Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

30 de abril de 2021 | 03h00

Pandemia e desgoverno

CPI do fim do mundo?

Com a instalação no Senado da comissão para investigar as ações e omissões do governo federal no combate à pandemia no País, deparamos diariamente com a expressão “CPI do fim do mundo”, em referência ao rótulo que Lula da Silva deu à CPI dos Bingos, durante seu governo. Se será ou não o “fim do mundo” para o atual governo, só o desenrolar dos fatos dirá. Mas que o governo tem motivos de sobra para se preocupar, isso é inegável. Primeiro, pela escolha do relator, senador Renan Calheiros (MDB-AL), político experiente, cuja trajetória pública passa pela presidência do Senado. E depois pelos fatos: o governo não foi exemplo de eficiência no combate ao novo coronavírus. E contra fatos não há argumentos. O presidente dá sinais claros de preocupação com seu futuro, em analogia com a CPI que acabou levando ao impeachment de Collor. A tempestade está armada. E mais do que nunca é necessária uma forte cobertura da imprensa sobre os trabalhos da comissão, bem como dos bastidores da sua condução. Esta CPI poderá ditar os rumos do País, em especial o político. Cabe a nós, a população que deseja um país desenvolvido, mais bem governado e próspero, observar atentamente os acontecimentos. As possibilidades são infinitas, incluída a de influir no processo eleitoral de 2022, a depender do seu resultado.

LUCAS LOEBLEIN LUCASLOEBLEIN@HOTMAIL.COM

GRAVATAÍ (RS)

*

Escarcéu

A CPI da pandemia, no Senado, tem tudo para ser um grande escândalo. Isso porque o presidente Jair Bolsonaro nunca teve papas na língua e sempre diz ou posta tudo o que lhe vem à cabeça, sem se preocupar com as consequências de seus comentários. E muitas dessas falas poderão virá à tona, trazidas pelos desafetos do presidente.

JORGE DE JESUS LONGATO FINANCEIRO@CESTADECOMPRAS.COM.BR

MOGI-MIRIM

*

Gabinete do ódio

Os disparos digitais contra os membros da CPI da covid têm origem no mesmo gabinete do ódio que sustentou a campanha presidencial em 2018 – e aqueles nem foram analisados pelo TSE, que poderia ter cassado há tempos a chapa que desgoverna o País. Some-se a covardia do Parlamento, que não leva adiante os pedidos de impeachment do presidente. Aliás, pela forma como o general Luiz Eduardo Ramos se vacinou, escondido, sabemos que não há brios nos inquilinos do poder.

ADILSON ROBERTO GONÇALVES PRODOMOARG@GMAIL.COM

CAMPINAS

*

Pajelança

O militar, o deputado, o messias, o curandeiro e a pajelança. Como militar, fracassou. Como deputado, não produziu nada. Promoveu-se como messias, um indivíduo divino chamado a cumprir uma tarefa sagrada. Buscou se estabelecer como curandeiro, aquele que procura curar doentes sem habilitação médica. Praticou a pajelança, o feitiço, quando propôs a cloroquina como medicação para tratamento precoce de doentes afetados pela covid-19. Como messias e curandeiro, contribuiu para a expansão descontrolada da pandemia. Por sua conduta irracional está fadado a ser consumido pela própria feitiçaria (A CPI do óbvio, 28/4, A3).

NELSON FREDERICO SEIFFERT NFSEIFFERT@OUTLOOK.COM.BR

FLORIANÓPOLIS

*

Segunda dose em falta

O desgoverno incentivou o uso das unidades reservadas para a segunda dose e agora estão faltando vacinas. Claro que a recusa das importações foi fundamental para esta catástrofe. Realmente, o general Eduardo Pazuello deveria puxar aquela carroça que ele obrigou um soldado a arrastar no quartel. Com ajuda do chefe, claro.

MARCOS PRADO VILELA  VMARCOSPRADO@GMAIL.COM

VILA VELHA (ES)

*

Quinto vacinador mundial

O governo Bolsonaro informou que o Brasil é o quinto país que mais vacinou contra a covid-19 no mundo. Acontece que é o Estado de São Paulo que mais fornece vacinas para todo o País (cerca de 90%). Logo, João Doria é o quinto governante que mais vacina no mundo.

