Fórum dos Leitores

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

03 de janeiro de 2020 | 03h00

GOVERNO BOLSONARO

Trem para o futuro

Li no primeiro dia do ano que o presidente Jair Bolsonaro pretende incrementar programas sociais voltados para os mais pobres porque é nessa camada da população que sua popularidade é baixa. E para se reeleger precisa tomar providências para conquistar os votos dos despossuídos. Tudo bem se isso realmente os ajudar neste período de crise econômica. O que impressiona é a falta de preocupação com a educação como forma de possibilitar a ruptura da pobreza de forma sustentável. Só com educação de qualidade será possível tirar milhões da pobreza extrema, além da necessária proteção social. Porém a única preocupação do governo no campo educacional tem sido o controle ideológico, como se pessoas muito pobres tivessem alguma noção do que significa ideologia de esquerda ou direita. O que desejam é sobreviver com um pouco mais de comida na mesa e emprego que possibilite isso. No mais, sonham para seus filhos uma vida melhor, o que só uma boa escola poderá prover, porque essa é a única e verdadeira porta de saída da pobreza. O resto pode ser uma ajuda, mas nunca uma solução. Claro que, além da renda familiar, é preciso prover para a população pobre atendimento de saúde melhor e, sobretudo, saneamento básico. Aí estaremos falando de uma genuína preocupação com a pobreza no País. Se assim não for, serão apenas, mais uma vez, medidas demagógicas e populistas. E já chega disso. É preciso romper, de fato, com o círculo vicioso crônico da pobreza no Brasil.

ELIANA FRANÇA LEME

efleme@gmail.com

Campinas

Tudo se copia

Uma das metas do governo Bolsonaro para o segundo ano de mandato é, de fato, marcar presença na área social, buscando reconquistar popularidade e ganhar notoriedade na Região Nordeste do Brasil. O primeiro passo já foi dado ao criar o 13.º pagamento do Bolsa Família. Esse programa social, é bom lembrar, foi criado pelo governo Fernando Henrique Cardoso com o nome de Bolsa Escola e, depois, espertamente ampliado pelo governo petista, tornando-se o maior programa social de distribuição de renda, com o nome de Bolsa Família. Agora é a vez de o presidente Bolsonaro mudar o nome do programa.

J. A. MULLER

josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

Balanço de um ano

Analisando as informações que nos chegam e vendo o que o Estadão vem estampando em suas manchetes de primeira página, podemos dizer que o balanço do governo Bolsonaro foi muito positivo, apesar de ter sido combatido pelo Congresso Nacional e por membros do Supremo Tribunal. Ou não?

CARLOS E. BARROS RODRIGUES

ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

Gestão pública

Ainda sobre o editorial Metas de desempenho (31/12, A3), aplausos para o secretário especial de Desburocratização do governo federal, Paulo Uebel, pelo esforço que vem fazendo para implementar o contrato de metas e desempenho para órgãos da administração pública direta e indireta. Esse será um excelente instrumento para que os bons gestores públicos possam nortear e envolver os servidores na busca de resultados. Ou seja, serviço público prestado com mais eficiência e qualidade para o destinatário final, que é a população brasileira, a qual, com impostos e taxas, paga por ele.

ELOISA DE SOUSA ARRUDA

eloarruda@uol.com.br

São Paulo

ELEIÇÕES MUNICIPAIS

O Brasil não pode parar

De acordo com o editorial Eleição não pode parar o País (1.º/1, A3), “é mais inteligente o parlamentar que mostra serviço, apoiando as reformas de que o País tanto necessita, e que transforma esse apoio em capital eleitoral”. Vi exatamente isso ser feito durante o ano de 2019, acompanhando os trabalhos da bancada do Partido Novo na Câmara dos Deputados. Cabe ao eleitor ficar atento, reconhecer o valor dos parlamentares que trabalham em prol do Brasil, independentemente de siglas partidárias, e prestigiá-los com o voto. Mas a mídia também pode e deve contribuir para a renovação política, dando nome aos “deputados e senadores que argumentam que ano eleitoral é um período em que não se pode discutir e votar temas espinhosos no Congresso”. Eleição e políticos demagogos ou corruptos não vão parar o País, pois os eleitores, os movimentos de rua, a mídia e os bons políticos estarão unidos por um Brasil melhor.

