Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Notas & Informações, O Estado de S.Paulo

28 de abril de 2021 | 03h00

FÓRUM DE QUARTA-FEIRA 28.4

Pandemia

Novos ares

O presidente Jair Bolsonaro não conseguiu na CPI o mesmo êxito que alcançou na Polícia Federal e na Procuradoria-Geral da República, isto é, empossar seus partidários. Assim, talvez agora nossa democracia respire ares diferentes dos que vem respirando há dois anos. Ares de onipotência e arrogância de um pseudodemocrata que sonhou ser rei de um feudo submisso que se sentiria muito feliz por ser governado por ele e por sua tropa.

MARCELO GOMES JORGE FERES

MARCELO.GOMES.JORGE.FERES@GMAIL.COM

RIO DE JANEIRO

*

Política à parte

O senador Omar Aziz (PSD-AM), eleito presidente da CPI que vai investigar os procedimentos do governo Bolsonaro com relação à covid-19, foi enfático ao dizer que “não se pode fazer política quando o País já acumula quase 400 mil mortes”. Que poderiam ter sido limitadas se os organismos de saúde federais tivessem tomado as medidas necessárias.

URIEL VILLAS BOAS URIELVILLASBOAS@YAHOO.COM.BR

SANTOS

*

CPI ameaçada

Atrasada, por omissão de nossos representantes no Congresso Nacional, a comissão parlamentar de inquérito (CPI) foi instalada ontem. Mas corre o risco de não funcionar como todos nós esperamos. Nossos representantes, normalmente ansiosos e alguns emocionalmente afetados, se esqueceram do maior inimigo que paira sobre a CPI: a chuva de perdigotos e aerossóis (gotículas invisíveis) produzidos por alguns renomados e altissonantes oradores. E, obviamente, da tendência de se aglomerarem, até mesmo se tocarem ao sussurrar nos ouvidos uns dos outros. Ao ligar a TV, observamos muitos dos futuros beligerantes sem máscara. Esperamos que todos os seus membros e funcionários sejam testados. E hoje já produzimos “limpador de seres invisíveis no ar” na USP, que pode ser usado. O ideal seria os mais ansiosos, que bebem água, café e comem lanchinhos continuamente, fazê-lo em salinha separada. E todos usarem as máscaras corretamente, evitando contato da mão para ajustá-las quando deslizam pelo nariz.

EDUARDO JOSÉ DAROS DAROS@TRANSPORTE.ORG.BR

SÃO PAULO

*

Rei do gado

Bem, nestes dois anos e quatro meses as ações e escaramuças desse governo com os opositores foram protagonizadas por amadores. Agora entra na arena um profissional, com mestrado. Portanto, que o sr. presidente tenha muita calma nessa hora, para a coisa não desandar.

JOSE PERIN GARCIA JPERIN@UOL.COM.BR

SANTO ANDRÉ

*

Chance histórica

A imagem pública do senador Renan Calheiros (MDB-AL) é completamente desgastada e borrada pelo fisiologismo. Como relator da CPI da covid, Calheiros terá a oportunidade única de restaurar a si mesmo e não acabar na lata de lixo da História. Os combalidos brasileiros esperam que o emedebista não faça à sua imagem o que fez aquela senhorinha espanhola que, ao tentar recuperar o afresco Ecce Homo no santuário de Borja, na Espanha, fez “a pior restauração do mundo”.

TÚLLIO MARCO SOARES CARVALHO

TULLIOCARVALHO.ADVOCACIA@GMAIL.COM

BELO HORIZONTE

*

Kit paciência

Para acompanhar os trabalhos legislativos, o eleitor vai precisar de um kit paciência para aguentar as tentativas de usar o kit obstrução na CPI criada para investigar as ações do governo que defende o kit covid e não entrega o kit intubação.

