Fórum dos Leitores

ELEIÇÕES MUNICIPAIS

O Estado de S.Paulo

12 Outubro 2012 | 03h10

Reunião de Lula e Dilma

A presidente e vários ministros, em vez de estarem em Brasília trabalhando, reuniram-se em São Paulo com Lula para tratar da eleição para a Prefeitura. Vontade de fazer política eles têm, mas não têm competência nem vontade de trabalhar para todo o País, pois foram eleitos e/ou nomeados para essa função, e não para tratar da eleição municipal de São Paulo, cujo povo é reconhecidamente trabalhador e saberá demonstrar nas urnas que detesta gente preguiçosa e que gosta de ficar no bem-bom, que é o que a eleição, infelizmente, propicia.

DARCI TRABACHIN DE BARROS

darci_trabachin@gmail.com

Limeira

Viagem paga por nós

Alguns fatos para nossa reflexão: ontem, em Congonhas, dois aviões presidenciais estavam estacionados no pátio. A Presidência da República não informou a agenda de Dilma em São Paulo - alguns jornais publicaram que ela teria almoçado com o ex-presidente Lula e outros petistas. O custo da hora de voo do E-190 é de US$ 8,5 mil. Ou seja, dois aviões cumprindo o trecho Brasília-São Paulo-Brasília - mais de uma hora de voo cada etapa - custariam, por baixo, US$ 34 mil, ou quase R$ 70 mil. Foi isso que nós pagamos para Dilma fazer sabe-se lá o que com seu inventor - provavelmente, discutir estratégia para tentar eleger o incompetente ou uma tentativa de fazer o povão esquecer o mensalão. Pergunto: pode a presidente usar avião presidencial para receber ordens do ex-presidente? Pode usar avião para discutir política com membros do seu partido? Quem, além do Chapolim Colorado, nos poderá salvar?

JOSÉ ALFREDO T. ANDRADE

tolosajaa@uol.com.br

Santos

Segundo turno

Manchete do Estadão de ontem: Condenado, Dirceu diz que 'prioridade é ganhar 2.º turno'. Aí é que mora o perigo, ou seja, pode haver uma reedição do mensalão, municipalizado em São Paulo!

LUIZ MASCARENHAS

lmmascarenhas61@gmail.com

São Paulo

Mensalão II

Haddad na frente em pesquisa, vereadores eleitos da base já sonham com mensalão paulistano.

CARLOS NORBERTO VETORAZZI

cnorbertovetorazzi@yahoo.com.br

São José do Rio Preto

Contradição

O PT deveria estar se empenhando na defesa do PSDB no caso do "mensalão de Minas". Se o mensalão do PT não existiu, por que investigar o "mensalão de Minas, onde tudo começou"? Tudo o quê, se não foi nada?

RENATA OLIVA

renataoliva54@uol.com.br

São Paulo

O DNA do ilícito

Haddad pode ter razão quando fala do DNA do ilícito que pode ter-se desenvolvido em Minas. O problema é quando o DNA não é apenas dos indivíduos, mas de um partido, como o PT. Não é mesmo, mensaleiros e aloprados?

VALDIR CHRISTIANO DOS SANTOS

valdir.christiano@hotmail.com

São Paulo

ECONOMIA

Renda básica

Muito interessante o artigo do premiado jornalista inglês Anatole Kaletsky Bancos Centrais fazem mudança histórica (Estado, 6/10), em que ele prevê uma mudança de grande relevância na forma de os bancos centrais colocarem dinheiro na economia. Em vez de a nova moeda ser injetada por meio da compra de letras no mercado financeiro, a mesma quantia, por exemplo, US$ 40 bilhões mensais, seria paga pelo Federal Reserve Bank a cada pessoa nos EUA, US$ 130 por mês, como forma de se atingir o pleno emprego. Conforme ele argumenta em artigo anterior, de 1.º/8, na Reuters, distribuir dinheiro diretamente ao público em geral foi uma das respostas para tratar das graves recessões e das armadilhas de liquidez que uniram Milton Friedman e John Maynard Keynes. A principal diferença é que Friedman propôs jogar o dinheiro de helicópteros, enquanto Keynes propôs que se enterrassem notas de libras esterlinas em baús que seriam desenterrados por trabalhadores desempregados. Sugiro ao Estado que envie um de seus melhores correspondentes da área econômica para fazer uma reportagem no lugar do mundo onde desde 1982, todos os anos, todos os seus habitantes têm recebido um dividendo igual, pago a todos os seus residentes há um ano ou mais, que eram cerca de 300 mil em 1976, quando ali se fez um plebiscito a respeito, e hoje são cerca de 700 mil. É o Estado do Alasca, nos EUA. Graças ao dividendo anual, de igual valor, pago a todos os seus habitantes, o Alasca tornou-se o mais igualitário dos 50 Estados norte-americanos. Enquanto o coeficiente de Gini de desigualdade dos EUA, em 2011, foi de 0,533, o do Alasca foi de apenas 0,40. Hoje se considera suicídio político nesse Estado para qualquer liderança propor o fim do sistema de dividendos proporcionado pelo Fundo Permanente do Alasca. Felizmente, o Congresso Nacional do Brasil aprovou, por consenso de todos os partidos, e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou a Lei 10.835/2008, que institui, por etapas, a Renda Básica de Cidadania, a critério do Poder Executivo, começando pelos mais necessitados, como o faz o Programa Bolsa-Família, até que um dia se torne universal e igual para todos. Da mesma maneira que o Bolsa-Família se iniciou localmente, até se tornar nacional, é possível que a Renda Básica de Cidadania se inicie localmente, como já foi aprovado em Santo Antônio do Pinhal e está previsto no capítulo Solidariedade Social (pág. 75) do programa do candidato Fernando Haddad, do PT, à Prefeitura de São Paulo.