MARIA CARMEN DEL BEL TUNES

carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

EDUCAÇÃO

Financiamento Estudantil

Sempre achei o Fies um programa necessário para possibilitar aos jovens das classes com menor poder aquisitivo cursar uma faculdade. Ao longo do tempo, porém, como sempre acontece no Brasil, foram descurados a fiscalização curricular, os critérios de controle de qualidade e, mais ainda, os resultados. Proliferaram cursos com baixíssimos custos de implementação, a maioria sem laboratórios e outras ferramentas cientificamente exigidas para seu fundamento. E nem estou falando de Odontologia, Medicina ou Engenharia. Há outros cursos em que um bom recurso audiovisual é materialmente suficiente. As faculdades mais interessadas e corretas investem na qualidade docente, que se traduz por maiores gastos. Mas pergunto: quais delas têm trabalhos científicos publicados em revistas reconhecidas no meio acadêmico e indexadas? Sem medo de errar, raríssimas. Em termos financeiros, segundo o Estadão, o rombo atinge R$ 12 bilhões, irrecuperáveis. E não são os jovens os culpados pela inadimplência, e sim o descaso e o interesse político de fazer do Fies uma forma de transferir dinheiro público para o setor privado, via abandono de investimento público na educação, criando novos milionários.

CLÁUDIO BAPTISTA

clabap45@gmail.com

São Paulo

ORIENTE MÉDIO

Embaixada invadida

A invasão da Embaixada dos EUA em Bagdá, no Iraque, cria a crise diplomática mais grave desde a invasão da representação diplomática norte-americana em Teerã, no Irã, em 1979, Na época, 52 reféns norte-americanos permaneceram reféns por 444 dias, houve grande dificuldade nas negociações e perda de controle da situação pelo governo de Jimmy Carter, o que contribuiu para sua derrota nas eleições de 1980. A crise dos reféns terminou somente no dia da posse do presidente Ronald Reagan, em 1981. A atual escalada de tensão no Oriente Médio deverá ser também um problema de peso que o presidente Donald Trump terá de enfrentar durante sua campanha para a reeleição, até o início de novembro.

LUIZ ROBERTO DA COSTA JR.

lrcostajr@uol.com.br

Campinas

“A reportagem ‘Desigualdade social piora no País’ (26/12) mostra que todos os Estados que são governados pelo PT – Piauí, Rio Grande do Norte, Ceará e Bahia – estão entre os que apresentam os piores índices. Coincidência?”

 

LUCIANO NOGUEIRA MARMONTEL / POUSO ALEGRE (MG), SOBRE O DESCOMPASSO ENTRE O DISCURSO EM DEFESA DOS MAIS POBRES E A PRÁTICA PETISTA

automatmg@gmail.com


“A ausência de legendas priva os deficientes auditivos de entenderem os filmes nacionais”

 

