Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo.

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

25 de agosto de 2021 | 03h00

Desgoverno Bolsonaro

STF e Congresso em perigo

Os adeptos de Jair Messias Bolsonaro terão encontro em Brasília em 7 de setembro, mas não para apoiar o chefe, e sim para invadir o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Congresso Nacional, conforme convocação feita por um certo coronel Azim, nome desconhecido que serve de portador das ordens para a “missão” bolsonarista. A absurda agressão às instituições não pode encontrar respaldo nas demais autoridades da República, sob pena de os brasileiros se verem sem defesa e proteção, com o Estado Democrático de Direito atropelado por atos incompatíveis com a ordem constitucional. O caos no Brasil faz parte dos planos de Bolsonaro para realizar seus desejos ditatoriais. Os brasileiros precisam ficar prontos para reagir a essas aventuras.

JOSÉ CARLOS DE CARVALHO CARNEIRO CARNEIROJCC@UOL.COM.BR

RIO CLARO

*

Golpe de Estado

O sonho do presidente Bolsonaro é dar um golpe de Estado e se transformar num típico caudilho latino. O presidente mostra dia após dia que não gosta do sistema democrático. Para ele e seus seguidores, democracia é todos pensarem como eles e quem diverge é de esquerda ou comunista. Em sua breve passagem pela vida militar, Bolsonaro já mostrou quem é, ao arquitetar um plano terrorista que previa uma série de explosões, como na adutora do Guandu, no Rio de Janeiro. E acabou expulso por indisciplina. Todo dia, desde sua eleição, ele cria crises. Quando uma termina, lá vem ele com outra, para se manter sob os holofotes. Prega a violência, apoia milícias, põe a democracia em xeque, afronta os Poderes constituídos, tudo para tentar de alguma forma dar um golpe contra a democracia. Quando chamado a conversar, repudia a ideia, pois não conversa com quem não concorda com ele. O Brasil só tem uma saída, 2022 derrotá-lo nas urnas, e de forma estridente. Queremos alguém para governar o País de maneira ordeira, que respeite as instituições, seja educado e trate todos de forma respeitosa. Alguém que saiba que com democracia temos a vantagem de unir todos na pluralidade. Deus salve o Brasil!

VALDECIR GINEVRO VALDECIR.GINEVRO@UOL.COM.BR

SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

*

Inimigo público nº 1

Sobre o pedido de impeachment do ministro Alexandre de Moraes (STF) e o oportunismo de Bolsonaro para o 7 de Setembro, a melhor defesa é o ataque. Especialidade bolsonarista: a violência, com todo tipo de armas, intimidação, agressão... E o objetivo não deixa dúvida: o caos e a perpetuação no poder.

ALICE A. C. DE PAULA ALICEARRUDA@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Apaziguamento

Essa reunião de 25 governadores para tentar conter a crise insuflada pelo Planalto está parecendo a política de apaziguamento posta em prática por Chamberlain para tentar conter Hitler antes da 2.ª Guerra.

JOSÉ CLAUDIO MARMO RIZZO JCMRIZZO@UOL.COM.BR

SÃO PAULO

*

Emulando Tancredo

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, deve ter-se debruçado sobre a carreira política de Tancredo Neves para tentar imitá-lo, assumindo a postura de político moderador, insistindo em pregar o diálogo entre Bolsonaro e os demais atores da vida pública federal. Mas até Tancredo teria desistido de recomendar tal diálogo com Jair Messias. O homem é absolutamente intratável e qualquer tentativa de mudar sua forma de agir é pura perda de tempo. Nem a água que sempre bate em pedra seria capaz de modificá-lo.

LAIRTON COSTA LAIRTON.COSTA@GMAIL.COM

SÃO PAULO

 *

Defesa do Estado

A grave ameaça às nossas instituições, a começar da invasão do Supremo Tribunal Federal, no dia 7 de setembro, conclamada pelas redes sociais, deve receber uma lição equilibrada, mas exemplar, de um país como o Brasil. Somos um Estado de Direito organizado sob a autoridade de uma Constituição, avesso, portanto, à anarquia. Como definiu Max Weber, o Estado é uma organização que “reclama o monopólio do uso legítimo da força física dentro de um determinado território”. As Forças Armadas – Marinha, Exército e Aeronáutica – não podem deixar de ser seu poderoso fiador, para que possamos caminhar em paz, ainda que conturbada, neste instável momento de nossa História.

