Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

20 de abril de 2021 | 03h00

Pandemia

Tratamento precoce

Na reportagem Tratamento precoce racha organizações e faz médicos irem ao Ministério Público (Estado de domingo) temos a confirmação do que muitos já estranhavam: o silêncio e, agora, o apoio aos médicos que adotam o tratamento precoce, do Conselho Federal de Medicina (CFM) e de outras entidades.

A História vai julgar todos eles.

PEDRO COSTA PEDRO_PAULOCOSTA@YAHOO.COM.BR

SÃO PAULO

Negligência

O uso de cloroquina para tratamento precoce de pacientes com covid é malpractice, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) e associações médicas de países desenvolvidos. Já na “ilha” brasileira...

ETELVINO JOSÉ HENRIQUES BECHARA EJHBECHARA@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Kit covid

Parabéns ao dr. Bruno Caramelli pela iniciativa contra o tal kit covid. É inadmissível a prescrição tanto de fármacos que não têm comprovação de eficácia quanto dos que já têm comprovada a ineficácia. Se funcionassem, não percebem os incautos que não teríamos tais índices de morbimortalidade por covid-19? E se esses bestiais ideológicos resolvessem atuar também na terapia contra o câncer? O CFM diria também que o mais importante é a independência do médico, não o tratamento baseado em evidências – e, portanto, dane-se o paciente? Sobre a eficiência das máscaras em evitar a transmissão de infecções, se os médicos que operaram o presidente não as usassem durante sua cirurgia, estaria ainda vivo tal paciente? Parabéns ao CFM, que está inaugurando informalmente uma nova especialidade médica, a medicina ideológica.

JOSÉ EDUARDO ZAMBON ELIAS ZAMBONELIAS@HOTMAIL.COM

MARÍLIA

*

Vacinação e disciplina

Além dos fatores apresentados no artigo de 15/4 (Liderança na vacinação em massa, os casos de Israel e Serrana - A2) sobre a vacinação anticovid em Israel e no município de Serrana (SP), há outro importante: a disciplina. Ilustro com um incidente: eu guiava um grupo de turistas do sexo feminino através de uma mata no Pantanal quando, repentinamente, nos encontramos no meio de uma legião das agressivas formigas-correição, que prontamente começaram a subir-lhes pelas pernas, mordendo. Orientei a turma a correr para um campo aberto distante 30 ou 40 metros, despir-se da cintura para baixo e remover as formigas com as mãos. Mal terminei de falar, duas israelenses, reservistas do Exército, precipitaram-se da mata para fora e ato contínuo se desfizeram dos trajes e das formigas em instantes. Quando as demais turistas lá chegaram, as israelenses – acostumadas a correr para abrigos antimísseis ao ouvir o alarme em sua terra – já estavam vestidas e livres dos insetos.

JOHN CONINGHAM NETTO MARIA.CONINGHAM@GMAIL.COM

CAMPINAS

*

Eleição e corrupção

Campanha antecipada

Lamentavelmente, na ânsia de ocupar espaços, Lula e Bolsonaro estão antecipando as eleições que serão realizadas no segundo semestre de 2022. Ora, nada justifica que um e outro desde já procurem o eleitorado, quando muita água haverá de passar sob a ponte. O governo federal se imobiliza e gasta todo o tempo para combater o demiurgo pernambucano e este parte em campanha aberta querendo fazer crer que é o maior estadista do planeta. Quanta aflição esses dois medíocres criam para a população, tentando fixar no eleitorado o triste dilema de ter de escolher um ou outro. É óbvio que a maioria dos brasileiros repudia esse falso dilema. Haverá um terceiro nome que certamente atenderá aos interesses dos que desejam paz, tranquilidade, reconciliação e, acima de tudo, desenvolvimento econômico. Em pouco tempo de governo, Michel Temer conseguiu tudo isso – baixou os juros, reformou o ensino médio, pôs ordem nas finanças, deixou o País em crescimento positivo, fez a reforma trabalhista e fixou o teto de gastos públicos. O povo espera que no momento adequado, resolvida a fase crítica da pandemia, um candidato de centro se consolide. Aí as eleições não serão monopólio de Lula ou Bolsonaro!

