Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

07 de março de 2021 | 03h00

O Brasil de Bolsonaro

Jogando com a desgraça alheia

Meia dúzia de caminhoneiros resolveu “incrementar” as ações restritivas do governador de São Paulo, João Doria, para o combate à pandemia. Considerando muito permissivas as medidas anunciadas, eles decidiram antecipar a fase vermelha e impedir, em pleno dia de semana, sexta-feira, e em horário comercial, que milhões de cidadãos fossem trabalhar, ambulâncias com pacientes circulassem, bombeiros e policiais atendessem ocorrências, idosos se vacinassem, enfermeiros e médicos chegassem aos hospitais para cuidar dos pacientes, etc. E depois de provocarem milhões de prejuízo foram embora, livres, leves e soltos, como se estivessem saindo de uma festa.

FREDERICO FONTOURA LEINZ FREDY1943@GMAIL.COM

SÃO PAULO

 *

Exércitos de fanáticos

Vendo o bloqueio de vias públicas na sexta-feira, impedindo o direito de ir e vir da população, lembrei-me das manifestações do MST, o exército do Lula. E concluí que agora temos o exército do Bolsonaro, o dos caminhoneiros. A história se repete. Cada dia mais o bolsonarismo se iguala ao lulopetismo em radicalismo, ambos têm seus exércitos particulares de fanáticos. Pobre Brasil.

ELISABETE DARIM PARISOTTO BETEPARISOTTO@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Titanic

Um país que tem duas pessoas como o presidente atual e o ex condenado, preso e com vários processos em andamento, no topo das pesquisas para as próximas eleições só pode ser visto como navio à deriva em direção a um grande iceberg. Que triste destino o desta nossa querida nação, que nunca chega ao futuro.

ARNALDO VIEIRA DA SILVA ARNALDOSILVA1946@GMAIL.COM

ARACAJU

*

Bolsodilma

Cada vez mais o desgoverno Bolsonaro se parece também com o da presidenta Dilma: descontrole fiscal, reformas importantes que não saem, corporativismo (ainda que de sinal trocado), interferência em estatais e outros órgãos públicos, provocando incerteza e aumento do dólar, o que resulta em mais inflação, menos investimentos, mais desemprego. Não dá para saber como Dilma se comportaria se o Brasil tivesse sido tomado por uma pandemia, como agora. Mas neste espaço não cabe enumerar tantos desleixos, asneiras e irresponsabilidades do atual ocupante da Presidência no tocante à covid-19, que já matou mais de 260 mil brasileiros, enquanto ele se ocupa em debochar, brigar com governadores, tirar 17 dias de boas férias de fim de ano em Santa Catarina e no litoral paulista. Ah, ele teve ainda o período de carnaval. Tudo com dinheiro público. Agora, visitas a hospitais, fábricas de vacinas, institutos de pesquisa para fins científicos, isso ele não faz.

ÉLLIS A. OLIVEIRA ELLISCNH@HOTMAIL.COM

CUNHA

*

Vácuo de liderança

Um jornal dos EUA publicou que aqui, no Brasil, o “vácuo de liderança” fez o vírus se espalhar por todo o continente. Realmente, estamos sem nenhuma liderança. Ou não?

ARTUR TOPGIAN TOPGIAN@TERRA.COM.BR

SÃO PAULO

*

Na boca do mundo

O absoluto caos no não combate à epidemia de covid pelo desgoverno brasileiro agora se tornou notícia no mundo inteiro, pelo completo pandemônio na campanha de imunização, em que faltam vacinas, sobram filas colossais e reina a mais completa incompetência no ministério da doença desse alucinado bando de insanos da maior banana republic do mundo. Quem vai parar com esses caras?

