Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

28 de dezembro de 2020 | 03h00

Crimes contra a mulher

Quem ama não mata

A tragédia envolvendo a juíza vítima de feminicídio talvez faça os magistrados de todas as instâncias entenderem que seu meio também pode ser vitimado por crimes bárbaros. O juiz Rodrigo Azevedo Costa andou zombando das mulheres vítimas desses machos boçais – que não devem ser considerados “maricas” pelo presidente da República. Se tanta impunidade há, é porque o Poder Judiciário falha, e muito! Falha quando lê o que não está escrito ou dá a vocábulos de sentido unívoco outro significado, diametralmente oposto. Vimos o que ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) fizeram da palavra “vedada” para tentar permitir a reeleição dos presidentes das Casas Legislativas. A disfunção do Poder Judiciário está fazendo o crime sempre valer a pena. Infelizmente, só sofrendo a dor de crimes tão bárbaros magistrados poderão deixar de ser tão indiferentes às vítimas e suas famílias. Punição severa ainda é a melhor maneira de prevenir novos crimes.

ANA LUCIA AMARAL

ANAMARAL@UOL.COM.BR

SÃO PAULO

*

Sanções

A lei deve ser mais abrangente: homem que agredir a ex-mulher, mesmo verbalmente, deve ser proibido de ver os filhos.

MARIA LÚCIA RUHNKE JORGE

MLUCIA.RJORGE@GMAIL.COM

PIRACICABA

*

Sistema de injustiça

O Supremo Tribunal agora fala em eliminar o feminicídio. Expectativa: o STF e a Defensoria Pública, que sistematicamente patrocinam e promovem a impunidade, a meu ver, cinicamente, vêm a público pedir “medidas contra feminicídio após morte da juíza”. Realidade: o STF, num caso semelhante de feminicídio, em que o agressor confesso foi surpreendentemente absolvido pelo júri, decidiu que não cabe recurso do Ministério Público. Em habeas corpus (HC 178.777) interposto pela Defensoria Pública!

PEDRO DE JESUS JULIOTTI

JULIOTTI@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Livre para atacar

Uma mulher foi atacada em Marília (SP) numa tentativa de estupro, da qual conseguiu se desvencilhar. E feriu o criminoso. O facínora que a atacou estava desfrutando a saída temporária de Natal e ano-novo desde o dia 22, quando deixou a penitenciária de Iperó, onde cumpre pena por ter sido condenado por roubo... e estupro! Em que país do planeta é concedido a um estuprador sair às ruas e poder cometer novamente o mesmo crime hediondo? Onde estavam com a cabeça esses (ir)responsáveis que deram permissão para tal monstro sair em liberdade? Essa prática absurda, com a qual a sociedade não concorda, precisa acabar. Assim como progressão da pena, visitas íntimas e outras aberrações que só existem aqui.

RAFAEL MOIA FILHO

RMOIAF@UOL.COM.BR

BAURU

*

Pandemia

Eficácia de vacinas

Começa-se a criar a impressão de que, se uma vacina não tiver eficácia de 95%, ela não serve. A maioria das vacinas em uso hoje no mundo não chega a esse nível, mas as doenças são controladas mesmo assim. A OMS exige 50% e recomenda 70% de eficácia. Com 70% da população imunizada, a transmissão da doença começa a cair. E se houver mais alguns cuidados, como uso de máscara e distanciamento social, no caso da covid-19, a queda será muito rápida, em pouco tempo o vírus cessará de circular. A mídia deveria enfatizar essa informação, pois muita gente pode pensar que não adianta se vacinar.

RENATO PEDROSA

RHLPEDROSA@GMAIL.COM

CAMPINAS

*

Na quarentena

Ler os clássicos

Excelente a proposta de sugerir a leitura dos clássicos a adolescentes e jovens. Só lendo muito, e desde cedo, se pode formar uma sociedade instruída e sensível, a base para um planeta mais justo e sustentável. Entre tantas outras vantagens.

