Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

14 de março de 2021 | 03h00

Pandemia e economia

Lockdown em São Paulo

Reconhecemos a situação crítica da pandemia e a inadiável decretação, pelo governador paulista, João Doria, do estado de emergência. Porém faz-se necessário que Doria entenda que uma medida dessa magnitude traz sérias consequências à vida econômica da população e ele deve despir o terno de gestor e incorporar a armadura de liderança nacional. O País precisa de um esforço de preservação da renda muito maior do que a esmola aprovada no Congresso, de meros R$ 250. Os informais precisam de respeito, as empresas precisam de apoio financeiro urgente e os empregados, da garantia de seus empregos. De nada servirão medidas duras se descoladas da realidade. Entendemos a situação sanitária, mas para obter apoio das massas as questões econômicas têm de ser resolvidas de verdade. Doria precisa demonstrar liderança, convocar os deputados e senadores do Estado e chamar outras lideranças nacionais para pressionar o governo federal a andar. E rápido.

JORGE HENRIQUE SINGH JHSINGHBRAZIL@GMAIL.COM

GUARULHOS

*

Atraso fatal

É patente a incapacidade federal de lidar com a pandemia. No ano passado, Bolsonaro recusou 70 milhões de doses da vacina da Pfizer, agora facilita a compra da Pfizer e da Janssen. Quantas vidas podiam ser poupadas se ele tivesse aceitado?

MATHEUS CAVALLARI PEREIRA PITUCAOGRANDE32@GMAIL.COM

IBIPORÃ (PR)

*

Mea culpa

O prefeito de Milão, Giuseppe Sala, em 2020 reconheceu o seu erro de ter apoiado campanha para a cidade não parar no início da pandemia na Itália, o que custou milhares de vidas. Que tal nosso confuso presidente e seu atrapalhado ministro da Saúde fazerem o mesmo e pedirem desculpa aos brasileiros pelos milhares de mortes causadas pela clara incompetência demonstrada por eles?

KÁROLY J. GOMBERT KJGOMBERT@GMAIL.COM

VINHEDO

*

Salve-se quem puder

A situação da economia no Brasil está tão preocupante que, não bastasse os investidores externos retirarem os seus investimentos daqui, agora somos informados de que os brasileiros estão migrando suas aplicações para fora do País. Segundo uma importante corretora de valores americana, a média de abertura de contas por brasileiros lá fora saltou de mil para 2 mil por dia.

JORGE DE JESUS LONGATO FINANCEIRO@CESTADECOMPRAS.COM.BR

MOGI-MIRIM

*

A pique

Muita gente gostaria de desembarcar deste Titanic chamado Brasil, que ruma direto para um iceberg, sob o comando por um outro capitão Schettino, flagelado por uma peste a bordo sem horizonte para acabar e atacado a bombordo e a estibordo por piratas vivos e ressuscitados. Mas a pandemia da covid-19 eliminou até mesmo a opção do aeroporto.

JORGE MANUEL DE OLIVEIRA JMOLIV11@HOTMAIL.COM

GUARULHOS

*

Bolsonaro e Lula

Deus é brasileiro?

Jair Bolsonaro e Lula da Silva como principais líderes nacionais, essa é a maior prova de que Deus não somente não é brasileiro, como também odeia o Brasil e talvez queira punir a Nação por suas escolhas burras nas urnas eleitorais. Deve ser a espada da justiça divina sendo esgrimida sobre a nossa cabeça, apocalipticamente.

PAULO SERGIO ARISI PAULO.ARISI@GMAIL.COM

PORTO ALEGRE

*

Para 2022

Próxima eleição presidencial, Bolsonaro versus Lula? Ninguém merece. Parem o mundo que eu quero descer!

PEDRO LUIZ LEOPARDI LEOPARDI73@GMAIL.COM

JUNDIAÍ

*

Fatura

Lula e o PT, com a corrupção institucionalizada e um aparelhamento da máquina do Estado jamais vista na História do nosso país, fertilizaram o terreno e tornaram viável o surgimento da direita burra, consolidando a candidatura de Jair Bolsonaro. Presidente, Bolsonaro, com sua inépcia e sua profunda incompetência, também jamais vista na História do Brasil, além da sua insensibilidade e seu desrespeito pela vida dos brasileiros, cercado de rachadinhas e nebulosos negócios imobiliários, está retribuindo a gentileza. E nós, os brasileiros, pagamos a conta com o futuro dos nossos filhos e netos.