PAULO SERGIO ARISI PAULO.ARISI@GMAIL.COM

PORTO ALEGRE

*

Quem pode parar esse cara

A exortação do senador Tasso Jereissati tem resposta: quem pode “parar esse cara” é o Supremo Tribunal Federal. A Suprema Corte, que só pode responder a provocações dos jurisdicionados, segundo as premissas constitucionais, é autorizada pela Carta Magna, por exemplo, a atender a uma arguição de descumprimento de preceito fundamental (ADPF) acionada por qualquer partido político legitimado para as ações diretas. Quantos preceitos fundamentais já não foram violados pelo capitão Bolsonaro?! E vão continuar a ser, conduzindo-nos para um imenso cemitério de um povo “governado” por um infranormal.

AMADEU R. GARRIDO DE PAULA AMADEUGARRIDOADV@UOL.COM.BR

SÃO PAULO

*

Crise econômica

Não há possibilidade alguma de economistas, por mais competentes que sejam, conseguirem sanear ou equilibrar a economia do nosso país, agora ainda mais debilitada pela pandemia, que vem tirando tantas vidas humanas. Devemos lembrar que ao lado desse pesadelo sanitário que agora vivemos há outro que assola pontualmente alguns países e o nosso, infelizmente, está incluído nessa trágica lista. Não há soluções práticas ou acadêmicas que possam resolver, pela via econômica, problemas que, na verdade, são de ordem estritamente moral e ética. Corrupção, roubalheira e outras contravenções penais exigem leis adequadas, severas. E, mais ainda, a certeza de que serão aplicadas e cumpridas. Não basta instituir leis, é necessária a vigilância constante para termos a certeza de que elas estão sendo respeitadas.

VERA AUGUSTA VAILATI BERTOLUCCI VERAVAILATI@UOL.COM.BR

SÃO PAULO

*

Síntese

Depois de muito ler, estudar e refletir, acredito ter sintetizado o caos: a cupidez paralisa Brasília e nos arrasta como âncora para o fundo.

FRANCISCO EDUARDO BRITTO BRITTO@ZNNALINHA.COM.BR

SÃO PAULO

*

Em São Paulo

Assédio na Assembleia

Tendo costas largas é bem fácil bater no peito. A “punição” é um tapa na cara das mulheres.

A. FERNANDES STANDYBALL@HOTMAIL.COM

SÃO PAULO


Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br


GOVERNO GENOCIDA DE CEMITÉRIO

Tudo o que a nação brasileira pensante poderia dizer foi manifestado em dois artigos no Espaço Aberto do Estadão (6/3/2021) por Bolívar Lamounier, em seu artigo Temos um Governo Genocida? , e por Miguel Reale Júnior, no artigo Presidente de Cemitério. Em irretocáveis textos revelaram à nação a realidade em que o Brasil está metido e como sair desta  enrascada suicida, motivo de perplexidade para todas as demais nações do mundo. 

Paulo Sérgio Arisi paulo.arisi@gmail.com

Por Alegre

*

DESVALORIZAÇÃO DA VIDA

O ministro Luís Roberto Barroso, atualmente integrante do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), falando sobre a pandemia de covid-19, disse que o Brasil vive atualmente uma desvalorização da vida. Mas, caro ministro, o Brasil sempre viveu não uma, mas infindáveis desvalorizações da vida, e isso diariamente, cotidianamente, pois, apesar de nossos fabulosos históricos de crimes de corrupção e de homicídios, a Suprema Corte, da qual o senhor faz parte, julgou que os criminosos, mesmo se condenados em segunda instância de Justiça, podem permanecer à beira de suas piscinas ou apenas às margens da verdadeira justiça, por um tempo ad infinitum, enquanto aguardam a refundação de nossa República e a reinauguração de novos e democráticos Poderes que, infelizmente, jamais virão.

Marcelo Gomes Jorge Feres marcelo.gomes.jorge.feres@gmail.com

Rio de Janeiro

*

CHEGA DE BOLSONARO

Chega de frescura e mimimi, vão chorar até quando por causa da

pandemia, sentencia Bolsonaro, responsável direto pela morte de mais

de 260 mil pessoas, e o Congresso nacional é coautor deste genocídio,

por não afastá-lo.

Marcos Barbosa micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

*

ESTUPIDEZ

O presidente Bolsonaro quer saber até quando os brasileiros vão ficar chorando das mortes pela covid-19.