EDUARDO MATARAZZO SUPLICY, senador

esuplicy@senado.gov.br

São Paulo

BRASIL COMPETITIVO

Impostos

Parabéns pela realização de mais um fórum, desta vez abordando os impostos. Temos de elogiar o atual coordenador do Confaz, dr. Claudio Trinchão, pelo conhecimento profundo do tema e pela afirmação "... é preciso criar uma política de desenvolvimento regional no Brasil, como um todo, de forma que os Estados mais distantes tenham diferenciais para manter os atuais investimentos e atrair novos. Todas as entidades da Federação devem ter a mesma capacidade de oferecer qualidade de vida e oportunidades para suas respectivas populações". Vale ressaltar que na prática o que prevaleceu até aqui foi a atração de investimentos pela concessão de incentivos fiscais de ICMS, cada Estado criando suas regras. Com regulamentação federal, via projeto de lei complementar, com limites e regras claras, disciplinaríamos o que está dando certo, gerando milhares de empregos. O grande entrave até agora é a LC 24/75, por exigir unanimidade nas decisões do Confaz. Aprovando-se critério democrático, como 3/5 dos votos, e também regulamentação, termina a insegurança jurídica criada e novos investimentos serão feitos.

ANTONIO CARLOS MORO

ac.moro@adialbrasil.com.br

São Paulo

 

DIA DA CRIANÇA

O comércio aguarda o opulento lucro que antecede o Natal. Por outro lado, o cenário infantil, atualmente, não é dos mais otimistas. Segundo especialistas em medicina legal, mais de 400 mil crianças com menos de 4 anos, no Brasil, são agredidos por ano. Para a Organização Mundial de Saúde (OMS), 20% dos adolescentes e crianças, até mesmo bebês, sofrem de depressão em nosso país. Encontramos praticamente 2 mil crianças e adolescentes trabalhando ou vivendo ao deus-dará nas ruas de São Paulo, como atesta a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). Um país como o Brasil, com grande diversidade cultural e, principalmente econômica, não permite aos seus filhos as mesmas oportunidades de ensino. A escola, como a mais importante instituição que garante cidadania a todos, é arrombada por uma violência descabida que vitima alunos e professores de forma cruel e covarde. Para onde olhamos há sempre o espectro da maldade. A marca da violência doméstica, o medo no ambiente escolar, um universo sombrio, sem graça e sem coração. Como disse com muita propriedade Antonine de Sainte-Exupéry, autor do Pequeno Príncipe, “as crianças têm que ter muita paciência com os adultos”. Só o investimento numa educação qualificada com profissionais valorizados fará com que o Brasil garanta à suas crianças a autoestima e a segurança em viver num país sério e igualitário. Só assim poderemos ter uma infância e juventude sadia, com cidadãos voltados para o bem da sociedade onde vive.

O País precisa garantir uma melhor qualidade em educação. As crianças brasileiras merecem este presente.

José Maria Cancelliero assessoriajp@cpp.org.br

São Paulo

*

NÃO AO TRABALHO INFANTIL

Mesmo com todas as constatações a partir dos relatos das crianças que trabalham, é um assunto muito complexo ainda, pois é comum ouvirmos frases como “é melhor estar trabalhando que estar na rua”, “precisa trabalhar para ajudar na despesa da casa”, enfim, como podemos averiguar o ônus dessa ajuda nessa fase da vida é grande, pois priva esse adolescente ou criança de brincar, ler, passear, estudar e viver experiências próprias da idade. Tudo tem a sua hora na vida, e trabalhar será inevitável, como todos nós sabemos. A meu ver, essa seria uma das formas de diminuir a desigualdade social em nosso país. Afinal, não há como sonhar com uma nação próspera e desenvolvida se os direitos humanos da criança não forem respeitados. Faça a sua parte. Não compre de empresas que utilizam mão de obra infantil, denuncie a presença de exploração do trabalho infantil, questione, agora temos um canal de comunicação para “botar o boca no mundo”. Não precisamos mais ver essas crianças no farol e simplesmente acharmos normal, por acharmos ser apenas um grão de areia nesse oceano. Unidos conseguiremos mudar essa situação. Se queremos mudanças efetivas no comportamento e postura de nosso povo, temos que unir nossas forças e mudar nosso comportamento.

Antônio Dias Neme antonio.neme@superig.com.br

São Paulo

*

PRIMEIRO PASSO

Nossa democracia, que ainda é uma criança, deu um grande passo rumo ao mundo dos todos iguais perante a lei. Saudemos!

Mário Aldo Barnabé mariobarnabe@hotmail.com

Indaiatuba

*

HIPOCRISIA

O senhor Lula definiu como “hipocrisia” a condenação dos petistas no mensalão. Também dito por ele, há 15 dias o mensalão não existia e o povo brasileiro não estava interessado neste julgamento. Há sete dias o mensalão era um julgamento político e o povo estava mais interessado em saber se o Palmeiras iria cair para a 2.ª divisão do que no processo que corre no Supremo Tribunal Federal (STF). Agora, o resultado condenando o núcleo político (José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares) do mensalão é hipocrisia? Senhor Lula, hipocrisia é o desvio de dinheiro público “arrancado” do Banco do Brasil para pagamento a outros partidos para formação da base do seu governo, ao invés de usá-lo para a construção de creches, hospitais, estradas, etc. Hipocrisia é o dinheiro público usado em obras como a transposição do Rio São Francisco, que está com vários trechos paralisados, estragando o que já foi construído. Hipocrisia é o dinheiro público gasto com propaganda de vários ministérios toda vez que aparece um escândalo ou “malfeito”, como gosta de dizer sua sucessora. Hipocrisia foi a campanha eleitoral de 2010 para a Presidência da República, em que o senhor e a “Mãe do PAC” afirmaram que seriam construídas 6.024 creches – e hoje, após 22 meses, quase a metade do mandato, só temos conhecimento de 40 creches construídas –, bem como a promessa do avião sem tripulação, que iria fiscalizar nossas fronteiras contra o tráfico de drogas e de armas, mas até hoje ainda não decolou uma vez sequer. Ou, então, a construção de navios em nossos estaleiros, que só construiu um navio que ainda não está sendo usado por causa da demora em seu acabamento. Hipocrisia, Senhor Lula, é o que o governo dos PeTralhas está gastando na eleição para prefeito de São Paulo, usando de ódio e mentiras para eleger um ex-ministro incompetente.

