Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

24 de maio de 2021 | 03h00

Perspectivas inquietantes

FHC e Lula

Sou filiado ao PSDB e meus votos sempre foram dos candidatos do partido, principalmente de Fernando Henrique Cardoso, que considero o último presidente do Brasil. Depois dele nada aconteceu de positivo. O encontro com Lula e a declaração do seu voto no petista para evitar a reeleição de Bolsonaro, a meu ver, foram um equívoco. A disposição de evitar a reeleição de Jair Bolsonaro é compreensível. Bolsonaro por mais um período seria a continuação de um desastre. Mas a opção por Lula seria outro desastre. Não podemos esquecer que os governos de Lula foram os mais corruptos da nossa História. Sua eleição agora não seria um avanço, mas um retrocesso. É fundamental a procura por uma terceira via. Não será fácil, mas é necessária.

CELSO BATTESINI RAMALHO LETICIALIVROS@HOTMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Inocente?

É um espanto que políticos sérios, como FHC, e parte da imprensa tratem Lula como um político “normal”, até como “estadista”, alimentando a fábula de “inocente perseguido” e inflando seu cacife eleitoral. Sob o comando de Lula se orquestrou, por quatro mandatos seguidos, o maior esquema de roubo de dinheiro público da História do Brasil. As dezenas de réus confessos e presos e os bilhões recuperados não permitem dúvidas. Dinheiro que poderia ter sido empregado em hospitais, escolas, infraestrutura. Lula só não está preso por inépcia – conivência? – do nosso disfuncional Supremo Tribunal Federal. Para culminar, ele foi responsável pela eleição de Bolsonaro, na esteira do pavor de que o grupo dele voltasse ao poder. Que Deus nos livre de ambos, pois têm sido de assombrosa incompetência.

CÉSAR GARCIA CFMGARCIA@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Papo de democracia...

O ex-governador do Espírito Santo Paulo Hartung é um dos raros políticos brasileiros a merecer minha admiração. No entanto, causou-me estranheza sua manifestação (22/5, A4) sobre o encontro dos ex-presidentes. Não se pode atribuir sua opinião – ao enaltecer, embevecido, o “cardápio” do almoço, “conversa sobre democracia” – a suposta ingenuidade, dado ser político experiente. Ele acredita mesmo que o líder petista, raposa velha e astuta, tenha falado de democracia...? Só quem não conhece a figura e seu partido – e a maioria dos brasileiros conhece – para acreditar. Para ficar só num exemplo, seu partido, enquanto esteve no poder, trabalhou para pôr mordaça na imprensa. Já FHC, no ocaso de sua vida pública, dá declarações e tem tido atitudes um tanto discutíveis. Dar apoio à previsível candidatura do petista é, na minha opinião, mais um sinal ambíguo de FHC, a meu ver, um sinal potencialmente pernicioso para a nossa democracia.

JOSÉ ROBERTO DOS SANTOS VIEIRA JRDSVIEIRA@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Mea culpa

Qualquer diálogo minimamente aceitável com Lula deveria partir da premissa de ele reconhecer não só os erros e a corrupção desenfreada nas gestões petistas, mas também que o bom legado de FHC não foi a herança maldita propalada pelo PT. Mas isso é improvável. Melhor buscar uma terceira via viável para quebrar a maléfica polarização Lula x Bolsonaro.

CELSO NEVES DACCA CELSODACCA@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Reciprocidade

FHC e Lula são parceiros desde a liderança deste em greves no ABC. Foi FHC quem aliviou Lula do provável impeachment do mensalão, e ele foi reeleito. FHC declarou-se eventual eleitor de Lula em 2022. Invertendo a situação, Lula seria eleitor de FHC? Duvido!

HUMBERTO SCHUWARTZ SOARES HS-SOARES@UOL.COM.BR

VILA VELHA (ES)

*

Pobreza de líderes

Dessa recente aproximação de FHC com Lula fica patente a carência de novas lideranças. Na próxima eleição, provável e melancolicamente, teremos de optar entre o ruim e o péssimo, um candidato tosco e incompetente ou um ex-presidiário que dilapidou o País. É como dizem: Brasil, pobre menino rico, país do futuro, mas que tem um longo passado pela frente...

