Fórum dos Leitores

CORRUPÇÃO E ELEIÇÕES

O Estado de S.Paulo

26 Outubro 2012 | 03h11

Chegou a hora!

Já que o PT prepara um manifesto para depois do segundo turno das eleições com críticas ao Judiciário, que tal nós, cidadãos vítimas do mensalão, promovermos intensa campanha nas redes sociais, em estádios, locais públicos, etc.: "Fala, Marcos Valério!"?

FÁBIO BERTONCELLO

fabertoncello@hotmail.com

Jacareí

Valério e o mensalão

Marcos Valério, reescreva o seu nome na História. Se não por você, por seus filhos, conte tudo!

FÁBIO HADDAD

fabhaddad@ig.com.br

Campinas

Legado petista

Depois de o Supremo Tribunal Federal (STF) concluir a votação dos crimes do mensalão, está mais que na hora de algum cidadão deste país - advogado, administrador de empresas, economista, jornalista, médico, enfim, de qualquer profissão - enfrentar, ou melhor, "peitar" o ex-presidente Lula da Silva ou a atual, Dilma Rousseff, com a seguinte questão: com que moral o seu partido pode continuar à frente da Presidência do País? Afinal, tem entre seus principais membros José Dirceu, o "chefe da quadrilha do mensalão", que comandava José Genoino, ex-presidente do PT, Delúbio Soares, ex-tesoureiro do partido, e ainda Marcos Valério, o "operador" do esquema, que acabam de ser condenados pelo STF. Sejam quais forem as eventuais respostas de Lula e Dilma, é inadmissível que um país como o Brasil, que se vem destacando no cenário internacional, tenha de continuar com um governo federal sob a batuta do PT, um partido que não tem o menor senso de ética e de moral. Isso é ainda mais revoltante a partir da condenação pelos juízes do STF, que provaram terem os membros mais importantes do PT cometido crimes contra a Nação. É uma marca indelével, sem precedentes, na história do PT. E muito pior ainda para a imagem do País, que em algum momento de sua trajetória política reuniu bandidos.

LINEU DIAS DE LIMA PARAISO

lmd@matrix.com.br

São Paulo

Década negra

Se houve uma "herança maldita", o que dizer desta década negra?

GERALD M. L. MISRAHI

gersilm@hotmail.com

São Paulo

Partido ficha-suja

As contribuições de leitores do Estado demonstram que, depois de se empenhar pela "ficha limpa" individual dos candidatos, a sociedade começa a se conscientizar de que a orientação das direções dos partidos também precisa ser considerada numa eleição. A direção do PT engendrou o mensalão e alguns de seus integrantes foram condenados. Isso significa que o PT é "ficha-suja".

HARALD HELLMUTH

hhellmuth@uol.com.br

São Paulo

Essa vantagem é real?

As pesquisas do Ibope e do Datafolha em São Paulo indicam que o candidato Fernando Haddad (PT) tem uma vantagem superior a 15 pontos dos votos válidos sobre o José Serra. Mas parece que os petistas não se sentem seguros, pois mais uma vez apelam para a velha história de que os tucanos queriam privatizar a Petrobrás. Toda vez que isso acontece, é certo que o desespero petista bateu nas nuvens. Será que até a eleição vai aparecer algum dossiê?

MAURÍCIO RODRIGUES DE SOUZA

mauriciorodsouza@globo.com

São Paulo

Infâmias

Não deveriam espantar as mentiras que os petistas andam assacando contra Jonas Donizette, neste segundo turno, em Campinas. Eles são capazes das piores infâmias, e digo isso por experiência própria. Em 2002, eu já completara quase dez anos como técnico da Ceasa de Campinas e a empresa acabara de receber uma leva de petistas com a eleição do Toninho. Como era ano de eleição para o governo do Estado, fui procurado por um deles, conhecido por ser um dos fundadores do partido na cidade, um senhor de idade de aparência respeitável. Ele tentou convencer-me a trabalhar por José Genoino, que iria concorrer contra Geraldo Alckmin, com o argumento de que este, por ser médico, estava envolvido com tráfico de órgãos! Dá para confiar nessa gente? E olhem que nessa altura já tinham sido assassinados Toninho e Celso Daniel.

JOSÉ B. NAPOLEONE SILVEIRA

nenosilveira@aim.com

Campinas

Apetite voraz

A reportagem PT já inicia disputa interna por cargos em eventual gestão (24/10, A10) fez-me lembrar episódios que tive a oportunidade de acompanhar nas cidades de Campo Grande, quando da eleição de Zeca do PT, e Campinas, quando da eleição do Toninho do PT, com a importação de "talentos" vindos de toda parte, cada um portando a famosa carteirinha do partido. É de impressionar o apetite voraz de poder que reina nesse partido, no pior sentido da expressão. Não basta o poder de governar, é necessário, para o PT, deter o poder de dispor das verbas atreladas ao poder. Pouco importam os momentos, valem as ocasiões. Pouco importam as condenações - agora concretas - no caso do mensalão, o PT continua o mesmo. Vejam os escândalos ocorridos no Norte do País nestas eleições de 2012: descobertos milhões de reais - inclusive na cueca! - que elles pretendiam usar na compra de votos. Isso tudo me preocupa: já pensaram o que farão com o bilionário orçamento da nossa São Paulo se o Fernando Haddad ganhar as eleições?

AUGUSTO M. DIAS NETTO

diasnetto@terra.com.br

São Paulo

Agregados

De Haddad tenho receio de sua inexperiência, mas do que vem na sua cola tenho pavor...

VICTOR GERMANO PEREIRA

victorgermano@uol.com.br

São Paulo

PCdoB e cargos

Em relação à matéria PT já inicia disputa interna por cargos em eventual gestão, a direção municipal do PCdoB esclarece que em nenhum momento o partido debateu a indicação de nomes na administração de um eventual governo de Fernando Haddad na Prefeitura de São Paulo. Para o PCdoB, o processo eleitoral não terminou, portanto, não é o momento dessa discussão. A diretriz do partido tem sido de máximo empenho de sua militância para a vitória da chapa Fernando Haddad-Nádia Campeão nas urnas no próximo domingo. Em caso de vitória, no momento oportuno o PCdoB debaterá com o prefeito eleito, baseado no programa de governo, a colaboração do partido e de seus quadros.

