Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

16 de setembro de 2021 | 03h00

Operação Lava Jato

Investigações suspensas

Suspender as ações contra Lula está consumindo muita energia do nosso Judiciário. A notícia de que o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu o andamento de mais duas investigações contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (15/9, A10) aponta mais uma suspensão jogada neste balaio resultante da suspeição do ex-juiz Sergio Moro, sem direito de defesa, e da anulação de todos os julgamentos de três instâncias com a figura processual do juiz natural (tardio). Além disso, é também de registrar que esta montanha de recursos deve estar fazendo a festa de um exército de caros advogados. Que vergonha!

JOSÉ ELIAS LAIER JOSEELIASLAIER@GMAIL.COM

SÃO CARLOS

*

Lula e o mentiroso

Estamos tão sem esperança de alguma melhora do Brasil que mais duas ações da Lava Jato contra o criminoso ex-presidente foram suspensas, e ninguém comenta mais nada. A que ponto o mentiroso nos fez chegar!

GUTO PACHECO JAM.PACHECO@UOL.COM.BR

SÃO PAULO

*

Governo Bolsonaro

A fatura

A vida convoca, finalmente chegou a fatura para Jair Bolsonaro pagar. A permanente arruaça em que o Brasil vive mergulhado, estimulada e comandada por ele, teve seu ápice em 7 de setembro. No seu desespero – porque seu governo é um fracasso completo e está acossado pelas investigações da CPI –, ofendeu integrantes do Judiciário e atacou instituições, voltando a ameaçar um golpe com o fechamento do Congresso. Quase 590 mil mortes pela covid-19 – muitas das quais evitáveis, fosse outra a sua conduta na pandemia – e famílias destroçadas, sem uma palavra de solidariedade do presidente, definem quem é este indivíduo. O golpe não veio, e o irresponsável correu para debaixo das asas do ex-presidente Temer. É um paradoxo: o mesmo Estado de Direito que Bolsonaro e sua turba querem destruir é o que lhe dá proteção, pois o impeachment só pode acontecer se o presidente da Câmara dos Deputados aceitar o pedido.

MILTON PEREIRA DE TOLEDO LARA T.LARA@TERRA.COM.BR

SÃO PAULO

*

Dissimulação

O propalado recuo de Bolsonaro não pode ter outra explicação senão uma estratégia de manutenção de sua permanência na Presidência, incluindo preservar a possibilidade de concorrer ao pleito de 2022. Os despautérios que se intensificaram nos últimos tempos não são decorrentes da crise agravada, mas continuidade do que sempre fez. Teve problemas no Exército por indisciplina, ameaçou FHC de fuzilamento, pregou a sonegação de impostos, manifestou-se favorável ao fechamento do Congresso. É, pois, difícil de acreditar num novo e repentino tom conciliador. O recuo deve ser cortina de fumaça, desta vez dissimulada em brisa suave.

VÁLTER VICENTE SALES FILHO VALTERSAOPAULO@YAHOO.COM

SÃO PAULO

*

Habite Seguro

Programa eleitoreiro

Com Casa Verde e Amarela parado, Bolsonaro anuncia subsídios em linha para policiais (Estado, 14/9, B1). Agora nós, os mortais brasileiros, temos de bancar subsídios para programa habitacional eleitoreiro de Bolsonaro destinado aos policiais e bombeiros? Por que não para os professores, escriturários e coveiros também?

ÉLLIS A. OLIVEIRA ELLISCNH@HOTMAIL.COM

CUNHA

*

Covid-19

A eficácia das vacinas

Há cerca de um ano foi avaliada como similar a eficácia de diferentes vacinas para covid-19 na prevenção de casos graves da doença, porém os estudos foram limitados pela premência da pandemia. Estas avaliações iniciais foram aprimoradas e, hoje, implicam a escolha das vacinas para completar a vacinação e no reforço da imunidade adquirida pela campanha vacinal, uma vez que foram reconhecidas tanto a transitoriedade da competência imunológica para o Sars-CoV-2 como a possível intercambialidade de vacinas para a mesma pessoa. Nos dias correntes, os melhores imunizantes na prevenção da fatalidade pela covid-19 são de procedência americana, seguidos pela vacina inglesa, como já é de conhecimento da população. Porém o vírus e as vacinas mudam, e o próprio Instituto Butantan aprimora nova vacina. A cada momento as opções de vacinação devem focar no melhor benefício para a coletividade, considerados a eficácia, a segurança, os efeitos adversos e, infelizmente, a disponibilidade.