O Brasil inteiro agradece ao governador paulista!

JOÃO CARLOS CARCANHOLO ADVOCACIA.CARCANHOLO@GMAIL.COM

PIRACICABA

*

É o bicho

Acerca do avanço do Centrão sobre o Orçamento da União, denunciado no editorial Economia da obediência (29/4, A3), questiono: com a experiência de décadas na Câmara dos Deputados, como Bolsonaro se aliou ao Centrão? Foi nadar com crocodilos e não achava que iria ser devorado?

MARCOS LEFEVRE LEFEVRE.PART@HOTMAIL.COM

CURITIBA

*

Posto falido

O ministro Paulo Guedes é um fiasco total. Estudou em Chicago, mas não tem educação, polidez, empatia, diplomacia. Além de ser um desastre em suas propostas furadas. Sua última sandice foi dizer que o problema da economia é que todos querem viver cem anos. E desmereceu logo o SUS. Em resumo, Guedes enxovalhou a imagem do “posto Ipiranga”.

ELISABETH MIGLIAVACCA

SÃO PAULO

*

Moradores de rua

O inverno está chegando

Com a chegada do frio, os olhos da sociedade tradicionalmente se voltam para os moradores de rua. Drogas, problemas mentais, desamparo familiar e desesperança são constantes. Dar comida e cobertores no inverno não basta. É preciso muito mais. Falta-lhes tudo, a começar pela capacidade de cuidar de si mesmos. Sugiro um mutirão para lhes oferecer um lugar para tomar banho e se alimentar, passando por avaliação médica e atendimento de assistentes sociais. Isso não resolve os complexos dramas pessoais de cada um, mas é um começo. Estou convicto de que custa muito mais para a sociedade ignorar a questão do que enfrentá-la com fraternidade, coragem e determinação.

JORGE A. NURKIN JORGE.NURKIN@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

URGENTE, URGENTÍSSIMO

 

É preciso, com urgência, extinguir os Fundos Político e Partidário. É a forma honesta, e benéfica à democracia, de reduzir o abusivo número de partidos, economizar e facilitar a governabilidade.

 

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)


*


CPF CANCELADO

Ironizando os mortos pela covid-19 no País, o negacionista Jair Bolsonaro e seus seguidores postaram na mídia uma foto com os dizeres “CPF CANCELADO”. De muito mau gosto, diziam que eram os CPFs cancelados em confronto com os policiais. De qualquer forma, independentemente da explicação dada, nem mesmo os bolsonaristas aceitaram o remendo. O negacionista deveria estar se debruçando para conseguir vacinas com urgência e não brincar com “CPFs cancelados”. Mais um lastimável episódio do desgoverno do presidente!

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

SOLIDARIEDADE

Por meio desta mensagem, quero solidarizar-me  com as 400 mil famílias que perderam seus entes queridos com a covid-19, e rogar a Deus que nosso mandatário mude seu  foco no combate a esta pandemia, até porque, se ele continuar com seus comentários chulos o Brasil corre  o risco de chegar a 500 mil mortos nos próximos meses.


Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)


*

EXIBICIONISMO DE POLÍTICOS

Todos os profissionais que dependem da opinião pública para existirem, como artistas e políticos, são naturalmente exibicionistas. Entre nós agora os políticos nunca exercitaram tão fortemente essa característica comportamental, certamente por não apresentarem qualidades inerentes e precisas para tal desempenho profissional. Muitas vezes adotam malabarismos comportamentais inadequados, para tentarem se manter na cena política, chegando por vezes a situações ridículas, que seriam cômicas, se não fossem trágicas, para as populações que representam.


José de Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro


*

 PAULO GUEDES

O tempo do ministro Paulo Guedes já passou e ele deveria ser demitido por Bolsonaro.  Havia muitas promessas, mas poucas se tornaram efetivas nesse longo período em que está no Ministério.  Um monte de gente já abandonou o barco em que ele se encontra.  Presidente,  chame o Meirelles para resolver a economia do Brasil.  Que Guedes vá dizer impropriedades como essa da China e sobre funcionalismo público em outra freguesia. Pede para sair! 


