Fórum dos Leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S.Paulo

31 Outubro 2012 | 02h07

Delação premiada

Imaginem o clima de tensão, temor e angústia em que se encontram os envolvidos em geral no bando do esquema do mensalão ao saberem que Marcos Valério pediu proteção e simultaneamente ofereceu à Justiça - e a ela se sujeita - a delação premiada.

ANGELO TONELLI

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

Batata assando

Acho improvável que o sr. Marcos Valério, o "operador" do mensalão, já devidamente condenado pelo STF, cumpra a ameaça de trocar informações por pena menor. De qualquer forma, deve haver muita gente sentindo a "batata assando", como se diz.

JOSÉ MARQUES

seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

Caixa de Pandora

Eis aí algo que não interessa a ninguém exceto ao próprio sr. Marcos Valério e ao povo brasileiro. Tenho minhas dúvidas de que exista coragem para negociar e levar o assunto para a frente. Abrirão a caixa de Pandora? Aguardemos. Gostaria de estar errado.

ULYSSES F. NUNES JUNIOR

ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo

Atenuante ou agravante?

Conforme publicado pelo Estadão (27/10), numa última tentativa às vésperas do encerramento do julgamento do mensalão, a defesa do ex-ministro José Dirceu pediu ao STF que o passado de seu cliente seja levado em consideração na hora do cálculo da pena que terá de cumprir. Creio que seu passado foi considerado, sim. E deu no que deu!

CLÁUDIO MOSCHELLA

arquiteto@claudiomoschella.net

São Paulo

Passado levado em conta

Ora, os ministros só têm a possibilidade e capacidade de julgar o passado! O presente vive-se e o futuro acontecerá. Nós, brasileiros, só queremos que os ministros do STF julguem o passado na questão do mensalão. Ponderar nesse julgamento se na infância alguém foi um bom menino não nos interessa. E o tempo de guerrilha já foi julgado.

JORGE WISZNIEWIECKI

jatw@terra.com.br

São Paulo

'Corruptio optimi pessima'

Ou seja, a corrupção do melhor é a pior. O advogado de José Dirceu quer atenuar a pena com a alegação de que ele fez grande bem ao Brasil?! Não sei se Dirceu fez tanto bem que possa ser posto entre os melhores. Mas, quanto melhor tenha sido, tanto pior é a corrupção em que se envolveu.

CELSO DA COSTA C. VIDIGAL

celsovidigal@uol.com.br

São Paulo

ECOS DAS ELEIÇÕES

Reflexões sobre o 2º turno

Fernando Haddad (PT) foi eleito, em São Paulo, por aproximadamente 48% dos votantes - tudo bem, que prevaleça a vontade popular expressa democraticamente nas urnas. Mas só 70% dos eleitores habilitados a votar o fizeram; 30% não manifestaram preferência pelo vencedor (abstenções + votos em branco + nulos). Ou seja, a preferência por Hadad foi manifestada por 33% dos eleitores habilitados a votar. Restam 67% (dois terços) que não votaram no candidato petista. Não se pode dizer, então, que o povo paulistano absolveu o PT pelo mensalão, como ansiosamente desejado pelos petistas, encabeçados pelo Lula. Na segunda-feira recebi um e-mail - que parecia ter sido enviado a muitos destinatários - de um tal sr. Max Altman celebrando o significado desejado para essa vitória pelos petistas. Cautela com suas conclusões precipitadas, petistas. Recomendo também que os petistas, antes de comemorar a "derrocada" de José Serra (PSDB), analisem criteriosamente os dados do mapa de votação em todas as seções da capital paulista. Isso para não mencionar a reviravolta do favoritismo do PT no Norte e Nordeste, que maciçamente vinham votando nesse partido nas últimas eleições.

HÉLIO ALVES FERREIRA

hafstruct@hotmail.com

São Paulo

Milícias petistas

Para que não se repitam nas próximas eleições a selvageria e o desrespeito à ordem dos pleitos e à própria ordem pública, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não pode permitir que petistas, filiados a outros partidos ou qualquer pessoa - condenados ou não pela Justiça - acessem locais de votação acompanhados de guarda-costas com o nítido propósito de agredir a imprensa ou tantos quantos se sintam indignados pela presença de indivíduos fora da lei no recinto, a exemplo do que aconteceu neste domingo, quando dois mensaleiros compareceram ao pleito municipal.

LAFAYETTE PONDÉ FILHO

lpf41@hotmail.com

Salvador

Intimidação e agressão

Tal como outros partidos totalitários e fascistas, o PT tem as suas milícias, encarregadas de intimidar e agredir opositores. Esse é o grande "partido democrático", reflexo e espelho da mente distorcida do seu criador e tutor, Lulla.

