Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

05 de março de 2021 | 03h00

O Brasil de Bolsonaro

Nos estertores

O Brasil vive um pesadelo todo dia. Enquanto o número de mortos na pandemia cresce em ritmo acelerado e de maneira assustadora, seguimos sem vacina. O macabro ocupante do Palácio do Planalto, que pouco se importa com a saúde da população, continua a governar com o fígado. A cada momento que abre a boca provoca crises e prejuízos para o País. Até quando nós, os pagadores de impostos que votamos nesse cidadão para nos livrarmos do PT, vamos aguentar ter no poder uma pessoa completamente irresponsável, desequilibrada e despreparada para governar o País? Com exceção dos seguidores, que bovinamente aplaudem suas parvoíces e insanidades diuturnas, o Brasil civilizado já está nos estertores. Não há a menor esperança de dias melhores. Cercado por ministros que desconhecem sua área de atuação, com raras exceções, e temeroso de qualquer pessoa que possa fazer-lhe sombra, dada sua inegável disfunção cognitiva, o ocupante do Planalto só vai piorar a situação do País e levar-nos para o abismo nos agonizantes 22 meses que ainda lhe faltam de mandato. Não se pode descartar a hipótese de que se aventure por atos inconstitucionais para permanecer no poder, como alertam renomados juristas e analistas políticos.

ARNALDO LUIZ CORRÊA ARNALDOCORREA@HOTMAIL.COM

SANTOS

*

Culpa da imprensa...

Recordes de mortes se sucedem no Brasil. “Criaram pânico”?! Não é “pânico”, não. Os quase 2 mil óbitos por dia se devem à “gripezinha”.

HUGO JOSE POLICASTRO HJPOLICASTRO@TERRA.COM.BR

SÃO CARLOS

*

Interdição

Quantos mais ainda terão de morrer para interditar o mentecapto que está no poder?

MAURÍCIO TARANDACH MAUTARA@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Economia em queda livre

Dou a mão à palmatória. Quando o ministro Paulo Guedes afirmou que o Brasil ia surpreender o mundo, não acreditei. Mas a surpresa chegou: com sua política econômica errática, deixamos o grupo das dez maiores economias do mundo e somos agora a 12.ª, com possibilidade de cair para a 15.ª posição ainda neste ano.

JORGE DE JESUS LONGATO FINANCEIRO@CESTADECOMPRAS.COM.BR

MOGI-MIRIM

*

Até no MEC

Não bastassem as inúmeras manifestações de autoritarismo do presidente e de vários ministros, agora até no Ministério da Educação (MEC) estamos vendo uma aberração autoritária, com ofício para as universidades federais impondo um cala-boca: manifestação política dentro das instituições é “imoralidade administrativa” e pode ser punida. Continua dando a lógica para quem não se esqueceu de que o ministro da Educação já disse que gay é produto de família desajustada.

SÉRGIO BARBOSA SERGIOBARBOSA19@GMAIL.COM

BATATAIS

*

Mordaça nos mestres

O presidente não tem sido feliz na escolha de ministros da Educação, cada indicado é pior que o outro. O deputado Bibo Nunes (PSL-RS) fez denúncia contra professores da Universidade Federal de Pelotas e a Advocacia-Geral da União (AGU), com a conivência do ministro – que até agora não disse a que veio, nada fez –, abriu investigações para apurar a conduta dos mestres. Ora, universidade é ambiente de debate. As pessoas que defendem a liberdade de expressão para o deputado Daniel Silveira negam esse direito a quem não pensa como elas, incluídos professores universitários. É um contrassenso, para não dizer outra coisa! O mais grave, porém, a meu ver, é a AGU aceitar participar dessa empreitada. Lamentável.

ANTÔNIO DILSON PEREIRA ADVDILSON.PEREIRA@GMAIL.COM

CURITIBA

*

Desilusão

Como viver num país que tem um presidente que é um poço de ignorância e não preza pela vida do seu povo? Num país onde os congressistas querem blindar a safadeza e a corrupção de seus pares? Como viver num país em que se mata a troco de um celular velho? E onde uma pessoa alcoolizada atropela e mata um jovem e é “punida” com três anos de trabalho comunitário? Enfim, como viver num país onde se rouba vacina contra a covid-19, pondo em risco a vida dos cidadãos? Se alguém souber as respostas, por favor, me avise.