WANDER GERALDO, presidente municipal do PCdoB

presidencia_cmsp@yahoo.com.br

São Paulo

N. da R. - As informações publicadas foram apuradas com integrantes do próprio partido e da campanha de Fernando Haddad.

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

ELEIÇÕES 2012

A provável vitória do PT em São Paulo mostra que a eleição é de mudança, e não de continuidade, em relação à atual administração. A provável derrota do PT em Campinas mostra que a eleição é de mudança, e não de continuidade, em relação à atual administração. As eleições locais têm de ser analisadas de acordo com cada cidade. Só o futuro nos dirá se haverá ou não impacto político do mensalão nas eleições gerais em 2014.

Luiz Roberto da Costa Jr. lrcostajr@uol.com.br

Campinas

*

DE POSTE EM POSTE, DE MILHÃO EM MILHÃO

Lula disse, num de seus comícios, que "de poste em poste o Brasil vai ficar iluminado". Tempos atrás, dizia para seus subalternos, de milhão em milhão, faremos o mensalão. Será que a oposição deixará que ele escape do mensalão? Perguntar não ofende!

Luiz Felipe Dias Farah felipefarah@gmail.com

São Paulo

*

MEQUETREFES

Mudei para a nossa querida cidade de São Paulo quando tinha 15 anos. De lá para cá, já se passaram 60 anos. Nesse tempo todo, vi passarem pela Prefeitura vários prefeitos, inclusive aqueles que, em seus mandatos, deixaram sua marca como grandes administradores (Prestes Maia, Faria Lima, Figueiredo Ferraz, Mario Covas). Tivemos aqueles dois do "rouba, mas faz", afora aquele maluco que varreu a cidade. Ultimamente, só temos prefeitos mequetrefes (Erundina, Pitta, Marta, Reinaldão, Kassab). Vamos nos preparar para mais uma administração mequetrefe, mais um poste instalado pelo Ali Babá? Até quando vamos ter de conviver com os postes e elle?

Hamilton Penalva hpenalva@uol.com.br

São Paulo

*

O DISCURSO E A REALIDADE

O ex-presidente Lula e seus companheiros não se cansam de dizer que governam para os pobres. Os pobres podem comprar frutas e legumes ao preço de R$ 10,00 o quilo? Podem comprar carne quando o quilo passa de R$ 20,00? O pobre come carne todos os dias, frutas, legumes, verduras, arroz, feijão e toma leite? O pobre tem atendimento médico, escola de qualidade para seus filhos, assim como transporte e moradia dignos? A todas essas perguntas os homens do PT respondem sim, pois de pobre eles só têm o espírito. Esses pobres a quem o PT diz que governa vivem de quê? De sonho? Na boca do caixa dos supermercados, feiras, açougues, etc., a realidade é bem outra. Se a vida do cidadão melhorou tanto, conforme discurso petista, por que os serviços essenciais continuam péssimos? E por que aqueles que são os mais atingidos se calam? Estão conformados em serem maltratados enquanto dão mordomia aos crápulas que nos governam? Será que apenas aqueles que lêem e se informam sabem das coisas e por isso a imprensa é tão perseguida pelos petistas?

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

RICO

Lula ficou rico de tanto falar de pobres.

Ivany S. Cavellucci icavellucci@yahoo.com.br

São Paulo

*

PROPAGANDA ENGANOSA?

Quando a esmola é grande até o santo desconfia. Nos oito anos do governo Lula, o setor que mais se beneficiou com redução de impostos, empréstimos milionários através do BNDES foi, justamente, o setor automotivo. Agora a presidente Dilma Rousseff vem nos dois primeiros anos de seu mandato fazendo o mesmo que seu antecessor, ou seja: privilegiando as montadoras de veículos com mais uma prorrogação da alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), que vencia em 31 de outubro. O anúncio foi feito no encerramento do discurso da presidente na abertura do Salão do Automóvel em São Paulo, capital. Concordo que o setor é um dos que mais emprega no País, porém, os mais beneficiados com a redução de impostos, além das montadoras, que deveriam reduzir o preço dos seus produtos, são a classe média e os ricos, que podem trocar de carro a cada 12 meses, deixando o trânsito nas grandes cidades ainda mais caótico e poluído. Por que essas mesmas benesses não são dadas para outros setores? Como o da alimentação, medicamentos, energia, telefonia, vestuários e tantos outros que carecem de ajuda do governo federal, como as micros e pequenas empresas. Além do mais, o que o governo federal tem cobrado das montadoras em troca de receber inúmeros privilégios? Acho que a melhor redução de impostos deveria ser para quem produz os itens de primeira necessidade para os mais de 190 milhões de brasileiros, cuja maioria é constituída de pobres e miseráveis, mas que paga por um pãozinho, um quilo de sal, feijão, café, arroz, açúcar, carne, batata, tomate ou um litro de leite o mesmo que uma pessoa rica. Não é o próprio Partido dos Trabalhadores que diz que trabalha primeiro para os mais necessitados? Ou é só propaganda enganosa em época eleitoral?

Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

*

NOVA POLÍTICA INDUSTRIAL

É um bom negócio montar carros no Brasil. Você recebe incentivos em tempos de crise ou mesmo sem crise. Não precisa gastar em alta tecnologia, os carros apelidados de "carroças" por governantes, apresentam defasagens tecnológicas dos similares de outros países e custam bem mais caros. Além dos incentivos, a indústria recebe proteção de tarifas alfandegárias muito elevadas para carros concorrentes importados, desestimulando nossa evolução tecnológica. A vantagem é que é uma indústria que cria empregos, embora, devido ao baixo nível tecnológico local, os salários mais elevados ficam reservados para suas matrizes, em outros países. Ainda assim, têm um apoio maciço do meio sindical brasileiro. Entretanto, sem grande esforço, a indústria vai atendendo ao crescimento da demanda nacional, sem demandas tecnológicas ao ponto de vários veículos não possuírem ainda airbags nem freios ABS. O último desenvolvimento tecnológico de importante no setor foi o carro Gurgel, em 1990. Daí em diante copiamos, com algum atraso, parte de novas tecnologias. Recentemente a presidente Dilma anunciou o programa Inovar Auto, que trata de incorporar dentro de alguns anos tecnologias adotadas em outros países há alguns anos e, com isso, as montadoras receberão mais novos incentivos. Assim, todas as montadoras - atualmente mais nove novas empresas - estão interessadas em instalar-se em nosso mercado, que em breve atingirá 5 milhões de unidades por ano (uma loucura para o trânsito local), entretanto, sem esperanças de exportação, dado que o Brasil não é competitivo. Já era tempo de o governo reformular a política do setor para passarmos a exportadores, adotarmos tecnologias mais modernas e, consequentemente, aumentarmos os níveis salariais locais. Não é somente a questão de não continuarmos na "rabeira" da indústria mundial, mas precisamos valorizar nossa mão de obra, evoluir tecnologicamente tanto na segurança como para benefícios ambientais e passarmos a participar realmente num grande mercado no qual somos apenas marginais por não agregarmos valor maior aos produtos, só "agregamos" ao preço.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

DESAFIOS DO NOVO PREFEITO

É importante lembrar que São Paulo ficou abandonada durante toda a gestão Kassab, com obras inacabadas por toda a cidade, e principalmente nas periferias, o trânsito caótico, a falta de e investimento em áreas como saúde, educação, habitação e transporte deixou esta cidade como ela nunca esteve. O atual (des)governo, ao não investir em transportes públicos, tornou o trânsito de São Paulo, que já era caótico, num dos piores do País. Agora vivemos totalmente parados: em períodos de chuva, o trânsito, que já é ruim, piora, e, junto com isso, para piorar ainda mais, tem o problema das enchentes, que este governo, investido em escândalos, nada fez para melhorar. A zona leste de São Paulo foi totalmente esquecida. Nos locais de enchentes, nada se fez para melhorar a situação, apenas desocuparam-se imóveis com promessas de melhorias, mas nada se vê de concreto. A saúde, melhor nem comentar. Com uma equipe das arábias na Secretaria Municipal da Saúde, observa-se que também nada é feito, nem a contratação de médicos e a capacitação de profissionais de saúde é realizada. Hospitais e prontos-socorros lotados, com pessoas na fila para atendimento, permanecendo a espera por até 12 (doze) horas para serem atendidos, prédios sujos, acabados, equipe de profissionais que não sabem atender, seguranças de prontos-socorros e hospitais da Prefeitura fazendo a triagem e dizendo quem pode e quem não pode passar naquela unidade de saúde, como se algum conhecimento tivessem acerca do assunto. E nada fez o atual prefeito, nem sua equipe. Educação com profissionais mal remunerados e equipamento pobre para que estes possam trabalhar alunos que não recebem os materiais didáticos e as roupas (uniformes) no período certo, já que sempre atrasa a entrega destes produtos, como sempre noticia a grande imprensa todos os anos. A falta de investimento de forma seria no setor, e a falta de vagas para alunos. Assim, São Paulo está parada, engessada. Este é apenas um dos novos desafios do novo prefeito da cidade de São Paulo, que será eleito no próximo domingo, e que tomará posse em 1.º de janeiro.

Mário Grego mariogrego@uol.com.br

São Paulo

*

TRANSPORTE COLETIVO

Ao contrário da proposta de Celso Russomanno, Serra deveria prometer transporte coletivo com tarifa única e mais barata, licitando todas as linhas existentes de uma só vez, ao invés de linha por linha, eliminando também a disputa entre as empresas pelas linhas mais rentáveis e acabando com as greves. Digo isso pois uma empresa em greve seria suprida pelas outras do sistema, mantendo os horários. Quanto mais empresas participantes do sistema, maior seria o incentivo para melhoraria do serviço em busca da preferência do usuário/consumidor. E para maior eficiência, as empresas deveriam ainda manter seus logotipos e cores para poderem continuar sendo diferenciadas por seus usuários. E para a estipulação tarifária, dever-se-ia, como já mencionado acima, chegar à tarifa única calculando a média dos diversos percursos, onde o mais necessitado que mora mais longe, nas periferias, paga tanto quanto o mais abastado que mora mais perto.

Aurelio Batista Paiva aureliobpaiva@gmail.com

Brasília

*

EDUCAÇÃO

Eventual vitória do PT e seus aliados no segundo turno em São Paulo será inócua em relação ao STF, mas valiosa na demonstração do que ainda precisa ser feito para melhorar o nível educacional do País.

Dagma Paulino dagpauli@gmail.com

São Paulo

*

O PT E O MENSALÃO

Não é possível acreditar que tem gente esclarecida com coragem para votar em mensaleiros. Parece-me estranho que muita gente esteja de acordo com o mensalão. Será triste se São Paulo cair na mão dessa gente. Salvem São Paulo!