FERNANDO PIRRÓ FPIRRO@UOL.COM.BR

SÃO PAULO

*

Bolsolulismo

Pelos últimos acontecimentos, o Brasil e o mundo assistem ao que muitos de nós já sabíamos: Bolsonaro e Lula são farinha do mesmo lote, com os mesmíssimos efeitos colaterais nocivos: fazem uso do suor e das lágrimas do povo brasileiro para deleite próprio e das castas políticas. Enfim, muitos de nós, cidadãos comuns com genes pensantes, que nos havíamos calado, agora temos voz para esclarecer nosso claro entendimento de que esses dois personagens nefastos não passam de populistas que rasgam o verbo do convencimento para ludibriar o séquito simplório que os segue cegamente. Bom que se perceba que a, como eles dizem, “imprensa marrom” não é contra nem a favor deles, apenas exerce sua competência de tentar esclarecer os caminhos obscuros que esses senhores intentam para o Brasil.

ANA SILVIA F. P. PINHEIRO MACHADO ANASILVIAPPM@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Peçonha

“Não tenham medo de mim”, palavras de Lula da Silva dirigidas ao povo brasileiro. Cachorro picado por cobra, principalmente da espécie jararaca, tem medo de linguiça.

J. A. MULLER JOSEALCIDESMULLER@HOTMAIL.COM

AVARÉ

*

Reaja, Brasil

Entre a forca e a guilhotina temos de batalhar por uma única rota alternativa que nos leve à paz social.

FRANCISCO PEDRO PAMPADO DO CANTO PAMPADOCANTO@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*


Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

LULALAU

A coletiva mais ridícula foi a que Lulalau deu à imprensa, o que me deixou feliz, pois foi tão vazia quanto cheia estava sua cabeça de “mé” e pirações. Mas foi o que bastou para acender esperanças nos 30% de fanáticos que se dividem entre a elite 171 e o povão mortadela. Duro foi ouvir a lenga-lenga naquela voz de contrabaixo disco arranhado. Pronto, satisfez sua vontade de falar ao microfone por longa hora e meia. Agora já deu. Tchau, porque a vida segue.


Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gamil.com

São Paulo


*

MEDO


Lula acenou para o centro afirmando "não tenham medo de mim". Vivendo isolado em uma bolha informacional e com devaneios que só podem ser explicados por um ego desproporcional ao seu caráter, Lula precisa entender que ele é material político radioativo. Mas uma voltinha em qualquer rua deste país sem público controlado deve resolver o problema. 


Oscar Thompson oscarthompson@hotmail.com

São Paulo


*


INOCENTE? JAMAIS!

Tecnicamente, o condenado Lula da Silva é inocente. Já processualmente e moralmente "elle" continua condenadíssimo. Afinal, as filigranas sem qualquer serventia ou substância jurídica, não podem e não devem ser colocadas no lixo, como pretendem alguns ministros petistas, tudo isso após cinco anos de atraso e chancelado pelo próprio STF. Isso é o que temos para hoje, mas deve piorar muito. Quem viver verá!

Julio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

O VOTO DE KASSIO NUNES MARQUES.


  Tendo pedido vista do processo, em andamento no STF, em que se discute a competência de Sérgio Moro para julgar as ações contra Lula que tramitam na 13ª Vara Federal de Curitiba, o ministro Kassio Nunes Marques fará a análise inclusive da conveniência de deixar Lula livre e solto politicamente, julgando Sérgio Moro incompetente, ou impedir o voo do ex-presidente, considerando-o competente para o julgamento das ações contra Lula. Se assim votar, então, o processo correrá no Distrito Federal, em instância de primeiro grau, agora o Juízo competente, mas ao magistrado nada mais restará que referendar as decisões de Sérgio Moro, porque exaradas por magistrado competente. Assim, Bolsonaro ficará livre de Lula, porque continuará condenado, embora prestigiando Sérgio Moro. Não seria uma boa jogada? Aguardemos.


José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojcc@uol.com.br

Rio Claro


*

2022

O presidente Bolsonaro, em campanha para a reeleição desde o primeiríssimo dia de sua posse, disse, sem corar, que Lula está em campanha eleitoral para 2022.Pode?!

J.S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

AGORA É TARDE


Já completamos um ano de pandemia e somente agora, com o Brasil liderando em número de mortes e a Saúde literalmente colapsada, o presidente Jair Bolsonaro aparece de máscara em eventos oficiais. Lição de Israel ou vergonha na cara? Nem uma coisa, nem outra.