Antonio Carelli Filho palestrino1949@hotmail.com

Taubaté

*

O JULGAMENTO DO MENSALÃO

O “gerentão”, o presidente e tesoureiro do “partidão” esconderam a tramoia de “grande subsídio mensal” do “chefão”. Este insiste que o esquema nunca existiu e achou o veredito desta semana “hipocrisia”. Ou seja, a base aliada, inclusive os famosos “300 picaretas”, votou daquele jeito doce por acaso. Papai Noel existe, ou foi o mordomo. Certo?

Omar El Seoud elseoud@iq.usp.br

São Paulo

*

A MÁGOA DO TRIUNVIRADO

Indigna e indecorosa a atitude de José Dirceu e José Genoino, tentando aniquilar a decisão quase unânime da Suprema Corte, especialmente no caso em tela, em que apenas três ministros não foram indicados por Lula e Dilma. A hipocrisia, Sr. Lula, não está no resultado do julgamento, e, sim, na tentativa de deslustrar os magistrados por parte de quem se considera “obra divina”; que trata o povo brasileiro como se fosse constituído, em sua maioria, por imbecis, ou então, pela clientela desvalida do bolsa-família. Tanto assim, que afirmou que a maior preocupação dessa gentalha (com certeza é a dele) é saber se o Palmeiras vai cair ou não, para a segundona do campeonato brasileiro de futebol... A infâmia desenfreada daquele que revela a sua verdadeira identidade e o seu real desígnio, juntando-se a Maluf, Sarney e Collor, certamente acabará por desmistificar o pseudo herói. Almejava que os ministros Ayres Britto, Joaquim Barbosa, Carmem Lúcia, Peluso, Luiz Fux e Rosa Weber se comportassem como Toffoli, o fiel assessor? “Deu com os burros n’água”; arrependeu-se por não ter conduzido para o pretório os ilustres Thomaz Bastos, “Kakay”, Greenhalgh; e por que não Zé Dirceu, ao que consta, graduado em Direito? Os histriões que hoje querem assumir o papel de mártir e de herói, pregando pateticamente na mídia a sua verdade distorcida, à maneira de Goebbels, nada mais são do que delinquentes condenados, afagados por um presunçoso arrogante.

Ulisses Nutti Moreira ulissesnutti@uol.com.br

Jundiaí

*

ARROGÂNCIA

A arrogância dos Srs. José Dirceu e Lulla, afirmando que o que importa agora é lutar contra a hipocrisia elegendo o pimpolho Haddad para a Prefeitura de São Paulo é de doer. Espero que nós, paulistas e paulistanos, tenhamos força e vergonha para reagirmos a esta bravata petista e coloquemos nosso voto em mãos limpas e que sempre lutaram pela verdade, pela democracia e pelo bem de São Paulo. Não nos esqueçamos do nosso lema “non ducor, duco”.

Eunice Maria Bastos eunicemariabastos@gmail.com

Mogi das Cruzes

*

O QUE SIGNIFICA HIPOCRISIA?

Aquele que acusa o julgamento do “mensalulão” sabe como escrever a palavra “hipocrisia”?!

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

‘FOI HIPOCRISIA’

Esta foi a reação do ex-presidente Lula indignado e furibundo com a votação do STF sobre o mensalão. Foi uma “e agora é ir para cima do PSDB para o segundo turno”, principalmente em São Paulo apoiando-se principalmente no mensalão do PSDB em Minas Gerais e no fato de Serra ser, politicamente falando, uma continuação da administração Kassab. Reclama também de que a votação foi programada para coincidir com as eleições. Esquece ou se faz de esquecido, que dos dez ministros atuais oito foram indicados pelo governo petista, seis dos quais pelo seu governo. Desses dois foram indicados por suas relações estreitas com seu partido, no caso os ministros Lewandowski e Toffoli, os únicos que deram seus votos a favor de José Dirceu. Já a leitora Valdenice Santana Santos, em carta publica ontem no Fórum dos Leitores, afirma que o tucanato está com medo da candidatura do competente Haddad, que disputará o segundo turno com Serra e que o ministro Joaquim Barbosa sempre declarou votar nos candidatos petistas para a presidência da República. Ao contrário, os membros do PSDB vão atacar através do resultado do mensalão e da incompetência de Haddad como ministro da Educação, principalmente nas provas do Enem. Mas tudo isso não interessa em princípio para o paulistano que sofre diariamente na condução dos transportes públicos no trânsito caótico e inadmissível, devido a uma urbanização “burra” que até agora priorizou o transporte de veículos como caminhões a automóveis e a construção de edifícios em incompatíveis com os equipamentos públicos aos seus arredores. A ocupação do solo urbano foi tão absurda que, hoje, por falta de vegetação arbórea a cidade de São Paulo está muito abaixo do mínimo aceito pela ONU para as boas condições de vida da população. Assim, 4 mil paulistanos morrem anualmente por causa da poluição nossa de cada dia. São essas as soluções que queremos saber de nossos candidatos à Prefeitura. Os erros cometidos no passado pelas administrações anteriores, sob a liderança de vários partidos, têm a sua importância, claro, o mensalão também, mas o que nos interessa agora é que nos mostrem, e com um planejamento crível, o que poderemos esperar de cada um como nosso futuro prefeito.