RENATO PIRES

repires@terra.com.br

Ribeirão Preto

Brechas na lei

Os eleitores de Osasco lamentam que seu direito de cidadãos tenha sido violado, pois o candidato de sua preferência estava legalmente registrado e tinha nome e foto na urna eletrônica. A Justiça Eleitoral tem o dever de julgar antes do pleito os recursos pendentes. Não foi o que ocorreu. A solução das dúvidas é a garantia que o eleitor precisa ter para ir às urnas com tranquilidade e confiança no processo democrático. Se isso não for possível, cabe ao legislador adaptar a lei à realidade. Em dois anos haverá nova eleição. As lacunas e incongruências da lei serão sanadas? Caso contrário, qual será a garantia que o eleitor terá para continuar votando? O que nós, eleitores de Osasco, desejamos é que doravante o candidato vencedor seja o legitimado pelas urnas, tenha representatividade da grande maioria da população e não haja tapetão para determinar o vencedor. Eis os resultados finais: total de eleitores, 543.223; abstenção, 93.543 (17,22%); votos em branco, 30.071(6,69%); nulos, 188.992 (42,03%). Analisando esses números podemos dizer que 312.606 eleitores foram alijados do processo eleitoral em Osasco. Com a palavra a Justiça Eleitoral.

JOSÉ DA SILVA

jsilvame@hotmail.com

Osasco

Abstenção

Causou-me enorme estranheza a preocupação da ministra Cármen Lúcia, presidente do TSE, com a abstenção de 19% no segundo turno no País. A ministra não precisa fazer nenhuma reunião com seus colegas do tribunal. É só prestar atenção e ver o que são os "políticos" no Brasil. A abstenção só tende a aumentar. O povo está chegando ao limite. Imagine, então, se o voto fosse facultativo.

ANTONIO DI STASI

antoniodistasi@yahoo.com.br

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

'JT', UM POUCO DE NÓS

Fui leitor assíduo do Jornal da Tarde (JT), pelo menos durante os últimos 35 anos. Era um jornal moderno, de impecáveis formatação e conteúdo. Eu, modestamente, colaborava com mensagens comentando fatos do cotidiano, compiladas no livro São Paulo Pergunta, publicado em 2006. Foi-se o JT. Foi-se um pouco de nós.

Cláudio Moschella arquiteto@claudiomoschella.net

São Paulo

*

FOI UM MARCO

Mesmo morando em Americana (SP), sempre fui fã do JT, pois morava em São Paulo e sempre o lia. Fico triste em saber que esse maravilhoso jornal tem seu fim decretado. Foi um marco na história jornalística.

Paulo Sergio paulohfranca@uol.com.br

São Paulo

*

SE...

Se ele estivesse "vivo", a manchete do ex-irreverente Jornal da Tarde de segunda-feira teria sido Maluf reassume a Prefeitura de São Paulo.

Moacyr Castro jequitis@uol.com.br

Ribeirão Preto

*

GENOINO DE VOLTA À CÂMARA

O condenado réu do mensalão, José Genoino, não satisfeito de ter indignado a Nação, ainda ter sujado sua biografia como homem público, como um dos artífices da montagem da quadrilha que desviou recursos do erário na gestão Lula, que inclusive está sendo julgada no Supremo Tribunal Federal (STF), na tal ação penal 470, e como mais uma prova de que não tem nenhum apego, ou respeito pelas nossas instituições, agora pretende voltar a assumir sua cadeira de deputado federal na Câmara dos Deputados. Se isso ocorrer, nosso já desmoralizado Congresso ficará mais emporcalhado ainda, porque aconchegara mais um corrupto dentre os 513 parlamentares da Casa. Logicamente que o Genoino somente irá concretizar mais esta possível farsa do petismo contra as nossas instituições com a anuência explicita do ex-presidente Lula. O pai de todas essas excrescências, com que infelizmente estamos sendo obrigados a conviver nestes últimos dez anos...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

TRAMOIA

José Genoíno está jogando todas as cartas possíveis contra sua condenação no processo do mensalão. Deputado, não vai adiantar, mesmo tendo assinado sem saber, foi "laranja" do PT. Se foi laranja, pela lei merece cadeia, porque desde pequena meu pai me ensinou "não assine nada sem ler". Infeliz ou felizmente, sua excelência dançou como milhares de brasileiros que caem no conto do vigário. No entanto, pela pressa com que estão fazendo para que seja empossado deputado novamente, alguma tramoia sinistra a tropa de choque do PT deve estar arquitetando. Escrevam!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

A TROPA DE CHOQUE DE GENOINO

O que vimos segunda-feira no programa CQC, da TV Bandeirantes, foi algo de lamentável, porém não de se estranhar, vindo de quem veio. As agressões físicas e verbais contra os repórteres de diversas emissoras e veículos, em especial a Oscar Filho, que foi agredido com socos e pontapés na cabeça por ditos "seguranças" marginais agindo em favor de José Genoíno. (Na ocasião, também foi agredida uma senhora de 80 anos.) Além de proferirem palavras de baixo calão, mostravam todo o seu analfabetismo e falta total de educação e estrutura gritando: "Você vão ver o que vai acontecer seus sujo". Queria saber o que mais poderia acontecer?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

O PT NO BANCO DOS RÉUS

A nota do PT afirmando que o partido não está nem nunca esteve no banco dos réus levanta uma questão que ficou muito mal resolvida no julgamento do mensalão. A cúpula do PT foi julgada e condenada por corrupção, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, etc. Mesmo com essa condenação, o PT, maior beneficiário do maior esquema de desvio de dinheiro público da história deste país, não sofreu qualquer tipo de punição, muito pelo contrário, acaba de eleger o prefeito da cidade mais rica do País. Esta na hora de corrigir essa injustiça e colocar, sim, o PT banco dos réus.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

