Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

19 de março de 2021 | 03h00

Desgoverno e pandemia

Crise sanitária

Esta crise não surgiu por geração espontânea, mas se deve ao colapso total da moralidade e da ética no exercício da política. Há muito tempo essa politiquice de balcão vem atrasando o Brasil e o relegando a plano inferior no concerto das nações. Precisamos de pessoas competentes, não de medíocres ocupando cargos importantes para o progresso do Brasil. Temos um país grande, mas enquanto estiver sob o comando de mentalidades estreitas, que não conseguem enxergar nada além do esforço para se manterem nos cargos públicos, estaremos destinados a continuar sendo o que somos: só o país do carnaval, jamais um grande país.

VERA BERTOLUCCI VERAVAILATI@UOL.COM.BR

SÃO PAULO

*

Seis por meia dúzia

Se o dr. Marcelo Queiroga vai aprender pela cartilha de Pazuello a administrar a Saúde, como informou em discurso, vai ser uma frustração para a população. Pazuello saiu justamente por se conduzir muito mal na pandemia, seguindo o presidente Bolsonaro. Para que a troca? De fato, estamos fritos!

MERCEDES P. CUENCAS DIAS VCNAUTICA@HOTMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Situação confortável?

Ricardo Barros, líder do governo na Câmara dos Deputados, declarou que o Brasil está em “situação confortável” no combate à pandemia. Pode isso? Que horror, um líder do governo falar isso! Absurdo!

LUCÍLIA COSTA PIRAJUENSE@HOTMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Pódio horrendo

Ao afirmar que o Brasil está em situação cômoda na corrida pelo enfrentamento da covid-19 e suas mutações, o líder do governo Ricardo Barros decerto quis dizer é que em breve o Brasil atingirá os 400 mil óbitos e assim passará a disputar o primeiro lugar no número de mortes por milhão de habitantes.

LUIZ RIBEIRO PINTO BRASILCAT@UOL.COM.BR

RIBEIRÃO PRETO

*

Acomodação

A propósito do editorial A ‘linha vermelha’ (18/3, A3), levando em conta o comportamento da grande maioria dos nossos parlamentares, o presidente Bolsonaro não tem com que se preocupar, pois para mudar o traçado dessa linha basta aumentar o volume de recursos para as emendas parlamentares que tudo se acomodará. Os interesses do povo? Ora, o povo... Este só é lembrado nos lindos e verborrágicos discursos desses mesmos parlamentares!

CARLOS AYRTON BIASETTO CARLOS.BIASETTO@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Perdão

Já são quase 300 mil mortes.

E a prioridade é perdoar mais de R$ 1 bilhão das igrejas!

GUTO PACHECO JAM.PACHECO@UOL.COM.BR

SÃO PAULO

*

Chapéu alheio

Vergonhoso o perdão concedido pelo Congresso Nacional, com o apoio de Bolsonaro, às dívidas bilionárias de igrejas. Caridade com chapéu alheio. Usaram o nosso dinheiro para beneficiar quem não merece. Igrejas não devem ter fins lucrativos nem levar vantagem sobre o restante da sociedade. Deveriam pagar impostos e contribuir como todo mundo. Bilhões de reais que deveriam ir para a saúde e a educação foram jogados no ralo. Mais grave ainda por estarmos num momento crítico de pandemia do coronavírus e de gravíssima crise econômica no País. É mais um tiro no pé e um tapa na cara dos brasileiros que trabalham honestamente e pagam altos impostos. O Estado é laico e igreja nenhuma deveria gozar de privilégios e regalias inaceitáveis.

RENATO KHAIR RENATOKHAIR@UOL.COM.BR

SÃO PAULO

*

Só no nosso!

Eu só queria entender quem pagará a conta. A Procuradoria-Geral da República (PGR) aumenta o repasse do plano de saúde para seus membros, igrejas ganham o perdão de mais de R$ 1 bilhão em multas, as mordomias nos três Poderes seguem a pleno vapor. Resta-nos preparar o surrado bolso, pois, como sempre, é só no nosso!

MILTON BULACH  MBULACH@GMAIL.COM

CAMPINAS

*

Mordomias ilimitadas

É muita desfaçatez uma simples portaria da PGR jogar para os cofres públicos despesas pessoais de seus membros com serviços de saúde (17/3, A4). Quem já ganha R$ 35,5 mil vai contar com ajuda de até R$ 3,5 mil! Os privilégios dessa turma não têm mesmo limites... Isso é mais do que um escracho.

