Fórum dos Leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S.Paulo

10 Outubro 2012 | 03h13

'Nada que o incrimine'

Como era esperado, Dias Toffoli aproveitou a deixa de Ricardo Lewandowski e absolveu José Dirceu, ontem, no Supremo Tribunal Federal (STF). Não podemos esquecer as ligações que Toffoli teve com esse réu e com o PT. Esse ministrinho deveria estar impedido, mas deixaram-no votar... E ele não poderia condenar um ex-cliente e um ex-patrão.

CARLOS E. BARROS RODRIGUES

ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

Infiltrados

Quando assisto ao julgamento dos petralhas e à fala dos ministros Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli, eu me lembro do filme Os Infiltrados.

IVAN BERTAZZO

bertazzo@nusa.com.br

São Paulo

Dirceu & Genoino

Não vejo o porquê da preocupação da presidente em evitar "manifestações políticas públicas" contra o resultado do julgamento do mensalão. Basta que os fiéis militantes do PT não recebam, cada um, R$ 25 e um lanchinho que não haverá manifestação alguma.

NESTOR R. PEREIRA FILHO

rodrigues-nestor@ig.com.br

São Paulo

ELEIÇÕES MUNICIPAIS

Serra, Haddad e Barbosa

A tucanada está apavorada com a possibilidade de o competente Fernando Haddad (PT), disputando sua primeira eleição, derrotar o desgastado José Serra (PSDB), campeão de rejeição, que já foi deputado federal, senador, ministro, governador e candidato à Presidência da República. Quem acreditar na capacidade de julgamento político de Joaquim Barbosa deve optar por Haddad, pois o ministro do STF declarou publicamente ter votado, por duas vezes, no Lula e na Dilma nas três últimas eleições presidenciais, disputadas com Serra e com o governador Geraldo Alckmin. Em recentes declarações, Barbosa afirmou que não se arrependeu de ter votado no PT, por causa do notável avanço do Brasil em conquistas sociais e econômicas após a primeira eleição do Lula.

VALDENICE SANTANA SANTOS

santosvaldenice@ig.com.br

São Paulo

De rejeição

Definido o segundo turno da eleição em São Paulo, já se começa a ouvir que a rejeição de José Serra pelo eleitorado da capital poderá derrotá-lo na disputa com Fernando Haddad. À vista do que se passa atualmente no STF, há que refazer a pergunta ao eleitorado: em qual partido você jamais votaria? Não tenho dúvidas de que os esclarecidos paulistanos que têm acompanhado o noticiário sobre o mensalão não titubeariam em responder: no PT! Sim, no PT eu jamais votaria. Além da condenação imposta à cúpula do PT pelo crime de roubo de dinheiro público, é preciso lembrar que 1) o PT votou contra o Plano Real, 2) o PT votou contra a Lei de Responsabilidade Fiscal, 3) o PT votou contra a adoção das metas de inflação, 4) o PT votou contra Tancredo Neves, 5) o PT votou contra os projetos sociais de Fernando Henrique Cardoso, dos quais se apropriou e se diz criador. (Aliás, o "pai" do Bolsa-Família, o sr. Patrus Ananias, perdeu a eleição para prefeito em Belo Horizonte no primeiro turno, apesar de todo o apoio da Dilma e do Lula. Por que será?) O sr. Lula, que agora se arvora em grande "transformador" do Brasil, não teria tido o "sucesso" que teve nos seus oito anos de Presidência não fora o trabalho sério, diligente e realmente transformador embutido nas regras do Plano Real de Itamar Franco/FHC. Como diz o velho ditado popular, "cuspiu no prato em que comeu". A presidente Dilma não tem poupado esforços para destruir o que o Plano Real trouxe de bom aos brasileiros: inflação baixa, responsabilidade fiscal e câmbio flexível. Muitos economistas de renome têm visto com preocupação crescente os últimos atos da equipe econômica do governo Dilma, que podem trazer de volta a inflação e a miséria em que vivia grande parte dos brasileiros antes do Real. Por essas e outras, fica a minha humilde sugestão aos institutos de pesquisas: mudem a pergunta para "em qual partido você jamais votaria?". A população da cidade de São Paulo dará a resposta certa!

