Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

01 de maio de 2021 | 03h00

Pandemia

Mais de 400 mil...

O Brasil precisa vacinar contra o coronavírus, no mínimo, 150 milhões de pessoas com as duas doses. E com muita urgência! Nos últimos três meses, vacinamos apenas 31 milhões de pessoas com a primeira dose. Diante das mais de 400 mil mortes por covid-19 registradas no Brasil, precisamos aumentar o ritmo de vacinação, rapidamente. Sabemos que ainda não há remédios totalmente eficazes contra o novo coronavírus. Logo, a chacina só será diminuída com a imunização em massa. Ao que tudo indica, Jair Bolsonaro errou mais uma vez com o atual ministro da Saúde. Os erros cometidos pela pasta precisam ser corrigidos já, as eventuais condenações podem ficar para um futuro próximo.

JOSÉ CARLOS SARAIVA DA COSTA PARA JCSDC@UOL.COM.BR

BELO HORIZONTE

*

Terceira onda

Quando terminou a primeira onda da pandemia, em novembro, não houve lockdown em dezembro, tampouco a compra de vacinas da Pfizer para imunização em massa. Portanto, não são surpresa o surgimento de variantes do coronavírus, as mais de 400 mil mortes e muito menos que haverá uma terceira onda no inverno, com o número de vítimas superando os 600 mil em agosto. O atraso da vacinação vai levar o Brasil para um terceiro ano de mortes, desemprego, fome, inflação e sem a retomada da economia.

LUIZ ROBERTO DA COSTA JR. LRCOSTAJR@UOL.COM.BR

CAMPINAS

*

Memorial

Um memorial para 400 mil pessoas. Que coisa mais pungente! Parabéns pela iniciativa.

ALBINO BONOMI ACBONOMI@YAHOO.COM.BR

RIBEIRÃO PRETO

*

Campanhas de conscientização

Há um lado da batalha contra a pandemia que, surpreendentemente, me parece pouco explorado no País: campanhas criativas, com diversas abordagens e linguagens para diversos públicos, conscientizando sobre o coronavírus e os cuidados básicos de proteção (uso correto de máscaras, ventilação de ambientes, distância entre pessoas, higiene adequada...), os aspectos comunitários necessários (um protege o outro) e o que evitar. Enfim, campanhas massivas, insistentes, bem elaboradas, no sentido de unir e motivar as pessoas a se proteger e, assim, proteger a todos. Sem viés político, educando e conscientizando. A pandemia tem quase um ano e meio, seguirá ainda por bom tempo, e não vimos isso ser feito com a qualidade, a competência e o alcance necessários. Nem pelo governo federal, nem pelos estaduais e municipais, tampouco por entidades privadas e redes de mídia. E não entendo o porquê. Temos tanto know-how e expertise em comunicação, tantas personalidades e organizações que poderiam ajudar e participar de algo que de fato faria a diferença...

RODRIGO SOARES WAGNER R.S.WAGNER70@GMAIL.COM

PORTO ALEGRE

*

Desgoverno Bolsonaro

Guedes e o porteiro

Paulo Guedes, mais uma vez em atitudes preconceituosas e desrespeitosas: agora foi a vez dos porteiros. “Fies bancou até filho de porteiro (...)”. Já tivemos ofensas gratuitas à primeira-dama francesa e à China. Guedes vem perdendo membros competentes de sua equipe, como Waldery Rodrigues, Salim Mattar, Mansueto Almeida, Joaquim Levy e Caio Megale. Bate cabeça com as reformas tributária e administrativa, a desestatização, etc. Não consegue montar uma política econômica sustentável. O crescimento é medíocre; nossa moeda, uma das mais desvalorizadas do mundo; o País, mais pobre; a inflação, explodindo. Desamparo às pequenas e médias empresas durante a pandemia. Vergonhoso. Precisamos de líderes sérios, competentes, honestos, respeitosos com a sociedade brasileira. O sr. Paulo Guedes já demonstrou não ser.

LAMIA ARBX LAMIAARBX@YAHOO.COM.BR

SÃO PAULO

*

Igual ao chefe

A verborreia de Paulo Guedes é um acinte à democracia e aos poucos se iguala à de seu chefe. Tão surpreendente quanto zerar o vestibular e ser admitido na universidade é o fato de que um ministro de Estado, com MBA em Chicago, possa ser tão elitista e insensível aos mais humildes. Com a política econômica e sanitária do atual governo, nem as empregadas domésticas nem as patroas estão mais viajando para Miami, e certamente em breve nem os doutores nem os porteiros conseguirão pagar o Fies para seus filhos. O dia em que os filhos dos marginalizados pela sociedade conseguirem uma vaga na universidade, a eleição de um Bolsonaro será praticamente impossível e aí teremos pessoas com maior senso crítico.

