Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

30 de março de 2021 | 03h00

Procura-se um líder

Crise x oportunidade

O abismo entre o salário mínimo calculado pelo Dieese para dezembro de 2020, de R$ 5.304, e o real, de R$ 1.100, mostra a brutalidade do desamparo e da desigualdade social vivenciados no Brasil. Os extremos políticos que possivelmente teremos de encarar em futura eleição são graves e sabidamente danosos. Falta-nos um verdadeiro líder, que tenha um projeto para o País. Como crise é também oportunidade, a lastimável situação atual bem que poderia propiciar o surgimento desse líder. Mas antes vemos a necessidade de mudanças profundas na forma de administrar a Nação, apropriadamente sugeridas pelo dr. Modesto Carvalhosa, com nova Constituinte e regras que dificultem a cooptação dos agentes públicos. Uma liderança capaz necessitaria também de um ambiente sadio para prosperar. Caso contrário, a política continuará dando mais do mesmo. Que o povo possa acordar e exercer de forma crítica o seu papel.

ANGELA BAREA ANGELABAREA@YAHOO.COM.BR

SÃO PAULO

*

Candidato de centro

Conclamo o Estado a pensar no perfil do candidato de centro para, em 2022, enfrentar Bolsonaro, Lula e quaisquer outros candidatos sem expressão de liderança que o momento requer, para entrarmos em outros tempos, de paz e progresso. Perfil sem restrições, com honestidade, até mesmo intelectual. Seja quem for, venha de onde vier. Anos atrás, na redemocratização, foram essas as sábias palavras desse jornal.

CARLOS LEONEL IMENES LEONELZUCAIMENES@GMAIL.COM

NAZARÉ PAULISTA

*

Gato por lebre

A Coluna do Estadão comenta que após a falta de interesse recém-demonstrada por Sergio Moro e Luciano Huck de concorrer no ano que vem, Ciro Gomes é o candidato mais forte para representar o centro. Ciro de centro?! Tão verdadeiro quanto Lulinha paz e amor e Bolsonaro liberal. Não vamos cair nessa, Ciro é de esquerda.

MARCOS LEFEVRE LEFEVRE.PART@HOTMAIL.COM

CURITIBA

*

Itamaraty

Prêmio de consolação

É um absurdo pretender entregar uma embaixada, seja onde for, a esse demissionário ministro das Relações Exteriores, que só fez bobagens no cargo, comprando briga com todo mundo. Ele deveria é ser banido da vida pública, porque demonstrou não servir para nada. Vamos ver até onde vai isso.

JOSÉ CLAUDIO CANATO  JCCANATO@YAHOO.COM.BR

PORTO FERREIRA

*

De incompetência

Quem é mais incompetente? O líder é que seleciona, admite e por um período deve avaliar o desempenho de seus liderados e, se for o caso, substituí-los. O líder que substitui subordinados por força de pressões externas, e não por iniciativas prévias aos desastres, é mais incompetente que seus liderados.

RICARDO FIORAVANTE LORENZI RICARDO.LORENZI@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Cada um no seu quadrado

O Itamaraty deve ter em sua direção um diplomata, pessoa habilitada para tal. O almirante pretendido por Bolsonaro deve atuar mesmo é na Marinha, que é o que ele conhece e onde poderá dar o melhor de si. Não é questão de pôr em dúvida a sua competência. Também não se pode pensar que no Itamaraty não haja nomes com capacidade para administrar as nossas relações internacionais. Muitas vezes o erro, de fato, está em quem não faz a melhor escolha.

ALVARO SALVI ALVAROSALVI@HOTMAIL.COM

SANTO ANDRÉ

*

Carga pesada

País encalhado

A imagem da escavadeira tentando desencalhar o meganavio no Canal de Suez representa exatamente o que o povo brasileiro faz diariamente com o megagoverno brasileiro, carregado com os “contêineres” dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, sem obter sucesso.