LUIZ ROBERTO DA COSTA JR. LRCOSTAJR@UOL.COM.BR

CAMPINAS

*

Bola da vez

Sempre fugindo à responsabilidade por seus atos insensatos, Bolsonaro lança sobre o obediente general logístico e ex-antiministro da Saúde a culpa pelos desmandos na pasta, onde ele só obedecia ao chefe. O bolinha da vez é tão amestrado que foi flagrado sem máscara num shopping em Manaus, aonde foi para ver se descobre onde perdeu os tubos de oxigênio que o mantinham respirando o ar da graça presidencial.

PAULO SERGIO ARISI PAULO.ARISI@GMAIL.COM

PORTO ALEGRE

*

Muito esperto

Esse general Eduardo Pazuello é muito mais esperto do que um tenente promovido a capitão, na Justiça, poderia imaginar. Lembram-se do “um manda, o outro obedece”? Pois é, enquanto o que manda se descabela na CPI da pandemia, o que obedece foi passear num shopping, em Manaus, sem máscara, para gastar a grana que ganhou com a demissão do ministério. Tranquilão.

ABEL PIRES RODRIGUES ABEL@KNN.COM.BR

RIO DE JANEIRO

*

Ainda o intendente

Sempre obediente ao chefe, ele estava sem máscara. Mas o que o intendente está fazendo, de fato, justamente em Manaus?

GUTO PACHECO  JAM.PACHECO@UOL.COM.BR

SÃO PAULO

*

Caxias

Ao ver a atitude do general de desobedecer ao uso de máscara, fiquei a pensar que Caxias deve ter-se revirado no túmulo, pois seu legado ao Exército é ordem e disciplina.

JOSÉ ROBERTO PALMA PALMAJOSEROBERTO@YAHOO.COM.BR

SÃO PAULO

*

Os Pazuellos da vida

Tenho 74 anos e quando era jovem existia hierarquia nas Forças Armadas e – principalmente no Exército – qualquer indisciplina era punida com rigor. Hoje, pelo o que se vê, tudo mudou. O posto máximo é o de capitão, depois vem o general de três estrelas, indisciplinado, com profundo desprezo pela vida dos brasileiros. E assim vai, ou seja, tudo junto e misturado. Infelizmente, não se observa movimento algum no topo das Armas, mas fica aquele alerta: quando a política entra pela porta da frente de um quartel, a disciplina e a hierarquia saem pela porta dos fundos.

PEDRO LUIZ LEOPARDI LEOPARDI73@GMAIL.COM

JUNDIAÍ

*

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

ÉTICA

No Brasil “ética”, em muitos casos visíveis, é letra morta, quando deveria ser o norte para quem está no topo dar bom exemplo. Assim, ignorando a “ética”, é como se colocasse a raposa para tomar conta do galinheiro. É um contrassenso! Na “CPI da Covid”, Renan Calheiros (envolvido em muitos processos) vai ocupar um cargo de suma importância, relator, e o seu filho é governador de Alagoas. Renan disse que será imparcial. No julgamento da parcialidade do ex-juiz Sérgio Moro o STF o considerou parcial e no habeas corpus de Lula o STF concedeu salvo-conduto ao ex-presidente, em ambos os casos muitos dos ministros tinham ligação com Lula (advogado do PT e ministro na época de Lula presidente) e não consideraram antiético votar para favorecer Lula e prejudicar Moro – o inédito foram os julgadores sem ética e parcialidade inocentar o ex-presidente “mais desonesto do Brasil” e a parcialidade na condenação “política” de Moro. Parece mentira, mas é verdade.

 

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vela Velha (ES)


*

MORTOS PELA PANDEMIA

Ao tempo em que o “presidente de cemitério Bolsonaro” (apud jurista Miguel Reale Jr.) ameaça “pôr as Forças Armadas na rua para acabar com essa covardia de toque de recolher de vários Estados”, cabe, por oportuno, destacar a preocupante e macabra informação de que somente nestes quase 4 meses de 2021 já morreram cerca de 196 mil pessoas no País, mais do que o total de 195 mil óbitos registrados durante todo o ano passado. Enquanto o morticínio segue ceifando vidas Brasil afora, o negacionista presidente JB segue fazendo menoscabo da pandemia e dos mortos. Até quando?!

