Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

23 de dezembro de 2020 | 03h00

Corrupção

‘QG da propina’

Que a corrupção no Brasil é ambidestra, direita e esquerda roubam com a mesma sofreguidão, disso ninguém tem dúvida. No Rio de Janeiro a corrupção enraizou-se de tal forma que atinge todos os matizes sociais, rouba-se até em nome de Deus – essas pessoas não são cristãs, são, na verdade, milicianos da fé, enganadores profissionais. Como se não bastasse ter a maioria de seus governadores presos por corrupção, agora é a vez do prefeito da capital. Com a prisão de Marcelo Crivella, o Estado e a capital passam a ser administrados por substitutos. A política no Rio de Janeiro representa o que temos de pior e mais nocivo no Brasil, o que não deixa de ser um paradoxo, já que é considerado um Estado de vanguarda cultural. Triste isso acontecer em meio à pandemia, prova de que, salvo raras exceções, nossa classe política é amoral, abominável, venal, cruel e impiedosa.

LUIZ THADEU NUNES E SILVA

LUIZ.THADEU@UOL.COM.BR

SÃO LUÍS (MA)

*

Feitiço contra o feiticeiro

O prefeito Marcelo Crivella passou toda a campanha em que concorria à reeleição profetizando que seu adversário, Eduardo Paes, seria preso antes de tomar posse caso a população o escolhesse. Crivella não soube interpretar os sinais que deve ter recebido – ou os ignorou.

ABEL PIRES RODRIGUES

ABEL@KNN.COM.BR

RIO DE JANEIRO

*

Inferno astral

O Rio de Janeiro vive há anos um inferno astral, com prisão de governadores e prefeitos envolvidos em esquemas de corrupção, que quebraram as finanças do Estado. A prisão do prefeito Marcelo Crivella é, na verdade, um presente de Natal para os cariocas. Não se trata de perseguição política, mas de uma moralização da política, punindo os maus políticos.

MARCOS ABRÃO

M.ABRAO@TERRA.COM.BR

SÃO PAULO

*

Ficha Limpa

Endoidou?

Mais um fato de indignar na conta de Jair Bolsonaro: a decisão do ministro Kassio Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal (STF), que liminarmente suspendeu trecho da Lei da Ficha Limpa que diz que candidatos condenados, mesmo após o cumprimento da pena, continuam inelegíveis por oito anos. Endoidou de vez? Kassio tomou uma decisão absolutamente inconstitucional e escancarou mais um triste legado de quem o nomeou para o STF, mesmo sabendo que ele tinha um currículo adulterado, de cursos que jamais fez.

PAULO PANOSSIAN

PAULOPANOSSIAN@HOTMAIL.COM

SÃO CARLOS

*

Vassalagem

O que estão estranhando nas decisões do ministro Kassio? Ele não passa de um funcionário do presidente, devendo a ele obrigação, respeito e obediência. Simples assim!

RUY CARLOS SILVEIRA CRESCENTI

RUYCARLOS39@UOL.COM.BR

ÁGUAS DE SÃO PEDRO

*

Urgência

Confirmou-se o que temíamos. O atual sistema de escolha para preenchimento de vagas no STF precisa urgentemente ser aperfeiçoado pelo Legislativo, antes que o maior contrapeso instituído pela nossa Constituição seja destruído. O tempo é curto e esse deve ser o primeiro (e mais importante!) item da pauta do presidente da Câmara.

LUIZ RIBEIRO PINTO

BRASILCAT@UOL.COM.BR

RIBEIRÃO PRETO

*

Pandemia

Escolhas

Joe Biden, presidente eleito dos EUA, já tomou a vacina. Donald Trump, presidente dos EUA, diz que vai tomar a vacina. Jair Bolsonaro, presidente do Brasil, diz que não vai tomar a vacina. Qual dos três é “maricas”?

CLÁUDIO MOSCHELLA

CLAUDIOMOSCHELLAARQUITETO@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Vacina x cloroquina

Ouvi dizer que corre o risco de virar jacaré quem se vacinar contra a covid-19. Ainda assim, acho que vale a pena, pois soube que houve gente que tomou cloroquina e virou burro.

