Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

07 de maio de 2021 | 03h00

Pandemia e desgoverno

Novo ataque à China

Jair Bolsonaro reclama do lockdown, ameaçando sua extinção por decreto. A visão desse senhor é tão curta e radical que ele não percebe que é o causador dessa reclusão forçada, pois nada fez para acelerar a importação e aplicação das vacinas, que já poderiam ter imunizado quase toda a população do País, permitindo o retorno à normalidade. Não bastassem sua criminosa inércia, sua má vontade, ainda continua a atacar a China, da qual dependemos no fornecimento do ingrediente farmacêutico ativo para aqui produzir as vacinas. Segundo o dicionário, a palavra ignorante tem várias conotações, algumas pejorativas, e todas se aplicam ao “mito”, ignorante dos quatro costados.

LAURO BECKER BYBECKER@GMAIL.COM

INDAIATUBA

*

Descalabro

Nossas relações comerciais com a China são muito importantes. Exportamos matérias-primas e importamos produtos acabados. Mas, pelo visto, Bolsonaro não leva isso em consideração ao insinuar que a pandemia foi criada na China por interesse econômico. A que ponto chegamos!

URIEL VILLAS BOAS URIELVILLASBOAS@YAHOO.COM.BR

SANTOS

*

Na contramão da vida

Esquecendo-se de que nenhum direito fundamental é absoluto, Bolsonaro ameaça baixar decreto garantindo o direito de ir e vir (artigo 5.º da Constituição), contra as restrições de circulação impostas por governadores e prefeitos. Com audácia, afirma que ninguém ousará contradizê-lo. E, como de costume, não mencionou os 410 mil mortos pela covid-19, mortes que tais limitações visam a frear. E desconsiderou o artigo 6.º da Carta Magna, que garante o direito à saúde, que, certamente, prevalece sobre o de ir e vir em tempos de pandemia. Bolsonaro sempre na contramão da vida.

ENI MARIA MARTIN DE CARVALHO ENIMARTIN@UOL.COM.BR

BOTUCATU

*

Autoincriminação ou alienação?

Que tal explicar ao néscio que não cabe a nenhum tribunal contestar decretos? Eles são contestados por terceiros que com eles não concordam e submetem à decisão dos tribunais sua validade à luz das leis e da Constituição. Como um parlamentar pode passar 30 anos sendo reeleito sistematicamente sem conhecer a Constituição e os limites constitucionais de cada Poder da República e, uma vez eleito presidente, não entender o seu papel, acreditando ter recebido um mandato imperial?

JORGE ALVES JORGERSALVES@GMAIL.COM

JAÚ

*

Polígrafo

Infelizmente, no Brasil é proibido o uso de polígrafo como prova de verdade. Fosse nos EUA, Bolsonaro estaria condenado por mentir à Nação. Agora se diz favorável à vacina, que no ano passado tanto ridicularizava. E pensar que pequena parte da população ainda acredita nessas lorotas...

MANUEL PIRES MONTEIRO MANUEL.PIRES1954@HOTMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Vida de gado

Na saúde, imunização de rebanho. No meio ambiente, deixar passar a boiada. Haja gado para o desgoverno Bolsonaro!

OSWALDO BAPTISTA PEREIRA FILHO OSWALDOCPS@TERRA.COM.BR

CAMPINAS

*

Pazuello

Se durante a Guerra do Paraguai tivéssemos meia dúzia de generais com a competência e a coragem de Eduardo Pazuello, hoje os brasileiros teriam como língua o guarani.

LEÃO MACHADO NETO LNETO@UOL.COM.BR

SÃO PAULO

*

Bolsonaro e a covid

E a “gripezinha” matou Paulo Gustavo...

ALICE A. C. DE PAULA  ALICEARRUDA@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Vacinação em São Paulo

Pessoas com deficiência

O governo de São Paulo anunciou que vai vacinar pessoas com deficiência permanente entre 55 e 59 anos, mas exigirá como comprovação dessa condição o recebimento do benefício de prestação continuada

de assistência social (BPC). Como o BPC é verba destinada apenas a pessoas carentes financeiramente, sua exigência deixará de fora da imunização as pessoas com deficiência dessa faixa etária que não forem carentes, mesmo que em situação de elevado risco. Melhor será a Secretaria da Saúde corrigir rapidamente esse equívoco e aceitar outras formas de comprovação de deficiência permanente.