CONTRADIÇÃO PERIGOSA

Parece que não adiantaram o mensalão, as denúncias todas contra o presidente Lula, a execração pública do Partido dos Trabalhadores na mídia para influenciar nas eleições municipais. Tudo isso ficou de lado. A população paulistana, mesmo após a trágica fotografia do Maluf abraçando em seu colo corrupto o candidato à Prefeitura de São Paulo, o PT coloca o seu candidato no alto da Avenida Paulista. Talvez a imagem que o povo paulistano queira do seu representante local seja aquela do "Lulinha paz e amor", imagem esculpida pelo monstro Duda Mendonça, parceiro do PT até no banco dos réus, e que elegeu Luiz Inácio na sua primeira eleição. Haddad, aos poucos, foi chegando, como quem não quer nada, mesmo estando muito mal colocado nas pesquisas iniciais e mostrando essa imagem do conciliador. E conciliou. Conquistou a metrópole financeira do País no segundo turno, simplesmente a cidade brasileira que nunca dorme, a maior circulação de bens e riquezas por metro quadrado do continente. O PT volta, em meio às condenações de seus líderes, às águas turvas dos votos dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), no entorno da sua própria lama. Talvez o julgamento seja de pessoas desvinculadas de um partido, talvez o partido seja apenas a agremiação que uniu os condenados, mas, mesmo assim, a eleição do representante deste partido cria uma contradição perigosa. Enquanto o País quer expurgar alguns petistas da política, São Paulo coloca outro no lugar mais alto do pódio local. Alguma relação entre o Haddad e o mensalão, não. Alguma semelhança com Maluf, não. Algum fato desabonador, bem, todo político pode ter, mas a eleição do petista para a prefeitura da maior cidade do País em meio ao julgamento do mensalão denota, pelo menos, uma conclusão: a votação foi muito mais no homem do que no partido ou na política partidária. Há quem diga que não há mais diferença entre esquerda e direita, que todos são socialistas e democratas, que os partidos diferem por nuances e não mais por posições políticas claras. Agarrados na esperança e buscando ver o lado positivo, torcemos por um brilhante governo do petista vencedor. Acompanhando os votos e condenações do processo do mensalão, recuamos apavorados. Quando achávamos que o Partido dos Trabalhadores iria sucumbir, ele arremata em dois lances a maior cidade do País.

Francisco Laranja f_laranja@hotmail.com

Porto Alegre (RS)

*

A LUTA DE JOSÉ DIRCEU

"Lutei pela democracia e fiz dela minha razão de viver. Vou acatar a decisão (do STF) mas não me calarei. Continuarei a lutar até provar minha inocência." Sim, José Dirceu, não se cale, e coloque em prática esta frase do nazista Joseph Goebbels: "De tanto se repetir uma mentira, ela acaba se transformando em verdade". Neste Brasil do PT, é bem capaz que você consiga seu intento, já não duvido de nada mais... A propósito, por qual democracia Dirceu alega ter lutado, se a guerrilha no Brasil lutava para implantar aqui a ditadura à moda cubana? Se torcer o discurso de Dirceu, não sobra suco algum, puro bagaço de mentiras.

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

A REVOLUÇÃO DOS BICHOS

A claque organizada que acompanhou o Sr. Dirceu à urna de votação, em 28 de outubro, com o claro objetivo de afastá-lo da imprensa e protegê-lo da multidão de "admiradores", entoando vibrantemente "Dirceu, guerreiro do povo brasileiro", me fez lembrar da Revolução dos Bichos, de George Orwell, onde ele cita o formidável e igualmente vibrante balido das ovelhas: "Quatro pernas bom, duas pernas ruim". Qualquer semelhança é mera coincidência.

Walter Duarte duartecont@globo.com

São Caetano do Sul

*

DIRCEU E GENOINO

Para quem se assume como heróis da Nação, com "relevantes" serviços prestados, deve ser duro ter de se protegido a cada exposição pública. Aqui se faz, aqui se paga...

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

HISTÓRIA

Os advogados de José Dirceu apresentaram novo memorial ao STF pedindo redução da pena no julgamento do mensalão sob o argumento de que o réu tem "relevante valor social" e que o Lula o considera como "um cidadão que lutou pela democratização do Brasil, pagando com o exílio". É uma tese audaciosa, falaciosa e fantasiosa, fácil de concluir mediante uma leitura atenta da biografia do réu. Ele foi líder estudantil entre 1965 e 1968, daí até 1979 ele foi exilado político, vivendo em Cuba e no México, tendo retornado clandestinamente ao Brasil em 1971, morando inicialmente no Nordeste e, de 1975 a 1979, em Cruzeiro do Oeste (PR), onde com outro rosto e outro nome casou-se, foi pai e trabalhou na loja de armarinhos da esposa. Em 1979, com a Lei da Anistia, ele se revelou à esposa, se separou dela e do filho e retornou a São Paulo, após nova plástica no rosto. Com o País já redemocratizado, Zé Dirceu ajudou a fundar o PT. Convém aduzir que o juiz aposentado Silvio Mota, ex-companheiro de militância de José Dirceu, em entrevista à revista Veja (17/10), disse que o ex-ministro era preguiçoso e egoísta e continua sendo, só se preocupava com seus projetos pessoais e botá-lo para combater seria um estorvo. Como "chefe de quadrilha" ele deverá, sim, ter a pena exasperada.

