Fórum dos Leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S.Paulo

21 Outubro 2012 | 03h08

Lewandowski e a paz social

Na medida do possível acompanho o julgamento do mensalão. Para absolver os réus da acusação de formação de quadrilha o ministro Ricardo Lewandowski usou a artimanha de acusar o Ministério Público (MP) de não ter enquadrado devidamente os agentes antissociais. A alegação é espúria e inconsistente pelo que consta nos autos. Por que tantas reuniões no Planalto para colher o "de acordo" do chefe José Dirceu? O que o mensalão objetivava senão aprovar projetos de lei ao arrepio do bom senso e manter a maioria parlamentar a qualquer custo, contra eventual tentativa de impeachment? O que se queria, na verdade, era impor ao País uma democracia chavista. Se não fosse o alarme providencial de Roberto Jefferson, já teríamos perdido a paz social, tão decantada. Tudo aponta, insofismavelmente, que o projeto final visava a transformar o Brasil numa Venezuela sufocada por um tirano. Agora querem absolver o articulador do golpe e os lobistas criminosos.

PAULO MAIA COSTA JÚNIOR

paulomaiacjr@hotmail.com

São José dos Campos

Postura bolivariana

A atitude do ministro Lewandowski, sistematicamente contra a evidência dos fatos exaustivamente demonstrados, dá-nos uma profunda tristeza n'alma e nos tira a esperança de que um dia este país fique livre dessa corrupção endêmica e avassaladora. Fica claro que sua atuação é a favor de um partido político que, não conseguindo impor-se pelas ideias, usa de subterfúgios monetários para tentar conduzir o País pelos turvos caminhos bolivarianos. Pior é que outros ministros estão-se deixando levar por ele.

GERALDO SIFFERT JUNIOR

geraldosiffertjunior@gmail.com

Rio de Janeiro

Uma aula de Direito

Queiram ou não, foi simplesmente brilhante a explanação do ministro Lewandowski sobre o que é formação de quadrilha. O MP e o relator da Ação Penal 470 certamente agora aprenderam. Em tempo: não sou petista e nem de longe conhecido ou amigo de nenhum dos envolvidos, muito menos do ministro revisor.

JOSÉ PIACSEK NETO

bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

Conceitos

O ministro Lewandowski está na contramão dos seus pares no Supremo Tribunal Federal (STF), para gáudio dos réus do mensalão. Seus conceitos de formação- associação-organização, uma miscelânea de argumentos jurídicos inadequados, foge muito do nosso primário conhecimento da língua portuguesa. Qual a diferença entre formação de quadrilha, organização e associação criminosa de delinquentes baratos ou de colarinho branco? Para o ministro, quadrilha é só a que assalta, rouba, faz arrastões, etc. Desviar dinheiro público via empréstimos fictícios e emparedar o Legislativo é desvio de conduta. Magistrados, advogados e estudantes de Direito, fiquem atentos, porque a partir de agora o conceito de quadrilha deverá ter duas conotações: a dos bandidos comuns e a dos "bandidos" oficiais - estes poderão delinquir à vontade.

ALOISIO ARRUDA DE LUCCA

aloisiodelucca@yahoo.com.br

Limeira

Quadrilha

"Do espanhol Cuadrilla. S. f. ... 2 - Bando de ladrões, assaltantes ou malfeitores..." - Novo Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa. Simples assim. Só consultei o dicionário para me certificar, pois enquanto o ministro Lewandowski se exauria no verbo tentando explicar o que é quadrilha, eu entendia claramente que ele iria condenar o bando de ladrões. Só não entendi o seu incoerente arremate!

OTONI GALI ROSA

otoni.ogrcom@uol.com.br

São Paulo

Dando uma de entendida

Os mensaleiros são ou não uma quadrilha? Entendo que se existe julgada a ideia de que eles estavam agindo no desenho de um projeto de poder, com finalidade hegemônica, existia uma ação contínua para que esse plano fosse bem-sucedido, implicando a desconstrução da democracia e a anulação da oposição. Ministro Lewandowski, um grupo de políticos da alta cúpula de um partido que combina entre si a compra de parlamentares para alcançar seus objetivos, associa-se a bancos e monta um esquema operacional para roubar o Estado, perturbando a paz pública quando provoca a desordem institucional - pois atenta contra a democracia -, o que é senão uma quadrilha?

MYRIAN MACEDO

myrian.macedo@uol.com.br

São Paulo

Tá de brincadeira!

O ministro Lewandowski só pode estar de brincadeira ao afirmar que essa turma do mensalão não é uma quadrilha. Será que ele pensa que quadrilha só se forma em festa junina?

MARCOS OLIVEIRA

mate3266@gmail.com

São Paulo

Arraiá

Para Lewandowski, formação de quadrilha era aquela que Lula fazia nas festas juninas da Granja do Torto.

