Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

29 de março de 2021 | 03h00

Desgoverno Bolsonaro

Casamento do ano?

O Centrão está pulando fora da canoa furada do presidente Jair Bolsonaro e se juntando aos empresários. O preço do novo casamento é a troca dos ministros das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Mas fica a pergunta: quem vai escolher os novos ministros? Bolsonaro & Cia. (filhos e guru)? O Centrão? Ou os empresários? Os empresários precisam tomar muito cuidado para não embarcarem em outra canoa furada, pois o Centrão não é exatamente flor que se cheire...

MARIA CARMEN DEL BEL TUNES CARMEN_TUNES@YAHOO.COM.BR

AMERICANA

*

Pato manco

Com a aceleração das mortes e a ineficácia do governo em apresentar resultados, era inevitável que setores importantes da sociedade se manifestassem contra. A carta dos economistas foi o fator concreto dessa demonstração. Resultado de união de esforços que hoje pressiona o Congresso Nacional. Pressão de peso, decisiva, já que é o motor arrecadador do sistema de financiamento de eleições. Se Bolsonaro não acordou de seu devaneio de ser presidente onipresente, deveria ter entre seus aliados generais alguém de bom senso que o alertasse de que para ele o mar, definitivamente, não está para peixe. Isso caso não só queira terminar seu mandato, mas também ter chances mínimas de reeleição. A propósito, seu desafeto Lula da Silva ainda se encontra em situação de pendência na Justiça. E, assim como houve reversão num lado, poderá ser entendido de outra forma, em outro – nossos juízes vêm se mostrando volúveis ultimamente. Para ambos a esperança é a última que morre.

SERGIO HOLL LARA RMHOLL.IDT@TERRA.COM.BR

INDAIATUBA

*

Maligna raiz

Perfeita e elucidativa a coluna A raiz do mal, de Sérgio Augusto (27/3), acerca do histórico do sr. Jair Bolsonaro, desde sua tosca e obtusa passagem pela Câmara dos Deputados até os sinistros dias atuais, em que (des)governa o Brasil. O fruto maligno dessa raiz nos coloca hoje perante o mundo como um risco à saúde global, uma nação que não cuida de seus ecossistemas, que desrespeita os direitos fundamentais e não protege os seus cidadãos. Estamos angustiados, frustrados e envergonhados. Tomara que consigamos chegar vivos a 2022, para extirparmos de vez essa raiz.

CÉLIA CANHEDO CECANHEDO@GMAIL.COM

VINHEDO

*

Primeira condenação

A condenação de Jair Bolsonaro a indenizar a jornalista Patrícia Campos Mello é um começo. Falta, num futuro não muito distante, a sua condenação pela morte de mais de 300 mil pessoas, até agora, por negacionismo numa pandemia.

MARCOS BARBOSA MICABARBOSA@GMAIL.COM

CASA BRANCA

*

Pandemia

Corrida das vacinas

Foi só o Instituto Butantan divulgar a fase em que se encontra o encaminhamento da nova vacina, a Butanvac, para que poucas horas depois o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, viesse a público anunciar outro novo imunizante, desta feita desenvolvido pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (USP), com investimento do governo federal. Se essa corrida pelo “troféu da vacina”, manifestamente político-eleitoral, resultar numa profusão de vacinas realmente eficazes, será muito bem-vinda. Tendo, contudo, sempre presente que sua largada foi dada pelo governo de São Paulo, ao apoiar e investir nas pesquisas levadas a efeito pelo destacado Instituto Butantan.

JUNIA VERNA FERREIRA DE SOUZA JUNIAVERNA@UOL.COM.BR

SÃO PAULO

*

São Paulo imunizando o Brasil

De fato, no dia do lançamento da Butanvac, vacina desenvolvida pelo Instituto Butantan, de São Paulo, com o apoio do governador João Doria, o ministro da Ciência e Tecnologia do governo Bolsonaro anunciou o imunizante Versamune, produto de parceria da empresa de biotecnologia Farmacore, da empresa americana PDS e da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP. Como se vê, por ironia da história, são as vacinas de São Paulo que vão imunizar o Brasil. Vacina já!

