Fórum dos Leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S.Paulo

24 Setembro 2012 | 03h07

Dilma e o mensalão

Sexta-feira a presidente Dilma Rousseff emitiu nota prestando esclarecimentos sobre a assertiva do ministro Joaquim Barbosa, no dia anterior, no julgamento do mensalão, que se reportou a depoimento que ela prestou à Justiça em outubro de 2009, então ministra de Minas e Energia do governo Lula, declarando-se surpresa com a agilidade dos parlamentares na aprovação do marco regulatório do setor energético. Barbosa, em sustentação da sua tese de compra de votos pelos parlamentares, ressaltou que as Medidas Provisórias 144 e 145 foram emitidas e encaminhadas ao Congresso Nacional em dezembro de 2003, receberam 800 emendas e 128 peças e foram aprovadas em 90 dias (apesar do recesso parlamentar). A ilação que nos permitimos fazer é que a nota da presidente teve o condão, apenas, de marcar posição, agradar a Lula, ao PT e aos partidos aliados, restando sobressaltadas a retórica e a tergiversação e suscitando fragilidade ao procurar desconstruir a fecunda proposição acusatória do ministro-relator do mensalão.

JUNIOS PAES LEME

junios.paesleme@ig.com.br

Santos

Desrespeito e petulância

Lembre-se a sra. presidenta (!) de que o Brasil é uma República constituída de três Poderes e é seu dever nem sequer tentar enviar "recadinho" pela mídia sobre como deve votar um juiz do Supremo Tribunal Federal (STF).

ROSALVO LOPES DA SILVA

rosalvo.lopes@terra.com.br

São Paulo

Quem não deve não teme

Como se não bastasse usar o cargo para fazer propaganda para o candidato de seu partido na cidade de São Paulo, Dilma agora faz uso de nota oficial para confirmar o que o ministro Joaquim Barbosa afirmou: sua surpresa pela celeridade da votação do marco regulatório. Se é verdade, por que a irritação da presidente e a necessidade de mais esclarecimentos?

EDUARDO BIRAL

elbiral@ig.com.br

São Paulo

Trabalhe mais, presidente

Presidente, pare de retrucar qualquer citação a seu padrinho ou ao PT, já está pegando mal. Trabalhe mais. O Brasil perdeu no ano passado mais de 1 milhão de empregos na indústria - que paga melhor que o setor de serviços. Também não adianta ficar usando medidas protecionistas que nunca deram certo e só prejudicaram a nós mesmos. Comece a trabalhar para eliminar o custo Brasil, reduzindo impostos, criando medidas que estimulem o investimento em infraestrutura. Isso, sim, é importante, e não ficar nessa birra permanente com seus adversários políticos. Em vez de ficar imputando só aos outros erros de coisas que ocorreram há mais de dez anos, devia se lembrar de que mais recentemente a senhora era ministra do governo Lula quando aconteceram apagões que paralisaram o Brasil inteiro.

JOSÉ FERREIRA PRATA

ferre2@zipmail.com.br

São Paulo

Orgulho

A postura do ministro Joaquim Barbosa nos dá a esperança de resgatarmos o orgulho de ser brasileiro que tínhamos tempos atrás.

LAERT PINTO BARBOSA

laert_barbosa@ig.com.br

São Paulo

Coragem

No julgamento do mensalão, é preciso ter muita coragem. O que não falta ao ilustríssimo ministro Joaquim Barbosa.

JOSÉ MARQUES

seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

Convicções iluminadas

Ministro Joaquim Barbosa, como é difícil ser verdadeiro, justo e correto neste país. As pessoas se vendem por pouco, pensam que o povo é bobo. Seja firme, ministro Barbosa, suas convicções são iluminadas. Pessoas como o senhor nos fazem crer que este país ainda tem jeito, assim também os ministros Cármen Lúcia, Luiz Fux, Celso de Mello e Marco Aurélio, que brilham como o senhor. Não deixem que joguem toda a sujeira para debaixo do tapete. Seria presente de Deus ter Joaquim Barbosa como nosso presidente. Pessoas de bem é difícil fazerem sucesso, mas um dia chegaremos lá.

VILMA FREDIANI DE MOURA

vilma.frediani.moura@terra.com.br

São Paulo

Ótimos candidatos

Para a próxima eleição presidencial sugiro aos partidos da oposição dois excelentes nomes: Joaquim Barbosa e Eliana Calmon.