JOSÉ ELIAS LAIER JOSEELIASLAIER@GMAIL.COM

SÃO CARLOS

*

Precatórios

Passando a boiada

Prova de que no Brasil não há segurança jurídica e que decisões judiciais podem tornar-se sem efeito é a nova prorrogação do calote dos precatórios, agora estendido para 2029. Jabuti incluído na PEC Emergencial, em seu artigo 2.º.

ROSANGELA DELPHINO  TOULIGADA@HOTMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Em São Paulo

Carne e leite mais baratos

O governador de São Paulo, João Doria, em boa hora decidiu zerar o ICMS do leite e reduzir de 13,3% para 7% o da carne. A partir de abril os preços desses produtos, mais do que essenciais, certamente sofrerão redução. Outra medida importante do governador foi liberar um novo crédito de R$ 100 milhões para as pequenas e microempresas, com juros subsidiados, carência de 12 meses e pagamento em até 60 meses. Também para minorar os problemas de orçamento das famílias, os inadimplentes no pagamento de água e gás terão o corte de fornecimento suspenso até o fim de abril. Em meio a esta grave pandemia, é necessário que os governos atuem em várias frentes, como criar mais leitos nos hospitais, promover a vacinação e, claro, prover atendimento às famílias mais carentes, que, sem trabalho, por questão humanitária não podem ficar sem ter o que comer.

PAULO PANOSSIAN PAULOPANOSSIAN@HOTMAIL.COM

SÃO CARLOS

*

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

CENTRO DISPERSO

 Se o Centro político não se unir, já no primeiro turno, não chegará ao segundo turno, na eleição presidencial de 2022, ao contrário do que afirmou Gilberto Kassab, em entrevista ao Estadão (17/3/21). A direita tentará a reeleição, com grande desgaste de Bolsonaro, e a esquerda sonha com Lula.

Os vários partidos de centro não têm um único nome de peso para magnetizar e liderar uma sólida união, a não ser que busquem um nome respeitável de estadista, acima de qualquer suspeita, para empolgar o grande eleitorado, órfão de liderança e desejoso de se afastar da nefasta polarização burra, que promove o atraso da nação, desde o início do século 21. Exemplo de nome a ser procurado pelo centro unido é o do ministro Luís Roberto Barroso do STF. Enfim, um nome respeitável fora dos quadros partidários. Esta é a única solução para acabar com a polarização e unir o País em torno de um grande projeto de nação, como nunca se fez no Brasil. 


Paulo Sergio Arisi Paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre


*

LULA

O povo brasileiro estupefato assiste ao ex-condenado Lula readquirir seus direitos políticos, sem dúvida este vírus tem amplo espectro!


Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com

São Paulo


*

SAINDO DAS SOMBRAS


Um grupo de juristas, advogados e artistas, entre eles Caetano Veloso, Chico Buarque e José Eduardo Cardozo, encaminhou carta ao presidente do STF, Luiz Fux, pedindo o julgamento de Sérgio Moro por parcialidade no caso Lula. Bastou a canetada de Edson Fachin para os petistas saírem das sombras.

José Alcides Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré


*


GUERRA FRATRICIDA

De um lado do catastrófico e tenebroso cenário do caos sanitário que vive o País, o negacionismo e a boçalidade do “capitão cloroquina” lutando e esbravejando contra a vacina, a máscara e o distanciamento social; de outro, o general cinco estrelas coronavírus, ceifando vidas à mancheia. Entre ambos, mais de 11,5 milhões de infectados, perto de 300 mil mortos e a vida de mais de 210 milhões de pessoas. Pobre Brasil...


J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo


*

IMPASSE

 

Impasse... Parcela significativa dos nossos deputados e senadores tem pendências com a Justiça. O STF, todo-poderoso, com frequência extrapola os limites constitucionais. O Legislativo, com o rabo preso, teme puxar as orelhas dos ministros e receber o troco. Por sua vez, o STF, cheio de dedos e com telhado de vidro, receia punir os deputados e senadores e receber o troco. Quem deve teme, e ambos devem. Daí o impasse... O certo é: fez pipi fora do urinol, tem de ser castigado, doa a quem doer.

 

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

 

*


QUIZ

Alguém se habilita a responder, corretamente, esse quiz? Então vamos tentar. Quem é contra o mundo? Quem desdenha da pandemia? Quem é contra a compra de vacinas? Quem é contra a vacinação? Quem não se importa com os quase 3 mil óbitos diários? Quem só pensa em proteger a própria famiglia? E quem só pensa na reeleição e é conhecido como: "g _ _ _ _ _ _  a"?        

