Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

15 de junho de 2021 | 03h00

Desgoverno Bolsonaro

O mitômano

Em “sermão” num culto pentecostal em Anápolis, Jair Bolsonaro resumiu seu credo de inacreditáveis absurdos, falsidades e loucuras, revelando sua mente de mitômano compulsivo, como analisado no editorial

O ‘evangelho’ segundo Bolsonaro (14/6, A3). “A mentira patológica é o desejo de mentir sobre assuntos importantes ou triviais”, conforme definição psiquiátrica. Ao ser contrariado ou desmentido ele reage com fúria incontrolável. O mitomaníaco acredita piamente em suas mentiras. O objetivo dos mitômanos é ser sempre o centro das atenções. Curiosamente, seus alienados seguidores o chamam de “mito”, faltando o “maníaco”, que completaria o diagnóstico médico do mal de que padece o presidente de uma nação também psicológica e politicamente enferma pela “doença da mentira”. Presidente e país estão precisando de tratamento psiquiátrico.

PAULO SERGIO ARISI PAULO.ARISI@GMAIL.COM

PORTO ALEGRE

*

Triste realidade

O editorial do Estado escancara a realidade do brasileiro, que vive profunda crise de identidade em meio ao império da mediocridade impulsionada pela disseminação de inverdades, muitas das quais veiculadas ou orientadas na cúpula do Executivo federal. Triste realidade.

JOÃO EDUARDO DA SILVA SILVA.MARUYAMA@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Faltar à verdade

O falso testemunho, na lei de Deus e também no artigo 342 do Código Penal, é passível de punição, e mesmo assim o presidente insiste em usá-lo. Quando se dirige aos seus eleitores, condena a vacinação, sem comprovação científica, o uso de máscara, o lockdown e a urna eletrônica. Insiste no “tratamento precoce” com cloroquina e na volta do voto impresso, que lhe teria dado a vitória no primeiro turno da eleição passada... Bolsonaro, Lula e Dilma têm em comum o besteirol carregado de palavreado chulo, que agrada a seu eleitorado. Sem dúvida, cada povo tem realmente o governo que merece!

J. A. MULLER JOSEALCIDESMULLER@HOTMAIL.COM

AVARÉ

*

Mentir sempre

Bolsonaro deve ter lido Goebbels e aprendido com o publicitário do nazismo que uma mentira repetida seguidamente passa a ser tida como verdade. Realmente, ele faz questão de faltar à verdade em todos os assuntos e temas que lhe interessam, a começar pela cloroquina e pelo “tratamento precoce” da covid-19. E com mais mentiras procura tirar de foco as observações feitas pela imprensa. Mas não tem sido feliz, exceto para sua já reduzida quantidade de adeptos. A continuar assim, em 2022 pode não ganhar as eleições, mas certamente fará jus a um merecido Troféu Pinóquio.

JOSÉ CARLOS DE CARVALHO CARNEIRO CARNEIROJCC@UOL.COM.BR

RIO CLARO

*

Tempos estranhos

A verdade passou a ser dúvida e a mentira tornou-se realidade na mentalidade dos incautos.

ARAKÉN ALMEIDA ARAKENALMEIDA@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Ainda o passeio

Com o botijão de gás ultrapassando R$ 100, carne bovina a cerca de R$ 50 o quilo, mais 15 milhões de desempregados e o numero de óbitos por covid-19 se aproximando de meio milhão, que motivo levou Bolsonaro àquela “motociata”?

VIRGÍLIO MELHADO PASSONI MMPASSONI@GMAIL.COM

JANDAIA DO SUL (PR)

*

Voto impresso

O voto impresso proposto pelo presidente Bolsonaro tem um claro objetivo. De acordo com os técnicos, a urna eletrônica é confiável, inviolável e imune a fraudes. Diante da impossibilidade de fraudar os resultados das eleições, exige ele o retorno do voto impresso para poder deitar e rolar, cometendo toda sorte de falcatruas. E, claro, tem o apoio de congressistas, pois também eles poderiam ser beneficiados. Está na hora de os eleitores darem um basta nessas manobras que visam tão somente à manutenção do poder. Jamais votarei em quem aprovar essa medida. E espero que muitos outros eleitores também o façam.