FRANCISCO EDUARDO BRITTO

BRITTO@ZNNALINHA.COM.BR

SÃO PAULO

*

Reformas

Prioridades

Entendo que a reforma administrativa deve preceder a tributária. Ambas urgentes. Pois só com a aprovação da primeira serão obtidos dados financeiros essenciais para a elaboração da segunda. Uma vez que só ao serem definidas as competências administrativas – e as obrigações – de cada unidade administrativa da Federação (municípios, Estados, União e Distrito Federal) poderão ser definidas as necessidades financeiras de cada uma. Ao se elaborar em seguida a reforma tributária, a elas se destinariam os meios financeiros para a execução das competências – e obrigações – que lhes forem atribuídas na reforma administrativa. Penso que se não for feito assim os problemas logo surgirão. Pois algumas dessas unidades federativas estarão sem os recursos necessários para tornar viáveis as competências e obrigações que lhes forem atribuídas na reforma administrativa. E outras poderão ter recursos exagerados e desnecessários para executar suas obrigações constitucionais. Para mim, isso é de clareza meridiana. A ver.

JOSÉ ETULEY BARBOSA GONÇALVES

ETULEY@UOL.COM.BR

RIBEIRÃO PRETO

*

Caderneta de poupança

Comida pela inflação

Desde há muito a caderneta de poupança é o modo mais simples e mais usado de guardar e juntar dinheiro. Ninguém ficou rico com ela, mas seu rendimento servia, pelo menos, para compensar a inflação, e às vezes nos dava até a alegria de um pequeno ganho líquido. É particularmente indicada para o trabalhador, que não tem tempo nem conhecimento para correr atrás de quem paga mais por seu dinheirinho. Mas dona Dilma resolveu mudar o cálculo do rendimento e neste ano a caderneta vai perder feio para a inflação! Os preços sobem, a inflação sobe, mas seu rendimento desce. Um instrumento destinado a captar poupança do trabalhador não pode perder para a inflação. É um contrassenso.

EUCLIDES ROSSIGNOLI

CLIDESROSSI@GMAIL.COM

OURINHOS


_____________________________________________________________________

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br


COVID-19 NO BRASIL

Em transmissão ao vivo para seu fã-clube, o presidente Jair Cloroquina Bolsonaro declarou que “a eficácia daquela vacina em São Paulo parece que está lá embaixo”. Em face do atraso da vacina da Oxford-AstraZeneca, ele tem alternativa neste momento, a não contar com o reforço adicional da vacina CoronaVac, fornecida pelo Instituto Butantan, de São Paulo? De acordo com a recente declaração de Nísia Trindade, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), se tudo correr bem (cruzamos os dedos), o referido instituto fornecerá 3,5 milhões de doses por semana a partir de meados de fevereiro de 2021. Ou seja, levará até dezembro de 2021 para vacinar 70% da população brasileira, para alcançar a (desconhecida) porcentagem da “imunidade da população”. Mais uma declaração tipicamente tosca e infeliz de um presidente que só pensa na sua reeleição!

Omar El Seoud elseoud.usp@gmail.com

São Paulo

*

SANDICE

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que não dá bola para o fato de que outros países iniciaram a vacinação contra a covid-19 antes do Brasil, fundamentando a sua infeliz fala no fato de que, como alega, não quer aplicar qualquer coisa no povo. Só que esta qualquer coisa a que se refere o nosso tão precavido presidente é uma vacina que já está sendo utilizada em países como Estados Unidos e Inglaterra. Mas a verdade é que desde que assumiu a Presidência do Brasil Bolsonaro dá ininterruptas provas de que não está nem aí para qualquer cidadão brasileiro que não faça parte de seu clã e dos seus interesses políticos e particulares. Pena que uma grande parte da população brasileira ainda sustenta, de modo quase incompreensível, este infindável arrolar de sandices e despreparo que o nosso presidente parece tão acostumado a expor e defender. Pobre Brasil, tão longe das vacinas e dos verdadeiros estadistas e tão perto dos insensatos, debochados e vaidosos.

Marcelo G. Jorge Feres marcelo.gomes.jorge.feres@gmail.com

Rio de Janeiro

*

BOLA

Bolsonaro, sobre a vacinação no exterior: “Não dou bola pra isso”. Não dá bola no exterior, muito menos aqui, no Brasil.