MÁRIO A. DENTE

dente28@gmail.com

São Paulo

Contragolpe

Se não fosse tão revoltante, seria cômico o PT cobrar ética na campanha eleitoral dos outros partidos no que se refere ao mensalão. Logo o PT, que estaria deitando e rolando se essa sujeira toda tivesse sido de responsabilidade da oposição. O PT parece não entender que o uso do mensalão pelos partidos de oposição não é um golpe, como insinua, mas um contragolpe - se não tivesse havido golpe, não haveria contragolpe. Golpe, segundo se entende, é desvio de dinheiro público para uso pessoal ou ação desonesta para lesar outrem. E Lula, o mais espertinho da turma, como fica? Não vai ser chamado a responder sobre as denúncias que pesam sobre ele? Esse cidadão está acima da lei? Essa, sim, deveria ser a principal preocupação do partidinho.

IARA MORAES

iaramoraes1@hotmail.com

Bragança Paulista

Delenda Lula

A saga do retirante que se alçou ao mais alto cargo da República ficará manchada caso o personagem não se submeta a um julgamento público que venha a inocentá-lo das acusações.

CAIO AUGUSTO BASTOS LUCCHESI

cblucchesi@yahoo.com.br

São Paulo

Investigar o principal

O Ministério Público tem de tomar posição, mostrando à Nação que não é uma instituição ingênua a ponto de não investigar o papel de Lula no mensalão. Se não o fizer, a Nação certamente entenderá que aí tem coisa... Porque de nada adiantará condenar uns e não investigar o principal.

ALBERTO NUNES

albertonunes77@hotmail.com

Itapevi

Justiça

Se o "cabeça" e o "cabeção" forem condenados, no rigor da lei, poderemos finalmente acreditar um pouco na Justiça deste país. Até parece... hein?

JOÃO ROCHAEL

jrochael@ibest.com.br

São Paulo

Só haverá redenção moral se houver justiça constitucional de valores éticos.

FRANCISCO JOSÉ SIDOTI

fransidoti@gmail.com

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

PESQUISAS ESTRANHAS

Na semana passada, Lula fez comício em Manaus e insultou e xingou o tucano Arthur Virgilio, que lidera as pesquisas na cidade. A senadora Vanessa, aliada do ex-presidente, foi na onda e bateu em Fernando Henrique Cardoso, e o líder do governo no senado, Eduardo Braga, por sua vez, lançou farpas na imprensa. Na sexta-feira, caiu do céu o resultado engraçadíssimo da receita lulista: Arthur já foi ultrapassado por Vanessa. Os petistas são geniais. Mesmo com o mensalão demolindo e desmoralizando o quintal, a alma e o coração deles. Ainda bem que agora o eleitor despreza e não se intimida mais com o terrorismo do "cara" e seguidores.

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília

*

SURRA

O ex-presidente Lula, atual "deus", relembrou em Salvador que foi ameaçado por ACM Neto de levar uma surra; em Manaus, também, relembrou que Arthur Virgílio lhe ameaçou de uma surra. Ex-presidente Lula, sua surra será nas urnas

L. A. B. Moraes labmoraes@uol.com.br

Santos

*

RAIVOSO

Em Campina Grande (PB) o cara faz propaganda política a favor do adversário. Em Manaus e em Salvador, faz contra o adversário de forma raivosa. Em São Paulo, contra o adversário, de maneira mentirosa e enganosa e raivosa. Deus? Não. O diabo é assim...

Nelson Pereira Bizerra nepebizerra@hotmail.com

São Paulo

*

E AGORA?

O candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, acabou de descobrir que Zé Dirceu, Genoino e Delúbio são "degradantes"? Maluf levou 43 anos para fazer um bem a São Paulo - e ao mundo -, revelando que só ele pode destruir a cidade. Que sejam todos degredados.