LUIZ MATSUDA KAWAY LUIZKAWAY@BOL.COM.BR

SÃO PAULO

*

Influência maléfica

Como eleitor, peço aos deputados federais que suspeitam da urna eletrônica e defendem a volta do voto em papel que não se deixem influenciar à toa por alguém sem moral, cujas ações visam apenas a desestruturar o sistema eleitoral brasileiro. De minha parte, nunca mais jogarei fora o meu valioso voto.

TOMOMASA YANO TYANOSAN@GMAIL.COM

CAMPINAS

*

Fraude em 2018

Para mim, houve, sim, fraude nas eleições de 2018. E a fraude é Bolsonaro, político inábil e dirigente incompetente. Sua incapacidade de governar se torna mais evidente a cada dia, sua passagem pelo Planalto tem de ser abreviada ao máximo. Quem sabe, se ele chegar às eleições de 2022, o voto impresso – que ele garante que vai beneficiá-lo – possa auxiliar-nos a varrê-lo do poder.

FLÁVIO MADUREIRA PADULA FLVPADULA@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Pandemia

Vacinação em São Paulo

Parabéns ao governador João Doria por seu empenho e competência em nos trazer uma solução para a pandemia de covid. Desde o início o Instituto Butantan e o governo do Estado vêm se desdobrando para oferecer ao Brasil uma vacina segura e eficaz que pudesse ser produzida aqui, e tiveram êxito. O anúncio da imunização de todos os adultos no Estado de São Paulo até setembro traz a esperança de logo mais estarmos livres desse pesadelo. Se houver mais manifestações do presidente provocando a China e causando novos atrasos no envio dos insumos da Coronavac, Bolsonaro deve ser preso em flagrante por crimes de lesa-pátria e lesa-humanidade.

MÁRIO BARILÁ FILHO MARIOBARILA@YAHOO.COM.BR

SÃO PAULO

*

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

ESTADISMO E COMPETÊNCIA X LIXO DA HISTÓRIA

Enquanto o Brasil lamentava a morte, no último fim de semana de duas grandes personalidades: o ex-vice-presidente Marco Maciel e o economista Carlos Langoni, o presidente Jair Bolsonaro participava de um desfile patético por ruas e estradas paulistas, montado numa moto, sem máscara, seguido e ovacionado por outros tantos motoqueiros. E, para variar, ao término da parada, vociferou mais um discurso demagógico e mentiroso acerca da pandemia. Maciel e Langoni serão sempre lembrados como exemplos de estadismo e competência, entre inúmeras outras qualidades. Já Bolsonaro, se conseguir entrar para o lixo da história, será um grande feito. 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL


O artigo de Carlos Alberto Di Franco STF – desprestígio e arrogância (A2, 14/6) é merecedor dos maiores elogios, como sempre. Aponta ele a conduta condenável de Dias Toffoli e Gilmar Mendes.  Tenho certeza de que se tivesse mais espaço, outros ministros seriam alvo de suas fundamentadas críticas.

Francisco Geraldo Salgado Cesar fgscesar@hotmail.com

Guarujá

*

DESVIOS DO STF

Tem razão o jornalista Carlos Alberto Di Franco ao afirmar em seu artigo STF - desprestígio e arrogância que os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) dão a impressão de que vivem inebriados com o poder e seduzidos pela vaidade, como atestam sucessivos e preocupantes desvios de suas verdadeiras funções constitucionais. O pior é o fato de ministros participarem de julgamentos em causa própria e também envolvendo afilhados de casamento, a higienização da ficha-suja de Lula, a condenação de Moro sem direito de defesa e muitos outros. Afinal, o STF tem sim o poder da palavra final em assuntos de natureza constitucional, e não para usar esse poder de outra maneira. A democracia, como registrado neste artigo, corre mesmo grandes perigos com um STF agindo fora de seu balizamento.


José Elias Laier joseeliaslaier@gmail.com

São Carlos


*


SEM MÁSCARAS


Em contraposição à proposta bolsonarista de que os imunizados e recuperados da covid-19 sejam desobrigados do uso de máscaras, sugiro que os admiradores de Bolsonaro passem a exibir a letra B bordada em suas camisas de sorte a podermos evitá-los e precavermo-nos contra sua contaminação.