PEDRO LUIZ BICUDO PLBICUDO@GMAIL.COM

PIRACICABA

*

Educação

Livros didáticos

Ótima a análise do professor João Batista Araujo e Oliveira no artigo Livros didáticos – critério ou censura? (28/3, A2). Já passou, e muito, do tempo de rever toda a política educacional no Brasil. Educação é a base para o progresso de qualquer país, até como forma de diminuição das desigualdades econômico-sociais. Infelizmente, o atual governo começou muito mal, primeiro com um ministro estrangeiro e depois com o polêmico Abraham Weintraub, que mais desconstruiu do que qualquer outra coisa. Num momento em que só se fala de pandemia e saúde pública, está aí, na educação, uma agenda positiva que o governo poderia encampar. Infelizmente, não tenho esperança.

OTÁVIO VILLARES DE FREITAS OTAVIOVF@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Corrupção

Ainda a parcialidade de Moro

Sinto pena da Finlândia. Graças à nossa valorosa e “garantista” Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), a Finlândia corre sério risco de perder a posição de “país mais feliz do mundo” para o Brasil. Com a perspectiva da volta da “alma mais honesta deste país” ao poder, o que não vai faltar no Brasil é motivo para felicidade ampla, geral e irrestrita. Empreiteiros, políticos corruptos e uma imensa gama de colecionadores de sinecuras vão disseminar incomensuráveis somas de felicidade entre os brasileiros.

TITO LIVIO MAULE TITOMAULE@USP.BR

SÃO PAULO

*

Mudança de voto

Na coluna Não se Aplica (28/3), do jornalista J. R. Guzzo, cabe uma observação: os ministros do STF, como quaisquer outros magistrados que atuem em colegiado, só não podem alterar voto proferido quando já proclamado o resultado do julgamento (artigo 941, § 1.º, do Código de Processo Civil), o que, no caso em tela, só ocorreu ao final da sessão ordinária da Segunda Turma em 23 de março.

FÁBIO RAMIRO FMRAMIRO@ME.COM


SÃO PAULO

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

100% BRASILEIRA


Apresentada pelo governador João Doria, com espuma saindo da caixa, a Butanvac,  a tal vacina 100%brasileira, não o é pois tem tecnologia desenvolvida em Nova York.  No mesmo dia, minutos depois, foi a vez do ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, ufa!, Marco Pontes, apresentar a sua versão da primeira vacina 100% brasileira, para 2022, quando todos deverão já estar vacinados. Ainda bem, pois Pontes é o mesmo ministro que ano passado anunciou, bombasticamente, a descoberta de um antiparasitário, para tratamento inicial da covid-19. Gastou R$ 5 milhões e nunca mais falou do assunto.


Abel Pires​ Rodrigues abel@knn.com.br

Rio de Janeiro


*

DE QUE LADO ESTÁ ‘A VACA PROFANA’?

“A regra de ouro de nossa conduta é a tolerância mútua. Pois nunca todos pensarão a mesma coisa, e veremos a verdade fragmentada sob vários ângulos” (Gandhi).  Inúmeros os profissionais do direito, (juízes, desembargadores, ministros) que sustentam ser a “vaca profana” o acórdão impopular da Segunda Turma, com serenas razões e provas bastantes para tal conclusão.  No entanto, algumas coisas não se toleram, sem que sejam bem esclarecidas. Uma delas é a sentença talhada na crista do ódio, tanto como a sentença do juiz que troca mensagens, às furtadelas, com o advogado da parte adversa. Evidente que ambas proferidas sob censuras e sob o signo da “vaca profana”. A sentença deve-se pautar pelos princípios da serenidade, do direito e da moral, e de absoluta imparcialidade, disso ninguém duvida. As provas têm de ser lícitas. (Art. 5º, Inc, LVI, “São inadmissíveis, no processo, as provas obtidas por meios ilícitos”). Se as provas foram ilícitas, e o ex-juiz foi acusado disso, ele é parte no processo. Se é parte, tem de ser ouvido, e tem de se lhe abrir prazo para que se defenda e produza todas as provas, sob pena da maior nulidade processual, “condenar alguém sem ser ouvido”; “et audiatur altera pars”. Pois aí estão, senhores, alguns pontos para ser esclarecidos: 1 – O processo do triplex do Guarujá (apreciado em todas as Instâncias) por acaso, juridicamente analisado, não se trata de coisa julgada? (Art. XXXVI da CF “a lei não prejudicará... a coisa julgada”; 2 – O juiz Sérgio Moro, parte acusada como suspeita, a ele foram dadas as garantias do direito de defesa? 3 – As provas que incriminam o ex-juiz são lícitas ou ilícitas? O simples fato de alegarmos “letargia das Instâncias Superiores”, ou a “cobiça Curitibana”; ou o “estrelismo do ex-juiz” não são fatos jurídicos a incriminar-lhe a força da sentença e deitar-lhe nulidade. Saltar sobre esses necessários jurídicos, sem dar voz ao juiz para que se defenda, e sem uma análise serena das provas pelo tribunal competente serão os novos capítulos dessa novela, sem o que, “Essa Vaca Profana” irá pastar nas áreas vicejantes do STF.

