sendo desviados do erário nessa era petista. Isto posto: trabalhador que se preze não precisa da ajuda de um sindicato como a CUT, que não tem compromisso com a ética e muito menos com a Pátria! Mas, duro mesmo é pensar que quem fundou este sindicato, infelizmente, foi presidente desse País. E os seus filhotes são imagem e semelhança...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

CUT AMEAÇA IR ÀS RUAS

Manchete da Folha de São Paulo de segunda-feira, dizia que a CUT "ameaça" ir às ruas em defesa de réus do mensalão. A UNE ainda não se pronunciou, mas creio que o fará em breve. Quando (parte d) a população exige que o mensalão seja julgado, muito possivelmente deseja que sejam condenados. É óbvio, porém, que o STF deverá (ou deveria) efetuar o julgamento, baseado somente nos autos do processo. Sem comprometimento político de qualquer ordem. Fartamente documentado, o episódio lançou o outrora e aparentemente cândido Partido dos Trabalhadores na lama comum em que já chafurdavam outros partidos e políticos, mostrando que não está acima ou abaixo de outras agremiações políticas. Os inimigos do PT desejam a condenação pura e simplesmente. Os demais, a crer na "ameaça" da CUT, a despeito da alegada ressalva de exigir julgamento justo e não político, torcem pela absolvição dos pretensos mensaleiros. E como fica a verdade? Creio que sairá machucada, se não ferida de morte, juntamente com o restante das instituições "republicanas" deste triste e patético país. Que os julgamentos no País atendem antes a interesses do que à Justiça, há inúmeros exemplos, dentre os quais, o último, com relação à ficha limpa, em que basta ao candidato a cargo eletivo ter apresentado as contas, ficando a apreciação para depois, correndo o risco (que medo!) de ter cassado seu mandato, caso as contas não passem. Soa irônico? Voltando à vaca fria, gostaria de saber se - julgado o mensalão - o veredicto for favorável aos réus, qual seria a reação dos inimigos do PT, bem como em caso contrário, se desfavorável aos réus, a reação da CUT. Quanto à maioria da população brasileira, segue indiferente. Preocupar-se por quê? O essencial já temos: novelas, BBB, futebol (vários campeonatos)... Educação? As cotas já garantem o acesso às universidades. Logo mais teremos cotas de empregos. Saúde? Ora, que custa esperar quatro, cinco horas por atendimento? Afinal de contas, fica-se doente uma ou duas vezes por ano, dá para esperar. Segurança? Assaltos e assassinatos só atingem quem a eles está destinado. E não se pode fugir ao destino. E falando em destino, o Brasil está destinado a ser grande desde que eu era pequeno. Faz tempo. Mas nós chegamos lá. Afinal, Deus é brasileiro.

Adilson Lucca Sabia adilsonsabia@gmail.com

São Paulo

*

POSTURA LAMENTÁVEL

Lamentável e vergonhoso em todos os aspectos morais ou não a reação da CUT com seu novo presidente dizendo que o julgamento do mensalão é político mesmo com milhões roubados do erário público? Esse senhor deve estar "lele" como todos os que são contra o julgamento da corja que se apossou do poder sob o comando do Golbery dos tempos modernos José Dirceu, que tem um advogado que é um verdadeiro "di gênio" que quer nos transformar em otários para engolirmos as mentiras que pretendem mostrar usando o método Maluf e Lula agora que são companheiros? De tanto repetir as mentiras elas acabam virando verdades? Só para os tontos do PT e os seus companheiros aloprados. Ninguém mais cai nessa onda fajuta e vergonhosa. Um alerta ao presidente da CUT: use o dinheiro dos trabalhadores para defender trabalhador e não corrupto.

Asdrubal Gobenati asdrubal.gobenati@bol.com.br

Rio de Janeiro

*

AMEAÇAS À SUPREMA CORTE.

Inconcebível é a forma como a CUT pretende direcionar o julgamento do mensalão no STF, inclusive sedimentando suas absurdas pretensões no medo do retorno da Direita. O mensalão e outros assaltos à coisa pública parecem merecer perdão e a maior misericórdia, se praticados pela dita esquerda, como se estivéssemos entre o bem e o mal, representando a esquerda o bem e a direita o mal. Trata-se de julgamento infantil e que nem merecia ser objeto de manifestações. Já se verificou que o STF não se vai arcar diante de ameaças ou de insinuações maldosas, porque a Suprema Corte tem, antes de tudo, o dever de dar satisfação ao povo deste País, que deseja uma Justiça independente e que julgue de acordo com a nossa Carta Magna. Esse tipo de sindicalismo não merece respeito e nem consideração dos brasileiros.

