Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

05 de maio de 2021 | 03h00

Congresso Nacional

Marotagem

Recentemente foram descontinuadas as doações de pessoas jurídicas aos partidos políticos. Uma das alegações foi a eventual “simpatia” ou “gratidão” das agremiações às empresas colaboradoras, o que identifica, indubitavelmente, conflito de interesses. Para não prejudicar os partidos foi instituído o chamado fundo eleitoral, uma vez que representava muito esforço com pouca chance de sucesso a arrecadação de verbas entre os simpatizantes das legendas, sempre desconfiados das intenções dos políticos. Agora, com a sede de verbas que lhe é peculiar, o Congresso estuda a volta das doações de pessoas jurídicas aos partidos, mas, e aqui entra a marotagem, ao mesmo tempo mantém aquele fundo. Podia-se esperar outra coisa da Casa comandada pelo deputado Arthur Lira? Sem dúvida, o cinismo de nossos políticos é incomensurável. Este país, definitivamente, não é sério.

HELEO POHLMANN BRAGA HELEO.BRAGA@HOTMAIL.COM

RIBEIRÃO PRETO

*

Coligações

Extremamente lamentável a notícia de que se pretende autorizar novamente as coligações em eleições proporcionais. Os dados da votação para deputado federal na eleição de 2018 identificam 264 candidatos que não obtiveram o direito de acesso a vagas na Câmara dos Deputados, embora tenham recebido votação maior do que candidatos identificados como eleitos. Presume-se que isso se deva à existência de legislação que prescreve determinados cálculos, que acabam por produzir resultados anuladores de efeitos emanados do sagrado direito de o eleitor livremente escolher quem melhor lhe convier. Não às coligações!

JOSÉ M. FRINGS JMFRINGS64@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Classe média

Vassalagem é eufemismo

A analogia da classe média com vassalagem, neste Fórum (4/5), foi, a meu ver, quase adequada. É importante relembrar que os vassalos recebiam dos senhores feudais pedaços de terra em troca de sua proteção e servidão militar. Portanto, a relação de vassalagem estabelece uma troca, o que não existe na nossa classe média, a qual presta serviços gratuitos aos políticos, que se beneficiam fortemente de sua posição. Concordo que houve sedimentação de uma classe política e aparelhamento do Estado, mas o grande beneficiário não é exclusivamente o setor político, mas os grandes conglomerados econômicos. Estes se esbaldam em isenções fiscais, operando num país que está a seu serviço, e não da população. Os reais senhores são tais empresas e os vassalos, os políticos. Assim, os integrantes da classe média não passam de meros peões nesse jogo de xadrez.

JOÃO MATTOS LEVORIN J218676@DAC.UNICAMP.BR

SÃO PAULO

*

Imposto de Renda

Quase 5 milhões de pessoas não pertencem mais à classe média, segundo o Instituto Locomotiva (Estado, 3/5). Dentre as causas, faltou mencionar o escorchante desconto compulsório do Imposto de Renda na fonte, devido à não correção da tabela há seis anos. A classe média é composta basicamente de trabalhadores formais, que não tiveram nenhuma ajuda do governo na pandemia. Sofre com a inflação e esse aumento malandro de imposto. Claro que ela fica com menos poder de compra e, consequentemente, paga menos impostos por não poder consumir. É ou não um tiro no pé? Servidores públicos de alto escalão e políticos não passam por isso, já que grande parte de seus salários é paga como ajuda de custo, na forma de penduricalhos, não taxados como renda. E o mentiroso presidente se faz de morto.

LUIZ ANTONIO AMARO DA SILVA ZULLOAMARO@HOTMAIL.COM

GUARULHOS

*

Pandemia

Fugindo da CPI

O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello avisou aos senadores que não se apresentará na CPI da covid porque teve contato com infectados pelo vírus. Mas ele não fez tratamento precoce? Não andava sem máscara? Ou agora virou “maricas” também? Conversa para boi dormir. Mas tudo bem, se não for agora, irá em data próxima.