Antonio B. Camargo bonival@camargoecamargo.adv.br

São Paulo

*

ITAMARATY

De nada adiantará trocar o chanceler Ernesto Araújo se o seu substituto seguir obedecendo às cegas os ditames beligerantes do olavobolsonarismo tupiniquim contra o mundo. O Brasil só recuperará a boa imagem que usufruía havia tempos na diplomacia internacional quando mudar sua postura agressiva, burra e contraproducente, mantendo-se aberto ao mercado externo e defendendo seus interesses econômicos e não ideológicos. Muda, Brasil!


J. S. Decol  decoljs@gmail.com

São Paulo


*

VAGA EM EMBAIXADA

Fiquei sabendo que tem uma vaga de embaixador na Groenlândia

bem que nosso ministro demitido poderia assumir.

Isac Reismann  isac.reismann@gmail.com

São Paulo

*

PRISÃO PARA ERNESTO ARAÚJO

Ernesto Araújo deveria ser preso pelo seus atos no Ministério das Relações exteriores que causaram prejuízos irreparáveis ao País. Ernesto Araújo ridicularizou a China, maior parceiro comercial do Brasil, falou em “vachina” para atacar a vacina desenvolvida naquela país e que hoje está salvando vidas de cidadãos brasileiros. Falou que seria uma honra para a Índia fornecer vacinas para o Brasil. O resultado da falta absoluta de diplomacia de Ernesto Araújo é que tanto a China quanto a Índia colocaram o Brasil no fim da fila para receber as vacinas salvadoras. Esse atraso no envio das vacinas para o Brasil é responsável pela morte de cidadãos brasileiros. Ele deveria sair do Itamaraty direto para a Papuda, onde ele poderá esperar a chegada do resto da turma, Jair Bolsonaro e seus filhos, que deverão ser presos logo mais também.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

‘SINISTRO’ DAS RELAÇÕES EXTERIORES

Sugiro que o pária Ernesto Araújo seja indicado a ocupar o cargo de terceiro secretário na embaixada do Burundi, se não tiver, como sub carimbador de qualquer embaixada.

Pedro Luiz Leopardi leopardi73@gmail.com

*

ORGIA DO ORÇAMENTO DA UNIÃO

Com um presidente como Jair Bolsonaro, acéfalo aos interesses do País, o absurdo Orçamento da União, de 2021, mais para peça de ficção, foi aprovado somente na quinta-feira passada, dia 25 de março Os congressistas, com aval de Bolsonaro, reduziram radicalmente R$ 2 bilhões, a míseros R$ 71,7 milhões, da verba que seria destinada   ao IBGE, para realizar neste ano o importante Censo Demográfico.  Este Censo, que norteia todas as políticas públicas e também investimentos privados, está atrasado, já que em 2020, foi adiado por causa da pandemia. E, neste ano, deveria iniciar-se no próximo mês de agosto.  Mas, para o presidente e os congressistas, infelizmente, o Censo é de menor importância!   Como fica demonstrado quando, para suas orgias, deputados e senadores embutiram R$ 48,8 bilhões de emendas parlamentares no aprovado Orçamento da União. Verba a ser utilizada em seus redutos eleitorais, sem fiscalização alguma...  Por quê? Ora, 2022 é ano de eleição... Porém, para acomodar essa jabuticaba excrescente de R$ 48,8 bilhõe, no Orçamento, tiveram que cancelar R$ 26,5 bilhões de despesas do governo e mais R$ 13,5 bilhões de despesas obrigatórias da Previdência Social, além dos R$ 2 bilhões sugados do orçamento do IBGE, enterrando a realização do Censo. É bom lembrar que o IBGE, no mês de fevereiro, fez um  edital para contratar 204 mil pessoas para coletar dados por todo o País para o Censo demográfico!  O que ajudaria a minorar o alto nível de desemprego...


Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

 UM CRIMINOSO DE GUERRA GENOCIDA

Não há mais como empurrar com “mimimis” nem com cara de paisagem o mais escabroso mandatário de um país que está de quatro e assiste como se composto por seres inanimados à “folia do messias” Jair Bolsonaro, o ceifador do apocalipse.

Não há notícias da parte desse sociopata e seus sociominions que não seja sobre jogar mais lenha na fogueira. Por sorte de um destino não merecido pelo 00, seus 01, 02, 03 e 04 ainda não foram imolados no altar da estupidez doentia com que essa excrescência diabólica lida com a vida – dos outros. Covardia associada à ignorância extremada, num país de “macunaímas” .

Há mais de um ano a ladainha da negação cria raízes, vertiginosamente: não às máscaras,  não à lógica, sim aos 01, 02 e 03, não a quem discorda que a Terra seja plana, sim à idiotia dos bolsominions e por aí vamos assistindo aos sabujos da baixíssima política se refestelarem em cabines de honra, desonrando todo um povo com suas características caras de tacho.

Honra, eficiência, sabedoria, decência, lealdade à Nação e outras “frescuras” mais são a cada dia mais ridicularizadas pelos donos do cassino Brasil. Porém, como Deus é brasileiro, esperemos a volta do Messias...

NELSON SAMPAIO JR.n.sampaio@hotmail.com

Curitiba

*

RIO: PREFEITURA RELAXADA


Simplesmente deplorável o estado das vias publicas na cidade do Rio de Janeiro. A autoestrada Lagoa-Barra está toda esburacada, os túneis todos vandalizados e pichados, além de escuros e sujos. O mesmo em quase toda a zona sul. Áreas nobres e que são tratadas com extremo relaxamento pela prefeitura, o que dirá da Tijuca, Vila Isabel e bairros como Méier e Madureira. Esta população de rua que picha e vandaliza a cidade tem de sofrer forte repressão e ser encaminhada para algum projeto social que obrigue essa gente a trabalhar e, se possível,l na própria recuperação da cidade. Essa gente poderia limpar parques e monumentos, pintar muros pichados, mediante refeição e meio salário. E muito poderia ser feito, não tivéssemos um governo estadual e uma prefeitura tão inoperantes e sem projeto algum para a cidade. 


Paulo Roberto da Silva Alves pauloroberto.s.alves@hotmail.com

Rio de Janeiro


*


DELAÇÕES, E AGORA?


O Direito será sempre o mesmo, ontem, hoje e amanhã. Carmén Lúcia decidiu novamente o oposto do que já tinha decidido. Mas e as delações premiadas de Palocci, Cabral e de Odebrecht, também foram anuladas ? 


Arcangelo Sforcin Filho arcangelosofrcin@gmail.com

São Paulo


*


A AMEAÇA LULA


Lula liberto, graças a um STF conhecido  mais por sua generosidade e não rigor máximo contra corruptos políticos somados a empresários bilionários corruptores, resulta numa situação em que,  somada ao desempenho do desgoverno Bolsonaro com mais de 300 mil mortos nesta pandemia, o “cara de madeira” poderá ser candidato em 2022 e ser eleito. Todo esse pessoal que reclama da volta de Lula esquece que em fins de 2007 o mundo dava sinais de uma crise financeira econômica que, se não combatida com rigor, seria catastrófica para aqueles países que não tomassem medidas enérgicas e certas, essa falha resultaria em perdas econômicas imensas. Essa crise explodiu em 2008 e Lula presidente, nosso gênio econômico, disse que a crise nos EUA seria um tsunami, mas no Brasil, apenas uma marolinha!  Não ouviu quem o alertava (como agora agiu o Bolsonaro)  e  preferiu tomar uma série de medidas  das quais nosso país ainda sente os reflexos e por isso muitos consideram 2008 o ano que ainda não terminou. Quando cobramos dos eleitores tais lembranças isso não adianta, porque a maior parte desses não entende ou não tem informação de fatos como esse, mas imperdoável é ver novamente o circo dos “intelectuais” ligados às artes saírem a campo defendendo Lula, que só existe graças à mídia, que quando ele estava preso  num “ flat” da PF em Curitiba só faltava informar quantos puns ele soltava diariamente. A desgraça causada ao País pelos mais de 14 anos de desgoverno desse acrobata da política teria de fazer com que nunca mais fosse citado, a não ser para anunciar seu óbito, e deveria ser enterrado em lugar desconhecido, porque provavelmente será motivo de romarias de ignorantes. O problema é cadê um tertius ?