Robert Haller robelisa1@terra.com.br

São Paulo

*

CARRASCO

Absurdo! Jair Bolsonaro, que, novamente sem máscara, promoveu aglomeração no sábado ao visitar comércio de Brasília, ainda teve o descaramento de dizer que “não dá bola” se o Brasil está atrasado na vacinação contra a covid-19. E, questionado sobre o fato de que em muitos países a vacinação já começou, soberbo e sem respeito pela vida, afirmou: “Ninguém me pressiona para nada!”. Ora, mais uma vez chego à conclusão de que temos um verdadeiro carrasco no comando da Nação.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

BULA DE REMÉDIO

Alguém precisa explicar para o presidente Bolsonaro que todos os produtos farmacêuticos têm severas advertências na bula, até um simples remédio para dor de cabeça pode ter efeitos colaterais graves e até mesmo causar a morte em raríssimos casos. As vacinas da covid-19 vão causar problemas, dores no braço, mal estar e, em casos mais raros, podem provocar alergias e, no pior caso, choques anafiláticos, que podem ser fatais. A vacina trará também a imunização para a esmagadora maioria das pessoas que forem vacinadas, salvará milhões, bilhões de vidas pelo mundo, os benefícios são infinitamente maiores que os riscos. É exatamente isso que é determinado nestes tantos estudos e testes das vacinas. O Brasil está perdendo um tempo precioso com a postura infantil e equivocada do presidente Bolsonaro. Cada dia que o País perde com as bobagens negacionistas de Jair Bolsonaro representa mais centenas de brasileiros mortos. Alguém precisa explicar isso para Bolsonaro, ou removê-lo do caminho. Não é possível o País continuar perdendo tempo com esta baboseira terraplanista e criminosa imposta pelo leigo Jair Bolsonaro.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

CARTÃO VERMELHO

No “jogo” da pandemia, um sujeito que afirma “não dar bola” não deve – nem pode! – continuar “jogando”...

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

AS PREOCUPAÇÕES DO PRESIDENTE

Sobre o atraso do Brasil em planejar a vacinação da população brasileira contra a covid-19 em relação a outros países, o presidente Bolsonaro afirmou: “Eu não dou bola”. Isso todo mundo sabe. Só lhe interessam livrar a família das denúncias de supostos crimes cometidos e, lógico, a eleição de 2022. Que sina a nossa!

Luiz Frid fridluiz@gmail.com

São Paulo

*

MISSÃO

O fato narrado na matéria Em live, presidente defende decisões de Nunes Marques (26/12, A5) é inusitado. Afinal, esta deve ser a primeira vez que um presidente da República faz questão de defender decisões de um ministro de Corte Suprema. Ao que tudo indica, a missão confiada ao ministro Nunes Marques vem sendo cumprida com zelo.

José Elias Laier joseeliaslaier@gmail.com

São Carlos

*

CHUVA NO ASFALTO

Em relação ao discurso do presidente Bolsonaro na recente formatura de policiais no Rio de Janeiro, quando diante destes e de seus familiares Bolsonaro desacreditou a imprensa – que segundo ele é fonte de fake news – e os aconselhou a seguir somente as redes sociais, tenho a dizer: “Senhor presidente, parabéns por ler os jornais com afinco. Mas, às vezes, a chuva cai no duro asfalto e a grande dádiva perde-se no esgoto”. Sou leitora de anos deste jornal e hoje conto 87 anos.

Shizue Kawai mcatuccijr@terra.com.br

São Paulo

*

ELEIÇÃO NO CONGRESSO NACIONAL

Baleia Rossi é o candidato da oposição, indicado por Rodrigo Maia, para sucedê-lo na presidência da Câmara dos Deputados, contra Arthur Lira, candidato do cardume de piranhas do Centrão, apoiado pelo presidente da República. Disputa importantíssima para a vida política nacional nos próximos dois anos. Quem conseguir o voto de 257 deputados será o novo presidente da Câmara no dia 1.º de fevereiro de 2021.