ROBERTO BOTKOWSKI MZRARQUITETURA@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Energia e meio ambiente

Usina Tabajara

De acordo com a reportagem sobre a Usina Tabajara, barrada por problemas ambientais (22/5), a Região Amazônica já sofre com as ilegalidades que todos conhecemos. Assim, um empreendimento como esse propiciaria, naturalmente, muito mais ilegalidades e, por decorrência, muito mais crimes ambientais e de outras naturezas. Além do mais, tem-se todo esse desperdício de recursos em estudos e pareceres técnicos para tentar passar uma boiada de 400 MW para entregar, de fato, míseros 235 MW. Para efeitos de comparação, cada um dos 20 geradores de Itaipu tem 700 MW de potência nominal, que produz energia o ano todo praticamente na sua capacidade máxima. Então, essa usina equivaleria, inteira, a um terço de um único gerador de Itaipu. Aí eu me questiono: para que é isso, a que interesses serve? Agora, o Linhão de Roraima/Boa Vista, ainda sem definição quanto à sua construção, que deveria estar em operação desde 2015, essa, sim, é uma obra extremamente necessária. O que estamos esperando para levá-la adiante?

ORLANDO LUIZ SEMENSATO OSEMENSA@TERRA.COM.BR

CAMPINAS

*

O ministro ‘extraordinário’

Confesso que fiquei confuso ao ler que o presidente Jair Bolsonaro considera “extraordinário” o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Isso depois de termos visto suas trapalhadas passando a boiada, de estar sob investigação de uma série de delitos. Sinceramente, fiquei em dúvida quanto ao real significado do termo “extraordinário” nesse contexto.

LUIZ ROBERTO SAVOLDELLI SAVOLDELLI@UOL.COM.BR

SÃO BERNARDO DO CAMPO

*

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

BIOGRAFIA

Embora não tenha nada com isso, o fato de o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, nesta altura de sua vida, se aproximar de Lula da Silva mancha sua biografia de homem letrado.


Luiz Frid fridluiz@gmail.com

São Paulo


*

QUEM FOI?


Gostaria de saber quem foi que convidou quem para o almoço? FHC, Lula, PSDB ou PT? Eis a questão!

Nelson Cepeda fazoka@me.com

São Paulo


*


FHC PERDEU E MEMÓRIA?


Vendo a foto de capa da edição de 22/5 do Estadão, com FHC confraternizando com o ex-presidiário, que está em campanha para se eleger novamente presidente da República, lembrei dos oito anos de “ Fora FHC” promovido pelo partido que transformou o País por 14 anos numa cleptocracia. E nesses 14 anos achincalharam os governos de FHC com a tal “herança maldita”. Não espero que o ex-presidente FHC seja rancoroso e alimente espírito de vingança contra o seu opositor histórico. 

Diante do que se conheceu dos assaltos à coisa pública praticados pelo histórico oponente e seu partido, como alguém no domínio de suas faculdades pode cogitar de qualquer associação com esse tipo de política e político?

Olhando aquela foto sinto pena de FHC e do País.


Ana Lucia Amaral anamaral@uol.com.br

São Paulo


*


PAPEL DO LÍDER


Entre o corrupto e corruptor experiente e o louco desvairado e destruidor, ele opta pelo primeiro. Ainda que esta opção possa ser aceitável para uma pessoa comum como eu e você que me lê, nunca poderia sair da boca de alguém que se colocava como um líder. Um líder só joga a toalha após lutar ferozmente por suas convicções; não pode vender desesperança!! Que surja o líder que seja capaz de colocar em marcha uma terceira via, num momento como este o país não precisa de fracos! 


Antonio Carlos acferre@terra.com.br


*

O ENCONTRO


O encontro de FHC com Lula tão cantado como boa política me causa desilusão! Lula se safou por obra desse desmoralizado STF, mas não foi inocentado, continua criminoso. Roubou e deixou roubar muito. Construiu estádios em vez de escolas e hospitais. Alardeou a herança maldita que recebeu e em 2020 se negou a participar do movimento contra Bolsonaro proposto pelo PSDB. Hoje acredito que FHC comprou votos para aprovar a reeleição. Os métodos são sempre os mesmos, por isso vimos o mensalão, o petróleo. E agora o bolsolão do tratorão! É  com essa Presidência, esse Congresso(com raras exceções) e esse STF que saímos de país do futuro para ser párias mundiais.

