Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

18 de abril de 2021 | 03h00

Corrupção

Terceiro Mundo

Parece que a pandemia me deixou apático com as questões políticas do Brasil, um assunto que ficou menor diante da catástrofe sanitária e da algaravia dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). A sentença sobre a elegibilidade de Lula já era esperada. Mas sua presença no pleito de 2022 mostra o ex-presidente com menos garra que em outras eleições – ele já sinalizou que o PT não precisa ser cabeça de chapa... Mais uma vez teremos de votar no menos pior, mantendo o Brasil no eterno posto de Terceiro Mundo.

MÁRIO NEGRÃO BORGONOVI MARIONEGRAO.BORGONOVI@GMAIL.COM

PETRÓPOLIS (RJ)

*

Impenitência

Como se já não bastassem as mortes pela covid, o STF enterra a vergonha nacional eternizando a impunidade!

FRANCISCO JOSÉ SIDOTI  FRANSIDOTI@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Triste sina

Pior do que a pandemia é ter de optar entre Bolsonaro e Lula em 2022. Infelizmente, no Brasil não existe cartão vermelho para esse tipo de políticos com pê minúsculo.

MARCOS CATAP MARCOSCATAP@UOL.COM.BR

SÃO PAULO

*

Cadê o centro?

Com a volta de Lula ao cenário político, o PT já anunciou que o ex-presidente dará início a caravanas pelo País, tentando atrair partidos de centro e empresários para uma ampla aliança contra Bolsonaro nas próximas eleições. Enquanto isso, se Bolsonaro já estava em campanha desde que tomou posse como presidente, não há dúvida alguma de que intensificará os esforços não só para manter seu eleitorado cativo, mas, sobretudo, para atrair a todo custo os antipetistas. E as lideranças de centro? Quem são? O que estão fazendo? Já têm um nome único? Um projeto? Já iniciaram a campanha? De nada adianta assinar manifestos e lamentar a perpetuação da “polarização”. É preciso começar a agir agora, os “polares” já estão lá na frente.

LUCIANO HARARY LHARARY@HOTMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Sentença bíblica

O recado do STF foi claro: o crime compensa e vale a pena. O Supremo disse também que o nosso Judiciário é inútil e os nossos juízes não merecem nenhum respeito nem consideração. Só nos resta a justiça divina. E está no Evangelho: “Tomai cuidado com os doutores da lei! Eles gostam de andar com roupas vistosas, de ser cumprimentados nas praças públicas; gostam das primeiras cadeiras nas sinagogas e dos melhores lugares nos banquetes. Eles devoram as casas das viúvas, fingindo fazer longas orações. Por isso eles receberão a pior condenação” (Mc 12, 38-40).

ANDRÉ COUTINHO ARCOUTI@UOL.COM.BR

CAMPINAS

*

Desperdício

Tendo o STF anulado todas as condenações impostas a Lula da Silva pela Lava Jato, podemos e devemos considerar o ex-juiz Sergio Moro e todos os outros juízes que julgaram e condenaram o ex-presidiário de Curitiba como despreparados, negligentes, omissos, incompetentes e ignorantes em matéria jurídica, já que nenhum deles percebeu que Curitiba não poderia julgar o demiurgo de Garanhuns? E os ministros do STF, que somente após mais de cinco anos perceberam que a vara de Curitiba não poderia julgar tais processos, também não estariam enquadrados nas mesmas condições dos demais juízes? Agora discutem se os processos devem ir para São Paulo ou para o Distrito Federal, para então começar tudo de novo. Quanto tempo e dinheiro jogados fora, já que ao fim vão concluir que os processos estarão prescritos... Que desperdício!

MARIO MIGUEL MMLIMPEZA@TERRA.COM.BR

JUNDIAÍ

*

Súmula lullovinculante

É... Não demora e teremos tal jurisprudência. Desacreditado o juiz, louve-se o delinquente.

A. FERNANDES STANDYBALL@HOTMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Na sala de estado-maior

Depois que o Supremo acabou com as condenações do Lula, só falta ver os seus advogados entrarem com processo contra o governo pedindo uma indenização milionária pelo tempo que ele passou preso.