Junios Paes Leme junios.paesleme@ig.com.br

Santos

*

DIRCEU PEDE CLEMÊNCIA

Dirceu pede clemência ao Supremo para abrandar a sua pena em nome de sua vida pregressa, quando lutou contra a ditadura militar. Por hora o que assistimos na Ação Penal 470 são os ministros a julgar, absorver ou condenar os acusados em nome da Constituição de 1988, em defesa de uma democracia muito citada por todos eles durante o julgamento. Portanto, por tudo o que constatamos em nossa triste história do golpe militar de 1964, Dirceu e seus companheiros guerrilheiros lutavam para implantar no Brasil um sistema socialista de governo do "tipo de democracia comunista", tal qual ocorreu em Cuba; assim sendo, não haverá consenso nessa petição, data venia.

Leila E. Leitão

São Paulo

*

'RELEVANTE VALOR SOCIAL'

Os advogados de José Dirceu apresentaram uma nova defesa ao STF pedindo a redução da pena no julgamento do mensalão sob o argumento de que o réu tem relevante valor social. Só se for em Cuba! Qual é o valor social de um elemento que sempre agiu nas trevas em busca de um utópico projeto de poder sem medir os meios nem as consequências? Qual é o valor social de um elemento, que modificou seu rosto através de cirurgias plásticas e constituiu uma falsa família com o único intuito de se esconder do regime militar? Qual é o valor social, enfim, de um elemento que pagou por votos de políticos corruptos, com dinheiro sujo e destruiu a pouca credibilidade que ainda restava à incipiente democracia brasileira? A pena de José Dirceu deve, sim, ser aumentada ao máximo possível para que esse elemento pernicioso não contamine mais, com o seu péssimo exemplo, outras gerações de brasileiros.

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

PASSADO

O principal réu do mensalão pede para que levem em consideração seu passado. A que passado ele se refere, àquele em que viveu sob identidade falsa, enganando até a mulher com quem se casou, ou ao passado em que ele se uniu a terroristas e assaltantes de banco para combater os que tinham ideias diferentes das suas?

Celso Ribas G. de Carvalho crgc22@gmail.com

São Paulo

*

QUAL DEMOCRACIA?

Como líder estudantil, mandava os inocentes úteis na frente, para levar bordoadas e serem presos, enquanto fugia. Em nenhum dia de sua vida lutou pela democracia, e, sim, por uma ditadura de esquerda nos moldes da implantada na União Soviética, que permitiu a Stalin massacrar milhares de pessoas, ou no estilo do companheiro Fidel, que fuzilou muitos de seus opositores. Foi em Cuba que José Dirceu aprimorou sua democracia, que usou os seguintes "processos democráticos" na busca de sua implantação: atentados terroristas (como o que matou Mario Kozel Filho, estudante prestando o serviço militar obrigatório), assaltos a bancos, sequestros e "julgamentos" como o que motivou o massacre do tenente PM Mendes, no Vale do Ribeira. Na época em que era dirigente de destaque do PT, ocorreram os assassinatos dos prefeitos de Santo André (Celso Daniel) e de Campinas (Toninho), até hoje sem solução. José Dirceu, seu passado te condena!

Marcelo de Carvalho Braga marcelocbraga@uol.com.br

São Paulo

*

O GUERRILHEIRO DIRCEU

Dirceu pede que seu passado seja levado em conta, mas aí é que ele se ferrou. Que ele pare de ler somente o jornalzinho do PT e falar somente com seus comparsas, ninguém mais cai nesta balela de luta contra a ditadura militar. Todos que não estão cooptados com o PT sabem que ele foi um guerrilheiro armado que pretendia implantar a ditadura socialista no Brasil, nos mesmos moldes que em Cuba.

Vagner Brasileiro vbricci@estadao.com.br

São Vicente

*

'PRESO POLÍTICO'

Se José Dirceu se considera um prisioneiro político. Nós, brasileiros, somos prisioneiros do clientelismo político de seu partido, que dividiu o País em capitanias de bolsa poder.

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com

São Paulo

*

RELEVÂNCIA

Só pode ser algum tipo novo de "pegadinha" ou piada ou o advogado do Sr. José Dirceu deve estar delirando. Vai apelar para o "valor social" do seu cliente para tentar reduzir a pena dele no STF. Vai apelar para o passado dele, que, segundo ele, foi de grande relevância para o País. Deve estar brincando. Não dá para comentar um absurdo desse. Quer dizer que sua prisão e banimento do País são serviços relevantes? Não sabe o que é relevância. Qual o QI deste advogado, hein? Quantos neurônios tem?