JÚLIO ROBERTO AYRES BRISOLA JROBRISOLA@UOL.COM.BR

SÃO PAULO

*

Pretexto

Parece brincadeira, mas aguardem a manchete em 2022: Presidente não comparece aos debates porque teve contato com pessoas contaminadas pela covid-19...

RICARDO FIORAVANTE LORENZI RICARDO.LORENZI@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Resumindo

Abreviando a CPI da pandemia: o presidente Jair Bolsonaro é o responsável pelas medidas totalmente equivocadas que provocaram muito mais mortes do que seria provável. E também, com certeza, houve desvio de dinheiro público para enriquecimento de alguns governadores e prefeitos, em detrimento da vida de brasileiros enfermos. Só falta definir as penas cabíveis. Simples assim.

LUIZ FRID FRIDLUIZ@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Corrupção

Provas ilícitas

É da ordem constitucional que provas ilícitas não servem de fundamento para alguém ser condenado. O ministro Barroso (STF) afirmou, convicto, que as provas contra o ex-juiz Sergio Moro são ilícitas. E por serem fruto de crime, não podem suportar a convicção e a honestidade de uma sentença justa. Se ministros voltam as costas para essa ordem da Constituição, quem lhes há de dar crédito? A perseguição a Moro por pecadilhos (se é que os houve) desvia-se do fenomenal assalto lulopetista, para absolvê-lo da perfídia do roubo astronômico de dinheiro do povo brasileiro.

ANTONIO B. CAMARGO BONIVAL@CAMARGOECAMARGO.ADV.BR

SÃO PAULO

*

Lições de uma aventura’

Até concordo com o editorial de ontem (A3): a política deve ser exercida por gente vocacionada. Desde que os haja, principalmente no Rio de Janeiro...

ALBINO BONOMI ACBONOMI@YAHOO.COM.BR

RIBEIRÃO PRETO

*

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

VERDADES AVASSALADORAS  

O mundo civilizado já começa a desfrutar da vida pós-pandemia Cidades como Londres e Nova York já estão voltando à vida normal, quase todas as pessoas já vacinadas. As vacinas funcionaram muito bem, um grande triunfo da ciência. O Brasil não tem nada a comemorar. O País está miseravelmente atrasado no combate à pandemia, a vacinação segue lentamente, a economia abre e fecha, levaremos longos meses para sair da crise, milhares de cidadãos brasileiros vão morrer de uma doença que hoje é evitável, basta tomar a vacina. Em algum momento ficará claro que o Brasil errou tudo que havia para se errar no combate à pandemia. O povo brasileiro vai compreender que seus familiares morreram porque o presidente Bolsonaro não comprou as vacinas na hora certa, os negócios foram à falência porque Bolsonaro boicotou o isolamento social, as pessoas estão desempregadas porque o Brasil não fez sequer uma campanha estimulando o uso da máscara. Não será fácil estar na pele de Jair Bolsonaro quando o Brasil finalmente se der conta do papel que ele teve no agravamento catastrófico da pandemia no País.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo


*

A crise provocada pela pandemia  continua sem uma definição de quando vai terminar. E o Presidente Bolsonaro insiste em seus procedimentos arbitrários, recusando-se a ser vacinado e, mais, boicota Plano de Governo  de combate à covid. Uma posição inaceitável.

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos


*


TERRA PLANA


Em um país onde, em plena pandemia,  o ministro da Saúde não sabe o número de vacinados; o ministro da Casa Civil toma vacina escondido do chefe; o ministro da Economia reclama que o povo quer viver muito tempo; e o presidente não quer se imunizar, talvez por medo de virar jacaré, não é absurdo que o guru dessa ideologia que nos governa pregue que a terra é plana. 