Paulo Sergio Arisi paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

*

QUANDO FEVEREIRO CHEGAR

Está marcado para 1.º de fevereiro o embate envolvendo Baleia Rossi (MDB-SP), candidato de Rodrigo Maia (DEM-RJ), e Arthur Lira (PP-AL), apoiado por Jair Bolsonaro, na disputa pela presidência da Câmara dos Deputados. O primeiro se coloca como o candidato da independência do Legislativo e Lira é apontado como o pau mandado do presidente da República. Negociatas e promessas vão rolar soltas, e não será surpresa se aparecer um novo Severino Cavalcanti.

José A. Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

*

BALEIA ROSSI

Rodrigo Maia escolheu seu sucessor. Obviamente, foi uma escolha patrocinada por grupos fisiológicos. Isso é normal, e não poderia ser diferente. Esperamos tão somente que Baleia não tenha o apetite por dinheiro público proporcional à fama do referido cetáceo.

Paulo H. Coimbra de Oliveira ph.coimbraoliveira@gmail.com

Rio de Janeiro

*

O REI E O PEÃO

Baleia Rossi citar Ulisses (“tenho ódio e nojo de ditaduras”) não influenciará seus 513 eleitores privilegiados, e fica como um chamado à escalada do clima de ódio que se instalou na sociedade. Um chamamento à pacificação traria melhores efeitos. Ulisses manifestou-se em outro contexto, em que ele era o rei. Rossi é mero peão de Maia.

Roberto Maciel rovisa681@gmail.com

Salvador

*

ESTÔMAGO DE BALEIA

Finalmente, surgiu o nome do birrento adversário do Brasil, o rei posto Rodrigo Maia, vulgo Botafogo, para a presidência da Câmara: deputado Baleia Rossi (MDB-SP). Pelas exigências vinculadas ao apoio dos partidos esquerdistas, o candidato terá de ter estômago de baleia. Pautar decretos legislativos, que é capaz de derrubar medidas de Bolsonaro; não pautar propostas da chamada pauta de costumes; paralisar privatizações; adotar posição contra a autonomia do Banco Central, entre outras. Que preço é este? E tem gente que reclama dos ditadores da Corte Suprema. Tudo por Dinheiro é um inspirador filme de 2005. No Congresso, a ordem é tudo pelo poder, que atrás vem o dinheiro. “Este Brasil lindo (?) e trigueiro é o meu Brasil brasileiro.” Muito triste!

Celso David de Oliveira david.celso@gmail.com

Rio de Janeiro

*

GRATUIDADE NO TRANSPORTE PÚBLICO

Em plena pandemia, enquanto o sr. Bruno Covas se regozija com o presentão de 45% de aumento no seu contracheque e o sr. João Doria pavoneava em Miami, a pretexto de economizar dois tostões nos cofres do erário, punem a população acima dos 60 anos com o cancelamento da gratuidade no transporte público, que é imprescindível para a maioria dessa população e a única forma de diversão para a minoria. Que falta de sensibilidade! Olham para os próprios umbigos e a velharia que se dane (para não dizer outra coisa). Que canalhice!

Adriano Julio de Barros V. de Azevedo adrianojbv@uol.com.br

São Paulo

*

AMIGO DA ONÇA

Algumas das ações de presente aos paulistas e paulistanos assinadas pelo governador (de si mesmo) João Doria: instituiu descontos nos salário de aposentados e pensionistas nos valores de um salário mínimo até o teto – para pagar o próprio sistema previdenciário (SPPrev); retirou, junto com Bruno Covas, a gratuidade nos transportes públicos para idosos de 60 até 65 anos; aumentou o desconto no holerite de funcionários públicos para o Hospital do Servidor Público (Iamspe); cortou a isenção de IPVA para deficientes na compra de veículos novos; elevou as alíquotas de IPVA e ICMS na compra dos carros novos por locadoras; extinguiu dez órgãos públicos, entre eles a Furp (remédio popular), a Fundação Oncocentro de SP, a EMTU, a Sucem (controle de endemias) e o Itesp (terras do Estado de São Paulo); fez a concessão do Parque do Ibirapuera, do Ginásio do Ibirapuera, do Jardim Botânico e, por 30 anos, do Zoológico. Ah, e ampliou em 70% as verbas de publicidade do (seu) governo. Minha esperança para o Natal de 2022 é de que seja sem Doria e Bolsonaro, ambos nefastos.