Reinner Carlos de Oliveira reinnercarlos1970@gmail.com

Araçatuba


*

GUEDES E O POSTO IPIRANGA.


Para Bolsonaro, Paulo Guedes, o elogiado Posto Ipiranga, está em franco declínio, como se pode notar pelas suas últimas aparições em explicações de cortes orçamentários  e em dispensa de membros de sua equipe. Aos poucos, a sua diminuição de importância foi ficando notável, a ponto de se tornar mais um serviçal de Bolsonaro, de importância secundária. Não seria a hora certa para deixar o cargo, desde que a nossa economia está dormindo em verdadeiro berço esplêndido? Como readquirir credibilidade?


José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojcc@uol.com.br

Rio Claro


*


IMPUNIDADE SEMPRE


Revogada a prisão do ex-deputado Eduardo Cunha (que já era domiciliar). Qual será o valor que um corrupto deve roubar para ficar preso? O Brasil continua sendo o que sempre foi: o país da impunidade.


Luiz Frid fridluiz@gmail.com

São Paulo


*

STF PÕE GOVERNO NAS CORDAS

O ministro do STF, Marco Aurélio Mello, atendendo a pedido do governador Flavio Dino (PCdoB-MA), foi implacável em sua decisão liminar, quando coloca o governo nas cordas e obriga que o Censo Demográfico, comandado pelo IBGE, seja realizado ainda neste ano.  Esse Censo é de suma importância para nortear projetos públicos e privados, em várias áreas da atividade humana.  Mas Jair Bolsonaro, que já tinha suspendido sua realização em 2020, também neste ano inviabilizou essa pesquisa, porque, irresponsável que é, decidiu cortar do Orçamento da União os R$ 2 bilhões destinados para sua realização.  Porém, demonstrando que sua prioridade não é o Brasil, transferiu esses recursos para engordar as emendas parlamentares de deputados e senadores para gozo de suas orgias eleitorais.  Ou seja, Bolsonaro continua não somente zombando da pandemia, mas também do País...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

CPI DO ÓDIO

Tempos sinistros. Renan Calheiros, que salvou Dilma com a colaboração inestimável de Ricardo Lewandowski, como juiz de Bolsonaro. Tudo porque o grande acórdão, aquele tratado por Romero Jucá com Sérgio Machado, “com supremo e tudo”, para “estancar a sangria“, deu certo. Com Gilmar Mendes no STF e Renan Calheiros dominando a CPI da Covid-19, Lula voltará triunfante para sugar o que sobrar do povo brasileiro depois da pandemia.


Ana Lucia Amaral anamral@uol.com.br

São Paulo


*

DESESPERO NO CARNAVAL


Dois assuntos: 1) Os  notáveis senadores fantoches do governo, Marcos Rogério, Jorginho Mello e Eduardo Girão, recorreram ao STF para arrancar Renan Calheiros da relatoria da CPI da Covid-19. Constatação de que o desespero entrou de vez em  gabinetes poderosos do Palácio do Planalto; 2) Bolsonaro, o mito de barro, chamou  a CPI da Covid de “carnaval fora de hora”. O povo adora carnaval. É a válvula de escape dos brasileiros em tempos difíceis.  Fantasiado de vacina, vai  sambar, pular e cantar durante a  CPI. Enquanto negacionistas vão acender velas, contristados, na quarta-feira de cinzas do enterro do governo. 