Essa medida poderá ser recebida de boa vontade pelos entusiastas do bolsonarismo, por ser semelhante aos uniformes que distinguiam a juventude hitlerista, dá qual recebem inspiração para suas convicções. 


Lairton Costa lairton.costa@yahoo.com.br

São Paulo


*


A CONTA DA MOTOCIATA

O  presidente Bolsonaro e seus apoiadores fizeram uma  motociata numa rodovia de São Paulo no final de semana que custou aos cofres do Estado mais de R$ 1 milhão gasto com a segurança pública, para evitar incidentes. É mais  uma etapa de sua campanha visando às eleições do próximo ano. Enquanto isso sofremos com a pandemia, pela displicência de ação  da área de Saúde federal.


Uriel Villas Boas utielvillasboas@yahoo.com.br

Santos


*


GUINNESS DA MENTIRA


Constitui mais uma mentira a divulgação, por apoiadores do governo Bolsonaro, que a motociata por liderada pelo presidente tenha sido registrada por uma equipe  do Guinness World Records, como recorde de participações mundial, com o fantasioso número de 1.324.523 motos. Nessa batida é bem provável que essa trupe consiga ter um registro de recorde no Guinness, mas será por causa da extraordinária e incrível quantidade  de mentiras divulgadas. 


Abel Pires​ Rodrigues abel@knn.com.br

Rio de Janeiro


*

A TRÊS MESES DA ESPERANÇA

O ex-diretor da Anvisa Gonzalo Vecina Neto disse que “todos os Estados deverão ter situação como a de São Paulo”. Ora, o governador João Doria resolveu antecipar novamente o cronograma de vacinação dos paulistas. Foi mais longe dizendo que vai imunizar até 15 de setembro próximo todos os adultos maiores de 18 anos. Fulo da vida, Bolsonaro resolveu acionar seu “Incrível Exército de Brancaleone”, ou seja, “o tal do Queiroga”, para Doria respeitar o Programa Nacional de Imunizações (PNI) – aquele que todos os dias reduz a previsão de recebimento de milhões dos imunizantes contratados. Muita confusão à vista e a três meses da esperança. Quem viver verá!

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

PERDA DE TEMPO

Ventos democráticos e sensatos das eleições israelenses seriam bem vindos ao Brasil, onde é imensa a polarização do pleito presidencial, entre Bolsonaro e Lula.  Em Israel, a coalizão de oito partidos oposicionistas foi fundamental para derrotar e acabar com o que parecia impossível, a era Netanyahu. Nessa linha, no horizonte brasileiro, Bolsonaro e Lula, trocam farpas e passeiam na rinha sem dar a mínima para outros possíveis candidatos. Dão a  entender que,  além deles, não existem adversários. O tempo passa e caciques de partidos contrários a Lula e Bolsonaro parecem distantes da sabedoria política. Preferem seguir enfadonhos devaneios pessoais. Amontoam  especulações, conversas inconclusivas e intermináveis e fartas declarações dúbias. Perdem tempo em costuras que passam longe dos interesses coletivos. São políticos rodados e experientes, eternamente fascinados pelo poder. Sem grandeza e desprendimento para trabalhar e exortar a união  em torno de um candidato que sensibilize e atraia o eleitorado, na disputa com Lula e Bolsonaro.

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília

*

LOCKDOWN NO CHILE

Santiago, capital do Chile, decidiu aderir ao lockdown, pois muitos negacionistas que não se vacinaram estão agora infectados pelo coronavírus, e muitos estão hospitalizados, embora mais da metade da população já tenha recebido pelo menos uma dose da vacina. Assim, parece que o mercado de motocicletas usadas em São Paulo, em breve, apresentará forte desvalorização, pois se espera que muitas motos usadas serão oferecidas à venda.


Marcelo Gomes Jorge Feres marcelo.gomes.jorge.feres@gmail.com

Rio de Janeiro



*

MITO

Que tal o presidente Bolsonaro colocar na sua turnê eleitoral alguns hospitais brasileiros? Talvez os acometidos pela covid-19 também gritem pelos corredores: mito, mito, mitomaníaco!