Moacyr Castro jequitis@uol.com.br

Ribeirão Preto

*

O ELEITOR JÁ DISPENSA CONDENAÇÕES

Na hipótese divulgada ontem de uma mudança no sistema de votação do Supremo Tribunal Federal (STF), deixando-se a análise da corrupção ativa para depois, o que coincidirá com a primeira semana das eleições municipais, momento em que será apreciado o processo em relação ao ícone dessacralizado José Dirceu, o fato em nada deve alterar a percepção dos eleitores. Isso porque os corruptos passivos foram condenados - e outros ainda o serão - por terem sido corrompidos pelo PT (corrupção ativa). Frente e verso de uma mesma moeda, de modo que a condenação formal é apenas um detalhe. Aos eleitores é que cabe o julgamento político.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

NÃO AJUDOU

O que se esperava que fosse uma ajuda na campanha do ministro que tirou a credibilidade do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), acabou beneficiando a oposição, o aparecimento de Lula, Dilma e Marta, comprada com um ministério, na campanha do PT à Prefeitura de São Paulo, teve um efeito inverso, afinal o povo paulistano entende todas as ligações do Lula com o esquema do mensalão e não quer ver isto instalado aqui em São Paulo. O Lula, a Dilma e o time de petistas agora só conseguem derrubar os que estiverem aliados a eles! Viva a justiça brasileira, viva Joaquim Barbosa, o herói brasileiro!

Luiz Claudio Zabatiero zabasim@ig.com.br

São Paulo

*

'PRESIDENTA' EM CAMPANHA

É no mínimo imoral a atitude da presidenta do Brasil, Dilma Rousseff, e também do prefeito de Osasco, Emidio (entre outros), deixarem seus cargos para fazer campanha para seus candidatos, Haddad e Lapas, respectivamente. Eles foram eleitos pelo povo para uma função, que é administrar o Planalto e a cidade de Osasco respectivamente. Bem ou mal, para isto foram eleitos. O povo brasileiro deveria demonstrar sua desaprovação a estas atitudes nas urnas, não votando nos candidatos deles. Para não votar neles, motivos não faltam. Estes candidatos são fruto do rio de dinheiro que foi usado no governo Lula por meio do mensalão, que a mais alta corte do Brasil, o STF, está confirmando a sua existência, apesar da tentativa do eterno sindicalista Lula dizer que era tudo uma "armação". Finalmente, mensaleiro vai para a cadeia. O Partido dos Trabalhadores foi o maior "conto do vigário" aplicado a nível nacional, eles pregavam uma nova forma de fazer política, voltada para os direitos do povo simples, com reformas sociais, contra uniões espúrias. Com ética. Logo, os autênticos petistas saíram do PT para formarem outras legendas por não concordarem com as atitudes do comandante em chefe Lulla. E o PT do Lula seguiu com associações espúrias com seus inimigos históricos como Fernando Collor de Mello, José Sarney e Paulo Maluf. Tudo para se perpetuar no poder. Eles gostaram da opulência e do gosto do poder, e não querem largar a nenhum custo. Para isso eles aumentaram de forma estrondosa os Bolsa-Família; bolsa gás; entre outros, para que a população ficasse grata com o PT e votassem nele. Puro "coronelismo"; puro "assistencialismo". O povo se vende barato. Compraram apoio político com dinheiro público. Este dinheiro poderia ser mais bem empregado com melhores salários para professores, e formação destas pessoas em aprendizado profissional. É melhor dar o peixe, ou ensinar a pescar? Povo brasileiro, diga não aos petralhas na próxima eleição!

Icaro Martins de Oliveira icaro_cafe@hotmail.com

Osasco

*

NOSSO CHEFE DE ESTADO

Infelizmente, o Brasil continua sendo uma republiqueta do Terceiro Mundo, governada a quatro mãos e dezenove dedos. A presidente de direito não passa de pau mandado de um "presidente" de fato. Dona Dilma, governe ou renuncie para o bem de todos. Assim, sem personalidade, a senhora entrará para a história como Pilatos entrou no Credo.

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo

*

HADDAD X PROVÉRBIO POPULAR

Fernando Haddad disse (sic): "Para alguém ter meu brilho tem de nascer de novo". Simplesmente ridícula a pretensão do candidato, verdadeiro títere do chefão do PT. Haddad, o pior ministro da Educação da história do País, em sua ingenuidade desconhece o provérbio popular: "Elogio em boca própria é vitupério".