ANA LUSIA GOUVEA GUASCO / SÃO PAULO, SOBRE INTEGRAÇÃO CULTURAL

analusiag@uol.com.br 


PLACAR VICIADO

O ano dava seus últimos suspiros e o Supremo Tribunal Federal (STF) ainda conseguiu, antes dos brindes de “adeus ano velho, feliz ano novo” colocar duas doses de desânimo em nós, brasileiros, que de antemão ficamos sabendo, de acordo com opiniões de alguns ministros, qual será o placar, se houver um julgamento das ações contrárias à criação do juiz de garantias, contestada, pelas Associações dos Magistrados Brasileiros(AMB) e dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) e pelo Podemos. São 6 a 5 favoráveis à gastança desnecessária. Pensamos: a Suprema Corte está em férias, portanto, não teremos sobressaltos até que termine o recesso do Judiciário. Ledo engano. Esquecemo-nos da figura do plantonista, Dias Toffoli, que em caráter liminar cancelou o desconto no DPVAT até que o plenário decida sobre o caso, sabe-se lá quando e com a quase certeza do que o placar mais uma vez vai apontar. Supremo 6 x 5 contribuintes. Meia-noite. Tudo de bom pra você e sua família, que 2020 nos traga paz e prosperidade, que a esperança renasça em todos os brasileiros... Como ter paz, se vivemos em sobressaltos diários? Como ter prosperidade, se a maioria da população vive de migalhas? E a esperança? Ah, a esperança... Essa já morreu antes do novo ano.

SÉRGIO DAFRÉ dafre@hotmail

Jundiaí

*

DIAS TOFFOLI

O eminente ministro Dias Toffoli, atual presidente do STF, tem sido mais iminente, imediato, do que eminente, quando cuida de dificultar a punição de acusados.

ROBERTO BRUZADIN bobbruza2@gmail.com

São Paulo

*

AS MUDANÇAS DO BRASIL

Apagadas as luzes de 2019 e olhando para esse Brasil de janeiro a dezembro não há como não reconhecer que tivemos mudanças. É bem verdade que não se constrói um país destruído pelo PT em apenas um ano. Os números não nos deixam enganar, basta olharmos a economia. Tivemos um crescimento pequeno, porém positivo. Grandes mudanças no combate aos crimes, apesar de o Congresso e o STF terem lutado para conter as investigações da Lava Jato e libertar da cadeia os poderosos, usando as brechas da lei e criando outras sempre com a finalidade de poupar poderosos. Na infraestrutura, o País deu um grande passo e certamente mais privatizações virão, porque a meta é diminuir o tamanho do Estado, inchado em todos os governos passados. Apesar de alguns veículos de comunicação insistirem em não mostrar que o Brasil está no rumo certo, vamos caminhar em 2020 torcendo por mais empregos e menos violência. Um feliz ano novo para todos, com a certeza de que, se o Brasil avançar nas suas reformas, quem sairá ganhando serão todos os brasileiros.

IZABEL AVALLONE izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

INSS

Leio, estarrecida, que haverá a partir deste ano desconto no recebimento do INSS, até mesmo para quem ganha salário mínimo de aposentadoria. Não entendo essa lógica, de tirar dinheiro de quem trabalhou a vida toda e deixar sem cobrança grandes fortunas e templos religiosos. Devo estar precisando voltar a estudar Matemática.

MARIA DO CARMO ZAFFALON LEME CARDOSO zaffalon@uol.com.br

Bauru

*

IMPÉRIO DO CINISMO

A exibição de faixas nas praias de Santa Catarina com os dizeres “Lula cachaceiro devolve meu dinheiro”, patrocinada pelo empresário Luciano Hang, dono das lojas Havan, resultou em que a defesa do condenado ex-presidiário – solto pelos amigos –, além de entrar com ação contra o empresário por calúnia e difamação, tentou proibir a exibição da faixa, o que foi rejeitado pelo juiz encarregado, alegando não se poder realizar censura prévia, não permitida pela Constituição. A autoproclamada “alma mais honesta do planeta” deve viver no império do cinismo. Achar-se caluniado e difamado por ser chamado de cachaceiro, como se ninguém tivesse visto tantas fotos claras de embriaguez da criatura? Sem falar nas provas irrefutáveis das propinas recebidas por ele.

APARECIDA DILEIDE GAZIOLLA aparecidagaziolla@gmail.com

São Caetano do Sul

*

SEM VOZ

Os dados econômicos aos poucos estão emudecendo os petistas e os arautos, perdendo a voz.