Luiz Frid fridluiz@gmail.com

São Paulo


*

REDES SOCIAIS

As milícias digitais desse desgoverno (incluindo aí o gabinete do ódio) me dão apenas uma certeza: ficam o tempo todo se digladiando com os que denunciam as falcatruas do Bolsonaro/Centrão e, claro, não têm tempo para trabalhar como um verdadeiro governante responsável. Bolsonaro está há três anos no palanque passeando e culpando os “comunistas” pelo que acontece de errado em seu governo populista e medíocre.

Luiz Antonio Amaro da Silva zulloamaro@hotmail.com

Guarulhos

*

DESVIANDO A ATENÇÃO COM ALGAZARRA

Brevemente o presidente Jair Bolsonaro vai completar 900 dias de governo sem constituir as reformas tributária e administrativa. O número de impostos existentes no Brasil é semelhante ao número de partidos políticos. A gigantesca máquina estatal suga grande parte dos recursos arrecadados em impostos abusivos. Qual é o investidor internacional que vai levar a sério um chefe de Estado que não usa máscara durante o período de uma pandemia que já matou mais de 487 mil brasileiros em pouco mais de um ano? Os passeios de motocicleta, sem placa legível, servem para desviar a atenção do povo em relação ao IGPM acumulado de 37% nos últimos 12 meses. O mito militar motoqueiro, MMM, não tem a opulência do ex-caçador de marajás e ex-presidente Collor, que pilotava uma Ninja 1.000. Os sociopatas são diferentes, cada um com as suas singularidades. 

José Carlos Saraiva da Costa jscsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

*

URNAS ELETRÔNICAS


Fico abismado com a falta de informação das pessoas quanto ao assunto das urnas. Até leitores do Estadão estão acreditando na ideia de substituir as urnas eletrônicas por voto em papel. Não é isso! O que se quer é a continuidade das urnas eletrônicas, tão somente com a possibilidade de elas serem auditáveis por meio de votos impressos que, sem o contato humano, seriam depositados no seu interior, facilitando uma verificação pontual no caso de dúvida em alguma urna.

 

Renato Fogaça de Almeida - rfog@uol.com.br 

São Paulo


*


O BRASIL NA CONTRAMÃO E SEM SAÍDA


A Região Sul do Brasil está enfrentando uma estiagem prolongada, há racionamento de água em cidades como Curitiba, logo mais a usina Hidrelétrica de Itaipu terá de desligar algumas turbinas, comprometendo o abastecimento de energia elétrica no País inteiro. Diante desse cenário é inacreditável que se esteja discutindo freneticamente a necessidade urgente de desmatar o Parque Nacional do Iguaçu. A reabertura da estrada do colono é uma cretinice que só irá beneficiar o deputado autor do projeto, que tem interesses pessoais na história e legisla em causa própria. Por outro lado vai prejudicar o pouquíssimo que resta daquele bioma. O Brasil precisa mudar urgentemente sua atitude em relação ao meio ambiente. Seguimos na contramão de tudo e de todos, desmatando como se não houvesse o dia de amanhã. Logo mais o País vai enfrentar uma completa e irreversível falência hídrica, não haverá água para o agronegócio, para a geração de energia e para o consumo humano. Esse assunto sim deveria ser discutido em regime de urgência no Congresso.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo


*

ELIMINAR A GUERRA FISCAL, UM DEVER     

O estabelecimento da alíquota de 15% nos tributos das multinacionais, definido pelo G-7 – o grupo das sete maiores economias do mundo –, vai garantir ao Brasil a arrecadação de R$ 5,58 bilhões por ano (Estadão A10, 14/6). E, como adicional, forçará o fim da guerra fiscal entre os países, do que se beneficiam as empresas ao mudarem para paraísos fiscais que oferecem alíquotas menores e, até, isenção total. A guerra fiscal é um cancro que prejudica a economia em todos os níveis. Além dos países que sofrem o ataque dos paraísos fiscais, há a disputa regional e até municipal que já trouxe muitos problemas por falta de regulamentação. No Brasil, o maior dano é a guerra dos Estados, que praticam diferentes alíquotas do Imposto sobre Circulação e Mercadorias e Serviços (ICMS). Governos concedem isenções impraticáveis à luz da ciência econômica, para arrebatar negócios. Prefeitos doam terrenos, isentam impostos e prometem obras que muitas vezes não conseguem realizar, sempre em busca do prestígio político de ter “trazido” empreendimentos e empregos para seus eleitores. É uma distorção que precisa ser administrada. Temos de manter uma situação competitiva para o empresariado enfrentar os aliciadores nacionais e internacionais, por meio de alíquotas tributárias nacionais e equalizadas. O País e o mundo carecem de uma política econômica sustentável e solidária. As disputas entre países, regiões, Estados ou municípios em nada beneficiam globalmente a economia. Por isso, precisam ser substituídas por medidas genéricas. 