Tania Tavares taniatma@hotmail.com

São Paulo

*

DORIA SE DESCULPA POR VIAGEM

Esta do governador João Doria eu não entendi: ele pediu desculpas do quê, se voltou de Miami só porque seu vice pegou covid?

Francisco José Sidoti  fransidoti@gmail.com

São Paulo

*

REAJUSTE IMORAL E ILEGAL

Às vésperas do Natal, os vereadores da cidade de São Paulo aprovaram reajuste da ordem de quase 50% nos salários de prefeito e secretários, com impacto financeiro preocupante nas finanças do município, pelo efeito-cascata nos salários de servidores da Câmara Municipal e do Tribunal de Contas, a quem compete fiscalizar os atos do prefeito. A medida é inoportuna, em tempos de pandemia e de desalento no emprego, e ilegal, pois o texto foi aprovado sem passar pela análise habitual das comissões de Constituição e Justiça, administração pública e finanças.

Marcos Abrão m.abrao@terra.com.br

São Paulo

*

FEMINICÍDIO

Homens que cometem o gravíssimo, hediondo e imperdoável crime de feminicídio, como o ocorrido na semana passada contra a juíza Viviane Vieira do Amaral Arronenzi, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), com o requinte de crueldade de ter sido barbaramente morta com um facão de churrasco diante de suas filhas na véspera do Natal pelo ex-marido, não merecem ser chamados de homens. Merecem, isso sim, uma de duas punições exemplares: prisão perpétua ou a condenação à morte. Qualquer outra pena menor será desproporcional à desgraça que provocou, tirando a vida de uma mulher de 45 anos, que deixa órfãs três filhas menores de idade, duas gêmeas de 7 anos e uma de 9 anos.

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

IMPUNIDADE

A morte da juíza Viviane V. do A. Arronenzi, no Rio Janeiro, amplia a lista dos crimes praticados contra a mulher. O ex- marido matou a juíza a facadas diante de suas filhas. Qual a pena para essa barbárie? Aqui, no Brasil, impunidade. O presidente do STF, Luiz Fux, se compromete a erradicar a violência contra mulheres e pergunta o que poderia ter sido feito para evitar a morte da juíza. Ora, senhor ministro, em primeiro lugar, mudar a lei e, depois, cumpri-la sem dar margem a brechas. Se o assassino sabe que, ao praticar um crime dessa natureza, terá um castigo à altura, certamente repensará suas vontades. Quantas mulheres precisarão morrer até que as punições sejam endurecidas? A questão é como enfrentar esse tipo de crime. Não faltarão defensores de criminosos dizendo que é um problema social,  abrindo uma discussão interminável. Urge que medidas sejam tomadas no sentido de dar um basta a essa criminalidade. Estamos envergonhando o mundo com esta falta de atitude de nossos legisladores, que não se debruçam sobre o tema.

Luciana Lins lucianavlins@gmail.com

Campinas

*

COVARDIA REPUDIADA

Inacreditável e surreal: precisou uma magistrada ser assassinada pelo ex-marido na frente das filhas para, finalmente, a atitude covarde e brutal que se alastra pelo País merecer o repúdio e a indignação de vozes poderosas do Supremo Tribunal Federal e do Conselho Nacional de Justiça. Como mais nada causa estranheza e perplexidade no louco e perverso Brasil, é provável que membros do Legislativo e do Executivo também exibam colossal repúdio contra o feminicídio, caso ocorra semelhante tragédia com alguém de sua própria família. Francamente. Oremos.

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília

*

ASSASSINO

O marido de uma juíza a mata em frente dos seus filhos, e o presidente Jair Bolsonaro já saiu em sua defesa, com o argumento de que ela deve ter feito alguma coisa que mereceu essa morte. Até quando teremos de suportar este assassino confesso?

Marcos Barbosa micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.