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

CADA UM DEFENDE OS SEUS

A CUT disse que vai sair às ruas defender os mensaleiros, para eles os corruptos não existem, pois seu pai o corrupto de Garanhuns, lotou Brasília de sindicalistas analfabetos e corruptos como "ele", então nada para se admirar que saiam para as ruas para defender ladrões e corruptos, assim manterão suas boquinhas no governo federal e nós pagamos a conta.

Délcio da Silva delcio796@terra.com.br

Taubaté

*

VAGNER FREITAS

O novo presidente da CUT, Vagner Freitas, que tomará posse essa semana, cogita de ir às ruas para defender os réus do mensalão se o julgamento pelo Supremo Tribunal Federal (STF) for um "julgamento político". O que é um julgamento político? É um julgamento que condena os réus? E se os réus forem absolvidos? Não será um julgamento político? Em suma, o objetivo mesmo é pressionar o STF e irem às ruas em defesa dos réus do mensalão, e não tem nada de exigir um julgamento técnico. Em suma, já que é uma atitude política em defesa do partido dos trabalhadores (PT), por que não aproveitam a passeata nas ruas - se possível evitem a Avenida Paulista para não atrapalhar o trânsito -, e protestem contra o Imposto Sindical (um dia de trabalho) que é surrupiado uma vez por ano do trabalhador com carteira assinada, e que vai para os cofres dos sindicatos de fachada sem se preocupar em prestar contas ao poder público. Não é uma boa ideia?

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

O NOVO PODER SE APRESENTA

É impressionante a força que os "mensaleiros" e seus apoiadores ainda têm no País e a importância que esse fato traz para o julgamento marcado. Após os diversos esforços do ex-presidente Lula em tumultuar para "melar" o julgamento, no mesmo dia o presidente da Câmara dos Deputados faz manifestação para que haja um "desarmamento (?)" do julgamento do mensalão e o presidente de uma das maiores centrais sindicais do País, a CUT, propõe manifestações em favor dos acusados. Impressionante a transformação de nosso país. A aparência atual é de que nossa justiça acabou, mas outras forças políticas discordam e pretendem atuar acima dela. Por muito menos outros países entraram em comoção e revolução civil. Espera-se que não seja esse o caminho que os apoiadores dos réus estejam planejando.

Fábio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

QUEM É MAIS IMPORTANTE?

É uma alucinação completa, inédita na política brasileira, a disposição revelada pelo presidente da CUT, Artur Henrique, e o que o sucede hoje, Vagner Freitas, de tentarem mobilizar os trabalhadores para, nas ruas, defenderem os réus do mensalão, especialmente José Dirceu. Sustentam que o escândalo que explodiu em 2005 foi direcionado para depor o presidente Lula. Mas como? Esqueceram o essencial: foi Lula quem demitiu Dirceu de chefia da Casa Civil. E também que o ex-ministro teve seu mandato parlamentar cassado junto com Roberto Jefferson, com o voto de parte da bancada do PT. A votação foi secreta, caso contrário, a maioria necessária não teria sido alcançada. Os dirigentes da CUT devem entender que, se alguém colocou o governo da época em risco, esse alguém foi José Dirceu. E agora o tornam mais importante que Dilma Rousseff e Lula?

Francisco Pedro do Coutto pedrocoutto7@yahoo.com.br

Rio de Janeiro

*

A QUE PONTO CHEGAMOS!

A que ponto chegamos... o pessoal da CUT, segundo divulgado pela imprensa, está prometendo sair às ruas para defender a turma do mensalão. Essa turma agregada ao PT faz de tudo para não perder essa boquinha, que já passou da hora de prejudicar sensivelmente o País em benefício próprio.

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@ig.com.br

São Paulo

*

PROPOSTA PARA DELÚBIO SOARES

Caríssimo Delúbio Soares, não nos conhecemos, mas tenho uma proposta a lhe fazer.Como ninguém me conhece ,não sabe quem eu sou, não sabem de nada, não viram nada e é tudo calhordice da imprensa, venho lhe propor: eu assumo toda culpa do mensalão e dividimos o "butin".Topas?