LUIZ FRANCISCO A. SALGADO SALGADO@GRUPOLSALGADO.COM.BR

SÃO PAULO

*

Corrupção

Mimo de R$ 6 milhões

Sei, não, mas Flávio Bolsonaro, filho do presidente da República, comprar uma mansão de quase R$ 6 milhões em Brasília é um tapa na cara de uma Nação em que estão morrendo quase 2 mil pessoas diariamente e o governo está mais perdido que cachorro que caiu de caminhão de mudança. A compra pode até nada ter de irregular, mas, convenhamos, é péssimo o momento, e sussurram em Brasília que até os militares se irritaram. Mas, e daí? Daí nada, porque aqui é o Brasil e todos sabem que estamos num enrosco de que não fazemos a mínima ideia de como sair.

LAÉRCIO ZANNINI SPETTRO@UOL.COM.BR

GARÇA

*

Minha mansão, minha vida

A compra pelo senador Flávio Bolsonaro de um “modesto” imóvel, pela bagatela de R$ 6 milhões, com financiamento do Banco de Brasília em suaves prestações de uns R$ 18.700, deu o pontapé inicial na nova fase do programa bolsonarista Casa Verde e Amarela, um arremedo do lulopetista Minha Casa, Minha Vida”. Coisa mais “natural”, impossível.

LUÍS LAGO LUIS_LAGO1990@OUTLOOK.COM   

SÃO PAULO

*

Dinheiro vivo

Aposto que o pagamento das parcelas do financiamento da mansão será em dinheiro. É mais fácil, né?

SYLVIO FERREIRA SYLVIOFERREIRA@HOTMAIL.COM

SÃO PAULO

*



Cartas selecionas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

PUNIÇÃO

A Alesp vota a punição do deputado Fernando Cury, assediador

descarado, que era sim punível com a cassação, mas trata-se de uma

Assembleia repleta de homens, logo a punição é o máximo a

que podem chegar, afinal por que a deputada Isa Penna tem seios ou

nasceu mulher, diriam.

Marcos Barbosa micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

*

UBS – VERGONHA

Bruno Covas, você já tomou posse? Sou um cardiopata e nesta semana fui na UBS para retirar os vários remédios que tomo diariamente. Voltei com as mãos vazias, pois a farmácia da UBS não tinha nenhum remédio. Renuncie já. O povo brasileiro não suporta mais políticos incompetentes.

Maurício Lima mapeli@uol.com.br

São Paulo

*

ENCOLHIMENTO DA MALHA VIÁRIA PELA PREFEITURA DE SÃO PAULO


Há alguns meses a Prefeitura vem pintando faixas (questionáveis) nas movimentadas Avenida São Gualter e Rua Diógenes Ribeiro de Lima (Pinheiros) e colocando “tartarugas”. Além de aumentar os congestionamentos e impor multas, reduz o estacionamento do comércio e escolas da região. Vale lembrar que essas ruas/avenidas (e outras em SP) já s​ão usadas por ônibus, caminhões de todos os tamanhos e totens de rua para radares. Onde estão os vereadores da cidade para questionar o prefeito dessas decisões absurdas e permitir esse gasto de dinheiro, sem justificativa,  que poderia ser aplicado aos sem tetos, refeições aos que necessitam e combate à covid-19?  


Livio Mario S. Piraino pira5@hotmail.com

São Paulo

*

PRIORIDADES DA VACINAÇÃO


Não concordo com os critérios dos grupos prioritários adotados para a vacinação na cidade de São Paulo. Nesta segunda feira, dia 1º/3, se iniciou a vacinação de 20 categorias de “profissionais da saúde” com mais de 55 anos, estando ou não na linha de frente no tratamento da covid-19. Neste grupo estão psicólogos, biólogos, veterinários, dentre outras categorias de profissionais. Conforme divulgado, as pessoas de maior risco são os idosos maiores de 60 anos. Este grupo de pessoas vai tomar a vacina antes dos idosos de 75 ou  70 anos? Sr. Prefeito, poderia explicar? 