Pedro Mascagni Filho p.mascagni@uol.com.br

São Paulo

*

HADDAD E SEUS TREJEITOS

Os marqueteiros, que já conseguiram travestir petistas históricos como pessoas quase normais, agora, no afã de eleger mais um poste, impõe ao candidato Haddad uma série de figurinos. Há duas semanas da eleição parece que ainda não conseguiram encontrar o modelo ideal - com sua queda nas pesquisas, tudo indica que dificilmente encontrarão. No início, para demonstrar uma juventude que seu rosto de pessoa bem criada já evidencia, mandaram que andasse feito um desmiolado, quase perdido entre os prédios, viadutos e avenidas da cidade. Depois, apresentou-se como moço estudioso, bom filho, marido exemplar e pai extremoso. Em sucesso, recentemente apareceu no perfil do protagonista da novela da Globo - deu pena vê-lo com o corpo arqueado, barba amanhecida, surgir in close na tela da TV, enfurnado como se fosse um miura. Evidente que houve excesso nessas pinturas, mesmo porque sua marca sempre foram os equívocos na gestão do Enem e na cartilha conhecida como "kit-gay" - tudo indica que sua campanha naufraga e a derrota se pronuncia.

Noel Gonçalves Cerqueira noelcerqueira@gmail.com

Jacarezinho (PR)

*

PROMESSAS

Haddad pode prometer muito mais do que já esta prometendo na campanha, ele tem bons motivos para isso, petistas não cumpre promessas de campanha e ficando em terceiro não terá que cumprir nada mesmo. Lula seu criador, jamais cumpriu promessas aos trabalhadores e aposentados, é um grande exemplo para ele. Ao ser questionado sobre o fator previdenciário e política de valorização dos aposentados no debate da TV Cultura, Haddad desconversou, mudou de assunto justamente porque incomoda, põe em evidencia a grande trairagem petista contra a classe, portanto, todos aposentados do Brasil estão em campanha silenciosa, no convencimento das próprias famílias a derrotar o PT em todo território Nacional. PT nunca mais!

Jose Mendes josemendesca@ig.com.br

Votorantim

*

INTERESSES

Mensalão do PT, mensalão do PSDB, mensalinho em Brasilia e da privataria tucana ninguém fala nada. Não sou petista, nunca votei em Lula, mas esse silêncio em torno da privataria tucana é tendencioso e há bem da verdade, covarde. A imprensa, falada, escrita está surda e muda. A serviço de quem?

José Piacsek Neto bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

*

PÁREO DURÍSSIMO

Entre um cavalo vermelho, manco, que três jóqueis precisam levar nas costas e um cavalo paraguaio, azarão completo, é muito prematuro Serra tirar o cavalo da chuva. Ruim contigo, muito pior "sem tigo".

Flavio Marcus Juliano opegapulhas@terra.com.br

Santos

*

SÃO PAULO EM PERIGO

Celso Russomano, apesar de líder nas pesquisas, tem andado um tanto estranho para quem ainda está tentando conquistar votos. No último debate parecia meio anestesiado, com a fala lentificada. Declara-se católico fervoroso e recusa convite do arcebispo de São Paulo para um debate. Discute com o entrevistador, afirmando que só iria responder sobre o que quisesse, mostrando que não aceita o diálogo. Contradiz-se quando usa como desculpa a perda do processo trabalhista que o papel aceita tudo, e mesmo assim aceita um acordo de R$ 205 mil. Imagine então, se eleito, como agirá frente às dificuldades e responsabilidades que o cargo impõe?

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

CATÓLICO

Russomano não mente ao afirmar que 80% de seu partido é católico. Católico significa universal.

Jonas Bernardino Leme lemejota@hotmail.com

São Paulo

*

CELSO RUSSOMANNO

A quem interessa esse debate? A quem interessam esses ataques? Certamente boato para denegrir a imagem do candidato mais cotado nas pesquisas de intenção de votos. Diante dessa confusão, que nos deixa perplexos, consultei a vida pregressa do candidato mais cotado. Breve histórico sobre a religiosidade de Celso Russomanno. Celso Russomanno nasceu no seio de uma família católica. Foi batizado e crismado, assim como seus irmãos e filhos. Em 1945, seu avô colocou uma estátua do Padre Anchieta, de tamanho natural, na praça principal do Município de Itanhaém, em frente à Igreja. Seu irmão, Mozart Russomanno, como deputado estadual, é autor da lei que criou a Estância Religiosa do Município de Guaratinguetá (SP), reconhecendo a importância do município como centro de peregrinação dos devotos de Santo Antônio de Sant'ana Galvão - Frei Galvão, bem como, propiciar a divulgação dos eventos religiosos em sua homenagem (DO 4/7/2009). Seu pai foi seminarista em Bom Jesus de Pirapora (SP) (em meados de 1945/46). Celso é católico praticante, participando de encontro de casais e eventos religiosos. Casou-se na Igreja Católica e viúvo, casou-se em segundas núpcias também na Igreja Católica, casamento este celebrado pelo padre Marcelo Rossi. Ora, por que esses ataques, então? A discriminação religiosa que vimos assistindo pode criar celeuma. Perigoso debate de onde não saem ganhadores. Não queremos e não devemos deixar que a discussão política caminhe para esse viés. Queremos discutir o cotidiano, nossos problemas físicos, terrenos, sociais, econômicos, ambientais, em busca de uma São Paulo mais verde, mais humana, mais segura. O povo brasileiro é eclético, pacifista e solidário e os eleitores não questionam a tendência religiosa do candidato, mas o seu histórico, sua conduta e propostas de governo. Em busca da melhoria da qualidade de vida, para todos!