EUGÊNIO JOSÉ ALATI eugenioalati13@gmail.com

Campinas

*

ACERTOS E ERROS DA LAVA JATO

O artigo de Eugênio Bucci ‘Acertos e erros na cobertura da Lava Jato’ (2/1, A2) é de uma argumentação cheia de falhas, na tentativa de desmerecer essa importante operação contra a corrupção desenfreada no Brasil nas últimas décadas. Quais são os erros dos integrantes da Lava Jato apontados pelo jornalista? “Evidências de jogo combinado entre os do Ministério Público e do Poder Judiciário para prejudicar réus...”. Aqui cabe perguntar se estavam manipulando dados e evidências ou não. Se todas as evidências foram respeitadas integralmente e o “jogo combinado” tratava somente de sua correta formatação e apresentação  para não deixar brechas que permitissem infindáveis recursos, qual o problema? A Justiça deve funcionar ou não? Porque do outro lado os advogados ricamente remunerados pelos réus não sofrem  restrições na “troca de ideias” de como continuar burlando a lei! O termo “propinocracia” apareceu em apresentação sem constar de tipos penais previstos na legislação? Mas cabia ou não o termo? A conversa telefônica entre Lula e Dilma fora gravada em data posterior à autorização judicial? Mas era incriminatória ou não? E assim vai achando brechas para enfraquecer a Operação Lava Jato e favorecer a corrupção ocorrida de forma natural (sic) durante os governos petistas. Por essas razões é que o Brasil está no buraco em que está. Nos Estados Unidos havia corrupção tão enraizada na época de Al Capone que este só foi preso e condenado por crimes cometidos na declaração do Imposto de Renda. Aqui, nem o Imposto de Renda é levado a sério! Será que o sr. Bucci concorda com Getúlio Vargas, que achava que a lei só valia para o povo?  Para os poderosos, “lei? Ora, a lei”? Xô!

SILVANO CORRÊA silvanocorrea2012@hotmail.com

São Paulo

*

FORMA E CONTEÚDO

O que Bucci chama de jogo combinado entre Ministério Público e  Poder Judiciário nada mais é do que o que ocorre em quase todos os processos, ou seja, o juiz conversa com as partes. Mas é sabido que nessas conversas hackeadas não aparecem em nenhuma ocasião insinuações de pagamento de propina entre os agentes. Enquanto isso, centenas de réus foram condenados e muitos tiveram suas sentenças confirmadas por tribunais superiores. Para Bucci, é mais importante a forma do que o conteúdo. Deixa a impressão de que é preferível até anular processos por questões técnicas, como no caso da Castelo de Areia, a condenar réus com milhares de provas de seus crimes. O líder do esquema de corrupção apontado pelo tal PowerPoint já foi condenado em duas ações e tem várias outras a caminho.

ROBERTO CROITOR roberto.croitor@gmail.com

São Paulo

*

MANJADÍSSIMO

O professor  da ECA-USP, depois de muitas tentativas frustradas de criticar em vão a atual administração, nesse artigo se  pode constatar que lhe está faltando estro ideológico, ao tentar requentar o manjadíssimo assunto dos “diálogos” do Intercept Brasil, tentando validar uma manobra que levará muita gente à prisão, por ser parte de um esquema que não deu em nada. O artigo  nem merece maiores comentários, pois coisa requentada é ruim de origem e nada mais. Bucci que tinha ainda em artigos anteriores uma certa “originalidade”,  está se tornando repetitivo, caindo no lugar-comum.

ULF HERMANN MONDL hermannxx@yahoo.com.br

São José (SC)

*

PARCIALIDADE

Com a devida vênia do articulista Eugênio Bucci, por que, até agora, não houve interesse de ninguém em periciar as mensagens do Intercept Brasil, para verificar sua autenticidade? Desde quando “diversos repórteres” têm o poder autenticar documentos de comprovação duvidosa? Serão bem-vindas provas que inocentem os condenados pela Justiça.