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br

São Paulo

*

MENSALEIROS CONDENADOS

Em algumas situações, fica difícil diferençar quando o fanatismo se encontra com a hipocrisia. A declaração do Sr. Renato Khair, promotor público, vem até envergonhar seus pares, ao defender o revolucionário José Genoíno, que se mostrou covarde no Araguaia, além de incompetente, ao afirmar que nunca tinha exercido qualquer profissão e nada sabia fazer, quando não se conseguiu reeleger. Portanto, um parasita contumaz, mas classificá-lo como “homem de bem, honesto, lutador, idealista e corajoso” é exacerbar e debochar da inteligência e do bom senso dos menos ignorantes, esclarecidos e justos. Tipo da declaração que só se coaduna para candidato em palanque eleitoral, para engrupir o povo – como acontece em cada campanha, como agora.

João Roberto Gullino jrgullino@oi.com.br

Petrópolis

*

HIPÓCRITAS

Hipocrisia é condenar os 40 ladrões e não condenar o Ali Babá (Lula). E os políticos do PT e do PSDB melarem a CPI do Cachoeira. Ah, e o senador Eduardo Suplicy chorar no Senado.

José Motter motter.ja@gmail.com

São Paulo

*

O CHORO DE SUPLICY

Li, enojado, a matéria sobre o choro do notório senador Eduardo Suplicy, ao emocionar-se com o condenado corruptor José Genoíno. Este senador deveria estar chorando pelas dezenas ou centenas de milhões de reais que esta quadrilha do mensalão surrupiou do bolso dos estúpidos contribuintes como eu.

João Carlos Colucci joaoc.colucci@gmail.com

São Paulo

*

CORRUPÇÃO É HOMICÍDIO

Ao contrário do senador Eduardo Suplicy (PT) – que protagonizou uma das cenas mais patéticas e vexatórias da história do Senado Federal – eu não derramei uma lágrima sequer, ao ler a carta que Miruna Genoino, filha de José Genoino, escreveu em defesa do pai, condenado por corrupção ativa pelo Supremo Tribunal Federal (STF), com uso de dinheiro público, no processo do mensalão. O que me faz verter lágrimas é pensar nos milhares de brasileiros – principalmente os jovens – que morrem todos os anos em decorrência do desvio de dinheiro público, que acarreta, entre outras situações nefastas, falta de merenda escolar – o único alimento diário de crianças carentes e desnutridas –, buracos em estradas mortíferas, ausência de saneamento básico e caos nos hospitais públicos. O crime de corrupção – de forma enviesada – é também um crime de homicídio.

Túllio Marco Soares Carvalho

Belo Horizonte

*

CARTA ABERTA

Prezada Miruna Genoíno, entendendo perfeitamente seus argumentos acerca da trajetória e da história vivida pelo seu pai, José Genoíno durante o período de exceção vivido em nosso país a partir de 1964. Realmente o Sr. José Genoíno tinha vivido uma história plena de sonhos pessoais e, porque não dizer, de realizações daqueles sonhos que se tornaram realidade, ao poder exercer sua livre cidadania em plena democracia, democracia esta que não existe sem a liberdade de expressão – na época da luta contra a ditadura a grande imprensa era elogiada e procurada para poder explanar tudo o que os arautos daquela democracia precisavam explanar para o povo; alguns dos veículos inclusive sofreram injustas mutilações (censura) em suas veiculações diárias. Nesta época a imprensa era importante. Quando você explana que seu pai, José Genoíno, teve coragem de se expor e sofrer tortura, não só ele como seus companheiros de luta, para que nosso povo tivesse melhores condições de vida e de liberdade, me recordo de toda a admiração que sentia por esta figura impar que me fez, durante muito tempo, pensar que em nosso país ainda haviam pessoas que serviriam de exemplo para qualquer um de nós brasileiros. Sempre admirei a história vivida e escrita por este brasileiro, nordestino, de nome José Genoíno; que exemplo para todos nós e, por que não dizer, que exemplo para os seus descendentes! Só não consegui entender o porquê de se juntar a outros, que também seriam motivo de orgulho para todos nós, para causar um mal tão maior do que o da ditadura porque feitos em surdina e com o poder que nós havíamos outorgado em sufrágio de votos, exercendo nossa cidadania e o direito de escolher nossos governantes. Fomos traídos por aqueles em que acreditávamos serem eles nossos heróis da luta contra a ditadura e a favor das liberdades individuais. O que o PT e seus filiados fizeram a este país é tão ou mais danoso do que fez a ditadura contra a qual lutaram com tanto denodo e valor; porque manchar aquela história tão bonita por um projeto de ficar eternamente no poder subornando outrem? O que foi pregado todo tempo, por todos aqueles, não era a possibilidade do exercício pleno da liberdade? É uma pena que minha admiração por aquele brasileiro tão devotado à democracia agora se transforme em sentimento de perda, de orfandade; já não tenho mais em quem me espelhar, acabaram com meu sonho de que um partido havia sido criado por pessoas sérias e exemplares. Uma pena que seu pai tenha se deixado levar pela ganância do poder, afinal era ele o presidente do partido, e tenha manchado uma biografia de luta pela democracia das mais bonitas que até então tínhamos vivido; meu sonho e a minha admiração já haviam acabado. O resultado da condenação nada mais é do que o direito exemplar do exercício da plena democracia; quem descumpre a lei deve ser condenado. De uma pessoa que sempre admirou a postura do Sr. José Genoíno até o momento em que ele resolveu que seus interesses pessoais, partidários e outros estavam acima dos interesses de uma nação. Sinto muito.

Carlos Eugenio C. Borba ceborba@hotmail.com

Salvador

*

INOCENTE ÚTIL

Companheiro Suplicy, inocente útil, pode ser tão ou mais perigoso que um militante. Ou seu lamento são lágrimas de crocodilo?