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

CÃO QUE LADRA NÃO MORDE

Apesar de denunciado pela segunda vez como genocida no Tribunal Penal Internacional de Haia, o presidente Jair Bolsonaro agora pressiona os governadores dizendo “meu exército” pode ir para a rua e acabar com essa “covardia de toque de recolher”. Acontece que os próprios militares não apoiam e reclamam da postura de Bolsonaro que é contrário às restrições. Desacreditado e acuado o presidente deixa clara a sua fragilidade, sendo até considerado “café com leite”.  Afinal é sabido que cão que ladra não morde, como já dizia aquela senhorinha de Taubaté!

 


Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

           

*


DESALENTOS E POTENCIALIDADES

Impressionante o desalento de grande parte de nossa população, em razão das realidades sociais, políticas  e econômicas que vivenciamos, agora agravadas por essa pandemia global, que nos atinge fortemente ante ainda a inércia governamental desde quando ela surgiu por aqui, no início do ano passado. Temos de encontrar forças e novas lideranças positivas, no sentido de dar soluções adequadas a esses males que nos atingem, para que possamos sair desses momentos conturbados de nossa História, rumo a um processo de desenvolvimento que nos permita  construir a grande Nação que tanto sonhamos e temos condições de ser, em razão das imensas potencialidades que possuímos.


José de Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro


*


A AÇÃO DOS GOVERNADORES


Não fosse a atuação incisiva e constante dos governadores do País, especialmente a do governador João Doria, de São Paulo, as mortes estariam em um patamar muito mais elevado, porque enquanto morriam brasileiros, Bolsonaro demonstrava seu negacionismo, asseverando o pouco perigo da gripezinha, e não faltou com o aconselhamento a todos para não usarem máscaras e se aglomerarem. A CPI da Covid-19 precisa narrar todos esses fatos pormenorizadamente, a fim de que Bolsonaro não consiga escamotear a verdade nem fugir dela, suportando as consequências de seus atos.


José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojcc@uol.com.br

Rio Claro


*

APENAS INVEJA


Na minha visão Sergio Moro só cometeu um erro e isto lhe custou caro. Acreditar em Bolsonaro. Seu limite de competência era a 13ª Vara Federal de Curitiba. Lá trabalhou como todo e qualquer juiz deveria trabalhar. Com seriedade, afinco e segurança. O STF, pelos seus membros, salvo raras exceções, tinha verdadeira inveja do trabalho dele.  Eram incapazes de dialogar com ele. No pouco tempo que lá esteve botou mais gente na cadeia e recuperou o  dinheiro roubado, coisa que o STF nunca  fez desde a sua criação. STF, uma vergonha nacional.


Paulo Henrique Coimbra de Oliveira ph.coimbraoliveira@gmail.com

Rio de Janeiro


*


GASTOS DA PRIMEIRA-DAMA

Como reflexo de um governo irresponsável, é de estarrecer que o programa social Pátria Voluntária, dirigido pela primeira-dama Michelle Bolsonaro, em dois anos de vigência gastou muito mais com propaganda e para manter site no ar, R$ 9,398 milhões, e muito menos, R$ 5,89 milhões, de recursos doados por empresas e pessoas físicas, com doações para entidades sociais, para, principalmente, distribuir cestas básicas para pessoas carentes.  É prova da falta de inteligência e seriedade desta gestão de Jair Bolsonaro. Com os R$ 9,398 milhões, (recursos dos contribuintes) que foram utilizados para anunciar o programa social,   milhares de outras famílias teriam sido beneficiadas com cestas básicas.  Ora, como governos totalitários, Bolsonaro também prefere gastar mais com propaganda do que levar benefício ao seu povo...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

ABERTURA DA CPI DA PANDEMIA

Ao ver a abertura da CPI da Covid, é trágico ter de concordar com o discurso de Renan Calheiros, seu relator. Bizarro este país. Bizarros homens públicos. Bizarros bandidos que empunham a espada da justiça. Os ventos sinistros das mortes dos inocentes assombrarão as mentes dessas criaturas de alguma forma? Se Shakespeare fosse vivo, imaginaria uma tragédia mais vingativa e sanguinolenta?