JOSE EDUARDO BANDEIRA DE MELLO  JOSEDUMELLO@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Judiciário desacreditado

Um dos valores maiores perseguidos pelo Direito é, sem dúvida, a segurança jurídica. Entretanto, na contramão desse princípio basilar, é o próprio Judiciário que alimenta a insegurança jurídica. Sem entrar no mérito da competência ou não da 13.ª Vara Federal de Curitiba para julgar o ex-presidente Lula da Silva, chama a atenção que só agora, após mais de cinco anos, o Judiciário entenda que esse juízo era incompetente. Quer dizer que, até então, o Judiciário, por seus juízes e tribunais, fez tábula rasa de um dos requisitos fundamentais para a idônea prestação jurisdicional: a competência? E tudo fica por isso mesmo? Os mesmos integrantes do Judiciário que mandam prender e soltar, a seu exclusivo critério, não são responsabilizados por seus atos comissivos e omissivos? Ao que parece, eles são intocáveis.

JUNIA VERNA FERREIRA DE SOUZA JUNIAVERNA@UOL.COM.BR

SÃO PAULO

*

De suspeição

Quem vai julgar a suspeição dos ministros Lewandowski, Toffoli, Fachin e outros na votação que anulou as condenações do demiurgo de Garanhuns?!

JOSÉ GILBERTO SILVESTRINI JGSILVESTRINI@GMAIL.COM

PIRASSUNUNGA

*

Esdrúxulo

Não fossem tantos, entre os nossos nobres congressistas,

os processados ou com processos engavetados, será que se atreveriam os nossos egrégios ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) a proferir essas decisões absurdas, baseadas em fundamentações esdrúxulas, para justificar o injustificável? Em tempo: Renan Calheiros, réu em vários processos por diversos crimes, relator de uma CPI?! O que está acontecendo, meu Deus?

ELIE BARRAK EGBARRAK@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

BRASÍLIA, SUBLIME E BELA – HOMENAGEM AOS 61 ANOS DE BRASÍLIA

Transformo em anjos/ os regaços dos eixos/em pétalas de esperanças/o cimento e o ferro das construções/o verde acolhe o escurecer dos viadutos/concretos brincam com a brisa/são parceiros do pôr do sol/ pioneiros energizam o amanhecer/o aroma das árvores frutíferas/lança sementes para o céu/ que molda, pinta e eterniza/ Brasília para os deuses do amor.

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília

*

PANDEMIA E ECONOMIA

Agora as grandes lideranças econômicas globais, após tomarem conhecimento do estrago que essa pandemia provocou no sistema macroeconômico de todos os países, estão se movimentando no sentido de dar soluções a tais problemas. Tal movimento das elites chega inclusive a possibilitar que abram mão de parte de seus interesses, como por exemplo permitindo a taxação de seus lucros, possibilitando que o poder público onde atuam tenha condições de dar solução às mazelas que dita infecção virótica produziu em todo o planeta.


José Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro


*

 UMA QUADRILHA DOMINANDO O MEIO AMBIENTE


Após o superintendente da PF no Amazonas, Alexandre Saraiva, ter sido exonerado depois de enviar ao STF notícia-crime contra o ministro do Meio Ambiente. A acusação foi de obstrução de investigação ambiental, em caso ligado à extração ilegal de madeira. A cena a que pudemos assistir na TV, do ministro defronte a uma pilha enorme de toras apreendidas, foi chocante. Uma operação de apreensão histórica,  131 mil m³ em tora. Na cena da TV, o ministro mostra para a fiscalização que a carga está acompanhada da documentação competente para ser liberada. Ora, há décadas sabemos das falsificações de documentação no roubo das árvores públicas. Qualquer ministro do Meio Ambiente, digno do cargo, indignar-se-ia com a quantidade de árvores cortadas. Não o ministro Salles, que em reunião ministerial propôs passar a boiada, enquanto a imprensa está focada nas pessoas que estão morrendo aos milhares, vítimas do vírus. Salles fez mais, reduziu o poder de multar dos fiscais do Ibama, obrigando a infração passar antes pelo crivo do superior, embaralhando o processo, tornando-o, na prática, impagável. Também, para compor o quadro da devastação, temos os grileiros, principalmente de terras indígenas. Obviamente cúmplice, o chefe do Executivo enviou carta ao presidente norte-americano propondo acabar com o desmatamento ilegal até 2030, mediante auxílio financeiro internacional. A data escolhida tem um significado especial, pois, é a mesma do acordo de Paris para frear o aquecimento global em um acréscimo máximo de até 1,5 °C, em relação à data da sua assinatura. Oito anos para desbaratar as quadrilhas que vêm roubando patrimônio público é muito tempo. Além dos satélites disponíveis para tanto, precisamos reforçar a fiscalização e aprovar leis mais rigorosas.  Mais uma vez, passaremos vergonha! 

 

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br

São Paulo


*

DISPUTA PELA PRESIDÊNCIA


Tudo indica que a disputa pela Presidência em 2022 reunirá novamente apenas dois candidatos com chances reais de vitória: Bolsonaro, ainda sem partido, e Lula, pelo “SPTF”.