Além da estupidez da pergunta, a resposta é: até ele deixar de ser presidente da República.

Luiz Frid fridluiz@gmail.com

São Paulo

*

LUCIDEZ

Com o atual grau de lucidez do presidente Bolsonaro, quando o ministro Paulo Guedes falar em vacinação em massa o presidente talvez presuma que é para injetar a agulha em uma lasanha...

Luiz Frid fridluiz@gmail.com

São Paulo

*

O BRASIL ASSUSTA O MUNDO

Uma nação martirizada por um governo de dementes, que negam a pandemia e as vacinas, e não é sumariamente impedido pelo Congresso comprado e pelo Judiciário enroscado em cipoal de leis contraditórias, assusta o mundo, pelo colapso de seu sistema de saúde caótico e hospitais públicos e privados lotados de pacientes desesperançados. Mais de 260.000 mortos e vacinação desorganizada apontam para a piora do cenário apocalíptico neste país destroçado por seu próprio governo tresloucado. O povo brasileiro pede socorro ao mundo civilizado.

Paulo Sergio Arisi paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

*

LOCKDOWN

Se o Brasil não fizer um lockdown de 21 dias para diminuir a circulação da variante de Manaus, o País dobrará o número de mortes em poucos meses. Após  tornar-se prevalente, esta nova cepa do Sars-CoV-2 mostra-se duas vezes mais transmissível, com carga viral dez vezes maior e também afetando com mais frequência pessoas abaixo da faixa etária de 60 anos.

Luiz Roberto Da Costa Jr. lrcostajr@uol.com.br

Campinas

*

VAMOS AGIR

Enquanto o déspota maquiavélico enfileira crimes comuns e de responsabilidade e nada acontece contra a carnificina, conclamo as autoridades com poderes e responsabilidade de pará-lo a saírem da inércia. Presidentes da Câmara e do Senado ficarão para a história por suas omissões. Aras, escolhido a dedo fora da lista convencional, se não for por bem, deverá agir por força de sua Instituição! Alô Procuradores Federais!       

E por fim, cadê o ministro Fux, presidente do STF? Não se manifesta neste descalabro crescente? Vamos agir enquanto somos um país

Flavio Rodrigues e Silva flaviorodrigues.ceo.@gmail.com

Bauru

*

UM MOMENTO TERRÍVEL

O que a população brasileira está presenciando nesse momento gravíssimo da pandemia de covid-19 é estarrecedor.  Hospitais superlotados sem condições de atender  os infectados; escassez de profissionais da área da saúde, muitos desistindo de continuar atendendo,  abatidos pelo cansaço  de mais de um ano dessa guerra  e a vacina vindo a conta-gotas.  Na cabeça de cada um de nós está a certeza de que a morte nunca esteve tão próxima. É assustador. Só não é assustador para aqueles que são desprovidos de sensibilidade; não possuem sentimentos de afeição, de amor e piedade. Esses, demonstrando indiferença nesse momento em que a população brasileira está tão fragilizada, acham espaço para fazer piadinhas. É inaceitável o que está vindo da parte de pessoas que deveriam estar fazendo de tudo para amenizar o sofrimento do povo brasileiro, mas que consideram que não há nada de anormal. As mais de 260 mil mortes de nossos irmãos são tratadas com frieza, com indiferença. Quanta dureza de coração. São pessoas que não são capazes de chorar com os que choram. São cruéis.    Senhor, tende piedade de nós. Ensina-nos a votar.

 Jeovah Ferreira jeovahbf@yahooo.com.br

Distrito Federal

*

MÃO ALHEIA

O gentil Bolsonaro vai estrelar uma campanha do Ministério da Saúde estimulando a aquisição  de vacinas, com o slogan: “Manda tua mãe comprar”. 