Abel Pires​ Rodrigues abel@knn.com.br

Rio de Janeiro


*


MANDETTA


Hoje a CPI ouviu o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta. Ele fala com propriedade, sem enrolação e não traz nenhuma novidade, até agora. Mas relembra toda a irresponsabilidade e inadequação do governante e seus “conselheiros”. Ações criminosas que resultaram em mais de 400 mil mortes. Puna-se.


Elisabeth Migliavacca

São Paulo


*


Na CPI da Pandemia, ao inquirir o ex-ministro Mandetta, o nobre relator Renan Calheiros, em suas perguntas, não queria saber da verdade dos fatos. Todas as suas perguntas tinham um “tino” para que as respostas do Mandetta atingissem o Bolsonaro!!!

Artur Topgian topgian@terra.com.br

São Paulo

*

JAIR HITLER BOLSONARO

O vice-presidente da CPI da Covid, senador Randolfe Rodrigues, comparou o presidente Jair Bolsonaro, pelo morticínio de brasileiros com o seu nefasto negacionismo – em pouco mais de um ano de pandemia conseguiu ultrapassar 405 mil mortos – com Adolf Hitler, pelo morticínio de judeus – que em cinco anos dizimou seis milhões de pessoas. Na verdade, pelo andar da carruagem, Bolsonaro poderá ultrapassar seu colega alemão no quesito “óbitos”, para tanto, basta manter o seu negacionismo e deixar seu bigode ficar idêntico ao de Hitler, conhecido por “bigode de broxa”. Afinal, só está faltando isso, não é mesmo Jair Hitler Bolsonaro?      

 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo    

 

*

CPI – TENDA DOS MILAGRES


Em vez de convocarem três ex-ministros da Saúde do mesmo presidente, não seria melhor convocar três vezes o presidente: como testemunha, depois como investigado e, finalmente, como curandeiro?


Carlos Gaspar carlos-gaspar@uol.com.br

São Paulo

*


DESAUTORIZADO


O presidente Bolsonaro está desautorizado expressamente de tomar providências autoritárias, negacionistas, retrógradas e não republicanas em nosso nome. Assinado: 70% da população brasileira.


J.S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo


*


EL SALVADOR NÃO É AQUI


A estapafúrdia destituição dos magistrados da Corte Constitucional e do Procurador-Geral de El Salvador pelo Congresso daquele país é típica de republiquetas de bananas que desprezam a República e a Democracia. Esse verdadeiro sonho golpista do clã Bolsonaro (fechar o STF e o Congresso) não tem a mínima possibilidade de acontecer no Brasil, cujas instituições seguem sólidas e repelem prontamente os arroubos antidemocráticos de Jair Bolsonaro e de seus seguidores. O arrogante presidente salvadorenho, Nayib Bukele, contestou a pressão internacional justificando estar “limpando nossa casa”. Sim, a casa precisa ser depurada, não pela destituição de juízes, mas pelo voto e respeito à Constituição. 


Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo


*

STF


Ministros do STF estão retomando uma classe do Direito já utilizada ao longo da História recente, com resultados catastróficos: o veredito não é baseado em provas ou evidências, mas em conveniências ou convicções pessoais. Bons exemplos são a União Soviética stalinista, a Itália fascista e a Venezuela bolivariana, entre outros. Populus bagus plenus est.

Ely Weinstein elyw@terra.com.br

São Paulo

*

BOLSONARO, O PAZUELLO DOS FILHOS

Jair Bolsonaro é o Pazuello  dos filhos, três mandam e um obedece!