MAURÍCIO LIMA MAPELI@UOL.COM.BR

SÃO PAULO

*

Caradura

Depois da anulação das sentenças que permitiam adjetivá-lo como ladrão, fruto de uma decisão do atual momento de decadência e desprestígio do Supremo Tribunal, que contraria a lei no tocante à não admissão em juízo de provas obtidas ilegalmente, não é que Lula teve o desplante de publicar nas redes sociais a seguinte pérola: “Se alguém roubou, que seja preso”? É muito cara de pau!

JOMAR AVENA BARBOSA JOAVENA@TERRA.COM.BR

RIO DE JANEIRO

*

Se...

Se você acredita que Lula fez aquelas palestras para os maiores empresários do Brasil, que seus filhos têm méritos para ser grandes empreendedores, que ele comprou com seu próprio dinheiro um apartamento triplex no Guarujá, que não influenciou Dilma Rousseff na compra dos caças suecos, que não tentou calar Nestor Cerveró, que não influenciou a política de financiamentos internacionais do BNDES, que nunca teve um sítio em Atibaia, que nunca favoreceu montadoras de automóveis com benefícios fiscais... então vote naquela “alma honesta” para presidir o Brasil por mais quatro anos.

JOSÉ CARLOS SARAIVA DA COSTA JCSDC@UOL.COM.BR

BELO HORIZONTE

*

A ‘ruivinha’

Não dá para acreditar que o Tribunal de Contas da União absolveu a ex-presidente Dilma Rousseff e o ex-ministro Antônio Palocci do prejuízo absurdo causado aos cofres públicos pela compra da refinaria de Pasadena (EUA). Talvez a culpada seja a velhinha de Taubaté.

LUIZ ROBERTO SAVOLDELLI  SAVOLDELLI@UOL.COM.BR

SÃO BERNARDO DO CAMPO

*

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

OBRIGADO AO ‘ESTADÃO’

O Estadão, orgulho da imprensa brasileira, cumprindo como sempre sua tradição de politicamente orientar o povo brasileiro, notadamente o paulista, lançou ontem uma reportagem oportuníssima SP cria fase de transição e libera culto e comércio. É uma verdadeira aula política de Perguntas & Respostas, composta de 13 itens, que orientam com precisão o teletrabalho, para controlar, como diz o Estadão, para transformar numa flexibilização (suavização) das medidas para o controle da transmissão do coronavírus em nova fase de transição do Plano SP, entre a vermelha e a laranja. Nesta nova fase, ainda informa, as lojas podem abrir em horários reduzidos e os cultos religiosos serem presenciais. É como diz o ditado “Quem é rei nunca perde a majestade!!! 

Louvores ao Estadão.

Antonio Brandileone abrandileone@uol.com.br

São Paulo

*

‘A RECIDIVA’

Quero parabenizar o jornal  O Estado de S. Paulo   pelo excelente e brilhante  editorial A recidiva (17/4 – A3).

Sidney Cantilena sidneycantilena@bol.com.br

São Paulo

*

HERÓIS, E NÃO VILÕES

Não concordo com o editorialista (A recidiva, Estadão, A3 - 17/4) quando escreve que “os muitos excessos do lavajatismo não apenas alimentaram o clima que viabilizou a vitória de Bolsonaro em 2018, como, agora, permitiram que Lula da Silva revigorasse sua força eleitoral e política, que vinha declinando depois de tantos anos de corrupção e desastre econômico”. Somente com “muitos excessos” que os heróis da “república de Curitiba” conseguiram quebrar a coluna da corrupção que imperava em nosso país desde o descobrimento. Se não fosse pelo trabalho incansável deles, o resultado dos processos triplex, sítio de Atibaia, etc., teria o mesmo fim que sempre tiveram os processos envolvendo os políticos corruptos: engavetados até a prescrição ou finalizados por falta de provas, pois bunker com milhões de reais e malas com milhares de reais não são provas suficientes para outros juízes e varas federais levarem para a cadeia os responsáveis e buscarem mais dinheiro para ser devolvido aos cofres públicos. Enfim, foi graças a “esses excessos” que nós, brasileiros, assistimos pela primeira e talvez única vez a bandidos de colarinho branco devolvendo dinheiro para os cofres públicos e sendo presos. Para mim, a culpa de termos dois incompetentes populistas sendo alçados ao cargo de presidente da República não é dos “heróis de Curitiba”, mas do STF, cujos ministros são incompetentes ou coniventes para julgarem corruptos, e dos eleitores que votam neles. 