 


Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo


*


MORRE NEGACIONISTA PRESIDENTE DA TANZÂNIA


John Magufuli, o negacionista presidente da Tanzânia, morreu, aos 61 anos, de covid-19,  para satisfação de seu povo. Charlatão ignorante receitava um remédio inútil e rezas para curar a epidemia. Lembra outro conhecido país com um presidente também charlatão e negacionista.

Paulo Sergio Arisi paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

          

*

GENOCÍDIO À BRASILEIRA

Vivemos no pior dos mundos aqui no Brasil. Caminhamos a passos rápidos para a trágica marca de 300 mil mortos na pandemia do coronavírus. Mortes totalmente gratuitas, desnecessárias e evitáveis, causadas pelo negacionista e genocida que nos tornou num grande cemitério a céu aberto e em párias internacionais. Até quando iremos tolerar o intolerável? Quantas centenas de milhares de brasileiros ainda terão de morrer para que algo seja feito ? Estão esperando Godot chegar ?'

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

TUDO OK NO MINISTÉRIO DA SAÚDE

No seu discurso na Fiocruz, com a entrega da vacina contra covid-19,  Eduardo Pazuello declarou que o “atraso da chegada de insumo vindo da China fez o Brasil sangrar”, sem reconhecer o papel de destaque de Jair Cloroquina Bolsonaro nesse atraso. E, para a felicidade geral da nação, explicou que a transição do cargo será “apenas uma continuidade do trabalho”, pois o seu sucessor vai receber “um Ministério estruturado, organizado, funcionando e com tudo pronto”. Aí o Pazuello seguiu a cartilha negacionista do Bolsonaro, pois foi exatamente essa organização fantástica que levou à morte de 282.400 de pessoas em um ano!

Omar El Seoud elseoud.usp@gmail.com

São Paulo


*

DECLARAÇÃO ESTÚPIDA

O deputado Ricardo Barros (PP-PR), líder do governo na Câmara, faz uma declaração estúpida, quando diz que “a situação do País é confortável” nesta pandemia. É um serviçal de um governo que nem compra vacinas, que ajuda, infelizmente, a promover 285 mil mortes e hospitais colapsados pelos País. Ou seja, só um energúmeno para dizer que a situação é confortável.  Esse deputado nem respeita seu Estado, o Paraná, que tem  fila de quase 1.500 pacientes à espera de UTIs. Ora, Ricardo Barros é mais um exemplar medíocre de homem público. E só poderia ser aliado do desumano e extremista Jair Bolsonaro...


Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

COMENTÁRIO INFELIZ

O líder Ricardo Barros deveria ser banido após um comentário desse.

Robert Haller robelisa1@terra.com.br

São Paulo

*

AGRONEGÓCIO E MINERAÇÃO

Sempre soube que a vocação deste País vinha da terra, tanto em alimentos como minérios. Exportamos esses produtos e assim por décadas sustentamos a balança comercial e seguramos o PIB. Sem estas duas atividades não teríamos a riqueza tão expressiva.

Vemos agora na pandemia do coronavírus a indústria prejudicada, os serviços arrasados e o comércio sem perspectiva. Ao contrário de tudo, o agronegócio batendo recordes e sustentando as bases e os pilares nacionais. O Brasil deveria repensar seu futuro e caminhar cada vez mais produzindo alimentos para o mundo, podendo dobrar sua produção até 2050. Chega de hipocrisia, chega de políticas ambientais irracionais,

vamos trabalhar para que o gênero humano possa se alimentar. Parabéns ao homem do campo!


Eugênio Iwankiw Junior iwankiwjr@hotmail.com

Curitiba


*

2022 – VOTAR EM QUEM?

Nas últimas eleições para presidente, tive de fechar os olhos e tapar o nariz para votar no Aécio Neves (2014) e o mesmo aconteceu com Bolsonaro, pois já tinha conhecimento das "rachadinhas". Tudo para não votar no PT. O nosso tresloucado “presidente” já é disparado o pior presidente da nossa história, conseguiu ultrapassar até a Dilma. Pelo andar da carruagem, votar no “capitão” nem pensar.  O Lula é um corrupto menos desequilibrado. O Bolsonaro um corrupto muito desequilibrado. Desgraça pouca é bobagem.