PAULO ARAUJO

PMBAPB@GMAIL.COM

RIO DE JANEIRO

*

Em São Paulo

Aumento de salários

A Câmara Municipal de São Paulo aprovou um reajuste generoso, de 46%, para o prefeito Bruno Covas e seu secretariado. Aprovar reajuste salarial em plena crise econômica e durante uma pandemia que causa efeitos desastrosos na renda das famílias é radicalismo puro, e da pior espécie. Enquanto milhões de pessoas viram sua renda derreter e a miséria bater-lhes à porta, é impensável que os gestores públicos municipais, estaduais ou federais pretendam elevar seus salários. Quando o aumento é aprovado, aí a crueldade é notória e inquestionável. O ocorrido na capital paulista tende a se repetir em outras gestões municipais. Enquanto as prefeituras elevam suas despesas com o funcionalismo político, as pessoas fazem fila em busca de um prato de comida. Empresas estão fechando e o desemprego atinge, mês a mês, níveis alarmantes. O poder público deve estar a serviço da população. Político não é senhor, é servidor.

WILLIAN MARTINS

MARTINS.WILLIAN@GLOBO.COM

GUARAREMA

*

De costas para o povo

No fim de semana assisti pela televisão a uma entrevista do ator Antônio Fagundes, que em determinado momento, questionado pelos entrevistadores sobre os eternos problemas políticos do Brasil, respondeu que isso se deve ao fato de os eleitos, uma vez empossados, virarem as costas ao povo. Como diz a expressão popular, está claro ou precisa desenhar?

WALDYR SANCHEZ

WALDYRSANCHEZ@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Boas-festas

O Estado agradece e retribui os votos de feliz Natal e próspero ano novo de Advocacia Mariz de Oliveira, Aloísio de Toledo César, Equipe Websetorial Consultoria Econômica, Fundação Editora da Unesp, José Carlos de Carvalho Carneiro, José Pastore e Sergio Amad Costa.


___________________________________________________________

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br


VITÓRIA DOS CORRUPTOS

“Conhece-se a árvore pelos frutos que ela produz.” E, assim, o presidente Jair Bolsonaro “produziu” o neófito ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Kássio Nunes Marques, que, por sua vez, monocraticamente “produziu” um novo entendimento que enfraquece sobremaneira a Lei da Ficha Limpa. Mas outros argumentarão: “Toda árvore que não produz bons frutos deve ser cortada e atirada ao fogo”. Ora, senhores! Não estamos em meio a disputas entre o bem e o mal, isso é apenas política! Sim, com certeza é apenas política, mas, na verdade, ela, a nossa política, não precisava ser assim tão ruim e tão medíocre. Agora, examinando esta mesma questão sob outro ângulo, temos que o chamado trânsito em julgado, no entendimento do ministro Nunes Marques, não deve prevalecer, aqui, na contagem do tempo exigido para que os corruptos voltem a ser elegíveis, ou seja, deve beneficiar os réus por corrupção e desfavorecer a Nação, e quando o entendimento majoritário do STF sobre trânsito em julgado é que este deve ser exigido para o cumprimento de pena dos condenados em segunda instância de Justiça, o que também favorece os corruptos e desfavorece a Nação. Em suma, os corruptos ganham sempre quando se trata do STF.

Marcelo G. Jorge Feres marcelo.gomes.jorge.feres@gmail.com

Rio de Janeiro

*

ARMADILHAS NO RECESSO

Mas que indicação, hein, sr. presidente? Foi por isso que Sergio Moro saiu do seu governo? Os planos dele e de milhões de brasileiros era acabar com esta pouca-vergonha na política. Mexer na Lei da Ficha Limpa e nas decisões da Operação Lava Jato vai contra todos os argumentos de quem se elegeu prometendo mudanças. O ministro Luiz Fux, pelo visto, não terá paz, pois todas as armadilhas serão tentadas durante o recesso, vale até passar por cima da lei – ora, a lei. Cada um que chega faz questão de tirar a esperança de dias melhores, aumentando o caos neste país.

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

GENTE PERIGOSA

Ministros do Supremo ‘tiram’ poder de Fux no recesso (Estado, 20/12). Pelo visto, estamos lidando com gente perigosa no STF! Gente que não gosta de ser contrariada. Gente que quer garantir a boa relação com os advogados criminalistas poderosos. Gente que está incomodada com a aprovação do ministro Luiz Fux.

