Frente pela Renovação

Chegou o momento de passar o Brasil a limpo e enfrentar os problemas com visão estratégica

*Rubens Barbosa, O Estado de S.Paulo

12 Dezembro 2017 | 03h04

O Brasil começa a se recuperar da grave crise econômica, política e ética, que deixou profundas marcas no conjunto da sociedade. Políticas econômicas erradas levaram o País para a mais grave crise das últimas décadas. O Congresso Nacional, contaminado pela Lava Jato e representando interesses corporativos, é um fator de resistência às mudanças que os novos ventos no Brasil e no mundo tornaram inadiáveis.

A ausência de liderança efetiva no Executivo, no Legislativo e no Judiciário agrava o quadro nacional e exige de todos os que se preocupam com o futuro do Brasil um esforço para promover um debate que chame a atenção para as mudanças que a sociedade brasileira terá de enfrentar nos próximos anos de modo a melhorar a vida das próximas gerações.

O preço do imobilismo será maior do que o custo das mudanças necessárias para restabelecer as condições de governabilidade do País. Não se pode deixar de contar com um Estado eficiente, efetivo e comprometido com o interesse público, em especial com os interesses dos segmentos mais pobres da população. Será inevitável o reexame do papel do Estado e o grau de sua interferência na vida de todos nós e das empresas.

O cidadão comum tem de aprender a defender seus direitos e participar de forma democrática na solução dos problemas que se acumulam e parecem sem solução. A população, anestesiada pela crise em todos os níveis, tem de despertar e exercer seus direitos de cidadania.

Diversas instituições e grupos organizados da sociedade civil estão discutindo essas questões e propondo soluções. Corretamente foi identificado que uma das ações a serem desenvolvidas será a renovação do Congresso com qualidade. Para essa finalidade movimentos políticos suprapartidários estão surgindo em todo o País, criados por jovens que resolveram ingressar na política, em vez de estigmatizar a classe política e os partidos existentes. São exemplos dessas organizações, que buscam a renovação do Congresso em 2018, a Renova, Brasil 21, Acredito, Agora!, Bancada Ativista, Nova Democracia, Raps, Movimento Transparência Partidária, Virada Política, Bancada Ativista.

A Aliança Brasil, o Instituto de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Irice), o Ranking dos Políticos e o movimento Vem Pra Rua decidiram formar a Frente pela Renovação, a fim de apoiar e divulgar candidatos comprometidos com uma agenda de propostas que busca uma sociedade mais justa, íntegra, sustentável e democrática.

Embora reconhecendo as dificuldades do atual sistema eleitoral e do regime partidário para alcançar esse objetivo, a Frente propõe-se a coordenar esforços suprapartidários da sociedade civil organizada em prol de um Estado mais eficiente, menos corrupto e que continuamente diminua a desigualdade de oportunidades no País.

Foi definida uma agenda básica de propostas que reúne as ideias de uma rede de parceiros que compõe a Frente pela Renovação. Dentre os princípios que compõem essa agenda estão a diminuição da desigualdade social e o aumento de oportunidades via melhoria da gestão de serviços públicos como saúde, educação e segurança; administração sustentável dos recursos econômicos e naturais e o estabelecimento de real representatividade por meio de uma reforma política que combata ativamente os privilégios e a corrupção. E que exige o fim do foro privilegiado, o impedimento de congressistas assumirem cargos públicos, além de ter como bandeira a eliminação de privilégios como altos salários e benefícios que difiram dos oferecidos a trabalhadores do setor privado.

A ideia é atrair candidatos comprometidos com essa agenda de princípios da Frente e, por meio de um processo seletivo que analisa o histórico de engajamento político e as propostas de campanha do candidato, treiná-los e divulgá-los, auxiliando o eleitor a escolher na hora do voto.

Com a abertura de inscrições para o processo seletivo de candidatos a deputado federal e senador, a Frente pela Renovação foi lançada ontem, a qual poderá oferecer-lhes, por meio de uma rede de parceiros com mais de 2,2 milhões de seguidores, apoio e divulgação em todos os seus canais de comunicação. O objetivo é apresentar ao eleitor pessoas íntegras e comprometidas em levar o Brasil para a frente.

O candidato que vier a ser eleito com o auxílio da Frente deve comprometer-se com essa agenda desde a inscrição até o final do seu mandato. O cadastro de entidades e a inscrição para seleção de candidatos estão abertos no site www.frenterenovacao.org.

A formação de uma bancada nova com políticos que já estão na vida pública e com pessoas que estarão dando os primeiros passos nessa direção poderá influir nos debates parlamentares e focar nos reais interesses do País, acima de interesses pessoais e de grupos.

A renovação do Congresso Nacional tem sido alta, sobretudo pela saída de parlamentares para ocupar outros cargos púbicos, abrindo espaço para representantes de interesses corporativos e de membros da mesma família, verdadeiros clãs políticos.

A discussão pública de nossos representantes sobre o futuro do Brasil não pode seguir ignorando o que está acontecendo no mundo e o atraso em que o País se encontra em quase todas áreas, quando comparado com outras nações.

Chegou o momento de passar o Brasil a limpo e enfrentar os reais problemas que afetam a sociedade brasileira com uma visão estratégica de médio e longo prazos. Governo, empresários e trabalhadores, como parceiros, juntamente com os agentes políticos, em momentos cruciais têm de poder superar suas diferenças e atuar em conjunto a favor do crescimento e do emprego.

Não resta alternativa à sociedade brasileira se quiser evitar o que aconteceu em alguns países europeus, como a Grécia, no passado recente.

*Presidente do Instituto de Relações Internacionais e Comércio Exterior

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.