Célia Henriques Guercio Rodrigues celitar@hotmail.com

Avaré

*

MENSALÃO

Precisam informar ao deputado Federal Marcos Maia (PT) para

deixar de ser capcioso ao declarar que o mensalão será julgado por pressão da mídia, movimentos sociais.etc. Por ele, a mídia teria de ser chapa branca ou ficar sob censura. É a sociedade que espera que se faça justiça com esses corruptos do mensalão.

João Ricardo Silveira Jaluks jr.jaluks@estadao.com.br

São José dos Campos

*

HAJA MÁ COMPANHIA!

Se expulsarem o prefeito de Palmas, Raul Filho, do seu partido - o PT - porque um vídeo mostra o famigerado Carlinhos Cachoeira negociando com ele, nem é bom imaginar o que possa vir por aí após os pingos nos "is" que o STF fatalmente deverá colocar em todos os "is" do mensalão. Aí, então, insofismavelmente, o PT deverá fechar as portas para liquidação com o autoexpurgo do seu presidente de honra (grande honra...), de seu presidente de fato e de direito, da presidente desta já sangrada e debilitada República e que também é petista de carteirinha, com o sumiço do Zé "fujão" Dirceu, do Genoíno "Cuecão de Ouro", do Delúbio "Caixa 20"" e de todos os seus filiados e bajuladores espalhados por este Brasil e seus sindicatos. E isso tudo, senhores leitores, até o "Chiquinho", periquito do realejo da feira de Ermelino Matarazzo que tirou a sorte de Fernando Haddad neste último domingo, já sabe. Não fosse assim, prestem atenção no conteúdo da mensagem sorteada pelo psitacídeo em questão para o candidato petista: "Teu horóscopo anuncia-te felicidade, mas para conseguires é necessário que evites a companhia de certas pessoas que tratam de te inclinar para o mal". Eita, periquito Bidu! Igual a esse está ainda para nascer outro: além da patota do PT, graças ao genial (!) Lula, cai agora nos braços do Haddad, dentre essas "certas pessoas", ninguém mais nem menos que o dr. Paulo Salim Maluf! Haja "mala suerte"! Não é mesmo? E cai o pano...

João Guilherme Ortolan guiortolan@gmail.com

Bauru

*

ANTES NÃO TINHA...

Agora que as eleições estão chegando não podemos nos esquecer de fatos lamentáveis e lastimáveis proporcionados pelo PT (partido dos trapalhões), para não cairmos nesse engodo ou "enganation": Antes não tinha mensalão agora tem. Antes não tinha aloprados agora tem. Antes não tinha aliança com o Maluf agora tem. Antes não tinha a bolsa esmola agora tem. Antes não tinha o caso do dossiê agora tem Antes não tinha dólares na cueca agora tem. Antes não tinha o Lulla mudo agora tem. Antes não tinha o rolo cachoeira e agora tem. E nunca antes neste País um partido foi tão contra CPIS e ética na política com agora tem. PT saudações.

Antonio José G. Marques a.jose@uol.com.br

São Paulo

*

A DECISÃO SERÁ DOS JUÍZES

Vejam só dois exemplos de como estamos em matéria de justiça no Brasil. Primeiro, caso os réus mensaleiros sejam julgados culpados pelos juízes do Supremo Tribunal Federal, a CUT ameaça sair às ruas para "defender" os réus do mensalão do PT, pois resolveram eles que só será um julgamento justo e não político se todos eles forem inocentados. Segundo, a defesa de Demóstenes Torres vai recorrer ao STF para anular os votos dos senadores que se manifestarem na tribuna do Senado a favor da cassação, e vai exigir voto secreto! É o fim... E os ministros do STF já se manifestaram dizendo que não vão admitir e nem nunca se curvar à "pressão popular". E à pressão sindical... Será que vão? E à pressão que vem de dentro da própria instituição, será que vão? Já dá para perceber que neste momento estamos diante de uma encruzilhada e dependendo da escolha dos juízes do STF, poderemos tirar o País da vala da imoralidade ou podemos cair de vez na fossa da corrupção e da indecência . A escolha será dos meritíssimos. A conferir.

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

MENSALÃO EM CACHOEIRA

O monopólio da corrupção no Brasil virou um bem de Estado.

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com

São Paulo

*

SENHOR DEMÓSTENES

Eu acredito que seu patrimônio seja limpo, tanto quanto acredito que o Maluf não tenha conta no exterior, quanto o mensalão não existiu, que Lula nunca sabia de nada, etc., etc.