Ulysses Fernandes Nunes Junior twitter: @Ulyssesfn

São Paulo

*

CHORAR É FÁCIL

O senador Suplicy, além de chorar pelo Genoíno, e pela “condenação muito dolorosa para nós, do PT” (palavras dele), deveria também chorar por todos nós, brasileiros. Pois o dinheiro é nosso, os condenados ou foram eleitos pelos brasileiros ou recebiam salários dos impostos pagos pelos brasileiros. Por fim, Suplicy, Lula e Dilma deveriam pedir desculpas a todos os brasileiros, por tudo o que Dirceu, Genoíno e Delúbio fizeram contra a democracia e o País. Chorar é fácil, difícil é pedir perdão.

Darci Trabachin de Barros darci_trabachin@gmail.com

Limeira

*

VERGONHA

Genoíno diz: “Não me envergonho de nada”. E desde quando esses petralhas tiveram vergonha? O gostoso, além das condenações, é vê-los esperneando.

Antonio Molina antonio_molina@vivointernetdiscada.com.br

Santa Fé do Sul

*

DESTINO

O Partido dos Trabalhadores vai expulsar os criminosos de seus quadros ou se tornará um sindicato de ladrões? A CUT aceita o PT como seu filiado?

Moacyr Castro jequitis@uol.com.br

Ribeirão Preto

*

CONDUTA ILIBADA

Com as recentes condenações no STF, o trio de ferro, Genoino, Zé Dirceu e Delúbio Soares, salvo os votos de cabresto de dois ministros, fica uma pergunta que não quer calar: Os condenados vão ser expulsos do partido? Já que o PT tinha como bandeira a conduta ilibada de seus membros...

Arnaldo Luiz de Oliveira Filho arluolf@hotmail.com

Itapeva

*

LOMBALGIA

A quantas anda a dor misteriosa que acometeu o ministro-secretário Gilberto Carvalho, depois da surra imposta pelo Supremo Tribunal Federal, a José Dirceu, José Genuíno e Delúbio Soares, “seleto” grupo do qual este senhor fez parte e que levou lula ao poder? Com certeza se transformou em lombalgia e deve estar com o corpo todo dolorido. Parabéns aos oito ministros da Suprema Corte que, com lisura, tranquilidade e maestria, honraram a toga e o juramento de se fazer justiça, quando de suas posses, ao proferirem o voto condenatório, independentemente de apadrinhamentos ou ligações profissionais. Magistrados, que realmente merecem serem tratados de Excelências. Este é o primeiro passo para que políticos desonestos, inescrupulosos, reflitam duas vezes antes cometerem atos ilícitos, pois, a impunidade reinante nos dias atuais, está com os dias contados.

Sérgio Dafré Sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

*

CORRUPÇÃO, UM DESVIO DE ROTA

Tomara fique claro para os petistas revoltados com o resultado do julgamento do mensalão que o fato da primeira pesquisa Datafolha colocar Fernando Haddad à frente de Serra no segundo turno, não significa que o povo paulistano menospreze valores éticos e morais. Significa sim que a grande maioria dos eleitores da periferia, agora denominada “classe média emergente” não conseguiu ligar o mensalão do PT de Dirceu, de Genoíno, ao PT de Lula ou Dilma, padrinhos de Haddad, já que ambos não fazem parte do processo. Essa parcela da população de trabalhadores que dorme cedo e madruga para chegar a seu trabalho na hora certa, pouco informada está do que este partido, o PT, foi capaz de fazer para levar a cabo seu projeto de poder. Saberia que foi deles o dinheiro surrupiado para compra de apoio no congresso através de mesadas pagas a parlamentares e foi deles subtraída a possibilidade de uma qualidade de vida melhor quando milhões são desviados para o bolso dos corruptos ao invés de seguirem a rota para o bem público.

Eliana França Leme efleme@terra.com.br

São Paulo

*

PROFECIAS

É uma tática constante no petismo plantar frases proféticas em mentes incautas. Agora vem o ministro Gilberto Carvalho dizer que quem usar o mensalão nas campanhas do segundo turno “não vai se dar bem”... Vindo de quem vem esse “conselho”, sugiro que a oposição use e abuse do mensalão, pois pelo jeito o PT sentiu o efeito no primeiro turno...

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

‘OUTRAS BATALHAS’

É de estranhar que o agora condenado José Dirceu tenha saído das sombras do governo, de onde continuou comandando desde 2005, para declarar que “temos a vida toda para resolver outras batalhas”, sem deixar de enfatizar que para isto é importantíssimo que o PT ganhe as eleições em São Paulo. Como pode um condenado por corrupção ativa ter a coragem de se dizer inocente e pedir votos para o PT em São Paulo? O ministro Ayres Britto disse que o mensalão foi tentativa de “golpe” e esta declaração de Dirceu mostra que apesar de condenado o projeto de poder para a Ditadura Comunista pelo qual o PT se elegeu, vai continuar. Esta sempre foi a meta desta gente e foi por isso que pegaram em armas na Ditadura Militar. Por isso paulistanos, não deixem que a quadrilha tome conta da maior cidade do país! Para que a condenação do mensalão seja realmente válida, São Paulo não pode cair nas mãos desta quadrilha novamente! Não se dá alvará a partido bandido.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

PIADA DE SALÃO

No final de 2005, logo após o caso do mensalão estourar, em entrevista ao Estado, Delúbio Soares avaliou a crise no PT e previu que o julgamento do mensalão não iria para frente. “Nós seremos vitoriosos, não só na Justiça, mas no processo político. É só ter calma. Em três ou quatro anos, tudo será esclarecido e esquecido, e acabará virando piada de salão”. E agora qual a resposta de Delúbio para a condenação sua e de seus amigos Dirceu e Genoíno? O julgamento do mensalão pelo STF virou piada de salão?

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

JOSÉS

E agora, Josés? A festa acabou, a luz apagou, o povo sumiu, a noite esfriou, e agora, Josés?