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília

*

JABUTICABA BEM-VINDA          

O Legislativo brasileiro é famoso por incluir “jabuticabas”, especialmente antes das votações que ocorrem na surdina. Essa prática seria de grande valia se fosse usada agora para introduzir em nossa Constituição Federal algo equivalente à 25ª Emenda à Constituição Americana: “Se o presidente se tornar incapaz de fazer seu trabalho, o vice-presidente passa a ser o presidente”. Assim, podemos remover o Jair Cloroquina Bolsonaro, sem enfrentar o doloroso e demorado processo de impeachment, pois ele não tem mais a menor condição de governar o Brasil, como pode ser comprovado por uma avaliação isenta da sua saúde mental.

Omar El Seoud elseoud.usp@gmail.com

São Paulo

*

VACINAS

De que adianta o Ministério da Saúde sair comprando todo tipo de vacina, neste momento, pois começarão a ser entregues daqui a 60 dias, até o fim do ano. Estamos precisando de vacinas entregues para janeiro 2020, fora isso, é genocídio. O Rei do Gado menosprezou sua boiada. 

Rubens Manoel Paranhos Bello rubensmanoelbello@gmail.com

Jandira

*

PIB DE SP CRESCE 0,4% EM 2020

Para frustração deste desumano e inconsequente Jair Bolsonaro, o governo do Estado de São Paulo, mesmo em meio a essa pandemia de covid-19, demonstrou eficiência, cortou gastos, fez uma dura reforma fiscal, e como prêmio conseguiu um PIB positivo de 0,4%, nesse difícil ano de 2020. E o governador João Doria, graças à parceria que fez com a chinesa Sinovac e o Instituto Butatan, conseguiu  a vacina Coronavac,  que atende 90%  dos vacinados no Brasil. Uma façanha!   Se fosse um país, São Paulo seria o 4º com crescimento econômico no mundo. Em primeiro foi Taiwan, 3,1%; depois a China, com 2%; e Turquia, com 1,6%. O Brasil, de Bolsonaro teve queda de 4,1%. Porém, se não tivéssemos um presidente  que só promove indignação, que não se preocupa com o nosso desenvolvimento econômico e social, certamente o tombo do PIB, em 2020, teria sido menor. E os números não mentem. Quando Jair Bolsonaro assumiu o poder, o Brasil era a 9ª economia do mundo. E hoje, com o País, mal administrado, caiu para 12ª economia. E a renda per capita, que ruiu 4,8%, é medíocre, passando para R$ 35.172,00, ou US$ 6,4 mil. Enquanto a Coreia do Sul, que ultrapassou o nosso país, tem um PIB per capita de US$ 31,5 mil, ou R$ 173 mil.  Ora, Bolsonaro  só quer confronto, não sabe dialogar com a Nação. Despreza a ciência, essa pandemia e, sem escrúpulos algum, não tem sentimento para salvar vidas. Nem foi capaz de comparar vacinas antecipadamente, o  que poderia ter evitado milhares de óbitos, que já chegaram a mais de 260 mil. Porém, perdido e sem rumo, e com sinais de esquizofrenia,   ainda prefere  chamar   o povo brasileiro de “marica”,  “idiota”, ou que precisa parar com essa  frescura de pedir vacinas,  sugerindo que peça para “sua mãe comprar”... Precisamos, urgentemente, parar esse cara!

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

OPERAÇÃO LAVA JATO

Somente os brasileiros decentes e desejosos de ver uma nação passada a limpo, austera e livre dos agentes corruptos compreendem a importância da emblemática e respeitada Operação Lava Jato. Além de condenar e colocar na cadeia os políticos sabidamente corruptos e mentores de esquemas de corrupção inconfessáveis,  com provas robustas e irrefutáveis,  a Lava Jato produziu infindáveis benefícios ao País e  teve o mérito de recuperar centenas de milhões desviados dos cofres públicos, além de dar um alento às empresas prejudicadas por vultosos esquemas de corrupção, principalmente a Petrobrás, literalmente saqueada pela facção criminosa PT. Na contramão e demonstrando desapareço às leis e às nossas  instituições, estão os  maus brasileiros que tentam em vão  desqualificar a força-tarefa que simboliza o combate à corrupção em todos os níveis, confirmando uma frase lapidar  do grande Rui Barbosa, o maior brasileiro, que teria dito algo assim: “De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto”. Para muitos brasileiros, infelizmente, este dia chegou tristemente. Lamentamos pelas suas famílias tamanho equívoco e simpatia por atos desonrosos e por corruptos incorrigíveis. Viva a Lava Jato! 