LUIZ FRID luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

DISPUTAS DE NARRATIVAS

Sem “parti pris”, em recente pesquisa 81% dos entrevistados mostraram forte apoio à Lava Jato, as ruas têm mostrado aferrada confiança nessa lava-alma dos nossos anseios, ignorando, desprezando as vozes contrárias, quer vindas da imprensa, quer de condenados ou dos que tentam afrouxar a corda no pescoço.

PAULO TARSO J. SANTOS ptjsantos@bol.com.br

Barretos

*

PATRIMÔNIO MILIONÁRIO

No inventário de Marisa Letícia o ex-presidente Lula da Silva declarou oficialmente que o patrimônio do casal é de R$ 11,7 milhões. Ora, nem em cem anos um presidente da República poderia acumular  essa fabulosa quantia.

WALDOMIRO BENEDITO DE CARVALHO waldomiroxuca@globo.com

Itapetininga

*

EDUCAÇÃO

Perguntar não ofende: as universidades paulistas (USP, Unicamp e Unesp), de acordo com os rankings nacionais, são as mais produtivas e referência em pesquisa quando comparadas com as universidades federais, no entanto o salário está muito aquém. Sr. governador João Doria, não está na hora de remediar isso? Este ano de 2020 teremos eleições, não se esqueça desse detalhe.

JULIO TIRAPEGUI tirapegu@usp.br

São Paulo

*

DEMOCRACIA SEMPRE

Na minha opinião, o depoimento do jornalista Antônio Pinheiro Salles (“O herói de Bolsonaro me torturou, diz jornalista preso por 9 anos pela ditadura”, UOL 1.º/1) deveria orientar os historiadores do Brasil, para que nós e as próximas gerações conheçamos a verdadeira História do Brasil, regime militar (ditadura) x luta armada. Para derrubar o regime militar a resistência armada assaltou bancos e para se manter no poder os militares torturaram aqueles que lutavam pelo fim da ditadura. No final, venceu a democracia. Quem foi vilão e quem foi herói? Que cada um tire as próprias conclusões, mas que o passado nos sirva de lição para não cometermos os mesmos erros. Como diz o ditado, errar é humano, mas permanecer no erro é burrice. Nem a volta dos militares  nem guerrilhas, basta de nós x eles. Vamos nos unir por um Brasil melhor para todos nós e trazer de volta todos aqueles que saíram do País em busca de um sonho. O sonho é aqui. Vamos transformar nosso sonho em realidade. Feliz 2020, 2021, 2022, 2023, 2024, 2025, 2026...

MARIA CARMEN DEL BEL TUNES carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

LIBERDADE DE EXPRESSÃO

Fábio Porchat, Gregório Duvivier e mais tantos quantos quiserem podem falar de um Cristo gay, Buda traveco, Jeová drag queen, Shiva transformista e, tendo coragem, até ousar com um Maomé frutinha. É a tal liberdade de expressão. Que ninguém esqueça, extensiva a todos pela letra da lei. E isto inclui comediantes, mesmo e muito principalmente os sem graça....