J. S. DECOL DECOLJS@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Metáfora

O novo ministro da Saúde, ao se declarar a favor da vacina contra a covid, estava usando camisa de jacarezinho... Ele é realmente a favor da vacina!

CÁSSIO MASCARENHAS E CAMARGOS CASSIOCAM@TERRA.COM.BR

SÃO PAULO

*

Barrado no Facebook

O Facebook suspendeu a página de Nicolás Maduro, da Venezuela, por informações falsas sobre a covid-19. Não seria o caso de tomar a mesma medida com a página de Bolsonaro?

ROBERT HALLER ROBELISA1@TERRA.COM.BR

SÃO PAULO

*

Corrupção

Justiça?

Nossa Justiça nos enche de orgulho. De ídolo, Sergio Moro passa a “criminoso”. Ministra muda voto, em favor de postulante de habeas corpus. Os julgados corruptos, apropriadores de dinheiro do povo, passam a ser futuros inocentes. Políticos e empresários acusados de corrupção se sentem aliviados. O Brasil é mesmo um país fantástico. Parabéns por pôr as coisas no devido lugar, a impunidade. Ora, direis, ouvir estrelas...

ADIB HANNA ADIB.HANNA@BOL.COM.BR

SÃO PAULO

*

Troca de papéis

Do ponto de vista prático, o STF transformou Moro em bandido e Lula em mocinho.

FRANCISCO JOSÉ SIDOTI  FRANSIDOTI@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Querubim

Então, quer dizer que Lula é um anjinho?

HELIO TEIXEIRA PINTO HELIO.TEIXEIRA.PINTO@GMAIL.COM

RIO DE JANEIRO

*


 Cartas de leitores selecionadas para o portal estadao.com.br


Presidente maldoso

Mais um excelente editorial do Estadão (25/03), O presidente improvisado retrata bem em que buraco meteu o Brasil esse maldoso, inconsequente, incendiário e autoritário Jair Bolsonaro!  Pela forma indigna com que conduz e zomba desta pandemia já mereceria seu impeachment! Insensível e desumano, zomba dos brasileiros que respeitam as regras protocolares definidas pelos cientistas.  Para enfrentar essa pandemia, sugere ao povo que deixe de ser “marica” de “frescura” e de “mimimi” e que desrespeite o uso de máscaras e o isolamento social.  Quer vacina, “vai comprar com a sua mãe”.  Ou seja, como estadista, é um zero a esquerda! Insano, assiste às mais de 308 mil mortes com indiferença!  Porém, a sua popularidade derrete como apontam as pesquisas de opinião.  E ao anunciar, sob pressão dos aliados, em cadeia de rádio e TV, um comitê para comandar essa pandemia, evento mais para circo institucional, Bolsonaro se transforma, como num passe de mágica, no grande defensor desta pandemia. Dizendo descaradamente que, graças ao seu esforço, os brasileiros estão sendo vacinados! Pode tanta mentira, cretinice e desfaçatez juntas?    

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

A FALTA DE SENSIBILIDADE DAS AUTORIDADES PERANTE A PANDEMIA

Chega a ser chocante a falta de sensibilidade das autoridades públicas e grandes conglomerados perante a terrível situação vivida pela população brasileira durante a pandemia.

Vou exemplificar dois fatos que ocorreram comigo, com 76 anos:

  • Recebi uma intimação da Receita Federal dando-me 20 dias para reapresentar toda a documentação original da minha declaração de Imposto de Renda 2019/2020, que já tinha sido totalmente paga. Não tenho nenhuma pendência com a Receita e mensalmente confiro minha situação em seu site, e até fevereiro nada constava. Além do mais, meu patrimônio está basicamente estável há mais de cinco anos. A maior violência perante o cidadão não está em a Receita fiscalizar e atuar sempre que houver desvios, mas simplesmente pedir novamente toda a documentação sem solicitar nenhum documento específico nem explicar o motivo. Lembra muito os tribunais da inquisição, nos quais você devia provar inocência sem nem saber de que era acusado.
  • Recebi uma mensagem no celular da minha operadora VIVO, da qual sou cliente há mais de 20 anos sem nunca ter atrasado uma única fatura, informando que o dito feriadão da pandemia não seria aceito para quaisquer atrasos no pagamento das faturas. Em suma, uma comunicação finíssima para seus clientes.