Cleo Aidar cleoaidar@hotmail.com

São Paulo

*

ESPÍRITO DO NATAL

Na declarada briga pelo poder no Supremo Tribunal Federal (STF), em afronta ao presidente Luiz Fux, que, de ofício, seria a voz e a caneta da Casa no recesso do Judiciário, os ativistas semideuses supremos Marco Aurélio Mello, Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Alexandre de Moraes anunciaram que no recesso permanecerão em Brasília a trabalho (aleluia!), deixando claro que somente eles poderão despachar nos processos de sua responsabilidade. Pelo inusitado, vez que há 15 anos o STF não via esse expediente (ou rebelião?), porque uma desavença de egos provocou o espírito laborativo nos ministros insurgentes, pela lógica constitucional, incentivando a permanência do contencioso e a contaminação do vírus do trabalho nos demais, quem sabe o Supremo, definitivamente, venha a abolir as gazetas semanais, os descarados recessos, os enforcamentos de feriados e as prolongadas férias, maiores do que as do trabalhador contribuinte. Em consequência, STF, dentro do espírito do Natal, largue a política e volte a ser um tribunal constitucional. “Força na peruca!”

Celso David de Oliveira david.celso@gmail.com

Rio de Janeiro

*

POR QUE NÃO?

A ala do Supremo contra o Brasil decide boicotar o presidente Fux declarando que vai trabalhar durante o recesso. Já que quatro ministros estão querendo trabalhar nas férias, sugiro ao presidente que seja mais esperto que estes que o boicotam e declare não haver recesso este ano.

Alroger Luiz Gomes alroger-gomes@uol.com.br

Cotia

*

TRABALHANDO NO RECESSO

Apreciei saber da “pegadinha” dos quatro patriotas que abdicaram de seu merecido descanso durante o recesso forense. Só faltou dar destaque à abnegação dos juízes, mencionando quantas vezes nos últimos dez, quinze anos, tiveram a mesma iniciativa, por amor à toga!

Eury Pereira Luna Filho euryluna@hotmail.com

São Paulo

*

INTERESSES

Apos 15 anos, quatro ministros do STF (Marco Aurélio Mello, Gilmar Mendes, Alexandre de Moraes e Ricardo Lewandowski) abriram mão e decidem manter atividades de trabalho em pleno recesso. Interesse em adiantar o serviço (processos parados, engavetados), afloramento do lado nerd de cada ministro que estava adormecido, manobra para tirar poder do ministro Fux, interesses próprios ou guerra interna no STF? O tempo nos mostrará os verdadeiros interesses.

Carlos Roberto Gomes Fernandes crgfernandes@uol.com.br

Ourinhos

*

‘LABORIOSOS DEFENSORES DA CONSTITUIÇÃO’

É incrível o empenho do quarteto formado por Gilmar, Lewandowski, Moraes e Marco Aurélio, em atender um habeas corpus do advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, que pediu a suspensão da liminar de Fux que eliminou o juiz de garantias. Tudo isso para libertar os condenados em 2020, que incluem desde traficantes até os poderosos da Lava Jato. Nunca se viu um grupo trabalhar com tanto afinco em período de recesso.  Como na justiça os cálculos são pré-estudados, os “laboriosos defensores da Constituição” se aproveitam de oportunidades para agir. Segundo Lauro Jardim, se a liminar cair, o Ministério Público recorrerá e o recurso cairá nas mãos de Fux, que se declarará impedido, e, então, caberá à vice-presidente do STF, Rosa Weber, decidir. Tudo muito simples, eles criam as leis e as armadilhas para impedi-las de se concretizar. Podemos deduzir que o que manda não é a lei, mas sim os milhões envolvidos no pedido do habeas corpus em questão. Como levar isso a sério?

Luciana Lins lucianavlins@gmail.com

Campinas

*

RECESSO NA CRISE

Em razão da mais grave crise que assola o Brasil, nossos Poderes deveriam decretar o fim do recesso ou diminuir sua jornada de férias para mergulharem de cabeça na solução emergencial, já que o ano de 2021 terá grandes desafios e o maior é a preservação da vida ao lado do emprego.