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

UM ADVOGADO MEQUETREFE

Quando o advogado José Luís Oliveira Lima, do réu José Dirceu, fez sua sustentação oral no STF, esperava-se um grande orador e uma brilhante defesa, mas o que assistimos e constatamos foi a uma atuação pífia e uma sustentação que qualquer quartanista de Direito faria, e bem melhor. Talvez quem tenha redigido a defesa tenha sido o "grande consultor e lobista" Zé Dirceu, já que ele ostenta ser advogado, apesar de nunca termos visto sua carteira da OAB. E após o julgamento do mensalão, que terminou semana passada, Zé Dirceu deverá receber uma bela pena, já que foi condenado em vários crimes. Vemos novamente seu advogado mequetrefe entrar com um recurso no STF, que chamam de memorial , alegando desavergonhadamente que, "em razão do passado de seu cliente, em prol de importantes valores de nossa sociedade, como a luta contra a ditadura militar", pede clemência. Nem eu, que não sou do ramo, jamais pediria tamanho absurdo, pois até as pedras sabem o passado sujo de Zé Dirceu, que queria tudo, menos lutar pela democracia no Brasil. E pelo que ele fez de mal ao nosso país tem, sim, de pegar muitos anos de cadeia e ter seu patrimônio sequestrado como garantia de pagamento de parte do que roubou.

Agnes Eckermann agneseck@yahoo.com.br

Porto Feliz

*

SALVAGUARDA DO PRESENTE

Não compete ao passado salvaguardar o presente, este que foi futuro há pouco. Lastimável recorrer à história de atuação de José Dirceu e José Genoino na militância esquerdista contra a ditadura militar para abafar, ou melhor, suavizar a imagem torpe que constroem à frente do poder. Como emana o poeta Antônio Cícero, "toda a origem é forjada no caminho cujo destino é o meio". Infelizmente, este meio tem como meta o interesse próprio. Não mais aqueles de outrora, que apenas saíram da prisão com a ajuda do sequestro do embaixador Charles Elbrick.

Pedro Beja Aguiar pedrobejaaguiar@gmail.com

Rio de Janeiro

*

DECISÃO JUDICIAL

A frase que estamos acostumados a ler ou ouvir que "decisão da justiça não se discute, cumpre-se", não se aplica à dupla José Dirceu e José Genoino, pois eles estão acima da lei. Eles se julgam assim, não são, portanto, homens comuns. Acham-se pessoas diferenciadas, especiais, Genoino com sua cara de coitado e Dirceu sempre com os dentes cerrados. Seguem o exemplo e os conselhos daquele que se julga deus e que tudo pode. Infelizmente eles se tornaram isso porque os homens de bem deixaram. Atenção, ficarão piores se o STF permitir.

Alvaro Salvi alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

*

CORRUPÇÃO NO BRASIL

Solidarizo-me com a preocupação do leitor sr. João Coelho Vitola (30/10) quanto ao caráter do cidadão brasiliense. Lula é pernambucano, José Genoíno é cearense, José Dirceu e Marcos Valério são mineiros e Delúbio Soares, goiano. Nenhum deles é paulista ou paulistano, no entanto, pelo núcleo político ter se destacado em São Paulo ou terem sido eleitos por esta cidade "pan-brasileira" (com perdão pelo neologismo), muitos estendem sua corrupção, prepotência e arrogância a todos os paulistas. Nós, paulistanos, sofremos preconceitos do Brasil inteiro e somos, portanto, solidários à sua preocupação. Isso não significa que condenemos pernambucanos, cearenses, mineiros, goianos e demais brasileiros, pois já está na hora de todos nós compreendermos que os velhacos não têm pátria e procuram os lugares onde os holofotes são mais fortes.

Lucília Simões lulu.simoes@hotmail.com

São Paulo

*

LENDA

Pode-se dizer que a eleição de Fernando Haddad em São Paulo se deu por força dos votos de Paulo Maluf, Celso Russomanno e Gabriel Chalita, além da elevada rejeição de José Serra (45%) e da avaliação baixa de seu aliado Gilberto Kassab, e não pela presença intensa de Lula e da presidente Dilma na campanha, pois eles estiveram forte e agressivamente em Manaus (AM), onde para eles era questão de honra derrotar Arthur Virgílio; em Belo Horizonte; Salvador; Recife; e Fortaleza. E em todas essas capitais foram derrotados de forma muito forte. Em Manaus, onde o ex-senador Arthur Virgílio sofreu toda sorte de ataques, as pesquisas, no primeiro turno, podem ser consideradas históricas, pois deram empate técnico e vimos Virgílio vencer por 40x19, marca nunca vista em qualquer pesquisa, e, no segundo turno, ganhou por 65x34, numa vitória retumbante. Portanto, essa lenda do "deus" Lula de que falou Marta Suplicy não funcionou e ficará esquecida.