Miguel Rizzo miguel.rizzo@terra.com.br

São Paulo

*

MEMÓRIA

"Quero dizer a vocês, com toda a franqueza, eu me sinto traído. Traído por práticas inaceitáveis das quais nunca tive conhecimento". "Estou indignado pelas revelações que aparecem a cada dia, e que chocam o país. O PT foi criado justamente para fortalecer a ética na política". "Determinei, desde o início, que ninguém fosse poupado, pertença ao meu Partido ou não, seja aliado ou da oposição". "E vamos continuar assim até o fim, até que todos os culpados sejam responsabilizados e entregues à Justiça". "Queria, neste final, dizer ao povo brasileiro que eu não tenho nenhuma vergonha de dizer ao povo brasileiro que nós temos que pedir desculpas. O PT tem que pedir desculpas". "Tenho uma biografia a preservar, um patrimônio moral, uma história de décadas em defesa da ética na política. Por isso, não vamos acobertar ninguém, seja quem esteja envolvido. Digo que cortaremos na própria carne, se necessário". "Este Congresso não pode, de forma nenhuma, estar sujeito à compra". "Não deixaremos pedra sobre pedra, iremos investigar". "Ninguém tem mais autoridade moral e ética do que eu para fazer o que precisa ser feito neste país. (...) Nunca o Brasil viu tanta gente importante e poderosa sendo presa por corrupção como agora". "O corrupto deve ser sempre punido. Seja quem for, venha de onde vier, seja adversário ou aliado". 'O que o PT fez do ponto de vista eleitoral é o que é feito no Brasil sistematicamente". "Eu me sinto traído por práticas inaceitáveis das quais nunca tive conhecimento". "Fui traído porque alguns companheiros tiveram um comportamento que não coadunava com a história do PT. O dinheiro fácil nunca fez bem a ninguém". "Temos que levantar a cabeça. Não podemos permitir que os setores mais conservadores venham falar de nós". "Humildemente, reconheço que nós fizemos coisas erradas". "Eu já fui julgado. A eleição de Dilma foi um julgamento extraordinário. Um presidente com oito anos de mandato sair com 87 por cento de aprovação é um tremendo julgamento, e eu não me preocupo com nada". (Luiz Inácio Lula da Silva).

Filippo Pardini filippo@pardini.net

São Paulo

*

ENGANAÇÃO

Uma lembrança do que disse o ex-presidente dos Estados Unidos Abraham Lincoln, para o ex-presidente do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva: "Podeis enganar toda a gente durante um certo tempo; podeis mesmo enganar algumas pessoas todo o tempo; mas não vos será possível enganar sempre toda a gente". Espero que esta mensagem sirva de alerta para o eleitor paulistano.

Leônidas Marques leo_vr@terra.com.br

Volta Redonda (RJ)

*

PAÚRA

Li no Estadão que o diretor do Banco Cruzeiro do Sul está preso no cadeião por não ter formação superior. Caramba! Eu que pensava que só presidente da Republica não tinha formação superior, mas tem diretor e presidente de banco. Este Brasil sempre me surpreende. Agora estou na dúvida. José Dirceu, José Genoino, Delúbio, Valério e este bando que está sendo condenado, teriam curso superior? E quem não tiver, vai para o cadeião? Curtirão cela com bandidos de sangue, como diria o juiz? Virando a página, leio que o PT e aliados em São Paulo já se rasgam na divisão de cargos, contando com a vitória de Haddad. Que paúra! São Paulo não merece isto. Esse é o jeito PT de governar?

Odair Picciolli odairpicciolli@moradadoscolibris.com.br

Extrema (MG)

*

AGENDA E COMÍCIOS

Agenda da presidente Dilma: no dia 19/10, às 10h30, ministro da Agricultura; às 15h00, ministro dos Transportes. À noite, sem nenhum compromisso oficial que a levasse a Salvador, dona Dilma estava lá, fazendo comício para o candidato do PT. Nos dias 20 e 21, a agenda dizia que a presidente não tinha compromissos oficiais. Mas a dona Dilma esteve em São Paulo fazendo comício para o candidato do PT. No dia 22/10, às 9h30, ex-presidente Sarkozy; 11h00, ministra Gleisi; 15h00, executivos da BMW. Onde estava a dona Dilma à noite? Em Manaus, fazendo comício para a candidata do PCdoB! Sem nenhum compromisso da Presidência agendado! Claro que a presidente usou os jatos da FAB em seus deslocamentos. Para cumprir compromissos que nada têm que ver com a Presidência nem com o Brasil, mas unicamente com seu partido! E nós, os contribuintes, pagamos por isso. Apesar de o Supremo Tribunal Federal (STF) já ter comprovado que o PT é um partido de delinquentes, parece que tal decisão não incomodou a presidente, que continua a ter ações totalmente irregulares, amorais e ilegais. Fico impressionado com o fato de a imprensa nada noticiar sobre esses gastos (enormes), nem o Ministério Público Federal se pronunciar sobre o fato. Isso é triste, muito triste!

José Alfredo de T. Andrade tolosajaa@uol.com.br

Santos

*

VICES

Concordo com o leitor Sr. Paulo Sergio Fidelis Gomes (Serra e seus vices, 25/10) que Serra não tem sido feliz na escolha de seus vices. Mas isso não tem nada que ver como seu gabarito moral. São imposições do jogo político, às quais inclusive o PT sucumbiu ao se aliar ao outrora nefasto Maluf na eleição paulistana deste ano. Mas Serra tem um passado de realizações que transmitem confiança a seus eleitores e deixam preocupações desse tipo para um segundo ou um terceiro plano. Agora, o que me deixa preocupado mesmo é o fato de seu adversário, Haddad, ter escrito, entre outros, um livro intitulado Desorganizando o consenso (Editora Vozes, Petrópolis, 1998). Acho que nem Gramsci na prisão teria tido tamanha inspiração. De um lado, ficou mais fácil entender a gestão de Haddad no Ministério da Educação, mas, de outro, dá medo imaginar o que pode acontecer com a Prefeitura de São Paulo (e com o País) se ele for eleito. Mas, voltando ao tema, alguém sabe quem são os vices dos dois candidatos?

Hermínio Silva Júnior hsilvajr@terra.com.br

São Paulo

*

SINUCA DE BICO

Senhores, vejam só a sinuca de bico na qual se encontram os eleitores lúcidos de São Paulo: de um lado, o Tutancamom (três vezes sem palavra) da UNE; de outro, o companheiro dos mensaleiros.

