Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

05 de abril de 2021 | 03h00

FÓRUM DE SEGUNDA-FEIRA 5.4

Brasil hoje

Omissão dos bons

Com quase oito décadas de vida, nunca pensei em ter emoções tão fortes como esta tristeza infinita pelo sofrimento e morte de tantos, pelo luto de órfãos dessas famílias, pelos desempregados; e uma imensa e profunda raiva ao ver o erário tão indignamente usado pelos homens públicos, comprando congressistas, pagando privilégios nos três Poderes, ignorando a ciência e a saúde da população, suspendendo desumanamente o auxílio emergencial e agora distribuindo uma miséria. E também ao ver o mocinho que teve coragem de enfrentar a corrupção ser tratado como bandido, o bandido solto, e com direitos políticos, e um irresponsável, incompetente e insano ser chamado de mito! Não consigo entender a omissão dos homens de bem capazes de mudar esses fatos.

MARIA TOLEDO A. GALVÃO DE FRANÇA MARIATOLEDOARRUDA@GMAIL.COM

JAÚ

*

Manifesto e racionalidade

Quando uma falsa racionalidade toma conta das pessoas, a qual nomeio “racionalidade alienada”, presenciamos 1) a mudança de voto de Cármen Lúcia, 2) as falas e ações do mau militar travestido de presidente, 3) as pessoas que se aglomeram em festas, 4) a proposição de um Orçamento que esquece que estamos numa pandemia, 5) as pessoas que se deixam vacinar por uma “enfermeira” trambiqueira, 6) a assistência espiritual que só funciona se feita na aglomeração dos espaços coletivos... Nesse contexto, tem mérito a união dos desiguais num manifesto que pretende evocar e estimular o espírito público nas pessoas. Se os signatários se mantiverem racionais, teremos alguma chance. Caso contrário, será apenas mais uma manifestação da “racionalidade alienada”.

SANDRA MARIA GONÇALVES SANDGON46@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Nem Lula nem Bolsonaro

Está mais do que na hora de mudar essas cartas ensebadas do baralho viciado do cassino político mambembe que o País se está tornando. Cartas novas sobre a mesa! Chega de recorrer às figuras já conhecidas e de má memória. Querem ressuscitar o homem do mensalão e do petrolão, como se não fosse ele um dos causadores da política atual. Não bastasse, jornalistas que à época escancararam a corrupção agora acham que a triste figura foi injustamente condenada. Ora, tenham paciência! Então, a mídia mentiu quando divulgou os fatos? Ninguém cometeu crime? Precisamos de mudanças sérias, e não dos arremedos que temos visto ultimamente.

CLAUDETE RESTANI CLOSCK@HOTMAIL.COM

PIRACICABA

*

‘Desordem institucional’

Parabéns a Marcelo Rubens Paiva pelo excelente resumo da trajetória de um ser sem qualificação (Desordem Institucional Estadão 3/4). Fico me perguntando como uma pessoa dessas conseguiu chegar até à Presidência de um país, não dá pra entender. E o pior é que ainda há muitos que o aplaudem e o defendem, mesmo diante de tanta falta de compaixão, de educação, sensibilidade, conhecimento, empatia, liderança, amor ao próximo e tantas outras coisas mais. E ele continua insistindo em minimizar a pandemia, é contrário ao isolamento, ao uso da máscara, só olha para o próprio umbigo e pensa em livrar os filhos dos processos. E nós, brasileiros, assistindo a tudo isso, estarrecidos (alguns), sem sabermos o que esperar. Será que vai surgir alguma luz no fim do túnel?

BÁRBARA QUADROS BBQUADROS@GMAIL.COM

LAURO DE FREITAS (BA)

*

‘Aprendiz de feiticeiro’

O artigo Aprendiz de feiticeiro (3/4, A2), de Miguel Reale Júnior, é um bem traçado memorial da República nestes dias recentes, abalados por um lunático que arrasta o País para uma crise sem precedentes, que faz os outros Poderes e setores importantes da sociedade civil reagirem com manifestos, carta aberta e declarações. Mesmo assim, o inoportuno insiste em seus devaneios autocráticos. Até quando? Ainda não conseguiu unir a esquerda e a direita, mas ambas parecem já estar contra ele.