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

VOTO SECRETO

A defesa de Demóstenes Torres exigirá voto secreto na sessão de hoje, no Senado, na ocasião em que se decidirá a cassação do mesmo. Será que tal solicitação não seria para dar condições aos senadores em conluio com ele poderem se manifestar contra a cassação e se manterem no anonimato?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

O POVO QUER SABER

É óbvio que o povo deseja saber quem votará a favor ou contra a cassação do senador Demóstenes. Infelizmente o entulho autoritário da ditadura continua irritando a população. O voto secreto protege a quadrilha instalada no Legislativo brasileiro, ressalvadas as exceções raríssimas. A patética ausência de quórum durante as defesas de Demóstenes Torres mostra o desinteresse por uma votação que parece estar definida: a cassação. Porém o voto secreto ocultará aqueles que votarem pela inocência. Aqueles que optarem pela cassação, devem abrir seu voto manifestando-se publicamente. O eleitor consciente poderá assim, separar o joio do trigo.

Mario Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

*

ENFIM SÓS E SEM JUSTIÇA

Veja o absurdo que está na página A4 do Estadão de segunda-feira. O Supremo Tribunal Federal (STF), última instância do Judiciário, oferece como exemplo a nós, cidadãos que pagamos os seus salários e é essa a resposta que tais juízes nos dão: "É proibido a qualquer senador manifestar que votou a favor da cassação de Demóstenes Torres". Estamos mesmo perdidos e no mato sem cachorro. Depois disso, podemos dizer o que já imaginávamos e agora temos certeza. O Judiciário brasileiro é o maior responsável e empecilho para o combate a corrupção no País.

Maria de Mello Nina nina.7mello@uol.com.br

São Paulo

*

QUE LEVE TODA A QUADRILHA JUNTO!

O senador Demóstenes Torres em discurso, para ninguém, no Senado Federal, disse não ter se beneficiado de nada. Não tem fazenda. Não tem dinheiro e possui apenas um apartamento onde mora que será quitado apenas em 30 anos. Bom! Baseada no perfil de ético e moral como sempre agiu enquanto senador, ele merece duas vezes ser cassado. Por ser burro, porque seus pares vendem muito bem seus passes, possuindo inclusive fazendas cujo gado come capim de ouro de tão valorizados quando vendidos ao mercado. E por ter intermediado benefícios ao seu amigo do peito Carlinhos Cachoeira, botando em risco seu mandato de senador. Mas quem sabe depois de cassado, Demóstenes tenha um rasgo de consciência e saia detonando todos os senadores cujo mandato sirva apenas para encher seus bolsos vendendo benefícios! Se cair que leve toda a quadrilha junto.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

ULTRAJE REPUBLICANO

É ofensivo ao povo brasileiro ouvir Demóstenes Torres (sem partido/GO) usar a tribuna do povo para negar o inegável. O senhor está tão sujo quanto um porco chafurdado na lama. A sua não cassação significará mais uma página vergonhosa da política brasileira e mostrará, mais uma vez, a verdadeira face da nossa sofrida República.

Luiz Fabiuano Alves Rosa fabiano_agt@hotmail.com

Curitiba

*

DECORO E CIDADANIA

Decoro, senador Demóstenes, significa: correção moral, decência, honradez, dignidade. Está escrito no dicionário Aurélio e em qualquer outro. Tais qualificações lhe faltam, como demonstrou ao justificar sua postura política (!?) como uma questão de consciência. Mentir é, sim, falta de decoro, porque o ser eleito decididamente não é para mentir da tribuna, nem mesmo eventualmente. Na sua ótica, senador, após vir a lume fatos, fatos e mais fatos, apesar disso o político poderia mentir em suas manifestações. Essa ótica está errada, senador, porque quem votou nas eleições, sendo ou não sendo seu eleitor, tem o direito de analisar e questionar suas declarações: trata-se de manifestação da cidadania, um dos direitos do exercício da cidadania, assegurada e garantida pela Constituição. Mentir, pois, para os cidadãos, não é problema do político que mente: é problema do cidadão que pode e deve e tem de exigir do eleito correção moral, decência, honradez, dignidade e outras qualidades da mesma natureza humana.

Pedro Luís de Campos Vergueiro pedrover@matrix.com.br

São Paulo

*

O QUE É DECORO?