Atitudes como essa mostram a relatividade da moralidade e da honestidade.

Pobre Brasil!

Cecilia Centurión ceciliacenturion.g@gmail.com

São Paulo


*

TRAIÇÃO


É lamentável abrir a pagina de política do Estadão e dar de cara com o título Aproximação Lula/FHC.

Sinto-me traído e enganado pelo sr. FHC, em quem votei . Porém me parece que o velho ditado volta à tona : “As espécies se procuram”.

Porém, farei  o que todos deveriam fazer: Lula nunca mais  e  FHC também.

Paulo A. Uzuelli  puzuelli@gmail.com

São Caetano do Sul



*

PRIMEIRO PASSO


O encontro deles é um preparo para enganar o povo brasileiro novamente.

Lourdes Migliavacca

São Paulo


*


AGRADANDO À PLATEIA


O que podemos esperar de um presidente da  República que preside uma Nação com mais de  212 milhões de brasileiros onde mais de 440 mil já morreram vítima da covid-19, o número de desempregados se aproximando de 15 milhões, e nosso mandatário, em vez de buscar soluções para os problemas, está viajando  País afora para fazer campanha política e utilizando seu precioso tempo para atacar os ex-presidentes  Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Henrique Cardoso, que juntos governaram por 12 anos o nosso país. Como perguntar não é ofensa, será que o presidente Bolsonaro está utilizando seu precioso tempo denegrindo a imagem de Lula e FHC para tentar distrair aquele pequeno grupo que ainda o apoia? Creio que sim...


Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)


*



A MENTIRA UTILIZADA COMO PÓS-VERDADE NO REINO DE BOLSONARO”

De repente, a CPI veio apenas e tão somente para confirmar duas coisas muito simples: 1ª: O governo não fez nada em tempo algum antes e depois da pandemia se iniciar pela saúde pública no país; 2ª: nunca se mentiu tanto na esfera de um governo como nestes dois anos e quatro meses de Jair Bolsonaro, perto dele Pinóquio e Maluf seriam os mais sinceros personagens da nossa vida.

Embora tenha um pequeno grupo que ainda acredite em tudo que o presidente e seus ministros falam, a cada dia esse grupo vai diminuindo. Porque é simplesmente impossível conviver com tantas mentiras e aberrações por muito tempo.

A política, assim como na vida, tem um preço a se pagar por aquilo que você faz ou diz, principalmente quando isso é feito de forma inconsequente. Bolsonaro segue a cartilha da extrema direita muito utilizada por Steve Bannon e Trump nos EUA, o final todo mundo sabe qual foi para eles na eleição americana.

Rafael Moia Filho rmoiaf@uol.com.br

Bauru


*

PAZUELLAR

Foi determinado pelos órgãos competentes a inclusão de mais um neologismo nos dicionários da língua portuguesa. A ordem é para que seja incluído o novo significado para o verbo “mentir”. A partir de agora, o verbo “mentir” – faltar com a verdade – será atualizado para o verbo “pazuellar”, pois esclarece de forma definitiva e sem subterfúgios o significado de “mentir”. Parabéns, Eduardo Pazuello pelos competentes préstimos concedidos. O País agradece!         

 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo


*

HAVERÁ RECOMPENSA?


General Pazuello, qual é a recompensa que o senhor vai receber?

Valeu a pena “sujar” o nome que herdou de seus pais?

Não esqueça que o cargo de ministro do Estado é apenas temporário e passageiro, enquanto o nome da família Pazuello continuará por muitas gerações.

Valeu a pena defender tanto uma pessoa que em nenhum momento saiu em sua defesa? Conte só para mim, que recompensa é essa que vale mais que a idoneidade da sua família e o seu título de general do Exército Brasileiro?

Ainda assim o senhor não entrega o homem?