FELIPE PUGLIESI JR. PUGLIESIJR@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Voto inútil

Nunca deixei de votar em eleições presidenciais, desde 1955. Já votei no marechal Lott, em Jânio, Collor, Alckmin, Aécio e mais alguns. Entretanto, nunca me arrependi tanto como por ter desperdiçado o meu sufrágio, em segundo turno, no capitão da reserva cujo nome nem quero citar. Sei que milhões de votos foram perdidos nessas mesmas condições, porém estou convencido de que isso não se repetirá em 2022.

TOSHIO ICIZUCATOSHIOICIZUCA@TERRA.COM.BR

PIRACICABA

*

Pandemia

Cultos liberados

Neste momento crítico para a saúde pública no Brasil, pergunto ao ministro Kassio Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal: qual é a urgência de conceder a igrejas o direito de arriscar a vida dos fiéis, ainda que adotando medidas de distanciamento, máscaras e medição de temperatura? Fico muito confuso...

ANTONIO CARLOS DE QUEIROZ FERREIRA ACFERRE@TERRA.COM.BR

SÃO PAULO

*

Regularização fundiária

Favelas rurais

Estou plenamente de acordo com o descrito no editorial Favelas rurais (3/4, A3). Como frequentador da represa de Guarapiranga por mais de 50 anos, tenho observado a proliferação de ocupações irregulares em torno desse manancial, de forma exponencial. Esse exemplo indica o perigo para o meio ambiente da não regularização e valoração adequada das propriedades. Por volta de 1970 foi feita uma lei que praticamente destruiu o mercado imobiliário em função da ideia de preservar de forma intocada o entorno. Após 50 anos vê-se que o resultado foi exatamente o oposto. Não repitamos o erro em escala muito maior.

MICHAEL KUNATH M.KUNATH64@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br


MODUS OPERANDI

O modus operandi de Bolsonaro mandar embora seus ministros segue um

fator, apoie minhas mentiras, idiossincrasias, e reverencie a ditadura

militar e meu sonho de golpe.

Marcos Barbosa  micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

*

PÁTRIA AMADA BRASIL

A Secretaria de Comunicação (Secom) do governo de Jair Bolsonaro inseriu na programação televisiva alguns slogans já de conhecimento de todos os brasileiros, mas ignorados e desdenhados pelo próprio presidente. Acreditem, as inserções pedem para: “lavar as mãos”; “usar máscara”; “fazer isolamento social” e “não aglomerar”. Num primeiro momento é inacreditável que essas palavras de ordem partam de um governo totalmente negacionista. Ora, no término das informações vem a mensagem “Pátria Amada Brasil”". Afinal, será verdade ou escapou do crivo do fake Bolsonaro?

 Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

ERA UMA VEZ...

Era uma vez um tresloucado capitãozinho do Exército que, ao se tornar presidente da República, se imaginou transformado em general cinco-estrelas num simples golpe de mágica. Ao calçar os coturnos ao contrário, o pé esquerdo no direito e o direito no esquerdo, acabou tropeçando nas próprias pernas e foi ao chão. E assim termina a história.

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

A DIREITA SEM PARTIDO

O Brasil possui 33 partidos políticos registrados no Tribunal Superior Eleitoral e 77 partidos em processo de formação. Com tantos partidos, que não passam de um amontoado de palavras e letras formando siglas, não há o que falar em direita ou esquerda na nossa política. A maioria dos partidos não passa de associações formadas com o único objetivo de abocanhar verbas públicas do fundo partidário ou para receber pixulecos para apoiar ou não o governo. De acordo com João Gabriel de Lima (autor do artigo A direita sem partido, Estadão, 3/4/2021), “o Novo tenta ser o PSOL das direitas, mas não consegue decidir se é situação ou oposição em relação ao atual governo”. Será que o autor conhece o estatuto do partido Novo? É lá que estão definidas as diretrizes do partido e o partido apoia ideias, e não pessoas, tem criticado todas as lambanças do atual governo, e a bancada do Novo na Câmara Federal vota a favor dos projetos favoráveis ao País e contra os projetos desfavoráveis ao País. O partido Novo é o único partido que não usa verbas públicas em suas campanhas e eu tenho orgulho de ser filiada e, como cidadã, contribuir para a manutenção do partido em que acredito. 