Yvette Kfouri Abrao abraoc@uol.com.br

São Paulo

*

O BICHO VAI PEGAR

A autorização do governo da China para o governador paulista, João Doria, chamar a CoronaVac de “vacina do Brasil” certamente deixou o negacionista Jair Bolsonaro espumando de raiva. Ora, enquanto Bolsonaro desdenha até da própria sombra, o governador, mais diligente e inteligente, foi comendo pelas beiradas e conseguiu obter a honraria chinesa. Bolsonaro não dá uma dentro e continua sendo carta fora do baralho para 2022 – isso se nada acontecer antes. O bicho vai pegar!

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

PUBLICIDADE

Doria amplia em quase 70% verba de publicidade (Estado, 20/12). O futuro postulante à Presidência da República mostra-se inquieto com a sua popularidade, e por isso vai “investir” R$ 153 milhões para tentar melhorar sua imagem desgastada com as ações praticadas na sua gestão. Num país pobre como o nosso – literalmente –, essa verba serviria para tirar da penúria incontáveis famílias, mas o governador certamente entende que isso não é importante, pois o seu objetivo primordial – custe o que custar, com o dinheiro dos outros – é sentar-se na cadeira presidencial. Certamente, não vai conseguir. E por que eu vaticino isso: quando não se olha para trás, lá na frente você vê o resultado. Pode crer!

Reis Rodrigues Santos reisrodrigues.santos@gmail.com

São Paulo

*

SEDE DEMAIS AO POTE

A notícia do Estadão de que Doria amplia a verba de publicidade em 69% é para desistir de levar a sério a classe política brasileira. Não bastasse um presidente que só pensa em se reeleger, embora não tenha feito nada de útil em dois anos de governo – o auxílio que foi dado àqueles que ficaram impedidos de se sustentar por seus próprios meios não conta, pois era o mínimo que poderia fazer –, agora o governador de São Paulo está indo com muita sede ao pote. Ninguém teria nada que ver com isso, se não usasse a verba do governo do Estado para se promover. Vamos falar sério: não tem cabimento aumentar desbragadamente a verba de propaganda, em plena pandemia, com os gastos extras que o governo paulista terá de suportar. Divulgar as obras e as decisões que interessam à população a imprensa o faz em seu noticiário, ou o próprio governo nos pronunciamentos e entrevistas dos secretários e do governador. É obvia a relação com a intenção de concorrer à Presidência em 2022. Lamentável.

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br

São Paulo

*

O MESMO BARCO

A pandemia deixou a grande maioria da sociedade com um incerto futuro e, no presente, com sérios problemas financeiros, sem falar que estamos sendo administrados por egos e ignorância, que aumentam ainda mais nossos infortúnios. O aumento da verba em 70% de publicidade de João Doria, governador do Estado onde está a maior cidade do País, com filas enormes em hospitais e uma classe pobre e periférica sem nenhuma assistência, apenas o coloca no mesmo barco do seu opositor, Jair Bolsonaro. E não nos esqueçamos de que foi eleito com o epíteto de BolsoDoria.

Marcos Barbosa micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

*

ONDE FALTA O DINHEIRO

Sou professor aposentado pelo Estado e estou há seis anos sem aumento, e agora a Spprev anuncia que não vai pagar a segunda parcela do décimo terceiro salário. Enquanto isso, o governo anuncia este aumento de verba para a publicidade – ops, a campanha política do governador visando à Presidência da República. Como ficamos? A quem apelar?

Delpino Verissimo da Costa dcverissimo@gmail.com

São Paulo

*

PUBLICIDADE DE DORIA

A denúncia mostrada pelo Estadão em 20/12 sobre a vergonhosa ampliação da verba publicitária em 70% mostra as verdadeiras intenções de João Doria. Homem de televisão, quer usar o flagelo da pandemia para se autopromover mirando a Presidência em 2022. A justificativa fajuta de que se trata de “divulgação social, ações, serviços, projetos do governo”, dada pela secretaria, não justifica este aumento de quase R$ 113 milhões. Enquanto isso, sorrateiramente, a Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), que teoricamente deveria zelar pelo dinheiro do contribuinte, é conivente e ainda aprova taxar os aposentados nos seus proventos que estão sem reajuste há seis anos. Não se iluda, sr. governador, a mídia atual amadureceu e não vai cair no seu joguinho. O sr. deveria valer-se do exemplo da pífia votação obtida por Geraldo Alckmin em 2018, mesmo tendo a máquina publicitária nas mãos.