RUBENS SALVADOR VALNEIROS

rvalneir@gmail.com

Barueri

JUSTIÇA FEDERAL

Esclarecimentos

Em relação ao editorial Greve de juízes (9/10, A3), a Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) tem a esclarecer os seguintes pontos: 1) Há confusão no editorial entre a reivindicação dos servidores da Justiça da União, que pretendiam reajuste em seus vencimentos no porcentual médio de 56%, e a reivindicação da magistratura federal, que em 2011 pleiteava reajuste do subsídio de 20,3%, decorrente de dois projetos de lei em tramitação na Câmara dos Deputados (PL 7.749/2010, 14,79% e PL 2.197, 4,8%). A esses projetos de lei se agregou o PL 4.360/2012, que prevê novo reajuste de 7,12%. Tudo conforme o disposto no artigo 37, X, da Constituição federal. 2) O porcentual de 28,86% reivindicado pela magistratura federal não corresponde a nenhum aumento real, mas apenas à reposição das perdas inflacionárias medidas pelo IPCA, conforme os três projetos de lei acima mencionados e encaminhados pelo STF em 2010, 2011 e 2012. A pretensão é justa e legítima e a Ajufe busca solução consensual, dentro do sistema constitucional, para vê-la atendida. 3) Quanto ao suposto "inchaço" da Justiça, a decomposição dos números relacionados à Justiça Federal - 1.749 juízes e 37.900 servidores em 2010 - não indica excessos. Ao contrário, a ampliação da Justiça Federal de segunda instância é necessária para melhor atender os cidadãos brasileiros.

NINO OLIVEIRA TOLDO, presidente da Ajufe

imprensa.lucio@ajufe.org.br

Brasília

Juízes do Trabalho

Sobre o editorial do Estado publicado ontem, esclareço que a magistratura da União nunca reivindicou aumento salarial de 56%. A luta das entidades de classe da magistratura é pela aprovação dos projetos de lei que estão em tramitação no Congresso Nacional, totalizando cerca de 28%, mera reposição inflacionária do valor dos subsídios, que desde 2006 sofreu apenas uma correção de 9%. Os juízes do Trabalho de todo o Brasil também não participarão da Semana de Conciliação do Conselho Nacional de Justiça, medida esta anunciada na semana passada e formalizada ao presidente do STF, ministro Ayres Britto. Assim como todo cidadão brasileiro tem direito de lutar por seus direitos, os juízes do Trabalho querem, com a medida, mostrar a sua indignação pelo descumprimento da Constituição federal. Por fim, vale esclarecer que a defesa da dignidade salarial dos juízes é dever de todos, por ser uma das formas eleitas na Constituição para dar efetividade à independência do Poder Judiciário, cabendo refletir sobre a quem interessa, afinal, ver a magistratura desprovida de um direito básico de todo cidadão brasileiro.

RENATO HENRY SANT'ANNA, presidente da Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra)

imprensa@anamatra.org.br

Brasília

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

CHALITA, NÃO DÁ PARA CONFIAR

Vamos guardar esta declaração de Gabriel Chalita (PMDB): "Jamais apoiaria para ganhar qualquer coisa", numa referência ao apoio ao candidato Fernando Haddad (PT) no segundo turno. Afinal, estamos a menos de um mês para as eleições municipais de segundo turno, onde poderemos conferir se a frase foi dita em hora errada ou se, de fato, ela tem consistência. Pela trajetória de Chalita, não dá para confiar em suas declarações: o deputado trocou tantas vezes de partido e será que não ganhou nada? Só o fato de sair candidato à Prefeitura de São Paulo pelo PMDB, por si só, é um ganho e tanto. Que coisa feia uma mentira dessas, contada em plena luz do dia. Um cidadão que já foi secretário da Educação deveria ter mais cuidado ao proferir certos absurdos. Chalita aposta na memória fraca dos eleitores. E o pior é que se dá bem, basta ver a votação que teve no dia 7 de outubro.

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

PRESENTINHOS DA TIA DILMA

Quer dizer que é dando que se recebe, como dizia o falecido ex-deputado Roberto Cardoso Alves, prática que Chalita fará quando declarou não ser impossível um apoio ao candidato do PT, Haddad, no 2.º turno das eleições em São Paulo. Michel Temer, vice-presidente da República e presidente do PMDB, foi chamado pela presidente Dilma para se compor com o PT. O preço não deve ser barato, mas para quem já perpetrou o mensalão dar um ministério a Chalita na reforma ministerial que Dilma fará após as eleições municipais, para o PT é troco. E para Chalita é tudo o que ele queria, já que passou a campanha toda tecendo loas à presidente.