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

ANTES TARDE DO QUE NUNCA

Hoje é muito  comum ouvirmos pessoas dizendo que se arrependeram em  ter votado em Jair Bolsonaro, para presidente da República. Esse arrependimento não carrego comigo, até porque, desde  a primeira vez que o ouvi discursar tinha certeza absoluta que, pelo vocabulário utilizado em seus comentários, ele  deixava claro  que  não tinha sabedoria para conduzir nossa  Nação. Agora o que nos resta é pedir a Deus que o ilumine e lhe conceda sabedoria para renunciar e deixar o cargo para alguém que de fato saiba governar.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

UM AUMENTO DE 170 %

Não há verbas para um série de necessidades gerais do país, mas não  é que o presidente da Câmara federal, Arthur Lira, determinou um reajuste de despesas médicas para cada deputado de R$ 50 mil para R$ 135 mil, ou seja, 170% de aumento! Se gastarem cada qual sua cota, e não duvido que consigam, basta multiplicarmos esse valor pelo número de deputados e o custo para o País será de oitenta e sete milhões e quinhentos e dez mil reais! Já pensaram quantas vacinas poderiam ser compradas com essa grana? Creio que pelo menos 2 milhões ou 3 milhões de unidades. Outra teta gorda que amamenta os políticos é a verba de mais de R$ 3 bilhões para manutenção de seus partidos, quando esses deveriam existir com base em contribuições de seus membros, e não pagos por nós. Atualmente parece existir mais de 30 partidos políticos, uma quantidade tal que se torna impossível crer em unidade de ideias, mas sim na briga feroz por verbas, que somem depois de aprovadas no Orçamento federal. Essa verba para os partidos deveria acabar com urgência, o que provavelmente diminuiria o número de partidos

Laércio Zanini spettro@uol.com.br

Garça

*

JULGAMENTO ESPECÍFICO, E NÃO EM DEFESA DA MULHER

O julgamento na Alesp condenando o deputado Fernando Cury a cumprir 180 dias de suspensão do mandato foi um julgamento específico, apenas em defesa da deputada Isa Penna, que aceitou esse resultado. Mas em nenhum momento houve um julgamento em defesa da mulher. Afinal uma ação premeditada e combinada com outro colega, que ficou aguardando o resultado, e mesmo assim insinuou que Cury pudesse  desistir daquela ideia. Tudo isso publicamente e dentro de um espaço público, com câmeras abertas, repito: não foi um julgamento justo em defesa da mulher!!! 

Arcangelo Sforcin Filho arcangelosforcin@gmail.com

São Paulo

*

SUSPENSÃO DE CURY POR ASSÉDIO BENEFICIA PADRE

Após suspensão por 180 dias por assédio do deputado Estadual Fernando Cury (Cidadania),Padre Afonso deve assumir cadeira na Alesp.

Que ironia, o primeiro beneficiado num processo  por importunação sexual neste país será um padre...

João Manuel Maio clinicamaio@terra.com.br

São José dos Campos

*

ESPORTE PREDILETO

Atualmente jogar pedras em Jair Bolsonaro virou o esporte predileto de milhares de leitores.  Não estou aqui para defendê-lo, deixo isso para os “zeros zeros” e outros acéfalos do time dele.

Mas o que eu quero registrar é que bem pior do que ter um presidente como ele é termos 513 deputados e 81 senadores, sendo pelo menos 95 % deles absolutamente dispensáveis, uma vez que trabalham apenas para atender aos interesses próprios.  Os 5% que talvez atendam aos interesses do Brasil e do povo cumpririam tranquilamente a missão.

De que nos adianta manter por uns 10 ou 12 bilhões de reais por ano essa cambada?

E mais, caiam na real, esse Congresso manda muito mais do que o presidente e sua entourage.