BERNARDO EJZENBERG, médico BERNARDOEJZENBERG@YAHOO.COM

SÃO PAULO

*

Intervalo para o reforço

Gostaria de colocar um ponto importante de interesse público na questão da dose de reforço da vacina contra covid-19 para idosos. O calendário proposto exige seis meses após a aplicação da segunda dose, e isso é incompatível com o calendário atual. Por exemplo, a vacinação na faixa de 70-79 anos está prevista para começar no dia 27 de setembro, quando praticamente ninguém terá completado seis meses da segunda dose. Mais especificamente: os idosos de 72 anos só receberam a segunda dose a partir de 9 de abril, e só vão se enquadrar nas normas propostas a partir de 9 de outubro. Em outras palavras, não está sendo levada em conta a data de vacinação estipulada anteriormente pelo órgão de saúde (segunda dose). A solução seria diminuir o intervalo para cinco meses, ou adiar a vacinação, para cada faixa, em função do calendário aplicado na segunda dose.

HENRIQUE E. TOMA HENETOMA@IQ.USP.BR

SÃO PAULO

*

Passaporte sanitário

Este passaporte sanitário instituído pela prefeitura do Rio de Janeiro só vale para o cliente de espaços públicos? Como sei se os empregados de um restaurante, por exemplo, ou quem está me atendendo estão imunizados? E aí, é via de mão única?

PANAYOTIS POULIS PPOULIS46@GMAIL.COM

RIO DE JANEIRO

*

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

DOM PAULO EVARISTO ARNS

Dom Paulo, o cardeal da resistência, faz muita falta ao Brasil, que hoje vive momentos tenebrosos por conta de sérias ameaças às liberdades democráticas. Que seu legado se faça presente na memória de todos aqueles e aquelas que professam a esperança de dias melhores. Coragem! 

Geraldo Tadeu Santos Almeida gege.1952@yahoo.com.br

Itapeva

*

ESCROQUE 

Quem tem coragem em adulterar um documento para dizer que governadores e prefeitos “inflavam” as informações sobre os óbitos das vítimas da covid, com o objetivo de pleitear altos repasses de recursos federais, chegando ao cúmulo de até mesmo inserir no documento o símbolo da Advocacia-Geral da União (AGU) para dar veracidade à fraude, nada mais é do que um “escroque de baixa categoria”. Na verdade, mais um “tiro no próprio pé” de alguém que já está descreditado em todos os sentidos. É o que temos de “melhor”. Pobre Brasil!      

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

INCONSTITUCIONALISSIMAMENTE

A maior e mais comprida palavra da língua portuguesa, composta de nada menos que 27 letras e 11 sílabas, resume a condenável e inadmissível índole autoritária, liberticida e fascistoide do presidente Bolsonaro. Com efeito, quem comanda o País afrontando diuturnamente a Lei Maior e o Estado Democrático de Direito comete o gravíssimo e imprescritível crime de lesa Constituição, desgovernando inconstitucionalissimamente. Muda, Brasil. Basta de Bolsonaro.

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

SAÚDE

A saúde continua em destaque. De um lado, a contaminação que tem levado muita gente a óbito. E para complicar, temos um sistema do governo federal que deixa a desejar em todos os sentidos, como se constata pelos posicionamentos de seus ministros da Saúde. O atual chega a ponto de declarar em um evento na cidade de Guarulhos que há excesso de vacinas no Brasil. Uma manifestação inadequada para quem ocupa um cargo tão importante.


Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

CPI HISTÓRICA

Acreditamos que nunca na história política do País tivemos uma CPI tão complexa como essa que está ocorrendo para apurar desvios de conduta e até corrupção nesse período de pandemia entre nós. Alguns depoentes chegam a ser tão cínicos em negarem atuações delituosas, que chegam a ser cômicas suas negativas em tais delitos apurados. Outros, que recorrem ao STF para ter condições de ficarem calados quando as perguntas os incriminarem, passam grande parte de seus interrogatórios respondendo que optam por ficar em silêncio. Ou seja, em alguns momentos dessa CPI, fica parecendo quase um drama cômico, em razão das atuações desses inquiridos, mas, pelo que estamos percebendo, vai ter uma grande importância na apuração das irregularidades cometidas pelos investigados, podendo inclusive dar solução a tais deslizes daqui para a frente, fatos que prejudicam há décadas a vida pública de parte de nossas lideranças. Que assim seja.