O senador Demóstenes Torres declarou na tribuna do Congresso que mentir não é faltar com o decoro. Se outros pensam como ele, nossa política está realmente muito podre! Em quem podemos confiar se até senadores acham que podem mentir impunemente?

Silvano Corrêa scorrea@uol.com.br

São Paulo

*

AMANHÃ SERÁ OUTRO DIA

Sabe o quê irá acontecer com o senador Demóstenes após sua possível cassação? Ele respirará aliviado, sairá de cena por uns tempos e voltará com tudo aos seus vultosos negócios e não se fala mais no assunto.

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

ESPERANÇA

Dizia que não sabia de nada do que faziam como se pudesse escapar da responsabilidade que era só sua. Depois os chamou de traidores e mais adiante de aloprados. Será que a partir de 2 de agosto, com o início do julgamento do escândalo do mensalão, a sociedade brasileira saberá quem realmente mandou neste país durante os oito anos em que Lula fingia que mandava?

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

LARANJA POLÍTICA DO LULA

A presidente Dilma, "laranja política" do Lula, terá de enfrentar o mês de agosto, mês em que ocorrerão negociações salariais de categorias extremamente articuladas como as dos petroleiros, metalúrgicos, funcionários públicos e bancários, cuja manifestação dos estudantes foi apenas uma marolinha! Além daquelas turbulências, sombriamente nos idos de agosto começará o julgamento do mensalão e estaremos mais próximos da grave crise internacional! Eu não compraria ações da Lulinha.

Eugênio José Alati eugeniojosealati@yahoo.com.br

Campinas

*

LÍNGUA DO 'D'

O governo Dilma começa a desbotar: economia desacelerando, desindustrialização em curso, desvalorização da moeda e discursos difíceis de digerir.Desse jeito,o Brasil dará com os burros n'água mais uma vez.Nunca dantes...

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

FALTA COMPETÊNCIA

Não saber o que fazer com R$ 59 bi que estão sobrando, para mim, não causa nenhuma surpresa, pois, no meu conceito, estas pessoas que estão governando, ou melhor, desgovernando o Brasil, na verdade, sabem muito pouco de muitas coisas,na verdade, esses recursos não estão sobrando,são recursos que de direito pertencem aos aposentados que por 11 anos vêm sendo roubados. Esta é a palavra correta para definir os abusos cometidos pelo mau caráter do governo, ministros de várias pastas e a comandante, que jamais deveriam estar onde estão justamente por falta de competência.

José Mendes josemendesca@ig.com.br

Votorantim

*

UMA HISTÓRIA POUCO CONHECIDA

O sr. Roberto Stavale dá sua versão no Fórum claramente parcial da tal Revolução, que continua mal contada. A revolução em si tem de fato a origem nos "tenentes" que deram origem ao "comunismo medíocre tupiniquim", que tem a saga burlesca da "marcha da esperança" do quixotesco cavaleiro Carlos Prestes, com Juarez Távora e outros "tenentes" dos 18 do forte. Na realidade, num rasgo "quixotesco" contra o caudilho Vargas, o que estava em jogo era uma oligarquia "paulista" ante o populismo varguista, nada de "guerra civil por um país", como foi, por exemplo, a guerra civil americana. Se ganhassem os paulistas, continuaria a "ditadura oligárquica", como ganhou Vargas (as Forças Armadas sempre pendem para algum lado como "lambe-botas", e são elas que afinal definem qual "picuinha" vai continuar no poder, é assim que o PT ainda continua lá), conhecemos uma ditadura "fascista" que na hora do vamos ver da Segunda Guerra, pulou de lado e se tornou "aliado"! A Revolução de 32 continua mal contada, como a revolução de 64 contada por "comunistas"! Nem sequer a Revolução dos Tenentes o sr. Stavale conta direito.

Ariovaldo Batista arioba606@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

UMA VITÓRIA DA DEMOCRACIA

Importante esclarecer que, não obstante inegável vitória da mobilização do espírito cívico, São Paulo até hoje se encontra ajoelhada. A desigualdade de tratamento que sofremos é flagrante e expressa em todas as Cartas Constituintes a partir de então. Criticar o sistema político é oportuno, contudo o maior flagelo do Brasil é a desproporcionalidade nas bancadas de deputados federais injustificadamente imposta pela Constituição atual, impondo limite máximo de 70 e mínimo de 8 deputados por Estado e Distrito Federal. Para melhor ilustrar, caso fosse mantido o número total de 513 deputados, num sistema igualitário e proporcional, com base no censo de 2010, a bancada paulista deveria ter 110 representantes, já a de Roraima, do senador José Sarney, somente 1. Por outro lado, se o respeito à igualdade entre os eleitores brasileiros fosse implementado mantendo-se o número mínimo atual de 8 deputados por Estado, São Paulo deveria eleger 860 deputados, passando a Câmara Federal a ter 3992 deputados. Democracia sem igualdade não é democracia. Os heroicos constitucionalistas de 32 ainda não tiveram sua honra resgatada quase um século após o julgo imposto pelo caudilho suicida, até quando?