Luiz Nunes de Brito rosahollmann@rocketmail.com

Rio de Janeiro

*

A HISTÓRIA SE REPETE

O Estadão noticiou que, por indicação de Lulla, Fernando Haddad deverá incluir no seu secretariado o petista Marcio Pochmann (PT-SP), candidato derrotado em Campinas. Para acomodar a cumpanherada que foi derrotada, em 2002, Lulla elevou o número de ministérios para 40, a quase maioria irrelevante, e os loteou entre os ilustres derrotados. Quem não se lembra da lamentável atuação de Olivio Dutra (PT-RS), que não conseguiu sequer gastar o orçamento a ele disponibilizado, e de Bendita da Silva, entre outros? Marcio Pochmann é muito mais qualificado que a grande maioria dos cumpanheiros, mas com certeza outros virão, e, quem sabe, até alguns mensaleiros ou o próprio (nefasto) Paulo Maluf. São Paulo não merece, logo, cabe a Fernando Haddad zelar pelo patrimônio que lhe foi legado e também pelo seu nome, se pretende seguir em carreira política ascendente.

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

*

FALTA DE OPÇÃO

Não foi intuição de Lula ao lançar o novo, mas, sim, instinto de sobrevivência, pois os velhos e conhecidos caciques do PT estão na maior parte respondendo a malfeitos (Palocci e outros...) ou acusados de corrupção /quadrilha (Dirceu, Genoino, João Paulo, Delúbio...). Logo, não podia lançar os "velhos" caciques, que também podiam num futuro ofuscá-lo, e, sendo ele o ditador de quem vai concorrer pelo PT, mantém as rédeas no partido, que se submete, pois quer continuar aparelhando o País.

Tania Tavares taniatma@hotmail.com

São Paulo

*

PARTIDO INDECOROSO

Muito se diz sobre a vitória de Fernando Haddad em São Paulo, e como o resultado seria mais uma obra miraculosa da divindade chamada Lula, que está, para os petistas, assim como Mao Tsé Tung está para o Partido Comunista Chinês - ora, Marta Suplicy, no seu mais recente panegírico dedicado ao dono do PT, até já o chamou de Deus! O curioso, porém, é que não se vê essa gente ensaiar qualquer tipo de opinião em relação às derrotas vexatórias do partido em capitais importantes espalhadas Brasil afora, especialmente Porto Alegre, Belo Horizonte, Salvador, Fortaleza e Manaus - nesta última, com requintes de crueldade, pois o combativo oposicionista tucano Arthur Virgílio obteve quase 70% dos votos válidos contra sua adversária, que contou com o engajadíssimo apoio dele, Lula, e da presidente Dilma. Era esperado que os discípulos lulistas fossem usar o êxito na capital paulista como cortina de fumaça para os humilhantes resultados adversos dos outros Estados. Mas será indecoroso se o partido tomar o resultado da eleição paulistana como recurso para encetar um discurso insidioso sobre o julgamento do mensalão, como se os habitantes da maior cidade do País tivessem ido às urnas com o intuito último de absolver os seus corruptos e quadrilheiros. Se é assim, então os moradores das capitais onde petistas perderam se juntaram aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) que condenaram Dirceu e cia., não é? Do PT, porém, tudo se pode esperar.

Henrique Brigatte hbrigatte@yahoo.com.br

Pindamonhangaba

*

KASSAB ABRIU O CAMINHO

O PT do Lula, o PP do Maluf e o PMDB do Chalita/Temer venceram a eleição para prefeito da cidade de São Paulo, e o Kassab (PSD) também, que deverá receber um ministério no desgoverno da presidenta Dilma, bem como o Chalita - tem lugar para todos, tudo pago pelo generoso povo brasileiro. O desgoverno Kassab abriu o caminho para a eleição de Fernando Haddad, que lhe proporcionou enorme rejeição popular, que se transferiu para o Serra, justamente a quem lhe facilitou a candidatura como vice e a sua própria reeleição a prefeito, que amigão, hein? O PT poderá ter uma grande oportunidade de fazer um excelente governo municipal se pretende chegar ao governo do Estado, caso contrário não fará o governador e, inclusive, colocará em risco a reeleição da presidenta em 2014. No atual momento, só quem segura o PT é o próprio PT e/ou o STF, desde que não surjam fatos novos na ação penal 470 (mensalulão). Ao PSDB resta-lhe recompor os seus quadros com novas lideranças e nomes respeitados para não cair no esquecimento da população, além de ser mais rápido nas suas definições políticas com maior antecedência das eleições, as próximas serão em 2014.

Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

*

NA NOVA PREFEITURA...

Agora é só esperar janeiro e aguardar o primeiro escândalo.

Guto Pacheco daniguto@uol.com.br

São Paulo

*

HORA DE PAGAR A FATURA

Com relação à matéria de primeira página de segunda-feira (Perfil social divide eleitores em SP), que diz que os eleitores de Haddad ganham na faixa de R$ 2.227, gostaria de tecer um comentário. O PSDB, que governa São Paulo por todos esses anos, sempre tratou como "coisa menor" a educação, saúde, segurança, enfim, todos os funcionários em geral, camuflando salários com abonos e outros penduricalhos mais, nunca levando-os a sério. Chegou a hora de pagar a fatura! Funcionário público vota, inativo também vota, assim como todos os seus familiares. Bom seria o Sr. governador Geraldo Alckmin fazer uma reflexão sobre o tema, se não quiser encerrar sua carreira antes da hora. Em tempo, não sou petista, apenas uma professora aposentada.