AMADEU ROBERTO GARRIDO DE PAULA AMADEUGARRIDOADV@UOL.COM.BR

SÃO PAULO

*

7 de Setembro

Dom Pedro I deve estar se revirando no túmulo com os acontecimentos pré-comemoração do Dia da Independência!

ROBERT HALLER

SÃO PAULO

*

‘Fake news’

Desmonetização

Domingo, J. R. Guzzo, e na segunda-feira foi Carlos Alberto Di Franco a levantar sua “indignação libertária” contra a desmonetização de sites sabida e consuetudinariamente mentirosos. E a indignar-se com a prisão de escroques como Roberto Jefferson ou o cerceamento de “jornalistas” como Oswaldo Eustáquio. Coitadinhos. Parece que a tal desmonetização atingiu pesado o bolso desses espalhadores de mentiras. Daí a gritaria. Lamentável.

HÉCTOR BOTTAI BOTTAIHECTOR@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Incêndio

Parque do Juquery

Soltadores de balões, sete foram presos, apenas um deles confessou o crime, pagou R$ 3 mil de multa e todos foram soltos. Não acham, pergunto eu, que esse “porta de cadeia” só confessou porque conhece a lei? Rateada, a multa ficou baratíssima. Minha conclusão: esses senhores criminosos deveriam trabalhar na recuperação da área prejudicada pelo fogo e pagar aos profissionais na recuperação dos animais. Como está, garanto que já estão construindo um novo balão. A verdade é que no Brasil ninguém teme essa Justiça benevolente.

ITAMAR C. TREVISANI ITAMARTREVISANI@GMAIL.COM

JABOTICABAL


_____________________________________________________

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br


R$ 51 MILHÕES

Segunda Turma do STF derruba condenação de Geddel por associação criminosa no caso do bunker de R$ 51 milhões, mas mantém sentença por lavagem de dinheiro (Estado, 24/8). A 2.ª turma está imitando a Câmara e passando a boiada, digo, as malas com dinheiro, R$ 51 milhões no apartamento do sr. Geddel Vieira Lima, e o inocentando? Já pisaram na bola ao inocentar Lula. Quem poderá nos ajudar? Haja estômago!

Tânia Tavares taniatma@hotmail.com

São Paulo

*

CRÍTICA À LAVA JATO

Em sua “sabatina” no Senado Federal, o candidato à recondução ao cargo de procurador-geral da República, Augusto Aras, criticou negativamente a Operação Lava Jato. E eu concordaria nessa crítica, mas apenas em um ponto não mencionado por Aras: no exato ponto em que, inadvertida e ironicamente, a Operação Lava Jato serviu de trampolim indevido para a eleição do presidente Jair Bolsonaro, que, por sua vez, indicou o senhor Aras para o papel de bobo da corte, embora sendo que nós, cidadãos eleitores, é que sempre ficamos com a cara de palhaço.

Marcelo G. Jorge Feres marcelo.gomes.jorge.feres@gmail.com

Rio de Janeiro

*

AS DUAS JUSTIÇAS

Relutei o quanto pude para calar-me diante de tamanha desfaçatez, nesta aberrante inversão de valores, da absolvição de Lula após o encerramento do tempo do jogo processual. Mas não me contenho! Mesmo porque esta que é uma das maiores safadezas praticadas ao acalento da toga, o maior corrupto, cuja escalada em número beira ao bilhão de reais surripiados (à custa da fome e da morte dos pobres), recebe hoje o ósculo fraterno do compadrio grosseiro entre ele, Lula e seu quartel protetor, que senta praça no Supremo Tribunal! E a Justiça, e o processo legal havido, julgado e transitado em julgado? Enfardados e atirados no lixo, em clara ditadura jurídica. Sim, os protetores do general dos corruptos, Lula, dizem com seus botões, o povo vai espernear, mas isso não passa de uma semana e... tudo será esquecido! Senhores ministros, na consciência dos homens honestos (e, acreditem, os há no Brasil) e nos anais da história da Justiça brasileira, esta página nebulosa e ensandecida da maior injustiça, da maior peta que se pregou à Justiça, do drible homérico em que se deitou o direito processual (sentenças, instâncias) às favas, por manobras cerebrinas até que o maior criminoso do Brasil ganhasse as sombras do aconchego fraterno dos senhores ministros que, hipócritas e como se fossem “caras pálidas inocentes” agora sentenciam, severos: o crime está prescrito! Ficou bem claro existirem duas Justiças no Brasil: a real, a Justiça do povo; e a aristocrática, dos “amigos do rei”. Nesta o crime compensa, e muito!