Agora resta saber se o menino malufinho também ganhará um ministério, pois os mais de 1 milhão de votos não é nada desprezível para quem está com uma baita gana pela Prefeitura de São Paulo. Quem sabe Russomanno ganhará o Ministério de Minas e Energia, que não necessita que seu comandante entenda bulhufas do ramo, e prova disso é Edson Lobão, que até agora esteve à frente, mas por causa dos apagões está na marca do pênalti. É só uma questão de acertos que a tia Dilma fará obedecendo às ordens do tio Lulla.

Agnes Eckermann agneseck@yahoo.com.br

Porto Feliz

*

MDB X PMDB

Como fundador do MDB, fico constrangido em ver em que mão está este partido, gente que nunca fez nada para fortalecer, caiu na mão de oportunistas que somente desprezam. Vejamos agora no segundo turno da eleição, já procurando acordo. Será que o Sr. Michel Temer, com todo o meu respeito, pergunto, sabe como foi construída a formação do MDB? Talvez não saiba, foi com gente de valor, de fibra, e cito alguns, como o senador Lino de Matos, Agenor Lino de Mattos, Wilson Rau Freitas Nobre, Caio Prado, e outros, e quem escreve que fazia parte também o é. Hoje vejo nosso MDB desmoralizado, esfarrapado. Quando realizamos a primeira eleição tivemos uma vitória de luta pela derrota da ditadura. É lamentável um veterano de 94 anos sentir esta vergonha nacional por que passa nosso Brasil.

Miguel Rizzo miguel.rizzo@terra.com.br

São Paulo

*

O EGO DO EX-PRESIDENTE

Lula e Temer selam acordo para o Chalita apoiar o ventríloquo do Lula, Haddad? Até parece que o Chalita, aquele pulador de partidos, que se encostou na Igreja para ganhar projeção, vai transferir alguma coisa. O paulistano é inteligente e diferenciado, mesmo quem não nasceu aqui, que é o meu caso. Não podemos nos esquecer de que nas últimas eleições o Temer quase ficou de fora e agora posso dizer tranquilamente que, na próxima, se se candidatar, já era, ou seja, Temer é parasita, assim como o PMDB, aquele que apoia todos independentemente das propostas ou da corrupção. Por isso podem se juntar todos, e mais alguns que queiram, que não vai adiantar nada. Lula é um raivoso que não pensa no País nem nos brasileiros, na verdade quer mostrar que ele ainda é o "cara" e que ainda é presidente, a exemplo de seu ídolo caído Hugo Chávez. Na verdade, Lula não quer saber dos eleitores, mas de encher seu peito de pomba e dizer "eu faço milagres", o impossível demora mais um pouco.

Kaled Baruche kbaruche@bol.com.br

São Paulo

*

A CEREJA DO BOLO

No pleito municipal não basta para um partido político que almeja projeção nacional vencer a eleição em uma cidade qualquer, precisa para sua maioridade política ganhar em São Paulo! O PMDB, provavelmente trocaria o sucesso que obteve no dia 7 de outubro, nos 1.036 municípios, por uma vitória de um candidato seu na Capital Paulista. Por esta razão o PSDB do Serra que vai se confrontar no 2º turno com o Fernando Haddad do PT, precisa ser prudente e coerente na busca de alianças para não se machucar! Por exemplo: tentar um possível apoio junto ao menino malufinho, o Russomanno, pode atrapalhar o candidato tucano porque esse derrotado nas urnas tem contra si pesadas denuncias. Por outro lado, boa parte dos votos recebidos pelo Russomanno é de malufistas, que historicamente não vota de jeito nenhum num petista. Por outro lado, os votos que o candidato do PMDB, o Gabriel Chalita recebeu é na sua maioria de simpatizantes do PSDB, partido no qual esse candidato se destacou. Portanto, o PSDB que tem perspectiva de chegar novamente ao Palácio do Planalto, precisa vencer o pleito de São Paulo, não somente porque o Estado, também a Capital é a cereja do bolo da política brasileira! E para tal não pode se precipitar buscando apoio qualquer. Precisa na realidade mobilizar o partido, gastar o sapato em contato com o eleitor, e detalhar o seu programa de governo, e expondo também as realizações do partido como há quase duas décadas no governo do Estado, e principalmente das grandes transformações que ocorreram no governo FHC! Será que o candidato petista tem o que mostrar de um governo Lula, promotor do mensalão, ou da Dilma, que mais perdeu tempo em seu governo com os ilícitos praticados pelos seus ministros, e de um PIB na faixa do medíocre?! O que poderá suplantar o fim da hiper inflação com a instituição do Real, a Lei de Responsabilidade Fiscal que colocou um pouco de ordem nas ações do Executivo, nos estados, municípios, e governo federal, e até o Bolsa-Escola, malandramente mudado o seu nome pelo Lula, para Bolsa-família, etc.?! Ao Serra e ao PSDB, só resta se apresentar com competência ao povo da Capital, que leva o 2º turno...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