FRANCISCO AMARANTE

francisco.e.amarante@gmail.com

São Paulo

A ordem é salvar a todos

Inocentar tantos quantos for possível parece ser a intenção, o principal objetivo do ministro revisor. Na verdade, não é apenas isso: desde o início Lewandowski vem divergindo sistematicamente do ministro relator, Joaquim Barbosa, com a clara e precípua intenção de desqualificá-lo perante a Nação e a mídia em geral.

JOSÉ MARQUES

seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

Retratação

Do jeito que a coisa vai, será que o ministro Lewandowski ainda vai acabar pedindo ao Estado que se retrate perante os quadrilheiros do PT e associados e também que lhes pague pesadas indenizações por injúria e difamação?

ANTONIO JOSÉ G. MARQUES

a.jose@uol.com.br

São Paulo

A caráter

Os ministros Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli deveriam ser mais autênticos e comparecer ao Supremo Tribunal usando camiseta e bonezinho do PT no lugar da toga.

RONALD MARTINS DA CUNHA

ronald.cunha@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

'Lulandowski'

A gratidão é PerpéTua!

NELSON CARVALHO

nscarv@gmail.com

São Paulo

Aniversário

Ministro Ricardo Lewandowski, o povo quer comemorar com o senhor: quando fará 70 anos?

RAUL YAZBEK

raulyazbek@uol.com.br

São Paulo

 

 INDULTO PRESIDENCIAL OU ANISTIA

Em seu artigo de quinta-feira (Atrás das grades, 18/10, A6), Dora Kramer abordou a hipótese já veiculada e discutida pelo PT para que José Dirceu, José Genoíno e Delúbio Soares sejam agraciados com indulto presidencial ou anistia. Embora pareça algo pouco crível, tal a repercussão que um ato desses geraria, não custa lembrar que os governos petistas são useiros e vezeiros em aplicar justiça à sua própria convicção, desprezando os fatos, tal como foi feito com os boxeadores cubanos, que, a despeito do visto de permanência de 90 dias, foram “entregues” sorrateiramente aos dirigentes da delegação cubana para serem despachados para a Ilha Maravilha, e, mais recentemente, o caso Cesare Battisti, terrorista abrigado no País por decisão do(a) presidente(a). Apenas cabe alertar que, se houver indulto ou anistia à trinca petista, a presidenta não se poderá esquecer de incluir no beneplácito presidencial o Sr. Marcos Valério, sob o risco de o arquivo vivo deitar o verbo e apontar com todos os dez dedos para quem realmente foi, até agora, protegido.

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

*

IDEIA...

Dora Kramer fez o favor de dar ideia à presidenta Dilma no sentido de conceder perdão presidencial a Dirceu e Genoino, como fez o presidente Gerald Ford com relação a Nixon, que renunciou por causa do caso Watergate. Ora, Dora!

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

PERDÃO

Imaginem o deve ocorrer com a turma do PT julgados culpados pelo STF – numa atitude que nos encheu de esperança. Simplesmente terão o indulto da presidente Dilma e, para a alegria da corja petista, terão suas penas extintas. Alguém tem dúvidas de que essa prerrogativa não será usada por essa turma que a cada dia domina cada vez mais o País? Pobre Brasil que, com a ignorância de boa parte do povo, que entra na conversa do ex-presidente, que “comanda” as decisões da presidente, vai acabar destruindo cada vez mais o pouco de bom que ainda resta ao País.

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@ig.com.br

São Paulo

*

O ARTIGO Nº 231 DOS PETISTAS

Será que “a nata” que representa os integrantes dos mais importantes cargos do PT, os então condenados pelo Supremo Tribunal Federal (STF), José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares, serão expulsos pelo artigo nº 231 do Estatuto Interno do Partido dos Trabalhadores e registrado na Justiça Eleitoral? Ou o estatuto é só mais uma petalhada dos petistas deslumbrados?

Leila E. Leitão

São Paulo

*

O MENSALÃO E OS COMPANHEIROS

Sou um pequeno empresário do ramo de máquinas e sei tudo o que ocorre dentro e fora da minha empresa. Sei exatamente o que compram; o que vendem e tudo que está sendo produzido. Vale ainda lembrar que qualquer problema com nossos colaboradores a responsabilidade é minha. Fico impressionado na cara de pau dos Srs. companheiros do “PT”, em especial o Sr. Lula, que não sabia de nada e diz com a maior cara lavada que não houve o mensalão enfim; ele acha que todos nos brasileiros somos idiotas. Se realmente ele não viu e não sabia então; mostra-se a incompetência para administrar e comandar do Sr. Lula. Hoje, graças a brasileiros como os juízes do STF, podemos ver e comprovar como era a gestão do Sr. Lula e dos companheiros (Dirceus e cia.) e como o antipatriotismo é aplicado pelos camaradas e companheiros desviando verbas; comprando votos e sacrificando 190 milhões de brasileiros. Fico envergonhado; enojado e perplexo em saber que pessoas como essas ainda correm pelos corredores do poder e ainda sobem em palanques pedindo votos e fazendo falsas promessas. Um dia (espero que seja rápido) vamos aplaudir de pé a vitória de brasileiro realmente honestos pois; essa escoria de oportunistas e corruptos; graças a deus irão para traz das grades e ficaremos livres e de alma lavada. Este é um desabafo de um brasileiro que trabalha e luta por ver justiça e vê que a cidade de São Paulo irá para o mesmo caminho.