João Paulo de O. Lepper jp@seculovinteum.com.br

Rio de Janeiro

*

PENSAMENTO MACABRO

Vivemos numa nação de maioria que professa o “pensamento mágico”, oferecido por religiões que  professam a crença do poder da riqueza material e num governo de “pensamento macabro”, como definido pela economista Elena Landau, em histórica coluna no Estadão (O ano do pensamento mórbido - 2.4.21). Tornamo-nos uma nação de pensamento e comportamento medieval, só faltando as fogueiras da Santa Inquisição. 

Paulo Sergio Arisi paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

*

ROMEU ZEMA ACORDOU

Finalmente o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Partido Novo), que até aqui preferiu sair na foto como grande aliado de Jair Bolsonaro, acorda e reconhece o que todos os brasileiros já sabiam, a total indiferença do presidente com a pandemia. Agora critica Bolsonaro, dizendo que ele “brincou com o fogo” e que quem está pagando essa conta de seu desprezo pela covid-19 é o povo brasileiro. E que “o problema real é a falta de vacina”! Só agora Zema? Ora, desde o início desta pandemia esse estúpido e irresponsável presidente se mostra inimigo da ciência, não se importa em salvar vidas, incentiva os brasileiros para que não usem máscaras e desrespeitem o isolamento social. Tampouco se antecipou a comprar vacinas, insumos, etc. Até a vacina do Instituto Butantan, a Coronavac, disse que não prestava! Somente sob pressão a comprou em janeiro deste ano. Hoje a Coronavac atende 90% dos já vacinados pelo País. O resultado de sua perversidade é que hoje, acumulamos 13 milhões de infectados e mais de 325 mil mortes.   Porém, e por conveniência, somente agora o governador faz essas críticas a Bolsonaro, porque a alta de casos e de óbitos é vertiginosa em seu Estado.  E, lamentavelmente, na contramão da histórica tradição da política mineira, Zema preferiu continuar aliado do Planalto, e não assinar as duras cartas dos seus colegas de outros Estados, nas quais demonstram perplexidade pela indiferença do presidente com essa pandemia.  

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

O OUTRO LADO DA MEDALHA

O presidente Bolsonaro prometeu vacinar 1 milhão de brasileiros por dia, o que significa que em aproximadamente 7 meses e 10 dias teremos toda a população brasileira vacinada, ou seja, em outubro deste ano a pandemia estará dominada e poderemos voltar a ter uma vida normal. Será? Poderemos andar sem máscaras na rua? Poderemos abraçar nossos amigos? Beijar na boca a quem amamos? Fazer aglomerações? Ir ao futebol sem restrições? Etc., etc., etc.? Não creio. Apesar de toda nação estar vacinada, os efeitos da covid-19 estarão permanentemente engastados no ventre da sociedade e, queiramos ou não, vamos ao menos lavar as mãos e manter os hábitos de higiene e resquícios bons da pandemia. Quase tudo tem um lado bom; é o outro lado da medalha.

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Petrópolis (RJ)

*

FUSÃO NA GEOECONOMIA

Nesta segunda década do século 21, os analistas da política econômica global começam a perceber e divulgar uma impressionante e irreversível fusão da até então linhas antagônicas da economia que vivenciamos há mais de um século. Efetivamente, capitalismo e socialismo estão num processo de união, coisa impensável há poucos anos, como exemplificam de certa forma os exemplos chinês e o do atual governo americano, que pretende usar nada menos de US$ 3 trilhões em itens como “apoio às famílias”, recursos esses vindos do Imposto de Renda das empresas e pessoas mais ricas do país. Essa realidade de fusão que se acelera, principalmente em razão da atual pandemia, irá ter impactos globais nas soluções dos megaproblemas geoeconômicos que já estamos vivenciando.

José de Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

*

MILITARES NO GOVERNO

Nada contra os militares. Porém, ao tomar conhecimento, pela mídia, que há quase 7 mil militares da ativa em postos da administração direta fiquei indignada. A menos que trabalhem de graça, o que não acredito. São posições que poderiam ser destinadas ao pessoal civil.  Poderiam ser destinadas a médicos, professores e outras profissões relevantes e carentes. Do ponto de vista da economia haveria uma melhor distribuição de renda. Já é tempo de repensar esta providência estúpida.