Sylvio Ferreira sylvioferreira@hotmail.com

São Paulo

*

NA FASE VERMELHA SEM GOVERNO

Está difícil viver neste Brasil! Desgovernado e sem rumo por obra e culpa de Jair Bolsonaro.  Principalmente neste período da pandemia que o presidente despreza, não respeita a ciência e ainda nomeia um medíocre ministro da Saúde, como o general Eduardo Pazuello, que, seguindo a orientação do Planalto, não compra vacinas, seringas, agulhas, oxigênio, etc. E, este desumano Bolsonaro, com indiferença assiste à angustia da família brasileira com seus quase 11 milhões de infectados, 260 mil mortos.  Diante do caos no sistema hospitalar com a segunda onda da covid-19, assim como decide o governo de São Paulo, todos os outros Estados também entram na dura e inevitável fase vermelha, de restrições à circulação de pessoas.  Mesmo porque, hoje, dos 212 milhões de habitantes, pouco mais de 7 milhões foram vacinados. Um dos piores resultados entre os países.  E por ironia do destino, 90% das vacinas que estão sendo administradas nesta imunização são Coronavac. Produzida pelo Instituto Butantan, em parceria com a chinesa Sinovac, sob a garantia do governo de São Paulo, essa vacina é a mesma que Bolsonaro não quis comprar, alegando que não prestava...   E com muitos países já vacinando em 2020, o Planalto somente comprou esta vacina em janeiro último.  E o Butantan deve entregar até agosto 100 milhões de doses.  Porém, o presidente, quando deveria promover a união do País, alavancar a economia e diminuir a pobreza, infelizmente, só promove crise   institucional. Como do seu desprezo ao meio ambiente, na educação dos nossos filhos, nas relações internacionais e de não combater como prometeu a corrupção no País. Já qu, prefere fazer o diabo para salvar seu filho senador Flávio, familiares e amigos, até milicianos com as rachadinhas criminosas. E não satisfeito com os prejuízos que causa à Nação, como um “gran finale” de suas excrescências, interfere na Petrobrás, demitindo seu presidente. E provoca um prejuízo para a estatal de mais de R$ 100 bilhões, no seu valor de mercado. Já que o preço das ações ruíram.  E, também, ao aumentar impostos para zerar o preço do diesel e do gás, só para satisfazer os caminhoneiros, promove um péssimo ruído no mercado.  O risco País foi para as alturas.  Assim também o dólar, que afugenta investidores, alimenta alta da inflação, mais custos para empresas e consumidores. Que também afasta a possiblidade da diminuição do alto nível de desemprego. E, certamente, vai aumentar ainda mais a pobreza no País.  Como bem disse o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), “precisamos parar esse cara”, já que está arruinando a esperança do povo brasileiro... 


Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

BIDEN E A VACINAÇÃO

O presidente Biden anunciou que os americanos (cerca de 300 milhões) serão vacinados até o mês de maio, num processo que basicamente começou após sua posse, em 20 de janeiro. Aqui, onde o Programa Nacional de Imunizações tem experiência para vacinar toda a população brasileira em poucos dias, a previsão é de chegar a 2022 sem finalizar a vacinação. Porque o governo  não comprou e se recusa a comprar as vacinas. Depois não quer ser chamado de psicopata genocida.

Shirley Schreier schreier@ig.usp.br

São Paulo

*

COMO VACINAR

Alguém tem reparado quando algum telejornal mostra uma pessoa sendo vacinada? Gostaria de saber onde estas enfermeiras aprenderam ou quem as ensinou da maneira como fazem. Quando se aplica uma injeção intramuscular deve-se puxar o êmbolo da seringa para ver se algum vaso foi atingido. Se foi, aparecerá sangue. E não se pode aplicar a injeção. A maioria delas espeta e vai acionando o êmbolo. Errado. 


Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com


Rio de Janeiro


*


PUNIÇÕES NO LOCKDOWN


O governador multa quem ignora o perigo do vírus que voltou com tudo. São Paulo e o Brasil devem adotar outra punição. Ao invés de dinheiro, que quem tem paga e quem não tem não paga, e nada muda. A punição seria: já que você está na farra, na praia, na balada, etc., você é muito corajoso e vai ser voluntário  em atendimento ao doente de covid.19. Justo não é?


Roberto Moreira da Silva rrobertomsilva@gmail.com

São Paulo


*

IGREJAS ABERTAS?

Nosso governador João Doria acha que a população é inocente?

A quem ele quis agradar? Aos evangélicos bolsonaristas?

Igrejas abertas?

Não dá para rezar em casa?


Sérgio Bruschini brischini0207@gmail.com

São Paulo


*


ELEIÇÃO VIRAL

Até o domingo das eleições em 2.° turno tínhamos uma centelha de esperança que o vírus tinha desistido, infelizmente ele se fortaleceu e dali em diante só cresceu com mortes e casos !

Francisco José Sidoti  fransidoti@gmail.com


São Paulo


*


VENCENDO TRUMP         

O presidente Jair Bolsonaro está exultante pois conseguiu passar na frente dos EUA em óbitos. A vantagem do negacionista e genocida é que seu brother Donald Trump já foi removido do cargo pelos eleitores, agora, só se aguarda que o mesmo aconteça com Jair Bolsonaro. Mais uma vergonha presidencial!   