Juvenal Bonifacio Junior jbj@pkk.com.br

São Paulo

*

E AGORA, COMO FICA?

Pergunto ao Delúbio e a todos que acharam graça no comentário. Piada de salão ou de prisão?

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

RICARDO LEWANDOWSKI

Quem acompanha o julgamento do mensalão, toda semana, só pode considerar lamentável a postura do ministro Lewandowski, revisor do processo, que vem se contrapondo sistematicamente aos votos consistentes e de alta qualidade do relator Joaquim Barbosa, como se o revisor estivesse ali para defender os réus. Barbosa está à frente desse processo há cinco anos e o conhece profundamente, portanto, seus votos deveriam ter maior respeito de Lewandowski, a exemplo do que ocorre com os demais ministros que lhe têm dado vitórias incontestáveis, Lewandowski só vota com o relator, em regra, nos casos de absolvição. Agora mesmo, no dia 18, Barbosa condenou 11 réus, entre eles Dirceu, Genoíno e Delúbio e absolveu 2 por formação de quadrilha, enquanto o revisor absolveu todos, quando, inclusive, se aproveitou de uma votação de formação de quadrilha em item anterior, rejeitada pelas eminentes ministras Rosa Weber e Carmem Lúcia, fazendo-lhes rasgados elogios em função de seus votos, como se elas fossem levadas a repetir o exemplo anterior. A formação de quadrilha rejeitada pelas ministras tudo indica que nada tem que ver com à relativa ao grupo político formado por Dirceu. Genoíno, Delúbio Soares e outros. As ministras são muito competentes e independentes nas suas posições. Na segunda-feira,veremos como votarão Rosa Weber e Carmem Lucia, agora sob esse constrangimento criado por Lewandowski.

Luiz Nunes de Brito rosahollmann@yahoo.com.br

Rio de Janeiro

*

PODEROSA

A revista Forbes publica anualmente o ranking das mulheres mais poderosas do mundo. Certamente, na edição de 2013, colocará Marisa Leticia Lula da Silva entre as dez mais... motivo: conseguir sem sair de casa, conduzir o julgamento do mensalão, para a impunidade, através das barbaridades e absolvições, praticadas pelo ministro-vizinho Ricardo Lewandowski.

José Francisco Peres França josefranciscof@uol.com.br

Espírito Santo do Pinhal

*

DEFESA FLAGRANTE

A postura do ministro Lewandowski no julgamento deixará uma mancha na história do STF tamanha sua parcialidade. Por favor nos poupe, ministro (minúsculo mesmo), de sua flagrante defesa dos réus do PT. E pensar que ainda pagamos seu salário e mordomias...

Maurilio Pereira mauriliopereira@uol.com.br

São Paulo

*

DEFRAUDAÇÃO MORAL

O juiz de futebol, até então era o único ladrão que defraudava na presença de dezenas de milhares de pessoas e ainda ia pra casa protegido pela polícia; hoje ministros (dois) no STF afrontam publicamente a moral, a essência da ordem democrática e republicana e saem ilesos, também protegidos pela polícia e ainda mantém seus empregos vitalícios, e a “torcida” sequer pode vaiar tal qual notabilizar em refrãos suas progenitoras como bem o fazem nos estádios de futebol. Que pena.

Oswaldo Colombo Filho colomboconsult@gmail.com

São Paulo

*

COMPADRIO

Estou mais eufórica para saber o desenrolar da dosimetria do julgamento do mensalão do que estava para o último capítulo da novela Avenida Brasil, apesar de já prever o resultado final. Pelo que eu tenho entendido, parece que os ministros estão mudando seus votos. O que é o compadrio neste mundo político!

Maria José da Fonseca fonsecamj@ig.com.br

São Paulo

*

MINEIRO TRABALHA EM SILÊNCIO

Enquanto Marcos Valério, Delúbio e Genoino estão com suas atenções voltadas para as acusações do ministro Joaquim Barbosa, do STF, a Justiça Federal em Minas Gerais os condena por falsidade ideológica.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

O PT AMPLIOU A CORRUPÇÃO

De posse do poder o PT deu continuidade ao mensalão, ou seja, ao contrário de coibir ampliou a corrupção! Daí, a falta de condições éticas deste partido para governar o País!