A. FERNANDES standyball@hotmail.com

São Paulo

*

O LIMITE SAGRADO

Modus in rebus, há um limite nas coisas. O Porta dos Fundos cruzou o limite sagrado misturando a imagem de Cristo com a banalização esquerdista do sexo que está colocando o ser humano – outrora civilizado – novamente no nível dos macacos. A partir daí tudo é possível. Há os que criticam a reação da extrema direita, mas são os que não conhecem os limites da tolerância humana, nem o princípio da ação e reação. A extrema esquerda exagerou na ação e agora a reação correspondente está surgindo. Foram 90 anos de esquerdismo varguista, brizolista, peessedebista, petista e lulista. Houve a fracassada Revolução Paulista de 1932 e o heroísmo do MMDC. Mesmo a tentativa militar de 1964 falhou quando Golbery decidiu “prender” um metalúrgico barbudo e “controlável” para evitar um Brizola incontrolável, sem saber que estava chocando o ovo da serpente. Deu no que deu, e agora Lula está novamente solto e pronto para usar seus milhões arrancados de um povo infeliz para voltar ainda mais predador. O problema para a extrema esquerda é que Bolsonaro sabe de tudo isso e começou do jeito certo, praticando o antigramscismo com perfeição, com o time de craques que está derrubando mitos. E o povo, ainda que timidamente, mostra que está gostando! Como evitar o conflito violento? Fácil: 1) colocando a Simone no lugar do Davi e o príncipe no lugar do Botafogo; 2) fazendo imediatamente uma minirreforma no STF, instalando a CPI da Toga, pautando todos os pedidos de impeachment de Toffoli e Gilmar, reduzindo a idade da jubilação dos ministros e aprovando rapidamente todos os projetos de lei e as PECs que reduzam a impunidade; e 3) prendendo o Lula na Papuda sem qualquer benefício, já que nunca presidiu de fato o Brasil. Se formos rápidos talvez diminuamos o conflito, que desta vez tem tudo para libertar a Nação brasileira dessa canalha que a roubou por tanto tempo!

GILBERTO DIB gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

‘HABEMUS TAPA’

Quem opta por estar na multidão, como representante de Jesus Cristo, não pode ter fricotes rancorosos e agressivos. O papa Francisco fez ruir a mise-en-scène marqueteira planejada pelo Vaticano para se contrapor à grave crise decorrente da pedofilia clerical e da vertiginosa perda de fiéis para o protestantismo. Suas desculpas foram pífias.

TÚLLIO MARCO SOARES CARVALHO tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte

*

ESTÁ DESCULPADO

O papa perdeu a paciência, pediu desculpas e está desculpado. O pontífice perdeu, por instantes, o seu costumeiro equilíbrio mental, necessário para o cargo que exerce. Os fiéis também têm de entender e respeitar esse aperto de mão, por diversos motivos, como, por exemplo, por segurança, por higiene e também para evitar contágio em caso de gripe, etc.

ARCANGELO SFORCIN FILHO arcangelosforcin@gmail.com

São Paulo

*

O SEGREDO DO DOCE

O consumo de açúcar branco vicia e está ligado ao aumento do risco de diabetes, obesidade, colesterol alto, gastrite, prisão de ventre, cáries nos dentes, gordura no fígado, câncer, gastrite, pressão alta, etc. A maioria da população ignora esses fatos. E a dieta da maioria de nossas crianças leva muito mais açúcar do que deveria. No Japão, por exemplo, balas, chocolate e sobremesa só por exceção. Está na hora de o governo obrigar alimentos com muito açúcar a levarem um selo avisando que seu consumo contínuo não é recomendado, de aumentar os impostos sobre esses itens e utilizar essa verba numa campanha semelhante à que foi feita contra o cigarro.

JORGE A. NURKIN jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

*

CANABIS

A popular e muito consumida maconha ainda gera muita polêmica. A Cannabis sativa  apresenta elementos para fins medicinais. Muitas pessoas entram na Justiça para fazer uso do  canabidiol. Eu não sou usuário da planta, mas sou a favor da legalização. Conheço várias pessoas, inclusive parentes, que são usuárias e todas se comportam de modo mais tranquilo ou de ampla paz. E interessante é que a seda para enrolar o baseado é muito vendida em tabacarias e lojas de conveniência. Enfim, a maconha jamais será eliminada, o número de consumidores só cresce. O governo ou “nossos” políticos deveriam legalizar a venda, pois assim minimizaria o tráfico e o País deixaria de perder alguns bilhões em arrecadação.  De ilícito mesmo é a inércia diante dos fatos.