Cecília Centurion ceciliacenturion.g@gmail.com

São Paulo

*

BRASIL DO ETERNO ATRASO

Enquanto os Estados Unidos projetam gastar trilhões em infraestrutura e em educação, modernizando o país em amplos setores, o Brasil continua sempre com a sua política medíocre de apenas dar esmolas para a pobreza reinante. Nada se faz há décadas no País para modernizar uma infraestrutura totalmente arcaica. O País tem baixíssima produtividade e um mercado de consumo medíocre, pouco se trabalha e pouco se produz neste país. As centenas de bilhões que foram gastos em ajuda emergencial teriam sido muito melhor aplicadas em um grande e imenso programa de obras públicas por todo o País, inclusive em infraestrutura urbana nos grandes centros, onde falta tudo para a população, de saneamento básico a transportes de qualidade. O mesmo em amplas regiões no interior do País, e assim teríamos gerado emprego e renda em grande escala. O Brasil carece de um pensamento maior e de um projeto maior. Bolsonaro e o ministro Guedes são personagens absolutamente obtusos e medíocres e acham que com um miserável setor privado, juntamente com meras e ínfimas privatizações, vamos tirar o Brasil de um subdesenvolvimento endêmico e atroz. O fosso estrutural entre o Brasil e os Estados Unidos já é algo avassalador nos dias de hoje, no futuro então!


Paulo Roberto da Silva Alves pauloroberto.s.alves@hotmail.com

Rio de Janeiro


*

DOAÇÕES IMORAIS


É impressionante a "fome" por dinheiro desses congressistas. Não se contentam “só” com a bagatela de R$ 3 bilhões do imoral fundo partidário, como querem legalizar as doações das empresas que, comprovadamente, são alimento para a corrupção. Esses partidos imorais deveriam sustentar-se com contribuições dos seus associados. Para meter a mão em dinheiro eles se juntam contra tudo e contra todos. Esses congressistas dão náusea!

Luiz Antonio Amaro da Silva zulloamaro@hotmail.com

Guarulhos

*

CORPO AINDA VICIADO

Um viciado, por definição, tem muita dificuldade para se desintoxicar. É um processo normalmente longo e doloroso, pois o paciente, até por passar dor, só pensa naquilo e não nas boas alternativas disponíveis para sua vida. Isso vale para todos os vícios, inclusive aquele que os políticos brasileiros sentem com relação às doações de campanha por pessoas jurídicas, banidas pelo STF desde 2015. As campanhas no Brasil são caras? Sim, são! Mas o remédio é excelente: o voto distrital. O voto distrital resolve muitos problemas, além do menor custo de financiamento de campanha, incluindo a melhor qualidade de representação e de relação entre candidato eleito e seus eleitores. Mas muda a regra do jogo eleitoral, e isso é o suficiente para deixar legisladores inseguros quanto ao seu futuro, e ser descartado. Nosso país está doente e é um reflexo da enfermidade que assola nosso Congresso federal. Qual o remédio? Só votar em deputados e senadores dispostos a votar pelo voto distrital.


Oscar Thompson oscarthompson@hotmail.com

Santana de Parnaíba


*

TRISTE REALIDADE

Se a pandemia no Brasil apresenta esses números assustadores, de 410 mil óbitos e quase 15 milhões de infectados, temos um grande culpado: Jair Bolsonaro.  Desprezando a pandemia, não comprou antecipadamente vacinas, insumos, etc. Sem respeito pela ciência, sugeriu uso de medicamento sem comprovação científica, como a cloroquina. E insiste para que o povo brasileiro não respeite o uso de máscara e o isolamento social, etc. Porém, em artigo publicado no Estadão, da jornalista Eliane Cantanhêde, a marca deste desastre humano vem em um amplo estudo feito por professores do Insper, do Ibmec e da Universidade de Toronto, no Canadá, com mais de 2 milhões de dados colhidos nas primeiras 52 semanas desta pandemia nos 5.570 municípios do País.  E chegaram à seguinte conclusão. Nas cidades onde na eleição de 2018 Bolsonaro teve mais de 50% dos votos, o risco de infecção foi de 299% e de óbitos, de 415%. Já nas cidades em que no segundo turno o presidente teve mais de 70% dos votos, o risco de infecção foi de 567% e de mortes, 647%.  Lógico que foram respeitados os fatores de baixa renda, precariedade de moradias, problemas sanitários.  E nesta área social foram os que mais se influenciaram e seguiram a posição negacionista do presidente, de que o coronavírus é uma “gripezinha” e que respeitar as regras protocolares, como uso de máscara e isolamento social, é coisa de gente “marica”... Ou seja, o presidente Bolsonaro cometeu crime contra a humanidade!