CAVALO PARAGUAIO

Felizmente, os paulistanos souberam votar e enterraram Celso Russomano nas urnas. Já foi tarde. Como previsto, Russomano é um autêntico "cavalo paraguaio", que sai na frente e termina lá atrás.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

NADA FÁCIL

Agora começa a luta da mais alta taxa de rejeição com a mais baixa. Juntando isso tudo a máquina federal com Lula, presidente Dilma, Marta e Chalita fazendo doação de seus votos, a vida de Serra não será nada fácil neste segundo turno.

José Piacsek Neto bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

*

TREVAS

O candidato José Serra vai enfrentar não um candidato, um partido, um adversário comum. São as trevas da política brasileira. Os nefastos, inimigos sem limites éticos.

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br

Osasco

*

BATALHA

Essa deve ser encarada como a mãe de todas as batalhas. José Serra e seus seguidores sabem por experiência própria que estarão se defrontando, não com um partido político comum que aceita as regras do jogo com as alternâncias de ganhar ou perder. Para os adversários de Serra, a vitória, ou melhor, a tomada da capital de São Paulo equivale a conquista do argonauta Jasão em busca do velocino de ouro. A militância petista é fundamentalista, xiita,violenta e diante da derrocada no julgamento do mensalão e uma iminente derrota no segundo turno é difícil imaginar o grau de violência que se abaterá sobre a cidade.A petulância dos petistas põe em perigo o estado de direito, a solidez das instituições, chegando ao desplante de um dos mensaleiros aventar a possibilidade de em sendo condenado, recorrer a uma Corte Internacional. José Dirceu, recentemente afirmou que se for condenado vai mobilizar a militância do partido, e quem sabe estará acompanhado de sindicatos do ABC, da UNE e do MST. Diante da gravidade dessa ameaça em que a Corte Suprema do país é mortalmente ferida na sua integridade, está na hora das Forças Armadas se prepararem para uma eventual necessidade de colocar a ordem e a segurança do povo dentro da legalidade. "O melhor meio de garantir a ordem é prevenir a desordem" (Getúlio Vargas).

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

PLANTANDO MENTIRAS

Com a aprovação dos paulistanos, Serra deixou a Prefeitura para impor vergonhosa derrota ao Mercadante na disputa ao governo de São Paulo e, com Kassab, conquistou saborosa vitória sobre Marta na disputa da Prefeitura paulistana. Se assim não fosse, o PT estaria torrando nosso dinheiro há anos. Assim, a rejeição ao candidato Serra é mais uma mentira plantada por Lula e seu postezinho que não tem a mínima chance de vingar em São Paulo e fomentada por pesquisinhas de araque. Seria importante Serra mostrar isso nos debates, nos palanques, na propaganda de TV.

Flavio Marcus Juliano opegapulhas@terra.com.br

Santos

*

BOA VISÃO

A psicóloga Mônica Serra, entrevistada na condição de mulher de um dos candidatos que disputam a Prefeitura de São Paulo (H8, 8/10), disse que, se José Serra (PSDB) vencer, seu "foco será criar laboratórios de projetos sociais". Como autor do livro Libaneses e sírios que fazem o Brasil (Editora CLC) e divulgador de assuntos relevantes da comunidade, informo que ela criou o Projeto Visão do Futuro quando presidia o Fundo Social de Solidariedade. Era uma parceria com a Associação das Consulesas de São Paulo (Aconsp), à época dirigida pela então consulesa do Líbano Sana Sayah. Consistia em proporcionar exames oftalmológicos a todos os alunos que entrassem na rede pública estadual e municipal da Capital, para o que era formado um mutirão de médicos especialistas. E, com o apoio de empresas, eram fornecidos também os óculos, gratuitamente, às crianças que precisassem. São ações como essa, que beneficiou milhares de estudantes, que a sociedade precisa ter e deve apoiar.

Carlos C. Abumrad sintoniatotal@uol.com.br

São Paulo

*

SILÊNCIO DA MAIORIA

Não tenho conhecimento de quem disse, tampouco quando foi dita esta frase: "O que mais preocupa não é o barulho da minoria, mas o silêncio da maioria". Porém, agora, paulistanos, não vamos nos preocupar com o barulho e as bravatas da minoria, mas, no silêncio das urnas derrubaremos os arruaceiros.