Roberto Pelosini jrapelosini@yahoo.com.br

São Paulo

*

PARA DEPOIS DA ELEIÇÃO

Num jantar entre amigos, José Dirceu comentou que, se for para a cadeia, vai se declarar "prisioneiro político de um regime de exceção". E mais: passando as eleições, o PT vai divulgar um manifesto com críticas bombásticas ao Poder Judiciário. Dessa maneira, penso que: 1) Dirceu foi um preso político de uma ditadura militar, obtendo asilo político no exterior ao ser trocado, junto com seus muy idealistas camaradas, pelo embaixador americano no Brasil, sequestrado pelos inefáveis terroristas. 2) Dirceu poderá ser preso (quem imaginava isso?) pelo regime democrático implantado no Brasil após o término da ditadura militar. E por que poderá ser preso? Porque Dirceu não respeitou as regras democráticas ao tentar implantar o projeto de poder do PT usando métodos escusos, criminosos, atentatórios à decência, com os quais pularia muitas etapas e, assim, apressaria a realização de tal projeto. A isso o Supremo Tribunal Federal (STF) deu nome: é crime! E é disso que Dirceu se queixa, da pecha de criminoso. Ele se sente um cidadão incomum, tal como José Sarney, e por isso não admite ser tratado como um cidadão qualquer. E pelo fato de os ministros do STF - escolhidos por Lula e Dilma - surpreendentemente não terem se comportado tal como quem recebe um cargo de confiança, Dirceu declara estar vivendo sob um regime de exceção. Só falta, agora, os seus militantes se transformarem em terroristas para tentar fazer cair este "regime de exceção", não é? Uma coisa garanto: acabada a eleição, o PT e José Dirceu darão a palavra de ordem para o Brasil assistir à multidão de militantes/meliantes tomar de assalto as estradas, os campos, as ruas e avenidas, exigindo que os mensaleiros sejam anistiados. Vai ser uma revolução de dar medo, mas eu lembro a todos que o medo é a forja dos corajosos!

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

QUANTO CUSTOU

O mensalão é o maior escândalo do Brasil que envolveu um partido político. O Ministério Público trabalhou anos e o Supremo, meses, no caso. Quem pagará as despesas e os honorários dos procuradores e juízes? Se o PT fosse uma empresa privada, estaria falida, mas como é um partido político, parece que ninguém dá muita importância.

José Martin jlmartin@estadao.com.br

São Paulo

*

A HEGEMONIA DO PT

Terminado o julgamento na sua parte de análise dos autos - o pronunciamento do relator ministro Joaquim Barbosa e a condenação da maioria dos acusados -, tem-se a sensação de que a democracia e o Poder Judiciário foram resgatados. O PT se surpreendeu com a atitude da maioria dos ministros, principalmente aqueles nomeados por Lula e Dilma, afinal, eram companheiros fiéis que não encontrariam nos autos do processo indícios do mensalão, e o projeto da aristocracia petista de se perpetuar no poder continuaria. O julgamento do mensalão teve o efeito de um jab na ponta do queixo do partido, mas apenas o atordoou. Com um programa assistencialista sem limites pode contar com uma sociedade "amorfa e invertebrada", segundo o professor Marco Antonio Villa. Essa sociedade de barriga cheia deu ao partido a hegemonia nas eleições municipais, e, surpreendentemente, ele está para receber de mão beijada do PSDB a última cidadela a conquistar, que é a capital paulista. O governo já se prepara para substituir o ministro Ayres Britto, que deverá ter o mesmo perfil de Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli. O governo colocou cabresto no Legislativo com as medidas provisórias (MPs) e não descarta a sanha de um dia controlar os meios de comunicação. Está em gestação uma republiqueta bolivariana que eliminou a oposição e anestesiou as Forças Armadas. Deixaram a hidra criar mais cabeças, tornando a tarefa mais difícil.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

FORMAÇÃO DE QUADRILHA

Nós, pobres mortais, não conseguimos compreender os votos das ministras do STF em relação à "formação de quadrilha" do grupo do mensalão, tão bem captada por nós. Preferimos entender que ambas as senhoras não estejam em consonância partidária com o "eminente ministro" Lewandowski e, por tabela, com o ministro Toffoli, ex-advogado do Partido dos Trabalhadores. Com a devida vênia, é o que infelizmente nos aparentou.

Leila E. Leitão

São Paulo

*

DE VOLTA À BANCA DE ADVOGADOS

O brilhante e excepcional ministro Joaquim Barbosa, com toda a sinceridade e franqueza, indagou o nebuloso ministro Lewandowski se ele era advogado de defesa do Marcos Valério. Infelizmente, não só este réu ele defende, pois a impressão que temos aqui, entre os mortais, é de que esse senhor advoga pelos componentes da "sofisticada quadrilha". O mais lógico seria esse senhor renunciar da toga e voltar à banca de advogados, pois magistrado ele realmente não é.

Ademar Monteiro de Moraes ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

*

GOL A FAVOR

Pela Liga dos Campeões da Europa o time alemão do Borussia Dortmund derrotou o Real Madrid pelo placar de 2 X 1, com um gol marcado pelo atacante Robert Lewandowski. Finalmente aparece um Lewandowski que marca gol a favor, e não contra.

Maurício Rodrigues de Souza mauriciorodsouza@globo.com

São Paulo

*

OS VOTOS SOBRE FORMAÇÃO DE QUADRILHA

Existem parentescos bem próximos e amizades em grandes confraternizações entre os ministros Lewandowski, Toffoli e o pessoal do mensalão. Estes dois ministros deveriam ter se declarado impedidos de julgar o mensalão, pois poderiam sobrepor seus interesses aos da Nação. Só estão onde estão porque este país é um circo. Já estávamos preparados para esses votos. Mas, quanto às ministras Rosa Weber e Cármem Lúcia, que decepção, que despreparo para cargo tão alto e de suma importância!