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*


DESEJO DE GOLPE ABSURDO


As recentes manifestações envolvendo populares estão servindo de pretexto para entendimento de autorização de golpe. Certamente que o golpe teria à frente Bolsonaro, que, comandando seu exército de seguidores, poderia atrair, também, as nossas Forças Armadas. Ledo engano, porque o País não aceita golpe nem desrespeito à nossa Carta Magna. Bolsonaro é que deve dar um golpe e mudar sua forma de governar e de exteriorizar seus pensamentos e ações. Os demais Poderes só estão combatendo as heresias ou posturas inaceitáveis.

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojcc@uol.com.br

Rio Claro


*

BOLSONARO E PRINCÍPIOS MORAIS


“Não estou certo de que os ‘absolutos éticos’ existam, mas não tenho dúvida de que temos que agir como se eles existissem” (Arthur Koersder, O dilema de nosso tempo - nobres fins e ignóbeis meios, 1946). Uma ética de princípios absolutos – intuitivos – não explica o desacordo moral. Se o dever moral é tão claro, por que há discordâncias? Parece haver desacordo sobre moralidade, não apenas entre diferentes grupos culturais, mas também entre indivíduos. Entretanto, as diferenças podem ser exageradas. O que emana diariamente do Planalto, pelas palavras de Jair Bolsonaro, é simples fruto da ignorância e da maldade.

Amadeu Roberto Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br


*

O PLANTADOR DE FLORESTAS


Parabéns ao senhor Hélio Silva e parabéns ao Estadão por publicar a foto deste magnífico Plantador de Florestas, na capa da edição de 4/5/21, em cima de uma das 33.136 árvores que plantou ao longo da área de 3,8 km do Rio Tiquatira. Este notável ser humano, restaurador de árvores, deveria ser nosso ministro do Meio Ambiente, em lugar do desmatador Ricardo Sales, ministro do mata ambiente, deste governo que odeia a natureza e quer destruir a grande fonte de água do Brasil: a Floresta Amazônica, responsável por irrigar toda a agricultura nacional e fornecer água à nação. Obrigado Hélio Silva, o senhor honra o povo brasileiro.

     

Paulo Sergio Arisi paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre


*

PLANEJAMENTO FILANTRÓPICO

 A matéria de Bruno Romani sobre a separação de Melinda e Bill Gates, por mais surpreende que fosse, trazia informação ainda mais preciosa: a fundação filantrópica Bill e Melinda Gates, que já desembolsou mais de US$ 51 bilhões em 21 anos, já previa uma pandemia nos anos 90, ou seja, há quase 30 anos atrás. Tendo isso em perspectiva, doações foram direcionadas também para este tema. A Biotech foi uma das empresas que recebeu seu suporte financeiro. Consequentemente, não foi uma surpresa, nem só mérito de cientistas, nem inusitada, a rapidez com que foi encontrada uma vacina para a covid. Já se trabalhava com hipótese desta natureza há muitos anos. E, portanto, fruto do capital acreditando que será possível desenvolver uma estratégia de combate a questões que ameacem a humanidade de alguma forma, dando suporte a pessoas capacitadas naquilo que fazem. Um trabalho de planejamento estratégico de longo prazo. Uma obra que devemos imitar. 

Sergio Holl Lara jrmholl.idt@terra.com.br

Indaiatuba

*

JUSTIÇA

O meu maior receio é esse tal de Dr.Jairinho, criminoso inominável,  contratar um advogado que consiga um diagnóstico de psicopata e torná-lo  inimputável, podendo ser internado em algum sanatório por algum tempo. Espero que a justiça se faça!


Luiz Frid fridluiz@gmail.com

São Paulo


*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.