Laércio Zannini – spettro@uol.com.br

São Paulo  


*

NÃO É SÓ O BOLSONARO


Os empresários, banqueiros e investidores precisam aprender muito mais sobre política. Não basta “controlar” Bolsonaro, também é necessário “controlar” os demagogos corruptos do Congresso e do Poder Judiciário. Os empresários, banqueiros e investidores podem e devem influenciar mais na política, algo que o PCC (Primeiro Comando da Capital) e CV (Comando Vermelho) já fazem há bastante tempo, investindo na campanha e eleição de seus “amigos” no território nacional. Enfim, se não quisermos nos transformar em uma Bolívia ou uma Venezuela, algo muito urgente precisa ser feito no Brasil. Fica a dica para os empresários, banqueiros, investidores, imprensa, Polícia Federal, Ministério Público Federal e até mesmo para as Forças Armadas, que têm o dever de defender o País e a democracia. 


Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana


*

CARMÉN LÚCIA, MUITO SUSPEITA


Além da transgressão constitucional, brilhantemente denunciada pelo jornalista J.R. Guzzo na coluna Não se Aplica de domingo passado, é relevante questionar sobre o absurdo conflito de interesses que evidencia--se e que deixou Carmén Lúcia sob indecorosa suspeição. Por força da moral e da ética, ela não deveria se autodeclarar “muito suspeita”, ao sentenciar o juiz que condenou Lula, seu padrinho direto para seu ingresso como ministra no STF? Nesta situação, não seria melhor, aparentemente “menos vergonhoso”, votar-se no Plenário da Corte?

Álvaro José Loreto Filho alvaroloreto22@gmail.com

*

NÃO SE APLICA

Irretocável o artigo de J. R. Guzzo! Até quando vamos suportar as arbitrariedades do STF?

Albino Bonomi acbonomi@yahoo.com.br

Ribeirão Preto


FARIA LIMA ARREPENDIDA

Se a rica Avenida Faria Lima, dos banqueiros, está arrependida, com um ano de atraso, por ter apoiado e votado em Bolsonaro e agora está “apavorada com a hipótese de ter de escolher entre Lula e Bolsonaro, no segundo turno em 2022”, como confessou Luís Stuhlberger Diretor do Fundo Verde do Itaú, está na hora de rever sua visão e atuação política, sempre visando unicamente a seus interesses de ganhos financeiros. Deveriam pintar a “Wall Street” tupiniquim de vermelho-roxo, a cor do falso arrependimento tardio. O mundo empresarial, também a reboque das preocupações da sociedade pensante do Brasil, procura um nome de centro para competir nas eleições presidenciais de 2022, quando a nação decidirá  pelo suicídio coletivo na polarização esquerda burra versus direita furiosa, ou optará pela democracia com justiça social liderada por um estadista de porte internacional, como  merecem os 213 milhões de sofridos brasileiros. O mundo estará de olho em nós, torcendo para que finalmente no tornemos uma nação de adultos racionais. 

Paulo Sergio Arisi paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

*

106 DIAS SEM AUXÍLIO  

“Parece” que em 16 de abril, o desgoverno de Bolsonaro vai começar a disponibilizar o auxílio emergencial. Talvez Bolsonaro não saiba que o auxílio emergencial é para que, primeiramente, o vulnerável consiga colocar comida em casa. Afinal, quem come lagosta, caviar, toneladas de picanha, vinhos e cervejas, entre outras guloseimas, não deve estar nada preocupado com os brasileiros desassistidos. Bolsonaro, se tiver coragem, fique um dia em jejum e saberá o que significam 106 dias....     