Ruth Moreira ruthmoreira@uol.com.br

São Paulo

*

INCONCEBÍVEL

É juridicamente inconcebível que os ministros Lulawandowski e o José Dias Dirceu Toffoli, que votaram pela absolvição dos réus, votem agora a dosimetria das penas. Será que o STF pretende perder a credibilidade agora conseguida?

Dárcio Mendonça Falcão dmfalcao@aasp.org.br

São Paulo

*

MESTRE DO DIREITO?

Soube que o ministro Lewandowski leciona em faculdade de Direito. Fiquei com pena de seus alunos. Creio que, a exemplo de Dias Toffoli, não conseguirão ser aprovados em concurso de ingresso à magistratura.

F. G. Salgado Cesar fgscesar@hotmail.com

Guarujá

*

OS 'CONTRAMÃO' DO STF

Estou cansado de ler na coluna Fórum dos Leitores do nosso Estadão os desabafos dos leitores sobre a conduta dos dois pseudoministros Lewandowski e Dias Toffoli. O primeiro só chegou ao STF por indicações várias desde o tempo da faculdade e por ser íntimo de familiares de Dona Marisa Letícia, abnegado acompanhante do ex-presidente Lula, aquele que não sabia de nada sobre o mensalão, não ouvia nada, etc. No entanto, este chegou a pedir ao povo brasileiro perdão porque foi traído, mas não disse por quem nem por quê. O sócio pseudoministro Toffoli foi indicado por ter sido advogado do PT e também advogado do primeiro mandachuva - pois foi "ele" que autorizou o início da "bandalheira". Por isso sugiro, como referência, os nomes destes elementos: Ricardo Contramão Lewiandowski; Dias Aprendiz e Paz Palpiteiro Toffoli; e Luiz Inácio Mentiroso e Cara de Pau da Silva, sujo como pau de galinheiro.

Aloysio Carneiro Dias aloysiocdias@ig.com.br

São Paulo

*

VITÓRIA

Tenho a impressão que os brasileiros irão ficar mais felizes com a aposentadoria dos ministros Lewandowski e Toffoli do que se ganharmos a próxima Copa do Mundo!

Milton Viana Paranhos mvp1312@yahoo.com.br

Pedregulho

*

REFÉM

Dias Toffoli, ministro do Supremo Tribunal Federal, não tinha a mínima condição moral para integrar o quadro de juízes da maior Corte deste país, pois é refém do PT e dos petralhas comandados pelo condenado José Dirceu.

Edward Brunieri patricia@epimaster.com.br

São Paulo

*

NADA NOTÓRIO SABER

Muito triste ver e ouvir um ministro do Supremo Tribunal Federal tão destoante no seu "saber jurídico" em relação aos seus pares. Apresentar votos pífios, demonstrando tão claramente não estar minimamente preparado para fazer frente a magistrados tão competentes e seguros do seu saber, é patético. Sr. ministro Dias Toffoli, antes de aceitar o convite para fazer parte de um colegiado de máxima competência, deveria ter-se lembrado de um ditado tão popular entre nós: "Quem não tem competência não se estabelece". E mais, desmerecer-se tanto apenas para fazer um favor felizmente não deu certo!

Maria Luiza Caurim Zanele marialuizazanele@yahoo.com.br

Fernandópolis

*

INCAPACIDADE JURÍDICA

A cada dia fica mais patente que o Sr. Toffoli escolheu como seu mentor o Sr. Lewandowski. Corre o risco de não melhorar em nada sua notória incapacidade jurídica!

Nelson Penteado de Castro pentecas@uol.com.br

São Paulo

*

TEIMOSO

Seria boa a participação do ministro dias Toffoli na dosimetria, apenas ficaria comprovada a sua má intenção em defender corruptos como José Dirceu e Genoino. Sua pena seria a libertação, com certeza, como se nada tivesse acontecido, pois já os absolveu em outra ocasião. Eu diria que ele não tem clima perante o povo brasileiro, e no próprio STF. Está escrito na testa dele que está defendendo com unhas e dentes essas pessoas, uma troca de favores por indicação do próprio partido.

Valter Barbosa da Silva valternikas10@hotmail.com

São Paulo

*

UNANIMIDADE

Parafraseando o ex-deputado: ministro Dias Toffoli, sai rápido daí. A reprovação à sua conduta no julgamento do "mensalão" ganhou unanimidade nacional com a adesão da facção estelar.

José Gilberto Sérvulo da Cunha jgservulo@hotmail.com

São Paulo

*

VOTO RÁPIDO

Temos de reconhecer que o ministro Toffoli é merecedor da medalha de ouro pelo recorde do voto mais rápido na história do STF.

Alvarez Aguiar alvarez.atib@hotmail.com

São Paulo

*

MARCOS VALÉRIO

Mais de 40 anos de prisão para o Marcos Valério. Bem, no Brasil a pena máxima é de 30 anos, por que, não sei. Já começa por aí. Com 1/6 da pena cumprida, ou seja, 6 anos e pouco, pode requerer o regime de progressão da pena, que pode vir a ser de regime semiaberto ou até aberto. E provavelmente, com mais alguns anos, consegue a redução da pena e, pronto, está livre com 10 ou 12 anos. Quem são os otários? Nós, como sempre. Agora entendem por que as penas no Brasil são risíveis. Não são penas. São prêmios. Quem as faz? Os legisladores. E quem são eles? Os deputados e senadores. E assim as fazem para eles não se submeterem a penas duras. Entenderam? Há quase dois anos que se fala em revisar o Código Penal. O que já fizeram neste sentido? Nada.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

ARQUIVO VIVO

Já solicitaram o passaporte do arquivo vivo Marcos Valério? E se ele "for fugido" para não delatar?"

Tania Tavares taniatma@hotmail.com

São Paulo

*

'FALA, VALÉRIO!'