José de Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

*

ALTERNATIVA BEM-VINDA

Na política nada é por acaso. A volta de Michel Temer ao cenário pode até ter sido estimulada pelas insanidades de Jair Bolsonaro, mas, por mais que negue, é evidente que o ex-presidente se coloca como via alternativa a essa bizarra polarização entre Lula e Bolsonaro. É interessante como a história é imprevisível: Temer foi estranha e injustamente xingado de traidor pela esquerda ao ter assumido a Presidência após o impeachment de Dilma Rousseff. No entanto, boa parte dos “fora Temer” se tornou “volta Temer” poucos meses após a eleição de Bolsonaro, quando a máscara do atual presidente caiu. Os dois anos e meio de governo Temer foram os mais estáveis e produtivos desde Dilma Rousseff (a reforma da previdência que o diga), apesar do ex-procurador-geral da República e flecheiro Rodrigo Janot que, por falta do que fazer, tentou flechar o ex-presidente e errou o alvo. A gestão de Michel Temer demonstra claramente que o Brasil só vai avançar se conduzido por governos moderados, sob a ótica política e técnica, sem ideologias de qualquer ordem. Não há mais espaço para aventuras populistas. 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

STF ALIVIA DE NOVO, AGORA PARA CUNHA

Diante do alívio no processo penal de Eduardo Cunha, ver progressistas comemorarem mais esse golpe do STF a favor dos políticos corruptos, com consequências nefastas para o País, não tem preço. O próximo capítulo serão as ações indenizatórias milionárias contra o Estado, por danos morais e outras compensações financeiras de toda espécie. As ervas daninhas voltaram a tomar conta da paisagem no Planalto Central. Agradeçam ao STF e à mídia jornalística militante, cúmplice ativa desse retrocesso macabro. O mais intrigante é que os patriotas – elite entusiasta da terceira via inexistente – silenciam diante do grande esbulho do País, capitaneado pelos togados. A bruxa está mais solta do que nunca, nadando de braçada e sem voto.

Olimpio Alvares olimpioa@uol.com.br

Cotia

*

LEWANDOWSKI E LULA

Sinal dos tempos no STF. O ministro Lewandowski, que andava meio sumido desde quando rasgou a Constituição ao deixar Dilma Rousseff elegível, resolveu dar uma ajuda também ao compadre. Suspendeu duas ações contra Lula. Assim, com uma ajudazinha aqui, outra ali, o ex-presidente Lula volta a se tornar o mais santo dos brasileiros. Como já temos outro messias, fica uma sugestão: para 2022 uma dobradinha Lula-Bolsonaro e aí sim, o nosso Brasil estará mesmo no paraíso. De quê, mesmo?

Éllis A. Oliveira elliscnh@hotmail.com

Cunha

*

PACHECO PARA PRESIDENTE

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, propenso candidato à outra Presidência, com fins escusos, não está exercendo seu papel. Desde o início de julho que Marco Aurélio Mello se aposentou pelo STF. Em seguida, seu substituto foi indicado, mas precisa ser sabatinado pelo Senado, mas propositadamente Pacheco não coloca o tema em pauta. Daí o STF estar capenga, faltando um ministro. Agindo assim, com certeza, não será eleito presidente do Brasil.

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

*

ACREDITAR NA MENTIRA

A ideologia faz você acreditar na mentira!

Eugênio José Alati eugenioalati13@gmail.com

Campinas

*

PATRIMONIALISMO

Os nossos políticos são bons, pena que grande parte deles não resiste à tentação do patrimonialismo. Talvez o eleitor acabe, um dia, aprendendo a escolher para termos um futuro mais digno.

Luiz Frid fridluiz@gmail.com

São Paulo

*

SEM DIREITO DE MENTIR

Um presidente da República mitômano – mentiroso que acredita nas próprias mentiras –, que só sabe falar falsidades, não pode concordar que haja leis antimentiras, as chamadas fake news, notícias falsas. Até o procurador-geral da República, Augusto Aras, pediu ao STF que suspendesse a medida provisória (MP) de Bolsonaro que dificulta o combate às fake news. Na prática a (MP) do governo altera o Marco Civil da Internet, tornando impossível a remoção de desinformações das redes sociais. Como pode o Bolsonaro e sua turma falarem sem dizer mentiras, se é sua única linguagem? Um falso governo que só diz mentiras precisa do direito de mentir para se comunicar e sobreviver em sua insana falsidade. Para o bem geral da nação, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, devolveu a MP de Bolsonaro que defendia o direito de mentir.