Maria Luiza Caurim Zanele marialuizazanele@yahoo.com.br

Fernandópolis

*

SERRA E MALUF

A diferença entre Serra e Maluf são alguns anos a menos e os métodos, mas de resto ambos têm em comum a ganância desenfreada por poder, custe o que custar. Bem feito. Haddad pode até não vir a ser um grande prefeito, mas pelo menos o paulistano rechaçou o oportunismo de José Serra.

Daniel Shimomoto de Araujo shimomoto@terra.com.br

Garça

*

ELEITOS, ELEITORES, IMPRENSA E... PROMESSAS

Terminada a eleição, o eleitor, no seu próprio interesse, deve acompanhar a atuação dos eleitos para, se necessário, deles cobrar o cumprimento das promessas feitas na hora de conquistar o voto. É dessa forma que o povo pode contribuir para a melhora do país e até da própria classe dos políticos. Os veículos de comunicação poderão prestar um grande serviço à sociedade, divulgando o plano de governo e o quadro geral de promessas dos eleitos. A sociedade é o conjunto dos cidadãos. Todos têm direitos e deveres. Os que se candidatam a cargos públicos assumem o dever de trabalhar pela comunidade e os demais, que participaram do processo eleitoral, levam consigo o direito de fiscalizar o que fazem seus representantes nos respectivos cargos. No dia em que o eleitor deixar de se esquecer o nome do candidato em quem votou e passar a prestar atenção à atuação dos eleitos, serão mais difíceis o descumprimento de promessas e o surgimento de escândalos de corrupção e malversação do dinheiro público. Torcemos para que todos os eleitos sejam capazes de cumprir suas obrigações e atuem com honestidade no trato da coisa pública. Apenas isso já nos garantirá um Brasil melhor do que o atual. Mas o povo não pode recolher-se à comodidade e pensar que a equação de nossa sociedade é responsabilidade exclusiva dos políticos. Eles têm o dever de trabalhar e nós (povo) temos o direito de fiscalizá-los.

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

FÚRIA CLIMÁTICA

Furação Sandy causa várias mortes e deixa rastro de destruição nos Estados Unidos e no Canadá. Essa fúria da natureza é o preço que a humanidade terá de pagar pelos desmatamentos e pela poluição dos rios que vêm ocorrendo há séculos ao redor do mundo.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

É DOSE

Graças ao glorioso Deus, o Brasil não corre nenhum perigo de intempéries como o Sandy, que está abalando os Estados Unidos. Nem de terremotos, maremotos, neve em excesso, etc. Em compensação, temos políticos que envergonham a Nação e o mundo. E por essas e por outras que talvez fosse melhor termos Sandies, Glorias, etc., porque conviver com PT, Lula, Haddad, o ventríloquo ou poste, e Maluf junto do PT é dose para cavalo louco. Salve Jorge!

Antonio Jose G. Marques a.jose@uol.com.br

São Paulo

*

PRIMEIRÍSSIMOS

Sempre ouvi, desde criança, que os brasileiros somos abençoados, porque aqui não há furacões, tornados e quetais. Já imaginaram se não houvesse tanta falcatrua e desvio? Com certeza, seríamos o primeiríssimo mundo, com todo dinheiro sendo aplicado para o povo.

Maria do Carmo Zaffalon Leme Cardoso mdokrmo@hotmail.com

Bauru

*

BEM PIOR...

O furacão Sandy fez mesmo muitos estragos em Nova York, mas, se tivesse sido o furacão "Sandy... e Junior", aí é que o bicho ia pegar!

Paulo Boccato pofboccato@yahoo.com.br

São Carlos

*

PRODUÇÃO DA PETROBRÁS

O déficit comercial de petróleo e derivados até setembro de 2012 foi de 164 mil barris/dia, informa a Petrobrás. A tão festejada autossuficiência não é um título vitalício, precisa ser reconfirmada sempre.

Alexandru Solomon alex101243@gmail.com

São Paulo

*

CRISE NA ESTATAL

Na tentativa de se salvar, a Petrobrás tenta conseguir recursos para investimentos através de venda de ativos. (Cadê os defensores das estatais? Estão vendendo um pedaço da Petrobrás e ninguém fala nada?) Mas a imagem da Petrobrás está tão em baixa que não consegue levantar recursos de forma nenhuma. A produção na Bacia de Campos está caindo, por isso a Petrobrás necessita importar mais combustíveis para atender à demanda nacional, que está em elevação, graças ao incentivo dado às montadoras, que, com a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), estão vendendo mais veículos. Será que, findas as eleições municipais, Dona Dilma vai começar a trabalhar e salvar a Petrobrás?

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

CUSTO PETROBRÁS

Graça Foster, presidente do Petrobrás pretende aumentar o preço da gasolina para fazer caixa. Sugiro a Foster que não faça graça com a Petrobrás. Utilize uma varinha mágica, digo, uma vassoura, e faça uma limpeza nesses petralhas incompetentes do PT para baixar custos administrativos. Agindo assim, você terá caixa de sobra para fazer investimentos e não aumentar o preço da gasolina.