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana/SP

*

POSSIBILIDADES

Bolsonaro é candidato. Graças ao STF, Lulla já pode ser. Outros estão ensaiando. O eleitor não deveria cometer a  mesma tolice mais de uma vez, mas aqui a possibilidade é enorme...

Ademir Fernandes standbyball@hotmail.com

São Paulo

*

BRASIL DO FAZ DE CONTA

Neste Brasil do faz de conta, dirigentes públicos, eleitos ou não nas urnas, primeiro defendem seus interesses e, se sobrar tempo, os clamores da população! Como no caso desta matéria do Estadão (15/04) em que tribunais de justiça de vários Estados, criam indenização para juízes que antecipam suas aposentadorias. Como no Tocantins, em que um desembargador que antecipou em quatro meses sua aposentadoria é beneficiado por um penduricalho de R$ 8,8 mil por ano trabalhado, que   pode lhe valer no mínimo uma indenização de R$ 300 mil, ou pouco menos que mil salários mínimos! Ou como já ocorreu em outro caso, com valor de indenização de R$ 628,7 mil! Um absurdo!  Diferente do trabalhador da iniciativa privada que, quando antecipa seu pedido de aposentadoria, é penalizado com o fator previdenciário e, em consequência, tem   redução no valor mensal de seu benefício.  Não por outra razão que temos no País, mais de 100 milhões de brasileiros sem serviços de água potável e saneamento básico. E outros milhões sem ter o que comer...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos 

*

O CABO E O SOLDADO

Em pouco tempo o presidente Jair Bolsonaro vai receber a visita de um cabo e um soldado que vão conduzi-lo para fora do Palácio do Planalto. Não, não haverá resistência, nem manifestação alguma, o Brasil e o mundo vão respirar aliviados com o afastamento de Bolsonaro da Presidência da República, depois de cumpridas as formalidades legais estabelecidas na Constituição. Nunca uma pessoa prejudicou tanto o Brasil como Jair Bolsonaro, a tragédia da pior gestão da pandemia no planeta, a devastação ambiental sem precedentes, a ruína social e econômica imposta pelo péssimo governo Bolsonaro. Cultura, Educação, só se vê terra arrasada. O Brasil terá que se agigantar para recuperar os prejuízos causados pelo pior presidente da história, mas poderá contar com a ajuda da comunidade internacional, que voltará a dialogar e ajudar o País depois da remoção de Bolsonaro do governo. Boa sorte Brasil.

Mário Barilá filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

DO AVESSO

Em carta enviada ao presidente dos Estados Unidos Joe Biden, o presidente Jair Bolsonaro se comprometeu a acabar com o desmatamento ilegal na Amazônia, mas necessitando, para tal, de recursos financeiros vultosos. Ou seja, Bolsonaro se apresenta ao mundo, agora, de pires na mão, de perfil mudado, de antecedentes negados, de ímpetos controlados, de sobrevivência política pesada e reavaliada, e de defensor das vacinas, e, assim, de tudo ao avesso, menos dele mesmo, que continua temporariamente recolhido, à espreita e à espera da sobrevida política que a CPI parlamentar da pandemia ameaça destruir.

Marcelo Gomes Jorge Feres Marcelo.gomes.jorge.feres@gmail.com

Rio de Janeiro

*

PASSANDO A BOAIADA 

O presidente Jair Bolsonaro deveria, urgentemente, aproveitar a onda de “baixas” ministeriais do seu desgoverno e substituir, também, o sofrível ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. O presidente americano Joe Biden, toda a comunidade europeia, juntamente com os brasileiros de bem, aguardam ansiosos. Afinal, a operação “passando a boiada” já teve início com as baixas de Eduardo Pazuello, Ernesto Araújo, Marcelo Álvaro, entre outros. O Brasil e o mundo agradecem!