Com 76 anos, mais de 40 anos de contribuição no INSS e ainda trabalhando, não estou pedindo nada, mas apenas RESPEITO.

Luigi Petti luigirpetti@gmail.com

São Paulo

*


EMPRESÁRIOS EM MG USANDO A LEI DE GERSON

A descoberta em Minas Gerais, apurada pela Polícia Federal, pela Operação Camarote, noticiada pelo Estadão 26/3/21 em matéria de destaque, mostra que a honestidade demora a chegar ao andar de cima da nossa sociedade. Aqueles que deveriam dar o exemplo são os primeiros a burlar a lei e a ordem no País.

Coincidentemente, são estes, na maioria das vezes, que bradam por justiça, criticam sistemas e partidos, saem às ruas trajados com camisetas amarelas da CBF, porém, na hora de fazer o que é certo, preferem o jeito sujo, imoral e pernicioso de agir.

Tomara que a operação tenha êxito e estas pessoas sejam identificadas, punidas exemplarmente, principalmente quem liberou as vacinas e facilitou o acesso a estes mandriões sem escrúpulos em Belo Horizonte.

Rafael Moia Filho moiaf@uol.com.br

Bauru

*

COLUNA DE FERNANDO REINACH

Muito perspicaz a coluna A Promessa de Dimas Covas. Fernando Reinach é um dos raríssimos técnicos que têm a coragem de falar sempre a verdade sobre o enfrentamento da pandemia, seja ela otimista ou pessimista. A maioria dos experts adota uma postura paternalista que mais prejudica do que ajuda. Eles partem do princípio de que, por ter certeza do que é melhor para todos nós, devem só divulgar notícias que incitem as pessoas a se vacinar, manter distanciamento social, etc., etc. Qualquer fato, mesmo constatado, que possa vir a afastar as pessoas dessas metas deve ser escamoteado. Não tenho dúvidas de que agem assim com o mais nobre dos interesses, mas as mentiras, meia-verdades que sejam, nunca vão conseguir resolver uma crise tão grave e longa como essa.

Vou dar um exemplo do que estou querendo dizer. Logo no início, a Organização Mundial da Saúde (OMS) defendia que as pessoas não usassem máscaras!! Como é que alguém, com um mínimo de bom senso, pode acreditar nisso? Muito menos quem defendia isso, é claro. Mas a intenção por trás era boa: propagavam o não uso geral da máscara para que ela não viesse a faltar para o pessoal da saúde. Os argumentos mais fantasiosos foram empregados. A curto prazo, conseguiram o que queriam, mas perderam boa parte da sua credibilidade e, agora, qualquer recomendação da OMS é encarada com três pés atrás. Parabéns, Fernando Reinach, quando você nos traz boas notícias, eu tenho certeza de que são verdadeiras.

Luis Molist Vilanova luisvilanova@terra.com.br

São Paulo

*

DECRETO PARA ESCOLAS PERMANECEREM ABERTAS

Envergonhada leio que foi preciso um decreto do governo de São Paulo para declarar que atividades escolares nas escolas públicas e privadas são essenciais. Só em país de quinto mundo esse decreto é preciso. Infelizmente a educação não é levada a sério neste país. Depois de tudo que se falou sobre a baixíssima contaminação em crianças, vimos que nesse mais de um ano as escolas públicas não estão preparadas para retornar às aulas presenciais. Falta tudo nessas escolas, desde material de EPI, equipamentos tecnológicos,  até material humano. Nossas crianças estão relegadas ao abandono total. Incrível como temos pessoas à frente dessas instituições tão insensíveis ao tema educação. 