Isael Coleone isael.coleone@itelefonica.com.br

Indaiatuba

*

PROJETOS

Encerrado o primeiro turno das eleições, mais alguns dias e será o início na disputa efetiva do segundo turno. Creio que tudo o que a sociedade paulistana deseja é que Serra e Haddad apresentem soluções concretas para os problemas da cidade, que, diga-se de passagem, são muitos. A baixaria e a troca de farpas poderão dar lugar às propostas.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

ELEIÇÃO FEDERALIZADA

O segundo turno federalizado em São Paulo, a partir do enfoque inevitável sobre o mensalão, trará à baila outros temas correlacionados da alta importância. Por exemplo, como se dá o governo de coalizão no Brasil e no que consiste uma democracia constitucionalizada, fundada na separação de poderes soberanos e no papel do Supremo Tribunal Federal. Resta saber até que ponto esses assuntos magnos e não citadinos serão determinantes para a decisão política na "segunda volta".

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

GENTE HONESTA

O Ali Babá está menosprezando a inteligência dos paulistanos e brasileiros que vivem em São Paulo ao dizer que o povo está mais preocupado com o Palmeiras do que com o mensalão que sempre negou existir. Em parte o Ali Babá tem razão, pois temos no Supremo Tribunal Federal (STF) homens de respeito como o Dr. Barbosa, entre outros, por isso não estamos preocupados, quem está preocupado são sua quadrilha e sua secretária (dona Dilma), que obedece ao "cara" em tudo - foi para isso que ele a deixou morar em Brasília - e ele comandar de São Bernardo, a Coruja que recebeu medalhas de honra ao mérito. Agora ficou claro por que indicou o defensor dos petralhas no julgamento, pois o mesmo foi indicado a pedido da mamãe, que é vizinha do Ali Babá, e ainda tem o Toffoli, que foi advogado do chefe da quadrilha, que ira inocentá-lo. A revolta dos petistas é que no STF temos gente honesta.

Delcio da Silva delcio796@terra.com.br

Taubaté

*

REELEIÇÃO DO PREFEITO CARIOCA

Como justificar a reeleição folgada do prefeito do Rio de Janeiro, que venceu com uma votação extraordinária e fica a pergunta: Quais foram os motivos que levaram o carioca votar dessa forma ? Os cuidados com a saúde não é, porque assisto quase que diariamente pessoas reclamarem da assistência médica de sua cidade, com hospitais em ruínas, lotados de doentes morrendo jogados em macas nos corredores imundos, faltando equipamentos para vários exames desde o simples Raio X, ao tomógrafo, aparelho para ressonância magnética e outros, além da falta constante de pessoal médico em numero e qualidade suficiente para um atendimento decente. Olhando em vista aérea a cidade não se percebe com ela é suja, com várias áreas deterioradas, transito bagunçado, transportes publico ruim, segurança aparente apenas nas tais favelas pacificadas enfim, o que levou o carioca votar dessa forma? Nada além de sonhar sentindo-se como um figurante privilegiados de uma gigantesca futura escola de samba que apresentará dois enredos carnavalescos: "Copa do Mundo 2014" e "Olimpíada 2016". Por esse sonho ele está abrindo mão de muita coisa e que se arrependerá no futuro, porque os dois espetáculos custarão caro pela realidade de sua montagem somada aos desvios habituais de verbas que é uma praxe brazuca e pelos sinais emitidos com custos iniciais que deverão ter futuras correções que mais que dobrará o custo previsto, criando mar imenso de grana publica onde políticos e construtoras nadarão de braçada. Esse custo sairá do bolso de todos os brasileiros e mais ainda desse carioca que não tem e provavelmente não terá até essas datas, um hospital decente para atender de forma eficiente suas necessidades.

Laércio Zanini arsene@uol.com.br

Garça

*

FICHAS SUJAS

O Brasil é um país sui generis. É o único do mundo onde teve que se fazer uma lei para que o eleitor não votasse em ficha suja. Deveria ser uma atitude natural do eleitor, como é nos demais países, onde os cidadãos rejeitam naturalmente este tipo de candidato, mas parece que o brasileiro tem uma tendência, sente uma atração, pelo errado.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

DE QUE DEMOCRACIA?