MARCOS DA COSTA MARCOS.COSTA@UOL.COM.BR

SÃO PAULO

*

Atestado médico

De fato, é preciso avisar às autoridades de saúde que nem todo deficiente permanente é beneficiário do BPC. Temos autistas, portadores de síndrome de Down e pessoas com outras deficiências nas classes média e alta. Nesses casos bastaria apresentar atestado médico relativo à respectiva deficiência. E, por favor, não exigir que o atestado tenha sido emitido “nos últimos 90 dias”.

ELIE R. LEVY ELIERLEVY@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Planos econômicos

Espera de 30 anos

Será que, mesmo com esses lucros bilionários anunciados pelos bancos no primeiro trimestre deste ano, o Supremo Tribunal Federal (STF) não se sensibilizará para dar prosseguimento às ações dos malfadados planos econômicos, que permanecem retidos, já com decisões favoráveis em primeira e segunda instâncias? Neste momento tão trágico, tanto em vidas como na economia do País, em que até o governo federal anuncia a antecipação de parcelas do 13.º salário para aposentados, por que os bancos não podem devolver o que é devido aos milhares de poupadores lesados? É muita insensibilidade do STF. São mais de 30 anos de espera!

EDUARDO DOMINGUES DOMINGUESEDUARDO@UOL.COM.BR

SÃO PAULO

*

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

FALÁCIAS BOLSONARISTAS      

O Ministério da Saúde disse ter adquirido 560 milhões de doses para combater a pandemia de covid. Só que não. Na verdade “contratou” cerca de 280 milhões de doses e outros 280 milhões de doses estão “em fase de negociação, ou seja, não há contrato assinado, portanto, sem garantia. Ora, se negociações fossem favas contadas, o Brasil não estaria contando diariamente seus mortos que, certamente, em dois meses, chegarão ao lamentável número de 500 mil óbitos. Pobre País! 

 

 Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo


*


BASTA DE TORCER AS LEIS

Basta de torcer a lei para trazê-la servil ao cabresto dos próprios interesses. Dizem os senhores ministros que aplicam a lei, quando, em realidade, fazem-na rastejar a modo e a contento de sua própria vilania. Basta de explorar os estúpidos engenhos de sofismas afinados com a mentira, em roupas de aparente verdade. O que hoje semeais, amanhã colhereis à farta. Semeais opressão, pois sereis oprimidos. Semeais as provas ilícitas; amanhã sereis vítimas dessas mesmas provas ilícitas.  Dos males, o ódio é o único que não tem semente; nasce pronto. Semeais o ódio, pois, desde agora estais sendo odiados. Pois que, os passos passam e desaparecem, mas as pegadas ficam. Os ministros passam, mas suas maldades ficam registradas no mármore da opinião.  Onipotentes e avassaladores hoje, para amanhã (e o amanhã está logo ali, apenas a uma volta do ponteiro)  trôpegos e decrépitos. Tamanho o banzé que se fez ultimamente da lei, com as acachapantes idas e vindas, que já não se sabe onde e com quem está a lei. Porque os guardiões da Constituição fizeram dela um salseiro de abusos, onde pululam os sofismas, que, com feição de verdade, no fundo não passam de mentira deslavada. A anarquia moral assume proporções preocupantes no cenário do Supremo Tribunal. A Casa está dividida. Alguém, urgentemente, há de chamar à ordem a Suprema Corte, para que haja uma profunda transformação, um exame de consciência, e deixem os senhores ministros de tripudiar sobre as leis, e volte o Supremo a ser Supremo, a ser a estrela polar, a nos apontar o caminho da verdade e da Justiça! Pois esse e não outro é o seu sacrossanto papel.

Antonio B. Camargo – SP

bonival@camargoecamargo.adv.br


*

PAULO GUSTAVO

Perdemos Paulo Gustavo. Que pena!

Ele que nos deu tanta alegria. Ele que tanto resistiu ao preconceito. Ele que sempre foi um guerreiro na luta pela igualdade, pela verdade, pela vida e pela felicidade. 

Vítima do vírus ou vítima de quem permitiu sua disseminação?

Que a morte desse querido dos brasileiros passe a ser também um ícone na luta pela responsabilização de quem não quis que medidas de prevenção fossem adotadas e tantas milhares de vidas, também queridas, não fossem escandalosamente perdidas. 

Que governante é esse que dirige nossa Nação?

Que triste!


Fernando Pirró fpirro@uol.com.br

*

CARTA A PAULO GUSTAVO E AO BRASIL


A morte de Paulo Gustavo simboliza pra mim todas as dores desta pandemia. Nunca chorei tanto pela morte de um artista distante. 