É cedo para saber quem sairá vencedor, mas certamente haverá um perdedor: o Brasil. 


J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo


*


O PAPEL DA JUSTIÇA NO FRACASSO BRASILEIRO


A entrevista com o juiz Gilmar Mendes deixa claro o enorme papel do sistema Judiciário no fracasso do País. “Não foi uma absolvição“, diz Gilmar sobre a lambança do caso Lula, mas também não foi uma condenação, foi uma grande lambança. O sistema Judiciário brasileiro nunca decide nada, quando o faz, faz errado. A tal sentença condenatória transitada em julgado é uma quimera que não existe no mundo real. Os esquemas de corrupção contam com a inestimável inoperância do sistema Judiciário para prosperar; a justiça não teve tempo nem vontade para se debruçar sobre o caso das malas de dinheiro de Aécio Neves, por exemplo. Uma justiça que deixa um ex-presidente da República preso por mais de um ano, tolhe o direito do cidadão disputar a eleição presidencial para depois dizer, ops, foi mal, errei. O Brasil espera que o sistema Judiciário se agigante, crie vergonha na cara e cumpra o seu dever no caso do presidente da República envolvido até a alma em crimes de lesa-humanidade, genocídio e ecocídio. Pode ser a última chance de o STF se redimir das lambanças e evitar uma revolução popular.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

 

*


LULA “MAROLINHA”  X BOLSONARO “GRIPEZINHA”


Os petistas comemoram a decisão do STF de anular sua condenação na Operação Lava Jato,  porque “julgaram” que Curitiba não era o endereço legal para tocar o processo  que  deverá ser transferido para Brasília ou São Paulo. Comemoram com razão, porque tal decisão dá ao Lula a possibilidade de poder concorrer em 2022, já  que essa palhaçada terminará  em prescrição do processo porque, enquanto criminosos têm velocidade de jato, a justiça anda em passo de tartaruga. A decisão que definiu a nulidade da condenação, obrigou o STF adiantar que não será estendida a outros processos nos quais estão os mesmos prejudicados pelo “quadrilhão”  que montaram no governo do inocente  Lula. Ora, ora, me enganem que eu gosto, porque todos eles pedirão o mesmo benefício dado ao Lula, por que não?  Outra questão está na grana recuperada pela Operação Lava Jato, mais de R$ 4 bilhões, terá que ser devolvida àqueles de quem a justiça tirou,  né não? Agora, alguns ministros que levaram a  essa votação,  devem ter tido orgasmos pois terá que alcançar o ex-juiz Sérgio Moro, porque, se inocentarem o Lula,  quem o incriminou terá que ser processado, e certamente será declarado culpado. Duro será em 2022 ter de escolher para presidente entre Lula “Marolinha” com chance de ser eleito porque irá concorrer contra o Bolsonaro “Gripezinha”, em cuja Presidência já morreram quase 400 mil brasileiros, porque não levou a sério a pandemia. Se Lula for inocentado por idade, porque não terá mais condições de responder ao processo, então menos ainda terá condições de governar um país!

 Laércio   Zannini spettro@uol.com.br

São Paulo


*


 FALTA MORAL


Presidente da Câmara, cidadão ficha-suja,  ameaça o Executivo. Ministros do STF, cooptados pela corrupção e dublês de advogados de bandidos e de seus padrinhos, ameaçando o Executivo e protagonizando a ditadura do Judiciário. Executivo ameaçando a todos, quando no seio de amigos e familiares os rastros da  podridão estão claros como a luz do sol. Réu em 17 processos por corrupção vira relator de processo.  Não existe hoje a menor possibilidade de conciliação, embora finjam e achem ser possível. O povo está cansado de tanta sordidez. O ponto de ruptura foi alcançado. Em 1964 por muito menos conseguiram restaurar a ordem.


Paulo Henrique Coimbra de Oliveira ph.coimbraoliveira@gmail.com

Rio de Janeiro


*

AFINAL, DEUS É BRASILEIRO!

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, conforme determinação da ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Cármen Lúcia, terá que explicar porque ainda não analisou as centenas de pedidos de impeachment contra Jair Bolsonaro. Com mais essa “paulada” e acuadíssimo, Bolsonaro respondeu: “Só Deus me tira da cadeira presidencial”. Afinal, esqueceu que Deus é brasileiro e contrário ao genocídio instalado no Brasil, óquei “Messias”?