Célia Marcondes christiane_carlier@hotmail.com

São Paulo

*

ELEIÇÃO NO RECIFE

O maior castigo que os recifenses podem dar ao PT será deixar o seu candidato a prefeito, Humberto Costa, fora do segundo turno da eleição para Prefeito do Recife. Seja porque Geraldo Júlio ganhe a eleição logo no primeiro turno, ou seja, preferencialmente, que ocorra o segundo turno, mas sem o candidato do PT, entrando Daniel Coelho na disputa. Em qualquer dessas hipóteses, a verdade é que os recifenses estarão demonstrando que ainda perderam a vergonha na cara, e não aceitam mais serem tratados como "massa de manobra" por esse "magote de petralhas" que dominaram a cidade durante os últimos doze anos, tratando o Recife como se fosse uma "reserva extrativista", destinada a enriquecer os que usufruíram do poder durante o período. Façam uma análise do patrimônio que os principais petralhas do Recife possuíam em 1999, comparando com o que possuem agora e ficará evidenciado que a Prefeitura do Recife foi para essa "rafaméia" uma verdadeira "mina de ouro". Dia 7 de outubro os recifenses terão a oportunidade da revanche: Xô PT!

Júlio Ferreira julioferreira.net@gmail.com

Recife

*

O JULGAMENTO DO MENSALÃO

O entendimento do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski, que vê o mensalão como dinheiro para campanha (21/9, A4), é igual àquela piada de que cuspiram na cara da pessoa e ele disse "parece que está chovendo...".

Artur Topgian topgian.advogados@terra.com.br

São Paulo

*

A VERDADE

A poucos dias do início do julgamento do núcleo político do mensalão do qual fazem parte, figuras que poderão trazer o ex- presidente Lula à cena do crime, o ministro revisor Ricardo Lewandowski afirma que não houve compra de votos de parlamentares , apenas acordo de financiamento de campanha , alinhando-se a tese da defesa dos réus, indo na contra mão do que afirmam a Procuradoria-Geral da República e o relator Joaquim Barbosa , que municiados de provas robustas não deixam duvidas quanto ao projeto de poder em andamento e a necessária compra de votos para tanto Não há como negar as evidencias, o próprio ex-presidente Lula em 2005 , reconheceu, que o mensalão serviu para financiar campanhas eleitorais. Para fundamentar ainda mais as evidencias desse crime, "compra de votos" que não tem mais como ser negado, o relator Joaquim Barbosa ainda citou depoimento da presidente Dilma Rousseff, no qual ela se disse surpresa com a rapidez com que foi aprovado o marco regulatório do setor energético. Portanto, Sr. Lewandowski, não há mais como tapar o sol com peneira.

Paul Forest paulforest@uol.com.br

São Paulo

*

TENHA DÓ!

Ministro Lewandowski, tenha dó! Papai Noel, Saci Pererê, mula sem cabeça e compra de votos pelos partidos e repasse aos políticos jamais existiram.

Hélio José Cury heliocury@gmail.com

São Paulo

*

LEWANDO QUANTO?

Esse ministro Lewandowski é mesmo um cara-de-pau: está defendendo abertamente o PT, a mando do chefe que "nada viu"! História da carochinha, está travestindo tudo que pode para beneficiar os principais culpados! Deveria ser possível responsabilizá-lo por grave erro profissional/técnico ou equivalente. Onde é que estão os advogados "do bem", que não propõem alguma representação oficial contra essas barbaridades desse "ministro"? Fora com esse funcionário público desqualificado! Está demonstrando não ter competência e conhecimento para o cargo que exerce. Só ele não enxerga as evidências!

Antonio Carlos de Souza Queiroz Cardoso acardoso@helvetiacapital.com

São Paulo

*

'OTÁRIOS! BABACAS!'