Elisabeth Migliavacca

São Paulo

*

SANTO DO PAU OCO

Destemperos pinçados do discurso do senador Renan Calheiros (MDB-AL), o santo do pau oco, escolhido para a relatoria da CPI da Covid-19: “Estamos perdendo quase 400 mil vidas, diante de um apartheid sanitário mundial (?). Um flagelo divino que nos trouxe a esse quadro. Uma tragédia que poderia ser atenuada. Ninguém nos quer. Os crimes contra a humanidade não prescrevem. Façamos a nossa parte. Querem politizar a Comissão”. Muitas outras acusações e aberrações políticas foram destiladas. Chega, Renan! Já deu! Quem te conhece não esquece jamais. Dizer que já foste ministro da Justiça e por quatro vezes presidente do Senado (sabemos como), não lhe permite fazer covardes ilações e anunciar pré-julgamentos da CPI, tendo robustos processos de malfeitos e desvios adormecidos nos gabinetes dos amigos do STF. Diante de tamanha metamorfose, furando a fila, antes do teu confrade bandido Lulla da Silva, tu estás a merecer uma expressa canonização pelo Vaticano, com os agradecimentos pela permissividade dos supremos capas pretas, responsáveis maiores pela bagunça antirrepublicana instalada em nosso país. Até quando o povo vai suportar?


Celso David de Oliveira david.celso@gmail.com

Rio de Janeiro


*


PAU QUE DÁ EM CHICO NÃO DÁ EM FRANCISCO?

Admiro a inocência de certos parlamentares. Pedir que Renan Calheiros seja afastado da CPI como relator para um juiz de 1ª instância é brincadeira. Esse pedido deveria partir do senador Randolfe Rodrigues. Esse não perde uma para o STF. Como hoje ele está do lado de Renan, o senador não vê impedimento algum que o relator em tela investigue o próprio filho. Só queria saber se o relator fosse Flavio Bolsonaro, o que Randolfe faria. Pau que dá em Chico não dá em Francisco? Pois é, por aí se vê que essa CPI vai ser palco de disputas políticas. Esclarecer e punir quem roubou o povo é só um detalhe e vão passar por cima dele. Estamos assistindo a esses filmes faz muito tempo.


Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo


*

RENAN

"Essa de senador investigando filho, entre outros, chega a ser sarcástico para não dizer humorístico, até onde chegaremos com a hipocrisia do Brasil varonil ?!"


Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com

São Paulo


*


EM DEFESA DO PAI

O senador Flavio Bolsonaro foi escalado para defender o pai na CPI da Covid, com os mesmos gestos e fala do pai, agressivo, nada polido e com a arma na cabeça, só faltou vociferar que, para fechar a CPI, só precisa de um cabo e um soldado.     

Marcos Barbosa micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

*

SERVIÇAIS

É estarrecedor o excesso de figuras medíocres na composição do atual Senado. Envergonham nomes que honraram a Câmara Alta, como Bernardo Cabral, Petrônio Portela, Josafá Marinho, Afonso Arinos de Mello Franco, Franco Montoro, Marcos Freire,  José Sarney e Nelson Carneiro. Grupelho de obscuros disputando com unhas e dentes e patética verborragia quem é o mais serviçal  do Palácio do Planalto. As máscaras escondem o cinismo de todos eles. Escalados pelo gabinete do ódio do governo, tentam protelar, tumultuar e desacreditar os trabalhos da CPI da Covid-19. Entre os açodados, donos da verdade de meia pataca, o impoluto  e santo de pau oco  Flávio  Bolsonaro, rei das "rachadinhas"na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro e proprietário de casa no Lago Sul, comprada por R$ 6 milhões.   

Vicente Limongi Netto  limonginetto@hotmail.com 

Brasília

*

TUDO IGUAL

Em relação à pandemia, o Ministério da Saúde não mudou nada. O planejamento é feito exatamente para 24 horas. É muita incompetência!