FERNANDO HINTZ GRECA GRECA.FERNANDO@GMAIL.COM

CURITIBA

*

Desdém

Será que o porteiro existe mesmo e disse aquilo? Quem é o tal beneficiado, onde estão as provas? Está mais para o jeito Bolsonaro de generalizar a exceção quando quer desvalorizar algo.

FRANZ JOSEF HILDINGER FRZJSF@YAHOO.COM.BR

PRAIA GRANDE

*

Pronampe pra quem?

Depois que os bancos usaram, como se fosse deles, o dinheiro que o governo dispôs para as pequenas e médias empresas na primeira edição do Pronampe, utilizando critérios de concessão do crédito como se não houvesse uma crise de caixa no mercado, não adianta vir com uma segunda edição. Porque as empresas-alvo, ao terem negados seus pedidos na primeira edição, ou já quebraram ou se tornaram ainda mais inadimplentes. Então, os bancos vão agora reter um valor ainda maior do que represaram antes, porque ainda menos empresas se enquadrarão nos rígidos e extemporâneos critérios bancários para emprestar o dinheiro a ser facultado pelo governo. Então, Pronampe pra quem? Só se for pra quem não precisa de capital de giro, mas adere ao programa simplesmente porque é dinheiro de baixo custo.

MANOEL RICARDO RICKBRUNO@UOL.COM.BR

SÃO PAULO

*

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

DIA DO TRABALHADOR?

Temos algo a comemorar em 2021?  A ideia de comemorar o dia 1º de maio como Dia do Trabalhador surgiu em Chicago, nos Estados Unidos. Nessa data, nos idos de 1886, milhares de trabalhadores foram às ruas para protestar contra as condições de trabalho e pedir redução da jornada laboral. O movimento inspirou manifestações por todo o mundo e então a data foi instituída como Dia Mundial do Trabalhador. Perceba que naquela época, e a partir daí, a reivindicação era contra o excesso de trabalho. No entanto, em tempo de pandemia do novo coronavírus, milhares  de trabalhadores, especialmente no Brasil, ficaram impedidos de trabalhar por determinação de decretos de governadores e prefeitos, para tentar deter a proliferação do vírus, como também o colapso no sistema de saúde e evitar óbitos. Hoje não há o que comemorar. Segundo levantamento feito pelo serviço brasileiro de apoio às micros e pequenas empresas (Sebrae), cerca de 600 mil micro e pequenas empresas fecharam as portas e a repercussão dessa tragédia social foi a demissão de 9 milhões de colaboradores, ou seja: uma tragédia em meio a outra tragédia que já ceifou a vida de mais de 400 mil brasileiros. A pesquisa também revelou que 10,1 milhões de empresas pararam de funcionar durante a pandemia e estado de emergência. Desse total, 2,1 milhões por decisão da empresa e 8 milhões paralisaram suas atividades em decorrência de decretos de governantes. É fato que medidas de muitos governadores são compreensíveis por se tratar de vidas, porém elas têm trazido a fome e a miséria para dentro de milhares de lares por todo o País. Certamente o povo brasileiro não quer viver de migalhas e doações, seja do governo, seja de entidades filantrópicas. As pessoas querem sim é voltar a comemorar o Dia do Trabalhador com trabalho, dinheiro no bolso e vida com dignidade. Neste 1º de Maio muitos trabalhadores não terão nada a comemorar, pois faltam empregos, comida e dignidade e sobram boletos, contas para pagar e preços abusivos em todos os gêneros de consumo da população!!!

Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

*

PAULO GUEDES UMA ABERRAÇÃO


Um fato notório é que o Palácio do Planalto, comandado, infelizmente, por esse devastador e incendiário presidente Jair Bolsonaro, nos postos-chave desta República, com raras exceções, infestou de colaboradores incompetentes e sem vocação para servir a Nação! Disso não há menor dúvida!  Porém, quando um destes improdutivos membros é o próprio ministro da Economia, aí o desastre é maior.  E foi desta forma que Paulo Guedes estarreceu a todos quando, de forma insana, fez críticas ao nosso maior parceiro comercial, a China! Sem embasamento algum, disse que o chinês criou a covid-19, e, diferentemente das produzidas nos EUA, que a vacina chinesa não é das melhores. Ora, talvez sofrendo de amnésia, Guedes esqueceu que, dias atrás, disse orgulhoso que se vacinou com a Coronavac, que foi desenvolvida pela chinesa Sinovac... Pode? Na realidade o Planalto está infestado pela “pandemia Bolsonaro”! E, infelizmente, não existe vacina para esse vírus palaciano que está afundando o Brasil... 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

PERGUNTAS SEM RESPOSTAS


O que o STF fez ao julgar Lula o torna inocente?  Quem comprou o triplex no Guarujá vai ter que devolvê-lo? Os desembargadores do TRF-4 e os ministros do STJ que validaram as sentenças do juiz Sérgio Moro responderão por prevaricação?  Ficou claro que os ministros que julgaram o juiz  Moro tinham comprometimento político com o réu? Fiz estas perguntas a muitos advogados, que cuidam de criminosos  e, curiosamente, responderam com evasivas.