Acontece que essa sensação de perda não é só por ele, é por milhares. É a dor de milhares de mães, pais, irmãos e amigos. A dor de todos nós. 

Muitas vezes em meio à minha tristeza eu recorri ao humor dele como salvação.

“A arte é o acostamento da vida”, como diria Sergio Fingermann. Me vi parada neste acostamento com ele quando precisei de leveza e riso fácil... Quem me conhece sabe o quanto acredito que só o humor salva. 

Hoje eu choro também por ser brasileira. 

Pela vergonha de uma nação dividida, ignorante e leviana. 

As mortes por covid são uma parte do meu luto. A outra parte é composta por uma ruptura invisível, tudo aquilo que quebrou dentro de mim por enxergar as pessoas como elas realmente são, pela falta de esperança, pela dor de imaginar como será a vida de minha filha nesta terra de ninguém. 

Paulo Gustavo, sua genialidade, representatividade, humor e afeto farão muita falta em meio a tanta miséria e angústia. 

Meus aplausos eternos pra você 


Pati Bertolucci patchef@gmail.com


*

CPI DA COVID


A CPI da Covid condiz com a atuação do governo federal no combate, prevenção e tratamento da covid-19, ou seja, é absolutamente ineficaz, incompetente e dispendiosa. Inacreditável que a sociedade, os poderes e órgãos representativos aceitem esse desperdício de tempo e dinheiro do Senado em uma CPI que mais uma vez dará em pizza e reforça o poder absoluto do presidente Bolsonaro sobre a Casa legislativa e o Senado.

Daniel Marques danielmarquesvgp@gmail.com

Virginópolis (MG)


*

MISSÃO IMPOSSÍVEL – CPI

A passagem de Nelson Teich pelo Ministério da Saúde é algo que o competente empresário e médico conceituado poderia ter evitado na raiz. Como os motivos da saída prematura de Teich foram basicamente os mesmos de Mandetta, bastaria uma conversa de WhatsApp com o descolado demitido para o tímido substituto escolhido saber que não teria nenhuma autonomia, fundamental para o cargo. Assim não aceitaria essa verdadeira missão impossível.


Abel Pires​ Rodrigues abel@knn.com.br

Rio de Janeiro


*

BULA DA CLOROQUINA  

Em seu longo depoimento de mais de sete horas e meia à CPI da Covid, o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, um dos presidenciáveis de centro-direita em 2022, disse sem meias-palavras que o Planalto tinha intenção de alterar a bula da famigerada cloroquina na Anvisa por meio de decreto presidencial para conter a indicação de que o medicamento é recomendado para o combate ao coronavírus. Se sua denúncia for devidamente comprovada, estará configurado gravíssimo crime de lesa-humanidade, dando ensejo à instalação de processo de impeachment sem dó nem piedade. Burlar a bula? A que ponto chegamos!

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

 AS ESCUSAS DE BOLSONARO


  Emparedado pela CPI da Covid-19, Bolsonaro torce e retorce procurando saídas impossíveis para seu constante  negacionismo. Os depoimentos de Mandetta e de Nélson Teich, ex-ministros da Saúde, apontam, com clareza, a motivação de suas saídas do Ministério: a insistência de Bolsonaro na indicação e uso da cloroquina e a imposição de suas vontades, impedindo o livre desempenho ministerial, além da coibição  de suas lideranças como médicos e especialistas que são. Até guerra microbiológica suscitou quando assevera que a China seria a produtora do vírus  da covid-19, podendo assim abalar o bom relacionamento existente entre os países e afetar o pacto comercial entre o Butantan e a China. Triste resultado que colhe Bolsonaro e que, no entanto, não o impediu de continuar realizando receitas de seu tratamento prévio e preventivo da covid-19, com cloroquina e outros medicamentos. A manutenção de seu comportamento prejudicial ao combate da covid-19 pode ser interpretada como um desejo absurdo de direcionar provas contra si mesmo. Pelo andar da carruagem, não há dúvidas de que a CPI conseguirá culpá-lo e estampá-lo como o grande responsável por dezenas de milhares das mais de 410mil mortes ocorridas no País em decorrência da doença.