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

UMA LUZ

Foi um alívio ver o último encontro dos líderes dos sete países mais ricos do mundo (o G-7).  A presença do presidente norte-americano, Joe Biden, em substituição ao negacionista Trump, transmitiu a sensação de que o mundo, daqui para a frente, poderá viver momentos mais tranquilos.      


Jorge de Jesus Longato financeiro@cestadecompras.com.br

Mogi-Mirim                                 


*

TRIBUTAÇÃO G-7

Muito bonito os acordos desse tal G7 – as sete maiores economias do mundo – a respeito de tributar em 15% empresas que migram seus lucros para países de baixa tributação. Atitude louvável. Porém quem vai sair ganhando com isso? Como sempre ganham os governos e seus respectivos administradores – os governantes. E o povo que compra esses produtos que terão a tributação majorada em 15%? Assim, é o povo – consumidor final – que vai continuar pagando o “pato”.

Nelson Cepeda fazoka@me.com

São Paulo

*


OS INFRATORES

Em novembro do ano passado o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) proibiu a instalação de radares fixos e móveis escondidos. Há dias fui de carro até Foz do Iguaçu (PR) e nas estradas paulistas avistei diversos radares escondidos nas proteções metálicas, e pior ainda são os policiais rodoviários que ficam escondidos com um radar de mão, que mais parece uma pistola. Como a maldade não tem fim, os rodoviários ficam sempre no fim das descidas, cuja intenção é só de multar/penalizar. Nas rodovias paranaenses não foi diferente, viaturas escondidas e policiais com suas pistolas de multar. Enfim, acho uma covardia radares e policiais rodoviários ficarem escondidos! Os rodoviários deveriam parar os veículos, averiguar documentos, olhar se não tem nada de ilícito, etc. Reflexão: os intitulados representantes da lei não respeitam as próprias leis de trânsito. E como são infratores devem ser penalizados. 

Alex Tanner  alextanner.sss@hotmail.com

Nova Odessa


*


‘FORFAIT’ DE BOLSONARO

Enquanto a Seleção Canarinho batia a Venezuela por 3 a 0 no último domingo em sua primeira partida pela polêmica Copa América, sediada no País por obra e graça do irresponsável e negacionista desgoverno Bolsonaro, o Brasil enterrou mais 1.118 pessoas vitimadas pela covid-19. Como se viu, o presidente Bolsonaro, acovardado, fez forfait  ao não comparecer ao Estádio Mané Garrincha, em Brasília, para o pontapé inicial por medo de ser vaiado pelo estádio... vazio. Uuuuuuuuuuuh!!!

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

COPA AMÉRICA

Hora de ter fé. Em Brasília, a Seleção Brasileira estreia na Copa América com a meta de reconquistar confiança. Melhor em campo neste domingo, Neymar chamou a responsabilidade, marcou um pênalti e mostrou que o Brasil pode confiar nele. O Brasil é o favorito para vencer a Copa América. Mas é bom ficar de olho nos adversários. Não dá pra dar chance às zebras. A Copa América chegou! Vamos todos torcer para que o campeonato dê certo e o Brasil seja campeão! E o craque Neymar tem razão em valorizar os demais colegas de seleção. Uma copa não é vencida apenas por um jogador, mas por todo o elenco, além da importância do técnico. A torcida também pode ser decisiva, então vamos apoiar a seleção! Haja coração! Força, Brasil! 

José Ribamar Pinheiro Filho pinheirinhosb@gmail.com 

Brasília



 

 

 








 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.