Iria de Sá Dodde iriadodde@hotmail.com

Rio de Janeiro


*

BLÁ-BLÁ-BLÁ DA COVID

A CPI da Covid vai mostrar, de um lado, muitos que fizeram coisas erradas no passado, contra os que defendem os que cometeram erros no presente. Com os costumeiros rancor e choques entre as excelências,  é conveniente que nas reuniões os ventiladores sejam desligados. 


Carlos Gaspar carlos-gaspar@uol.com.br

São Paulo

*


O senador Flávio Bolsonaro agora defende o isolamento social e critica a instalação dos trabalhos da CPI da Covid. Alguém ainda duvida que a política faz e desfaz milagres ao sabor das conveniências e oportunidades que se apresentam àqueles que, acima de tudo, prezam suas posições privilegiadas de poder? Assim, por favor, senador, reescreva aquele slogan de “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”, para “Nós acima de tudo, todos abaixo de nós”.

Marcelo Gomes Jorge Feres marcel.gomes.jorge.feres@gmail.com

Rio de Janeiro

*

CÚMPLICES E CONIVENTES

Sugiro aos congressistas que pleiteiam o impeachment do presidente Bolsonaro se dirigirem aos tribunais e organizações internacionais competentes, deixando de perder tempo com as instituições brasileiras. Arthur Lira, Augusto Aras e Rodrigo Maia devem ser denunciados com Bolsonaro, os três são cúmplices e coniventes dos crimes de lesa-humanidade que Bolsonaro cometeu e segue cometendo na gestão da Saúde e que resultaram no agravamento da pandemia no País e na morte de mais de 400 mil cidadãos brasileiros. Muitas dessas mortes poderiam ter sido evitadas se as instituições brasileiras tivessem cumprido seu dever.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

AMEAÇA

Renan Calheiros, conhecido como “Atleta” nas planilhas da Odebrecht e suspeito de envolvimento em mil falcatruas, ressurgiu das sombras, tornando-se a grande estrela da CPI da Covid. Convocou  o ex-ministro e general do exército Pazuello  para depor e o Clube Militar já rangeu os dentes. Cutucar onça com vara curta pode ter consequências imprevisíveis.


José Alcides Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

*

 ‘OS CARNAVALESCOS DA CPI’

O editorial do Estadão de 30.4.21 com o título acima expõe o temor presidencial. O pânico total do governo em relação à abertura da CPI da Covid no Senado deixa evidente a culpa dos crimes de omissão e de atuação contrária ao combate à epidemia do coronavírus, que, aqui no Brasil, foi recebido de braços abertos pelo presidente infeccionista de todos os males que um antigoverno pode impingir a uma nação perplexa. O desfile de ex-ministros da Saúde demitidos pelo capitão pandêmico e pândego não será um “carnaval fora de época”, como debochou o próprio, mas um “Carnaval no Fogo”, na hora mais escura de um implodido desgoverno de um bando de trânsfugas acovardados.  

Paulo Sergio Arisi paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

*


GENERAL VACINADO

Houve tempo em que por medo alguns tomavam escondido bebidas alcoólicas e outros, drogas proibidas. No negacionista e terraplanista desgoverno Bolsonaro, um general declarou sem corar que tomou a vacina escondido para não causar problema com o presidente. Tristes tempos obtusos estes que o País vive se escondendo da verdade, da Ciência e da medicina. Pobre Brasil...

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

ENSANDECIDO CAPITÃO

“O que me preocupa não é o grito dos maus, mas o silêncio dos bons.” Essa frase de Martin Luther King faz crer, no contexto dos 400 mil mortos pela covid no Brasil, que, se existem bons oficiais generais no país, eles são destituídos de língua e de capacidade de indignação. Como é possível que essa elite militar permaneça muda e inerte, diante dessa aterradora ignomínia praticada por seus maus pares, em conluio com um ensandecido capitão? Cadê o brio dessa gente?



Túllio Marco Soares Carvalho tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte


*

MEMORIAL

O memorial que homenageia os 400 mil motos pela covid deveria ter uma placa como os nomes dos responsáveis, Bolsonaro à frente.    