Izabel Avallone  izabelavallone@gmail.com

São Paulo


*

ESPERANDO GODOT


 Não devemos ser alheios, indiferentes, nem insensíveis à dor. Ocorre que a vida está em curso, temos nossas vidas e nossos dependentes diretos e indiretos. O show precisa continuar. Precisamos de saídas para situações de flagelo. O Instituto Butantan e a USP  entenderam a questão: tiveram ousadia, iniciativa e saíram na busca do desenvolvimento de uma vacina própria possível. Foram vitoriosos. Consequentemente nos tornaremos atuantes, independentes e livres para desenvolver um sistema de imunização eficaz no futuro. Aplausos! Ganhamos todos. Por outro lado, conduta similar é preconizada pelo ex-presidente FHC para nos livrar de uma polarização política, com consequências nefastas aos cidadãos, para a próxima eleição presidencial. Mais uma vez:  ousadia , iniciativa , exposição em se candidatar são cruciais neste processo. Planejar e executar. Ele sabe o que diz porque suas chances de se eleger na época não foram fáceis. E venceu. Lula também enfrentou inúmeras derrotas antes da vitória. Bolsonaro teve seu ponto forte na ousadia. Precisamos de saídas concretas para este país crescer e solucionar suas questões econômicas. Não podemos esperar Godot chegar.

 Sergio Holl Lara jrmholl.idt@terra.com.br

Indaiatuba

*

A DEBANDADA DOS CÚMPLICES

De nada adianta o Congresso se afastar do presidente!

Precisamos mesmo é que o presidente seja afastado!

Quantos precisarão morrer ou ficar com sequelas para que se tome uma atitude mais drástica.

Qual o número de mortes que saciará a gana do presidente!

Bolsonaro sozinho não consegue ir longe, precisa de cúmplices e aí estão 

Senado, Câmara, Forças Armadas, STF, ministros e todos que fazem parte deste governo!

Paulo Guedes é seu maior fiador! A carta com mais de 500 assinaturas alertando o governo quanto às medidas urgentes a serem tomadas diz muito da desconfiança no rumo do governo.

Três meses sem auxílio emergencial, como os desempregados compram máscaras? E o saneamento básico para lavagem de mãos?

Até quando o presidente vai nos ameaçar com o SEU exército?

Agora Arthur Lira percebeu que vão afundar todos juntos e falou duramente, num recado reto ao presidente, em favor do povo brasileiro!

Rodrigo Pacheco vai chamar todos os governadores ou só os que o presidente quer?

Precisamos de vacinas sr. ministro das Relações Exteriores!

O ministro Queiroga caiu de paraquedas e nada sabe, não conseguia dar respostas aos jornalistas. E o próprio presidente diz que ele vai resolver sobre o tratamento precoce!

Agora é só contar os dias para a implosão deste governo assassino.  

Cecilia Centurion ceciliacenturion.g@gmail.com

São Paulo

*

ERNESTO ARAÚJO E FILIPE MARTINS.


  Ernesto Araújo, certamente, receberá uma sinecura que independa de aprovação do Senado, da mesma forma que Filipe Martins será agraciado com um prêmio adequado pelo seu ato efetivado pelas costas do presidente do Senado Federal. Ambos prejudicam o Brasil, o primeiro porque coloca seu radicalismo de direita acima dos interesses nacionais, prejudicando a Nação e os brasileiros. E o segundo porque é um radical que é apoiado pelos similares e só olha o Brasil pelo lado que lhe interessa. Assim, ambos merecem o desprezo nacional e o veto a cargos que necessitem de apoio do Legislativo. Essa outright brasileira precisa entender que os brasileiros não gostam de extremismos nem do desrespeito à vida.


José Carlos de Carvalho Carneiro carneiro.jcc@uol.com.br


ESCRITOR MINISTRO

A saída honrosa para Ernesto Araújo seria por A porta de Mogar... ou seja, voltando a ser escritor e se desculpar por seus erros e inconveniências como ministro das Relações Exteriores. Deveria se dedicar apenas às suas "Relações Interiores".

Carlos Gaspar carlos-gaspar@uol.com.br

São Paulo

 

*

DESPEDIDA ‘AD NUTUM’

Os seguidores ideológicos da turma olavista fazem jus à denominação de olavetes por obedecerem de forma hierárquica ao principal deles, domiciliado nos EUA,  o escritor Olavo de Carvalho, verdadeira eminência parda que  orienta não só Bolsonaro,  mas, também, seus rebentos e demais auxiliares desde a campanha eleitoral vencida pelo Capitão.