Marcelo Janson Angelini marcelo_angelini@hotmail.com

São Paulo

*

FERIADO? DE QUÊ?

Que me perdoem todas as pessoas que defenderam a criação de um feriado estadual pelo fato da revolução e mobilização que teve a participação de diferentes setores da sociedade paulista da época, inclusive trabalhadores do setor de energia. A revolução do povo paulista. Suas bandeiras, a constitucionalização do País é a autonomia e superioridade de São Paulo que eram defendidas pela elite sensibilizaram grande parte da população, que aderiu às manifestações que levou por volta de 35 mil paulistas a pegarem em armas, movimento ocorrido entre julho e outubro de 1932, que levou a morte de pelo menos 890 pessoas em combates. O objetivo era a derrubada do presidente Getúlio Vargas, que estava no poder desde 1930. Insatisfeita, a população iniciou protestos e manifestações, como a do dia 23 de maio, que terminou num conflito armado. Porém, nesse feriado do dia 9 de Julho de 2012, algo muito inusitado aconteceu, quando um casal de moradores de rua que tem como moradia a marquise do viaduto Azevedo Soares no Tatuapé, eles encontraram atrás de uma árvore uma sacola plástica contendo moedas e notas de R$ 50 e R$ 100 reais totalizando mais de R$ 20.000. Um belo exemplo, que deveria servir muito bem aos políticos brasileiros, que ética não se aprende nos bancos de escola, faculdade e universidade. O casal procurou uma delegacia para que o produto supostamente roubado fosse entregue para seus proprietários. Se teve alguém que realmente merecesse nesse feriado todas as horárias das autoridades seria esse casal pelo seu belo exemplo de honestidade, caráter e ética, algo hoje raríssimo entre os 190 milhões de brasileiros, mais especialmente entre aqueles que comandam nosso país, que diariamente são pegos roubando cofres públicos, o que deveria servir de exemplo para os demais brasileiros e brasileiras. Eu acredito "o Brasil tem jeito, só depende de nós, e no dia 7 de outubro, uma excelente data para comece a mudar o que esta aí. Como se vê, desvio de conduta é uma doença quase incurável entre os brasileiros!

Turíbio Liberatto Gasparetto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

*

VOTAMOS ERRADO

Atenção senhores presidentes da República, governadores, senadores, deputados, prefeitos e vereadores que foram eleitos para governar os nossos destinos e que, por conta do dinheiro fácil, estão sempre mandando a moral e a ética para o fundo do poço. Que esta notícia sirva para despertá-los: "No Estado de São Paulo, dois mendigos encontraram num saco plástico próximo ao viaduto onde residem, a importância de R$ 20.004 em notas e moedas de diversos valores e acionaram a polícia militar para que ela procurasse o verdadeiro dono". Digam-me com sinceridade se algum dos senhores supracitados, que está com o nome envolvido numa Comissão Parlamentar de Inquérito por desvio de dinheiro e recebimento de propina, teria a dignidade de agir como os mendigos? Votamos errado.

Leônidas Marques Le_vr@terra.com.br

Volta Redonda (RJ)

*

GOVERNO, JOANA HAVELANGE E MARIN

Estarrecido, li na Veja que o governo exigiu, sem êxito, do presidente da CBF, José Marin, a demissão de Joana Havelange do Comitê Organizador da Copa do Mundo de 2014. Aplausos a Marin pela firmeza e pelo caráter. Tudo tem limites. Até mesmo a canalhice, a prepotência, o cinismo e a covardia. Francamente!

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasilia

*

ENQUANTO ISSO...

Projeto de lei que prevê rigor em vistorias de prédios tramita há um ano no Senado aguardando aprovação. Enquanto isto, incêndios e desabamentos se sucedem, tirando vidas. Sabem quando será aprovado? Quando o sargento Garcia prender o Zorro.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.