Voto obrigatório; presença das forças armadas, afastadas de suas atribuições constitucionais, para garantir a ordem nas eleições; violência nas campanhas, com atentados a candidatos; cobrança de pedágios para a realização de campanhas eleitorais em comunidades controladas pelo tráfico; desconfiança em relação ao sistema eletrônico de apuração, certa vez marquetizado por Lula, quando presidente, como ideal, e oferecido ao resto do mundo mas estranhamente nunca dotado por nenhum país; irregularidades na aposição de material de propaganda visual de candidatos, emporcalhando as cidades; interferência de milícias e grupos similares, no voto a candidatos seus representantes; horário político obrigatório no rádio e na televisão, engessando a escolha do ouvinte e do telespectador. Com este quadro, é pertinente a questão: afinal de que democracia estamos falando quando nos referimos à "festa da democracia" embandeirada pelos meios de comunicações?

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

SERÁ QUE BRECHAS NA LEI SÃO PROPOSITAIS?

Aparentemente, ao criarem a Legislação Eleitoral do Brasil uma das principais preocupações de nossos legisladores foi a de manter algumas brechas pelas quais pudesse ser "legalmente engabelada". Um exemplo é esse "negócio" de uso de outdoors, pois ao mesmo tempo em que o instrumento é terminantemente proibido como forma de propaganda eleitoral, alguns parlamentares continuam fazendo uso ostensivo dessa "estratégia de campanha", através de artifícios como o que está registrado na foto anexa, onde o deputado federal Eduardo da Fonte, "dono" do PP pernambucano, aproveita o período de disputas municipais para espalhar "trocentos" outdoors pelo estado de Pernambuco para, sob o pretexto de "prestação de contas", divulgar sua suposta participação na decisão da presidente Dilma Rousseff, quanto ao recente anúncio da "futura" diminuição da conta de luz. E eu pensando que dona Dilma era "pau mandado" só de Lulla, sou obrigado a rever meu conceito, passando a acreditar que, em sendo verdade a afirmativa de Eduardo da Fonte, tem muita gente "mexendo nessa panela"...

Júlio Ferreira julioferreira.net@gmail.com

Recife

*

LEDO ENGANO

Na tentativa de copiar seu mestre Hugo Chávez, Lula deve ter chegado a imaginar que todos os juízes por ele escolhidos para o STF lhe renderiam gratidão e lealdade, esquecendo-se de que aqui não é a Venezuela onde boa parte dos juízes são movidos pelo medo, diferentemente de boa parte de nossos magistrados , que são guiados pelo seu senso de justiça.

Peter Cazale pcazale@uol.com.br

São Paulo

*

FILHINHO DE PAPAI

Primeiramente quero declarar toda a minha admiração pela excelente ministra do STF Carmem Lúcia, em sua descritiva no acolhimento da denúncia de corrupção ativa do réu Delúbio Soares me transportou para as alegações dos filhinhos de papai na época do feudalismo quando filhos de pais influentes na sociedade se sentiam no direito de cometer os mais variados crimes acreditando na proteção do papai. Quando detidos diziam ao delegado: "O senhor sabe com quem está falando? meu pai é fulano de tal". Sr Delúbio, o Brasil feudal acabou a várias centenas de anos, nenhum membro de qualquer partido, no governo ou fora dele, está acima da Lei, vai chegar o dia em que todos os políticos aprenderão isto, ainda faltam alguns, mas o povo pode contar com os Ministros do STF para ensiná-los.

Vagner Ricciardi vbricci@estadao.com.br

São Paulo

*

LEWANDOWSKI E DIAS TOFFOLI

Estou começando a acreditar que boa parte do STF não passa de um grupo de advogados de defesa dos réus. Ao invés de condenar pilantras e ladrões do dinheiro público, sobejamente conhecidos, como José Genoíno e José Dirceu, alguns membros do Superior Tribunal os absolve. Que país é este? Ah, esqueci, segundo o governo do PT, o Brasil é um "país de todos". Aqui, os bandidos petistas, ou ligados a eles, se dão bem, enquanto nós, o povo brasileiro, ó! Continuamos sem verbas para a segurança, educação, transportes, saúde, etc...

Fernando Faruk Hamza botafogorio@bol.com.br

Rio de Janeiro

*

INCONFIDÊNCIA

Prá Zé Dirceu, Toffoli foi uma verdadeira Marília...