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*


JUÍZES FAJUTOS


Lula, PT e partidos satélites saquearam o Brasil. Os efeitos destas ações deletérias foram menos educação, saúde, infraestrutura e outros. Que diferença faz ele ser julgado em Curitiba, São Paulo ou Brasília. Isto é filigrana jurídica. Certamente o foi em Curitiba, pois lá estava o único juiz competente, corajoso e preparado para tanto. Infelizmente a composição do STF só tem “juízes” que agora estão sendo cobrados pelos réus que os nomearam para pagar suas dívidas. Na verdade são simples advogados de porta de xadrez fantasiados de ministros. Simples assim.


Iria de Sá Dodde iriadodde@hotmail.com

Rio de Janeiro


*


FASE VERMELHA


O Estado de São Paulo deve ser o único do País que criou uma fase vermelha com agravante (fase emergencial) e uma fase vermelha com atenuante (fase de transição).


Luiz Roberto Da Costa Jr. lrcostajr@uol.com.br

Campinas


*

VERSOS PARA O VÍRUS

Adeus covid, o remédio chegou e a tua vida acabou.

Você achou que nos venceria, mas você não sabia que iria ser nossa a vitória, o que nos enche de glória.

E a partir de agora seremos livres vida afora.

Sem a tua presença teremos uma vida intensa, com risos e alegria por ficarmos livres da pandemia.

Sem máscara e sem distanciamento dentro de um novo momento, vamos poder nos abraçar e voltar a sermos os seres humanos que somos e deixarmos de nos afastar, como afastados por você fomos.

Adeus corona com cara de mamona, vai sem saudades deixar

Para sempre e para sempre, para sempre, para sempre e para sempre

Ufffffa, que coisa!!!

José Carlos Piçarra jspicarra2019@gmail.com

São Paulo


*

AMEAÇAS DE BOLSONARO


Em seus contatos frequentes com seus seguidores, que equivalem aos “mortadelas” , “coxinhas” e outros grupos políticos, Bolsonaro faz ameaças , diz ser vítima de pretensa conspiração e conclama que a “população lhe indique os rumos da nação” . Que população? Aquele pessoal que perambula por Brasília para aplaudi-lo ? Devemos lembrar que seus admiradores armados já chegam a meio milhão, representando um exército poderoso, que contempla fanáticos de toda sorte, negacionistas, religiosos e outros, que fazem parte da tal população. 

Carlos Gonçalves de Faria  marshalfaria@gmail.com

São Paulo

*

TRATAMENTO PRECOCE DIVIDE A CIÊNCIA


Com todo o respeito, mas a ciência tem de se declarar incompetente,  e liberar os médicos a clinicarem conforme o que se faz necessário para cada paciente,  após examinado, e, se possível, obtendo a concordância do doente ou de seus familiares. A ciência tem de admitir que a única certeza sobre a covid-19 é que tudo são dúvidas!!! 


Arcangelo Sforcin Filho despachante2121@gmail.com

São Paulo


*


FIM DO SONHO


Nossa atenção está focada na carga diária das péssimas notícias sobre a covid-19 e da consequente falta de perspectivas econômicas, graças às atitudes, sempre lesa-pátria, de Jair Cloroquina Bolsonaro. Este não aprende, e não faz questão de aprender com os seus erros crassos. Poucos percebem que o sonho da maioria dos nossos jovens, até os qualificados, é de ir embora para construir um futuro melhor em um outro país (conheço vários casos de técnicos graduados em nossas melhores universidades). Embora essa falta de esperança não tenha sido causada somente por este desgoverno, certamente as atitudes erráticas e a mediocridade de Bolsonaro acabaram com o que sobrou da esperança em dias melhores. Triste é o país cujos jovens não acreditam mais nele!


Omar El Seoud elseoud.usp@gmail.com

São Paulo



*

HORA DE GOVERNAR


O presidente Bolsonaro disse recentemente que aguarda sinalização do povo para tomar providências. Na Constituição Federal estão descritos os direitos e deveres do presidente e de todos os outros membros do governo, e é nela que o presidente deve se balizar para tomar providências. Acho que ele não entendeu o recado do povo quando o elegeu. Ele foi eleito para combater a corrupção que assola o governo de forma incansável, para melhorar a situação da economia do Brasil, criando maneiras das empresas crescerem e gerarem empregos, para ser um estadista, assegurando nossa representatividade, aumentando o comércio de nossos produtos no exterior, para cuidar de nossas riquezas naturais e não destruir o que temos incentivando o desmatamento. Além disso, presidente, o senhor deve cuidar da saúde da população, parando de ser negacionista, colocando recursos necessários como vacinas, oxigênio, kits de intubação e remédios para minimizar os efeitos da pandemia, além de conseguir recursos financeiros decentes para diminuir o sofrimento das famílias com a falta de alimentos. Presidente, o recado das urnas foi claro, basta começar a ouvir e não somente escutar. Não queremos um ditador, queremos um presidente de verdade, alguém que aja de maneira coerente, e não um “birrento” que sempre que ouve alguma crítica, se irrita e esperneia como um menino mimado. Pare de pensar em 2022 e comece a governar o nosso país, com certeza, se fizer isso, será reeleito.