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

DESABAFO

Nunca simpatizei com Bolsonaro, mas na última eleição para presidente me vi obrigado a votar nele para afastar o malfadado PT.   Confesso que fui petista e minha decepção foi tão grande que qualquer outra opção seria melhor do que continuar com toda aquela corrupção. Ledo engano... Vejo que do jeito que as coisas estão a tendência é só piorar. Estamos com uma Câmara de Deputados e um Senado omissos e, se não bastasse, um Supremo para lá de duvidoso, pois conseguiram livrar um ex- presidente  corrupto, tornando-o “mocinho” e pronto para concorrer às urnas.  Pode ser que Moro gostasse  dos holofotes,  mas a meu ver ele e seus auxiliares cumpriram seus deveres profissionais e patrióticos. Acompanho todos os dias os noticiários, seja nos jornais impressos ou pela TV, e fico pensando que todos pregam a mesma coisa: o povo precisa reagir...  e então me pergunto – como assim???   Diante da pandemia marcharemos pelas ruas com cartazes de impeachment? Onde estão os políticos eleitos para nos representar? Para estes tenho a resposta: estão preocupados somente com seus umbigos e olhando para 2022 esperando ser reeleitos, e o povo ingênuo  mais uma vez será enganado pelas falsas promessas eleitoreiras.

Gabriele di Giulio digiulio61@yahoo.com.br

São Roque

*

DEU PRA TI

Leio que o PT iniciou negociações para conseguir apoio de partidos de centro nas eleições de 2022. Barbaridade! Era só o que faltava. PT e Centrão, tudo a ver, tudo por dinheiro! Parem as máquinas, eu quero descer! “Deu pra ti”, Brasil, o último a sair apague a luz...

Celso David de Oliveira david.celso@gmail.com

Rio de Janeiro

*

LULA, ELEIÇÕES E SEGURANÇA JURÍDICA

 Pouco importa se Lula poderá ou não ser candidato e até voltar a governar este país, desde que, se ocorrer, seja dentro de um processo legal e sem vícios. O que incomoda, na decisão do Supremo Tribunal Federal, não é o suposto benefício auferido pelo paciente, mas a incerteza quanto a erros ou perseguições quando da condenação ou agora na sua revogação. Qualquer das alternativas conduz à insegurança jurídica, o cancro que corrói a sociedade. É surreal o quadro em que o réu – condenado em três instâncias, inclusive no próprio STF, sem que na oportunidade ninguém de lá tenha visto a impropriedade alegada por Fachin e acatada por seus colegas – já cumpriu mais de 500 dias de prisão e, de repente, tem as penas revogadas. Caímos na dúvida cruel: estiveram certos os julgadores de ontem ou estão os de hoje, já que as decisões são opostas. O Senado Federal, como órgão constitucionalmente revisor do STF, tem agora o dever de analisar o feito, fazer as revisões se necessárias e levar à sociedade as informações que possam eliminar as dúvidas ora presentes. Soltar ou prender o ex-presidente é mero detalhe. O importante é que, independentemente da decisão tomada, ela seja lastreada em apurações isentas e imparciais. Que haja a segurança de que a decisão seja baseada em fatos e estes enquadrados naquilo que determina o ordenamento jurídico. Sem agravar nem aliviar. Justiça é o que todos queremos, até por uma questão de segurança pessoal na vida em sociedade.

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

PESADELOS DE BOLSONARO

Bolsonaro terá pesadelos com o trio de senadores escolhido para os principais cargos na CPI da pandemia: Renan Calheiros, Omar Aziz e Randolfe Rodrigues. Têm espírito público. São calejados. Mas jogam duro. Não alisam.  Não darão trégua e exigirão punições severas aos maus brasileiros que desonram as funções que ocupam. É o que clama  a Nação, indignada, sofrida, humilhada, penalizada,  desorientada e desesperada. Sem vacinas suficientes e passando fome. Chorando por comida.  Orando pelos 360 mil brasileiros que partiram.  O jogo político não é para amadores.  “Quem for podre que se quebre”, alertou o senador pelo Amazonas. A CPI não pode virar  palanque eleitoral. Sob pena de cair no ralo do descrédito. Muito menos ser instrumento de caça às bruxas.  Porém, a tropa dos exaltados não esquecerá do  imenso rosário de sandices, deboches e insultos de Bolsonaro à ciência,  à covid-19, e aos adversários. Cobrará explicações. Aqui se faz, aqui se paga.  É  bom que o presidente continue pedindo socorro ao Todo-Poderoso. A batata dele vai assar. E o couro virar pandeiro para as eleições de 2022.