Edward Brunieri patricia@epimaster.com.br

São Paulo

*

PREÇO DA GASOLINA

Um litro de uma gasolina de melhor qualidade é vendido ao consumidor americano por R$ 2,00. No Brasil o mesmo litro é vendido por R$ 2,80 (R$ 1,25 para a Petrobrás e mais R$ 1,55 de impostos, taxas e lucros), isso porque somos "autossuficientes", como disse Lula. Não está na hora de rever essa estrutura de preços, aumentando a remuneração da Petrobrás e mantendo o preço final para os consumidores com vistas também à inflação?

Gustavo Guimarães da Veiga gjgveiga@hotmail.com

São Paulo

*

MEIO CHEIO OU MEIO VAZIO

Os brasileiros mais esclarecidos estão cheios das idas-e-vindas da Petrobrás S/A, useira e vezeira em descumprir metas. Querem, a exemplo da Vale S/A, uma empresa de capital aberto, que não tenha como acionista majoritário o próprio governo, disfarçado em fundos de pensão. Empresa estatal de economia mista não passa de uma aberração. Abaixo a presença e a intervenção do poder público na economia. Privatização já!

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

INTERFERÊNCIA POLÍTICA

O PT meteu o bedelho na Vale, e o resultado, como não poderia deixar de ser, aí está. Idêntico ao da Petrobrás. Este partido causa prejuízos imensos ao País. Passou da hora de legislar a respeito, impedindo a interferência política nas empresas, ou colocando regras.

André C. Frohnknecht anchar.fro@hotmail.com

São Paulo

*

REFINARIA FLEX

Com pressa para fazer caixa, Petrobrás tenta vender ativos no exterior, mas não consegue. Triste, porém esperada manchete, depois da desastrada administração de mais um poste sem luz plantado na empresa pelo chefe dos chefes, o quadrilheiro Luiz Inácio Lula da Silva. Não precisa ser administrador para ver os desmandos naquela que foi a maior empresa brasileira e uma das maiores do mundo. Tome-se como exemplo a refinaria de Abreu e Lima, em Pernambuco, ideia parida pela dupla Chávez-Da Silva. A planta inicialmente orçada em R$ 4 bilhões e para ser concluída em 2010, sabe-se agora que custará R$ 16 bilhões e só será entregue em 2014. Sugiro aos engenheiros responsáveis pelas obras que construam a primeira refinaria flex do mundo: segunda função dessalinizar água do mar, já que o petróleo da Bacia do Orinoco não vem, o da Bacia de Campos está a 2.800 km de distância, logística cara, e com a produção em queda.

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo

*

PROPRIEDADE INTELECTUAL

A Associação Brasileira de Propriedade Intelectual (ABPI) manifesta total apoio as iniciativas do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi) de promover a capacitação técnica dos seus examinadores em ampla discussão com entidades nacionais e internacionais, como no recente curso voltado para a área de biotecnologia organizados conjuntamente com a entidade BIO, e abordado nas matérias ONGS questionam curso sobre patentes e Empresas brasileiras criticam apoio do Inpi a multinacionais, publicadas, respectivamente, nos dias 25 e 26 de outubro por este jornal. A ABPI considera que a atual gestão do Inpi tem se pautado pelo diálogo aberto com as empresas e entidades representativas no âmbito da propriedade intelectual, sejam nacionais ou estrangeiras, procurando não fazer distinção ou favorecimento de grupos ou tendências de qualquer espécie. O que a ABPI, como representante dos detentores de direitos de propriedade intelectual, espera do Inpi é justamente maior capacitação dos examinadores, melhor qualidade técnica das decisões e rapidez no processamento, e para isso o órgão tem feito investimentos em melhorias operacionais e interlocução franca com os diversos setores de propriedade intelectual. Por se tratar de uma área regulada por diversos tratados internacionais de que o Brasil já parte, é natural que o Inpi realize eventos e treinamentos em conjunto com entidades internacionais, como no caso da BIO.

Luiz Henrique do Amaral, presidente da ABPI rubeny@abpi.org.br

Rio de Janeiro

*

INTERNAÇÃO PSIQUIÁTRICA DO DROGADO

Sabe-se que a liberdade do adulto está em ser seu próprio chefe. No suplemento Aliás de 28/10/2012,o Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira, psiquiatra, e o Prof. Dr. André Mendes, advogado, abordaram, de maneira muito lúcida, um tema importante e bastante atual: a internação coercitiva para o doente drogado. Uso "doente", e não "indivíduo", porque a intoxicação intensa e crônica é dominadora, devastadora e extingue o indivíduo. Interna-se não para punir, mas para tornar possível a volta do paciente ao estado de pessoa. A etapa de internação para desintoxicação é indispensável em muitos casos e visa a tornar possível o prosseguimento do tratamento ambulatorial em longo prazo. Não há divergência entre os dois articulistas - ao contrário, são complementares.

Dr. Mauro Moore Madureira mauromm@uol.com.br

São Paulo

*

'COERÇÃO COM COMPAIXÃO'

Nas entrelinhas, o psiquiatra Ronaldo Laranjeira (Coerção com compaixão, 28/10/2012, J3) revela um desejo de ruas limpas de usuários de crack.

Fausto Ferraz Filho faustofefi@ig.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.