Vicente Limongi Netto limongineto@hotmail.com

Brasília

*

CÚMPLICES DE HOMICÍDIO

A situação do presidente Bolsonaro está se deteriorando rapidamente, existem evidências robustas do cometimento de crimes na gestão da Saúde na pandemia. Aqueles que ainda dão sustentação à permanência de Bolsonaro na Presidência da República precisam se dar conta que estão se arriscando a responder a processos como cúmplices dos crimes de lesa-humanidade cometidos por Bolsonaro na gestão da Saúde na pandemia. Não se trata apenas de questões políticas, essa história vai se tornar uma investigação de homicídio doloso premeditado, há fortes evidências disso e a investigação será conduzida também nos tribunais internacionais. É hora de abandonar o navio, e isso vale para o deputado Arthur Lira e para o Procurador-Geral da República, Augusto Aras, os dois pilares que sustentam Bolsonaro no cargo.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

 

‘O PADRÃO DA INFÂMIA’ (Estadão, A3, 29/4)


Pois é, o “nobre” senador Flávio Bolsonaro está preocupado com a saúde dos demais “nobres” senadores, que, em razão da instauração da CPI da Pandemia, terão de participar de reuniões presenciais, com uso de máscaras, álcool em gel e testagem de temperatura no local. Mas não vi o “nobre” senador preocupado com os funcionários dos supermercados, farmácias, postos de gasolinas, etc., que continuam trabalhando normalmente, nem com as aglomerações causadas por seu papai nos passeios de moto. Enfim, falando em padrão de infâmia, há algum crédito na preocupação do “nobre” senador? Há algum crédito no atual governo? Há algum crédito nos robôs que espalham fake news? Há algum crédito nas decisões do STF? Há algum crédito na mídia que critica os “excessos” da Lava Jato? Há algum crédito nos eleitores do Bolsonaro e do Lula? Há algum crédito no Brasil? Sinceramente, vamos deixar o padrão  “vira-latas” para assumirmos o padrão “ratos de esgoto”.


Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana


*

AÇÃO SECRETA NA ANTÁRTIDA

Ninguém sabia, mas o governo Bolsonaro realizou uma ação secreta e conquistou a Antártida. Isso  só foi divulgado quando nosso presidente, com altíssimos conhecimentos de geografia, fazendo uma live para estimular o turismo, falou que todos têm que visitar o Brasil, desde a Amazônia até a Antártida. Alvíssaras.

Aldo Bertolucci aldobertolucci@gmail.com


*

QUE FRIA!

Bolsonaro é tão burro, desligado, incompetente, que diz para as pessoas (puxa-sacos) para visitarem a Amazônia, a Antártica, e outros. É Antártida, continente gelado, com o qual o Brasil nem faz fronteira. É capaz de ele localizar também o continente da Brahma, Kaiser e outras tantas.

E ainda tem gente que bate palmas e o chama de mito.

Pobre Brasil. Acorda!


José Claudio Canato jccanato@yahoo.com.br

Porto Ferreira


*

RANCHO DA DESESPERANÇA


Incompetência, inépcia, falta de empatia, egocentrismo, psicopatia já seriam suficientes pra demolir um país sozinho.

Somem-se a isso o pessoal do Centrão, do centro, do centrinho, das esquerda e direita radicais, das esquerda e direita nem tão radicais, os puristas iludidos sonhadores que sonham com um Messias salvador, os anarquistas, etc. e tal...

Tá feito o caldo pra acabar com as esperanças de qualquer um!


Hélio Alves Ferreira hafstruct@hotmail.com

Osasco


*

MOTOBOYS X FAROL VERMELHO


A tenebrosa pandemia que assola o País seria muito mais dura e difícil de suportar não fosse o hercúleo e incansável trabalho de delivery dos motoboys. No entanto, o reconhecimento da vital importância da entrega diuturna de todos os tipos de produtos deve vir acompanhado de severa crítica: eles simplesmente passaram a ignorar por completo a luz vermelha dos semáforos, causando graves acidentes, em razão da pressa que motiva seu trabalho. Se não forem devidamente multados, estará estabelecido o caos no trânsito já caótico das grandes cidades. Com a palavra, o DSV.


J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

OBRIGAÇÕES

No chamado mundo jurídico, o Direito vincula as ofertas e propostas dos proponentes contratantes gerando deveres e obrigações contratuais, então, por que nas campanhas eleitorais as promessas políticas não geram e criam as obrigações decorrentes e vinculadas a tais respectivas promessas? O sistema democrático brasileiro deveria olhar com bastante atenção e cuidado tal questão, pois, se equacionada e judicializada, evitaria todos os transtornos que temos tido no Brasil, esta fecunda terra da promissão, desde sempre.