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com  

Brasília

*

SONHO MEU

Elena Landau,

Desconfio que 140 milhões de brasileiros estão sonhando bem parecido com você.

Será que vai adiantar?

(Sonho meu: Bolsonaro e filhos fogem do Brasil após impeachment, Elena Landau, Estadão, 16/4)

Mirna Pinsky mirnasg@uol.com.br

*

RESPONSABILIZAÇÃO

Os senhores Edson Fachin, Alexandre de Moraes, Dias Toffoli, Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski, Luís Roberto Barroso e as senhoras Rosa Weber e Cármen Lúcia, ao decidirem que a 13ª Vara Federal de Curitiba, comandada pelo então juiz federal Sérgio Moro, não tinha competência para processar e julgar o apedeuta de Garanhuns e, com isso, anularem suas condenações e fazerem com que essa figura execrável recupere seus direitos políticos, serão os únicos responsáveis pelo que vier acontecer em nosso país depois de 2022.

José Claudio Marmo Rizzo jcmrizzo@uol.com.br

São Paulo

*

LULA CANDIDATO

Até agora nenhum nome apareceu que possa bater Bolsonaro e Lula em 2022. Está na hora de tentar chapas que possam enfrentar os dois. Como o impeachment do Bolsonaro não tem chance depois da eleição de Arthur Lira e Rodrigo Pacheco no Congresso, acredito que uma chapa Hamilton Mourão como presidente e Sérgio Moro como vice teria grandes possibilidades de animar os eleitores. Quem sabe o PRTB (partido do Mourão) ou algum outro partido mais forte possa dar início ao processo. Certamente essa dupla teria o meu voto.

Alroger Luiz Gomes alroger-gomes@uol.com.br

Cotia

*

VIM PARA CONFUNDIR

Coletiva no Palácio dos Bandeirantes, dia 16/4:

Pergunta: Os bares estão autorizados a servir bebida?

Resposta: Não. Mas tem bares com CNPJ que permite servir refeições

Pergunta: Os restaurantes podem servir bebida junto com a comida?

Resposta: Podem.

Diálogo num bar: Sr. Zé, o seu CNPJ permite servir comida?

– Permite.

– Então me dá um croquete e uma pinga...!

Alberto Mac Dowell de Figueiredo amdfigueiredo@terra.com.br

 São Carlos

*

SALÁRIO MÍNIMO

A Constituição define que o salário mínimo tem como objetivo garantir uma renda para uma família cobrir as despesas essenciais. Como aceitar a hipótese de mais um reajuste insignificante a ser aplicado no atual salário mínimo.?

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

DIA DO LIVRO INFANTIL

Hoje é o  Dia Nacional do Livro Infantil, data de nascimento de Monteiro Lobato, de quem fui leitor quando criança.

Viva o Livro Infantil! Viva Monteiro Lobato!

João Baptista Herkenhoff  jbpherkenhoff@gmail.com

Vitória

*

PRÍNCIPE PHILIP

Em plena pandemia, o funeral do príncipe Philip deu um exemplo de respeito, sobriedade e tradição. Aconteceu um minuto de silêncio; até o tráfego aéreo londrino se curvou. O protocolo centenário, cheio de requinte, foi rigorosamente obedecido e a recomendação ao público do não comparecimento para evitar aglomeração foi seguida. O príncipe Philip, com sua praticidade descontraída, um pouco diferente do espírito da corte, sempre foi muito respeitado, querido, admirado pelo público e os membros da familial real. Que Deus o acolha.

 

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

*

Acima do simbolismo presente no funeral do príncipe Philip, a permanência da monarquia , o que me tocou  foi o profundo respeito com o perigo da pandemia. As imagens da rainha e da família real usando máscaras e guardando distanciamento são uma lição de humildade e decoro que permanecerão ao longo da história. Assim como as imagens e declarações de escárnio em relação à pandemia de Bolsonaro também farão parte deste triste período da história do Brasil. 

Sandra Maria Gonçalves sandgon46@gmail.com

São Paulo

*


 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.