A eleição de um parlamentar equivale à outorga de uma procuração, ou seja, de um mandato, para que ele represente os interesses dos seus eleitores, em nível federal, no Congresso Nacional. A constatação pelo Supremo Tribunal Federal (STF), no julgamento do processo do mensalão, de que o Partido dos Trabalhadores (PT) comprou o apoio de parlamentares com dinheiro público, evidencia que a agremiação política do ex-presidente Lula não tem nenhum respeito pelo eleitorado, pois, essa compra de votos, significou dizer o seguinte aos eleitores: "Otários, os interesses e os anseios de vocês, para nós, não vale nada! Nós temos o poder de comprar a consciência dos seus representantes, com o dinheiro público que é fruto do trabalho suado de vocês mesmos! Bando de babacas!" Que a réplica do ultrajado eleitorado brasileiro, ao PT, seja dada nas próximas eleições.

Túllio Marco Soares Carvalho tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte

*

CONDENAÇÃO FATIADA

O ministro Joaquim Barbosa condena Roberto Jefferson e mais 12 réus do mensalão..., resta saber quantos dos 13 condenados irão passar a ceia de natal atrás das grades...

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

AO VIVO

Finalmente um homem com ética, critério e respeito à sociedade brasileira diante do mensalão que vinha se arrastando por anos, ministro Joaquim Barbosa. Que sirva de exemplo aos outros, excluindo um que protege essa vergonhosa corrupção apoiada pelo Lula quando afirmou "caixa 2 sempre existiu". A transmissão ao vivo de julgamentos do STF isenta os jornalistas de culpa quando transmitem as verdades contestadas pelos corruptos...

Esther Angrisani estherangrisani@terra.com.br

São Paulo

*

CHEGA DE BANDALHEIRA

Dizia o saudoso deputado Ulisses Guimarães: "quem rouba R$1,00 (um real) também é cem por cento desonesto". A participação consentida de vários partidos no mensalão, conforme condenação do Supremo Tribunal Federal, nos leva a sugerir, em nome da sociedade, que esses partidos corruptos sejam banidos da vida política, com a cassação de seus registros pelo Tribunal Superior Eleitoral. É preciso passar o Brasil à limpo. E agora é o momento. Parabéns aos senhores ministros do Supremo, em especial ao grande magistrado, titular da vassoura de limpeza, ministro Joaquim Barbosa. A sua solidariedade é importante. Precisamos de seu apoio incondicional para voltarmos a ter orgulho de sermos brasileiros. É hora dos caras pintadas estarem nas ruas para preservar a nossa dignidade. Todo ditador é escravo de sua desmedida ambição.

Paulo Maia Costa Júnior paulomaiacjr@hotmail.com

São José dos Campos

*

TOMA LÁ, DÁ CÁ

Com mensalão ou sem mensalão, o PT continua comprando apoio: ofereceu um ministério àquela senadora cuja cultura é "relaxa e goza" em troca de seu apoio à candidatura daquele ex-ministro do Enem e dos livros didáticos distribuídos à rede pública de ensino com graves erros de ortografia. Detalhe: todas as mazelas são pagas como o dinheiro dos explorados contribuintes, nosso dinheiro! Pergunto: a democracia reivindicada por mais de vinte anos é esta da compra de votos, da compra de apoio político, dos dólares na cueca, do dinheiro na mala, na bolsa, na meia, dos enriquecimentos de poucos, das distribuições de cargos aos derrotados em eleições, e de outras mazelas mais demonstradas nas CPIs e em outras investigações em andamento? Onde estão os caras pintadas? Ok, estão em greve!

Abílio Teixeira abilioteixeira@bol.com.br

Brasília

*

GREVE PARA POUCOS

Sem surpresa, chegou a vez dos bancos e Correios. A greve, como instrumento legítimo do trabalhador, visando à conquista de melhores condições salariais e operacionais, é um conceito há muito esquecido pelos sindicalistas brasileiros, que a usam tão somente como trampolim político, conforme amplamente demonstrado pela trajetória de inúmeros petistas, articuladores de movimentos no passado, quando não estavam ainda no poder, hoje guindados a cargos distanciados dos interesse dos trabalhadores que diziam representar. O mais preocupante é que os beneficiários, que deveriam reagir a esse modelo pernicioso, não percebem ou fingem não perceber que estão sendo usados, deixando-se levar pelo oba-oba, sem ganhos reais significativos, pelo simples fato de não ser exatamente esse o propósito dos organizadores. Enquanto isso, a população sofre com a interrupção de serviços essenciais.