Antonio B. Camargo bonival@camargoecamargo.adv.br

São Paulo

*

HAJA JUSTIÇA!

Sem querer atacar a democrática instituição Supremo Tribunal Federal, vários ministros envergonharam a Corte ao tramar com argumentos infantis e contradizendo a Constituição, tirando as acusações do condenado até terceira instância o ex-presidente Lula da Silva, permitindo que continue sua vergonhosa carreira política. Os brasileiros merecem melhor futuro. A Justiça no Brasil é negociada.

Luiz Frid fridluiz@gmail.com

São Paulo

*

SILÊNCIO CANÔNICO

Iniciada no STF, a “canonização” de Lulla segue firme. Assim como o silêncio dos que atestaram a “pecabilidade”. Coisas do “santo oficio” judicatório brasileiro...

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

ENTRE LULA E BOLSONARO

“Entre Lula e Bolsonaro, acredito que Lula seja melhor”, diz FHC. Eu acho que é o cemitério ou o aeroporto.

Ely Weinstein elyw@terra.com.br

São Paulo

*

FORA DE EQUILÍBRIO

Temos sofrido, como cidadãos de bem, golpes constantes na nossa moral, a começar pela desfaçatez do STF, soltando e tornando elegíveis criminosos que lesaram os cofres públicos aos bilhões, tendo a anuência de muitos políticos de peso e cidadãos da nossa sociedade. O contragolpe está aí, nas ameaças de destituição do Congresso e do STF. Tomara Deus não tenhamos quebra-quebra do patrimônio público nem violência entre os grupos apoiadores e contra o governo Bolsonaro. Como minha mãe sempre dizia, nada que foge ao equilíbrio é bom! Tenho visto boas iniciativas do Partido Novo, por exemplo, reivindicando mudanças nos critérios de escolha de membros do STF, e isso é muito bom. Peço a Deus Justiça, pois somente por meio dela teremos paz e prosperidade.

Silvia R. P. Almeida silvia_almeida7@hotmail.com

São Paulo

*

O BRASIL QUER PAZ

O suspense instalado na população sobre os acontecimentos do dia 7 de setembro levanta a dúvida do futuro da paz no País. O povo quer paz, trabalho e qualidade de vida: não importa se o governo é de direita ou de esquerda. O grande filósofo Espinosa, já no século 17, dizia que a verdade está no meio termo. Não vejo nada bom nesta dicotomia política disseminada na mídia e nas redes sociais. Sou adepto do filósofo de Amsterdã e vou votar pela terceira via, ganhe ou perca o candidato desta posição. Espero que os atos do Dia da Independência sejam pacíficos e com a ausência dos black blocs, que até agora não se manifestaram, graças a Deus! A pandemia assentou um sentimento de exaustão no povo e não creio que seja de bom alvitre a violência e incitação a ela no próximo feriado.

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Petrópolis (RJ)

*

7 DE SETEMBRO

Para princípio de conversa, o desfile de 7 de setembro deveria ser suspenso, por causa da aglomeração de pessoas. Deveriam, também, ser proibidas as aglomerações de pessoas no entorno da Praça dos Três Poderes. O desfile seria ridículo com aqueles veículos sucateados soltando fumaça preta e poluente em toda Brasília. As imagens iriam correr o mundo, mostrando o lamentável estado em que nossas Forças Armadas se encontram para defender o País. E avisem também aos soldados, principalmente aos jovens, que morrer pela Pátria, como diz o hino, é quando houver confronto sério (guerra), e não esta bobagem de invasão e destruição de Congresso e STF. Nosso pseudopresidente não aprendeu isso quando estudou – se é que estudou. Brasil, não vamos deixar um reles capitão que foi expulso dos quadros do Exército nada fazer em prol de melhorar as condições de suas tropas, e acabar logo com isso. Já perdeu a batalha das urnas. Vai perder outras tantas, e ainda temos de aguentar até 2022. É muito para a cabeça.