Luiz Frid fridluiz@gmail.com

São Paulo


*

IMPARCIALIDADE

O ministro Alexandre de Moraes, do STF declarou, referindo-se ao ex-juiz Sergio Moro, que o mais importante da magistratura é a imparcialidade. Imparcialidade foi o que faltou para Gilmar Mendes e Ricardo Lewandovski, para citar os dois maiores defensores no STF no caso  Lula da Silva. Está faltando um juiz de garantias para determinados ministros do STF.


José Alcides Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré


*


RACHADINHAS – DEMAIS DA CONTA

Um pai não pode ser responsabilizado pelos deslizes dos filhos.

Até hoje, Bolsonaro não é acusado de receber propina para facilitar/aprovar negócios escusos, como foi o caso, por exemplo, de FHC ter comprado a reeleição, lembram-se?

Repito: não sou bolsonarista, mas me incomoda constatar a perseguição política dos que o querem ver queimar na fogueira da Inquisição. E me pergunto: será que a declaração do IR dos fariseus resiste a uma devassa da Receita Federal?

Todos os ex-presidentes envolvidos em falcatruas, pelas quais dois foram presos, são bem piores do que Bolsonaro. Esta conclusão é inerente à qualidade dos valores morais de quem julga.


Jaime Ferreira jaimeferreira04@gmail.com

*

PREFEITURA E COLAPSO NO SISTEMA DE TRANSPORTE COLETIVO

O interesse financeiro da Prefeitura em aprovar, cada vez mais, a construção de prédios na capital paulista só vai aumentar e colocar em colapso o sistema coletivo de transporte permanentemente.  As ruas não se alargam para compensar o crescimento vertical abusivo.

E outro agravante é fechar ruas selecionadas (não sei como se chega a essa decisão) e ao mesmo tempo diminuir a largura de muitas ruas e avenidas com “faixas de bicicletas”. Caso permaneçam essas faixas, que se retirem as custosas tartarugas e as faixas funcionem somente entre sábado após as 14 horas até domingo às 17 horas, e liberando o fluxo de veículos, redução da poluição e congestionamentos desnecessários.


Livio Mario Sassi Piraino pira1@uol.com.br

São Paulo


*

DESMONTE DO ESTADO BRASILEIRO


As sábias palavras do professor Roberto Romano apontam para a necessidade de uma refundação do Estado brasileiro, federativo, tamanha foi a destruição causada pelo néscio que ocupa o Palácio do Planalto (Federação, municípios, morticínio. Tragédia nacional, 25/4, A2) e também dialogam com o artigo O desmonte do Estado brasileiro, de Felipe Salto (27/4, A2). É emblemático Roberto Romano analisar o período da presença de reis europeus no Brasil no dia em que se lembrou a Revolução dos Cravos portuguesa. Felipe Salto mostra que a falta de senso para a realização do censo é mais um dos elementos para a caquistocracia vigente, o governo dos mais incapazes. É pela indignação que deve acontecer a retomada da democracia de fato no País e, por isso, o personagem “Tunéscio”, que nada vê e em tudo acredita, está muito preocupado.


Adilson Roberto Gonçalves prodomoarg@gmail.com

Campinas


*


OSCAR FEMININO E MULTICULTURAL

Quem poderia imaginar ver um dia uma chinesinha de tranças ganhar o Oscar de Melhor Direção do Melhor Filme do Ano? Nomadland (Terra dos Nômades) revela a América profunda, com pessoas itinerantes, em busca do sonho irrealizável de prosperidade contínua, característica da nação que protagonizou o maior golpe financeiro da história, em 2008, colocando trilhões de dólares nos bolsos das grandes corretoras, bancos de investimentos, bancos comerciais, a maior seguradora do mundo, e deixando milhões de pessoas sem casa e sem futuro, além de abalar a economia de muitos países, como o Brasil.


Paulo Sergio Arisi paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre


*

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.