ALEX TANNER alextanner.sss@hotmail.com

Sumaré

*

FOGOS NO RÉVEILLON

Faz alguns anos que escrevo sobre a desinteligência do uso de fogos de artifício em diversas datas. Mais que desinteligência, agressão e desrespeito. O que tem ocorrido é o silêncio de alguns e o apoio de muita gente. Aí chegam as tais datas: festas juninas, São Judas Tadeu, Nossa Senhora Aparecida, jogos de futebol, Natal, ano-novo e mais alguns dias “especiais”. O que escuto? Bombas e mais bombas. O que vejo? Pessoas que recriminam bombas, soltando ou vibrando (até filmando) o maldito espetáculo que prejudica animais racionais e irracionais. Como nomeá-los? O silêncio é uma bomba?

SÉRGIO BARBOSA sergiobarbosa19@gmail.com

Batatais

*

POVO MALTRATADO

Eu estive nos fogos de Copacabana, achei mais fracos que nos anos recentes, mas gostaria de pontuar um fato, independentemente do questionamento de racismo ou preconceito. Muita gente na praia de Copacabana, nunca os 2 ou 3 milhões de pessoas, mera obra de ficção. Pois seria dizer que toda a população de Belo Horizonte caberia na Avenida Atlântica. Um absurdo! O que chama mesmo a atenção é o visual do nosso povo, pessoas na maioria absoluta com aparência muito pobre e andrajosa. Centenas de pessoas recolhendo latas em sacos. Pessoas de aspecto  maltratado ao extremo,  em sua maioria absoluta um povo muito pobre, em geral pardo e negro. E o negro neste país até hoje vive entre os escombros de uma sociedade desigual e falida. Nessa reunião de um multidão brasileira ficou caracterizado o péssimo estado em que se encontra o nosso povo,  sem acesso a nada. O que fica de lição é que o nosso capital humano é de péssima qualidade por  ausência total de investimento no ser humano. Nosso povo foi totalmente abandonado por séculos e continua totalmente abandonado.

PAULO ROBERTO DA SILVA ALVES pauloroberto.s.alves@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

DIREITO UTÓPICO

O Direito ocidental ainda tem por base o Direito Romano, o que permite análise comparada entre o modus operandi de diversos países. No entanto, como Daniel Zaclis discute (“A americanização do Direito Criminal brasileiro”,  1.º/1, A2), juristas devem assistir menos a seriados norte-americanos e adentrar mais as periferias onde  mora o povo mais necessitado e também o mais atingido pela atuação da Justiça Criminal. Ao menos que leiam os estudos daqueles que lá estiveram e nos dão uma visão  adequado para não ficarmos em idealizações e achismos. Os operadores do Direito deixariam de ser agentes da utopia.

ADILSON ROBERTO GONÇALVES, pesquisador científico prodomoarg@gmail.com

Campinas

*

OVO NAS ALTURAS

A Operação Prato Feito da Polícia Federal, iniciada em 2018, indiciou 154 pessoas, entre elas 13 prefeitos do Estado de São Paulo, por fraude e desvio de R$ 1,6 bilhão de dinheiro público em licitações da merenda escolar. Chama a atenção a substituição de proteína por milho de pipoca e um ovo custando R$ 12. As nossas leis são tão generosas com a impunidade que essa investigação não dará em nada.

J. A. MULLER josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

*

PROTEÍNA POR PIPOCA

É incrível, mas os corruptos já desviaram mais de R$ 1,6 bilhão da merenda escolar. Com má-fé substituíam a carne por ovo e a proteína por pipoca, mas sempre acrescentando mais arroz, para não chamar a atenção. Esses quadrilheiros que agiam há mais de dois anos e, para a felicidade geral da Nação foram apanhados e indiciados pela Polícia Federal, recebiam apoio de empresários do setor, bem como de vários prefeitos paulistas. Aliás, não se pode esquecer que um “deputado estadual que se viu livre com o arquivamento das investigações é hoje diretor do Procon-SP”. Enfim, a pergunta que não quer calar: a quadrilha faz o mesmo com seus filhos?

JÚLIO ROBERTO AYRES BRISOLA jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.