Marcos Barbosa micabarbosa@gmail.com

Casa Branca


*

E A PANDEMIA SEGUE


O Ministério da Saúde informou que a decisão de adoção de barreiras sanitárias para conter a entrada no país da variante indiana do novo coronavírus cabe à Presidência da República, ao passo que a assessoria da Presidência afirmou o contrário, que tal responsabilidade é do Ministério. Errados os dois. Decisões dessa envergadura deveriam ser do governo brasileiro como um todo, em uníssono, tomadas à luz dos dados vigentes e de argumentos racionais. Esse tipo de discordância apenas confirma o que todos já sabem: sai ministro da Saúde, entra outro, a pandemia segue seu curso, descontrolada sob a égide de Bolsonaro. 


Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo


*

QUEIROGA NA OMS


A leitura do dr. Queiroga para a OMS mostrou a pouca familiaridade do nosso ministro da Saúde com os textos escritos.  Em se tratando de um médico dirigindo a saúde de um país em plena pandemia, este lapso pode ocasionar o “enfarte” da nação brasileira.

Marize Carvalho Vilela marizecarvalhovilela@gmail.com

São Paulo

*


A CONTA NÃO FECHA

O decano do STF, Marco Aurélio Mello, enviou à Procuradoria-Geral da República (PGR) petição protocolada naquela Corte, com notícia-crime contra Jair Bolsonaro, pelos depósitos realizados pelo ex-assessor Fabrício Queiroz na conta corrente da primeira-dama Michelle Bolsonaro, e que até agora não foram esclarecidos. Aliás, é de estranhar que a primeira-dama – responsável pelo programa Pátria Voluntária – gastou quase o dobro de recursos na manutenção e autopromoção do programa, sem receber qualquer doação há mais de um ano. Como a conta não fecha, qual foi a engenharia financeira que possibilitou a multiplicação de recursos? Será que os recursos vieram da mesma fonte das "rachadinhas"?

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*


NECROPOLÍTICA DEBOLSONARO

Na semana em que o País rompeu a trágica marca de 400 mil (!) óbitos pela covid-19 – o segundo lugar no macabro ranking mundial, eurodeputados do Parlamento Europeu realizaram uma sessão de críticas ao negacionista presidente brasileiro, dizendo que “a necropolítica de Bolsonaro constitui crime contra a humanidade”. Com efeito, não poderia haver frase mais oportuna e definidora, pois não? Muda, Brasil! Basta de Bolsonaro!


J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

O Parlamento Europeu, em recente reunião,  fez críticas severas ao negacionismo e  considera como necropolítica  os posicionamentos do governo Bolsonaro em relação ao combate à  pandemia que assola o mundo. No Brasil  não há  um posicionamento adequado, uma situação por demais preocupante, comprovada pela morte de mais de 400 mil pessoas.. 


Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos


*



LAVAGEM DE DINHEIRO

A mais cara e lerda Justiça do mundo sempre surpreende. Agora é o caso de uma estranha lavagem de dinheiro como mostra a notícia Juiz absolve ex-chefe da Corregedoria da Fazenda (30/4, Política, A7). Embora o ex-corregedor da Fazenda de São Paulo Marcus Vinícius Vanucchi tenha sido preso em Itatiba com uma fortuna em dólares escondidos em um “bunker”, o juiz da Vara Criminal de Itatiba entendeu que não foi comprovada a origem irregular do dinheiro. Parece que enriquecimento sem origem comprovada deixou de ser crime no Brasil! Sem contar que a discussão de quem é o juiz natural para julgar crimes inteligentes cometidos em vários lugares e ocasiões agora exige primeiro uma definição do Supremo Tribunal Federal (STF)!


José Elias Laier joseeliaslaier@gmail.com

São Carlos


*


BAH! - TECNOLOGIA


Uma das novidades tecnológicas cuja chegada é prevista para ocorrer ainda nesta década são os computadores quânticos. Só que, até conseguirmos utilizá-los bem, isso pode demorar mais uns dez anos. Assim, tomaremos 2040 como base para a análise que segue. Computadores quânticos – na visão da Google – começam sendo 100 milhões de vezes mais rápidos do que qualquer computador clássico disponível para eles. Em outras palavras: em uma hora, eles processam o que os nossos melhores computadores clássicos fazem em 11.400 anos. Como sua especialidade deve ser Inteligência Artificial e aprendizado de máquina evolutivo, dotado de otimização constante de processos, em tese, não é impossível que a cada hora de trabalho dessas maquininhas se desenvolvam tecnologias que propiciem um avanço similar ao obtido em milhares de anos pela humanidade. Com uma redução de 100 a 1.000 vezes do consumo de energia. Ou seja: nos próximos 20 anos, os homens precisam evoluir umas 100 milhões de vezes para continuarmos em nosso papel de liderança na relação homem-máquina. Nada tão motivador como um bom desafio. E como bem dizem os gaúchos: bah!


Jorge A. Nurkin Jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo



 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.