Marcelo Gomes Jorge Feres marcelo.gomes.jorge.feres@gmail.com

Rio de Janeiro

*

ESTATÍSTICAS DA VACINAÇÃO

A população brasileira acima de 18 anos é de aproximadamente 150 milhões de pessoas. Se considerarmos que não existe vacina aprovada no Brasil para aplicação em menores de 18 anos, isso significa que uma proporção muito maior do que a publicada diariamente pelos veículos de imprensa está imunizada.


José Renato Nascimento jrnasc@gmail.com

São Paulo


*



NOSSO FUTURO E NOSSAS COMUNICAÇÕES OBSOLETAS


Insisto em ter telefone fixo e o meu ainda é via fio, aliás, como acontece na maioria das residências brasileiras. Minha rua tem o luxo da fiação ser subterrânea, uma modernidade por aqui que é secular em qualquer lugar civilizado do planeta. Se antes os caminhões mais altos arrancavam a fiação aérea, coisa comum de se ver pela cidade ainda lotada de postes, agora fico incomunicável quando chove e os fios oxidam impondo um chiado infernal na linha. Normal, segundo a Vivo diz em off. Se a comunicação por fios existe há aproximadamente dois séculos, imagino que alguém já tenha descoberto uma técnica para os fios não oxidarem, do contrário, não faz sentido a história do progresso dos Estados Unidos e de toda a Europa, por exemplo. Como é normal chover todo ano em clima tropical, desde que enterraram a fiação, faz uns 10 anos, meu telefone chia. Não faz muito tive uma experiência interessante: fiquei sem telefone fixo, sem internet, sem celular e sem 4G, todos juntos, por algumas horas. É normal aqui nesta cidade ficar sem um ou outro, alternados; juntos foi a primeira vez. Mesmo que fosse um problema muito particular, seria pouco aceitável, mas não é, é público e notório. Mesmo que os serviços de comunicação no País tenham melhorado muito, ainda estamos na idade do código Morse, na fumaça de índio aqui no Brasil. Faz mais de uma década estive em Utrecht, Holanda, minha primeira experiência com o que deve ser internet e quase literalmente caí da cadeira com a rapidez que tudo se abria. Em 2019 a internet numa praça de Passau, Alemanha, era absolutamente estável e infinitamente mais rápida que a dita boa e cara fibra que eu, classe média alta paulistana, tenho contratada. Nesta pandemia estamos vendo diariamente que este nosso obsoleto descompasso nas comunicações está matando o futuro de nossas crianças, mesmo as que têm boa condição social e econômica. Pior, um porcentual sensível da população nem sequer tem internet ou 4G disponível, quando tem sinal de celular. Aliás, pior ainda, muita gente do campo, aquele que responde por 24% do PIB nacional, ainda não tem um sistema de comunicação decente ou simplesmente não tem nenhum. Aí volto ao fio oxidado do meu telefone fixo: se não aprendemos como fazer funcionar uma tecnologia de uns 200 anos... Encerrando esta antes que caia a conexão.

Arturo Alcorta arturoalcorta@uol.com.br​​​​​​​

São Paulo

*

A REVOLUÇÃO DE BIDEN

O presidente americano, Joe Biden, fará revolução na educação  dos Estados Unidos, destinando um trilhão e oitocentos milhões de dólares, criando educação pública. O plano inclui creches públicas e auxílio financeiro. No terceiro pacote econômico será lançada a Revolução Verde, reconstruindo a infraestrutura americana, de estradas, pontes e reconstrução de cidades. Finalmente um presidente voltado aos interesses do povo e não dos plutocratas.

Desde Franklin Dellano Roosevelt, e seu Estado do Bem-Estar Social, e o Programa de Saúde Pública de Barack Obama, não havia preocupação com justiça social na pátria do capitalismo.

Paulo Sergio Arisi paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre


 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.