José Claudio Canato jccanato@yahoo.com.br

Porto Ferreira

*

NÃO PASSARÃO!

Alerta aos que ameaçam invadir o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Congresso no 7 de setembro, Dia da Independência: não passarão! Paz no Brasil aos homens de boa vontade. Democracia, sim, demôniocracia, não.

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

REUNIÃO DE GOVERNADORES

Governadores querem reunião com Bolsonaro e chefes dos Poderes para pacificar instituições (Estado, 23/8). Esta reunião de governadores revela indiscutível agressão ao governo federal, pondo mais lenha na fogueira, jamais visando ao apaziguamento dos Poderes! Inocentes não são, logo, premeditadamente agem de má-fé em prejuízo do Brasil.

Walter Rosa de Oliveira walterrosa@raminelli.com.br

São Paulo

*

TRAJE

Notícia alvissareira. Há quem diga que Bolsonaro vai receber os governadores. Como ninguém prevê como estará o humor do presidente, é provável que o chefe da Nação compareça com camisa de força e focinheira. Gesto de grandeza do presidente, em busca da paz e do diálogo.

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília

*

ENCONTRO NAS URNAS ELETRÔNICAS

Que não se enganem os governadores que participarem do encontro em Brasília; a Câmara dos Deputados; o Senado Federal; o Supremo Tribunal Federal (STF); e os eleitores de fora da odiosa e perniciosa polarização do atraso Lula x Bozo. O encontro com o presidente somente será republicano e terá efetividade quando for nas urnas eletrônicas, em outubro de 2022. Isso se conseguirem viabilizar a terceira via única, que para o bem do País tomará posse no ano seguinte, com toda a certeza, sem transmissão de faixa presidencial.

Abel Pires​ Rodrigues abel@knn.com.br

Rio de Janeiro

*

PACIFICAÇÃO

Enquanto os governadores colocam “as armas” na mesa para uma pacificação, o presidente Bolsonaro lhes mostra uma bala de prata. Não vai dar certo...

Luiz Frid fridluiz@gmail.com

São Paulo

*

CAPITÃO BOLSONARO

Na hipótese de o capitão Bolsonaro ser eleito presidente em 2022, ele pretende prender, torturar, matar e fazer desaparecer mais de 50% dos brasileiros que não o apoiam, já que claramente planeja implantar outra ditadura militar?

Etelvino José Henriques Bechara ejhbechara@gmail.com

São Paulo

*

DIA DO SOLDADO

Parabéns pelo Dia do Soldado, mas qual soldado? Hoje, 25 de agosto, comemora-se o Dia do Soldado, expressão símbolo que representa todos os praças e oficiais das Forças Armadas, Polícias Militares e Corpos de Bombeiros Militares do Brasil. Trata-se de uma homenagem a Luís Alves de Lima e Silva, mais conhecido como Duque de Caxias, que nasceu na mesma data em 1803. Cultuam-se nesta data os verdadeiros valores da ética militar. Na vida de um militar tais valores estão presentes nos diversos regulamentos vigentes e abrangem diversos aspectos, desde os uniformes, como fazer um documento, sinais de respeito, procedimentos técnicos e operacionais, conduta dentro e fora do quartel, chegando a detalhes como o corte de cabelo e o comportamento na vida civil. Virtudes como a integridade, falar a verdade, cumprir normas, respeitar a ciência e até a boa educação e urbanidade fazem parte da ética militar, e é por isso que nesta data comemorativa ao Dia do Soldado merecem os nossos aplausos os soldados que comungam desses valores. Para além dos valores já mencionados temos dois que merecem destaque, pois qualificam todas as Forças Militares: a disciplina e a hierarquia. A disciplina é caracterizada pela expectativa do militar ser fiel ao cumprimento das ordens, regulamentos e leis, pois parte-se do princípio de que tais regramentos só existem para a própria segurança do profissional, para proteção e preservação da imagem institucional e para o aperfeiçoamento e qualidade dos resultados que se pretende oferecer à sociedade. Afinal, a instituição só existe se a finalidade for servir e atender aos anseios da sociedade, jamais o fim em si mesma. Assim, ser militar significa ser disciplinado. Embora as instituições estejam em constante aperfeiçoamento, nem de longe pode surgir a ideia de que cada um pode fazer o que quer ou escolher qual norma cumpre e qual não acha conveniente. Para as necessidades de mudanças também há método regulamentado. A hierarquia é também um valor no qual se reconhece que quem ocupa uma graduação ou posto superior merece o respeito e o acatamento de suas ordens. Entretanto, jamais tal obediência pode ser confundida com “subserviência” do tipo “um manda e o outro obedece”. Para garantir isso há um dispositivo chamado “obediência hierárquica” que, ao mesmo tempo que valora a hierarquia, também a limita, dando-se total autonomia e proteção legal ao subordinado que se recusa a cumprir uma ordem “manifestamente ilegal”. Assim, o superior pode muito, mas não pode tudo. Aqueles que não demonstram em seus pensamentos e comportamentos convergência com esses valores revelam-se incompatíveis com o verdadeiro espírito de um soldado. Esses, cuja postura é indigna do fardamento que usam ou já tiveram a honra de usar, perpetuam atos e posturas que, não obstante imorais, são atentatórias às instituições e ao Estado. Em tempos de turbulência, como vivemos hoje em nosso país, necessário se faz iluminar e dar a devida importância a esses valores que parecem ter perdido o brilho duramente conquistado desde o processo de redemocratização do País. Retroceder não pode ser uma opção.