Oswaldo Baptista Pereira Filho oswaldocps@terra.com.br

Campinas

*

MINISTRO 4 – A MISSÃO

O quase novo ministro da Saúde, Marcelo  Queiroga, falou tantas obviedades que só faltou afirmar que quando acabarem as mortes pela covid-19 teremos dominado a pandemia. Começou mal...


Luiz Frid fridluiz@gmail.com

São Paulo


*


ANTICRISTO

Como bem anotou o jornalista, poeta e escritor José Nêumanne (O bafo da mentira e o beijo da morte, Estadão 17/3,A2), ao célebre dito bíblico de Jesus “Eu sou o caminho,  a verdade e a vida” (João,14;6) contrapõe-se o desgoverno negacionista e retrógrado de Bolsonaro – “o Anticristo; o desvio, a mentira e a morte. O seu governo é o beijo da morte”. Pobre Brasil, "abençoado por Deus"(?)...

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*


FUTEBOL E PANDEMIA

A Federação Paulista de Futebol, juntamente com todos os presidente dos clubes, em comum acordo, vai entrar na justiça contra a determinação do governo e do Ministério Público pela paralisação do futebol, em decorrência da pandemia e a situação alarmante que vivemos. Que a justiça não seja insensível às mais de 280 mil mortes que ocorreram, não dando voz a esses inconsequentes, irresponsáveis com a vida humana.

Marcos Barbosa micabarbosa@gmal.com

Casa Branca

*

CHEGA DE PALHAÇADA

O presidente Bolsonaro sempre pregou o golpe de Estado. Desde o começo de seu governo ele propõe o fechamento do STF e do Congresso Nacional, estimulou e participou com grande entusiasmo de muitas manifestações com o objetivo de reinstituir o regime militar, com Jair Bolsonaro na Presidência, claro. Esse comportamento de Bolsonaro torna ainda mais ridícula a sua pretensão de processar e prender aqueles que se atrevem a manifestar opiniões sobre seu catastrófico governo. O Brasil espera que o procurador-geral da República e o advogado-geral da União criem vergonha na cara e parem de atender a cada capricho da família Bolsonaro. Essas instituições deveriam cumprir seu dever e tomar as providências legais cabíveis para acabar com a palhaçada que esse senhor está promovendo na Presidência da República, antes que o tal golpe de Estado seja finalmente posto em ação.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo


*

3ª GUERRA MUNDIAL


A 2ª Guerra Mundial, conflito global entre os “aliados” – tendo à frente os EUA, o Reino Unido, a França e a extinta URSS – e o “eixo” – liderado pela Alemanha, Itália e Japão –, ocorreu de 1939 a 1945. Na atual “3ª guerra mundial pandêmica”, os “aliados” são os países democráticos envolvidos em vacinar e imunizar sua população. E o atual “eixo”, que ameaça a humanidade de extinção, é formado pelo atroz governo Bolsonaro e seu exército, o vil Centrão e a parte vendida do Judiciário.


Túllio Marco Soares Carvalho tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte


*

PAZUELLO 2


De volta ao passado. O futuro ministro da saúde foi muito claro no seu pronunciamento, vai cumprir à risca a determinação do presidente. Infelizmente essa história já conhecemos.


Pelo Luiz Leopardi leopardi73@gmail.com


*

CIDADANIA

A pandemia continua ceifando vidas. E não bastam portarias, decretos ou determinações governamentais. O importante é a participação da população. Se isto não acontecer, corremos o risco de muita contaminação e o pior, sem que o sistema  médico particular ou público tenha vagas para o atendimento. Portanto o isolamento, o uso de máscaras e evitar aglomerações são medidas essenciais neste momento.


Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos


*

ISENÇÃO DAS IGREJAS


Vergonhosa a derrubada por parte do Congresso – claramente mancomunado com o capitão oportunista –  dos vetos que eximem as igrejas de pagar suas obrigações tributárias com a União. Enquanto isso, nós assalariados somos assaltados mensalmente com a não correção da Tabela do Imposto de Renda. Neste país, só há duas condições para usufruir das benesses tributárias: abrir uma igreja, que na verdade são lojinhas para enriquecer pastores “milagrosos”, ou ter a sorte de ser político (ou apaniguado deles), cujos penduricalhos são pagos “por fora” sem incidência do Imposto de Renda.

Cuidado capitão! Só os evangélicos e caminhoneiros não o reelegerão. 


Luiz Antonio Amaro da Silva

Guarulhos



*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.