Os candidatos e seus assessores precisariam ler o que os eleitores escrevem nos jornais. Ideias geniais para programas de governo e mesmo para marketing de campanha aparecem com frequência no espaço que lhes são dados. Exemplo é o Fala, Valério! bolado por Mara Montezuma Assaf no Fórum dos Leitores de ontem (25/10). As duas palavrinhas dizem tudo e poderiam estar estampadas em todas as propagandas dos partidos de oposição ao PT.

Nilson Otávio de Oliveira noo@uol.com.br

São Paulo

*

DOSIMETRIA

Em Física Nuclear, a dosimetria tem como objetivo calcular os efeitos da radiação ionizante sobre a saúde das pessoas que trabalham em locais expostos àquela radiação ou operam equipamentos radiativos. As avaliações, que devem ser criteriosas, constituem base de decisões em vários campos como o meio ambiente, a proteção radiológica, a medicina nuclear, a atividade forense e a própria pesquisa nuclear. No ambiente jurídico, o termo, no caso de sentença condenatória, refere-se ao cálculo da pena a ser imposta pelo Estado, através do Poder Judiciário, e reflete a reprovação pela ação cometida. Da mesma forma que, na atividade nuclear, a dosimetria se preocupa com a saúde do ser humano, o principal alvo da dosimetria penal é a saúde da sociedade, pela qual o Poder Judiciário é responsável. Aqui também é mandatório que as avaliações sejam realizadas sem açodamento. Está certo, portanto, o ministro Marco Aurélio Mello ao chamar a atenção da Corte para uma certa tendência de acelerar a dosimetria, pois, a seu ver, constitui a parte mais importante do processo, exigindo, assim, bastante serenidade.

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

OH! MINAS GERAIS

Como é que pode, uai, tomar R$ 2 mil da viúva, lá do interior de Minas, para salvar a sétima economia do mundo? Tá certo o juiz mineiro Geraldo Claret de Arantes, que tomou decisão polêmica, com base no julgamento da Ação Penal 470 - mensalão -, colocando em xeque a constitucionalidade da reforma da Previdência. Ao declarar que "essa reforma foi a mais violenta de todas na expropriação de direitos", que "ela viola a cláusula pétrea da Constituição do direito adquirido", que "a pensão não é uma benesse, é o ressarcimento do que o cidadão pagou a vida inteira" e que "não pode o governo chegar no meio do jogo e mudar a regra, dizendo que ele vai receber a metade", o magistrado mineiro se consagrou. Ao citar Maquiavel para condenar o argumento medieval oficial e ao citar Padre Vieira para tranquilizar a sua própria consciência, matou a pau.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

VIVA A COPA!

Estive no Aeroporto de Guarulhos na quarta-feira (24/10/12) às 18h30, para encontrar uma família que iria fazer escala em São Paulo vinda dos EUA e com destino a Curitiba. Ao chegar ao portão de entrada do estacionamento, havia uma fila considerável e foi quando descobri que o "sistema" havia caído e, portanto, havia um funcionário anotando a chapa e a hora de entrada numa papeleta, pois as cancelas não estavam operando (!). Depois disso, é desnecessário comentar a dificuldade de encontrar uma vaga, mesmo para "idosos". Como estava com tempo disponível, resolvi comer algo. Não consegui um único local disponível para sentar nem no terminal 1 nem no 2. Acabei comendo um misto quente no balcão, com uma certa dificuldade. O atendimento vou deixar de comentar. O painel indicou que o avião havia chegado e estava desembarcando. Levou 50 minutos deste momento até a tripulação aparecer no portão de desembarque (!). Os passageiros levaram 65 minutos e tinham 2 horas para o outro embarque. Não houve a mínima instrução, seja da TAM ou da Infraero, sobre como proceder, e nem o painel de informação dava o número do voo de conexão (!). Após consulta a inúmeros funcionários, tomar o elevador (lento) duas vezes, finalmente achou-se o local para despachar as bagagens e o local (terminal) de embarque. Como as pessoas não eram familiarizados com Guarulhos, a minha ajuda foi providencial, pois conseguimos chegar ao desembarque 1 minuto antes da partida marcada. Minha missão estava encerrada e me dirigi para o pagamento do estacionamento. Aí a coitada da funcionária tinha de fazer outra papeleta, calcular o custo e preencher os dados do carro. Finalmente, fui ao estacionamento, peguei meu carro e fui até o portão de saída, onde havia um funcionário que não sabia o que fazer com o papel e apenas me disse que aquela cancela ele não podia abrir - e que eu me dirigisse a uma outra (!). É desnecessário dizer que, a estas alturas, havia mais dois veículos atrás do meu (!). Omiti outros detalhes, para não tornar isso mais enfadonho do que já está. Nota: a família e eu somos brasileiros e falamos português, portanto, não havia problema de comunicação nem de leitura das placas. Imaginar o que será quando recebermos visitantes seja para a Copa ou outro evento internacional é, sem dúvida, um pesadelo.

Alexandre Schaffner ats@bighost.com.br

São José dos Campos

*

MOBILIDADE URBANA

As obras de mobilidade urbana ficarão prontas até dezembro de 2013 para a realização da Copa do Mundo de futebol em Fortaleza. Essa manchete está em todos os órgãos de comunicação do Ceará. Então, isso quer dizer que, se não fosse o evento da copa toda a cidade de Fortaleza ficaria sem mobilidade? Ora, vamos ser coerentes. Será que o futebol, e somente ele, é mais importante do que as necessidades básicas de uma cidade com mais de 2 milhões de almas, uma mediana metrópole. E onde vamos encaixar os poderes públicos nessa afirmação? Se governar depender apenas do futebol e do PAC do governo federal para consignarem-se as necessidades básicas de uma comunidade, então estaremos na contramão de tudo que se entende por administração pública municipal e estadual. Graças a Deus, o futebol veio, em boa hora, salvar os cearenses dos entraves da imobilidade urbana e, quem sabe, poderá salvá-los também da insegurança das ruas, nos acidentes de carros e nos assaltos a mão armada em cada esquina.