Eugênio José Alati eugeniojosealati@yahoo.com.br

Campinas

*

VERDADES E MENTIRAS

Há tempos está disseminada na opinião pública a tese de que acusações contra políticos suspeitos de corrupção se perdem na poeira do tempo. Porém o Supremo Tribunal Federal vem mostrando para a sociedade que esse mito está com os dias contados. Basta observar o número de políticos e empresários poderosos que correm risco de irem para a cadeia. É sabido pela maioria dos políticos que a memória do eleitor é curtam e isso leva os supostos envolvidos a conseguirem facilmente a reeleição, vide o alcaide Paulo Salim Maluf e tantos outros picaretas que sempre querem voltar aos bancos dos legislativos pelo país a fora e, com isso, prosseguir na trajetória política – principalmente se o relato dos prejuízos perder-se entre tantos caminhos e obstáculos de uma justiça burocrática, lenta imparcial e ineficaz na maioria dos casos investigados. É possível, porém, que esse meandro esteja em transformação. Para melhor. Seria cômico desmentir a existência do mensalão como vem fazendo reiteradamente o ex-presidente Lula da Silva nos últimos anos, mesmo depois da suprema corte ter dado o veredito final contra seus companheiros de partido, João Paulo Cunha, Delúbio Soares, José Genoíno e o antes todo poderoso chefão da casa civil, José Dirceu. Com a nação de alma lavada depois de longa espera na contramão da história dos sentimentos que Rui Barbosa proclamou, em discurso no senado em favor da nação em 1914; disse ele: De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto. Hoje, passadas as primeiras condenações, posso dizer de peito aberto que começo a animar me das virtudes, ao ver prosperar a honra e o crescer da justiça nas mãos de grandes compatriotas que, com seu apurado censo de justiça, me faz orgulhoso de ser honesto. Parabéns ao ministro eleito presidente da suprema corte Joaquin Barbosa e aos seus pares que com maestria, coragem e acima de ter honrado sua cor de pele, começa a resgatar um sentimento que os cidadãos de bem estavam perdendo: o orgulho de ser brasileiro. quero ao mesmo tempo dizer-lhes, que ao despedir-se de sua honrada carreira julgando com sua consciência e com base na carta magna, o ministro Cezar Peluso entra para o panteão dos grandes brasileiros. O Brasil merece, parabéns ministro! Deus irá lhes recompensar neste ou em outro lugar!

Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

*

O TRIBUNAL ESTÁ ERRADO

A julgar pelas reações de José Dirceu, José Genoino e mesmo Lula e de seus amigos e companheiros, o tribunal (STF) está errado. Essa justiça não se aplica a eles que estão acima disso. As condenações não fazem sentido, trata-se de uma inegável perseguição política. Aliás, o tribunal não tem competência para julgá-los, a competência é do povo, da opinião pública que infelizmente para eles, não foi consultada. Essa é a reação dos réus condenados segundo as leis brasileiras, mas que não coincidem com as leis e regras aplicáveis a cidadãos como eles, acima de qualquer suspeita. Pior. Estavam, fazendo um bem ao Brasil quando “compraram” congressistas da pior qualidade para terem o poder sobre a nação, em benefício de seus programas políticos. O que impressiona é que eles tentam transformar isso numa verdadeira injustiça. Infelizmente, a falta de cultura (e o analfabetismo funcional) de grande parte da população dará razão a eles. Tanto é verdade que “vermes políticos” como esses continuam a se eleger.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

LEMBRANDO MAURO CHAVES

O momento que vivemos torna oportuno recordarmos uma frase do falecido Mauro Chaves, jornalista, advogado, artista plástico e articulista do Estadão, a respeito dos políticos filiados ao PT: “Eles são falsos, mentirosos, aleivosos.Eles passaram mais de duas décadas fingindo ser o que nunca foram.Eles se tornaram uma cambada de ladrões que preparou, durante muito tempo, um grande golpe. O golpe da ascensão social sem o esforço do aprendizado e sem o trabalho produtivo...” (Mauro Chaves, Estadão, 23/7/2005) Mauro estaria feliz se vivo fosse, a máscara da mentira está sendo arrancada deles pela força da lei, principalmente graças a um ministro do Supremo Tribunal Federal, um negro de origem pobre mas digna, que ao contrário de Lula, fez questão de estudar, trabalhou duro para poder formar-se advogado, estudou durante anos na Europa, fala várias línguas, é exímio pianista, palmo a palmo conquistou seu mundo e hoje esbanja dignidade e sabedoria nas audiências do STF julgando com o rigor da lei os mensaleiros. Mauro Chaves estaria mesmo feliz!