Maria Lúcia Ruhnke Jorge mlucia.rjorge@gmail.com

Piracicaba


*

JUSTIÇA SONSA

Não há dúvidas que a justiça brasileira é lenta e claudicante, mas não é possível ignorar a realidade dos fatos, a saber: o Presidente Bolsonaro assumiu sozinho a gestão da Saúde na pandemia, demitiu os ministros médicos e passou a tomar todas as decisões assessorado apenas por um ajudante de ordens tão leigo quanto ele. O Brasil tem a pior gestão da pandemia no planeta, o número de mortos é muito maior do que o proporcional à população brasileira, o que indica algo muito errado no Brasil. Bolsonaro atacou todas as determinações da OMS, foi contra o uso da máscara, contra o distanciamento social e contra a vacina. O resultado das ações do presidente Bolsonaro é um quadro catastrófico no País, hospitais em colapso, epidemia fora de controle, novas variantes do vírus se multiplicando em meio ao caos. Não é possível que a Justiça brasileira continue fingindo que não está vendo o resultado da catastrófica gestão da Saúde promovida por Jair Bolsonaro na pandemia, não é possível que esse senhor não responda pelas suas ações criminosas que ceifaram a vida de centenas de milhares de cidadãos brasileiros, não é possível que Jair Bolsonaro continue no cargo, falando em reeleição. O Brasil vai passar muito vergonha quando Bolsonaro for condenado no tribunal internacional e a justiça brasileira continuar se fingindo de sonsa.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

INABILIDADES

Enquanto morrem milhares de brasileiros à míngua de atendimento compatível e de leitos de UTI, os EUA compraram CEM MILHÕES de vacinas Jonhson, a que é ministrada em uma única dose. Onde estão as autoridades brasileiras que não se dispõem a protocolos de saúde e

segurança à altura da sociedade. Esperamos que com a possibilidade de aquisição de vacina por empresas particulares a incompetência e corrupção da gestão pública fiquem escancaradas. 

Carlos Henrique Abrão abraoc@uol.com.br          

São Paulo

*

SITUAÇÃO ECONÔMICA

A economia voltou em “V” e está começando a decolar de novo. Só se for num teco-teco.

Robert Haller robelisa1@terra.com.br

São Paulo

*

LOCKDOWN E CUIDADOS COM A EXPLOSÃO SOCIAL

O clima decorrente da covid-19 é de fundo do poço. Hospitais cheios, filas para a internação de pacientes urgentes e políticos divergindo e tentando tirar algum proveito da desgraça que se abate sobre a população formam o quadro. Os governantes deveriam fazer autocrítica para verificar onde erraram e o que levou a pandemia a recrudescer. Atentar, por exemplo, que as quarentenas parecem não ter dado certo, pois onde ocorreram a situação hoje se encontra pior. Pelo menos agora se escalona a jornada de trabalho para evitar a superlotação do  transporte. É preciso também incentivar o home-office e evitar que as restrições à atividade econômica levem os vulneráveis ao desespero e isso conduza à explosão social. Em vez de ficar brigando, os políticos deveriam, pelo menos quanto à pandemia, trabalhar unidos e buscando bem orientar a população, hoje incrédula e descontente. É preciso também correr com a ajuda aos mais carentes para evitar a fome. Além do governo federal, governadores e prefeitos que veem a necessidade de restringir as atividades econômicas não devem se esquecer da conveniência de destinar algum recurso para socorrer os prejudicados de baixa renda. Ao povo, resta apenas a opção de atender às restrições impostas. Usar máscara, manter distanciamento pessoal, evitar aglomerações e lavar as mãos seguidamente com água e sabão ou álcool gel. E esperar a vez de cada um tomar a vacina. Mas,  mesmo assim, continuar vigilante até a covid-19 perder força e deixar de infectar e matar em nosso país.  

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

HUMOR DE MAU GOSTO

Parece piada de humor negro:  o exército do presidente  Brancaleone com a turba ignara de arrogantes serviçais, os irmãos metralha e ele próprio, passaram a usar máscara. Autêntico teatro de negacionistas dissimulados. Precisou Lula voltar das trevas usando máscara e incentivando a vacinação, para despertar as almas insensíveis de plantão no Palácio do Planalto. Antes, o deplorável  ministro das Relações Exteriores e patética  comitiva passaram vexame em Israel. Foram obrigados a usar máscaras.   Durante um ano os canastrões  debocharam das normas sanitárias e da importância do uso da máscara. A vacina é escassa. Tornou-se artigo de luxo. O imaculado filho senador aproveitou a deixa e tirou R$ 6 milhões da poupança e comprou uma casinha no Lago Sul. Por sua vez, o mito de barro chegou  ao cúmulo da blasfêmia, chamando a  covid-19 de "gripezinha". Colecionando pilhérias ridículas, como “quem vacinar,  vira jacaré”. Grosseiro, boca-suja,  sem educação, outro lindinho do Brancaleone  mandou enfiar a máscara naquele lugar. Todo esse oceano de parlapatices e sandices por obra e graça daqueles  que têm obrigação de oferecer  bons exemplos e respeito ao próximo. Enquanto centenas de milhares de famílias brasileiras são massacradas e infelicitadas pela covid. #repugnantes.