Paulo Sergio Arisi pauloarisi@gmail.com

Porto Alegre

*

EXAUSTÃO

Cansei. O Brasil exaure qualquer pessoa que tenha vontade de fazer algo. Não tem jeito. Da classe política, com milhares se autointitulando com vocação pública, é um desastre. Primam pela incompetência ou corrupção ou ambas e não é de hoje. Na minha longínqua juventude os políticos eram mais honestos e melhores. Pensavam no País e não neles e seus familiares inúteis atrás de sinecuras. Infelizmente esse tempo passou e não volta. Mal comparando – ou será que não –, somos iguais a criatórios que só dão pangarés, e a solução é buscar novas matrizes, normalmente de outros criatórios melhores. Esperança já não tenho. Vivi mais do que poderia viver. Ontem no Estadão, Armírio Fraga didaticamente mostra nossa pré-falência, que tem acontecido há muito, até antes do Lula, com FHC, por exemplo, recorrendo por duas vezes ao FMI, e fingimos esquecer, tratando-o como estadista, o que não é.

O que fazer? Nada, senão esperar e orar. Quem sabe o Senhor mande uma bênção e as coisas deixem de piorar. É o máximo que eu espero.

Mario Cobucci Junior marito cobucci@gmail.com

São Paulo

*

ENBPAR

Que a leitora Maria Carmen Del Bel Tunes não se engane, a criação da empresa ENBpar, para permitir a privatização da Eletrobras, seria a mesma coisa que comprar o apartamento do lado para guardar os móveis do apartamento que vai ser vendido. Pura balela. Pode aguardar os militares ou indicados do Centrão para assumir a nova empresa. 

Abel Pires​ Rodrigues abel@knn.com.br

Rio de Janeiro

*

ATENÇÃO AOS NÚMEROS

O Brasil é um “Conjunto Vazio” que acredita ser o “Centro do Universo”

É lamentável que a grande maioria dos brasileiros não tenha interesse em números, gráficos e tabelas, se tivesse saberia que o balanço patrimonial da União apresentou um patrimônio líquido negativo de R$ 1,4 trilhão em 2015, de R$ 2,0 trilhões em 2016, de R$ 2,4 trilhões em 2017, de R$ 2,4 trilhões em 2018, de R$ 3,0 trilhões em 2019 e em 2020, de R$ 4,4 trilhões. Em 2020, houve crescimento do patrimônio líquido negativo de 83,33% em relação ao ano de 2018. 

Sem considerar números, gráficos e tabelas divulgados pelo governo, a estupidez coletiva brasileira comemora um governo que, em apenas dois anos, aumentou o nosso buraco (patrimônio líquido negativo, ou passivo a descoberto) em R$ 2,0 trilhões, ou seja: 83,33% maior do que no ano de 2018.

Em 2020, o patrimônio líquido negativo da União, que é a diferença existente entre todos os haveres do governo (ativos – R$ 5,7 trilhões) e os deveres do governo (passivos – R$ 10,1 trilhões), foi de R$ 4,4 trilhões. Se fosse uma empresa privada estaria falida, mas, como os países não entram em falência, serão eliminados os sócios (povo) mais frágeis. O Brasil não poderá fazer mais nada por grande parte do seu povo no campo da educação, da segurança e da saúde. Isso eu garanto!

Ricardo Bergamini ricardobergamini@ricardobergamini.com.br

*

GOVERNO RUIM PIB MEDÍOCRE

O preço é reflexo de um governo ruim e irresponsável, como de Jair Bolsonaro, e vem estampado também nas projeções preocupantes de bancos para o nosso PIB em 2022. Se depois de uma queda de 4,1% em 2020, neste ano o crescimento econômico será em torno de 5%, um dos piores entre as principais economias do mundo, incluindo os países emergentes, o que dizer então para números horríveis projetados para 2022. A MB Associados espera um PIB pífio de 0,4%; o JB Morgan, de 0,9%; e o Banco Itaú, da projeção anterior de 1,5%, indica crescimento de apenas 0,5% no próximo ano. Já para a inflação, a estimativa deste banco é que feche o ano em 8,4% (no acumulado dos últimos 12 meses já está em 9,68%). E um índice inflacionário no próximo ano de 4,20%. Quanto à taxa básica Selic, dos atuais 5,25%, o Itaú acredita que o Banco Central, na próxima reunião do Copom, fará mais 3 altas de 1 ponto até dezembro, fechando o ano em 8,25%, e uma outra alta, de 0,75 ponto, no início de 2022. Que desilusão! Enquanto a atividade econômica cai, aumenta o desemprego e a inflação está insustentável, temos um presidente como Bolsonaro, alheio a esta angustiante situação social. Mas que continua com suas presepadas prejudicando o País e se divertindo com seus idólatras e milicianos.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