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

O FEITIÇO E O FEITICEIRO

O PT tem doutorado em como iniciar greves, mas é incompetente para finalizá-las...

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

MÃE E PAI

Se Dilma é a mãe do PAC, da greve Lula é o pai.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

O PSDB E AS GREVES

Como meu último e-mail (Brasil se transforma numa nova Síria) não foi respondido pelo senador Álvaro Dias, cheguei à lamentável conclusão: o PSDB apoia os grevistas, talvez por receio de que tal atitude o coloque em má situação... Onde fica o amor pelo Brasil?

Adinael Barlos duquevinte@uol.com.br

São Paulo

*

PRIVATIZAÇÃO DOS AEROPORTOS

A presidente Dilma, ministros e afins acharam que investidor é bobo, aplicariam dinheiro em privatizações deixando a cargo de estatais a administração. O governo brasileiro tentou dar esse golpe na dita "privatização dos aeroportos", pegando sócios, mas deixando a Infraero a cargo da administração. A mesma Infraero cujas obras nos aeroportos estão sob investigação do TCU por superfaturamento. Se essas empresas concordassem com a imposição dessas privatizações alopradas feitas no inicio do ano, seria igual entrar como sócio nos bingos do Cachoeira, dando a ele plenos poderes de gerencia. Agora pelo visto terão de seguir regras normais e naturais de investimentos do mercado, aceitando a gerência e interferência desses sócios. Não acredito na inocência de nossas autoridades, mas valeu a tentativa do "passa moleque".

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

CONCESSÕES DUVIDOSAS

O editorial Os nós do crescimento, publicado na edição dessa quarta-feira do Estadão, mostra bem o tamanho do atraso do País na questão da infraestrutura. Infelizmente, o apagão infraestrutural tem sido um dos legados mais amargos deixados pela gestão petista nesses últimos 10 anos: quase nada foi feito, por exemplo, em melhorias no sistema rodoviário brasileiro. Para citar um país de dimensões territoriais semelhantes às do Brasil, os EUA possuem mais de 75 mil km de estradas duplicadas, considerando apenas a sua rede de Rodovias Interestaduais. Já o Brasil possui 90 mil km de estradas ao todo, sendo que, desse total, apenas cerca de 10 mil km são duplicados. É um descompasso absurdo, e que pouco foi atenuado pelos governos Lula e Dilma. Para contornar a situação, o governo petista insiste em lançar mão de planos de concessão que, ao contrário dos que se verificam em vigência no Estado de São Paulo, não privilegiam a eficiência e a qualidade dos projetos - não por acaso, as estradas paulistas são, disparado, as melhores do País. As novas medidas, anunciadas há algumas semanas, possuem alguns dos mesmos vícios que levaram ao fracasso o programa de concessões lançado em 2007 pela própria Dilma, então à frente da Casa Civil. Dado o histórico nada positivo do governo do PT nessa área, o tal pacote de logística lançado com toda pompa pela presidente deve ser encarado com muita, muita cautela.

Henrique Brigatte hbrigatte@yahoo.com.br

Pindamonhangaba

*

HORA DO INVESTIMENTO

Os responsáveis pela área econômica do governo da dona Dilma vacilam em pegar, pra valer, a boa onda do desenvolvimento sustentável, para ficar "surfando" na marolinha da improvisação pouco recomendável.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

'O BRASIL INOVADOR'

O caderno O Brasil Inovador, editado em 20/9/2012 pelo Estadão, deveria estar em todas as bibliotecas das escolas brasileiras, para incentivar o estudo das tecnologias que estão mudando o País. É o tipo da leitura, que desperta o interesse pela inovação e inventividade nas mais diferentes áreas de estudo. Parabéns, Estadão, por mais este presente.

Alberto Bastos Cardoso de Carvalho albcc@ig.com.br

São Paulo

*

PACOTES

A cada pacote "inventado" pela presidente Criatura buscando ativar a economia, mais demonstra o País estar "governado" por um bando de estafermos.