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

FALTA O PRINCIPAL

O STF está fazendo um belo trabalho. É marco na história deste país. Mas não é completo. Falta o principal. Evidentemente não cabe ao Supremo, investigar e denunciar. Vamos aproveitar o embalo gente! Vamos, imprensa, vamos, Ministério Público!

Será que ninguém se habilita?

Ulysses Fernandes Nunes Junior Ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo

*

MENSALÃO O TERREMOTO BRASILEIRO

Foi preciso um terremoto a devastar Lisboa em 1755 para que Portugal reconhecesse o talento e a genialidade do seu reconstrutor, o grande Marquês de Pombal. No terremoto moral que devastou o Brasil nos últimos anos, um nome se impõe para ser o grande reconstrutor da moralidade em nosso país: o ministro Joaquim Barbosa. Está onde está, por tudo o que o povo preza: trabalho, estudo e honestidade. Sua autenticidade, carisma e história de vida o credenciam para colocar o País num outro patamar de grandeza.

Nilson Otávio de Oliveira noo@uol.com.br

São Paulo

*

PÓS-MENSALÃO

O Brasil pós-mensalão já não é o mesmo. Imagine-se se antes a Justiça mineira condenaria o Genoino, ou se membros do STF criticariam o MP por não incluir Lula... Agradeçamos ao nosso Jefferson, que não é Thomas, mas é um dos pais do novo Brasil!

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

ELEIÇÃO EM SÃO PAULO

Pesquisas dão conta de que Fernando Haddad (PT) está disparado à frente de José Serra (PSDB) e que cerca de 70% dos eleitores desejam um novo nome para comandar a capital paulista. Se Andrea Matarazzo tivesse saído para prefeito, seria a boa novidade dessa eleição e os petistas/petralhas não invadiriam São Paulo. Aguentaremos um desgoverno de quatro anos, por causa da vaidade e teimosia de alguns caciques tucanos. Quem tudo quer tudo perde! Acorda, PSDB!

Maria Alice Jorge Maluf majmaluf@uol.com.br

São Paulo

*

HISTÓRICO

Pensando no discurso petista de o mensalão ser menos importante do que a eleição em São Paulo, vemos que esse discurso esconde dois aspectos interessantes: 1) O PT está dizendo que o resto do país não tem a menor importância. 2) Nada impede de fazermos o mesmo raciocínio e afirmar: mesmo que o PT consiga vencer a eleição municipal em São Paulo, tão importante para eles, isso não muda o fato de José Dirceu e os demais dirigentes do partido (com exceção do “Poderoso Chefão”) terem sido condenados! O que é bem mais histórico do que uma eleição.

Marly N. Peres lexis@uol.com.br

São Paulo

*

‘O AVESSO DO AVESSO’

Será lamentável se os eleitores da cidade de São Paulo concederem ao Partido dos Trabalhadores (PT) um “prêmio de consolação” pela acachapante condenação dos caciques petistas no processo do mensalão, através da eleição de Fernando Haddad – um mero títere do ex-presidente Lula – no segundo turno do pleito municipal. Se isso vier a acontecer o restante do eleitorado nacional ficará boquiaberto e, dentro em breve, os próprios eleitores de Haddad também ficarão boquiabertos, quando virem a Prefeitura paulistana ser transformada em cabide de emprego dos petistas derrotados que serão desalojados de diversas prefeituras Brasil afora. Parece que Caetano Veloso tem razão, pois São Paulo está demonstrando ser, de forma incauta, “o avesso do avesso do avesso do avesso”.

Túllio Marco Soares Carvalho tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte

*

O BOM MOÇO E SEUS COMPANHEIROS

Nas eleições de 2010, o Partido dos Trabalhadores montou uma praça de guerra para eleger sua candidata. Usava todos os espaços na sua campanha: o real, o virtual e o oficial. Os sites Dilma13 e Conversa Afiada eram modelos exemplares de uma guerra suja que eliminava qualquer traço de ética. O chefe do governo, em solenidades oficiais e dentro do Palácio do Planalto, agredia de forma truculenta o candidato da oposição. Usava a Petrobrás como palanque partidário. E é este partido que reclama da campanha da oposição? A tática é primária: Lula e Marta usam o tacape e Haddad defende o bom-mocismo. Ao fazer a sua opção, o eleitor não deve esquecer de que no pacoteco petista, sem dúvida, virá o time completo. No último encontro do partido, ficou bem claro o nome do grande estrategista: Dirceu Guerreiro do Povo Brasileiro. O resto é embaixadinha para a arquibancada.