Gattaz Ganem gattaz@globo.com

Carapicuíba

*

CRIMINOSOS, AFINAL

A sensação de que poderíamos estar enganados, terminou, A sensação de que Lula poderia estar falando a verdade, acabou. Ninguém mais acredita que eram inocentes. Próxima etapa, cadeia. Impressionante que o processo de “é dando que se recebe” iniciado no governo Sarney terminou em crime de baixo nível, ou seja, tiraram dinheiro do estado para comprar, em espécie, votos de parlamentares igualmente sujos. Com sujeira ou menos sujo como no governo Sarney, os ministros do STF tipificaram claramente o “crime contra a democracia”, que deve ser cuidadosamente considerado pelos congressistas. Vender voto é crime, afinal. Como ficarão as transações das emendas dos parlamentares que envolvem dinheiro para ajudar em campanhas políticas de partidos, de candidatos diretamente e de seus parentes? Esse assunto como outros tipos de apoio são hoje descaradamente discutidos em nosso parlamento o que, aliás, denigre profundamente a instituição perante a população atenta. Seria isso talvez o início do processo de moralização de nossa casa legislativa? Atingiria essa definição do STF outras casas como as câmaras de deputados estaduais e de vereadores? Seria bom se fosse verdade e Dirceu, Delúbio, Genoino e outros 30 réus não teriam sido sacrificado em vão, pela moralização de nossos parlamentos.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

MENSALÃO E ELEIÇÃO

Genoíno disse, em nota oficial, ao deixar o governo, que “não se arrepende de nada”. Essa é a ética do PT! Cúpula do PT reunida na sede do partido em São Paulo, ovaciona, isso mesmo, ovaciona Dirceu e Delúbio, após ambos serem condenados pelo STF por 8 votos x 2 votos. Um resultado respeitável, que deveria fazê-los enrubecer. Mas essa é a ética do PT! Como petistas não sabem o que significa ficar vermelho de vergonha, nem dão o braço a torcer, o partido divulga nota de desagravo aos petralhas condenados pelo STF, dizendo (pasmem!) que seus célebres filiados “são vítimas da oposição, de setores da mídia e de forças conservadoras da sociedade”! Acorda, PSDB! Se tivéssemos tido uma oposição atuante, não precisaríamos ter esperado sete anos por esse julgamento, Lula não teria sido reeleito nem Dilma estaria no Planalto. Esperamos que PSDB e aliados despertem de sua letargia, aparem arestas e mostrem que resolveram e sabem ser e fazer oposição e que não temem as ameaças de Lula de “bater no mensalão do PSDB” para vencer o segundo turno em São Paulo e em outras capitais. Lula e “cumpanheros” já mostraram que sabem bater e, cá entre nós, batem bem. Nocautearam Serra duas vezes. Sabem se oposição e mostram-se excelentes atores ao se fingirem de “vítimas dessa burguesia de direita”. Que Serra consiga aprender com essas surras, que tenha humildade para reconhecer seus erros, que deixe de ser arrogante e inflexível com seus pares, que desça do seu pedestal, que consiga unir tucanos desafetos, que lute, com garra e sem “nhenhenhém”, para não deixar nossa São Paulo outra vez ser governada por petralhas. Munição ele tem: aliança do adversário com Paulo Maluf (condenado a devolver R$ 20 milhões aos cofres públicos!), fracasso do Enem, julgamento do STF. Coragem, tucanos! Haddad está 10 pontos à frente, mas a guerra pela Prefeitura de São Paulo ainda não está perdida!

Maria Alice J. Maluf majmaluf@uol.com.br

São Paulo

*

DESAGRAVO

Pelo teor do propósito (desagravo a larápios) e pelas declarações das “vítimas da zelite”, o local mais adequado para a reunião do Diretório Nacional da PaTifaria seria um chiqueiro.

Ricardo Hanna ricardohanna@bol.com.br

São Paulo

*

HORA CRÍTICA PARA NOSSA DEMOCRACIA

As manifestações de setores da esquerda (PT, CUT, sindicatos) que apoiam os corruptores condenados pelo STF é de dar embrulhos no estômago e de fazer com que todos pensem muito bem no que significa sermos conduzidos por eles. Em primeiro lugar não se cansam de desrespeitar as instituições democráticas que garantem a democracia. As várias afirmações comprovam que o que estes setores querem é o controle do Judiciário e da imprensa. Afirmam que as condenações feitas pelos juízes do Supremo são “injustiças e fruto de complôs e intolerâncias de setores da direita”. Mas é o PT que tem aliados com a família Sarney, Renan Calheiros, Collor, e até Paulo Maluf, que foi condenado a devolver R$ 21 milhões aos cofres públicos e que sempre se afirma inocente como os mensaleiros não se cansam de dizer. Há uma campanha contra o STF às vésperas da aposentadoria do ministro Ayres Brito quando a presidente deverá nomear um novo ministro. Os absurdos ditos por eles se multiplicam, ao ponto do candidato Haddad ter confessado que conquistar a prefeitura em São Paulo faz parte do plano de poder do PT. O que se vê nesta uma grande campanha contra o STF é que o PT não aceita a democracia e não aceita que seus pares sejam submetidos aos rigores da Lei como qualquer cidadão comum. Já vimos que já há lá ministros que os seguem (e não é porque votaram contra a condenação mas sim porque seus fundamentos não eram verossímeis). Lendo trechos da resolução da Executiva Nacional do PT se vê que eles consideram bom a eleição na Venezuela afirmando a força da esquerda bolivariana e caribenha! O PT dá boas vindas ao que há de mais antidemocrático: Chávez e Fidel. É isso que queremos para o nosso país?