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília

*

BOLSONARO MAIS DOCE

Recentemente, ouvi a conversa de dois senhores na fila do caixa de um supermercado. Um deles reclamava da demora e o outro relembrou as imensas filas que se formavam nos açougues quando houve o desabastecimento de carne bovina no Brasil, em 1986, no governo de Sarney, e alertou que em breve estaríamos enfrentando filas maiores que aquelas. Assustado, o outro senhor indagou por quê. A resposta: “Vai faltar açúcar no Brasil. O Lula vai obrigar o Palácio do Planalto a comprar muito açúcar para  tornar o presidente Bolsonaro mais doce”.  Uma senhora entrou na conversa e disse: “Haja açúcar!”.  

Jeovah Ferreira jeovahbf@yahoo.com.br

Taquari (DF)

*

DEZ IDEIAS POSITIVAS PARA AJUDAR O BRASIL A DECOLAR    

1– Sem educação, não tem solução, mas junto com a instrução é preciso o saber do direito e do dever do cidadão.

2– Precisamos fomentar a cultura de que país desenvolvido é o que possui adequada infraestrutura.      

3– Urge modificar o desenho, do tempo colonial, de priorizar o desenvolvimento no litoral     .

4– O sertão não virou mar, mas produz a comida para quem vive longe, na beira e no além-mar.           

5– Aquele que produz conduz, ou quem trabalha não atrapalha.      

6– Ajuste verdadeiro para a construção de um bom caminho: gestões eficientes e eficazes com equipes de profissionais experientes e capazes.    

7– Inovar é preciso, empreender é fundamental e planejar é estratégico.

8– Valorizar e bem utilizar a tecnologia coerente e a engenharia competente como fatores determinantes para a qualidade de vida do cidadão.

9– Fomentar e aplicar os inovadores Cinco Caracteres da Competitividade, os 5Cs: capacitação, cooperação, comunicação, compromisso e confiança.

10– Sem mistérios, a solução é racionalizar a gestão e reduzir o número de ministérios.

Paulo Cesar Bastos paulocbastos@bol.com.br

Salvador

*

CULPA

Já não está na hora de o presidente Bolsonaro sacrificar o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, para se isentar da tragédia brasileira com a pandemia?


Luiz Frid fridluiz@gmail.com

São Paulo


*


CONTRAPONTO


Muito interessante o contraponto entre os dois artigos de 12/3/21 na página A2 do Estadão (Imparcialidade ou caos judiciário, de Antonio Claudio Mariz de Oliveira, e A legitimidade das instituições, de Simon Schwartzman). Enquanto o STF se rende, ou se associa, a caríssimas bancas de advogados pagas com o produto do roubo escandaloso de dinheiro público, estes mesmos advogados se vestem de santos e defendem brilhantes conceitos sociais impraticáveis (evitar o crime ao invés de puni-lo...), e os bandidos são soltos por filigranas jurídicas, ainda que esteja sobejamente comprovado o crime praticado.



César Garcia cfmgarcia@gmail.com

São Paulo


*

JARARACA E RATINHO


Creio que poucos conhecem ou se lembram da dupla Jararaca e Ratinho, músicos de formação e posteriormente formando uma dupla humorística, que chegaram a se apresentar na TV. Cantavam paródias e músicas de carnaval e também  agiam como palhaços, um criticando o outro.  Ambos nasceram em 1896 e morreram na década de 70.Nesta semana levei um susto, pois a dupla ressuscitou, não lado a lado, mas no mesmo picadeiro em que transformaram meu amado Brasil. Como no passado, eles se apresentaram como pretensos opositores. Jararaca , aproveitando a momentânea suspensão de alguns de seus processos, discursou com moderação , voltando a afirmar que é mais honesto que um frade franciscano. Também falou sobre um país maravilhoso que governou no passado, promovendo um desenvolvimento fabuloso,tirando os pobres da extrema penúria , financiando estudos universitários para pobres, bolsas diversas, saúde para todos e até colocou um brasileiro em órbita. Até agora, estamos tentando localizar o tal país. A reação do outro artista da dupla foi quase imediata. Invocou os inúmeros sinais de corrupção de Jararaca e seus asseclas em empresas estatais e conluios com empresários desonestos, comprovados ou não. Evidentemente o acusador esqueceu-se que alguns de seus amigos e sua esperta prole devem ao povo esclarecimentos sobre “rachadinhas”, operações imobiliárias e enriquecimentos, no mínimo, nebulosos, que não resistem a qualquer análise mais profunda. Esqueceu também que sua atuação no governo tem sido péssima, principalmente diante da pandemia, tendo postergado a compra de vacina e incentivado o povo a consumir remédios inócuos para o vírus, mas disponíveis e baratos. O futuro do Brasil mostra muitas nuvens negras e carregadas, pois tudo indica que a  próxima eleição será disputada pela dupla em pauta, ou ainda, um acordão do tipo Centrão. Dificilmente aparecerá um forte concorrente. Pobre Brasil e seu valoroso povo.