Iria de Sá Dodde iriadodde@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

O FIM ESTÁ PRÓXIMO

Sua Santidade o papa Francisco realizou as cerimônias religiosas de celebração da Páscoa em um Vaticano vazio, sem público, pelo segundo ano seguido. No Brasil seria assim também, as igrejas vazias, cerimônias virtuais, as pessoas acompanhando das suas casas, na tentativa de evitar novas aglomerações e contaminações, mas o presidente Bolsonaro resolveu agradar à bancada evangélica e mandou seu ajudante de ordens no STF, o ministro Kassio Nunes Marques, abrir as igrejas. Não, Jair Bolsonaro não será capaz de entender o que está acontecendo, falta-lhe capacidade cognitiva para tanto, falta raciocínio, discernimento, não adianta explicar mil vezes, Bolsonaro é absolutamente incapaz de entender a pandemia. Está ficando cada vez mais difícil entender o que as instituições brasileiras estão esperando para afastar Jair Bolsonaro da Presidência da República, esse senhor precisa de acompanhamento médico psiquiátrico.        

 

Mário Barilá Filho  mariobarila@yahoo.com

São Paulo    

*

OS VENDILHÕES DO TEMPO                                           

A confiança no poder da fé e da crença religiosa levou o ministro Castro Nunes, do Supremo Tribunal Federal, a crer que tal manifestação popular é o milagre da extinção da pandemia? Obviamente que não, mas o debacle das  pequenas igrejas evangélicas que não têm mais como sobreviver sem o dinheiro coletado nos cultos. Vai-se a vida em favor de falsos profetas, filhos dos mercenários que utilizam os templos para suas finalidades do grosseiro materialismo e receberam a reprimenda da divina ira. O que o papa não compreenderá é a abertura da basílica de Aparecida em seguida à decisão monocrática do STF. 

Amadeu Roberto Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

MARCO AURÉLIO

Belo e verdadeiro o perfil do ministro do STF Marco Aurélio Mello (Um estilista da provocação, na hora do adeus à Corte,  Estado 4/4), traçado pelo repórter Rafael Moraes Moura. A Nação e o mundo jurídico esperam que Bolsonaro tenha o bom senso de indicar nome qualificado, à  altura dos méritos e competência do decano  Marco Aurélio Mello, que se aposenta em julho.

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília

*

ARTIGO DE FHC

Ao ler o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (A hora se aproxima, Estado, 4/4), a saudade aumenta. Principalmente, porque o Bolsonaro tem um não sei quê repulsivo.


Fausto Ferraz Filho faustoferras15@gmail.com

São Paulo

*

DUAS FACES DA MOEDA

Admiro muito o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, porém em seu artigo desse domingo ele cometeu um deslize quando diz que vidas foram ceifadas pelos atos de tortura. Não negamos esse fato, porém ele esqueceu de citar que vidas foram ceifadas também pelos inúmeros atos de terrorismo praticados pela esquerda.

Marcelo Jacob lauandos@hotmail.com

São Paulo

*

MASSACRE NOS ESTADOS UNIDOS

Os Estados Unidos possuem estatísticas diárias, mensais e anuais de tiroteios no país. Os números dos três primeiros meses de 2021 são: 126 tiroteios, 148 mortes e 485 feridos. Nenhum caso ocorreu em escola ou universidade. O lobby das armas não permite a restrição com base na Segunda Emenda da Constituição. Países que aprovaram severas legislações antiarmas, após massacres, mostraram a eficácia da medida, como são os casos de Reino Unido, Canadá, Austrália e Nova Zelândia. No Brasil, infelizmente, a maioria dos eleitores votou a favor das armas no referendo de 2005.

Luiz Roberto Da Costa Jr. lrcostajr@uol.com.br

Campinas

*

AGNALDO TIMÓTEO

Um minuto de respeitoso silêncio em homenagem ao talento vocal de Agnaldo Timóteo, recém-falecido aos 84 anos como mais uma vítima da covid-19. Se fosse americano, francês ou italiano, seria um dos grandes do mercado internacional pela sua marcante potência vocal, timbre e perfeita afinação. Um excepcional intérprete. Viva Timóteo!

J.S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*




 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.