Maria Tereza Murray terezamurray@hotmail.com

São Paulo

*

CORRUPÇÃO ATIVA

Os comentários de Jose Genoino após sua condenação não são as de um homem probo nem as de um homem público. Olhando para a história, parecem muito com os argumentos de oficiais nazistas quando confrontados com seus crimes em Nuremberg. Muitos deles não fariam mal a uma formiga, porém seriam capazes de permitir a morte de populações inteiras por sua ideologia. O que este Sr. não dirá, então, quando vier a condenação por formação de quadrilha?

Gerson C. P. Branco gb2005@ig.com.br

São Paulo

*

MITOS

O mundo acabou de descobrir a falsidade do mito Lance Armstrong, que por longos anos enganou a todos com suas performances forjadas em doping. Falta ao Brasil descobrir a falsidade do mito Lula. Pode demorar, mas um dia vai acabar acontecendo.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

E AGORA?

Espero que, depois da condenação dos corruptos do mensalão pelo STF, o ex-presidente Lula, autodenominado “a pessoa mais ética do Brasil”, solicite a expulsão desses indivíduos do PT. Estou curioso sobre o que dizem os intelectuais em geral, e da Universidade de São Paulo (USP), em particular, que criaram o mito Lula e o PT! E também os artistas globais, encabeçados pelo Chico Buarque! Quem viver verá...

Julio Tirapegui tirapegu@usp.br

São Paulo

*

PINGOS NOS IS

Se José Dirceu não conseguiu durante esses longos anos colocar os famosos pingos nos “is”, como prometeu, acho imprudente acreditar na sua fala de que “temos a vida toda para resolver outras batalhas”, ditas após ser condenado na ação 470 do famigerado crime do mensalão. Palavras ao vento é o modus operandi dessa turma do PT.

Leila E. Leitão

São Paulo

*

A JUSTIÇA FUNCIONOU

José Dirceu é fruto da “rara ruptura na impunidade a que os brasileiros estão acostumados”, como diz a reportagem do The New York Times sobre o mensalão. José Dirceu sempre se safou da punição, ficou preso pouco tempo, lá em Cuba seus companheiros queriam matá-lo, Fidel o salvou. Queria a vida boa clandestina, e depois vida melhor com Lula. Agora, condenado, deve estar se martirizando, justo comigo, a justiça brasileira foi funcionar ...

José Francisco Peres França josefranciscof@uol.com.br

Espírito Santo do Pinhal

*

UM LEGADO TODINHO DE LULA

Lula, dando uma de baluarte da ética, discursando para políticos de seu partido, desafia a oposição: “se querem fazer o debate da ética, vamos fazer”, e completou pedindo que os petistas não fiquem acuados porque “nós não precisamos ter medo desse confronto porque não abafamos as investigações”. Não mesmo, mas só porque não conseguiram colocar aquela tal mordaça na imprensa, lembram-se? Ademais esse pedido de Lula é absolutamente redundante visto que os petistas ainda não querem admitir que seus próprios companheiros de partido é que levaram o PT ao descrédito e à desonra. Mas vamos em frente: Lula e os petistas adoram lembrar o mensalão do Azeredo, em Minas, dizendo que o mensalão nasceu ali. É? Mas ele não conta que se Azeredo levantou dinheiro irregularmente junto a Marcos Valério, não teve como implantar qualquer tipo de mensalão em Minas Gerais, porque não se elegeu. Lula e os petistas também não contam que foi o petista Virgílio Guimarães (PT-MG) quem apresentou Valério a Azeredo – que praticou o crime de caixa 2, sim, e deve isso à justiça, sim –, mas não usou dinheiro publico, não assaltou o bolso do povo, como fez o PT no mensalão, que distribuiu até recursos tirados do Banco do Brasil para cooptar aliados com objetivo de fazer vingar o projeto de poder petista sem prazo definido para acabar. Se Azeredo deve, que pague. Mas que Lula não venha querer comparar o crime de Azeredo com o crime cometido pelos petistas e Cia. Ltda. no mensalão do PT. E Lula não pode falar em ética, visto que o mensalão é a herança maldita que sua gestão criou, é legado todinho seu.

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

RESPONDA VOCÊ MESMO, LULA...

Após anos de observação sobre sua maneira de agir, percebe-se que uma barbaridade como o mensalão só poderia ser fruto de uma mente doente que não observa princípios fundamentais éticos e morais, sem mencionar seu “altruísmo”, que acabou explorando descaradamente 30 milhões de miseráveis até hoje, através de seus programas governamentais, na realidade cabrestos políticos! Infelizmente, nossa oposição não teve competência para denunciá-lo e pedir seu impedimento...

Antonio Carlos de Souza Queiroz Cardoso acardoso@acardoso.com

São Paulo

*

BIOLOGIA DO MENSALÃO

A Biologia do Conhecer ou Teoria de Santiago, concebida por Maturama e Varela, em seus principais postulados aplica-se bem aos vários aspectos decisórios no caso “mensalão, bem como à reação dos afetados”. “O mundo não é uma experiência do individuo, ou seja, a estrutura humana torna possível um mundo”. “Ao construir uma realidade, não há realidade passível de representação unívoca e objetiva, tampouco a subjetividade absoluta”. “São várias interpretações, limitadas pelo que cada individuo é estruturalmente, em suas ontogenias, suas histórias de vida, crenças e valores, e todas imbricadas pelas questões políticas e pelos jogos de linguagem.” “Cada pessoa diz o que diz, ouve o que ouve segundo sua própria determinação estrutural”. Como no caso do mensalão, estão envolvidas questões como: moralidade governamental, política e políticos honestos, cidadania, governantes estadistas, democracia, fins e meios democráticos e lícitos, honestidade, ética, respeito ao eleitor e à nação, licitude no trato da coisa pública, postura estadista, entre outros pilares de uma república, não é muito difícil compreender os votos dados por cada Ministro do STF e suas fundamentações, bem como a “soberba” reação dos condenados; é tudo uma questão de estruturação ontogênica. Daí, para os condenados, ser mais importante a eleição no segundo turno, do que os veredictos; afinal, os fins justificam os meios, o importante é ficar no poder, e os jogos de linguagem se acentuam.