Carlos Gonçalves de Faria marshal@gmail.com 

São Paulo

*

REMDESIVIR

Finalmente o País tem um remédio para o tratamento da covid-19, não é a ivermectina e tampouco a cloroquina, mas o remdesivir. A imprensa gastou muito tempo e espaço com uma discussão estéril provocada pelo governo federal, durante um ano. Agora, os meios de comunicação deveriam cobrar do Ministério da Saúde a distribuição do remédio certo e o recolhimento dos demais que não serão utilizados contra a segunda onda da pandemia do Sars CoV-2, cuja variante brasileira provoca mais de 2 mil mortes diárias e, consequentemente, o País atingirá 300 mil vítimas nos próximos dias.


Luiz Roberto Da Costa Jr. lrcostajr@uol.com.br

Campinas


*

DIA DO FAKE

A mentira tem seu dia próprio. É comemorado no dia 1º de abril, mas,  atualmente, não se tem mais noção do que são mentiras ou falsas verdades ( o que afinal, é tudo a mesma coisa). O  ministro da Saúde,  Pazuello,  diz que a pandemia  está sob controle;  que não faltam leitos de UTI; que vamos vacinar todos em massa;  que temos vacinas; que compramos mais duas vacinas atualmente (que não tem contrato assinado), que o número de mortos está estagnado,  e por aí vai.

O presidente Jair Bolsonaro aparece num vídeo feito pelo filho nº 01 dizendo  que as vacinas  salvam vidas.  O filho nº 02 faz outro  vídeo dizendo que “rala” muito em Israel, sem máscara, falando mal das máscaras, que atrapalham, etc.

E o ex-presidiário Luiz Inácio Lula da Silva ​​faz discurso dizendo ser inocente, e  que, afinal, o ministro Fachin reconheceu  o erro e cancelou seus processos da Lava Jato, o que lhe devolve o direito de ser elegível. E mais, que o ex-juiz Sérgio Moro será punido, etc.,etc.

Afinal: O que será que essa gente pensa?  Que o povo é idiota?  Não é simples assim!!!

Mercedes Pagano Cuencas Dias vcnautica@hotmail.com

São Paulo


*

RALANDO ONDE

A irritação do deputado Eduardo Bolsonaro não foi decorrente do fato de a “imprensa mequetrefe” ficar “dando conta de cobrir apenas a máscara” na viagem da comitiva governamental a Israel, como afirmou ele, mas porque a patética comitiva, que foi em busca de um remédio milagroso contra a covid, não somente voltou de mãos abanando, como teve que escutar que o que funcionou naquele país foi lockdown, vacinação em massa, máscaras e distanciamento social. E de quebra ainda ganhou um pito bem dado e vergonhoso direcionado ao chanceler Ernesto Araújo pela falta da máscara. Agora, mais ridículo ainda foi ter que escutar do deputado que “A gente está lá trabalhando, ralando”. Como assim? Quem está ralando, onde e no quê, cara pálida? Só se for para a reeleição do papai em 2022. 


Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo


*

O MAL CONTINUA SENDO BOLSONARO

O jogo político é complexo, o tabuleiro e até as regras mudam e os jogadores vêm e vão a todo instante. Mas não se pode tirar o foco do mal maior que está destruindo nosso país. O desgoverno de Bolsonaro acabou com a possibilidade de uma vacinação em massa no curto prazo e as novas variantes do coronavírus poderão tornar inócuos os pífios esforços até aqui. Ademais, a fala negacionista do presidente atinge um patamar insustentável, ao negar sua própria negação, propalada por ele mesmo! O personagem “Tunéscio”, que nada vê e em tudo crê, deve ter espasmos de satisfação, convencido de que vive em um país sem mortes pela covid-19 e com economia pujante.

  

Adilson Roberto Gonçalves prodomoarg@gmail.com

Campinas


*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.