José Carlos de Carvalho Carneiro

josecarlosdecarvalhocarneiro@gmail.com

Rio Claro


*


EX-MINISTROS NA CPI


Dois ex-ministros da Saúde, Mandetta e Teich, prestaram depoimento na CPI da Covid. Mandetta citou um fato inimaginável, a respeito de um decreto presidencial para que fosse sugerido mudar a bula da cloroquina na Anvisa, colocando na bula a indicação de cloroquina para coronavírus. Disse também que Bolsonaro ignorou a ciência, indicando a cloroquina como tratamento precoce, sem ter evidências científicas. Relatou que Bolsonaro rechaçou a ideia de isolamento social. Teich garantiu que não tinha autonomia nem liderança em seu cargo e que a ampliação do uso da cloroquina motivou sua saída do Ministério. O macabro chefe do Executivo furtou-se das opiniões dos médicos que ele mesmo nomeou para o Ministério da Saúde.

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte - Minas Gerais


*

AUTODESTRUIÇÃO

O escorpião quando está em perigo e percebe que não tem mais saída comete suicídio. Isto me lembra alguém, mas não vou revelar quem é.

Károly J. Gombert kjgombert@gmail.com

Vinhedo

*

UMA BOA ALTERNATIVA


Bolsonaro, que virou saco de pancadas, deveria considerar a hipótese da renúncia. Não por covardia, mas por patriotismo. Com isto levaria junto seus três filhos, que, para a maioria de seus eleitores, são os  que atrapalham suas possíveis boas intenções, se é que as têm. Em seu lugar entraria Mourão, também ex-militar, supostamente mais preparado. É um quatro-estrelas, enquanto o outro não passou de tenente ou alferes. E de alferes na história do Brasil  ter Tiradentes já está de bom tamanho. Seria, portanto, uma atitude de  patriotismo, muito ausente neste povo brasileiro.


Paulo Henrique Coimbra de Oliveira ph.coimbraoliveira@gmail.com

Rio de Janeiro


*


JUSTIÇA PRAGMÁTICA

É estarrecedor a gente abrir um jornal e dar com a liberação do dr. Abdelmassih para prisão domiciliar. Coitado! Que deterioração física repentina! É surpreendente que como médico não soubesse avaliar bem as consequências dos atos nefastos praticados contra as pacientes, assim como a si próprio. Coisas da vida. A Justiça deve ser cega, surda e muda. Imparcial, portanto. Mas não aqui. Aqui temos juízes cegos demais até para coisas que o cidadão vê como óbvias. Mensalão só impactou a Marcos Valério.  Desvios do PT: onde? Embora cada ação da maior petroleira do Brasil valha menos de US$ 5,00.  Deve ser problema de má gestão, né? Quadrilhão do MDB não pode ser provado, embora se estime desvio de R$ 580 milhões. Isso é Brasil! Precisa dizer mais? Hipócritas do poder continuam a festejar. 

Sergio Holl Lara jrmholl.idt@terra.com.br

Indaiatuba

*

JUIZ ABSOLVE TEMER, CUNHA E GEDDEL

Outro exemplo vexaminoso do nosso sistema Judiciário é bem representado pela absolvição por parte da Justiça Federal de Brasília de notáveis políticos como exposto na matéria Juiz absolve Temer, Cunha e Geddel (Estadão, 6/5, Política, A10). Afinal foram desviados R$ 587 milhões dos cofres públicos e o juiz da ação alega que não há provas. Como interpretar uma coisa dessa?! A sociedade precisa saber quem são os incompetentes nesse julgamento. Será que eles estão interessados em saber no bolso de quem foi parar essa montanha de dinheiro? 


José Elias Laier joseeliaslaier@gmail.com

São Carlos


*

A INSEGURANÇA NACIONAL

Para escapar da quadrilha organizada que fez da corrupção método de governo e política de Estado, os brasileiros elegeram Bolsonaro em 2018. Mas os  que ainda defendem o lulopetismo não aderiram à corrupção, não se tornaram bandidos, defendem-no negando que o crime ocorreu. Não é loucura, é mentira deslavada mesmo! 

Por outro lado, como bem mostrou Eugênio Bucci (Cartesianos e descabeçadosEstadão - A2, 6/5), com o bolsonarismo ocorre um fenômeno aterrorizante: os  que ainda o defendem tornaram-se iguais ao líder, “cabeças voadoras que, nas redes sociais, zunem ocas, zumbis e desencarnadas para dar poder a quem não tem juízo...”.  Podemos concluir, então, que  o povo brasileiro não é de índole corrupta, como querem alguns historiadores, mas com certeza o Dr. Bacamarte encontraria hoje um prato cheio para pesquisar a insanidade mental brasileira. Machado de Assis nunca foi tão atual.