 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br          

São Paulo    


*

FILHO PRÓDIGO


Papai Bolsonaro deve estar pulando de alegria graças ao êxito alcançado pelo rebento Flávio. Afinal não é qualquer um que consegue multiplicar por quatro o patrimônio declarado antes da última eleição e comprar uma mansão de R$ 6 milhões na parte nobre do lago de Brasília. 

Esse moleque é só motivo de satisfação para o vaidoso progenitor. 

Antes do grande negócio imobiliário, ele já havia convencido a proba 5.ª Turma do STJ a declarar a nulidade de sua quebra de sigilo em relação às provas no valor de outros quase R$ 6 supostamente desviados na Alerj a título de rachadinha.

Deve também ter obtido um lucro fabuloso na venda de sua fabulosa franquia na loja de chocolates que era objeto de investigação do MP para averiguar eventual lavagem de dinheiro. 

Parabéns senador! Com esse currículo seus eleitores estão superbem servidos e o senhor muito mais.


Lairton Costa lairton.costa@yahoo.com.br

São Paulo


*

FLÁVIO BOLSONARO


A aquisição de uma mansão  de mais de R$ 6 milhões por parte de um senador por certo exige explicações.  É um valor muito elevado e a transparência vai evitar que sejam feitas ilações negativas. Afinal,  os rendimentos de quem exerce a carreira pública são suficientes para cobrir o valor da transação?


Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos


*

MAN$ÃO


A espetacular casa de 1.100 m², com 4 amplas suítes, academia, piscina, spa com aquecimento solar e vista espetacular, recém-comprada pelo senador Flávio Bolsonaro (Progressistas-RJ) e sua esposa no setor de mansões do Lago Sul de Brasília, parte financiada a juros de pai para filho pelo Banco de Brasília (BRB),pode ser usada daqui por diante como publicidade do novo Programa Minha Mansão, Minha Vida. Um luxo só!


*

AFRONTA DA MANSÃO DE FLAVIO

Não tem como não falar sobre esta afronta à Nação, desta compra de uma mansão por R$ 6 milhões (que vale quase R$ 9 milhões...) em Brasília, pelo investigado por crime das rachadinhas senador Flávio Bolsonaro.  Já que a conta não fecha!  E é fácil explicar!  Como deputado, tem salário de R$ 33.763, e recebe líquido R$ 24,9 mil. E, em sua declaração do Imposto de Renda de 2018, disse acumular um patrimônio  de R$ 1,7 milhão. Como então pagou de entrada por esse imóvel algo como R$ 2,9 milhões, já que, para pagar R$ 3,1 milhões conseguiu um financiamento bancário?! Parece ser mais um caso de polícia, não é verdade?  Pior ainda, quando se sabe, que, com seu salário líquido de R$ 24,9 mil, vai pagar para o banco uma prestação inicial de R$ 18.574,94. E de onde vai conseguir recursos para pagar despesas das escolas dos filhos, supermercado, vestuário, laser, etc., e mais pagamento de vários funcionários para manutenção desta mansão de mais de 2 mil m², com imenso jardim, piscina, academia, etc.? Vai desviar das verbas parlamentares ou de novas rachadinhas para custear esse luxo? Que, convenhamos, deixa no chinelo o apartamento tríplex do Guarujá e o sítio de Atibaia do demiurgo de Garanhuns... Ou seja, nos moldes da República comandada pelo PT, de Lula e Dilma, infelizmente, segue o clã Bolsonaro...


Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos


*

‘A  HORA É AGORA’

As palavras do senador Tasso Jereissati, em entrevista ao Estado, 2/3A3, foram taxativas quando  falou sobre o comportamento do presidente Jair Bolsonaro na ¨condução¨ da pandemia do novo coronavírus em nosso país. Não é uma crise no Brasil,  mas no mundo todo, e ele (presidente) não se dá conta. “É PRECISO PARAR ESSE CARA”, disse o senador.

Sem máscara, provocando aglomeração,  chamando quem se preocupa com a doença de “maricas”, não dando ouvidos à ciência, aos infectologistas, ao aumento vertiginoso de óbitos e dos contaminados, à falta de leitos nos hospitais públicos e privados, tanto nas UTIs como em enfermarias, à falta de vacinas e, também, ao esgotamento físico e mental dos médicos e enfermeiros que trabalham na linha de frente no combate da pandemia.