Helena Rodarte Costa Valente helenacv@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

USO INDEVIDO DA MÁQUINA

A presidente Dilma vai participar de alguns comícios em favor de candidatos às prefeituras. Como petista ela pode apoiar quem quiser, como presidente do Brasil não. Portanto seus deslocamentos e estadias nos lugares em que estará dando seu apoio não podem ser pagos pelo Estado. O mesmo se pode dizer para os seus ministros. Antes do primeiro turno eles estiveram em São Paulo usando aviões presidenciais para comício e depois estiveram em reunião partidária como ex-presidente em São Paulo em dia de semana e horário comercial e usando transporte oficial. Quem pode interpelá-los sobre isso? Será que por serem governo eles podem tudo?

Maria Tereza Murray terezamurray@hotmail.com

São Paulo

*

ELEIÇÕES E URNAS ELETRÔNICAS

Em época de eleições e de uma serie de condenações decretadas pelo STF contra uma quadrilha que infiltrada no poder tinha por objetivo, subverter a democracia a favor de um projeto de poder permanente, me pergunto: ate que ponto as urnas eletrônicas ficaram a salvo da influencia de um partido que há quase uma década, não pensa em outra coisa, senão em perpetuar-se no poder? Em países mais como EUA e Inglaterra o sistema de votação é por célula onde quem vota leva consigo o comprovante de seu voto. Porque em nome de uma suposta rapidez na apuração dos votos, coloca-se em risco a transparência de uma apuração onde não é possível a recontagem de votos. Quem garante que numa época em que o dinheiro publico serviu para ajeitar as bases de um projeto ditatorial, a inviolabilidade das urnas eletrônicas ficou imune as tentações? Porque em vários países esse sistema aparentemente moderno, foi rejeitado e tido como sujeito a fraudes , inclusive onde foi criado “ Holanda”? Porque determinados partidos já dão como ganha as eleições em Sao Paulo sem a devida contagem dos votos? Quando a segurança é demais ate os eleitores desconfiam.

Peter Cazale pcazale@uol.com.br

São Paulo

*

O QUE FAZER?

Atenção, Brasil: o que fazer com os deputados federais que só trabalham três dias na semana e recebem integralmente? Atenção, Brasil, chamamento geral: o que fazer com os deputados federais que só trabalham três dias e recebem integralmente? Atenção, Brasil...

Gilberto Lima Junqueira glima@keynet.com.br

Ribeirão Preto

*

PROPORCIONAL

Estarrecido, li a notícia no Estadão de que os deputados se autopromulgaram a semana de três dias. Tudo bem, desde que eles reduzam seus salários no porcentual equivalente, assim como seus benefícios proporcionais...

Flávio Rivero Rodrigues flaviorivero@estadao.com.br

Pindamonhangaba

*

OFICIALIZAÇÃO DA CABULAGEM

Agora que já é oficializada a cabulagem das 2as. feiras e 6as. Feiras, temos de nos preparar para a oficiosidade das 3as. e 5as. feiras a fim de que elas também sejam oficializadas. Comparecimento obrigatório, só às 4as. feiras. Mas, pensando bem, para quê? Afinal, com tantos aspones em cada gabinete, eles bem que poderiam dar-se ao trabalho de depositar os nossos cheques. E, patriótica e solidariamente, estaríamos em pleno contato com as bases! É isso mesmo, ou não?

Régis D. C. Fusaro rxfusaro@hotmail.com

São Paulo

*

GAZETA OFICIAL

Gazeta oficializada na Câmara e no Senado com as sessões ordinárias somente de terça a quinta-feira. Não é extraordinária a cara-de-pau desses ordinários em quem votamos?!

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

DESFAÇATEZ

Insólitas absolvições na Suprema Corte. Deputados federais resolvem trabalhar (?) de terça a quinta. Senadores querem de nós o pagamento do Imposto de Renda sobre seus ganhos irregulares.

E a Rede Globo, em toda a sua extensão e programação, preocupada com o final da novela das 9 da noite. Só mesmo num país imenso como o Brasil há espaço para tanta desfaçatez.

Gilberto Martins Costa Filho marcophil@uol.com.br

Santos

*

SEMANA DE TRÊS DIAS

Os deputados oficializaram o que já era prática antiga: trabalhar só de 3a. a 5a. feira, mas não reduziram os vencimentos proporcionalmente. São muito espertos, pois não assinam ponto eletrônico por impressão digital e, além disso, muitos recebem ou receberam mensalões em dinheiro,ou cargos para eles próprios ou parentes e amigo(as). Para eles os gastos de campanha não são gastos, mas investimentos muito lucrativos. O que eu penso do comportamento deles está incluído no nome deputado.

Mário A.Dente dente28@gmail.com

São Paulo

*

ANARQUIA

O Senado vai pagar imposto de renda dos senadores, e deputados aprovam fim de semana (para eles somente) de três dias. Fora outras iniquidades recentes. Eles são a mais pura tradução da vagabundagem, irresponsabilidade e descaso . Isso não é democracia e sim anarquia. Acho que começar a pensar no fechamento do Congresso não é mais idéia de loucos ou subversivos ou alienados. Talvez seja uma necessidade para se resgatar a ética, moralidade pública e o respeito ao cidadão brasileiro.