Laércio Zanini arsene@uol.com.br

Garça

*

O ETANOL É A SOLUÇÃO

As perspectivas para o etanol brasileiro em 2013 são interessantes, como analisado no editorial A política de combustíveis e o mercado do açúcar (Economia&Negócios, 21/9), mas ainda é intrigante a ausência de uma política de estoques reguladores desse biocombustível. O mundo todo elogia nossa matriz energética altamente renovável, mas internamente não conseguimos lidar com problemas mais comezinhos de logística. Que seja o prenúncio de novo fôlego para o estabelecimento de políticas mais sólidas no setor para ficarmos menos susceptíveis a questões sazonais.

Adilson Roberto Gonçalves priadi@uol.com.br

Lorena

*

CELULARES E PROCON

O Procon precisa mostrar mais competência na apresentação de seus resultados sobre queixas de consumidores, e a mídia mais conhecimento do que está transmitindo ao público. Não há como as empresas de celulares não liderarem as queixas, pelo simples fato de que existem 250 milhões de celulares no Brasil. Isso quer dizer que 150 mil queixas correspondem a 0,06% do total de celulares, o que é razoável. É preciso que se faça uma correspondência entre o número de queixas e o universo pesquisado. Junte-se a isso a indisposição da sociedade em relação à privatização do serviço telefônico, de longe o maior programa de distribuição de renda que já foi feito, em que pulamos de 4 milhões para 250 milhões de celulares gerando comunicação e, consequentemente, negócios.

Luiz Fontenelle luizfontenelleg@gmail.com

Campinas

*

TRANSPARÊNCIA OPACA

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, edita decreto que cria portal trazendo transparência na situação de comércios para o próximo prefeito em 2013 (C6, 19/9); tal decreto demonstra que nem o prefeito acredita na continuidade da administração Serra-Kassab porque para essa dobradinha ele não faria tal decreto. De fato, em sua administração aconteceu o oposto de qualquer eficiência ou transparência quanto à fiscalização, como, por exemplo, na fiscalização da Sub-Sé no Pacaembu: primeiro, foi feito cancelamento indevido de mais de 30 SACs em 17/5/2012 com a seguinte alegação: "Sr(a) munícipe, face o tempo decorrido solicitamos que, caso a situação relatada permaneça, registre uma nova solicitação..."; ou seja, a Sub-Sé confessa que nada foi feito em relação aos SACs, já que os fiscais nada sabem de seus status e, ainda, tentam transferir a responsabilidade pela fiscalização ao munícipe. Segundo, o site De Olho Na Obra não apresenta inúmeros alvarás irregularmente concedidos na região, por essa subprefeitura, considerando parcialmente, ou mesmo desconsiderando, as leis atinentes aos negócios explorados e às restrições contratuais de loteadores; e, ainda, sem realizar qualquer fiscalização que apure a veracidade dos documentos apresentados pelos infratores urbanos - ou seja, também ocorreu um "liberou geral" nessa nada transparente administração na qual alvarás equivocados permanecem inacessíveis à consulta de vizinhos ou de qualquer cidadão paulistano. A transparência ficará para o próximo prefeito que, espero, será melhor para a cidade e seus habitantes.

Suely Mandelbaum, urbanista suely.m@terra.com.br

São Paulo

*

FALTA DE RESPEITO

É difícil admitir que numa cidade como São Paulo, que tem um orçamento anual de quase R$ 40 bilhões, não seja aplicado recursos para despoluir córregos, que pela ausência do serviço de limpeza, muitos dos munícipes que vivem nas suas proximidades são acometidos por doenças crônicas! É o que se constata na excelente matéria do Estadão de 17/9/2012, a relapsa conduta da prefeitura da Capital, em que dos 58 córregos ditos como livres de poluição, 29 destes visitados se verificou que apenas 8 destes córregos estavam com sua manutenção em ordem. Ou seja, por amostragem apenas 28% com águas e margens limpas, e sem o odor de esgoto a céu aberto... E é de se perguntar então: onde estão os vereadores da cidade que são muito bem pagos pelos contribuintes, e que por obrigação e vocação deveriam fiscalizar as prioridades dos munícipes, como destes córregos, que é uma grave questão de saúde pública?! E por onde anda também o prefeito Kassab, que neste seu segundo mandato parece não estar nem se prestando no mínimo a realizar as tarefas mais simples, e de menor custo como o da limpeza dos córregos?! Lógico, apesar dos prejuízos da população, a consequência deste desprezo aos munícipes aparece nos altos índices de reprovação da sua gestão, só comparado ao de Marta Suplicy, quando administrou pessimamente também a Capital... O povo não é bobo, não!

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.