O presidente, dizem, está preparando terreno para as eleições de 2022, quando ele, que já conseguiu mudar o pessoal do Congresso e do Senado, tem todos os sugadores a seus pés, em troca de grandes favores, que serão muito caros, mas ele pagará a conta sem reclamar.

A CPI  da Saúde seria uma solução, mas “não teria como funcionar”, disse o presidente do senado,  Rodrigo Pacheco. Segundo ele seria contraproducente e o trabalho remoto, imposto pela pandemia, impossibilitaria o funcionamento da CPI.

Ele esquece que todo o Congresso se mobilizou para fazer com  que a PEC da Imunidade (ou IMPUNIDADE) parlamentar fosse votada no mesmo dia... sem mais delongas...

Mas, pensando bem,  acharam melhor se acalmarem, deixar essa PEC mais para a frente e com mais tempo.

Enfim,  se Bolsonaro está se preparando  para 2022,  vai ter que  “engolir”, porque os que votaram nele em 2018 não conheciam o seu histórico, apenas viam nele o “Messias” para nos salvar do PT. Os próximos candidatos à Presidência, sejam empresários, comunicadores, etc., além da ficha limpa, terão de ter noção do que é presidir um país. Do contrário, não terão nosso voto.

Mercedes Pagano Cuencas Dias vcnautica@hotmail.com


BRASIL E O CAOS


É inacreditável o que está acontecendo no Brasil, seguimos com um leigo incompetente conduzindo a Saúde durante a pior crise da história. A oposição, corrupta e incompetente, começa a revirar o lixo para apresentar seus candidatos para concorrer com o lixo da direita, também corrupta e incompetente. O Centrão segue esperando para ver quem vencerá a próxima eleição para continuar a extorquir dinheiro público, como de costume. O filho do presidente da República deu uma cusparada na cara da Justiça, ao comprar uma mansão com o dinheiro público roubado da rachadinha, depois de manipular para obter a anulação do processo. A elite empresarial não se coça, ganha sempre, a bolsa caiu, mas o dólar subiu, segue o jogo. O povo não pode se manifestar nas ruas por conta da pandemia, talvez esse seja o real motivo para o presidente Bolsonaro fazer tudo que pode para não comprar as vacinas. O Brasil segue esperando a revolução sangrenta que tanta falta faz à sua triste história.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo


*

 

DELFIM NETTO


Diante dos fatos e acontecimentos cada vez mais surreais do dia a dia da política intervencionista e conservadora do presidente Bolsonaro, que parece ter buscado inspiração, vejam só, nos devaneios alucinados de Dilma Rousseff, de lamentável memória, cabe citar declaração premonitória do lúcido ex-ministro e professor Delfim Netto: “A tempestade perfeita já se forma no horizonte, com a elevação dos juros longos aqui e lá fora. Junte-se a isso as ameaças de intervenções pelo presidente nos preços de mercado e nossa vocação de empurrar os ajustes sempre para depois, temos a receita para o desastre”. Com efeito, o País caminha aceleradamente para uma zona cinzenta de um futuro nada promissor. Como bem alertou o ministro Paulo Guedes, se continuar errando na direção econômica, o Brasil vai acabar virando uma Argentina ou uma Venezuela em pouco tempo. A que ponto chegamos!


J. S. Decol  decoljs@gmail.com

São Paulo



*


JABUTICABA


O Brasil é mesmo o país das jabuticabas, que proliferam em todas as esferas do nosso espectro político, mas esta é de doer. Um deputado, com processos no STF, pode ser eleito para presidência da Câmara, mas está vetado na linha sucessória para assumir a Presidência da República. No primeiro caso este exerce um exclusivo poder político de influência e de pautar as votações da Casa. No outro se presta tão somente a sentar na cadeira presidencial e tirar fotos para a posteridade.

 

Abel Pires​ Rodrigues aablrod@terra.com.br

Rio de Janeiro

 

*

CARGO PÚBLICO E AS REDES SOCIAIS


“O exercício de cargos públicos não comporta amparar opiniões pessoais e sim representar as instituições.” Excelente colocação  de Caio C.V. Machado no Estadão de ontem (Precisamos falar sobre redes sociais e poder público) me faz refletir: em uma tão sonhada reforma política e eleitoral, que tal proibir ocupantes de cargos institucionais de terem perfis nas redes sociais. Pelo menos os majoritários. Dá náuseas ter que aturar Bolsonaro vomitar suas bobagens todos os dias. 


Luiz Antonio Amaro da Silva zulloamaro@hotmail.com

Guarulhos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.