Valdecir Ginevro valdecir.ginevro@uol.com.br

São José dos Campos

 

*

PRIMEIRO MOSTRAR SERVIÇO

“A Amazônia é nossa e o Brasil não aceita interferência do exterior”: o berro do presidente Bolsonaro assustou e afastou os financiadores estrangeiros. Mas, assim que esfriou a cabeça, o presidente se arrependeu, pois percebeu que perdeu bilhões de dólares à toa. No entanto, mesmo sabendo que vai ter uma verdadeira interferência internacional, o presidente Bolsonaro aceitou o convite do presidente Biden para participar da reunião da cúpula climática, nos dias 22 e 23 de abril. Para este evento, Bolsonaro enviou ao presidente americano uma carta de intenção/pretensão do governo brasileiro para a proteção da Região Amazônica. Ele estava confiante de que os países desenvolvidos ficariam sensibilizados e financiariam facilmente o seu programa, pois a Amazônia é conhecida como o “pulmão da Terra”, visto que produz cerca de 16% do oxigênio do planeta. No entanto, John Kerry, assessor especial do presidente Biden, está preocupado não só com o desmatamento em si da região, mas também com a destruição da comunidade que vive lá: os rios, as árvores, os insetos, os animais silvestres, as comunidades indígenas e, ainda, a sociedade civil. E mandou um recado ao presidente Bolsonaro de que “o Brasil deve mostrar o trabalho para proteger a região da Amazônia, e então o seu programa será avaliado. Traduzindo o recado do presidente Biden, espera-se que o Brasil trabalhe sério e mostre que protege a comunidade da região Amazônica como um todo e então terá a sua parte do financiamento.

Felizmente os estrangeiros conhecem bem os brasileiros!


Tomomasa Yano tyanosan@gmail.com

Campinas

*

RESPONSABILIDADES

Considero que nós da classe médica somos os maiores responsáveis pelo desastre na saúde pública, ao aceitarmos que se prescrevam tratamentos ineficazes e inseguros, ao aceitarmos que sejam negadas medidas eficientes de combate e ao aceitarmos que o combate fosse dirigido por um general sem experiência em saúde  pública  e agora por um médico que já se desculpou com o presidente se não conseguir convencê-lo a adotar medidas necessárias e inadiáveis.

 

Antonio Carlos Botta de Assis acbotta@uol.com.br

Bragança Paulista

*

POPULAÇÃO DE RUA EM SANTOS


Muito importante o noticiário  sobre o trabalho voluntariado em apoio à população de rua em Santos, esperando que as universidades, associações de classe, sindicatos, clubes dos lojistas, fórum da cidadania, OAB, MP e demais organizações possam apoiar a iniciativa. Temos que unir forças e toda a comunidade para que estes nossos irmãos em essência, que estão infelizmente nas ruas, possam sair desta triste situação e serem ou encaminhados às suas famílias e cidades de origem ou reintegrados à sociedade e ao trabalho, de modo a dar valor à dignidade humana.


Cláudio Magalhães prof.claudiomagalhaes@gmail.com

Santos


*


ENSINO HÍBRIDO

A propósito do artigo Ensino híbrido, a nova realidade com a covid-19 (Estadão), não me parece que o professor Mozart Neves Ramos esteja considerando a realidade educacional brasileira criada pela covid-19, ao propor a implementação do “novo” ensino médio, principalmente se levarmos em consideração que, por algum tempo ainda, teremos os estudantes parcialmente retornando ao ensino presencial. Não há dúvida que a pandemia criou uma nova realidade que favorece o ensino híbrido, mas não se presta para o início de implantação de um currículo principalmente na rede pública estadual, quando sabemos que a grande maioria dos estudantes não dispõe de tecnologia adequada para o ensino não presencial, seja em que modalidade for. O que precisamos no momento, é recuperar o que não foi aprendido no ano de 2020 e não iniciar uma nova proposta curricular, denominada Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

 

João Cardoso Palma Filho jcpalmafilho@uol.com.br

Ex-secretário adjunto de Educação do Estado de São Paulo

São Paulo

*

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.