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

A DOR É DO POVO BRASILEIRO

"A dor me impede de falar" (O Estado, 6/10/2012). Palavras textuais do ex-seminarista, hoje secretário-geral do governo de Dilma Rousseff e que, integrando o governo Lula, foi até membro do corpo de assessores do Dirceu. Mas, na verdade, não é dor que impede Gilberto de Carvalho de falar sobre o que se passa com seus companheiros de sempre e que estão sendo condenados à prisão pelos ministros do Supremo Tribunal Federal. Não fala porque não tem o que dizer diante da demonstração irrefutável da corrupção que durante anos, apesar de sua própria presença constante, grassou no Planalto, no seu ambiente, demonstração que está sendo levada a efeito por juízes que em sua maioria foram alçados ao cargo por Lula e por Dilma. E a constatação dessa desgraça já ultrapassou as barras do Tribunal e se disseminou pelo País inteiro. Se se pode falar em dor, a que mais dói é a dos cidadãos brasileiros que agora vêem e ouvem as barbaridades cometidas por petistas em sua grande maioria, e alguns simpatizantes, ainda que do momento. Isso dói, isso, sim, é que dói.

Pedro Luís de Campos Vergueiro pedrover@matrix.com.br

São Paulo

*

GILBERTINHO DOENTE

Gilberto de Carvalho, o Gilbertinho da mala preta do PT, diz que ficou doente só de saber que Dirceu vai passar uns dias em um merecido xilindró. Será que quando queimaram o arquivo matando o ex-prefeito de Santo André Celso Daniel ele também ficou acamado ou daquela vez ficou aliviado porque Celso não poderia mais dizer o que sabia. E quando pegarem o chefe mesmo do mensalão o Lula o que será que acontece com ele?

Márcio M. Carvalho mmcoak@hotmail.com

Bauru

*

A DOR DE GILBERTO

"A dor me impede de falar, neste momento, dessa questão" (6/10, A19) foi o comentário de Gilberto Carvalho, quando perguntado sobre o julgamento de José Dirceu. Pura hipocrisia! Dor sente a população brasileira que está sendo espoliada por políticos corruptos, durante todo esse tempo. É bom lembrar-se de que o passado não perdoa, um dia aquilo que está submerso vem à tona. Não há, portanto, com relação ao assunto, choro, dor, emoção.

Alvaro Salvi alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

*

JORNALISTAS 'CATARTÍDEOS'

Talvez tenha tido razão o ex-presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), José Genoino, um dos réus do processo criminal do mensalão, quando rotulou os jornalistas que queriam entrevistá-lo em sua seção eleitoral de "urubus". As aves da família dos catartídeos, através do seu olfato e visão extremamente apurados, têm importância vital, pois livram o ecossistema de fétidas carniças e das graves doenças que elas poderiam disseminar. Os jornalistas, através da sua pena apurada e de contundentes denúncias, também têm importância vital, pois livram a sociedade de "fétidas carniças políticas" - tais como os artífices do mensalão - e da deterioração das instituições que elas poderiam causar.

Túllio Marco Soares Carvalho tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte

*

GENOINO E A IMPRENSA

José Genoino critica a imprensa brasileira dizendo ser esta igual à "ditadura". Provavelmente para ele, imprensa boa é aquela dócil, subserviente e que só fala bem do governo. Tal como em Cuba, Coréia do Norte e na ex União Soviética.

Paulo Ribeiro de Carvalho Jr. paulorcc@uol.com.br

São Paulo

*

IMPRENSA 'URUBU'

Na hora de "urubuzar" o dinheiro público, ninguém se incomodou...

Ricardo Marin s1estudio@ig.com.br

Osasco

*

ELEIÇÃO VENEZUELANA

Seria bom demais pra ser verdade uma derrota de Hugo Chávez na Venezuela, mas pelo menos os opositores do presidente lograram seu intento de passar um vigoroso recado a parcela expressiva da população, insatisfeita com os rumos tomados pelo país. Conseguir fazer com que o ditador ganhasse por uma diferença pequena foi um feito incrível. Num ambiente tão hostil àqueles que se opõem a Chávez, onde a propaganda governista é massacrante, o resultado divulgado na segunda-feira deve ser encarado como motivo de esperança. Logo, logo, com uma alternativa como Capriles em vista no horizonte político, os beneficiados pelo "bolsa-família bolivariano" começarão a perceber que liberdade é algo que não está à venda por tempo indeterminado. Comer três vezes ao dia vem sendo bom para os venezuelanos pobres, mas acho que tolerância com privação de liberdades tem limite. Regimes autoritários sempre têm prazo de validade. Esperamos que isso se aplique na Venezuela em breve, para o bem dos nossos vizinhos e até do próprio Brasil.