O comportamento dos olavetes é o que de pior existe no cenário político atual, haja vista o assessor palaciano Filipe Martins praticando atos obscenos e racistas em plena sessão do Senado.

Ao invés de demitir ad nutum o ofensor, o presidente deve estar consultando seu mentor a propósito de oferecer-lhe outro cargo, a título de premiar o assessor pelos serviços prestados.


Lairton Costa lairton.costa@yahoo.com.br

São Paulo

*

SABOTAGEM OFICIAL

Não há nada de errado em produzir uma vacina criada por uma farmacêutica chinesa. Não há problema em desenvolver uma vacina em parceria com os EUA. Muito pelo contrário, as iniciativas do Butantan são meritórias e estão ajudando muito o Brasil. Quem boicota sistematicamente as boas iniciativas surgidas no Estado é o governador, com seu oportunismo indecoroso e vulgar. Depois dos vários problemas com a divulgação da eficácia da Coronavac (dois adiamentos e um anúncio com dados parciais!), o governador houve por bem fazer uma festa para anunciar a Butanvac, enfatizando que, agora sim, temos uma vacina 100% brasileira. Poucas horas depois foi desmentido sobre a paternidade da vacina por um comunicado do Hospital Mount Sinai de Nova York, e o próprio Butantan esclareceu que o desenvolvimento conta com parcerias internacionais, (Tecnologia paulista foi desenvolvida nos EUA, Estadão, 27.3.2021) o que é natural e muito bem-vindo. Há motivo para esperança com o anúncio, principalmente no momento crítico que estamos vivendo. Mas a vacina ainda não foi testada em humanos e por ora temos apenas boas perspectivas, o nome Butanvac e a caixinha utilizada para as fotos do governador. Atitudes assim só contribuem para minar a, já combalida, confiança da população na ciência e nas instituições. Aos cientistas e técnicos envolvidos, meus parabéns pelo trabalho longo e silencioso no laboratório e minha solidariedade por mais este constrangimento impingido pelo governador.

Hamilton Varela hamiltonvarela@gmail.com

São Carlos

*

BOLSONAVAC

Depois de mais de 300 mil (!) óbitos – o segundo lugar no macabro ranking mundial de vítimas da pandemia –,Jair Bolsonaro, o negacionista de primeira hora da vacinação em massa, deu de criar um imunizante brasileiro. Como se vê, a hipocrisia e o caradurismo não conhecem limites. Pobre Brasil...


J. S. Decol  decoljs@gmail.com

São Paulo

*

BESTEIROL

O secretário-geral da Presidência, Onix Lorenzoni, está como uma “barata tonta”. Contrariando a ciência, afirmou que pássaros, cão de rua, gato, rato, pulga e formiga são transmissores do vírus da covid-19. Deve ter levado um puxão de orelhas do presidente, que precisa de ajuda por estar perdendo a batalha no enfrentamento da pandemia. Para bajular o chefe, saiu falando besteira.

Jorge de Jesus Longato financeiro@cestadecompras.com.br

Mogi-Mirim

*

CRIMES CONTRA A HUMANIDADE


Talvez o presidente Bolsonaro não preencha todos os requisitos para ser considerado um genocida, mas ele certamente se enquadra na definição de crime contra a humanidade, que inclui cometer atos desumanos contra a população civil. Quando Jair Bolsonaro, sozinho, sem ouvir ninguém, do alto de sua ignorância, resolveu não comprar as vacinas ofertadas ao País pelos melhores laboratórios farmacêuticos do planeta, ele selou o destino do País na pandemia, o atraso do Brasil na vacinação é culpa única e exclusiva do presidente Bolsonaro. Quando estimula aglomerações, ridiculariza o uso da máscara e sabota as vacinas, ele comete atos desumanos que expõem a população civil a grave risco de vida, caso siga as orientações do líder máximo da Nação. O Brasil e o mundo esperam que Jair Bolsonaro responda pelos crimes contra a humanidade que ele cometeu na gestão da Saúde na pandemia e que custaram a vida de milhares de cidadãos brasileiros.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