André Luis de O. Coutinho arcouti@uol.com.br

Campinas

*

MORDOMIAS

Essa nova lei que oficializa que deputados estão livres de trabalhar na segunda-feira e sexta-feira só comprovou o que na prática existia,porem, o trabalhador comum continuará trabalhando de segunda a sábado para pagar seus impostos.Afinal, são os impostos de quem realmente trabalha que move essa locomotiva chamada Brasil.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

QUE FARRA!

A semana dos políticos agora começa na terça e termina na quinta, daí que a quarta feira vai se tornar “dia de folga oficioso” para tratar de assuntos políticos “em casa”, e vamos entender porque deputados, senadores e vereadores são uma raça de gente “absolutamente dispensável” no Brasil. Até já dá saudade dos tempos da “ditadura militar”! Milhões de brasileiros sustentando um bando de picaretas!

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

PLANALTO SOB PRESSÃO

A presidente Dilma, continua enfiando os pés pelas mãos. Para atender amigos ambientalistas veta nove itens do Código Florestal, sobejamente discutido e acordado no Congresso. Assim como o seu PT, que apóia o MST, mesmo sabendo que infernizam os produtores do campo, agora a Dilma, sem se sensibilizar com os que produzem alimentos no País, com esses seus vetos, não só compra uma briga literalmente federal com os ruralistas, desmoraliza o Parlamento, e, principalmente dá as costas aos nossos agricultores, patrocinando dificuldades onerosas a esses eficientes produtores! A presidente se comporta equivocadamente, e cobra caro daqueles que conseguem alta produtividade, colocam alimentos na mesa da família brasileira a custos reduzidos (apesar dos desacertos da política econômica e da falta de investimentos em infraestrutura), e ainda ajudam a frear a aceleração da inflação, que na casa dos 5,5% penaliza o povo! Portanto, a Dilma, com essa inconsequência de seus vetos ao Código Florestal, vai festejar com poucos, enquanto eleva preocupação e custos para milhões de agricultores...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

MÃO DE FERRO

A votação do Código Florestal ocorreu após o governo ter feito uma espécie de acordo com os parlamentares para que o aprovassem. Praticamente, o texto que foi aprovado pelo Congresso foi o que a presidente da República havia concordado. Pois bem, o que se viu? Dilma vetou 9 artigos do texto aprovado no tal acordo, e, ainda para suprir os vetos, redigiu um Decreto. Como disse o deputado Ronaldo Caiado, para que serve o Congresso, se a “presidenta” dirige o País com mãos de ferro, decretando e fazendo o que sempre ela, Lula e o PT querem?

Carlos E. Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

*

PRESERVAÇÃO

Parabéns, presidente Dilma, com o seu veto em alguns artigos do Projeto de Lei do Código Florestal, Vossa Excelência demonstra ao povo brasileiro uma questão de hombridade e respeito em defesa das nossas matas. Já não bastam, aqui, as perdas provocadas pelos clandestinos e empreiteiras, na devastação de áreas ambientais. A esperança, Sra. presidente, que todos pretendemos é de procurar redesenhar um caminho certo de vida natural e preservação às novas gerações.

Antonio Rochael Jr. antoniorochael@gmail.com

Iguape

*

CÓDIGO FLORESTAL

Ruralista e ambientalistas (19/10, A22) querem ir ao STF contra vetos de Dilma ao Código. Se serão os mesmos ministros que estão julgando o “mensalão”...

Artur Topgian topgian.advogados@terra.com.br

São Paulo

*

COTAS DE PRECONCEITO

As cotas para determinados estudantes em faculdades públicas escamoteiam a falta de compromisso do governo federal com a educação fundamental e média, e concorrem ainda mais para a disseminação de preconceitos – é o Bolsa-Escola Superior Sem Merecimento. Mas, não espantam ninguém porque de há muito o PT substituiu a meritocracia pelo apadrinhamento. Sem contar o acinte diante do que reza a Constituição, segundo a qual somos todos iguais perante a lei. O PT é capaz de qualquer coisa para cooptar a ingenuidade e o apoio inocente dos brasileiros que mais necessitam de seus investimentos. Em breve, assim como temos hoje alunos que saem do ensino médio sem dominar decentemente Português e Matemática, teremos diplomados de segunda classe nas universidades, cidadãos que muito provavelmente passarão vergonha quando sua capacidade for testada no mercado de trabalho. Boa receita para minar um povo.