Luiz A. Bernardi luizbernardi@uol.com.br

São Paulo

*

GRANDE QUESTÃO PARA 2014

A grande questão política para 2014 é: por qual partido Joaquim Barbosa sairia candidato à Presidência, pois sua eleição seriam favas contadas.

Odair Picciolli odairpicciolli@moradadoscolibris.com.br

Extrema (MG)

*

ELEIÇÃO 2014

Que Aécio que nada! O povo brasileiro – já desanimado com a corrupção, com a falta de segurança (não temos o direito de ir e vir, só autorizado pelo PCC), falta de assistência médica praticada em corredores de hospitais sem o mínimo de higiene – já achou o candidato que terá aceitação geral: Joaquim Barbosa.

Homero de Paula Lima Júnior homerodepaula@uol.com.br

Lins

*

DEMOCRACIA HIPÓCRITA

Pequeno menino grande de Paracatu, que não só mudou o Brasil, mas a esperança de muitos brasileiros. Parabéns, presidente do Supremo. Não se curvou a nenhum lobo, não se deixou vencer pelo cansaço da leitura de tantas páginas sujas. Parabéns também aos ministros que condenaram estes lobos famintos. A sociedade brasileira não aguentava mais esta democracia hipócrita. Cadeia neles! Ah, segundo Lula, só faltava criar o dia da hipocrisia, eis a chance, segundo ele, em pronunciamento em 2005, disse que: “sentia traído por praticas inaceitáveis das quais nunca teve conhecimento”, e o governo e o PT tinham de pedir desculpas pelos erros cometidos.

Vera Benetti veratgb@gmail.com

Curitiba

*

O PIOR PODE ESTAR POR VIR

O ministro – hoje sendo até chamado de herói nacional – Joaquim Barbosa deve assumir a presidência do Supremo em breve em razão da aposentadoria compulsória do atual presidente, ministro Ayres Britto. Só que, no mesmo processo, o ministro Lewandowski será conduzido à vice-presidência da casa. Conhecendo como certas coisas são resolvidas neste país – Celso Daniel que o diga , é recomendável que o ministro presidente Joaquim Barbosa passe a se cuidar bem depois de eleito, para que nenhum “crime comum” aconteça também com ele.

Geraldo Alaécio Galo ggalo10@terra.com.br

Guarulhos

*

EU JÁ SABIA!

Porque será que ninguém ficou surpreso com os votos de Lewandowhisky e Toffoli? Só queria ter o dom de adivinhar os números da MegaSena, assim como tive para “adivinhar” os votos que viriam a ser dados por esses dois ministros do STF... Será que só Lewandowhisky e Toffolli estavam certos, enquanto “o resto do mundo” está errado?

Júlio Ferreira julioferreira.net@gmail.com

Recife

*

ADVOCACIA ‘PRO BONO’

Três são os poderes do Estado: Executivo, Legislativo e Judiciário. No segundo, onde se legisla, temos várias bancadas de parlamentares, por exemplo, ruralistas, evangélicos, médicos, etc. No terceiro, em sua Corte Suprema, pensava que seria desrespeitoso afirmar a existência de bancadas com interesses conflitantes. Mas, no decorrer do julgamento do mensalão, veio à tona a bancada petista composta apenas por dois elementos, os quais me nego a expressar os nomes, devendo-se observar, por importantíssimo, que os mesmos estão, também, a exercer a advocacia pro bono. Defendem e absolvem. Um, felizmente, se aposentará logo; o outro ( Santo Deus ), quanto tempo ficará? Até os 70? Deus nos livre.

Rubens Machioni Silva machionisilva@terra.com.br

São Paulo

*

JOAQUIM BARBOSA

Eis que, nos meus quase 93 anos de idade, em vias de perder a confiança na Justiça brasileira, surge um magistrado que recompôs a minha fé, servindo de exemplo para outras instâncias jurídicas, como o Tribunal de Justiça de São Paulo, que, por sua vez, vem retendo precatórios em seu poder, tais como os devidos à Cooperativa dos ex-funcionários da Cia. Brasileira de Tratores (CBT), em São Carlos (SP), que necessita do dinheiro para pagar dívidas trabalhistas. Por outro lado, o próprio STF não liberou até agora a autorização para que bancos devedores paguem as diferenças do famigerado “Plano Collor”, às centenas de clientes que aguardam, há muito, esse dinheiro. Ô justiça injusta!

Terencio Silva Barbério rmtuta2@gmail.com

Ribeirão Preto

*

SENTENÇA IRÔNICA

O juiz Andre Luiz Nicolitt, do Juizado Especial Cível da Comarca de Cachoeiras de Macacu (RJ), demonstra, certamente em início de carreira, o que esperar de suas decisões em prol dos que buscam o Poder Judiciário (o magistrado sentenciou a Sky a pagar, por falha na prestação de serviços de transmissão do Campeonato Brasileiro, R$ 2 mil em danos morais, uma vez que o autor da ação se queixou não conseguiu assistir aos jogos do Vasco da Gama). Certo ou errado, absurda ou não qualquer pleito, deve ser, pelo menos no conceito de quem exerce o poder judicante de decidir, fazê-lo com seriedade, sem ironias ou zombarias. Aliás, a Corregedoria Geral da Justiça do Rio de Janeiro deveria tomar uma atitude e adverti-lo para que não reincida e dê um rumo correto à carreira séria que abraçou. Ser magistrado não é fazer troça de que forma for, pois, com citações indevidas em sua sentença, infringiu o art. 37 da Constituição federal, passível, pois de ser acionado por danos morais pelo autor da ação.

Schindler Pedroza s_paschoal@hotmail.com

Rio de Janeiro

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.