Luiz Antonio Amaro da Silva zulloamaro@hotmail.com

Guarulhos

*

HAJA PROPAGANDA!

Governo Doria aumenta em quase 70% a verba de publicidade. Enquanto isso, reduz o dinheiro para setores primordiais como Saúde, Segurança e outros. Preparando a propaganda para 2022, vai precisar – e muito.

Adilson Pelegrino adilsonpelegrino52@gmail.com

São Paulo

*

AUMENTO DE SALÁRIO

Câmara aumenta em 46% salário de Bruno Covas e amplia teto do funcionalismo (Estado, 21/12). À aprovação do aumento no salário do serviço público do Executivo municipal de 46% porque estava “defasado” é um afronte. Pelo visto, muitos não conseguem sobreviver com R$ 24,1 mil e vão passar a ganhar R$ 35,4 mil. Eu pergunto: e nós, outros servidores, especialmente professores, no meu caso, que para ter um aumento pífio é preciso fazer paralisações, negociações, levar spray de pimenta no rosto, cacetadas, jatos de água para conseguir uns míseros 3,48%?

Laura Celia Daltrino lauracdaltrino@yahoo.com

Bragança Paulista

*

DESCARADOS

Mal o prefeito de São Paulo foi eleito – independentemente de quem fosse o eleito –, o descaramento de alguns vereadores em propor o aumento dos seus salários independentemente de quando será é um descalabro. Já na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), a maior parte dos deputados pró-Doria votou para diminuir os salários dos aposentados e pensionistas – isso durante a pandemia. Precisamos destes políticos?

Tania Tavares taniatma@hotmail.com

São Paulo

*

PREPAREM-SE PARA O IPTU

Nós, cidadãos, como presente de Natal, já recebemos nosso orçamento para o ano vindouro de 2022 do prefeito reeleito e sua turma. Aumento de quase 50% de salários, verbas, penduricalhos e outros que nem sabemos. Eleitor, não se esqueça de registrar o nome de seu vereador para as próximas eleições. Preparem-se para o IPTU do ano de 2022. Comecem a guardar dinheiro, já que o negócio vai pegar.

Jonas de Matos rose@jonasdematos.com.br

São Paulo

*

INTEGRIDADE

Precisamos eleger políticos que sejam íntegros e que aceitem receber aumento nos seus vencimentos na mesma proporção que os aposentados e pensionistas...

José Carlos Costa policaio@gmail.com

São Paulo

*

CRIME NA GUARAPIRANGA

Cara senhora presidente da Cetesb, Patricia Faga, caro governador João Doria, caro prefeito Bruno Covas, caro presidente da Emae, Marcio Rea, caro presidente da Sabesp, prof. Benedito Braga, caro secretário de Estado Marcos Penido e senhora Juliana Velho, estimados nobres administradores públicos, espero que todos e suas respectivas famílias estejam bem. Salvo a muito comedida ajuda da Cetesb, conforme abaixo, nenhum dos senhores e suas respectivas autarquias/empresas públicas e responsabilidades jurídicas conforme lei manifestaram qualquer medida administrativa/judicial contra estes contraventores às margens da Represa do Guarapiranga. Por que vocês, governador e prefeito, que são responsáveis pela gestão pública, não fazem absolutamente nada contra este crime na Represa do Guarapiranga? A população da zona sul de São Paulo espera resposta. Estou desde 8/2020 denunciando este que deve ser o maior crime ambiental ocorrendo na Represa do Guarapiranga, não recebo resposta, e as obras continuam. Na data de hoje (22/12), pude presenciar a montagem/soldagem de estruturas metálicas de pontes telescópicas/manga/ponte de embarque/finger para serem usadas no embarque de pessoas para acessar um restaurante flutuante (denúncia feita em 2/9/2020) que está sendo construído em lugar desconhecido e vai chegar, nos próximos dias, ao endereço na Avenida Atlântica via fluvial/represa. A população da zona sul de São Paulo exige uma enérgica atuação administrativa, jurídica e, na sequência, criminal dos órgãos públicos contra estes infratores e criminosos ambientais atuando em nossos mananciais. São três pessoas e uma aparentemente estrangeira/alemã. Em virtude das atuais restrições, vou estar em São Paulo por mais tempo e estou 24 horas à disposição de todos para visitar os ilícitos criminais.

Werner Sönksen wsonksen@hotmail.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.