José Batista Pinheiro batistapinheiro30@yahoo.com.br

Fortaleza

*

'A PRIVATIZAÇÃO DO ESTADO'

Realmente chocante o editorial do Estadão de quarta-feira (página A3). Tudo indica realmente que os eventos Copa e Olimpíada serão muito prejudiciais ao País do ponto de vista financeiro e ético. As leis não são respeitadas, nem mesmo a Constituição. A Medida Provisória 584 mudou tudo. Já podemos prever o que vai sobrar para o bolso do brasileiro, que paga os mais altos impostos do mundo. Quem sabe um dia o STF poderá fazer algo para corrigir tantos e tantos erros como no caso mensalão. Será?

Plínio Zabeu pzabeu@uol.com.br

Americana

*

TARIFAS PROIBIDAS

É inaceitável que os bancos brasileiros cobrem diversas tarifas que são proibidas pelo Banco Central. É um bom exemplo de como as coisas funcionam de forma errada no Brasil, sem fiscalização, deixando as raposas tomarem conta do galinheiro. Os bancos só querem aumentar seus lucros, mesmo que seja de forma desonesta, imoral e antiética. Eles deveriam ser severamente punidos por tais práticas que violam os direitos dos correntistas e o Código de Defesa do Consumidor.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

ANÚNCIO E REALIDADE

 

O governo atacou as tarifas bancarias e elas continuam com mensalidades de R$ 30,00, R$ 40,00 ou mais. O governo também atacou os juros mensais cobrados nos cartões de crédito, e eles continuam sendo cobrados à razão de 10%, 12% e 14% ao mês. Agora é a vez das máquinas de crédito e débito, será que também ficarão na mesma?

Gustavo Guimarães da Veiga gjgveiga@hotmail.com

São Paulo

*

PAÍS DE MALANDROS

Leio no jornal que as tarifas bancárias aumentaram de valor em 33% em apenas um ano. Agora deu para entender a tal "baixa de juros", cantada em verso e prosa. Estão tirando com uma mão, para dar com a outra. Brasil, o país dos malandros!

Maria Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

*

O CRACK NO RIO DE JANEIRO

Apesar de polêmica, sou favorável à internação compulsória de adultos viciados em crack, essa droga maldita que está destruindo lares e famílias em todo o País, anunciada pelo prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes. De acordo com a atual legislação, uma pessoa só pode ser internada contra a vontade, caso fique comprovado à incapacidade da mesma em tomar decisões. Ora, qual viciado tem raciocínio enquanto drogado, para pensar qual rumo quer tomar na vida? A dependência química requer sério tratamento e a abstinência do usuário deve ser acompanhada de perto por profissionais capacitados, portanto a internação é fundamental, e acho que um aval de um responsável é o suficiente, pois só quem sofre de perto o problema, sabe as conseqüências que as drogas causam. Não adianta somente reprimir e transportar os viciados das cracolândias para abrigos, pois em cada esquina juntam-se novamente e o cenário entristecedor dos viciados na sarjeta volta a reinar. Providências urgentes devem ser tomadas para salvar essas pessoas da morte, mesmo que essas medidas não agradem a todos, mas que salvem vidas e que evitem que outras sejam ceifadas, pois inúmeros assaltos são praticados por enlouquecidos usuários, que necessitam de dinheiro para suprir o vício.

Deborah Farah deborah.farah@gmail.com

Rio de Janeiro

*

INTERNAÇÃO COMPULSÓRIA

Sou psicóloga e estudo a dependência química. No momento faço um trabalho com dependentes em recuperação, todos motivados para se manter em abstinência, mas sou a favor da internação compulsória para aqueles que perderam o poder de decisão, não cogitam a mudança, a única prioridade são as drogas, então não vejo outra saída, somente a internação. O consumo de cocaína e crack avançou rapidamente em nosso país, aumentando os números da violência e criminalidade. O usuário sem trabalho e sem dinheiro para a manutenção do vício passa a praticar assaltos e cometer outros delitos, ações criminosas, mas sempre com objetivo de conseguir a substância de sua preferência. O Brasil é o maior mercado consumidor de crack do mundo, de acordo com os dados da pesquisa do II Lenad (Segundo Levantamento Nacional de Álcool e Drogas). O crack tem se tornado a droga mais destruidora de vidas e famílias na atualidade. Fumar o crack é a via mais rápida de fazer com que a droga chegue ao cérebro e provavelmente esta é a razão para a rápida progressão e para a dependência. A internação compulsória, que tem como diferencial a avaliação de um juiz, é usada nos casos em que a pessoa esteja correndo risco de morte devido ao uso de drogas ou de transtornos mentais. A internação compulsória é feita através de uma decisão judicial que incide sobre os direitos da pessoa, vejo isso como uma medida de segurança, esse tipo de internação pode tirar os dependentes químicos da situação de risco, acredito ser a alternativa mais correta e segura. Temos que analisar se o doente nesse momento é capaz ou incapaz, necessita ser internado ou não, oferece perigo a si e aos que estão ao seu lado ou não. O assunto é sério e estamos falando de drogas psicoativas que interferem na capacidade mental e que estão colocando os usuários e outros em riscos, apesar dos prejuízos causados pela droga, muitos não percebem e continuam fazendo uso da substância. É preciso capacitar os profissionais de saúde para atenderem os usuários de crack, não adianta internar e não dar assistência. Os profissionais devem ter em mente o que é o crack, como é seu uso, qual o caminho e as consequências da droga no organismo, como lidar com as situações de alto risco, aqueles que lidam diretamente com os usuários de crack, deveriam se dedicar as leituras de pesquisas realizadas, livro sobre tratamento do usuário de crack, enfim, temos que estar preparados ou nos prepararmos para melhor atendê-los. Muitos leitores vão dizer que a nossa Constituição garante o direito de ir e vir, mas acredito que nesse momento o mais importante é o direito a vida, a saúde, a segurança, o bem estar e ao tratamento.

Adriana Moraes adri.psi@ig.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.