MARCO CIVILIZATÓRIO PARA O MEIO AMBIENTE

É inadiável que o mundo civilizado crie um marco regulatório para o meio ambiente com alcance global. O desmatamento e as queimadas nos países subdesenvolvidos, somados à destruição já feita nos países desenvolvidos, estão inviabilizando a vida na Terra. O Brasil é exemplo perfeito do estrago que um péssimo governo pode fazer em poucos anos: queimadas e desmatamento batendo recordes, rios fundamentais sendo irremediavelmente contaminados por mineradores criminosos, áreas gigantescas de monocultura secando o País inteiro, esgotamento hídrico, esgotamento energético, mudança irreversível do ciclo da água em todos os biomas, genocídio dos povos originários para lhes roubar as terras e desmatar tudo, aumento brutal de casos de câncer por causa do uso indiscriminado de agrotóxicos banidos no mundo todo. O Brasil é o retrato de tudo de errado e nefasto que o homem consegue fazer para ganhar um trocado e destruir o planeta. Impor limites à ignorância e ganância cega da tigrada do Terceiro Mundo é um passo fundamental para o mundo sobreviver em condições menos desagradáveis; o segundo passo é um esforço global gigantesco para recuperar áreas degradadas, salvar e recuperar florestas, começando por sustar e reverter todas as barbaridades criminosas cometidas no Brasil na gestão tenebrosa de Jair Bolsonaro, que deveria ser o primeiro genocida e ecocida a ser julgado e condenado nos tribunais internacionais.  

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL 6

Uma ótima notícia a instalação do Tribunal Regional Federal (TRF) em Minas Gerais! O processo encontra-se no Senado Federal e será relator o senador Antônio Anastásia! A instalação do Tribunal Regional Federal em Minas Gerais vai agilizar o andamento de processos que se encontram no TRF em Brasília, muitas vezes há muitos anos aguardando julgamento! O TRF da 6.ª região abrangerá apenas o Estado de Minas Gerais e contará com 18 Desembargadores.

Marcos Tito marcostitoadvogados@gmail.com

Belo Horizonte

*

CASSINOS

Está claro por que o presidente da Câmara dos Deputados não vai liberar a análise dos pedidos de impeachment do presidente: porque ele trabalha intensamente na aprovação de uma lei liberando os jogos de azar no País! Os interessados em abrir cassinos devem “subsidiar” regiamente este esforço! A permanência do presidente é imprescindível!

Roberto Hollnagel rollnagel@terra.com.br

São Paulo

*

RELATOS EM VERSOS

Aqui no Brasil a coisa está feia 

Estiagem, pandemia e CPI,

Mesmo com minha idade alongada,

Coisa igual eu num vi.

Com a estiagem nossos rios estão secando,

Na política é cobra engolindo cobra

A CPI Parlamentar de Inquérito as provas já tem de sobra

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

GOD SAVE THE QUEEN

O Reino Unido passa por uma das maiores crises de logística de sua História contemporânea, comparável somente à que atormentou os ingleses na 2ª Guerra Mundial, principalmente durante os meses de horror da Batalha da Inglaterra, quando a Luftwaffe bombardeou Londres e o tráfego marítimo do Canal da Mancha, visando a obter superioridade aérea que viabilizasse a invasão da ilha pela operação “Leão Marinho”. A crise de hoje não está sob os efeitos de nenhuma investida bélica. Decorre de uma combinação cujos ingredientes fundamentais são a covid-19 e o Brexit que resultou, por exemplo, no fechamento de redes de fast food, em virtude da deficiência no abastecimento de frangos e carnes em geral; provocou a paralisação de postos de combustível, afetando até o agronegócio, pelo apodrecimento de produtos nos locais de produção por falta de transporte. O país, altamente dependente do abastecimento por contêineres em caminhões, viu o fluxo de entrega comprometido pela escassez de mão de obra, provocada pela saída do país de motoristas, muitos do Leste Europeu. A dificuldade de substituição gerou o consequente aumento do nível de salários, na medida em que os que se afastaram precisaram ser substituídos por locais, uma espécie de perplexidade do tipo “se os boias-frias se forem, quem fará o trabalho deles?”. O fato real é que o Natal já preocupa, com possibilidade de movimento diminuído, com potencial de atraso da recuperação da economia. "God save the queen" .

Paulo Roberto Gotaç pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

*


 

 

 


     







 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.