Diógenes Lucca, ten. cel. veterano, Ex. Cmt. do Gate-SP lucca@thefirst.com.br

Boaçava

*

INCÊNDIOS FLORESTAIS

Quantas reservas naturais de importância incalculável para a saúde e a vida das pessoas e animais que habitam este planeta, repito, quantas ainda terão de ser destruídas pelos incêndios causados, pasmem, por balões? Os causadores de algumas dessas tragédias ambientais, como a de Juquery, por exemplo, são conhecidos e já foram até identificados, porque, seguros de sua impunidade garantida por leis anacrônicas e débeis, soltam até fogos para comemorar mais um crime hediondo de destruição e morte. Leis compatíveis com a gravidade deste crime precisam ser elaboradas e aprovadas já, antes que seja tarde demais.

Vera Augusta Vailati Bertolucci veravailati@uol.com.br

São Paulo

*

CRISE DA ÁGUA

Recebemos uma mensagem clara: diminuímos muito as nossas reservas nos últimos 30 anos e a falta de água irá se agravar. Porém, os governos federal, estaduais e municipais não fazem campanhas de educação e conscientização para a economia de água, florestas continuam a ser destruídas, todo mundo continua a lavar calçadas desperdiçando esse recurso e empresas como a Sabesp têm perdas de até 20% de sua água tratada em virtude de defeitos nos encanamentos, que têm pouca manutenção. Mais um passo em direção ao abismo?

Aldo Bertolucci aldobertolucci@gmail.com

São Paulo

*

O BRASIL PRECISA MUDAR

O Brasil esgotou o seu modelo de agronegócio. Desmatar e plantar commodities baratas destruíram grande parte do território nacional, esgotaram os recursos hídricos e não trouxeram os resultados econômicos esperados: o País continua no Terceiro Mundo. O Brasil poderia adotar outros modelos no agronegócio, o modelo da Holanda, um país que tem a área comparável à do Estado de Sergipe e fatura mais que o Brasil com o seu agronegócio supermoderno, que usa pouca água e quase nada de agrotóxicos. O Brasil não pode continuar insistindo na eterna expansão da fronteira agrícola, não há mais água disponível para irrigar a soja. Esse modelo levou o País ao holocausto ambiental e não trouxe riqueza alguma, só enriqueceu uma dúzia de grandes fazendeiros e destruiu o País. O Brasil precisa mudar radicalmente sua relação com o meio ambiente. O caminho da Holanda pode ser adotado com grande sucesso.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

GOVERNO SEM RUMO

Enquanto o Brasil mergulha na maior crise hídrica e sanitária de sua história, enquanto vemos nossas florestas sendo transformadas em cinzas e a inflação se aproximando de dois dígitos, temos um presidente da República que utiliza seu precioso tempo insistindo em voto impresso. Há muito ouço dizer que cada povo tem o governo que merece, aí eu pergunto: será que nós, brasileiros, somos tão ruins assim? Eu acredito que não!

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.