Doca Ramos Mello ddramosmello@uol.com.br

São Sebastião

*

BRASIL ÚNICO

O Brasil é mulato, negro, branco, verde e amarelo, de todas as cores e raças, porém uma pergunta pede uma resposta: quantos ministros negros temos nos ministério de nosso país? Quantos galãs que ganham no final temos em nossas telenovelas? Se o Brasil quiser incluir o afrodescendente na sociedade brasileira deverá fazer isto com a participação efetiva destes brasileiros que são discriminados por quem diz mais defendê-los. Brasil de todas as cores é o que nos torna iguais.

Manoel José Rodrigues manoel.poeta@hotmail.com

Alvorada do Sul (PR)

*

NOBEL

Agora com essa decisão de restringir a aprovação nos exames vestibulares por mérito, fica mais distante para que um brasileiro ganhe um Prêmio Nobel.

Suely Jung Borges sjungborges@yahoo.com.br

São Paulo

*

MERECIMENTO

Nada mais ridículo e abominável do que esse sistema de cotas para determinadas pessoas, no que concerne a conseguir trabalho e estudo. Eu sou do tempo em que as cotas para essas finalidades eram aferidas por conhecimento e merecimento, jamais pela cor da pele. Fiz concurso público federal em 1972, passei e trabalhei até me aposentar. Fiz vestibular de Economia em 1977, passei e estudei até me formar. Esse é o sistema correto, e nunca o atual. O que deve valer é a capacidade, independentemente da cor de cada pessoa.

Fernando Faruk Hamza botafogorio@bol.com.br

Rio de Janeiro

*

DIREITOS

Sem dúvidas qualquer ser humano seja lá branco, preto, pardo, amarelo, indígena, etc., devem possuir os mesmos direitos, portanto cabe ao governo incompetente que temos oferecer uma boa e sólida educação de base, com professores capacitados e escolas adequadas para que passe a valer a capacidade individual do aluno em ingressar numa universidade. Já que o governo é incapaz em oferecer vagas a todos os interessados num curso superior, uma ressalva vale deixar registrada, que para gastarem o que estão gastando agregado a fatia de corrupção nós roubando, desviando e superfaturando trazendo para o País a Copa 2014 e a Olimpíada de 2016. Dinheiro tem de sobra, né?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

EDUCAÇÃO

Dizem que o Brasil só melhora com a educação. Chamam a escolaridade de educação, nunca foi e nunca será, é capacitação técnica, que traz mais o egoísmo que o bem comum. Estamos vendo com o mensalão, que os maiores corruptos são pessoas de níveis superiores. Vimos juiz presidente de tribunal, governador engenheiro, e um reitor da UNB, metidos em corrupção, enquanto faxineiro e morador de rua, devolveram dinheiro que encontraram, e foram exemplos para a sociedade. Logo, não são educados, o educado, é pessoa polida, fina, mansa, amante dos bons costumes, da verdade e da justiça. Educação é um pré-amor, quem tem amor, pensa na felicidade do seu próximo, na dignidade da pessoa humana, porque o amor nasce de Deus, como disse cristo: amai-vos uns aos outros, como eu vos tenho amado (Jo 13,34). A educação nasce da família, da conversão aos princípios cristão.

Jurailde Barbosa juraildebarbosa@hotmail.com

Taguatinga (DF)

*

O ABORTO NO URUGUAI

Parabenizo o evoluído, educado, moderno e progressista Uruguai por aprovar lei que descriminaliza o aborto no país. O Uruguai dá um bom exemplo a ser seguido, ao proteger e garantir os direitos das mulheres, sua autonomia e o seu direito de escolha. O Uruguai recentemente aprovou a descriminalização do consumo de maconha no país e está na vanguarda, antenado no século 21 e não é a toa que ostenta um dos melhores IDH da América latina. O Brasil seguir o bom exemplo dos uruguaios, deixar de ser conservador retrógrado, de permanecer no atraso e se livrar de vez dos dogmas religiosos que tanto mal fazem para o povo brasileiro. Valeu, Uruguai!

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

DESCRIMINALIZAÇÃO DO ABORTO

Sem perpetuação da espécie não existiria vida humana aqui, na Terra. Por isso a natureza humana tem um instinto fortíssimo neste sentido, instinto este que deve ser ordenado pela inteligência e pela vontade do homem e da mulher, em função da grande importância da sua dignidade. Mas quando se confunde puro prazer com felicidade, perde-se a noção do certo e do errado e a única coisa que passa a interessar é a satisfação deste instinto, como se fosse um animal irracional. Depois vem as consequências, particularmente para a mulher: ou ela se desumaniza usando métodos artificiais para não se engravidar ou aborta um filho inocente e indefeso que nunca mais sairá da sua memória. Solução terrível! O que poderia ser uma realidade maravilhosa, ter filhos acolhidos com verdadeiro amor, passa a ser uma catástrofe. Criminalização ou descriminalização do aborto perante a sociedade é algo menor.

Luiz Antônio da Silva lastucchi@yahoo.com.br

São Paulo

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.