AUXÍLIO EMERGENCIAL

Qual o maior objetivo do lockdown? Presume-se que seja para evitar contatos e aglomerações, conter o coronavírus. O Congresso prorrogou o auxílio emergencial durante 4 meses nos valores de R$ 175,00, R$ 250,00 e R$ 375,00. Dezesseis governadores acham pouco, querem R$ 600,00. De fato, é pouco, mas ajuda e é o que é possível no momento. Coincidentemente são os governadores do lockdown que querem os R$ 600,00, quando deveriam ser coerentes, lutar pelo cancelamento do auxílio para evitar contatos e aglomerações

 

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)


*

LOCKDOWN PREVENTIVO


Dependendo do comportamento da população onde está havendo antecipações dos feriados para tentar impedir a ampliação da pandemia de covid-19, que acaba de bater o número recorde de mortes nos últimos dias, poderemos ou não ter sucesso nessa tentativa preventiva que está sendo tomada. Queiram os deuses que essa iniciativa obtenha o sucesso esperado, no sentido de que tenhamos uma estagnação dessa infecção virótica que nos atinge fortemente, podendo nos transformar, em pouco tempo, na maior nação a ter liderança de infectados e mortes no planeta.


José de Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro


AJUDA INTERNACIONAL


Sem a presença de forças sanitárias e de saúde do exterior dificilmente o Brasil conseguirá reagir à pandemia e restabelecer suas forças. A vacinação deve ser diária e permanente e os espaços fechados de grandes estabelecimentos comerciais, a exemplo de estacionamentos de shopping centers, aproveitados para imunizar 24 horas por dia a população indefesa e vítima da arrogância governamental em todos os níveis

Yvette Kfouri Abrao abraoc@uol.com.br

São Paulo


*



ARTIGOS NO ‘ESTADÃO’


O Estadão na edição de sábado (27.03) traz à consideração de seus leitores dois excelentes artigos; o primeiro deles (O caos que nos rouba a vida), de autoria do professor e cientista político Marco Aurélio Nogueira, de forma ponderada e precisa aborda as consequências que o País vem sofrendo decorrente do desgoverno Bolsonaro, não só na condução do enfrentamento da pandemia, que já ceifou a vida de mais de 300 mil brasileiros, mas também em outras áreas do governo federal. No segundo artigo (A raiz do mal) o jornalista Sérgio Augusto disseca a trajetória política do sr. Jair Messias Bolsonaro, destacando momentos dessa mesma caminhada até o Palácio do Planalto, no qual destaco o seguinte trecho: “Bolsonaro é o núcleo, o eixo, a medula, o epicentro, a célula-mãe de toda a crise sanitária, diplomática, econômica, moral e cultural instalada no País, o teimoso fiador das nulidades, dos robôs e sabujos que escalou em seus ministérios..."

Parabéns Estadão e autores.

 

João Cardoso Palma Filho jcpalmafilho@uol.com.br

São Paulo.


*


SÉRGIO AUGUSTO


Achei muito interessante a prototese murphyniana do Sérgio Augusto, parafraseando a prótese que ele colocou após o infarto, “já que Bolsonaro não me matou, então vou tentar matá-lo agora”!


Francisco José Sidoti  fransidoti@gmail.com


*

Profissionais liberais

Critica-se no artigo denominado Iniquidade Tributária, de autoria de Horário Lafer Piva,  Pedro Passos e Pedro Wongtschowski, a organização dos profissionais liberais, citando-se médicos e advogados, em pessoas jurídicas. Empresários, sustentam que a organização das pessoas em sociedades produtivas deve restringir-se ao capital, abstração usual, mas incompreensível, não se permitindo ao trabalho só inerentes às pessoas físicas. Esquecem-se de dizer que os impostos que recolhem são transmitidos aos consumidores no preço dos produtos e que, portanto, em nada são onerados os produtores. As sociedades de profissionais liberais estão previstas em suas leis regulamentadoras e não há argumento que fundamente sua proibição. Para combate à pandemia, a melhor ideia assusta: é a tributação das grandes fortunas, com balizas fixadas por lei.

Amadeu Roberto Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo


*

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.