Henrique Brigatte hbrigatte@yahoo.com.br

Pindamonhangaba

*

BOLIVARIANO DE ARAQUE

Na intimidade, Chávez não morre de amores nem por Simón Bolivar nem por Francisco de Paula Santander que estavam mais concentrados na República da Grã-Colômbia como um todo, independente após a Batalha de Boyaca (1819). A Venezuela, que só ficou livre dos espanhóis graças aos esforços de Francisco Miranda, após a batalha de Carabobo (1821), continuou integrando a República da Grande Colômbia até a morte de Simon Bolívar, em 1830. Quando se tornou independente. Na verdade, o que esse farsante bolivariano sente é uma doentia inveja da Colômbia que tem saída para dois oceanos o que permitiria a Venezuela abrir mão do mercado cativo norte-americano para mandar petróleo direto para a China.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

VIVA A DEMOCRACIA

O "imparcial" sociólogo Paulo Sérgio Pinheiro, sob alegação de que "toda sociedade brasileira sabe que em 1964 houve um golpe das Forças Armadas", quer impedir as escolas militares de apresentar outra interpretação a respeito do evento. Com todo respeito, uma parcela considerável da sociedade atual, e a maior parto das pessoas que vivenciaram o momento (eu estudava e trabalhava na época), sabem que estava em gestação a implantação no Brasil, de um regime esquerdista radical à moda cubana, e que houve manifestação pública resistindo e solicitando a intervenção dos militares, na tentativa de evitar o desfecho sinistro. O erro ocorreu posteriormente, diante da persistência em manter o poder, equívoco que ressurgiu atualmente, embora por outros métodos também censuráveis. Faz parte da estratégica da esquerda radical impingir a qualquer custo a sua "verdade", e desacreditar a versão contrária, obstando a liberdade de expressão do pensamento. Querem fazer a sociedade acreditar, por exemplo, que Stalin não foi responsável por assassinato em massa, que Fidel trata com cordialidade os que discordam do seu governo, que Lula nada sabia, que o mensalão não existiu, e que o Supremo Tribunal Federal está decidindo sob coação da elite e da imprensa golpista...

Ulisses Nutti Moreira ulissesnutti@uol.com.br

Jundiaí

*

INVERSÃO DA VERDADE

Paulo Sergio Pinheiro, sociólogo da Comissão das "inverdades", disse que vai recomendar ás Forças Armadas, alteração no currículo do ensino das Escolas Militares (A6, 8/10/12) para inocular nos jovens que os guerrilheiros revolucionários treinados em Cuba, na Albânia e na URSSS, sob inspiração do MCI (movimento comunista internacional) com apoio do PCUs, encetaram luta armada para implantar uma democracia no País. É muita "cara de pau" desse sociólogo! A verdade já está na história, nos documentos e nos tribunais. Os remanescentes guerrilheiros e intelectuais do movimento guerrilheiro hoje, no poder, continuam atuando para inverter a favor dos vencidos, a verdade histórica.

José Ávila da Rocha peseguranca@yahoo.com.br

São Paulo

*

INGERÊNCIA

A comissão da "verdade" (sic, sic, sic) quer orientar a formação dos militares no Brasil. Será que, no caso de um conflito, eles irão atuar na frente do combate?

Ulysses Fernandes Nunes Junior twitter: @Ulyssesfn

São Paulo

*

COMISSÃO DA VERDADE II

Face à condenação pelo STF de pessoas tão ligadas a Lula (e à presidente Dilma) que, parece a muitos, só poderiam ter operado o Mensalão estimulados pelo ex-presidente e se não há mais meio de ele ser processado, e condenado ou absolvido pela Justiça, é preciso criar uma segunda Comissão da Verdade, "só para conhecer a verdade histórica" e o Brasil ficar sabendo se Lula foi ou não foi o mandante. Os brasileiros, principalmente os que votaram e ainda votariam nele, gostariam de ver a Verdade completamente esclarecida. A presidente Dilma deve ser a primeira interessada em apurar os fatos. De soslaio, a Comissão poderia também apurar se ela foi mesmo terrorista, torturadora (crime inafiançável) e sequestradora, do que se lê nos jornais que alguns a acusam. Muitos ficariam satisfeitos com a demonstração inequívoca de que Lula e Dilma seriam inocentes. E os historiadores também. Mas essa Comissão da Verdade II deveria apurar tudo com ampla divulgação de seus atos.

Celso da Costa Carvalho Vidigal celsovidigal@uol.com.br

São Paulo

*

BANDIDO BOM

O Coronel Telhada, foi eleito com o chavão "bandido bom é bandido morto". Qual é o absurdo nisso? Primeiro: Tem bandido bom? Segundo: Em estando morto fará mal a alguém? Terceiro: Isso não significa que ele deva sair por aí matando bandidos, não há munição para tanto.

João Menon joaomenon42@gmail.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.