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo    


*


DOMINGO NA PAULISTA           


Domingo na Paulista virou uma falta de respeito ao trânsito e aos pedestres que não usam bicicleta ou correm. Ninguem fiscaliza nada, algo comum no governo Covas. Ciclistas andando na avenida do lado direito, do lado esquerdo fora da ciclovia sem a mínima preocupação. Outros correndo nas faixas de ônibus e muitos, claro, sem másaras, ou seja aumentam as mortes, mas  a fiscalização é zero, algo comum em governos ditos democratas. Na verdade só quando alguém morre por atropelamento é que muitas vozes, até dos defensores dos ciclistas aparecem, ou seja quando dá para fazer marketing e auê. Este é o Brasil que muitos dizem ser democrata, mas claro quando lhes interessa  aparecer na TV ou na mídia. Nada está tão ruim que nunca possa piorar.           


A.José a.josé@uol.com.br        

São Paulo    


*


NOBRE ATO DE SE DESCULPAR

Que sirva de lição para muitos, e principalmente para os governantes, o teor do editorial do Estadão (28/3) com o título O pedido de desculpas na política!  E essa frase do editorial é cirúrgica: “Admitir o erro não é fraqueza, mas compromisso com o interesse público. Mas essa capacidade não se inventa, requer caráter”!  E esse caráter é o que acompanha uma das figuras públicas mais importante do mundo, como a chanceler da Alemanha, Ângela Merkel. Depois de ter dialogado e decidido com 16 governadores um rígido esquema de quarentena para o período da Páscoa, pela repercussão negativa por parte da sociedade, Merkel, revogou as medidas anunciadas. E, em nobre atitude, pediu desculpas à nação. Mesmo sendo seu objetivo a defesa da vida, em meio a essa pandemia. E o inconsequente e irresponsável Jair Bolsonaro quis deturpar essa decisão de Ângela Merkel, como se ela também fosse contra o uso de máscaras, o isolamento social e medidas que salvam vidas.  E só faltou dizer que Merkel também acha que a covid-19 é uma “gripezinha” ...  Oxalá um dia este nosso Brasil tenha no comando do Planalto alguém tal qual Angela Merkel!  Porque esse que hoje está alojado em Brasília é um horror...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

CENSO DO IBGE

O corte orçamentário no IBGE de quase R$ 2 bilhões é de um desrespeito com a população nacional, e nossos congressistas nem ficam vermelhos de vergonha. Já deixamos de realizar o Censo Demográfico no ano passado por causa da pandemia. Até aí tudo bem. 

Mas deixar de realizá-lo neste ano por corte de orçamento é um disparate. Principalmente agora em uma fase pandêmica em que deveriam

ser traçados planos e programas assistenciais para milhões de pessoas desassistidas pelo poder público. Pessoas passando fome, na miséria.

Enquanto isso, os “nobres” congressistas aumentam as verbas para emendas em zilhões de reais para atender seus feudos eleitorais, esquecendo do resto da população nacional. Isso sem falar nos “fundos e auxílios” partidários que somados dariam para realizar uns 3 Censos Demográficos. 

Nessas horas fico sem argumento quando amigos que defendem a ditadura e o fechamento de algumas instituições me apresentam esses fatos e me questionam se eles estão ou não com a razão. Agora temos que esperar pelo bom senso do presidente para vetar esse orçamento. Aí eu já estou querendo demais mesmo. Acorda, rapaz!!!


Edmir de Machado Moura negrinho10@hotmail.com

Caçapava


*

LULA INOCENTE?

 

Em sã consciência você acredita que no projeto original a OAS, se não fosse por encomenda muito especial de uma pessoa tão importante, acrescentaria o elevador exclusivo para o triplex no Guarujá? Naquela época Lula e Marisa ditavam as regras, estavam por cima da carne-seca. Como o apartamento não está escriturado e registrado em nome do ex-presidente, nem a OAS mostrou comprovantes da quitação e o herói Moro agora é um vilão, daí a decisão do STF pela devolução dos valores recebidos pela construtora. Graças ao STF, “o homem mais desonesto do Brasil” (que se diz “o mais honesto”) é novamente inocentado.

 

Humberto Schuwartz Soares hs-soraes@uol.com.br

Vila Velha (ES)

 




 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.