Tomomasa Yano tyanosan@gmail.com

Campinas


*


A MENTIRA QUE SOMOS NÓS


O tema mentira já se tornou rotina à nação brasileira. Nossa educação é uma mentira, nosso SUS representa a inverdade da saúde para todos, nossa segurança pública é irreal, nossa cultura é inverídica, nossa Constituição mente ao preconizar a igualdade aos filhos da pátria, quando na verdade a intenção é claramente enveredada à proteção dos que podem, dos que têm e dos que mandam. A lista é grande e faltam-me sinônimos. Somos órfãos de berço no quesito verdade!

Acompanhando dia a dia a CPI da Covid, vejo a banalização do juramento. Uma valorização pífia da moral e honradez; e dá-lhe inverdades, invencionices, espetáculos circenses, sem o menor rubor, gagueira ou preocupação com desvios de caráter de lado a lado, com raríssimas exceções.

Particularmente, eu ficaria extremamente envergonhada se presenciasse tais vexames vindos do meu núcleo.

Juramento? O que é isso? Para que, ou melhor, a quem serve?

A situação é tão bizarra que, se os depoentes são preparados antecipadamente pela parte mandante, e esta considera a lisura de seus atos como verdade inconteste, qual a necessidade de mentir? 

Seria medo do uso da verdade?

Infelizmente a mentira não se restringe apenas à CPI. Está impregnada nos palanques, nos debates, nos gabinetes e comitês, nas instituições, enfim, como um “vírus” devastador, corrói a sociedade em suas bases e os resultados nefastos estamos assistindo às claras, pois a essa altura, toda essa imoralidade está emergindo a olhos vistos ou se depositando nas incontáveis covas abertas País afora.

O Brasil precisa de ações, de mudanças estruturais, de gente nova e limpa, com compromissos arraigados com o progresso abrangente à sociedade; que ressuscite a verdade em todas as suas faces, que recupere a honra e a virtude.

Precisamos urgentemente de uma faxina com panos limpos, pois os trapos sujos que temos nessa polarização insana não nos servem para nada, além de sujar moralmente a nação e trazer mais consequências nefastas.

O Brasil não precisa de uma terceira via; necessita “da via”, do caminho sólido que nos leve a algum lugar promissor.

Recuso-me a acreditar que as opções que temos até então, como fortes concorrentes, estejam entre duas personagens inconcebíveis sob todos os aspectos de decência.

E que essa CPI, não seja fruto de mais uma mentira, visando apenas a um palanque eleitoral para manutenção particular de interesses.

Ana Silvia Fernandes Peixoto Pinheiro Machado anasilviappm@gmail.com

São Paulo

*

GATO GARFIELD


Pazuello  é um grande estrategista. Lembrei-me do Gato Garfield – “se não puder convencer, confunda”. Respondendo a mais uma pergunta idiota, para variar, do relator, respondeu: “Missão cumprida”. Perfeita sua resposta por dois motivos. Primeiro, por ter saído do governo. Cumpriu o que lhe competia. Segundo , por serem palavras muito parecidas , pode ter soado como “comprida”. Como a pandemia não acabou, de fato a batalha será longa, portanto, comprida.


Iria de Sá Dodde iriadodde@hotmail.com

Rio de Janeiro


*


TETO DUPLEX


O governo instituiu um novo patamar de salários no Executivo. Não entrarei nos detalhes sociais da medida. Avalio apenas o mérito dos beneficiários da medida. Honestamente nenhum deles vale 10% do que passará a ganhar. Não o conquistaram por méritos, e sim por patifaria e compadrismos. Isto é, corrupção. Trilham o mesmo caminho da imundície que permeia o Judiciário e o Legislativo, que foram os precursores dessas imoralidades. Não é só o Renan que é vagabundo.


Paulo Henrique Coimbra de Oliveira ph.coimbraoliveira@gmail.com

Rio de Janeiro


*


COMPROMISSO COM O ERRO


O novo prefeito de São Paulo disse que a gestão é de Covas e que não tem direito a errar. Difícil! Covas só fez errar na condução da política sanitária contra a covid-19: redução de frequência de ônibus (causando aglomeração excessiva dentro daqueles espaços confinados), barreiras para dificultar o acesso à cidade (que só provocou a ira de motoristas), rodízio de automóveis em horários desconexos, zeladoria descuidada, obras nas grandes vias de rodagem em horário de pico, e por aí vai. Nunes precisa entender que Covas não foi eleito por seus acertos, mas sim para evitar um mal maior. Se Nunes tem a intenção de alçar outros patamares políticos, ele precisa deixar de ter compromisso com os incontáveis erros do seu predecessor e ter um olhar para a cidade e sua gente.