Moacyr Rodrigues Nogueira Moaca14@hotmail.com 

Salvador

*

VAMOS FALAR SÉRIO

O que falta o presidente fazer para que o Congresso Nacional e o Poder Judiciário saiam dessa inércia impatriótica e cassem o seu mandato? Não é de hoje que o presidente desrespeita a população, fazendo exatamente o contrário do que prometeu na campanha, à exceção da destruição do meio ambiente, em que vem cumprindo fielmente a promessa. Desde o começo tem se comportado como um eficiente soldado do coronavírus. Tão eficiente que o nosso país tem o segundo número de mortos causados pelo vírus no planeta, com o apoio do chefe do Executivo. Sentindo-se acuado, pois, vai ficando cada vez mais clara a sua ignorância sobre a ciência e a culpa pela nossa situação, que se caminha para o caos, resolveu atacar a todos nós, na velha e surrada tática de que o ataque é a melhor defesa. Mas, ao declarar “chega de frescura e mimimi” e continuou “vamos enfrentar o problema de peito aberto” ao se referir à pandemia, extrapolou a tudo de torpe que um ser humano pode fazer. E fez essas declarações no dia em morreram 1.840 pessoas no Brasil. Agora vem falar em enfrentar o problema de peito aberto? Ora, isso é irracional, pois não tem sentido nenhum. Collor e Dilma, apesar de sofrerem uma destituição justa, não chegaram nem perto do que o presidente atual já fez de mal para o País e a sua população, em apenas dois anos de governo. Se não providenciarem a sua destituição, todos os nossos congressistas passam a ser coniventes com os crimes contra a humanidade que o pior presidente está cometendo. Se os membros do Centrão estão acreditando que estão fazendo bom negócio apoiando o presidente, deveriam prestar atenção ao que ocorreu até agora. Depois de perderem a utilidade para ele, aqueles que o apoiaram foram sumariamente descartados.

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br

São Paulo

*

CAIXÕES EM FALTA

Num país que já enterrou mais de 260 mil pessoas vítimas da covid-19, em que falta governo, juízo, senso de responsabilidade, empatia, organização, logística, vacinas, seringas e seriedade, não causa surpresa alguma que a Associação dos Fabricantes de Urnas do Brasil preveja para muito em breve o risco de desabastecimento nacional de caixões. A que ponto chegamos!

J.S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

BOAS MANEIRAS

Um oportuno presente para o capitão,  impoluto ofensor da Imprensa livre e independente,  com  seu palavreado próprio de botequim de quinta categoria,  seria o Guia de Boas Maneiras  do saudoso jornalista social Marcelino de Carvalho.  Resta saber se ele, com sua esmerada cultura de redes sociais,  conseguiria entender a fina escrita do Marcelino. 

LUÍS LAGO  luis_lago1990@outlook.com  

São Paulo  

*

BOM SENSO

No Brasil, atualmente se discute a maneira certa de conviver com a nova pandemia, diferente da primeira que já dura um ano. A questão é como enfrentar a nova pandemia que começou após o ano novo, certamente mais grave do que a primeira conforme notícias que circulam atualmente. Pelo que leio e ouço, parece que o povo não aprendeu nada, quer repetir o mesmo sistema de combate, que deu resultado no passado recente. As coisas mudam, surgem novas formas e processos que trazem melhores resultados, que não irei citar, deixo esse papel para os cientistas e especialistas. Só digo uma coisa, lockdown total é coisa do passado... 

Toshio Icizuca toshioicizuca@terra.com.br

Piracicaba

*

FLAVIO BOLSONARO

Para justificar o gasto na compra e manutenção da mansão em Brasília, Flavio Bolsonaro pode alegar que ganhou uma bolada na rachadinha, digo (ato falho), na raspadinha.

Ely Weinstein elyw@terra.com.br

São Paulo

*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.