Sandra Maria Gonçalves sandgon46@gmail.com

São Paulo


*


VACINAS JÁ

Muito louvável a decisão do presidente dos Estados Unidos de apoiar a suspensão de patentes de vacinas contra a covid-19. O Brasil, por exemplo, tem um grande parque industrial farmacêutico que poderia produzir grandes quantidades de vacinas usando as fórmulas desenvolvidas e já aprovadas pelos principais laboratórios do mundo. O combate à pandemia deve ser tratado como uma guerra, não é tolerável que meia dúzia de laboratórios siga contando o dinheiro e prometendo entregar vacinas no fim do ano, ou no ano que vem, enquanto milhões de pessoas continuam morrendo de uma doença que já se tornou perfeitamente evitável. O presidente Joe Biden já faz por merecer um lugar de destaque junto aos grandes governantes dos Estados Unidos, enquanto o negacionista antivacinas Jair Bolsonaro segue a passos largos para ocupar seu lugar na lata de lixo da história.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

TIRO NO ESCURO


Biden acaba de endossar a renúncia à propriedade intelectual para vacinas e terapias para covid-19. O que deixou muita gente rindo sozinha. Agora todos poderão copiar ou tentar copiar as vacinas que estão sendo atualmente produzidas, gerando o ambiente ideal para a produção de vacinas de menor qualidade ou até mesmo de vacinas falsas. Afinal, todos os que não conhecem os porquês da coisa ser como é se sentirão aptos a fabricar e fornecer o que imaginam ser a vacina, às vezes sem tomar cuidado com as salvaguardas que só os verdadeiros desenvolvedores conhecem. E quando algo der errado, a quem se deve recorrer em busca de solução? A Biden e sua equipe, evidentemente. Mas a pergunta principal é quem será o maluco que investirá no desenvolvimento de novas vacinas e novos tratamentos para as próximas pandemias? Ou até para proporcionar proteção contínua contra as variantes da covid que não param de surgir e que eventualmente não serão cobertas pelas vacinas existentes? A história do vírus não para por aqui, mas a colaboração dos principais laboratórios para. Bom seria se isto fosse apenas um pequeno equívoco ou um tiro no pé, mas não é. Trata-se de um tiro no escuro de uma bomba de alto poder explosivo. Salve-se quem puder. 


Jorge A. Nurkin jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo


*


QUEM PAGA A CONTA

O presidente Bolsonaro continua a agredir o governo chinês. Se ele não tem nenhum escrúpulo com sua própria pessoa, os brasileiros não têm nada a ver com isso. Poupe-nos, por favor!


Luiz Frid fridluiz@gmail.com

São Paulo


*



AGRADECER E RECONHECER


Não é muito comum encontrar, de forma pública, mensagens de agradecimento e reconhecimento. Eu agradeço e reconheço a importância do governo paulista no combate à  pandemia e muito especialmente a atuação no processo de vacinação. Lógico que ingrato não agradece ou reconhece o trabalho, mas isso é resto, o que sempre foi e será. Resto.

Também, agradeço e reconheço a importância da TV Globo e suas afiliadas, em esclarecimentos, entrevistas e alertas. Só não deram importância os obtusos. Muito oportuno o agradecimento aos médicos Mandetta  e Teich.

Não concorda? Tudo bem, mas use seus argumentos e não as publicações do gabinetão e assemelhados.

Sérgio Barbosa sergiobarbosa19@gmail.com

Batatais


*

LULA PARABENIZOU BIDEN!


Quanto mais buscamos eliminar a triste figura de Lula na política brasileira, mais a mídia, que só pode ser esquerdista mesmo, qualquer “pum” que ele solte, o transforma em notícia, como foi quando hóspede no flat em Curitiba. Diariamente, qualquer espirro, respiro, tosse, bocejo de imediato virava nota na imprensa. Na quarta-feira noticiaram que Lula parabenizou o presidente Biden por ele defender a quebra de patentes das vacinas. Qual a importância disso para merecer nota em jornal? Só mesmo simplórios creem que o Biden soube e ficou muito satisfeito pelo elogio lulista!

  

Laércio Zannini spettro@uol.com.br

São Paulo


*



NAPOLEÃO

A França está no segundo centenário da morte de Napoleão Bonaparte, fazendo reavaliações sobre a importância e comportamento desse ícone histórico francês. Entre a visão de glorioso e ditador, o povo francês se divide nessa avaliação histórica desse personagem, que em determinadas situações virou símbolo de desequilíbrio psicoemocional nos manicômios globais, como percebemos em algumas lideranças nacionais e estrangeiras que temos em nosso planeta atualmente.

José de Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro


 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.