Oscar Thompson oscarthompson@hotmai.com

Santana de Parnaíba


*


MINHOCÃO


O TJ decidiu que é inconstitucional a lei que criou o Parque Minhocão, mas agora o estrago já foi feito, dinheiro público jogado no ralo ou em outro lugar bem escondido, sem dizer o que degradaram a história arquitetônica da cidade.

Marcos Barbosa micabarbosa@gmail.com

Casa Branca


*


DEMAGOGIA E HIPOCRISIA


A imprensa faz um verdadeiro escândalo quando do confronto entre policiais e marginais em lugares terríveis e de condições de vida sub-humanas. Eu tenho assistido a muitos vídeos mostrando a atual realidade das grandes cidades chinesas. E impressiona ver sua modernidade e  infraestrutura urbana, com uma população bem trajada e bem cuidada em suas ruas. O Brasil, com um quinto da população chinesa, possui cidades terríveis e sem estrutura de nada. No Rio de Janeiro de hoje, ao transitarmos à noite pelo bairro mais famoso do Brasil, temos um verdadeiro show de horrores! Ruas imundas, lixo por toda a parte, gente desvalida e miserável pelas ruas, tudo degradado e pichado, e nos preocupamos com a morte de uns poucos vagabundos e marginais que nada somam para a sociedade.  E as centenas de pessoas vivendo pelas ruas. E os milhares de favelas miseráveis que circundam o Rio de Janeiro, caldo de cultura para o tráfico e a eterna criminalidade. Nisto ninguém fala! O Brasil, desde a sua criação, sempre teve governos que tratam a maioria da população como lixo, sem interesse em educar esta gente, em criar oportunidades de vida para os milhões de crianças que vêm ao mundo em lares miseráveis. Isto inexiste! Existe sim é muita demagogia desta esquerda brasileira que mesmo quando no poder nada fez pelas pessoas ou pelo País. Comunistas, socialistas são os chineses! Aqui apenas utilizamos a pobreza como projeto de poder! Amparamos a pobreza com migalhas e perpetuamos o atraso, a ineficiência e a ignorância! A escala hoje da pobreza brasileira é algo aterrador e absolutamente irreversível!


Paulo Roberto da Silva Alves pauloroberto.s.alves@hotmail.com

Rio de Janeiro


*


É FRIA


Esse secretário da Cultura, Mario Frias, é mais uma aberração deste desgoverno da mentira galopante. Foi a Veneza sem nem sequer saber quem é Lina Bo Bardi, a brasileira estrela da Bienal de lá, homenageada com um Leão de Ouro póstumo. Indagado sobre suas obras respondeu: “Eu não conheço nada, desculpe. Me ajude”.

Vergonha verde e amarela.


Elisabeth Migliavacca

São Paulo


*


FUTEBOL


Ser eleito o melhor jogador do mundo pela Fifa não necessariamente o qualifica como bom administrador de time de futebol profissional. Foi o caso do Rivaldo, que, na sua gestão, praticamente, aniquilou o Mogi Mirim E.C. do futebol. Agora é o caso do Ronaldo Fenômeno, que se vê às voltas com a torcida espanhola, que o responsabiliza pela situação vexatória em que se encontra o Real Valladolid C.F.


Jorge de Jesus Longato financeiro@cestadecompras.com.br

Mogi-Mirim


*                                 


PROVA DE VIDA DO INSS


Nunca vi nenhuma proposta que pudesse aliviar a vida dos aposentados do INSS. Somos obrigados a comparecer a uma agência bancária ou a uma do INSS para provarmos que estamos vivos e podemos continuar recebendo o “benefício” do descanso pelos trabalhos prestados.

Sabemos que ao morrermos o registro da morte é feito pelo IML, hospitais e cartórios, e estes já informam ao INSS, que cancela o “benefício”.

Se temos o registro da morte, por que temos que provar que estamos vivos todos os anos?


Arnaldo Vieira da Silva arnaldosilva1946@gmail.com

Aracaju

*

 

           

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.